Araruama vive um momento

Odorico Paraguaçu às avessas
Faltam vagas para sepultamento nas três necrópoles públicas e lugar
para velar o corpo. Não há mais apoio da SEPOL que se encontra
com as duas linhas telefônicas cortadas por falta de pagamento
Foto: Aurélio Lemos
tarda, deve entrar para o
livro dos recordes, o
Guinness Book, como o pior
gestor da história recente
da república brasileira.
Ficou afastado por SEIS
MESES por uma suposta
fraude na merenda escolar
do município, onde com-
praram no mesmo ano, 59
toneladas de coxa de fran-
go, no primeiro semestre
e, sem nenhum aumento no
número de alunos, no ou-
tro, adquiriram mais 120
mil quilos da mesma igua-
ria. Segundo o MP existia
uma fábrica dentro da pre-
feitura para fraudar licita-
ções.
Segundo alunos e os pais
dos discentes, nunca a
“mistura” chegou à mesa
das crianças do ensino fun-
damental. Há diversas fo-
tos denunciativas, na web,
onde aparece à mesa, ape-
nas feijão com arroz.
Soma-se a isso, depois de
nove meses, sem uniforme,
a aquisição da
indumentária pela secre-
taria de educação; a veste é
transparente, além de mui-
to vagabundo o tecido.
Nem os pais, nem os alu-
nos, gostaram; outro deta-
lhe: O traje atual, nas es-
colas municipais, virou
uma miscelânea; uns vão de
roupa comum e, outros,
usam apenas a camisa, já
que a bermuda, totalmen-
te transparente, não é usa-
da nem pelos meninos,
tampouco, pelas meninas.
A compra dos uniformes
chega à cifra de mais de R$
2,5 milhões de reais que
foram literalmente joga-
dos no lixo. NINGUÉM
usa a bermuda. Nossa equi-
pe de reportagem esteve
recentemente numa uni-
dade escolar e, perguntou
a algumas mães, o porquê
de o aluno não está trajan-
do o uniforme, a maioria
disse que a bermuda, serve
agora como pano de chão
da casa.
Não fosse trágico, seria li-
teralmente cômica a ges-
tão do Partido da Repúbli-
ca. Sob o pretexto de me-
lhorar a capela municipal,
o prefeito mandou derru-
bar o muro da igreja cató-
lica, sem a permissão do
pároco. A obra que está sen-
do erguida, dura mais de
um ano e, por isso, não há
espaço público gratuito
para parentes velarem os
corpos de seus entes que-
ridos.
Shirlei Alves (foto), 38
anos, mãe de três meninas
e um casal de neto, disse a
nossa reportagem que ve-
lou o corpo do irmão, no
bar do outro irmão faleci-
do, Carlos Soares de Oli-
veira, conhecido carinho-
samente, como Gongala,
porque não tinha como pa-
gar uma capela parar ve-
lar o corpo do “Pai” -, as-
sim que ela considerava o
irmão, José Carlos Soares,
morto, aos 54 anos.
Ela filha adotiva da saudo-
sa Diva Soares, a Tia Diva,
como era conhecida; uma
personagem famosíssima
e considerada de
Araruama, em especial, no
bairro da Fazendinha.
Shirlei perdeu todos os ir-
mãos, Dudu, aos 31 anos,
Carlos Soares Eduardo de
Oliveira, o Gongala e José
Carlos Soares, aos 54 – o
único filho legítimo da Tia
Diva -, os demais, eram
adotados pela matriarca da
famosa família.
Nossa reportagem apurou
que a Sepol encontra-se
com os telefones cortados
e, a ajuda instituída no Go-
verno Meira, continuada
na gestão do Chiquinho e a
do André, foi descartada, já
que não há qualquer bene-
volência social para a famí-
lia, como caixões e isenções
da taxa de sepultamento.
Não queriam isentar a taxa
de sepultamento da família,
porque o caixão, que foi
uma doação, era de boa qua-
lidade; esquecendo os res-
ponsáveis, que a família é
muito pobre e, a SEPOL
não contribuiu com nada.
