You are on page 1of 42

ANO 1 N° 02 NOV/DEZ 2009 R$ 6,90

PRELIMINARES
Quem ganha nesse jogo
onde o homem não quer
e a mulher quer demais?

MULHERES: HOMENS:
Vocês podem se Vocês podem gostar disso
excitar mais rápido

E MAIS:
- Primeira
vez gay

- Transar
é o melhor
exercício
04 Revista Transe! | Novembro 2009

Sumário
14
Na cama e de 4,
por favor!
Top 10 do melhor do sexo

16
Tá esquentando
Tudo o que você precisa
saber sobre as preliminares

08
Por que a
peteca cai?
Entrevista com médico
urologista ElóiGuilherme
sobre disfunção erétil

10
Máscara, chicote
e cinta-liga
O amplo mundo das
fantasias sexuais
Novembro 2009 | Revista Transe! 05

28
Muito além
de um jantar...
Os resultados
dos afrodisíacos

31
Falar de sexo
não tem hora
Entrevista com o jornalista
Paulo Tadeu sobre o livro
Vamos falar de sexo?

22
Velozes e
gostosas
A emoção da rapidinha
34
Muito prazer
24
Faça amor.
com imaginação
As novidades do sexo virtual

Pela sua saúde


Especialistas contam
os benefícios do sexo 36
Do armário
para a cama
A primeira vez gay
06 Revista Transe! | Novembro 2009

Editorial
A saga sexual continua
Olá, leitores e leitoras! A TRANSE! vem recheada
(de muito sexo, claro) nessa nossa segunda edição. Pois,
só aqui você caminha por assuntos tão deliciosos de
serem lidos. Preparamos, então, algo especial para você:
matérias sobre fetiches (incluindo glossário, não per-
ca!), rapidinha, preliminares e os prazeres do cybersexo!
Nossos repórteres capricharam para que você fique mais
informado a respeito do melhor esporte
já criado. E lembrando que esta não é uma
publicação unilateral! Aqui, damos ouvi-


dos tanto para as mulheres quanto para
Nossos repórteres os homens. E acha que fica nisso? Des-
sa vez o público GLS ganha seu espaço
capricharam para que
na nossa revista! Uma matéria sobre a
você fique mais nformado primeira vez homossexual mostra que o
a respeito do melhor universo gay também é recheado de con-
esporte já criado” fusão acerca da perda da virgindade.
E mais, o tema saúde também foi abor-
dado. Os teimosos que insistem em igno-
rar os benefícios do sexo ficarão de queixo caído com o
bem que esse esporte faz!
E que tal preparar aquele jantar pra apimentar a rela-
ção? Confira o que um alimento afrodisíaco é capaz de
fazer.
Tudo isso e muito mais por essas páginas. Uma boa
leitura a todos e não se esqueçam que a TRANSE! está
na internet. Acesse ww.twitter.com/revistatranse e o blog
revistatranse.blogspot.com/ e veja vídeos exclusivos.
Até a próxima.

GUILHERME ZANETTE
EDITOR
Novembro 2009 | Revista Transe! 07

Expediente

Revista TRANSE!
É uma publicação dos alunos da
Disciplina Laboratório de Texto 6°
Semestre de Jornalismo da
UNISANTA.

Equipe
Professores Responsáveis:
Eduardo Cavalcante, Márcia Okida
e Márcio Calafiori.
Editor: Guilherme Zanette. Editora
Multimídia: Marcela Ferraciú.
Designer e Diagramadora: Tatiane
Ribeiro
Subeditor: Renato Figueiredo

Repórteres:
Bruno Godinho, Fernanda Carreira,
Halley Rodrigues, Iraê Costa,
Marcela Ferraciú, Natacha Scarpa,
Patrícia Diotto, Paula Furlan,
Roberto Aló Filho, Sandra Netto e
Thaís Rozo.
08 Revista Transe! | Novembro 2009

Foto: Roberto Aló Filho


DisfunçãoErétil

Por que a
peteca cai?
ROBERTO ALÓ FILHO

A disfunção erétil é um problema que


atinge homens de todas as idades. A
dificuldade em manter a ereção do
pênis dificulta a realização do ato
sexual. O problema é considerado um
tabu e ocorre com cerca de 40% dos
As causas da disfunção erétil podem ser psicoló-
homens entre 40 e 70 anos de vida. O gicas ou orgânicas
médico urologista Elói Guilherme
Provincialli Moccellin explica causas
e tratamentos para a doença. los. Existe também injeção de prostaglandina que o
paciente aplica diretamente no pênis e consegue
obter uma ereção imediata e, como último recurso, a
TRANSE! — O que é a disfunção erétil? prótese peniana.
Elói Moccellin — É a dificuldade de manter a ere-
ção do pênis na relação sexual, considerada uma Por quanto tempo o medicamento age so-
disfunção sexual. bre o pênis?
Esses medicamentos vieram promover uma re-
A partir de que idade pode ocorrer? volução no tratamento da disfunção erétil. O paciente
Não há uma idade exata. Pode ocorrer desde pa- toma uma hora antes da relação e obtém resultado
cientes jovens de 20, 25 anos, até um de 90. eficaz. Existem drogas em que o efeito é mantido por
Logicamente que quanto mais novo o paciente mais seis até 36 horas. E há poucos casos de efeitos ad-
difícil a ocorrência dos casos. versos.

Como ela se manifesta? Existe algum trata-


Antes ou durante a relação sexual, o paci- 50% dos que tem mento natural, com
ente terá uma perda da ereção peniana. As alimentação diferen-
causas podem ser psicológicas ou orgânicas:
mais de 70 anos ciada?
pacientes obesos, diabéticos ou hipertensos. possuem algum Manter o equilíbrio ali-
problema de mentar, praticar ativida-
Quais os tratamentos preconizados? de física para que haja
Atualmente, o tratamento ficou bem facilita- disfunção erétil diminuição dos níveis de
do pela indicação de medicamentos utilizados colesterol, de glicemia,
por via oral, como o Viagra, o Levitra ou o Cialis, ou seja, melhorar a qua-
os mais conhecidos. São remédios que têm restri- lidade de vida do paciente. Isso porque o ato sexual
ções. Não são todos os pacientes que podem tomá- é uma atividade física que exige um mínimo de condi-
Novembro 2009 | Revista Transe! 09

cionamento. Portanto, você tem como tratar o proble- per uma veia é muito grande. Não é recomendável
ma sem o uso de medicamentos. nenhum desses métodos de aumento peniano.

A causa também pode ser psicológica? Mas o tamanho do pênis não é uma preo-
Sim. Todo o paciente que possui a disfunção tem cupação para homens e mulheres?
um fator psicogênico associado a ela. Problemas fa- O pênis não precisa ser grande para proporcionar
miliares, financeiros, a perda de um ente querido, uma prazer à mulher. O canal vaginal, por sua
palavra mal colocada pela parceira, excesso de ex- distensibilidade, aceita membros maiores, porém a
pectativa para ter a relação sexual podem desenca- sensibilidade está entre cinco e oito centímetros no
dear a doença. Se uma pessoa possuía a ereção e início deste canal. Se o pênis for muito grande pode
nos últimos três me- até tocar o colo do útero, causando um
ses passa a não tê- desconforto em vez do prazer. Pesquisa
la, obviamente que fi- Em uma relação aberta, com mulheres americanas mostram que
cará chateado e acar- elas se importam mais com a espessura
retará no aumento do a mulher pode do que com o tamanho e também não há
problema. influenciar na decisão tratamento que aumente a grossura do
do marido pênis.
Se nenhum tra-
tamento for efeti- procurar o médico Geralmente o homem procura o
vo, qual a solução? médico por conta própria ou ele é
A solução definiti- incentivado pela mulher?
va é a cirurgia para a colocação da prótese peniana. Por ser um assunto delicado, o homem procura
mais. Em uma relação aberta, onde há muita conver-
O quanto a disfunção erétil atrapalha na sa entre o casal, a mulher pode influenciar na decisão
hora de uma transa? do marido procurar o médico.
Muito. Hoje a mulher cobra pelo desempenho do
homem e o sexo mal realizado pode servir de motiva- Sem citar nomes, o senhor poderia contar
ção para que haja a separação dos casais, pois o algum caso pitoresco de pacientes com esse
relacionamento pode ficar fragilizado porque o sexo problema?
é importante. Há também os casos que, com o trata- Tem um casal de 80 anos de idade... Ela vem ao
mento, o médico acaba salvando casamentos. consultório com ele toda maquiada, bonita, e ela quer
que eu receite Viagra de qualquer maneira. Ele fica
Existe uma estatística de casos? com vergonha e ela não. É uma mulher superativa,
O problema atinge 2% dos homens abaixo dos 25 com 80 anos de idade! Ele toma a medicação e eles
anos; até 40 anos, 40%; entre 40 e 70 anos também têm vida sexual ativa com essa idade.
chega a 40% de casos; e acima de 70 anos 50% pos-
suem algum problema de disfunção erétil. Quais as suas recomendações para paci-
entes com esse problema?
Os tratamentos oferecidos por sites que Vida saudável, procurar o urologista quando tiver
prometem aumento peniano e prolongamento alguma dificuldade ou dúvida e ter qualidade de vida.
da ereção funcionam? O sexo vai bem quando tudo está bem no que tange à
O Conselho Federal de Medicina proíbe qualquer saúde física e mental.
tipo de tratamento que vise aumentar o tamanho do
pênis, a não ser em centros acadêmicos. Não existe
no mundo um método de aumento peniano que seja
realmente eficaz.
FICHA TÉCNICA
Quais os riscos desses tratamentos? Elói Guilherme Provincialli Moccellin
As consequências são bem perigosas, por exem- é médico urologista formado na Unilus.
plo as bombas de sucção vão melhorar a ereção É assistente da equipe de Urologia
porque melhoram o fluxo de sangue dentro do pênis, da Santa Casa de Santos e professor
mas elas não aumentam o tamanho e o risco de rom- assistente da disciplina de Urologia na Unimes.
10 Revista Transe! | Novembro 2009

