You are on page 1of 15

Índice

Parasitas ............................................................................................................................................1
Exercícios .........................................................................................................................................11
Gabarito ..........................................................................................................................................13
Parasitas
01. O que são agentes emológicos ou patogênicos? Exemplifique.
São organismos parasitas que utilizam o hospedeiro como fonte de alimentação (e
ambiente de reprodução), causando infecções (vírus, bactérias, fungos e protozoários) e infestações
(vermes, artrópodes).
02. O que é memória imunitária? Qual a relação com a vacinação?
Muitas doenças causadas por vírus são adquiridas apenas uma vez na vida. Isso ocorre
porque durante a doença são produzidos anticorpos específicos, capazes de dar combate aos
agentes infecciosos (antígenos) que venham posteriormente atacar.
Algumas células - linfócitos - capazes de produzir os anticorpos em questão
permanecem para sempre na circulação do indivíduo. No caso de um novo contato com o vírus,
essas células proliferam dando origem a toda uma população celular capaz de produzir
rapidamente grandes quantidades de anticorpos. A essa “lembrança que permanece”, chama-se
memória imunitária.
Através de vacinação a imunidade (ativa) pode ser induzida, injetando-se partículas
virais mortas ou atenuadas, ou, ainda, por proteínas virais isoladas e purificadas em laboratório.
03. Cite duas maneiras distintas pelas quais os antibióticos atuam sobre as bactérias. Dê exemplos.
A bactéria pode ser destruída por interferência do antibiótico na síntese dos componentes
da parede celular bacteriana. Assim agem as penicilinas, cefalosporinas e bacitracina.
Outros antibióticos interferem na síntese de proteínas das bactérias, por seus efeitos
sobre os ribossomos, matando-as: estreptomicinas, tetraciclinas, cloranfenicol, etc.
Os antibióticos podem atuar ainda: alterando a permeabilidade da membrana celular:
polimixinas; alterando o metabolismo do ácido nucleico: rifampicina; agindo como antimetabólicos:
trimetoprin.
04. Comente sobre fungos patogênicos.
Os fungos parasitas podem causar doenças às plantas, aos animais e ao homem (frieiras,
pé-de-atleta, “sapinho”, micose de pele e unha). Um conhecido fungo parasita é Candida
albicans, causador de micoses brandas que atingem os dedos dos pés e as mucosas vaginais. Alguns
fungos produzem infecções graves, como a blastomicose e o micetoma, com lesões profundas na
pele e em órgãos internos. Uma doença de planta é a ferrugem, que ataca o cafeeiro e outras
plantas economicamente importantes, provocando sérios danos à lavoura.
05. Qual a diferença entre epidemia e endemia?
Fala-se em epidemia quando ocorre um aumento súbito (surto) no número de casos
de uma doença dentro de uma população (gripe, meningite). Por outro lado, quando uma doença
mantém-se em uma população atingindo um número relativamente baixo e constante de indivíduos,
diz-se que ela é endêmica (esquistossomose, malária, doença de Chagas).
06. O que são doenças venéreas? Dê 2 exemplos.
São doenças transmitidas fundamentalmente por contágio direto, uma vez que seus
agentes causadores não conseguem sobreviver por muito tempo fora do corpo do hospedeiro: sífilis
(Treponema pallidum) e gonorréia (Neisseria gonorhaeae).
1
07. O que são parasitas monoxenos e heteroxenos?
Monoxenos ou monogenéticos são os parasitas que cumprem o seu ciclo reprodutivo
em um único tipo de hospedeiro: ascaridíase (Ascaris lumbricoides), ancilostomíase
(Ancylostoma duodenale ou Necator americanus).
Heteroxenos ou digenéticos são parasitas que utilizam 2 (ou mais) hospedeiros para
cumprirem seu ciclo reprodutivo:
– Hospedeiro intermediário (H.I.) = onde o parasita se reproduz assexuadamente: Taenia
Solium(porco); Plasmodium (homem); Schistosoma mansoni ( caramujo Biomphalaria )
– Hospedeiro definitivo (H.D.) = onde o parasita se reproduz sexuadamente; Taenia solium
(homem); Plasmodium (mosquito Anopheles).
