You are on page 1of 13

A história dos sistemas operacionais

Atualmente, os sistemas operacionais (SO) estão cada vez mais fáceis de usar,
possuindo interfaces muito simples e bonitas. Contudo, todas estas funcionalidades não
surgiram do nada, foram evoluindo com o tempo. Por eemplo, a bela interface gráfica do
!indo"s #ista $ resultado de mais de %& anos de desenvolvimento, desde as primeiras
vers'es deste SO. Por isso, criamos este artigo (ue conta a )ist*ria dos sistemas
operacionais, incluindo os principais representantes de cada $poca.
Sistema operacional não $ a ma(uina
Atualmente, ainda são comuns alguns e(u+vocos em rela,ão ao sistema operacional. Por
eemplo, todos alguma vez -á ouviram um diálogo como este.
/ 0ue computador voc1 irá comprar2
/ #ou comprar o !indo"s.
O diálogo acima demonstra um erro muito comum no mundo da informática. pensar (ue o
sistema operacional $ a má(uina em si. 3asicamente, o computador $ composto por duas
grandes categorias. )ard"are e soft"are. A primeira delas se refere 4 parte f+sica da
má(uina, ou se-a, o (ue pode ser tocado fisicamente. 5á a segunda abrange a parte
l*gica responsável por realizar tarefas, utilizando/se do )ard"are para a realiza,ão de
suas tarefas.
Por isso, sistemas operacionais como o !indo"s, 6inu ou o 7AC OS, são apenas
soft"ares (ue gerenciam toda a atividade do )ard"are, mas não o computador em si.
Conse(uentemente, em um PC (ue conten)a um dos SOs citados acima, (uase sempre
$ poss+vel instalar outro.
Sistemas operacionais primitivos
Primeiramente, vamos tratar sobre a g1nese dos sistema operacionais, abordando a
forma como eram desenvolvidos nas d$cadas de cin(uenta, sessenta e setenta.
7á(uinas (ue não usavam SO
A primeira gera,ão da computa,ão moderna (89:;/89;;) não trabal)ava com o conceito
de sistema operacional propriamente dito, visto (ue as opera,'es eram setadas atrav$s
de )ard"are. Por eemplo, c)aves, (uil<metros de fios e luzes de aviso, como na foto
abaio do =niac. >esse per+odo, era muito comum (ue a mesma pessoa pro-etasse,
programasse e utilizasse os computadores. A principal implica,ão desta abordagem $ o
fato de (ue era muito dif+cil criar rotinas programáveis, eigindo trabal)o intenso dos
operadores de má(uinas.
Programa,ão em 3atc)
O conceito de sistema operacional apareceu durante a segunda gera,ão da computa,ão
moderna (89;; / 89?;), atrav$s da programa,ão em 3atc). Assim, vários comandos -á
poderiam ser eecutados em se(u1ncia atrav$s de cart'es perfurados, eliminando parte
do trabal)o do operador de terminal. >ormalmente, um programa era composto por um
con-unto de cart'es inseridos pelo usuário do sistema, na ordem correta.
Sistemas espec+ficos
=m meados da d$cada de ?&, os primeiros sistemas operacionais foram desenvolvidos
conforme a evolu,ão da tecnologia da $poca. Contudo, cada má(uina possu+a seu pr*prio
SO espec+fico, o (ue implicava na incompatibilidade de mainframes distintos. @m dos
maiores representantes foi o CASS, criado pela 7BA, sendo lan,ado em 89?8 para o
computador B37 C&9&.
@ni, o primeiro sistema operacional moderno
#isando ao problema da incompatibilidade de SOs de má(uinas distintas, um grupo de
desenvolvedores da AADA ciaram o @ni em 89?9, sendo o primeiro sistema operacional
moderno da computa,ão. E poss+vel afirmar (ue mais de 9& porcento dos SOs atuais
foram influenciados de alguma maneira pelo @ni.
Sua primeira versão foi escrita em linguagem assemblF, sendo posteriormente reescrito
em C no ano de 89CG, linguagem utilizada at$ os dias de )o-e. =ste sistema introduziu
conceitos muito importantes para a computa,ão. portabilidade, multi/usuário, multi/tarefas
e compartil)amento de tarefas.