Fetichismo
Almeida. Segundo ele, apesar do
Esta é a primeira imagem criada pela conservadorismo aparente o mercado america-
no é muito mais ávido pelo consumo de filmes
cabeça de quem ouve a palavra feti- de fetiche, como escatologia e
che, mas isso é só uma pequena parte sadomasoquismo pesado, os chamados
do que o discreto e amplo mundo das hardcore (ver glossário).
fantasias sexuais tem a oferecer Para a psicologia, o fetichismo é uma parafilia,
um tipo de comportamento sexual em que a prin-
PAULA FURLAN cipal fonte de prazer não é resultado da cópula,
mas de outra atividade — o fetiche —, diz a psicó-

A
palavra fetiche vem do francês, significa loga e sexóloga Isabel Gonzalez.
originalmente “feitiço”, e se refere à devo — Algumas parafilias são inofensivas, mas às
ção, paixão e, até mesmo, obsessão por vezes afetam o desejo sexual normal da pessoa
algo. Os objetos de desejo por parte do fetichis- e se tornam uma disfunção, que precisa ser cli-
ta variam da mais delicada parte do corpo hu- nicamente tratada. Isso porque o paciente não
mano ao mais inusitado objeto ou ação do coti- consegue sentir desejo sexual pela cópula, ape-
diano. Os fetiches mais populares no Brasil são nas por seu objeto de afeição, o que dificulta o
a podolatria (ver box), a adoração de pés, espe- relacionamento afetivo da pessoa — diz a
cialmente femininos, e a efebofilia — desejo por sexóloga. Sexo oral, sexo anal e homossexuali-
adolescentes, principalmente as chamadas dade eram considerados desvios da sexualida-
ninfetas. de no passado. Portanto, as mudanças sociais
— O mercado brasileiro ainda é conservador em também causam a mudança dos conceitos se-
relação ao fetichismo, apesar de termos uma xuais.
imagem ligada à sexualidade livre — diz o res- O consumidor de filmes de fetiche, Miguel
ponsável pelo departamento de marketing e di- Angel Lopez Linar, de 35 anos, diz que assistir a
vulgação da empresa MFX Vídeo, Rafael seus filmes preferidos é como combustível para
Novembro 2009 | Revista Transe! 11

Foto: Reprodução
nascimento do primeiro filho.
O cipriota Hasan Harper, de 34 anos, gosta
de filmes de tortura e dominação, teve de en-
frentar poucas e não tão boas para receber os
objetos de seu prazer — os filmes de fetiche.
Harper mora na parte turca do Chipre, que sofre
intervenção da parte grega, maioria no país e
unanimidade no governo.
— Política atrapalha até mesmo o prazer das
pessoas, é incrível! Já tive muitas entregas ex-
traviadas ou entregues em outro lugar, no cor-
reio central da cidade. O bom é que os filmes
são embalados sem capas, de forma discreta,
como se fossem programas de computador.
Mas o pior episódio aconteceu quando entrega-
Dominação e humilhação ram meu filme a um senhor que esperava uma
fazem parte do encomenda vinda da Inglaterra, de seu filho.
mundo dos fetiches Quando fui ao correio destrocar os pacotes ad-
mito ter ficado um pouco encabulado, mas aca-
bei rindo da história, não sei se ele viu. Talvez
sua vida sexual. Casado, Linar gosta de filmes tenha aproveitado um pouco também — lembra.
de lesbianismo e conta que adoraria ver a mu- Harper é solteiro e diz que, apesar de gostar de
lher transando com outra, mas nunca teve cora- ver os filmes, jamais teria coragem de fazer as
gem de pedir isso a ela: mesmas coisas com uma mulher.
— Tenho vontade de ver a minha mulher com Mas há quem consiga ver, praticar seus feti-
outra, mas há muito preconceito sobre isso. ches e, até mesmo, ganhar dinheiro com eles. É
Tenho medo de acabar com meu casamento por o caso do produtor de filmes Marco Fiorito, de
causa do meu desejo particular. Me contento 41 anos. Podólatra assumido, ele muitas vezes
então em assistir filmes e usar a imaginação. protagoniza os filmes de sua produtora e che-
Isabel Gonzalez diz que essa atitude é comum gou a se casar com uma de suas atrizes, com
entre os fetichistas passivos, que assistem fil- quem teve uma filha. Apesar de já divorciado,
mes, mas não têm coragem de praticá-los: Fiorito diz que a maior parte dos seus relaciona-
— Isso é mais comum entre os homens. Ape- mentos acontece com meninas que atuam nos
sar de as mulheres serem mais reprimidas se- filmes:
xualmente, as fetichistas costumam ser mais pra- — Não adianta eu ser hipócrita, viver fingindo
ticantes que os homens. e arrumar uma menina que não gosta das mes-
A ex-atriz e fetichista assumida Jade (nome mas coisas que eu. Temos de viver da melhor
fictício) também é casada. A sua vida de profis- forma para o nosso prazer. A gente nasce para
sional de filmes adultos ainda é um segredo para ser feliz e não para fingir. Atuar, nem nos filmes
o marido e a família. Para ela, isso não é um eu faço isso. Tudo o que faço é porque quero e
problema: tenho vontade.
— Eu respeito minha família e sei que o meu Em todo o mundo, os fetiches mais populares
marido não aceitaria isso, mas isso é parte de são os praticados com pessoas obesas, anões,
mim — afirma ela que é casada, há sete anos, e lésbicas; há também a podolatria e a escatologia.
atuou em filmes de fetiche por quatro. Três de- A verdade, porém, é que qualquer objeto e tipo de
les após o matrimônio. Parou de atuar com o pessoa podem despertar o fetiche alheio.
12 Revista Transe! | Novembro 2009

Fetichismo

Glossário

Asslicking – O termo em inglês é auto- Tortura – O prazer consiste em torturar ou


explicativo, nesse fetiche uma pessoa lambe o ser torturado com pontas de cigarro, espetos
ânus da outra. Nos filmes é mais praticado por ou artifícios que causem dor.
lésbicas. Ballbusting – Nesta fantasia, os testículos de
Podolatria – Adoração de pés. um homem são espremidos, apertados, amar-
Trample – Desejo de pisar ou ser pisado por rados e torturados.
outra pessoa. Efebofilia – Desejo por adolescentes,
Belly punching – Bater na barriga de outra pes- síndrome de Lolita.
soa ou apanhar, especialmente com socos na Ninfeta – Adolescente libidinosa.
boca do estômago. Necrofilia/Clorofórmio — Desejo sexual por
Lesbian – Sexo lésbico. pessoas mortas ou desacordadas, geralmente
Scat ou escatologia — Atração por dejetos, com clorofórmio.
como urina, fezes, vômito ou flatulência, que po- Hardcore — Filmes pesados, geralmente com
dem ou não ser usados no ato sexual. dominação forte e fetiches mais agressivos.
Facesitting – É quando uma pessoa senta no Softcore — Filmes de fetiche com uma
rosto da outra, ora sufocando, ora se mastur- conotação mais romântica e fetiches mais le-
bando com a face do outro. ves.
Fetiche por balões – Neste caso, a Plexo solar —Área do abdômen localizada pou-
masturbação e excitação sexual acontecem com co abaixo do começo do estômago.
o toque em balões de látex, que principalmente Daisy chain — Várias mulheres ligadas fazen-
servem para a masturbação de mulheres. do sexo oral umas nas outras.
Luta — Entre mulheres que, geralmente, es- Chave-de-perna — “Golpe” em que uma pes-
tão besuntadas em óleo. soa prende a outra, geralmente seu pescoço,
Crushing – Esmagamento de frutas, objetos com as pernas, muito visto em filmes de
e até pequenos animais, como baratas, ratos e facesitting.
escorpiões. Tribadismo ou frottage — Posição de sexo
Zoofilia – Sexo com animais. lésbico em que as suas mulheres friccionam seus
BDSM – Sigla para bondagem, dominação e genitais. O termo frottage significa “esfregar” em
sadomasoquismo é o fetiche que “dá cara” aos francês.
fetiches, com dominação e humilhação que vão Voyeurismo — O tesão do voyeur é apenas ver
desde amarrar e algemar o dominado, até bater o ato sexual de outras pessoas sem ser visto. A
nele com chicote. palavra francesa voyeur significa “aquele que vê”.
Novembro 2009 | Revista Transe! 13