2
Algumas doenças causadas por vírus
Características dos Vírus:
• são acelulares; envoltos por capsídeo de proteína, em geral.
• necessitam de células vivas para reprodução (parasitas intracelulares)
• possuem grande capacidade de mutação
ativa = vacina
artificial
passiva = soro
Imunização
ativa = contágio natural
natural
passiva = amamentação
3
Doença Modo de Transmissão Modo de infecção Medidas de controle (profilaxia)
Varíola Gotículas de saliva,; contato direto;
objetos contaminados.
O vírus penetra pelas mucosas das vias
respiratórias, dissemina-se pela corrente
circulatória e instala-se na pele e mucosas,
causando as ulcerações características da
doença.
Vacinação com linhagem de vírus
atenuada (uma linhagem que ataca o
gado bovino, isto é , vacina de vírus
vivos).
Febre
amarela
Através da picada dos mosquitos
Aedes e Haemagogus. O
mosquito contamina-se ao picar um
homem ou outro mamífero
contaminado.
O vírus é introduzido juntamente com a
saliva do mosquito; dissemina-se pelo
corpo através do sangue e instala-se no
fígado, baço, rins, medula óssea e gânglios
linfáticos.
Vacinação com linhagem de vírus
atenuada. Destruição do mosquito
Aedes, vetor da doença.
*Sarampo Gotículas de saliva. O vírus penetra pela mucosa das vias
respiratórias, cai na corrente sanguínea e
se dissemina por diversas partes do corpo.
Vacinação com vírus vivo de
linhagem atenuada.
*Poliomiel-
ite
Incerto Acredita-se que o vírus penetre pela boca e
se multiplique primeiro na garganta e nos
intestinos. Daí dissemina-se pelo corpo,
através do sangue. Se atingir células
nervosas ele as destrói, o que causa
paralisia e atrofia de certas parte do corpo.
Vacinação com vírus virulento
inativado (vacina Salk) ou com vírus
vivo atenuado (vacina Sabin).
Raiva Pela mordedura de animal
infectado, geralmente o cão.
O vírus penetra pelo ferimento da
mordedura juntamente coma saliva do
animal. Atinge o sistema nervoso central,
onde se multiplica, causando danos
irreparáveis ao sistema nervoso.
Vacinação dos cães, eliminação dos
cães de rua, vacinação de pessoas
mordidas por cães desconhecidos ou
com suspeita de portar a doença.
Encefalites
virais
Picada de mosquitos e de
carrapatos
O vírus é introduzido na corrente
sangüínea pela picada do artrópode
portador. Atinge as células do cérebro,
onde se reproduz.
Destruição dos artrópodes vetores. Não
existem vacinas.
Caxumba Gotículas de saliva, contato direto,
objetos contaminados.
O vírus ataca normalmente as glândulas
salivares parótidas, podendo, entretanto,
localizar-se nos testículos, ovários, pâncreas
e cérebro.
Há vacinas.
Gripe Gotículas de saliva. O vírus ataca os tecidos das porções
superiores do aparelho respiratório;
raramente atinge os pulmões.
Nenhuma
Hepatite
infecciosa
Contaminação de água e objetos
por fezes de indivíduos
contaminados. Supõe-se que
moscas transportem o vírus de fezes
contaminadas para alimentos, água
e objetos. O modo de transmissão
não é bem conhecido.
O vírus multiplica-se no fígado, causando
destruição de células hepáticas
Medidas de saneamento; fiscalização
dos manipuladores de alimento. A
injeção de gamaglobulina, extraída de
soro sanguíneo humano, pode conferir
proteção temporária.
*Síndrome
da
imunodef-
iciência
adquirida
(SIDA ou
AIDS)
Contaminação através da
transfusão de sangue de
pessoas doentes, do uso de
instrumentos cirúrgicos ou seringas
contaminadas e também através
do ato sexual, quando o vírus
penetra por microfissuras das
mucosas.
O vírus ataca os linfócitos, que são as
células encarregadas da defesa imunitária
do organismo. Este torna-se incapaz de
oferecer resistência às infecções
oportunistas, e o indivíduo afetado
geralmente morre de infecção
generalizada.