Leia matéria completa:
Shirlei ainda muito abalada fala com a nossa reportagem sob um forte efeito de emoção
O
prefeito Miguel
Jeovani do PR de
Garotinho, não
Pág. 03
PMA quebrada e munícipes de L U T O:
Sem caixão;
Sem lugar para velar o corpo;
Dificuldades para isenção da taxa de sepultamento
junto a SEPOL (sem comunicação com comutação).
Um dá ocupado sempre e o outro: “...Ligação
gratuíta. A telemar informa: Este telefone não está
recebendo chamadas...”
02 20 de Agosto de 2014
P R S LEMOS EDIÇÕES DE JONAIS
CNPJ Nº 11.267.787/0001-79
INSCRIÇÃO MUNICIPAL: 1158
ENDEREÇO: RUA MARÍLIA,
LT. 10/QD.01 - BOA - PERNA -
ARARUAMA/RJ-CEP. 28970-000
E-MAIL: JORNALLEMOS@HOTMAIL.COM
DIRETOR COMERCIAL/EDITOR-CHEFE: Aurélio Lemos
DRT-RJ Nº 15.332/94/64/Jornalista Profissional - Tel.: 22-99817-8323/oi - 99711-3209
DIRETORA: MARKETING/PUBLICIDADE E FINANCEIRO:
Publicitária: Patrícia Lemos
DIAGRAMAÇÃO, ARTE E FOTO: Aurélio Lemos
FOTOLITO E IMPRESSÃO: Editora Esquema Ltda
Rua José Figueiredo nº 20 - Centro - Niterói - RJ
Tiragem: 5 mil exemplares
Obs.: Os artigos publicados são de total reponsabilidade de seus idealizadores/
autores e, por serem espontâneos, assim como os colaboradores, a pedido, não
possuem vínculo empregatício com a empresa.
E X P E D I E N T E:
Descontraindo!!!
By Luizão SKY
Tem ainda “Bom Dia na Sucesso” com Leyla Adriana,
de 7h às 9h; “Aperte o Play” com Fernanda Carriço,
de segunda a sexta de 9h às 11h; “Salto Alto” com
Alessandra Domingues, de segunda a sexta, das 16h
às 18h; “Bom Dia Região” com André Mônica, aos
sábados de 9h30 às 11h e, é claro o icone da locução
no Estado do Rio de Janeiro, Billy Brasil no “Resu-
mo da Manhã” de segunda a sexta de 11h às 12h. Tudo
isso se deve ao feeling do jovem empresário de co-
municação, o diretor da Rádio Sucesso, Felype
Domingues que reuniu o que há de melhor num só
dial. Tem também Monayra Manon com participa-
ção especial no “Aperte o Play”, todas as sextas. Do
mais alto gosto musical. Quer mais...
SUCESSO É POUCO
WELLINGTON MELLO: CURTO E GROSSO
Sem papas na língua,
s e m p r e
“C U R T O”
E
G R O S S O
Habilitado e
juramentado:
Professor Wellington
Mello
Poeta, cantor popular,
poliglota, memorialista
e pesquisador da
história de
Araruama

Num mundo contem-
porâneo em constante
evolução e com deman-
das insaciáveis de qua-
lidade de cursos técni-
cos vem se consolidan-
do fortemente no mer-
cado de trabalho:
Petrobras; indústrias
offshore; de constru-
ção civil; de logística;
metalúrgicas; siderúr-
gicas, entre outras são
as que mais empregam
e procuram cada vez
mais técnicos com
qualificação para atu-
ar no mercado de tra-
balho.
Até 2017 e com os in-
vestimentos do Pré-sal;
Porto de Açu;
COMPERJ; Pólo Du-
que de Caxias - apenas
no Estado de Rio de ja-
neiro, o Brasil precisa-
rá de sete milhões de
profissionais de nível
técnico para suprir a
demanda de mercado,
segundo o Mapa de
Emprego da CNI –
Confederação Nacio-
nal da Indústria.
Para quem procura
uma forma rápida e
com perspectivas favo-
ráveis de ingresso ao
mercado de trabalho o
momento é este.