Marquês de Sade Foto: Reprodução

O homem que deu a cara a tapa gem dos dois termos é do nobre francês
Donatien-Alphonse-François de Sade, mais co-
“Durante 120 dias, 44 pessoas se entregarão nhecido pela alcunha de Marquês de Sade. As
aos mais secretos – ou nem tanto – deleites de obras pornográficas e libertinas do autor o trans-
quatro libertinos. Esqueça seus pudores, seus formaram mais tarde em gênio, considerado um
medos, seus questionamentos morais. Aqui não homem à frente de seu tempo.
há lugar para eles.” Apesar disso, Sade não praticara aquilo que
É com essa frase que começa um dos livros escreveu, mas os mitos em relação à sua vida e
mais polêmicos da história da literatura, 120 Dias comportamento eram muitos, como o de que
de Sodoma. No livro, 48 personagens passam teria passado seus últimos dias encarcerado, es-
quatro meses enclausurados no ermo castelo crevendo com sangue e com as próprias fezes
Silling, e praticam as mais diversas e devassas para substituir a pena que havia sido tirada dele,
orgias. como mostra o filme Contos Proibidos do Mar-
A obra tornou populares os termos sadismo quês de Sade, de 2000. O escritor morreu em
e sadomasoquismo e também aprofundou a dis- um manicômio, obeso, ao lado de sua mulher,
cussão sobre a sexualidade e suas nuances. A mas também de uma amante.
associação ao fetichismo é imediata, mas a ori- Fonte: Revista Aventuras na História Online
14 Revista Transe! | Novembro 2009

TOP10

de
4
Na cama e
, por favor!
TRANSE! ouviu os leitores para saber onde, como e com
o que o sexo é melhor. Veja o resultado

F ERNANDA C ARREIRA

T
ransar “no quarto, em cima da cama”, cana” foi o preferido entre os mais sensuais.
como já dizia a música de Leandro e Leo Quanto à melhor posição, “de quatro” ganha,
nardo, ainda é a preferência. com 34% das preferências, seguida de “mulher
Em pesquisa realizada com estudantes entre por cima” e “mulher sentada por cima”, deixando
17 e 45 anos, a Revista TRANSE! descobriu que, o tradicional “papai e mamãe” em quarto lugar.
ao menos em termos de lugar, sexo à moda As posições “mais diferentes” ficaram em
antiga ainda agrada a maioria. minoria. Portanto, o Kama Sutra que me des-
Aliás, as músicas românticas também são as culpe, mas as old-fashioned ainda são as

Foto: Reprodução
preferidas do público. E o filme “Beleza Ameri- queridinhas. Confira o ranking:
Novembro 2009 | Revista Transe! 15

Estilo de m
P o s iç õ e s : úsica:
Românticas
% - 24%
De quatro - 34 R&B - 20%
cim a - 20% Rock - 16%
Mulher por
a por cima -
Mulher sentad Heavy Meta
l - 10%
16% Pop - 10%
e - 12%
Papai e mamã MPB - 6%
6%
Doggy Style - Música Ele
trônica - 6%
%
De ladinho - 4 Soul - 4%
ss ad o - 2% Blues - 2%
Frango a
ndo - 2%
Macaco canta Silêncio - 2
%
a pata que-
Cavalo com
brada - 2%
Gangorra - 2%

Lugares:
No quarto/ca
ma - 50%
No motel - 1
6%
No carro - 8%
No chuveiro
- 8%
Na praia - 6%
Em lugares p
Filmes: Na casa dos
roibidos - 4%
outros - 2%
% Na cozinha -
ericana - 24 2%
Beleza Am h a d os No escritório
- 2%
em fec
De olhos b Onde der von
tade - 2%
- 20%
ginal - 18%
Pecado Ori
mith - 16%
Sr. e Sra. S
%
Closer - 10
rtino - 4%
O Libe
tenções - 2%
Segundas In %
lvagens - 2
Garotas Se das
yon (Rua
Lauren Can
- 2%
Tentações)
d e cólera - 2%
Um copo
16 Revista Transe! | Novembro 2009

Eles X Elas

Tá esquentand A delícias das preliminares - para ele e para

PATRÍCIA DIOTTO oposto — o que, não é verdade, obviamente. Mas,


é fato que esse descompasso entre os parcei-

L
uz baixa, música suave. Induzidos por um ros existe, e os que pretendem intensificar tanto
olhar provocante, os lábios se encontram, próprio prazer quanto o do outro, não devem ig-
dividindo o mesmo gole de champanhe. norar a situação.
Aos poucos, os trajes sensuais são despidos, No início de um relacionamento, os homens
peça a peça, revelando uma sexy lingerie renda- se mostram mais dispostos a caprichar nas pre-
da. Dos beijos e carícias, inicia-se uma massa- liminares, mas, em geral, eles não costumam
gem por todo o corpo dela, que acaba lambuza- ter paciência para tanta cerimônia. Com o pas-
do de chantili. É bem possível que a leitora tenha sar do tempo, elas reclamam que eles são mui-
se empolgado com a ideia, pensando que as coi- to apressados, e eles, que as mulheres não têm
sas poderiam acontecer sempre assim. Já os mais desejo — e a briga está feita. A estudante de
homens, provavelmente se entediaram antes publicidade Jéssica Gomes Maidla, 20 anos, tem
mesmo de chegar ao final do parágrafo. suas reclamações sobre o assunto:
Já se tornou senso comum a ideia de que — Muitas vezes rola um pouco de egoísmo
preliminar é coisa de mulheres, e que os homens da parte deles, e acho que a maioria dos homens
gostam mesmo é de ir logo ao que interessa. deixa muito a desejar — diz, e continua: — As pre-
Mas aceitar essa diferença seria o mesmo que liminares são importantes porque demoramos
encarar o ato sexual como algo que, em princí- mais pra ficar excitadas. Uma rapidinha de vez
pio, não poderia dar certo entre pessoas do sexo em quando, tudo bem, mas sempre, não dá!
Novembro 2009 | Revista Transe! 17

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução
do!
ela

Seja criativa e ele muda a opinião


sobre as preliminares

perfume e tantos outros recursos, a mulher esti-


mula sexualmente os homens.
O uso de maquiagem é um ótimo exemplo
deste comportamento: quando a mulher está ex-
citada, suas bochechas ficam rosadas, e isto é
simulado com o blush. Os olhos brilham, e o
Elas se empolgam mais rímel e as sombras fazem esse papel. Já o ba-
com as preliminares tom faz alusão ao próprio órgão sexual femini-
no, que quando se prepara para o sexo, fica vo-
lumoso e mais avermelhado. Com tantos recur-
A culpa não é só deles sos, os homens encontram a parceira já pron-
Ao contrário do que elas dizem, não se trata tos para o ataque, enquanto as mulheres só vão
simplesmente de egoísmo, como explica a psi- pensar nisso na hora H. Assim, fica fácil de en-
cóloga e terapeuta sexual Aparecida Favoreto: tender a pressa deles — e a demora delas. Mas
— É uma questão cultural. Fisicamente, não o caso tem solução.
existe nenhuma diferença entre o corpo mascu-
lino e o feminino que seja responsável por uma Dicas quentes
diferença no tempo necessário para excitação. Como o problema nada tem a ver com dife-
O que acontece é que os homens crescem com renças na natureza dos corpos, a boa notícia é
a obrigação de ser viris, e por isso, são estimu- que eles podem, sim, gostar mais de prelimina-
lados o tempo todo, através de propagandas res, e elas, podem descobrir como se empolgar
com mulheres seminuas ou pelos próprios ami- mais facilmente, de forma que, na hora da tran-
gos, que sempre tocam no assunto, mandam e- sa, ambos estejam mais ou menos na mesma
mails com fotos pornográficas, etc. Já as mu- condição. Afinal, preliminar é todo o erotismo que
lheres são educadas para serem reservadas, precede o ato sexual, e pode acontecer indepen-
mas atrair o sexo oposto, pensando apenas no dente dele. E não precisa dançar can-can ou se
prazer dele. vestir de mecânico. Práticas simples e diverti-
Segundo Aparecida, o comportamento femi- das, como as dicas a seguir, propostas pela
nino faz o papel das preliminares masculinas. terapeuta sexual, podem ajudar muito. Com elas,
— Ao usar uma roupa decotada, uma saia, até a rapidinha vai ficar melhor! Divirtam-se!
18 Revista Transe! | Novembro 2009

Eles X Elas

- Cotidiano: A principal dica para as mulheres - Self-service: A mulher pode chegar um