Fiscalização rigorosa dos bancos
de sangue, para evitar distribuição de
sangue contaminado. Esterilização
rigorosa dos instrumentos cirúrgicos e
não reutilização de agulhas e
seringas. Prevenção de possível
contágio no ato sexual pelo uso de
preservativo (camisinhas).
Algumas doenças causadas por bactérias
4
Doença Agente Via de transmissão Observação
Botulismo Clostridium
botulinum
Ingestão de alimento no
qual houve
desenvolvimento da bactéria
com liberação de toxina;
geralmente alimentos
enlatados.
A doença é causada pela toxina presente no
alimento ingerido e não pela bactéria, uma vez
que esta não sobrevive no corpo.
Gangrena
gasosa
Clostridium novyi;
Clostridium
perfringes;
Clostridium
septicum
Contaminação acidental de
ferimentos profundos.
Os agentes causadores são germes habitantes
comuns do solo. Normalmente não são parasitas,
só causando doença quando acidentalmente
penetram num ferimento.
Tétano Clostridium tetani Proliferam e libertam toxinas
que afetam o sistema
nervoso.
Há vacina.
Febre tifóide Salmonella tiphi Contaminação fecal de água
ou alimentos.
A pessoa infectada pode, após o
desaparecimento dos sintomas da doença,
continuar portando indefinitivamente alguns
germes, isto é, tornar-se um portador crônico.
Suas fezes constituirão um perigo constante para
a população, pois delas poderão advir
epidemias. O controle dessa doença reside
fundamentalmente na identificação e
fiscalização dos portadores crônicos.
Gastroenterites Salmonella Contaminação fecal de água
ou alimentos.
Qualquer espécie de Salmonella pode produzir
um ou outro tipo de infecção, erroneamente
chamada de intoxicação alimentar.
*Disenteria
bacilar
Shigella Contaminação fecal de água
ou alimentos.
A mais grave das infecções disentéricas.
Pneumonia Streptococcus
pneumoniae ou
Diplococcus
pneumoniae
Pela inalação de ar
contaminado
Localiza-se nos pulmões.
Intoxicação
alimentar
Micrococcus
pyegenes variedade
aureus
Ingestão de alimento no
qual houve
desenvolvimento bacteriano
com liberação de toxinas.
Os sintomas da doença são causados pela toxina
presente no alimento ingerido e não pela
proliferação das bactérias.
*Gonorréia Neisseria
gonorrhaeae
Contato sexual Doença venérea - a mãe portadora pode
infectar a criança ao nascer.
*Coqueluche Hemophilus
pertussis
Pela inalação de ar
contaminado.
Afeta, geralmente, crianças - a vacinação
proporciona controle eficaz
*Tuberculose Mycobacterium
tuberculosis
Inalação de ar contaminado. Esses germes atacam normalmente os pulmões,
mas podem se localizar em outros órgãos, tais
como as meninges (membranas que envolvem o
cérebro), os ossos, o nervo óptico etc.
*Sífilis Treponema
pallidum
contato sexual Doença venérea - a mãe
portadora pode transmitir a doença ao feto
durante a gravidez.
Cólera
asiática
Vibrio cholerae Contaminação fecal de água
ou alimentos.
O germe produz uma infecção intestinal grave,
que pode levar o indivíduo à morte por perda de
líquido.
Meningite
epidêmica
Neisseria
meningitidis
Inalação de ar contaminado Os germes instalam-se nas meninges, levados até
ali pelo sangue.
Calendário de Vacinação
Algumas doenças humanas causadas por protozoários
∗ Muitos taxonomistas os consideram como classes do Filo Protozoa.
5
Idade Vacinas
1 mês BCG (contra a tuberculose)
2 meses Poliomielite (paralisia infantil)
DPT (tríplice: difteria, coqueluche e tétano)
4 meses Poliomielite (paralisia infantil)
DPT (tríplice: difteria, coqueluche e tétano)
6 meses Poliomielite (paralisia infantil)
DPT (tríplice: difteria, coqueluche e tétano)
9 meses Sarampo
15 meses Sarampo, caxumba e rubéola
Poliomielite (paralisia infantil)
DPT (tríplice: difteria, coqueluche e tétano)
5 ou 6 anos Poliomielite (paralisia infantil)
DPT (tríplice: difteria, coqueluche e tétano)
15 anos ou mais dT (dupla tipo adulto: contra difteria e tétano)
Reforço a cada 10 anos, por toda a vida.