O ensino técnico tor-
na-se, pela curta dura-
bilidade - media 18
meses -, seu caráter in-
tensivo e vivencial e o
retorno econômico, um
caminho muito procu-
rado e rápido para o
ingresso laboral. Des-
taca-se neste contexto
que 60 % dos alunos
que finalizam o ensino
médio não ingressam
ao ensino superior ten-
do na formação técni-
ca um estímulo favorá-
vel para inserir-se na
vida profissional.
Um perfil que se obser-
va também é que os
alunos do ensino médio
CURSOS TÉCNICOS GANHAM
MERCADO DE TRABALHO
usam o curso técnico
como degrau para
uma futura gradua-
ção, onde incorpora
prática, noção de
mercado e conheci-
mentos teóricos
invaloráveis para ini-
ciar um curso superi-
or. Ou ainda há os
alunos com curso su-
perior completo que
ingressam nos cursos
técnicos seduzidos
pelo forte apelo sala-
rial.
Inglês fluente, comu-
nicação, pro ativida-
de e outras compe-
tências também são
requisitadas pela in-
dústria, já que o téc-
nico não é apenas um
operador -, também
um gestor com capa-
cidade para resolver
problemas e confli-
tos.
Outra característica
dos cursos estimada
pelo mercado é o es-
tágio prático obriga-
tório que resulta de
fundamental impor-
tância para almejar
uma boa colocação
na empresa ou indús-
tria facilitando a ob-
tenção de emprego,
pois à prática profis-
sional é por si só, um
diferencial de merca-
do altamente conside-
rado.
Outro índice da po-
pularidade dos cursos
técnicos resulta nos
salários que costu-
mam ser bem atrati-
vos. A procura pelos
cursos se baseia mui-
to nesta consideração
e na possibilidade de
embarque offshore
(plataforma ou navios)
sendo os cursos de
eletrotécnica; seguran-
ça do trabalho; mecâni-
ca; automação e
edificações, entre mui-
tos outros, os de maior
procura. A remunera-
ção média inicial dos
técnicos no Brasil che-
ga a R$2.100, segundo
o SENAI. Com 10 anos
de experiência na fun-
ção este salário pratica-
mente triplica.
Em Araruama, por
exemplo, esta tendência
mostra-se real. O Insti-
tuto Educacional
Darwin, por exemplo,
credenciado oficialmen-
te pelo MEC, fornece
estágio para todos os
seus alunos e já indicou
44 discentes para entre-
vista, em 2013 -, todos
eles hoje, laboram com
carteira de trabalho as-
sinada e média salari-
ais extremamente agra-
dáveis.
O futuro já chegou para
quem quiser.
A escolha está ao al-
cance de sua mão. In-
vista em você.
Quem quiser conferir e
se dar bem na vida.
Consulte um dos me-
lhores cursos de
A r a r u a m a ,
credenciado pelo MEC.
Instituto Educacional
Darwin: 22 - 2665 5873.
Quero pedi r aos
mai s de 130 mi l
araruamenses que
NÃO abaixem a cabe-
ça para esse atual
desgoverno.
Araruama está pas-
sando pela PIOR fase
político-administra-
tiva de sua História.
É incompetência em
todos os Setores Pú-
blicos!
Faltam medicamen-
tos, médicos, gazes,
algodões nos Hospi-
tais e nos Postos de
Saúde. Faltam pro-
fessores, merenda,
escol as desabando
por falta de cuida-
dos, etc.
Assaltos, pichações,
além da segurança
públ i ca muni ci pal
que est á t ambém
abandonada. Meni-
nas saindo no “tapa”,
depois da aula, em
frente às uni dades
muni ci pai s, sem a
presença da guarda
municipal para coi-
bir. Está publicado o
ví deo no f acebook
para quem qui ser
ver.
O Teatro Municipal,
que desde janeiro de
2013 está abandona-
do, e o Museu Arque-
ológico, idem. E, ain-
da tem um professor
que esteve secretário
na gestão do André,
dando entrevista em
rádio, dizendo que a
nossa cul tura está
uma maravilha e, que
na gestão passada,
não teve apoio.
Quero saber que
“cultura” esse rapaz
est á se ref eri ndo.
Porque até agora, só
vi desserviço presta-
do a população, em
todos os setores da
administração públi-
ca. Há denúncias que
chegaram que alunos
estão fazendo sexo
dentro da unidade,
como no João Brito,
na Boa Perna. Tam-
bém está na web, para
quem quiser checar.