é valorizar o prazer fora da cama. Elas devem pouquinho mais cedo e, com a ajuda de um gel
pensar mais em sexo no dia a dia, como fazem próprio, massagear o clitóris, enquanto espera
os homens. Vale ler contos eróticos no traba- o parceiro aparecer. Só não pode ser muito an-
lho, assistir a um filme quente sozinha e, princi- tes, se não, quando chegar, ele não será mais
palmente, se masturbar. O parceiro pode ajudar, necessário!
mandando mensagens provocantes no meio do
dia, ou deixando uma lingerie nova em lugar es- - Auxílio: Ao invés de tirar a calcinha, puxe-a
tratégico. para cima. A pressão do tecido sobre o clitóris
pode fazer maravilhas.
- Beijo: Este é um dos maiores estimulantes
femininos, e ajuda a criar intimidade entre o ca- - Molhados: Chame seu amor para tomar
sal. Portanto, beijem-se muito! Não só nas preli- banho com você. A ideia é muito sugestiva, mas
minares, mas em qualquer hora e local. O olho a intenção é mesmo o banho: um deve ensaboar
no olho também é essencial. o outro, sem deixar nenhum centímetro do cor-
po alheio de fora. Atenção especial à parte inter-
- Desligando: Quando rolar um clima de se- na da coxa, nuca e às costelas e abaixo das ná-
dução, não pense em mais nada! Se surgir na degas. O homem também pode receber uma aula
cabeça alguma interferência perturbadora, como prática sobre a função real do chuveirinho...
a imagem sebosa e gorda de seu chefe urrando
pelo relatório atrasado, jogue-a fora imediata- - Pi nic na cama: Leve uma bandeja para o
mente, e imagine algo excitante. Pode ser sua quarto com várias opções de alimentos que po-
posição preferida, uma fantasia proibida, uma dem ser comidos com as mãos, como moran-
parte do corpo que ainda não está à mostra... go, cereja, chocolate, e o que mais a imagina-

Foto: Reprodução

O parceiro pode deixar uma


lingerie nova em lugares estratégicos
Novembro 2009 | Revista Transe! 19
Foto: Reprodução

mas quem não é? O importante é o conjunto.


Se o beijo é bom, vale a pena ignorar certas coi-
sas — diz a terapeuta, que ainda explica que isso
acontece ainda hoje devido às antigas repres-
sões do passado: — Nossa cultura ainda
supervaloriza a sexualidade masculina em detri-
mento da feminina, e por isso, as mulheres vi-
vem um momento de confusão. Racionalmen-
te, elas entendem que são livres e que os pre-
conceitos sexuais estão ultrapassados. Mas não
foi isso o que elas aprenderam desde criança,
com os exemplos dos contos de fadas e dese-
nhos infantis, que exploram esse modelo do fi-
nal feliz.
A dica para elas é entender que não existe um
homem perfeito que vá adivinhar todos os seus
Eles podem gostar sim de preliminares desenhos (inclusive sexuais), e que é preciso
e elas podem se empolgar mais rápido prestar atenção nos sinais emitidos pelo próprio
corpo, tentando transmiti-los ao parceiro. Outra
ção permitir. Um deve colocar a comida na boca dica é evitar transferir para o sexo os problemas
do outro, e observar as reações do parceiro, sem de outras ordens.
dizer nenhuma palavra. Neste exercício, a língua — As mulheres são muito cruéis. Se estão
deve ser usada para tudo, menos para falar! bravas com o parceiro por qualquer motivo -
como por ele ter ido jogar futebol com os ami-
- Massagem reveladora: Completamente nus, gos ao invés de acompanhá-la nas compras - à
se revezem em uma mas- noite, elas logo inventam
sagem corporal, com a que estão com dor de
ajuda de um óleo bem No começo, eles se mostram cabeça e, como punição,
cheiroso. As regiões
erógenas não devem ser
mais dispostos a caprichar nas não transam. Mas as
mulheres precisam en-
tocadas, mas todo o res- preliminares, mas, em geral, tender que sexo e amor
to deve ser explorado ao eles não costumam ter são coisas diferentes, e
máximo! Com certeza, os paciência para tanta cerimônia que não é assim que se
homens vão perceber que resolvem os problemas
o corpo feminino não se do relacionamento, e
resume aos seios, náde- nem o contrário.
gas e vulva, e vão descobrir pontos de excita- Márcia reforça que este é um exemplo de
ção no próprio corpo que nem imaginavam existir! como as mulheres têm atitudes machistas, pois
presume que o sexo só é prazeroso para eles,
O machismo feminino e que elas o fazem como um prêmio para o
parceiro.
A terapeuta sexual Márcia Atik acredita que Para os homens, a dica é compreender a di-
um dos grandes problemas específicos das ficuldade das mulheres em demonstrar o que
mulheres é que elas costumam se decepcionar desejam, e prestar mais atenção aos sinais que
por sempre criarem a expectativa do relaciona- emitem. A terapeuta acredita que os homens
mento perfeito. estejam mais preparados para a liberdade sexu-
— Não existe sapo ou príncipe. Às vezes, o al do que as mulheres, e devem ajudá-las a
homem erra mesmo, é grosso e desatencioso, “desencanar”.
20 Revista Transe! | Novembro 2009

Foto: Reprodução
Eles X Elas

A questão
biológica
não é
desculpa!
HALLEY RODRIGUES A mulher precisa de
10 vezes mais ml de
70 ou 700: essa proporção existe, ainda mais sangue para ficar excitada
quando falamos de sexo oral. Quem não gosta
da prática reclama do tempo que o parceiro leva relação toma outro caminho, a rapidinha, me-
para ficar excitado. Dúvidas pequenas ganham nos agradável.
grande dimensão. Mas você sabia que o tempo A questão de só fazer ou receber é frequente
para ficar aceso é uma questão física? O ho- no sexo oral. Experiências mal-sucedidas, nojo
mem precisa de 70 ml de sangue no pênis, en- ou ainda pensamentos negativos quanto ao ato
quanto a mulher precisa de 10 vezes mais, 700 podem desenvolver o repúdio a esta prática. O
ml. Essa diferença pode acarretar em diversas vigilante Renato Gonçalves de Azevedo, de 38
formas de prazer. O homem, que tem paciên- anos, conta que sua primeira namorada não lhe
cia, pode proporcionar a sua parceira momen- fazia sexo oral:
tos incríveis. E, neste caso, tempo e estímulo — Ela era cinco anos mais velha e me dizia
são fundamentais. que a sua primeira vez não foi nada boa e por
Os namorados Anderson e Monique acredi- isso traumatizou.
tam que o sexo oral é um ótimo aquecimento e O sexo oral pode ser feito de uma forma di-
dizem que a preparação é fundamental para que vertida e sempre diferente. Para quem está can-
tudo ocorra bem. sado da monotonia dos “finalmente”, um bom
— Às vezes não há tempo para o sexo oral e a sexo oral pode ser a novidade que faltava!
Foto: Reprodução

Surpreenda: o sexo oral


pode ser bem melhor
22 Revista Transe! | Novembro 2009

Rapidinha

Velozes e Gostosas

Foto: Reprodução
Excitação, carinho, tensão, desejo. A
sensação prazerosa do sexo vinculado
à emoção de uma rapidinha causa
atração por parte das pessoas

BRUNO GODINHO

— No estacionamento de uma boate. Altas


horas da madrugada e a vontade a mil. Não con-
seguimos esperar e transamos no meio dos
carros.
Assim o jornalista Pablo Fernandes conta
como foi sua primeira rapidinha. Depois disso,
ele diz que já teve outras experiências dentro de
carros e em casas onde estavam outras pesso-
as, entre outros lugares.
Fernandes escreve para o site Na rapidinha, as preliminares
“Papodehomem” (www.papodehomem.com.br) são curtas, favorecendo a penetração
e publicou recentemente um artigo dando dicas
de como se deve fazer para conseguir ter sexo
gostoso numa rapidinha. De forma descontraída, tos são formas de o homem fazer o que precisa
ele aborda o tema e passa ao leitor o que acre- para agradar mais.
dita ser as dez principais dicas. Fernandes diz que a rapidinha tem inúmeras
— A ideia de escrever sobre este assunto sur- particularidades que a diferenciam do sexo con-
giu em uma conversa informal com Guilherme vencional.
Valadares (criador do site). Contei para ele mi- — Uma transa normal é bem diferente de uma
nha vontade de abordar isto de uma forma dife- rapidinha. As preliminares são mais longas, existe
rente e arrojada. Ele topou na hora. uma grande troca de beijos e carinhos. Muitos
No artigo, ele descreve de que forma o ho- preferem locais confortáveis e espaçosos, usan-
mem tem que tratar sua parceira para que ela do todo o espaço que tem e, normalmente, não
também chegue ao orgasmo. ficam numa só. No caso da rapidinha, é algo bem
— Se o homem souber fazer bem, ele vai dar diferente, porque em pouco tempo consegue-se
mais prazer para a mulher do que a ele mesmo. o prazer de uma transa inteira, só diminuindo o
É preciso que ele a deixe excitada e querendo tempo de cada momento. As preliminares são
fazer. Nós sabemos que a mulher demora mais bem mais curtas, favorecendo mais a penetra-
para se excitar. A parceira precisa ser entendida ção. E os lugares podem ser os mais loucos
nesse momento. Gestos, gemidos e movimen- possíveis.
Novembro 2009 | Revista Transe! 23
Foto: Reprodução