Doença Agente causador Sintomas Forma de contágio
Disenteria
amebiana ou
amebíase
Entamoeba histolytica
(Filo * Sarcodina)
(enfraquecimento)
Diarréias com sangue e muco
devido a lesões na parede
intestinal.
Ingestão de alimentos (verduras,
frutas etc.) ou água contaminados
por cistos do protozoário.
Úlcera de Bauru
ou leishmaniose
de pele
(digenético)
Leishmania brasiliensis
(Filo * Flagellata)
Ulcerações graves de pele,
principalmente no rosto, braços e
pernas.
Picada do mosquito-palha,
também conhecido como birigui
(gênero Phlebotomus ou
Lutzomyia)
Doença de
Chagas
(digenético)
Trypanosoma cruzi
(Filo * Flagellata) muda
continuamente seus
ANTÍGENOS de superfície
(Miocardite) Insuficiência cardíaca
devido a lesões na musculatura do
esôfago e coração.
"Fezes" de barbeiros ou
chupança , insetos hemípteros;
os principais transmissores são do
gênero Triatoma.
Doença do sono
(digenético)
Trypanosoma
gambiensis
(Filo * Flagellata)
Sonolência e topor devido a
lesões no sistema nervoso.
Picada da mosca tsé-tsé (gênero
Glossina).
Tricomoníase Trichomonas vaginalis
(Filo * Flagellata)
Corrimentos e infecções vaginais e
uretrais.
Através de relações sexuais com
homens transmissores ou pelo uso
de instalações sanitárias ou objetos
contaminados.
Giardíase Giardia lamblia
(Filo * Flagellata)
Diarréias acompanhadas de dores
abdominais devido a lesões na
parede intestinal.
Ingestão de alimentos (verduras,
frutas etc.) ou água contaminados
por cistos do protozoário.
Malária ou febre
terçã benigna
(digenético)
Plasmodium vivax
(Filo * Sporozoa)
Febres e mal-estares cíclicos
devido a substâncias tóxicas
liberadas pelo protozoário no
sangue.
Picada do mosquito-prego, um
pernilongo pertencente ao gênero
Anopheles.
Lesões na pele resultantes da leishmaniose
Ciclo do mosquito Anopheles
Ciclo do Plasmodium, agente causador da malária. No canto inferior, à direita, o gráfico da
temperatura do indivíduo doente. A febre alta ocorre logo após a liberação dos merozoítos.
6
esporozoítos
esporocisto
oocisto
células do
fígado
glândula
salivar
exporozoítos
(infectantes)
parede intestinal
do mosquito (H.D.)
zigoto
(estômago)
gametas
e
s
q
u
i
z
o
g
o
n
i
a
trofozoítos
merozoítos e
produtos tóxicos
hemácia
(H.I.)
ciclo no homem
gametócitos
liberação de
merozoítos
40
39
38
37
36
0 12 24 36 40 60 72
Parasita Patogenia
Leishmania
brasiliensis
leishmaniose
cutâneomucosa (lesões
ulcerosas)
Leishmania
tropica
leishmaniose cutânea
(botão do oriente)
Leishmania
donovani
leishmaniose visceral
Filo Platielmintes – Classe Céstoda
No ciclo vital da Taenia solium o homem é o hospedeiro definitivo e abriga em seu
intestino os vermes adultos. O porco é o hospedeiro intermediário, em cuja musculatura
desenvolvem-se as formas imaturas, os cisticercos.
Cisticercose no homem
O homem, no entanto, pode fazer o papel do hospedeiro intermediário da tênia.
Isso acontece quando o indivíduo ingere ovos do parasita. As larvas que se libertam em seu
intestino vão se alojar em tecidos do corpo na forma de cisticercos. A pessoa, portanto, desenvolve
cisticercose. Problemas graves podem ocorrer quando os cisticercos se alojam em órgãos vitais
como o cérebro.