Os três cemi téri os
Muni ci pai s sequer
tem mais vagas para
sepultar. Não se pode
nem morrer mais em
Araruama. Isso eu
posso atestar porque
trabalho no segmen-
to, como: lugar para
velar o corpo, difi-
culdades para conse-
guir isenção da taxa
de sepultamento, te-
lefones cortados por
falta de pagamento na
SEPOL, além da fal-
ta de apoio da pasta,
para ajudar os menos
f avoreci dos, como
doações de caixões,
outrora, comum, des-
de o governo Meira,
passando pel o
Chi qui nho, no de
André e, ai: PAROU
tudo. Está tudo iner-
te e dominado.
Enquant o i sso em
Sucupira: Contratos
Milionários de Má-
quinas e Equipamen-
tos; reformas de mais
de 100 mil reais em
Postos de Saúde, que
foram revitalizados
pelo ETERNO pre-
feito André Mônica,
enfim, um caos total
e sem precedentes.
Com absoluta certe-
za, quem votou nesse
desgoverno está mui-
to arrependido.
Com total convicção,
milhares e milhares
de araruamenses sen-
tem a falta de André
Mônica. Errar é hu-
mano caro munícipe e
eleitor, mas, permane-
cer no erro é BURRI-
CE ou masoquismo.
Urna não é Privada! O
resultado está aí: Uma
Araruama LARGADA,
a beira de decretação
de estado de calami-
dade pública ou uma
intervenção geral por
part e da JUSTIÇA
pela INCOMPETÊN-
CIA e descaso com a
vida humana.
Sem dúvi da est e
desgoverno quer en-
trar para algum livro
de recorde como o
pior governo da his-
tóri a de Araruama.
Será o guiness book!
como gostam de ser
“fashi on”, deve ser
isso.
(Homem) - Oi gata. Qual
é seu telefone? (LOIRA) -
Nokia. E o seu?
(homem) - Uau! Isso aqui é
uma calçada ou uma passa-
rela de moda? (LOIRA) –
Hum! agora você me pegou...
É que eu não sou daqui. En-
tão não sei te informar...
(homem) - Eu não tiro o olho
de você! (LOIRA) - Ainda
bem, né? Senão eu fico cega!
(homem) - Nossa! Eu não
sabia que boneca andava!
(LOIRA) - Sério? Nossa
você está por fora, hein! Já
tem até Barbie que anda de
bicicleta!
(homem) - Que curvas,
hein! (LOIRA) - Nem me
fala... Eu bati o carro sete
vezes pra chegar nessa fes-
ta!
(homem) - Esse seu vestido
vai ficar lindo jogado no
chão do meu quarto! (LOI-
RA) - Quer comprar igual
para fazer um tapete? Eu te
indico a loja...
(homem) - Quer beber al-
guma coisa? (LOIRA) – Ai!
Que bom que você apare-
ceu, garçom.
(homem) - Eu quero o seu
amor, gata! (ESSA É A ME-
LHOR) (LOIRA) - Espera
só um pouquinho..... Amô-
oooor! Tem um moço aqui
querendo você!
Mais uma:
A Loira arrumou um em-
prego de manobrista num
restaurante. Logo, chega o
primeiro cliente para reti-
rar o carro, e diz: - O Celta
preto. A Loira responde: -
Está sim. Acho que vai cho-
ver...
Putz. Como é difícil passar
cantada em loiras!!!
By Luizão SKY
DDD voltou!!!
Ao menos para Rio das
Ostras e em Barra de São
João, a OI Telemar, vela-
do, volta a exigir discar o
DDD para completar a li-
gação. A denúncia já foi fei-
ta com exclusividade pelo
JORNAL LEMOS, ao
deputado Chico D Ângelo
do PT, candidato a reelei-
ção que ficou de resolver.
O parlamentar para quem
não sabe é o “Pai da Cri-
ança” -, ele que conseguiu
tirar o DDD para ligações
entre as cidades da Região
dos Lagos. Com
parcimônia e velado, a con-
cessionária já começou a
colocar as unhinhas de
fora. Estamos de olho!