pode ter. Muitos consideram a rapidinha algo


feito por pessoas desconhecidas em época de
Carnaval, micaretas, etc. Talvez a desinformação
e o não-entendimento sejam os maiores tabus
a serem quebrados.
A vendedora F., 35 anos, solteira, fala sobre
o que sente quando pratica uma rapidinha.
— Geralmente isto acontece em lugares inu-
sitados. Quando estou transando e sinto que a
qualquer momento posso ser flagrada, fico ain-
da mais excitada. Essa tensão, transmitida pelo
medo de alguém te ver, ajuda ainda mais na ex-
citação. Parece que o corpo fica ainda mais gos-
toso no contato com o parceiro.
Ela também revela os lugares onde se sente
mais atraída para praticar uma rapidinha.
— É claro que, às vezes, uma rapidinha pode
No elevador: quanto mais ansiedade e ser simplesmente em casa, dentro do quarto,
medo, mais adrenalina sem nada de diferente. Porém, para mim, o ideal
é quando acontece dentro de uma piscina.
O assunto não é muito debatido. O sexo feito A psicóloga Carolina Peixoto Borges explica
de maneira rápida, embora seja tratado como o motivo pelo qual as rapidinhas transmitem sen-
uma forma muito prazerosa, também acende sações diferentes ao corpo.
outras discussões. — Tudo que traz ansiedade e medo libera mais
Normalmente, a rapidinha é feita em locais adrenalina. Com isso, o corpo fica mais excita-
diferentes justamente porque não é programa- do e a transa se torna mais gostosa. Na verda-
da. Sendo assim, em qualquer hora e lugar em de, o ato sexual é, naturalmente, relaxante e sen-
que a oportunidade aparece, o ato é consuma- do num local “proibido”, melhor ainda.
do. No entanto, nem sempre a rapidinha é feita É sempre importante destacar que, mesmo o
entre duas pessoas que tenham alguma relação. ato sexual não sendo programado, no caso de
Por essa razão é que, de alguma forma, ela ain- uma rapidinha o uso do preservativo é indispen-
da pode ser considerada um tabu. sável. Não se pode cair no erro de deixar o pra-
— Há muita gente que olha com outros olhos zer falar mais alto e acabar se envolvendo numa
quando você fala sobre esse tema. Acredito que situação que possa trazer maiores
por não entenderem bem o sentido que isso consequências.
Foto: Reprodução

A mulher demora mais para se excitar, por isso deve ser entendida numa rapidinha
24 Revista Transe! | Novembro 2009

Bem-estar

Faça amor.
Pela sua saúde

Foto: Reprodução

O sexo transforma o desempenho físico e


psíquico de seus praticantes - para melhor!
Novembro 2009 | Revista Transe! 25

Foto: Reprodução
Se você acha que esse papo todo de
que sexo faz bem para a saúde é
balela, confira o que dizem os
especialistas ouvidos pela TRANSE!

THAIS ROZO

S
exo é bom e quase todo mundo gosta.
Quem não gosta, deve começar a rever
seus conceitos. Afinal, além do prazer, o
sexo proporciona muita saúde e benefícios para
o corpo e a mente. Assim como a alimentação saudável, o sexo
revitaliza o corpo
De acordo com a terapeuta sexual Marcela
Lira, o sexo é uma atividade poderosíssima para
recarregar as energias e deixa a pessoa cheia principalmente, as sensações de prazer.
de disposição. A musculatura é enrijecida, devido à contra-
— Quando é uma fonte de prazer, o sexo real- ção de músculos como os do abdome, náde-
mente faz bem para a saúde. Porque ele traz oxi- gas e pernas. Para as mulheres, vale ressaltar
gênio ao organismo, que por sua vez vai ficar mais uma vantagem: ao melhorar a circulação
mais nutrido e se apresentar em melhores con- sanguínea, o sexo ajuda a derrotar a celulite. Mais
dições — diz a terapeuta. um ponto na lista de virtudes que o sexo propor-
A prática sexual provoca liberação de ciona.
endorfina, substância ligada à sensação de bem- Ainda não acredita? Veja mais algumas virtu-
estar, que causa a aceleração dos sistemas res- des do sexo para o corpo, mente e coração:
piratório e circulatório, estimulando a atividade
cerebral e aumentando a auto-estima. Bem-estar – O orgasmo libera no cérebro
São tantos os benefícios que, além dos psi- substâncias chamadas endorfinas, que nos dei-
cólogos, os médicos também passaram a re- xam mais calmos e afastam o estresse. Além
comendar a prática sexual — embora as relações disso, ainda liberam substâncias analgésicas na
não sejam remédio, nem tratamento propriamen- corrente sanguínea, que ajudam a aliviar dores
te dito. em geral. E ainda mantém ossos e musculatu-
— Assim, está garantido que não há contra- ras saudáveis e deixam a auto-estima lá em cima.
indicações ou efeitos colaterais. Nem é preciso
usar com moderação — garante Marcela. Coração saudável – Um estudo da Universi-
Assim como alimentação saudável e exercí- dade de Bristol, na Grã-Bretanha, garante que
cios regulares, a atividade sexual regular alivia o manter relações sexuais duas ou mais vezes por
estresse, ajuda no combate à depressão, semana diminui pela metade os riscos de ata-
revitaliza o corpo, estimula a mente e ainda é que cardíaco fulminante em homens, compara-
um excelente exercício aeróbico. do com aqueles que fazem sexo menos de uma
Não é a toa que o sexo transforma — feliz- vez por mês, relata o médico cardiologista, José
mente para melhor — o desempenho físico e psí- Antonio Martins.
quico de seus praticantes. Ele modifica toda a
química do corpo. Entre as diversas substâncias Vida longa – O clímax também é um grande
liberadas no ato sexual, está a endorfina. Essa auxiliar, aumentando a circulação sanguínea e
proteína afeta mecanismos cerebrais que contro- fazendo com que o organismo consiga se livrar
lam o humor, a resistência ao estresse e à dor e, das toxinas. Isso, além de estimular o sistema
26 Revista Transe! | Novembro 2009

Bem-estar

imunológico e combater doenças. Pele de bebê – Nada como um orgasmo para


deixar a pele macia, sem rugas e os cabelos
Menos risco para o câncer de próstata – muito brilhantes. O médico José Antonio Martins
Ejaculações freqüentes, especialmente para os explica que isso acontece graças ao aumento
homens na faixa dos 20 anos, diminuem os ris- da produção de hormônios desencadeados pelo
cos de desenvolver câncer de prós- clímax.
tata no futuro. O mesmo benefício
é alcançado com a masturbação. Nem é preciso usar Lubrificação –
(sexo) com moderação As mulheres
Boa noite de sono – A oxitocina, que passam
hormônio liberado durante o orgas- pela menopausa
mo, ajuda a melhorar o sono. Além Nas mulheres, e mantêm rela-
disso, quem dorme melhor conse- ajuda a derrotar a celulite ções sexuais
gue manter o peso e a pressão apresentam me-
sanguínea. nor atrofia do
órgão genital.
Sexo=Academia – Durante uma relação se- Em contrapartida, as mulheres que evitam o
xual, todos os músculos do corpo são coloca- sexo sofrem mais com o incômodo da falta
dos para trabalhar. Quem se esforça bastante de lubrificação e sentem mais dores durante a
pode queimar até 300 calorias por hora. penetração.

Foto: Reprodução

No sexo, podemos perder até 300 calorias!


28 Revista Transe! | Novembro 2009

Afrodisíaco

Consumir ess
Novembro 2009 | Revista Transe! 29

Foto: Reprodução
Muito
além de um
jantar...
Alguns pratos prometem
muito mais que uma noite
romântica. E é aí que a
transa acontece da melhor forma
MARCELA F ERRACIÚ

P
ara apimentar a relação e fazer as pa
zes após uma discussão com o mari
do, Cintia Pereira resolveu preparar
uma noite especial. A secretária, de 33 anos,
fez um jantar especial para ele e serviu em
meio a um clima sensual, com iluminação à
luz de velas e pétalas de rosa pelo chão. No
cardápio, vinho e paella. Para a sobremesa,
morango com chantilly.
O termo afrodisíaco refere-se a Afrodite,
deusa grega da beleza e do amor. E há quem
diga que os eles só funcionam na mente dos
apaixonados. É claro que consumir esses ali-
mentos com segundas intenções faz a dife-
rença, mas a nutricionista e blogueira, Jane
Corona garante que as substâncias contidas
em alguns alimentos realmente estimulam o
corpo humano.
No caso de Cintia, seja pelo efeito psicoló-
gico ou físico dos elementos que compunham
o cardápio, o resultado correspondeu ao es-
perado. Cesar, seu marido, adorou a surpre-
sa e os dois aproveitaram o clima e os alimen-
tos especialmente preparados para garantir
desempenho máximo na relação.
Diversos alimentos são considerados
ses alimentos com segundas intenções faz toda a diferença
afrodisíacos e a medicina comprova a eficá
Foto: Reprodução
30 Revista Transe! | Novembro 2009

