You are on page 1of 10

Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão

Conhecimento na área Aspectos críticos que a Literatura identifica
-Constituir-se como parceiro da comunidade escolar tendo um papel de liderança no desenvolvimento de políticas e práticas curriculares.

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira Desafios. Acções a implementar
- Adoptar uma postura em que o centro da BE deixe de ser o professor bibliotecário e passe a ser o estudante - O professor bibliotecário tem que alterar a sua postura, aliando às suas atribuições técnicas quatro atributos: (i) “caregiver”(alguém que está atento), (ii) “coach” (instrutor), (iii) connector (estabelecer relações), (iiii) “catalyst”(catalisador da mudança

Domínio

Pontos fortes

Fraquezas
- Professora Bibliotecária não conseguiu implementar de forma sustentada condições tecnológicas e ambientes virtuais de aprendizagem. - Alguma dificuldade em conseguir coordenar as várias facetas que lhe são atribuídas: especialista, gestora da informação, parceira, consultora e gestora

Oportunidades
- Estabilidade nas funções do professor bibliotecário (4 anos). - Continuar a beneficiar da grande oferta de formação que é disponibilizada aos professores bibliotecários

Ameaças

Competências do professor bibliotecário

- Professora Bibliotecária tem efectuado formação aprofundada e continua a investir na melhoria e actualização do nível das suas - Propor um estilo de competências. literacia de informação a - Consegue criar adoptar na Escola - Disponibilizar à comunidade escolar um conjunto de fontes (livro, não livro) variadas e pertinentes; -Como “instrutor” qualificado, proporcionar programas que desenvolvam

relações interpessoais com alunos e professores que facilitam o trabalho colaborativo e o seu papel de “instrutor”. - Paulatinamente tem conseguido

Conhecimento na área
competências ao nível das habilidades e literacia de informação (aceder / avaliar informação em fontes diversas); -Ajudar os alunos nos processos de aprendizagem, a partir de fontes de informação variadas para que eles possam construir um conhecimento com base nos métodos de investigação.

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira

integrar a BE no trabalho curricular dos docentes e no funcionamento global da escola.

Organização e Gestão da BE

- Gerir a BE para o sucesso revendo práticas -BE deverá ter capacidade de proporcionar conhecimento, visão e liderança. - Ser capaz de planear, executar e avaliar, com regularidade, programas úteis para os estudantes.

- Liderança, planeamento e pensamento estratégico. - Adaptação da BE às mudanças ao nível da estrutura organizacional e de funcionamento da escola. - Equipa coesa que

- Alguns elementos da equipa têm pouca formação na área do tratamento documental e novas tecnologias da informação. - Alguns processos de gestão ainda não estão consolidados.

- Selecção da equipa da BE de acordo com o Desp. Nº 13599/2006 - Direcção da escola e órgão pedagógico começam a entender a missão e a visão da BE. - Equipa tem mais

- Inexistência de BM no concelho - Ausência de legislação que regule a estabilidade dos Auxiliares de Acção Educativa na BE

- Melhorar

continuamente a área da Gestão para que se consiga produzir um trabalho sustentado, de qualidade e adequado às necessidades do Agrupamento

Conhecimento na área
partilha a mesma perspectiva de gestão. - Perfil da equipa e nº de horas na BE integrado no RI da Escola. Gestão da Colecção - Colecção focada no desenvolvimento dos currículos, nas dinâmicas e necessidades dos utilizadores; na diversidade dos cursos e práticas estruturantes da escola. - Novo conceito de colecções composto por materiais intangíveis. - Acesso à informação torna-se mais importante do que o tipo e formato ou local físico onde as colecções estão sediadas - BE disponibiliza 8,5 documentos por aluno. O fundo documental da BE tem informação com qualidade e é adequado a grande parte dos seus utilizadores. - Recursos documentais são actualizados anualmente, a partir das necessidades dos utilizadores. - Fundo documental adaptado às exigências do currículo e a necessidades ocasionais (Área de