Onde chegam arrastam
multidões. Assim é saga do
Paulo Melo; do vereador,
líder do PP na Câmara, Zé
Antonio e André Mônica.
Um simples chamamento
do trio, lotou o antigo co-
mitê eleitoral do vereador
que conclamou à socieda-
de para anunciar seu
apoio incondicional ao pre-
sidente da Alerj, deputa-
do estadual Paulo Melo e
o líder na Câmara Fede-
ral, deputado federal,
Eduardo Cunha -, ambos
candidatos a releleição
pelo PMDB.
Paulo Melo, Zé Antonio
e André Mônica!
Foto: Aurélio Lemos
C

O

L

U

N

I

S

T

A
03 20 de Agosto de 2014
Como na obra de ficção mas às avessas em Araruama falta
espaço para enterrar enquanto em Sucupira escasseavam
corpos para inauguar o cemitério na obra de Jorge Amado
“O prefeito Odorico
Paraguaçu, um político cor-
rupto e cheio de artima-
nhas, tem como meta
prioritária em sua adminis-
tração na cidade fictícia de
Sucupira, litoral baiano, a
inauguração do cemitério
local.
De um lado, é bajulado
pelo secretário gago, Dir-
ceu Borboleta, profundo
conhecedor dos
lepidópteros; e conta com
o apoio incondicional das
irmãs Cajazeiras, suas
correligionárias e defenso-
ras fervorosas: Dorotéia,
Dulcinéia e Judicéia.
Dorotéia é a mais velha -,
líder na câmara de verea-
dores da cidade.
Dulcinéia, a do meio, é
seduzida pelo prefeito.
Judicéia é a mais nova e
mais espevitada. São três
solteironas avessas a imo-
ralidades - pelo menos em
público, já que Odorico
sempre aparece de noite
para tomar um "licor de
jenipapo.”
De outro, tem que lutar
com a forte oposição lide-
rada pela delegada de po-
lícia Donana Medrado,
que conta com o dentista
Lulu Gouveia, inimigo
mortal do prefeito e líder
da oposição na Câmara -,
atracando-se constante-
mente com Dorotéia no
plenário.
E ainda com o jornalista
Neco Pedreira, dono do
jornal local - A Trombeta.
O meio-termo se intensi-
fica com a presença de
Nezinho do Jegue, defen-
FICÇÃO: RECORDAR É VIVER!
Texto retirado da Wikipédia
Enquanto na obra de ficção
faltam corpos para inaugu-
rar o cemitério, em
Araruama não tem mais
espaço nas três necrópoles
públicas municipais: Pri-
meiro Distrito, Segundo e
no Terceiro; no Centro da
cidade, Morro Grande e
em São Vicente de Paulo,
respectivamente.
Os telefones da SEPOL –
Secretaria de Política So-
cial, Trabalho e Habitação
estão com as duas linhas
sor fervoroso de Odorico
quando sóbrio, e principal
acusador, quando bêbado!
Maquiavelicamente, o pre-
feito arma tramas para que
morra alguém, sendo sem-
pre mal-sucedido.
Nem as diversas tentativas
de suicídio do farmacêuti-
co Libório, um tiroteio na
praça e um crime lhe pro-
porcionam a realização do
sonho. Para obter êxito,
Odorico traz de volta a
Sucupira um filho da terra:
Zeca Diabo, um pistoleiro
redimido, que recebe a mis-
são de matar alguém para
a inauguração do cemité-
rio.
Como se não bastasse,
Odorico ainda tem que en-
frentar os desaforos de
Juarez Leão, médico
personalístico da oposição,
que se envolve com sua fi-
lha Telma e faz um bom tra-
balho em Sucupira, salvan-
do vidas - para desespero
de Odorico.
Ao final, uma irônica sur-
presa: Zeca Diabo, revol-
tado, mata Odorico, que,
finalmente, inaugura o ce-
mitério!
O Bem Amado, foi grava-
do em Sepetiba, bairro da
cidade do Rio de Janeiro.
Em 1996, no Chile, a histó-
ria foi adaptada com o títu-
lo de Sucupira, tendo al-
cançado grande sucesso.