Hurante a d$cada de C&, o @ni foi distribu+do gratuitamente (incluindo seu c*digo fonte)
para universidades e *rgãos governamentais norte/americanos, o (ue conferiu muita
popularidade a este sistema. Sua interface era totalmente em modo teto sem interface
gráfica
=m 89CC foi lan,ado o 3SH, sistema operacional fortemente baseado no @ni, focado
principalmente para a eecu,ão em má(uinas espec+ficas de alto desempen)o, como o
famoso computador #AI, o (ual foi uma refer1ncia de )ard"are na $poca.
Sistemas Operacionais para computadores pessoais
Aanto o @ni (uanto o 3SH, em suas primeiras vers'es, foram desenvolvidos para o uso
de computadores de grande porte, normalmente em universidades. Contudo, alguns
-ovens programadores possu+am uma ideia absurda para $poca. criar sistemas
operacionais para o uso de pessoas comuns.
Steve 5obs e a Apple
@m dos primeiros a pensar desta forma foi Steve 5obs, fundador da Apple. Hesde a
cria,ão de sua empresa, seu principal foco foi a cria,ão de computadores para o dia/a/
dia, incluindo sistemas operacionais fáceis de serem operados. O lan,amento do Apple B
em 89C?, um dos primeiros computadores pessoais, foi um marco na )ist*ria da
computa,ão.
Pela primeira vez, um PC contin)a um teclado fácil
de ser utilizado, com uma mini/televisão adaptada
como monitor. Assim, con)ecimentos avan,ados de
computa,ão -á não eram mais re(uisitos para se
operar um PC. 5obs fez (uestão de criar o seu
sistema operacional do zero, sem se basear
inicialmente no @ni. >os anos seguintes, os
modelos Apple BB e Apple BBB foram lan,ados no
mercado, um sucesso de vendas. Suas interfaces
gráficas eram muito primitivas comparadas com o
padrão usado atualmente, mas avan,ad+ssimas para
a $poca.
=m meados de 89C9, Steve 5obs tomou
con)ecimento sobre o desenvolvimento de um
computador totalmente inovador pela Iero Parc.
=m uma vista a esta empresa, ele ficou deslumbrado
com Iero Alto, um PC (ue possu+a uma interface
gráfica (J@B) totalmente revolucionária. Pouco tempo depois, a Apple lan,ou o 6isa,
aproveitando todas as ideias gráficas do computador. >ão $ nem preciso dizer (ue o
sucesso foi estrondoso. Cada versão do Apple possu+a um sistema operacional distinto.
Como se não bastasse, o Apple 7ac)intos) foi lan,ado em 89K:, introduzindo o conceito
de desLtop, utilizando +cones e pastas para representar programas e ar(uivos do modo
como con)ecemos )o-e. =sta má(uina acompan)ava o revolucionário e inovador sistema
c)amado 7AC OS. Seu sucesso foi estrondoso em todo =@A, principalmente pela
vincula,ão de seu comercial durante a final do Superbo"l do mesmo ano.
Com o passar dos anos, as novas vers'es do 7acintos) e o do 7AC OS -á não eram
mais populares como antes, o (ue fez com (ue a Apple perdesse bastante mercado para
a 7icrosoft. >o final dos anos 9&, o c*digo do 7acintos) apresentava muitos problemas,
o (ue obrigou (ue um novo plano fosse tra,ado. =m %&&8, a Apple surpreendeu o mundo
da informática, abandonando o seu pr*prio c*digo e reescrevendo todo o seu sistema
operacional usando o @ni como base. A partir da+, ele passou a se c)amar 7AC OSI,
sistema (ue continua forte at$ os dias de )o-e.
3ill Jates e a 7icrosoft
#oltando ao final da d$cada de C&, outro -ovem programador, c)amado 3ill Jates,
tamb$m possu+a o dese-o de revolucionar o mundo da informática. =m 89C;, ele fundou a
7icrosoft, empresa (ue possu+a como ob-etivo primário o desenvolvimento de soft"are
em linguagem 3ASBC para o computador Altair da B37. Com o sucesso dos programas
desenvolvidos pela 7icrosoft, a empresa afirmou (ue possu+a um sistema operacional
completo. A B37 se interessou pelo pro-eto e ambas as organiza,'es afirmaram um
contrato, em 89C9.