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira

tempo para pensar, desenhar e implementar processos de gestão - Não existe um sistema integrado de recuperação de informação nem, tão pouco, um catálogo, afectando a acessibilidade da colecção (pesquisa de prateleira). - Colecção composta essencialmente por materiais tangíveis - O fundo documental para os alunos do 3º ciclo deverá ser reforçado em número e actualidade. - A colecção não é equilibrada: - Com o novo paradigma da informação a BE deve caminhar, de forma incessante, para a constituição de colecções úteis, híbridas, adequadas e intangíveis. - Estabelecimento de protocolos que permitam o estabelecimento de empréstimos inter bibliotecas. -Donativos autárquicos - A inexistência de rede pública de leitura limita o andamento da constituição do catálogo - O envolvimento entre a BE e os hipermédia podem colocar dificuldades no limite das colecções. - Orçamentos de Estado para as escolas e os orçamento da escola para a BE são reduzidos. - Conseguir conceptualizar a colecção a partir e uma dupla perspectiva: a do bibliotecário escolar (propriedade, empréstimo e partilha de recursos) e a do utilizador (acessibilidades) - A colecção deverá ser progressivamente avaliada (uma a duas áreas temáticas por ano) de modo a percebermos se ela é realmente

Conhecimento na área
Projecto, etc).

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira
• a nível de suportes (4812 livros e 404 material não livro). • A nível de áreas temáticas (classes 6 e 3 pobres a nível de nº de exemplares quando comparadas com as restantes) - A avaliação da colecção não estava a ser avaliada da forma mais correcta. adequada, equilibrada, de qualidade e diversificada. - A BE deverá acelerar a construção do seu catálogo bibliográfico com o intuito de o colocar ao serviço dos seus utilizadores.

A BE como espaço de conhecimento e aprendizagem. Trabalho colaborativo e articulado com Departamentos e docentes.

- BE como agente de mudança intervindo no processo formativo e educacional da escola e nas aprendizagens construtivistas dos estudantes. A partir da implementação dos programas da BE, os

- A comunicação da Missão da BE junto dos órgãos pedagógicos e dos professores começa a ser entendida no Agrupamento - Planeamento estratégico concebido a partir

- Impossibilidade de abranger o trabalho de colaboração a todas as escolas/ professores/ alunos do Agrupamento. - BE ainda não se consolidou

Professor bibliotecário a tempo inteiro, com mais disponibilidade para: (i)desempenhar o seu papel de “instrutor” junto dos alunos;

Estratégias de ensino aprendizagem utilizadas por alguns professores diferem do paradigma da aprendizagem construtivista e do trabalho

- Reforçar a comunicação junto dos professores que ainda não apreenderam a Missão da BE, nem o novo paradigma educacional. - BE deverá melhorar,

Conhecimento na área
alunos deverão construir o seu próprio conhecimento, tendo bem presente que informação não é a mesma coisa que conhecimento. - BE deve ser um centro de encontro de aprendizagem activa do PEE - P.O. da BE gerado em consonância com os P.O. dos Departamentos Curriculares permitem consonância de trabalho. -A BE e uma parte crescente de professores planificam actividades curriculares e não

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira
plenamente como agente de mudança na escola. (ii)planificar e efectuar trabalho colaborativo com os professores; (iii) pensar e desenhar programas que visem o sucesso educativo dos estudantes colaborativo. diversificar e adequar às faixas etárias programas que visem a aprendizagem dos alunos - A BE deverá melhorar a articulação do seu Plano Operativo com os projectos curriculares de turma do 3º ciclo. - Reforçar o grau de intervenção da BE na planificação das aulas dos professores.

curriculares.
- PCE assume a BE como difusor de projectos a nível da promoção da leitura e literacia da informação. Formação para a leitura e para as literacias - Disponibilizar formação para os utilizadores na área da literacia da informação (skills”). BE promove habitualmente projectos de leituraa-par com o intuito de melhorar a Apesar de ter sido adoptado um modelo de literacia da informação, alguns docentes - Sociedade da Informação e do Conhecimento (nova definição de literacias) - Quando os professores não têm hábitos de leitura, nem possuem competências

-Aproveitar a estrutura montada nos projectos de leitura a par, com os encarregados de

Conhecimento na área

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira
educação, para desenvolver. projectos difusão/formação de literacia da informação com famílias e alunos. - Desenvolver actividades que promovam a leitura em ambientes digitais, tais como: leitura em e-books, estudo através de quiz com recurso ao hipertexto; melhorar os favoritos dos computadores com mais sites didácticos, etc.
- A BE deve