7
ingestão de carne
mal cozida que
contém cistecercos
homem
(hospedeiro
definitivo)
cistecerco
na carne
(músculos)
interior do
intestino
verme
adulto
cistecerco
(everte-se e fixa-se)
proglótides com
ovos embrionados
eliminados com as fezes
porco (hospedeiro
intermediário)
ingestão de
proglótides grávidas
com embriões de tênia
larva = oncosfera (= hexacanto)
Filo Plathyelminthes – Classe Trematoda
No ciclo do Schistosoma existem dois hospedeiros: o homem, onde se desenvolvem
as formas adultas, e os caramujos planorbídeos aquáticos, onde os miracídios (larvas ciliadas)
evoluem para outras formas larvais chamadas cercárias, as quais penetram ativamente pela pele
de pessoas que tenham contato com a água contaminada.
Filo Nematoda ou Aschelminthes
– Caracteres gerais dos Nematoda
Os Nematoda são animais de corpo cilíndrico, não segmentado que possuem simetria
bilateral; distinguem-se dos Platyhelminthes principalmente por apresentarem pseudoceloma e o
tubo digestivo completo.
8
homem
(hospedeiro
definitivo)
adultos nas
veias do
fígados
ovas no
intestino
Biomphalaria
caramujo planorbídeo
(hospedeiro intermediário)
miracídio
ciliado
penetração no
caramujo hospedeiro desenvolvimento
as cercárias
saem do
caramujo
a. Ascaris lumbricoides
Também denominada lombriga, é um verme cilíndrico e afilado nas duas extremidades.
Possui boca trilabial, e o macho mede de 15 a 35 cm, enquanto a fêmea mede de 35 a 40 cm. Vive no
intestino delgado dos vertebrados, causando Ascaridíase.
b. Enterobius vermicularis (Oxyurus vermicularis)
É um verme pequeno (3 a 12 mm) com boca trilabiada e causador da Oxiuríase ou
Enterobiose.
Parasitam o ceco e o apêndice cecal. As fêmeas grávidas não depositam os ovos e estes
vão se acumulando no útero, até o seu rompimento na luz intestinal, quando os ovos embrionados
são libertados.
9
linha lateral
fêmea
macho
boca
trilabiada
espículas
filaróide
infestante
esôfagos
2.a muda
pulmão
3.a muda
filarióide
1.a muda
cava
inferior
estômago
intestino
4.a muda
penetração
“per cutem”
ovo eliminado
ovo em evolução
“per os”
traquéia
penetração
rabditóide
coração
fêmea macho
c. Ancylostoma duodenale e Necator americanus
Vermes de corpo cilíndrico, afilado nas duas extremidades da fêmea a apenas na
extremidade anterior do macho.
Medem cerca de 15 mm e possuem uma cápsula bucal, dotada de dentes e placas
cortantes.
Com pequenas diferenças, as duas espécies realizam o mesmo ciclo. Os ovos, eliminados
pelas fezes do hospedeiro, evoluem em 24 horas à larva rabditóide.
São causadores da Ancilostomose, Amarelão, Opilação ou Mal da Terra, provocando no
hospedeiro uma anemia intensa, variando a gravidade com o grau de infestação.
d. Ancylostoma braziliensis
É um parasita do cão e do gato. Quando suas larvas (“Larva migrans”) penetram na
pele do homem, causam a “dermatose serpiginosa” ou popularmente conhecida como “bicho
geográfico”.
e. Wuchereria bancrofti
São vermes de diâmetro muito pequeno e de aspecto filamentoso, sendo por esta razão
denominados Filárias; os machos atingem 4 cm e as fêmeas 10 cm de comprimento.
Esses vermes parasitam os gânglios linfáticos do homem, causando a doença
conhecida por Elefantíase, caracterizada pela hipertrofia de alguns órgãos, como o escroto,
membros inferiores, os seios e lábios da vulva.
No sistema linfático do hospedeiro, as fêmeas colocam os ovos, que se transformam
em microfilárias. Durante a noite, as larvas deslocam-se para o sangue periférico, sendo então
ingeridas por mosquitos hematófagos dos gêneros: Culex, Aedes e Anopheles. Nos insetos, as
larvas sofrem várias mudas, transformando-se nas formas infestantes, que vão até a tromba do
mosquito.