=ntretanto, a 7icrosoft estava com s$rios problemas, pois não possu+a um sistema
operacional de verdade. A solu,ão encontrada foi a compra do SO da Seattle Computer
Products pelo valor de M;&.&&&. 7uitos o c)amam de neg*cio do s$culo, pois a partir de
;& mil d*lares, a 7icrosoft possui o patrim<nio atual avaliado em dezenas de bil)'es de
d*lares.
Ap*s várias mel)orias sobre o sistema comprado, a 7icrosoft lan,ou 7S/HOS em 89K%
cu-a interface era baseada em modo teto, bastante parecida com a utilizada pelo @ni.
>a $poca, esse SO não c)amou tanta aten,ão, pois o Apple 6isa de Steve 5obs -á
trabal)ava com uma interface gráfica. Aomando con)ecimento deste problema, 3ill Jates
fez uma vista a Apple, com o ob-etivo básico de con)ecer a empresa. Ao final da visita,
Jates convenceu 5obs a ser inclu+do no desenvolvimento do 7acintos).
O ob-etivo de Jates era maior (ue isso. copiar a interface gráfica do 7ac)intos), e foi
eatamente isso (ue aconteceu. >o lan,amento do novo PC da Apple, Steve 5obs
descobriu (ue a 7icrosoft estava lan,ando má(uinas no 5apão, cu-as interfaces eram
muito parecida com a do seu computador. Ap*s a (uebra da parceria entre os dois, Jates
lan,ou o Sistema Operacional !indo"s 8.& em 89K;, batendo de frente com o 7AC OS.
Ap*s problemas de administra,ão, 5obs foi demitido da Apple, o (ue desestabilizou a
empresa, retornando somente em 899C. Assim, a 7icrosoft foi gan)ando cada vez mais
mercado no mercado, lan,ando o !indo"s %.& em 89KC, trazendo mel)orias
consideráveis na parte visual e no gerenciamento de mem*ria.

!indo"s G.& e G.88
>o in+cio dos anos 9&, o mercado de sistemas operacionais sofreu novo boom com o
lan,amento do !indo"s G.& (899&) e !indo"s G.8(899%). >a sua versão G.&, a mem*ria
passou a ser gerenciada de maneira muito mais eficiente, incluindo a mel)ora substancial
na interface gráfica. Noi criado um painel de controle e um gerenciador de ar(uivos
organizado, facilitando todo o trabal)o do usuário.
@m dos principais motivos (ue contribu+ram para seu sucesso foi o fato do sistema -á vir
instalado de fábrica em um grande nOmero de má(uinas.

O !indo"s G.8, incluindo seu service pacL G.88, troue mel)orias 4 versão G.&, como uma
interface de rede mel)or desenvolvida. =m % meses de lan,amento, o G.8 vendeu G
mil)'es de c*pias.
!indo"s 9;, 9K e 7=
>o ano de 899;, foi lan,ada no mercado a nova versão deste sistema operacional, o
!indo"s 9;. =sta versão foi tão importante para informática (ue acabou definindo o
padrão com (ue o desLtop $ organizado, o (ual ainda $ utilizado no #ista. Por eemplo,
podemos citar o botão Start, o menu Bniciar, a barra de tarefas e o gerenciador de
ar(uivos !indo"s =plorer. Ap*s alguns services pacLs, esta versão passou a suportar a
leitura de dispositivos @S3, o navegador internet eplorer, entre outras funcionalidades.
Hando continuidade a seu antecessor, a nova versão deste sistema foi lan,ada no ano de
899K, c)amada de !indo"s 9K. Apesar de apresentar mel)orias em rela,ão ao 9;, o SO
era um pouco lento e instável. Aais problemas s* foram arrumados com o !indo"s 9K S=
(Second =dition), lan,ado em 8999, (ue inclu+a fun,'es avan,adas para
compartil)amento de rede, suporte integrado a drivers de H#H/PO7, entre outras tarefas
O sucessor, !indo"s 7e, lan,ado em %&&&, foi um dos maiores fracassos na (uestão de
sistema operacional, pois era muita instável. Possu+a somente poucas mel)oras em
rela,ão ao !indo"s 9K S=. Por isso, logo foi deiado de lado.
Aodas as vers'es apresentadas at$ a(ui usavam o 7S/HOS como nOcleo do sistema, ou
se-a, o !indo"s funcionava como uma esp$cie de ambiente gráfico. Com o passar do
tempo, o uso desta ar(uitetura tornou/se insuportável, visto (ue o 7S/HOS não
conseguia dar conta de processar tantas informa,'es, o (ue ficou evidente no !indo"s
7e.