Afrodisíaco

cia de alguns deles. Outros fazem parte


apenas da cultura popular, mas isso não sig-
nifica que eles não funcionem.
Pelo lado científico, Jane explica que, as-
sim como todos os metabolismos, o sexual
também é influenciado pela alimentação.
Além disso, muitos alimentos são responsá-
veis por estimular o desempenho físico e isso, Alimentos como a banana não funcionam
é claro, influi na hora H. fisiologicamente, mas se encaixam em fantasias
— Mais zinco, mais sexo — recomenda a
nutricionista. Ela afirma que esta substância, responsáveis por dilatar as artérias.
encontrada nos frutos do mar, faz com que o E, é claro, não poderia faltar o desejado
iodo se eleve no sangue e o coração bata chocolate. Ele contém fenietilamina, que au-
mais forte. menta os níveis de dopamina, o hormônio do
No imaginário popular, um dos mais conhe- prazer. O mesmo processo acontece no cor-
cidos alimentos afrodisíacos é o ovo de co- po dos apaixonados.
dorna. Isso, porque a codorna é um animal No quesito bebida, a catuaba e o guaraná
que copula diversas vezes em um curto es- estão no topo da lista. A explicação é o efeito
paço de tempo e a crença diz que o seu ovo energético desses líquidos. E mais energia
pode transmitir o mesmo vigor sexual. melhora o desempenho de qualquer um.
Jane confirma que esse alimento é rico em No final das contas, esses alimentos co-
proteínas e aminoácidos e, assim como o nhecidos como afrodisíacos realmente melho-
amendoim e os óleos contidos no salmão, no ram o desempenho físico, mas o efeito no
atum e nas anchovas, melhora a circulação desempenho sexual só acontece quando de
nos órgãos sexuais. fato há uma intenção.

www.revistatranse.blogspot.com
A pimenta, a noz-moscada e o gengibre Existe uma lista enorme de afrodisíacos.
também entram na lista. Seus compostos são Todos estimulam a liberação de substâncias
neurotransmissoras e desencadeiam, assim,
Foto: Reprodução
a produção de hormônios que causam rea-
ções no corpo humano. Alguns são mais exó-
ticos, como o jambu, uma planta comum no
Pará. Entretanto, a maioria pode ser encon-
trada em qualquer supermercado ou feira li-
vre. Confira o vídeo no blog.
Além disso, a criatividade do povo não dei-
xa passar aqueles alimentos em relação aos
quais, qualquer semelhança com a “coisa
real” deixa de ser mera coincidência. Alimen-
tos sugestivos, como o pepino, o aspargo e a
banana; ou o figo e o morango (partidos) e
as ostras não passam despercebidos pelos
mais libidinosos. Nenhum deles funciona fisi-
ologicamente, mas todos se encaixam em
fantasias individuais.

Um jantar especial pode salvar


uma relação e tirá-la da monotonia
Novembro 2009 | Revista Transe! 31

Livro

Falar de sexo
não tem hora
O livro de Paulo Tadeu traz
100 questões sobre sexo
que ajudam a estimular a relação
Foto: Divulgação

SANDRA NETTO

A
utor de 40 livros, o jornalista Paulo Ta
deu, de 45 anos, não é propriamente um
escritor conhecido. Mas seus livros em
forma de caixinha, com perguntas, incluem al-
guns sucessos, como O que você faria?,
Conversation Starter (com perguntas em inglês)
e A Caixa Mágica de Perguntas para Crianças”.
Desta vez, o tema é sexo. Por meio de sua
editora, a Matrix, o paulistano Paulo Tadeu lan-
çou em outubro Vamos falar de sexo? 100 per-
guntas para iniciar conversas picantes. A obra
traz 100 questões que ajudam a estimular a rela-
ção. “Sexo é um assunto repleto de dúvidas e
curiosidades”, afirma. “Muitas delas podem ser
fonte de um melhor conhecimento e prazer en-
tre os parceiros”.
Entre as 100 perguntas, ele destaca “Qual é a
celebridade com quem você faria sexo sem pen-
sar duas vezes?”, “Alguém já lhe propôs paga-
mento para ter sexo com você?”, “Você já se
machucou fazendo sexo?”.
Por e-mail, Paulo Tadeu concedeu a seguin- “Você alcança o orgasmo com sexo oral?”
te entrevista para a TRANSE!
32 Revista Transe! | Novembro 2009

Livro

Foto: Divulgação
Porque você escolheu o sexo como
tema do livro?
É um tema que sempre gera muitos livros,
além de filhos, claro.

Você tem dúvidas sobre esse assunto?


Olha, a minha dúvida é saber se certas mu-
lheres estão realmente tendo orgasmos de ver-
dade. Mas acho que a minha experiência está
ajudando a reconhecer os alarmes falsos.

Como elas aparecem para você?


Falando sério, acho que as dúvidas que vão
pintando na cabeça das pessoas vão sendo ti-
radas muito mais facilmente hoje. O ser huma-
no nunca teve tanto acesso a informações so-
bre sexo, mas, por outro lado, nunca vivenciou
o sexo de maneira tão supérflua. Não estou fa-
lando de maneira moralista. Só estou dizendo cada carta existe uma pergunta, para a pessoa
que ao mesmo tempo em que se pode saber conversar com o parceiro. Ou então juntar uma
mais sobre sexo, muita gente se preocupa com roda de amigos e discutir o tema sexo. Acho que
coisas às vezes banais, como performance na as folhas soltas — no caso, em formas de carta
cama. Fora que muita gente acha que transar é — facilitam a interação entre as pessoas, criam
o passo seguinte para encher a cara na balada. um clima mais solto, que o livro em seu formato
Parece que sem balada e sem álcool ou outro tradicional não permite. No formato tradicional,
tipo de droga, transar não seria possível. parece que o livro é de uma pessoa só. Tem
menos interatividade.
Quando tem dúvidas, como faz para tirá-
las? Qual tema, ou segmento, mereceu mais
Tirei dúvidas muitas vezes com amigos, com cartas?
livros, na TV, enfim, onde a informação estives- Acho que procurei explorar as diversas
se disponível. temáticas. Portanto, os assuntos são bem vari-
ados: posições prediletas, voyeurismo, idade dos
Fez análise? parceiros, fetiches, qualidade, quantidade etc.
Análise é um ótimo lugar para a gente se co-
nhecer. Quem se conhece melhor, sabe apro- Quando preparou as cartas como pen-
veitar mais o sexo. sou o diálogo?
Fiquei me imaginando ao lado de outras pes-
De forma geral, quais as maiores dúvi- soas, pensando como seria a reação delas ao
das que o senso comum tem sobre sexo? escutar determinada pergunta. É um bom exer-
Acho que questões relativas ao desempenho cício pensar em como os outros vão reagir.
na cama e tamanho do membro masculino ain-
da assustam os homens. Quem pergunta para quem?
Não existem regras. O homem pergunta para
No que consiste seu livro, quando diz a mulher, ou o contrário. Se for um grupo, a per-
que ele tem forma de caixinha? gunta pode ser para todos, inclusive quem per-
O livro vem com 100 cartas na caixinha. Em gunta pode responder. O objetivo é gerar con
Novembro 2009 | Revista Transe! 33

versa. Tanto é que as pessoas podem se dar muitas discussões. Você se excita com filmes
o direito de não responder algo. Afinal, sexo tam- eróticos? A partir dela as pessoas podem até
bém é respeito. discutir que tipo de filme excita, qual cena, que
ator ou atriz, e por aí vai.
Qual a origem das cartas?
Bom, tudo é invenção minha. Na verdade, já A mais idiota?
tenho outros livros nesse formato e também Não acho que tenha perguntas idiotas.
com perguntas, mas versando sobre outros as-
suntos. O tema sexo foi consequência do su- Há alguma outra pergunta que você conside-
cesso dos trabalhos anteriores. ra a “mais alguma coisa”?
Esta pode provocar discussões acaloradas:
As cartas então são todas de sua auto- “Você usaria um vibrador no seu parceiro, ou
ria? parceira?”.
Sim, todas as perguntas.
Qual o público do livro?
Você consultou alguém sexólogo, por É para gente a partir dos 18 anos. Acho que,
exemplo? como falei, é para casais, mas pode ser tam-
Não, consultei apenas o meu bom senso e a bém uma bela diversão para um grupo de ami-
minha experiência como autor. gos que se reúne num sábado para comer pizza,
ou está na mesa de um bar. Falar de sexo não
Alguém o auxiliou nesse trabalho? tem hora nem lugar.
Eu, eu mesmo e eu. Fiquei dois dias pensan-
do em vários assuntos relacionados ao sexo, Siga o Paulo Tadeu no
como posições, tabus, preferências etc. Aí cria- twitter em twitter.com/paulotadeu
va as perguntas.

Mais ninguém? Foto: Divulgação


Tive uma conversa com minha namorada e
mais duas amigas dela, quando o texto estava
pronto. A conversa foi bem legal e divertida. Con-
segui perceber que a ideia era boa e podia ser
bem vendável.

Qual pergunta você considera mais pi-


cante?
Acho que várias perguntas são picantes, po-
deria destacar uma. “Você alcança orgasmo com
sexo oral?”.

