You are on page 1of 6

O aparecimento da Internet

Quando Leonard Kleinrock, da Universidade da Califórnia, um dos “pais” da internet, desenvolveu em 1969 uma tecnologia que permitia que dois computadores se ligassem e “falassem” um com o outro, nunca pensou que este seria o ponto de partida para o aparecimento da Internet. Tão pouco imaginou que esta atingisse as proporções que actualmente possui, pois através de uma simples ligação entre dois computadores percebeu-se afinal que ali poderia estar a interacção entre pessoas de todos os cantos do mundo. Desta forma, a Internet tinha um impacto imensurável na nossa sociedade, sobre todos os aspectos, e também uma faceta comunitária muito poderosa. O que Kleinrock esperava da sua tecnologia era somente a interacção entre computadores e a interacção entre pessoas e computadores, no entanto, viria a descobrir depois que isso foi o ponto de partida para o que nós temos hoje – a Internet - recheada de aplicações muito apelativas, de simples utilização e de enorme interactividade. De modo a termos uma noção sucinta de como tudo se passou, até chegarmos à internet dos nossos dias, temos que recuar a 1961, quando Kleinrock focaliza a sua teoria sobre comutação por pacotes, na qual os dados num sistema de comunicação teriam que ser partidos em pequenos blocos para que estes pudessem circular na rede1. No ano seguinte, o psicólogo J.C.R. Licklider desenvolve dois documentos onde descreve a simbiose que poderia existir entre o Homem e o computador no futuro, antevendo uma grande interacção entre ambos. É considerado o visionário da internet. Em 1966, é criado o primeiro plano da ARPANet, Advanced Research Projects Agency Network, do departamento de defesa dos Estados Unidos, cujo objectivo consistia numa rede operacional de computadores à base de comutação por pacotes, sendo o precursor do que hoje chamamos de internet. Também se poderá dizer que a ARPANet actualmente temos.
1

foi a mãe da internet que

Breve cronologia da fundação da internet, disponível em: http://sic.sapo.pt/online/noticias/vida/especiais/40anosinternet/Breve+cronologia+da+fundacao+da+In ternet.html

Em 1969, Leonard Kleinrock coloca pela primeira vez dois computadores a comunicarem entre si, sendo esta experiência bem sucedida com quatro nós ligados em rede. Passados dois anos foi criado o e-mail, por Ray Tomlinson, que consistia num programa extremamente simples, destinado a enviar mensagens entre pessoas ligadas à mesma rede, que naquela altura era muito pequena. Em 1973, Vint Cerf e Bob Kahn criam o principal protocolo da rede, o TCP/IP2, que é uma suite de protocolos. O TCP/IP representa, de certa maneira, o conjunto das regras de comunicação na internet e tem por base a noção de endereçamento IP.O conjunto de protocolos que o compõem, permite, através da atribuição de papeis diferentes a camadas diferentes do processo de comunicação, a troca de pacotes de dados entre nós. Em 1974, é usado pela primeira vez o termo internet, sendo uma alavanca que impulsionou a expansão da internet, a qual vai ganhando uma nova dimensão, sendo lenta numa primeira fase, mas no decorrer da década de 80 expande-se enormemente. No início da década de 90, acontece a grande explosão da internet, quando Tim Berners-Lee, no CERN3, pensa e cria a World Wide Web com o intuito de que a rede das redes chegue a todo o mundo, mais precisamente a todos os que possuem um computador ligado à internet. Hoje, podemos afirmar que a internet é o que move a sociedade de informação do nosso século, pois já conseguiu mudar os nossos

comportamentos e atitudes, tendo um maior impacto nos nossos jovens, dado que estes são incapazes de conceber o tempo onde não era possível partilhar fotos na internet, falar com amigos, fazer compras pela Web, jogar online e tantas outras coisas que, consideradas banais, nem damos conta que são cruciais para o nosso quotidiano.

Transmission Control Protocol / Internet Protocol – Protocolo de Controle de Transmissão / Protocolo de Interconexão, disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/TCP/IP 3 Tim Berners-Lee – Inventor da World Wide Web no CERN (Organização Europeia para a Investigação Nuclear)