!indo"s IP e #ista
6an,ado em %&&8, o !indo"s IP tornou/se um marco na )ist*ria dos sistemas
operacionais, principalmente por trazer muitos recursos totalmente novos. =ntre eles $
poss+vel citar (ue o sistema tornou/se muito mais seguro, atrav$s da diferencia,ão de
permiss'es entre administradores e usuários comuns. A estabilidade tamb$m $ uma de
suas fortes caracter+sticas, pois o nOmero de telas azuis diminu+ram consideravelmente.
O principal motivo para todo esse avan,o $ uso do nOcleo (Lernel) >A como base, (ue
eclui totalmente a necessidade do 7S/HOS. >a verdade, o nOcleo >A -á vem sido usado
desde outras vers'es do !indo"s lan,adas para uso de servidores, como o !indo"s >A
(899G) e !indo"s %&&& (%&&&). Contudo, foi somente no IP (ue esta ar(uitetura foi
lan,ada para o usuário comum. Para saber mais sobre a defini,ão de nOcleo, cli(ue a(ui.
Hepois de seis anos de espera, a 7icrosoft lan,a o !indo"s #ista, em %&&C, (ue foi
muito aguardado pelos usuários. Ao contrário do IP, esta nova versão desapontou o
pOblico de uma maneira geral, principalmente por eigir uma má(uina muito potente.
Somente em computadores top de lin)a $ poss+vel observar vantagens no desempen)o
do #ista, principalmente pela suporte a multi/core. Seu grande desta(ue foram os efeitos
gráficos de Oltima gera,ão provido pelo pelo Aero e o Nlip GH.
A nova versão deste SO, !indo"s Seven, -á está em desenvolvimento.

Sistemas Operacionais 6ivres
At$ o eato momento, apresentamos a evolu,ão dos principais sistemas proprietários do
mercado. 7ac OS I e !indo"s. Agora, vamos focar nos sistemas livres. Apesar de fazer
bastante sucesso nos anos C&, o @ni continuou a ser desenvolvido durante toda esta
d$cada e a seguinte tamb$m. >o ano de 89KG, um revolucionário programador c)amado
Pic)ard Stallman criou o pro-eto J>@, ele afirmava (ue os soft"ares deveriam ser
desenvolvidos de maneira livre, sem restri,'es na leitura ou modifica,ão de seus c*digos
fontes.
=m 89K:, o 7BA desenvolveu o I !indo" SFstem, (ue como o seu nome diz, $ um
sistema gráfico de 5anelas para o @ni. =le permaneceu proprietário at$ 89KC, (uando
uma versão opensource foi lan,ada, sendo incorporada no desenvolvimento deste
sistema operacional. @m dos principais ob-etivos da J>@ sempre foi desenvolver a sua
pr*pria versão do @ni, atrav$s de um Qernel pr*prio, c)amado de J>@ Rurd. Contudo,
este nOcleo possu+a muitas fal)as de sistema, comprometeu muito o seu
desenvolvimento.
O Lernel 6inu
#isando estas fal)as, um programador c)amado 6inus Aorvalds estava desenvolvendo
outro Lernel para o J>@, c)amado de 6inu, em. =m seu primeiro lan,amento oficial
(8998), na versão &.%, o 6inu -á possu+a mais funcionalidades (ue o J>@, o (ue atraiu
bastantes desenvolvedores. Pouco tempo depois, o nOcleo criado por Aorvalds -á era o
sistema J>@ mais usado do mundo.
Al$m disso, os programadores eram e ainda são livres para utilizar o Lernel 6inu em
seus pr*prios sistemas, o (ue acabou gerando as famosas distribui,'es como
con)ecemos )o-e . As primeiras ficaram con)ecidas como Hebian e SlacL"are, ambas
lan,adas no Ano de 899G. >o in+cio, eram dif+ceis de serem utilizadas, comparadas com
os !indo"s G.88 e 9;, pois eigiam um con)ecimento profundo de computa,ão por parte
dos usuários.
Com o tempo, as distribui,'es 6inu foram se tornando cada vez mais fáceis de serem
utilizadas, principalmente para atrair o usuário comum do computador. Atualmente, utilizar
este sistema $ tão fácil (uanto o !indo"s, principalmente em distribui,'es como o
@buntu.