Quando o inseto pica a vítima, transmite a larva, que atinge o sistema linfático,
tornando-se adulta e recomeçando o ciclo.
10
Ancylostoma
cápsula bucal de
N.americanus
cápsula bucal de
A.duodenale
bolsa copuladora
de N.americanus
bolsa copuladora de
A.duodenale
Exercícios
01. (FUVEST-SP) Doenças como a dengue, a febre amarela e mesmo a malária, há muito erradicadas dos
grandes centros urbanos brasileiros, podem reaparecer, como aconteceu recentemente em áreas
urbanas de São Paulo e Rio de Janeiro. Uma condição que propicia o reaparecimento das doenças
citadas é:
a. aumento exagerado dos níveis de poluição do ar.
b. ingestão de alimentos contaminados por agrotóxicos.
c. proliferação de criadouros de mosquitos vetores.
d. ingestão de água contaminada por esgotos.
e. aumento da radiação ambiental causada pelas usinas nucleares.
02. (UF-PA) A febre amarela, a poliomielite e a raiva são doenças causadas por..., para as quais a proteção
é feita através de...
a. bactérias, antibióticos.
b. protozoários, antibióticos.
c. vírus, antibióticos.
d. protozoários, vacinas.
e. vírus, vacinas.
03. (UE-CE) O agente causador da doença está corretamente indicado em:
Doença Agente
a. febre amarela → vírus.
b. sífilis → vírus.
c. Poliomielite → bactéria.
d. tétano → vírus.
e. difteria → protozoário
04. (CESGRANRIO) O gráfico abaixo representa o número de anticorpos circulantes na corrente sangüínea
de um indivíduo no qual se introduziram duas substâncias, A e B, com a finalidade de conferir
imunidade contra um determinado antígeno com o qual o indivíduo nunca teve contato antes.
Analisando o gráfico, assinale a opção correta.
a. A é um soro e B é uma vacina.
b. A conferiu imunidade ativa e B passiva.
c. A é uma imunidade do tipo celular e B humoral.
d. A é uma imunidade inata e B adquirida.
e. A é realizada por anticorpos e B por substâncias citotóxicas.
11
05. (UF-BA) Com base no esquema abaixo, representativo do ciclo e transmissão do Trypanosoma cruzi,
assinale o que for correto:
01. a transmissão do Trypanosoma cruzi ao homem é feita atavés das fezes do “barbeiro”.
02. o Trypanosoma cruzi reproduz-se nos tecidos do homem.
04. no hospedeiro-homem, os parasitas ocorrem nos tecidos e no sangue.
08. o “barbeiro”, ao sugar o sangue do homem, injeta o parasita na corrente sangüínea.
16. o “barbeiro” é veiculador do Trypanosoma cruzi.
32. o ciclo do Trypanosoma cruzi pode ocorrer sem a participação do “barbeiro”.
64. na corrente sangüínea, o flagelado parasita as hemácias.
A soma de pontos das alternativas corretas é:
a. 23
b. 99
c. 21
d. 48
e. 07
06. (FESP-PE) Sobre nematódeos parasitas do homem podemos corretamente dizer que:
a. Ascaris lumbricoides pode provocar câncer intestinal no seu hospedeiro intermediário que é o
homem.
b. Wuchereria bancrofti, agente etiológico da filariose, é adquirido pela ingestão de água e
alimentos contaminados.
c. a verminose “amarelão” é provocada pelos Necator americanus ou Ancylostoma duodenale
que lesa o intestino humano provocando hemorragias.
d. os vermes do “amarelão são transmitidos de uma pessoa doente a uma sã por insetos
hematófagos.
e. Ancylostoma, Wuchereria, Trichinella e Ascaris habitam preferencialmente o fígado e o tecido
ósseo humanos.
07. (UF-SE) Penetram ativamente pela pele do homem os causadores da:
a. elefantíase e da doença de Chagas.
b. malária e do amarelão
c. esquistossomose e da elefantíase.