Em 10 de outubro de 2012
uma versão de 36 horas e
meia da novela é lançada
em box com 10 dvd´s pela
Globo Marcas. Neste Box,
Daniel Filho faz uma decla-
ração sobre a produção da
REALIDADE:
obra e revela ao público
como surgiu a idéia central
de "O BEM AMADO".
Um prefeito capixaba ti-
nha como plataforma elei-
toral de sua cidade a cons-
trução de um Cemitério.”
meçou a cobrar cerca de
R$ 300 reais para estada
do corpo. A maioria esma-
gadora não tem como pa-
gar, como é o caso da
Shirlei.
Em Araruama, por exem-
plo, não há mais vagas nos
três cemitérios públicos,
nem local para o velório.
Shirlei vigilou o corpo do
pai no bar do irmão, na
Fazendinha.
A filha do Tavares disse
que a obra, segundo o pre-
feito, demoraria uns três
meses; eles passaram a
cobrar, porque já passa-
ram um ano, além de todos
os problemas enfrentados,
como confusões na capela.
No governo Meira, na
gestão do Chiquinho (nos
dois anos) e, na adminis-
tração de André Mônica,
não foi registrado nenhum
problema dessa ordem.
Funcionários da Paróquia
São Sebastião, que não qui-
seram gravar entrevista,
tampouco revelar os no-
mes, afirmaram que os
muros do entorno da cape-
la antiga (foto) foram der-
rubados sem que o Pároco
autorizasse ou mesmo co-
municado a administração
da igreja.
Isso gerou muita revolta
por parte dos católicos, já
que aquele espaço, o muro,
por exemplo, foi erguido
pela paróquia e há uma
cessão de uso, autorizado
pela Câmara no Governo
de Altevir Barreto, dando
posse a igreja aquele es-
paço físico, atrás da atual
capela que está sendo
erguida. Não há previsão
para inauguração da cape-
la municipal pública.
da pasta, cortadas por fal-
ta de pagamento, o 22 -
2665-5642 e o 2665-2645.
Entes relatam como o caso
da Shirlei que estão encon-
trando dificuldades para
conseguir isenção de taxa
de sepultamento, mesmo
os assistentes sociais, sa-
bendo que são pessoas de
baixo poder aquisitivo.
Shirlei, por exemplo, sa-
bendo de todos os proble-
mas enfrentados nesta ad-
ministração, procurou logo
ajuda, sabendo que passa-
ria pelo mesmo problema
que outras pessoas, como
vizinhos dela, que já havi-
am comentado e adianta-
do a ela que teria dificul-
dades na isenção da taxa
e problemas como local
para velar o corpo.
A assistente social criou
problemas com a funerá-
ria, já que o caixão que foi
uma doação era de boa
qualidade, esquecendo a
profissional, que a família
é carente e, pelo fato de
ter tido uma ajuda, isso não
significa que os parentes
não teriam a isenção asse-
gurada.
A princípio, o Tavares es-
tava liberando, custo zero,
para que os corpos dos
parentes fossem velados
naquela capela particular,
contudo, segundo a filha do
proprietário da funerária,
que falou com a nossa re-
portagem por telefone, es-
tava acontecendo muitos
problemas e reclamações,
além da falta de conside-
ração dos parentes com os
funcionários da capela.
Depois disso, a capela co-
Fotos: Aurélio Lemos
O pároco não foi avisado: Muros foram derrubados pela prefeitura dos dois lados: Obras começaram em junho de 2013
Ainda faltam muitos detalhes a serem concluídos
04 20 de Agosto de 2014
Evento reuniu os dois
candidatos peemedebistas,
Paulo Melo e Eduardo Cu-
nha, lideranças políticas, e
centenas de simpatizantes,
no Centro de Araruama.
No último sábado, dia 9 de
agosto, o vereador Zé An-
tonio realizou uma reunião
em seu antigo comitê elei-
toral, a fim de formalizar
seu apoio aos candidatos
Paulo Melo (estadual) e
Eduardo Cunha (federal),
Vereador Zé Antonio PP formaliza apoio a deputados peemedebistas
ambos do PMDB.