A mais absurda?
Não acho que tenha nada absurdo. Fiz um
trabalho inteligente, com bom senso. Talvez al-
guma pergunta soe absurda para algumas pes-
soas. Mas, com certeza, seria gente que não
compraria o livro.
“Sexo é um assunto
A mais inocente? repleto de dúvidas
É uma bem simples, mas que dá margem a e curiosidades”
34 Revista Transe! | Novembro 2009

Foto: Reprodução
Libere a imaginação e veja como
o sexo virtual pode ser prazeroso

Cybersexo

Muito prazer
com imaginação
Sexo virtual pode ser muito mais que uma simples ilusão. E você pode gostar disso!
NATACHA SCARPA

S
abe aquele — ou aquela — modelo programa que possibilite uma conversa em tem-
superatraente que você vê nas revistas? po real. No mundo virtual, o internauta pode rea-
Que tal transar com ele numa praia de- lizar todas as suas fantasias, fazer tudo aquilo
serta, ao entardecer, com um reggae de trilha com o qual sonha, sem que haja vergonha, medo
sonora e sentindo a brisa do mar? Já imaginou ou distância. A imaginação torna tudo possível.
um ménage com duas pessoas muito gostosas Douglas, de 24 anos, diz que no momento
e que estão doidinhas por você? Ou então aquela está solteiro. Para ele, o sexo virtual é prazeroso,
ator ou atriz de filme pornô que tanto te excita? pois nele é possível se entregar totalmente e
Agora, todas elas podem ser “devoradas” com passar horas e horas fazendo sem cansar e
apenas umas tecladas. muito menos enjoar.
O cyber sexo — o sexo virtual — é facilmente — Você tem de colocar a imaginação para fluir.
encontrado na Internet e facilitado por qualquer Eu curto uma webcam, mas só para mostrar o
Novembro 2009 | Revista Transe! 35

meu pênis duro. O rosto eu não mostro. Tenho nossos personagens faziam sexo. Eu chegava
medo de que acabe caindo na Internet e meus a picos extraordinários de orgasmos.
familiares descubram — diz. T., 30 anos, está namorando e também joga
O sexo virtual é um universo totalmente libe- o Popmundo. Para ela, o mais
ral. Você pode fazer com três, quatro, cinco... interessante, além do jogo e do sexo virtual,
com quantos quiser. Só que é preciso ser es- é que lá não há preconceitos em relação à ho-
perto, para não acabar transmitindo informações mossexualidade:
pessoais que acabem sendo descobertas mais — Sou lésbica assumida no jogo e nem por
tarde. isso tive problemas com outros amigos. O pes-
— Eu mesmo tenho namorado e, mesmo as- soal te trata superbem e eu acabei encontrando
sim, não largo o cyber sexo — confessa Carla, outras meninas que também passaram a ser lés-
de 20 anos. bicas ou bi. Para você ter uma ideia, comecei a
— Comecei a me interessar por sexo virtual namorar com uma menina daqui na vida real.
quando uma amiga e eu começamos a dançar As duas fizeram sexo muitas vezes pelo com-
no estilo RPG (role playing game). Você fala o putador e agora podem fazer pessoalmente,
que vai fazer de acordo com o que a outra pes- também.
soa faz — explica J., 22 anos, solteiro. Ele diz
gostar muito de fazer dessa maneira, porque
Foto: Reprodução

imagina cada cena que a outra pessoa descre-


ve, o que faz ficar tudo mais interessante. — Se
não, fica uma coisa mecânica e perde o sentido.
Segundo J., a imaginação é o ingrediente prin-
cipal do sexo virtual, o que excita e apimenta o
momento. — A gente pode fazer qualquer coisa.
Com imaginação se vai longe — diz.
No sexo virtual, J. considera as preliminares
imprescindíveis.
— Tem que ser uma coisa bem feita, gostosa,
que te deixe muito excitado. Sexo oral é perfeito,
você imaginando a garota fazer isso com você.
Tem isso, a riqueza de detalhes.
Depois, vem a hora do vamos ver. J. admite
que já teve casos de “sexo selvagem, fazendo
feito louco até chegar ao orgasmo”.
— Também é bom abusar das posições e dos
tipos. Imaginar um lugar também é legal, para
fugir do quarto e da cama.
Pâmela, de 27 anos, está noiva e começou a
praticar o sexo virtual quando entrou para o mun-
do dos jogos online.
— O jogo que me despertou esse lado foi o
Popmundo, onde você tem uma banda e pode
ter família. A partir daí, criei uma conta fake no
Orkut e no MSN. Conheci muitas pessoas que
usam fotos de famosos muito atraentes. Nós
fazíamos festas em tópicos de comunidades ou
em conversas de MSN. Aí sempre acabava indo
para o matinho, o motel, a casa, o carro, e os
Sexo pela internet
deixou de ser
coisa de nerd
36 Revista Transe! | Novembro 2009

GLS

Do armário
para a cama
Confissões deles, que também tem uma
primeira vez confusa...

IRAÊ C OSTA

O
primeiro beijo e a primeira transa nin
guém esquece. É toda aquela expectati
va para saber se será bom ou não. Ao
mesmo tempo em que tudo parece excitante, as
dúvidas surgem. E isso não se passa apenas
com os heteros. O começo da sexualidade para
jovens gays também é uma mistura de emoções
confusas. Ainda mais para aqueles que são for-
mados por uma família heteronormativa, que tem
por regra respeitar os valores convencionais, pre-
zando o papel do homem e da mulher na socie-
dade. Muitos adolescentes, apesar disso, estão
quebrando a barreira interior e assumindo que
sim, o sexo sempre faz toda a diferença no ca-
minho da aceitação da sexualidade.
A estudante de moda Aline Souza, de 21 anos,
perdeu sua virgindade com uma amiga e conta Como passiva, foi no ano passado, no Rio de
que, para ela, foram “duas primeiras vezes”, já Janeiro, com a minha ex-namorada Tifany, no
que fez como passiva e como ativa. Como ati- quarto de um hotel em que estávamos. Foi mui-
va, foi com 16 anos, com uma mulher de 23. to mais do que eu esperava, porque era uma
— Todos os dias ela ia buscar a irmã, minha pessoa com quem eu estava, em quem eu tinha
amiga Luiza, no colégio. Sempre rolava aquela confiança, amor e tudo mais.
troca de olhares, mas eu fui mais ingênua, até Segundo Aline, a amizade das duas continua
um dia que ela deu carona para a irmã e para até hoje, tanto com a amiga como com a ex-
mim e deixou a Luiza antes, em casa e depois namorada. Ela conta que, apesar de ter perdido
foi me deixar. Acabou que rolou aquele clima no a virgindade com uma menina, já namorou me-
carro e eu fui para o apartamento dela. Mas não ninos.
foi nada além disso. Depois conversamos, pois — Já fiquei e namorei, sim, com garotos. Mas
ficou um clima chato, já que eu era amiga da irmã. nunca tive coragem nem vontade de ir além de
Novembro 2009 | Revista Transe! 37

Foto: Reprodução

A primeira vez deles também não é nada fácil

beijos. Sempre curti gurias, tanto que a primeira sa vida sexual é muito boa.
eu beijei quando tinha de 12 para 13 anos. A amizade entre duas amigas também pode
Já para a publicitária e designer freelancer levar ao sexo. Foi o que aconteceu com Beatriz
Cristine Fontanarin, de 28 anos, dona do site fe- Dias, 20 anos, e estudante de Comunicação.
minino Lesbo World, a primeira vez foi tensa. Ela — A minha primeira vez aconteceu este mês,
conta que as duas estavam nervosas e não ti- no feriado de Finados. Eu e a Angélica somos
nham muita experiência. muito amigas, e eu realmente não pensei que
— De tão nervosas, nem sequer conversamos fosse acontecer com ela. Até porque, com um
antes. Fomos direto para a cama. Não foi muito ano e meio de amizade, já rolaram algumas tro-
bom, mas também não foi ruim, se não eu não cas de olhares e indiretas, da minha parte, mas
estaria com ela até hoje. Com o tempo, fomos ela namora uma menina há dois anos! — diz
conversando mais sobre sexo, sobre o que gos- Beatriz. Ela conta que todos os dias as duas se
távamos e trocamos experiências. Agora, nos- encontravam, pois eram vizinhas, mas desde
38 Revista Transe! | Novembro 2009