- Proporcionar o aprofundamento de uma cultura tecnológica dos utilizadores. - Desenvolver projectos que melhorem a competência da leitura. - Aprendizagens dos alunos centralizadas no trabalho da BE que deverá ser canalizado para as matérias curriculares e para o desenvolvimento de competências no âmbito da literacia da informação.

optam por outras estratégias criando correcção, rapidez e algum conflito nos interpretação da alunos. leitura. - A BE ainda não - BE promove conseguiu habitualmente “universalizar” a formação de importância das literacia da sessões de literacia informação com da informação a maior incidência no todos os 2º e 3º ciclo. professores. - BE difunde - A leitura digital tutoriais de está pouco Literacia. explorada pela BE

- Aposta na melhoria do nível das literacias de que o PNL é uma evidência

tecnológicas, torna--se difícil criar uma cultura tecnológica e promover a leitura. - Níveis de literacia do concelho

BE e os novos ambientes digitais.

- Portabilidade da informação - BE proporciona ambientes virtuais de aprendizagem. - Acesso à informação torna-se mais importante do que o tipo de

- BE alargou o leque de possibilidades de comunicação e criação conjunta de conhecimentos

- A BE não aproveita nem rentabiliza convenientemente os novos ambientes tecnológicos (WEB2.0, etc.) para promover recursos

- Estratégia de Lisboa e Plano Tecnológico. - Inclusão do Prof. Bibliotecário na Equipa do PTE

- Cultura de Escola: dificuldade do corpo docente acompanhar a mudança que se opera a este nível

aproveitar os equipamentos tecnológicos que estão a chegar ao Agrupamento (P.T.E) para melhorar os seus

Conhecimento na área

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira
próprios equipamentos tecnológicos - Deverá tirar-se partido do facto da professora bibliotecária fazer parte da equipa do PTE para disponibilizar bases de dados e materiais informativos em suportes diversificados, até aqui não contemplados pela BE. Os instrumentos de avaliação devidamente utilizados no contexto escolar poderão sensibilizar a direcção da escola e os colegas para a importância da BE, nem que seja através da A visão de avaliação da BE (pontos fracos são sempre potenciais pontos fortes) nem sempre é compreendida por toda a comunidade escolar. - Aumentar o procedimento de monitorização de aprendizagens dos alunos a partir das acções desencadeadas pela BE. Para isso precisamos de envolver mais professores neste

formato, ou local físico onde estão sediadas as colecções

e actividades. - A BE nunca estabeleceu parcerias com outras BE no intuito e rentabilizar bases de dados

Gestão de evidências/ avaliação.

- Recolha implacável de dados/evidências e autoanálise com o intuito de promover factores críticos e sucesso - Mostrar/comunicar o valor da BE e o impacto que esta provoca nas aprendizagens dos estudantes.

- A BE criou e utiliza instrumentos de monitorização de leitura, de aprendizagens e submete inquéritos a alunos e professores sobre as sessões que disponibiliza para recolher evidências

- Não está generalizada a monitorização de aprendizagens a todas as sessões e programas da BE. - Sistema automatizado de gestão bibliográfica ainda não está

Conhecimento na área

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira
para a sua avaliação interna. - A BE monitoriza o seu plano operativo anual e apresenta relatórios trimestrais no Conselho Pedagógico sobre a sua actividade. Estes relatórios são elaborados e reflectidos pela equipa. - A BE avalia-se anualmente através do Modelo de Auto-avaliação e Base de Dados da RBE. O resultado desta avaliação é analisado no Conselho Pedagógico, que emite um parecer, e posteriormente esta informação é discutida nos Departamentos Curriculares. operacional o que leva a BE a gastar muito tempo na recolha e sistematização de informação relativa à Gestão. demonstração do real trabalho pedagógico, para além de outras dimensões, que é feito na BE. procedimento. - Comunicar e fazer entender à comunidade escolar a visão da BE sobre avaliação

- A partir da “prática associada na evidência” torna-se mais fácil associar à BE duas palavras importantes: credibilidade e visibilidade
- Os resultados da BE poderão ser úteis para angariar

meios económicos, dentro e fora da escola que lhe permita comprar e modernizar equipamentos e fontes de