O vereador - Líder do PP
(Partido Progressista) na
Câmara Municipal de
Araruama, conta com o to-
tal apoio de sua principal
liderança política, o sena-
dor Francisco Dorneles,
que disputa a eleição como
vice-governador ao lado
de Pezão.
O evento contou com a
presença do deputado es-
tadual Paulo Melo, depu-
tado federal Eduardo Cu-
nha, prefeito de Itaboraí,
Helil Cardozo; presidente
do PMDB de Araruama,
André Mônica, ex-
vereadora Marizete Ra-
mos de Andrade, além de
vários suplentes do PP,
como Júlio Marinho,
Marquinhos Peixeiro,
Adenor de Castro e Mário
Gambá, entre outros.
Substitutos de vereador de
outros partidos, como:
Apoio tem o aval do senador Francisco Dornelles que disputa o governo do estado na condição de vice na chapa do governador Pezão
Reginaldo Coelho,
Giovani Jardim e Paulinho
Gospel, também fizeram
questão de comparecer ao
evento.
O encontro reuniu cerca de
300 pessoas.
Em seu discurso, Zé Anto-
nio salientou a importância
da confirmação no voto
daqueles que têm compro-
misso com a cidade e tra-
balho político devidamen-
te comprovado.
Para ele, tanto Paulo
Melo, quanto Eduardo Cu-
nha, ambos são referência
em suas casas legislativas
e a voz de Araruama, seja
na Alerj, seja na Câmara
dos deputados em Brasília.
Fizeram uso da palavra o
ex-prefeito de Araruama,
André Mônica, presiden-
te municipal do PMDB,
que abriu o evento; o ve-
reador Zé Antonio, líder
do PP na Câmara; o de-
putado federal Eduardo
Cunha, candidato a reelei-
ção pelo PMDB e, por fim,
o deputado Paulo Melo
(presidente da Alerj), tam-
bém candidato a reeleição
pelo PMDB.
Fotos: Aurélio Lemos
05 20 de Agosto de 2014
Sempre ao lado do Dr.
Marcelo Amaral, candida-
to a deputado federal pelo
PT, o candidato a senador
pela Coligação Frente Po-
pular (PT-PV-PSB-
PCdoB), Romário, esteve
em Saquarema, dando iní-
cio à sua agenda de cami-
nhadas pela Região dos
Lagos, área pela qual tem
um histórico de grande es-
tima e afeto.
Foi um dia cheio, não só de
compromissos, mas de
muita troca, carinho e
apoio da população às can-
didaturas de ambos.
Primeiro aportaram em
Saquarema e foram rece-
bidos com muitas demons-
trações de afeto e carinho
do público, que como sem-
Candidatos caminham pela Região dos Lagos
Marcelo Amaral e Romário são recebidos e ovacionados
pre, esbanjam
receptividade nas cami-
nhadas dos dois candida-
tos.
Em seguida foi à vez de
Araruama e de Iguaba -,
cidades pela qual os dois
têm um enorme carinho
com a população e uma re-
lação antiga com os
munícipes de ambas as ci-
dades. A recepção não po-
deria ter sido melhor: a
população nos três muni-
cípios aderiu em peso às
caminhadas para ouvir as
propostas e demonstrar
apoio às candidaturas.
Praia Seca: Descaso com as ruas do quarto distrito
Assim no mar como na terra esse é o retrato constante
Pedimos a um morador
da Rua Júpiter, localizada
em frente à portaria do
Clube Salinas, no quarto
distrito da cidade de
Araruama – Praia Seca,
para fazer esse registro
fotográfico.
Nossa reportagem vem re-
cebendo diversas recla-
mações de moradores des-
sa localidade que ficam li-
teralmente impedidos de
sair de casa, quando cho-
ve.
Fomos até lá e constata-
mos in loco, logo após as
últimas chuvas, que é um
fato o descaso da prefeitu-
ra e subprefeitura com a
população daquele lindo
balneário.
Segundo esse morador, a
população vai até a
subprefeitura e lá alegam
que não tem material nem
apoio do prefeito da cida-
de.
Fotos: Aurélio Lemos Fotos: Divulgação
20 de Agosto de 2014 06

Related Interests