GLS

que se mudou em agosto, não via mais a outra


menina. — Neste feriado de Finados resolvi ligar
para ela e combinamos de dar uma volta na praia
antes do almoço. Resolvi tocar neste assunto,
que para mim estava superchato, pois eu não
sabia o que ela sentia por mim. Ela confessou
que sentia algo, mas que não podia fazer nada,
pois namora. Resolvemos almoçar, cada uma
foi para sua respectiva casa. Tomei banho e,
quando estava terminando de almoçar, ela me
liga dizendo que precisava falar comigo. Disse
para ela vir em casa, já que minha mãe havia
saído. Finalmente nós ficamos e perdi minha vir-
gindade com ela.
Para Beatriz, foi mais do que o esperado.
— Eu já sentia amor por ela fazia um bom tem-
po. Em relação à amizade/amor que ela sente, bessem. Por isso, prefiro manter as minhas
não sei, pois desde então ela disse que precisa- amizades a contar para eles.
va pensar e não nos encontramos desde então — Minha primeira vez foi ótima — confessa
— explica. Julliana Sant’Anna, formada em Educação Físi-
— Tudo começou com uma brincadeira entre ca. — Eu estava apenas ficando com a Soraya,
a gente. Nicolas e eu estudamos no mesmo que é cinco anos mais velha que eu. Antes, não
colégio e eu sempre desconfiei dele, apesar de tínhamos tanta afinidade assim, começamos a
ele sempre jurar de pés juntos que gostava de confiar uma na outra depois que ficamos mais
uma amiga nossa de classe. Ele sentia curiosi- íntimas. Com um mês de encontro, ela me pe-
dade pelas meninas e eu por ele, mas nunca diu em namoro e namoramos por cinco meses.
contei nada — conta André Gonçalves, técnico Julliana passou por tempos ruins ao assumir
em computação, de 25 anos. Um dia, ele foi fa- o relacionamento.
zer um trabalho de colégio na casa do amigo e — Resolvi assumir para minha família e ela
os dois decidiram ver fotos de mulheres e ho- começou a freqüentar minha casa. As primeiras
mens nus. vezes ainda eram difíceis, pois eu tinha muita
— Até aí, nada demais. Com 16 anos, que ou- vergonha de me entregar para alguém. Cheguei
tra diversão se tem, já que você não namora nin- até a ficar com alguns meninos, e quando eu fa-
guém? Mas vi que ele começou a se excitar ven- lava que não queria nada muito sério, a maioria
do os homens, e resolvi jogar um desafio: ‘duvi- deles se afastava de mim, pois só estavam inte-
do que um dia você fique com algum homem’. ressados em sexo, é claro. Mas com a Soraya
Estava apostando todas as minhas esperanças foi diferente, até porque mulher entende mulher.
naquele dia, mas não aconteceu nada — diz. Ape- Julliana e Soraya começaram a se ver diaria-
nas no ano seguinte, no terceiro colegial, André mente, mas o relacionamento se desgastou.
beijou e transou com o amigo. — Minha primeira — Ela terminou comigo há seis meses e hoje
vez passivo não foi muito boa, apesar de ter sido estou conhecendo uma pessoa totalmente dife-
com o melhor cara. Foi muito bom como co- rente dela, mas a primeira a gente nunca esque-
mecei minha vida sexual. Depois daquele último ce. Mesmo com outra pessoa, ainda estou trans-
ano de colégio, perdemos contato e nunca mais formando esse amor em amizade.
falei com ele. Até hoje não sou assumido e nem Não é apenas entre as mulheres que aconte-
todos os meus amigos sabem de mim. Alguns ce essa sucessão de ideias incertas. Cada um
deles vivem fazendo piadinhas sobre viado, bi- tem o seu tempo e, no caso da descoberta, cada
cha e não sei qual seria a reação deles se sou- pessoa experimenta de um modo diferente. O
Foto: Reprodução
Novembro 2009 | Revista Transe! 39

sempre calhava dele descer para o litoral. Foi


numa dessas viagens que aconteceu minha pri-
meira vez com um homem. Já havia namorado
duas mulheres, mas não havia transado com
elas ainda. Contei que nunca havia me relacio-
nado com ninguém e ele foi muito compreensi-
vo. Até aí não comentei nada com meus ami-
gos, nem com a minha família, que soube há
pouco tempo. — Hoje, Cristiano e Thiago Ribei-
ro, de 26 anos, namoram há dois anos e afir-
mam que, além de terem encontrado o amor,
estão com alguém em quem podem confiar sem-
pre.
Amizade entre duas amigas Quando Carolina, 24 anos, gerente de uma
também pode levar ao sexo loja de roupas em Santos conheceu Camila, 24
anos, há quatro anos, ficaram amigas logo de
estudante de Comunicação Cristiano Almeida, cara.
de 25 anos, diz que esperou 23 anos para se — Ela sempre foi a mais saidinha da turma.
relacionar com alguém. Em uma das noites que saímos para uma bala-
— Até pensava que havia algo errado comigo, da, dormi na casa dela. Eu já me atraia por me-
passava ano entrava ano e eu não arranjava ne- ninas, mas nunca havia comentado com nin-
nhuma namorada. Sempre era alvo de brinca- guém. Não por vergonha, mas por sofrer pre-
deiras na adolescência, pois meus amigos ar- conceito de colegas, mesmo.
ranjavam namoradas, e eu não. Para espaire- Carolina conta que era verão. Naquela noite,
cer, comecei a sair para os pais de Camila não
barzinhos e baladas com estavam em casa. Ti-
amigos e alguns deles são nham viajado para
gays. Resolvemos ir a São “Tudo começou com uma Atibaia, para a casa de
Paulo, numa danceteria brincadeira entre a gente. uns tios. Ela resolveu fi-
chamada The Week. Nun- Nicolas e eu estudamos no car, já que eles estari-
ca havia entrado em uma am fora só por dois
balada GLS. mesmo colégio e eu sempre dias.
Quando entrou na dan- desconfiei dele...” — Camila e eu come-
ceteria, Cristiano conta que çamos a conversar e
ficou de canto, olhando as ela contou que já havia
pessoas à sua volta. ficado com uma menina em uma balada, mas
— Peguei uma bebida e não havia desconfia- só porque estava bêbada. Minha expectativa foi
do que um homem mediano, moreno, de sorri- lá embaixo. Mesmo assim, eu era a ansiedade
so grande estava me olhando. Na hora, senti um em pessoa para ficar com ela. O papo ia e volta-
arrepio, e até pensei que estava no lugar errado. va e eu não contei nada de mim. Depois de as-
Mas ele, Thiago, veio até a mim superconfiante sistirmos a um filme, vi que ela pegou no sono e
e ficamos conversando no bar, com todos os fui dormir também. Na manhã seguinte, ela me
meus amigos, aproveitando a noite. acordou dizendo que havia sonhado que eu e
Cristiano diz que no início ficou confuso, pois ela ficamos. Eu gelei na hora.
não sabia se era isso mesmo que queria. Carolina conta que pensava constantemente
— Fui criado por uma família muito católica e se devia ou não contar a ela que queria, por medo
meus pais nunca haviam tocado nesse assunto de a amiga se afastar.
comigo. Resolvemos trocar telefone e e-mail e — Finalmente tomei coragem e perguntei se
40 Revista Transe! | Novembro 2009

Foto: Reprodução
GLS

ela ficaria comigo e ela disse que sim, se eu


prometesse não contar a ninguém. Ficamos e
acabamos transando, também. Foi a primeira
vez para nós duas.
Depois desse dia, as amigas continuaram a
amizade normalmente, mas quando estavam
sozinhas, se beijavam.
— Resolvi contar aos meus pais e claro que
logo de primeira não aceitaram, mas o tempo O ideal é se conhecer antes de
ajudou. Os pais de Camila são católicos e sem- pensar em fazer sexo com alguém
pre deixaram claro para ela de que duas pesso-
as do mesmo sexo estarem juntas é coisa mun- tal para a felicidade humana e para o sexo tam-
dana. bém. Se vai dormir com um homem ou mulher,
Carolina e Camila fizeram um ano e oito me- a verdade é que já fantasiou com isso, portanto
ses de namoro e Camila se mudou para São recorde-se e viva esse momento como a sua
Paulo com a família, mas todo final de semana fantasia.
elas combinam de se ver.
— Caso uma ou outra não possa descer ou 5 - Não exagere. Se pensa em usar brinque-
subir, nos vemos de quinze em quinze dias. Hoje dos sexuais deixe-os para as próximas vezes;
ela aceita mais nosso relacionamento e eu apren- na primeira vez é importante conhecer os cor-
di a controlar minha ansiedade. Afinal, tudo tem pos tocar e sentir; existirão muitas outras opor-
seu tempo. tunidades para experimentar brinquedos. Na pri-
meira vez, delicie-se com o contato. Géis e lu-
Primeira vez brificantes sempre são bem aceitos.

Aqui vão algumas dicas para você não fazer 6 – Relaxe. Demore o seu tempo, toque todo
feio na sua primeira transa. o corpo do seu parceiro (da sua parceira). To-
car e sentir são muito importantes e claro, um
1 - Antes de sequer imaginar fazer sexo com ótimo método de sedução.
alguém, é importantíssimo que você se conhe-
ça. Descubra o seu corpo, os locais que gosta 7 – Comunique. Não tenha pudor em pergun-
de ser tocado(a), o que o(a) excita; a tar o que o parceiro (parceira) gosta, e o que o
masturbação é um grande passo para o suces- (a) faz sentir excitado (a). Diga-lhe o que gosta-
so de uma relação íntima com outra pessoa. va que ele (ela) lhe fizesse. Por vezes não tem
Toque-se e descubra o que o (a) faz sentir bem. de falar, pode-se simplesmente conduzir as
Desta forma, também irá descobrir onde deverá mãos. A comunicação é o princípio fundamental
tocar na outra pessoa para sentir prazer. numa relação sexual de sucesso.

2 – A bebida pode até diminuir as inibições, é 8 - Não tenha expectativas não realistas. A
verdade, mas também pode reduzir as sensa- sua primeira vez com alguém deve ser usada
ções e pode tornar os momentos intensos em para experimentar e para conhecer o corpo da
banais. Por isso, manere na dose. outra pessoa, e vice-versa. Às vezes, quando se
está aprendendo, a química pode diminuir e o
3 – Pratique o sexo seguro. O HIV também é orgasmo não acontecer na primeira vez, mas é
transmitido através de relações gays. Por isso, perfeitamente natural que isso aconteça. Toque,
nunca é demais se informar sobre o assunto. experimente e seja sincera ao comunicar o que
deseja.
4 - Seduza e fantasie. A fantasia é fundamen- www.lesboworld.com.br