12
d. doença de Chagas e da malária.
e. esquistossomose e do amarelão
08. (UF-PA) A ascaridíase, parasitose de ocorrência comum na Amazônia, é transmitida ao homem:
a. pela picada do Triatoma.
b. através da ingestão de carne de porco mal cozida.
c. através da pele, quando se anda descalço em solos que contêm larvas do parasita.
d. pela ingestão de água ou alimentos contaminados com o ovo do parasita.
e. através da pele em contato com água contaminada com as cercárias.
09. (FATEC-SP) O esquema representado abaixo corresponde ao ciclo de vida de um verme.
O nome desse verme é:
a. Ancylostoma.
b. Schistosoma.
c. Wuchereria.
d. Taenia.
e. Áscaris.
10. (UF-RJ) A disseminação da esquistossomose por quase todo o território nacional deve-se:
a. à deriva gênica.
b. à migração do caramujo.
c. à inexistência de tratamento.
d. à construção de açudes.
e. às migrações humanas.
Gabarito
01. Alternativa c.
A transmissão dessas doenças apresentam, em comum, a necessidade da picada de
mosquitos fêmeas contaminados com respectivos agentes etiológicos. Os ambientes de água
estagnada são mais propícios para a reprodução desses insetos.
02. Alternativa e.
A prevenção contra doenças viróticas tem como melhor conduta a aplicação de vacinas,
visto que estimulam a produção de anticorpos específicos, preparando o organismo para a possível
chegada dos microrganismos.
03. Alternativa a.
Sífilis, tétano e difteria, são causadas por diferentes bactérias. Poliomielite é causada por
vírus.
04. Alternativa a.
A imunização ativa, através da aplicação de vacinas, que contém os microrganismos
atenuados, garante a produção de grande número de anticorpos mais duradouros. No soro
13
(imunização passiva), que aplica anticorpos já prontos, a duração no sangue é significativamente
menor.
05. Alternativa a.
O barbeiro (inseto percevejo do gênero Triatoma), se contamina ao picar uma pessoa
com doença de Chagas. No sangue dessas pessoas estão as formas flageladas do Trypanosoma
cruzi. Como o barbeiro tem intestino muito curto, ao picar uma pessoa sadia, acaba eliminando fezes
com o Trypanosoma, que penetra ativamente pela pele.
06. Alternativa c.
São sintomas da ascaridíase: cólicas, enjôo, obstrução intestinal, crises assemelhadas a
bronquite, complicações pulmonares, convulsões. A transmissão da filariose é feita pela picada do
mosquito Culex Fatigans. Os vermes do amarelão chegam a uma pessoa sadia através de larvas que
estão no solo e penetram ativamente pela pele. Ancylostoma e Ascaris habitam o intestino humano;
a Wuchereria se instala nos gânglios linfáticos; a Trichinella se instala na musculatura lisa
(diafragma, por exemplo).
07. Alternativa e.
Adquire-se esquistossomose pela entrada ativa, pela pele, das larvas cercárias que se
encontram em córregos ou lagos. O amarelão também é adquirido por larvas que se encontram no
solo e penetram pela pele.
08. Alternativa d.
Enquanto pica para tomar sangue, o Triatoma (barbeiro) elimina fezes com
Trypanosoma, o qual penetra pela pele. A ingestão de carne de porco mal cozida e contaminada por
cisticercos, passa a Taenia solium (teníase). Andar descalço oferece a chance de entrada das larvas
do Ancylostoma ou do Necator, causadores do amarelão. As larvas cercárias são do Schistosoma
mansoni (esquistossomose).
09. Alternativa b.
Dos ovos do Schistosoma mansoni se desenvolvem as larvas miracídios que nadam ao
encontro do caramujo Biomphalaria (família planorbídeo). No interior do caramujo essas larvas
evoluem para a forma de cercária, que abandonando o caramujo irão penetrar pela pele das pessoas
sadias.
10. Alternativa e.
É através das fezes das pessoas doentes com esquistossomose que os ovos do
Schistosoma mansoni vão para o solo (=falta de saneamento básico), onde desenvolvem larvas
miracídio, que deverão encontrar o caramujo Biomphalaria, para dar continuidade ao ciclo
transmissor.
14