Conhecimento na área
- O relatório da Auto-avaliação da BE é integrado na avaliação do Agrupamento

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira informação

Gestão da mudança SÍNTESE BE de qualidade: - Professor bibliotecário qualificado com intervenção nas aprendizagens dos alunos. - Professor bibliotecário encara a gestão e a organização da BE de forma estratégica. -BE suporta os currículos fornecendo materiais intangíveis, úteis, actualizados e adequados à sua comunidade de

Factores de sucesso A nossa BE conseguiu integrar-se no Agrupamento estando contemplada em todos os seus documentos centrais. Esta institucionalização cada vez mais forte permite-lhe trabalhar com professores e alunos em prole do sucesso escolar. Os programas disponibilizados pela BE a nível da literacia da informação começam a ser entendidos e aceites, pelo que esta é uma área em expansão. A nível da Gestão, a nossa BE tem rotinas de planificação (estratégica e operativa), de monitorização e avaliação de serviços e programas de aprendizagens. A Candidatura de Mérito na área do Planeamento e Monitorização da gestão foi uma mais-valia porque nos abriu caminhos e esclareceu-nos dúvidas. No entanto a área da Gestão

Obstáculos a vencer Um dos grandes pontos fracos da nossa BE relaciona-se com o deficiente aproveitamento que esta faz dos novos ambientes digitais para promover e difundir actividades e recursos de informação. Percebemos que estes ambientes têm grandes potencialidades, por isso este tem de ser um ponto prioritário de intervenção. Neste momento, graças ao PTE, a BE já possui mais equipamento informático, no entanto, ainda o consideramos insuficiente. O catálogo automatizado da BE deverá ser outro aspecto a merecer muita atenção. Sem ele a BE não é uma autêntica biblioteca e os seus utilizadores não poderão fazer uma verdadeira recuperação

Acções prioritárias

- Incluir na proposta de formação da escola para docentes, formação sobre “literacia da informação e digital”.
- Formação de parte da equipa na área dos novos ambientes digitais. -Conseguir mais equipamento informático para a BE. - Aproveitar as potencialidades do PTE para fortalecer a BE a nível de recursos e informação. - Construção do catálogo e sua automatização. - Continuar a articular o Plano operativo da BE com os PA dos departamentos e projectos curriculares de turma, não esquecendo as metas da escola.

Conhecimento na área
continuará a merecer especial atenção por parte da equipa e da professora bibliotecária em particular. O Agrupamento reconhece na professora bibliotecária grande capacidade de liderança e excelentes capacidades para melhorar a qualidade do trabalho escolar e as competências de aprendizagem dos alunos (dados retirados do inquérito por questionário da Auto Avaliação). Estas características devem continuar a ser aproveitadas para que a BE possa atingir as suas metas e avance cada vez mais no sentido da eficácia dos serviços que presta e dos programas que disponibiliza. Finalmente acrescento que os pontos fracos, longe de desmotivar a nossa Equipa, serão vistos por ela como potenciais pontos fortes. Quero com isto dizer que a equipa estará motivada para os superar transformando-os em metas, que seguramente serão atingidas com trabalho e perseverança.

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas de Vidigueira

utilizadores. - Desenvolve programas de desenvolvimento e promoção da leitura. - Contribui para a integração das novas tecnologias no processo de ensino/aprendizagem.

da informação. Finalmente, apesar de os nossos utilizadores estarem satisfeitos com a colecção da BE (evidências retiradas dos inquéritos por questionário da Auto Avaliação), temos a noção que ela está desequilibrada a nível de suportes e áreas temáticas. Para podermos intervir, pensamos que ela deverá ser alvo de uma avaliação criteriosa, ao longo dos próximos 4 anos.

- Avaliar a colecção da BE ao longo dos próximos 4 anos. - Elaborar a planificação estratégica da BE para os próximos 4 anos contemplando quatro áreas essenciais: (i) desenvolvimento de programas de promoção das literacias (da leitura e de informação); (ii) trabalho colaborativo da BE com todos os actores e órgãos do Agrupamento, (iii) melhorar continuamente a área da Gestão para que se consiga produzir um trabalho sustentado, de qualidade e adequado às necessidades do Agrupamento; (iiii) gerir a colecção de modo mais adequado ao perfil dos utilizadores e melhorar a sua qualidade.