2

Internet em Portugal
Em Portugal a internet dá os seus primeiros passos na década de 90, sendo que até 19944 os utilizadores regulares da internet eram apenas algumas centenas de pessoas que faziam parte da comunidade científica e académica, pois por um lado, ainda não haviam empresas privadas que fornecessem internet aos cidadãos e, por outro lado o cidadão comum também não fazia ideia de que os computadores se podiam ligar em rede e que era possível interagir no próprio instante com uma pessoa do outro lado do mundo. A partir de 1995 assiste-se a um enorme crescimento da internet em Portugal, o qual é acompanhado de uma notável visibilidade social, nomeadamente com o aparecimento de sites de alguns órgãos de comunicação social como por exemplo, o Jornal de Notícias, o Público, a Rádio Comercial e a TVI. A internet viria a alargar-se na segunda metade da década de 90 e inicio do século XXI, através das universidades e centros de investigação e desenvolvimento. Posteriormente, apareceram os diversos ISP’s, denominados operadores de serviço de acesso à internet, o que fez com que empresas, organismos públicos e utilizadores individuais pudessem também aceder à internet. A partir de 1999, há uma grande mudança, pois devido à liberalização do mercado das telecomunicações, passou a existir uma maior oferta de operadores de serviço de acesso à internet, possibilitando o acesso de todos à internet, que até então era muito dispendioso. Nesta altura o acesso deixa de ser feito apenas via modem, sendo possível também fazer-se via cabo ou ADSL. A partir do ano 2000 a maioria dos acessos é disponibilizada de uma forma pública por operadores de telecomunicações de grande dimensão nacional e internacional.

4

Estudo disponibilizado em: http://www.eq.uc.pt/~jorge/aulas/internet/ti5-netpt.html

Para termos uma ideia do crescimento da internet no nosso país, no final de 19965 existiam somente 40 mil utilizadores da internet, sendo que a faixa etária que mais utilizava a internet era a de 25-34 anos, com 46%, seguida da de 18-24 anos com 23%. Já em 1998, existiam cerca de 1,1 milhão de pessoas com computador, sendo que 11% dessas pessoas tinham computador em suas casas para uso doméstico. Outro dado relevante é que o número de utilizadores de internet ascendeu para 100 mil, sendo que cerca de metade navegavam na internet a partir de suas casas. Em 2000, cerca de 53% dos cidadãos utilizavam computador e 23% tinham acesso à internet, sendo que no inicio do segundo semestre estimavase a existência de 1,3 milhões de utilizadores da internet. Em 2002 o número de utilizadores da internet já era de 4,4 milhões, sendo assim mais 48% do que no mesmo período em 2001. Apesar de a televisão ser o meio de comunicação social com mais utilizadores diários, 96% em 2008 face aos 94% em 2006, verifica-se que o uso da internet está a aumentar consideravelmente. No que respeita ao ano de 2008, 70% dos cidadãos portugueses já acedia à internet, contrastando com 52% em 2006, dados que revelam que os portugueses estão a tornar-se muito dependentes deste meio. Prevê-se ainda que em 2010 a internet ultrapasse a televisão, sendo o meio de comunicação mais utilizado pelos portugueses.

World Wide Web (WWW)
A World Wide Web é uma gigantesca rede de milhões de computadores, a qual permite o acesso a textos, gráficos, sons e imagens. Desenvolvida em 1989, no Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), em Genebra, por Tim Berners-Lee, a World Wide Web tinha como
5

Estatísticas retiradas de um estudo disponibilizado em: http://www.eq.uc.pt/~jorge/aulas/internet/ti5artigo1.html

objectivo inicial criar uma plataforma de acesso uniformizado a documentos, os quais estavam disponíveis na Internet a partir de qualquer equipamento informático. O primeiro website - http://info.cern.ch/ do CERN - foi criado em 6 de Agosto de 1991 e explicava os conceitos básicos de hipertexto e o modo como aplicar esses conceitos na internet. Ao longo daquele ano, espalharam-se diversos servidores Web pela Europa. Em Dezembro de 1991, foi instalado o primeiro servidor Web fora do velho continente. Em Novembro de 1992, havia 26 servidores no mundo. Em Outubro de 1993, eram mais de 200. Hoje, estimam-se em mais de 80 milhões. Para termos uma ideia mais concreta de como foi a ascensão da Web, basta referir que em 1993 não havia mais do que uma meia centena de sites WWW, o que demonstra a enorme vitalidade com que a Web cresceu, pois em 1995 contavam-se 35.000 e hoje são milhões. Actualmente, biliões de pessoas no mundo inteiro acedem à Internet regularmente. Mediante tudo isto, podemos afirmar que o senso comum nos leva a pensar que a World Wide Web, coloquialmente denominada de Internet, é algo de extraordinário pela informação que fornece, de forma simples e rápida. Contudo, os “experts” na matéria, com certeza, que não vêem simplicidade nesta ferramenta, pois esta encerra em si a “complexidade”, “lógica”, “programação”... A Web é, actualmente, um dos instrumentos ou meios interactivos mais utilizados por todas as pessoas no mundo, pois é a partir dela que procuramos informação. Daí, vulgarmente se dizer que vivemos numa “sociedade de informação”. Convém, no entanto, realçar que “sociedade de informação” não poder ser confundida com “sociedade de conhecimento”, pois podemos estar informados relativamente a um assunto e, todavia, não termos um conhecimento aprofundado acerca do mesmo. Para ir ao encontro dos nossos pedidos aquando de uma pesquisa, sejam eles os mais complexos ou os mais básicos, a World Wide Web necessita de converter as nossas palavras-chave numa linguagem

computacional.

Deste modo, este tipo de interacção tem como principal objectivo o bom funcionamento e disponibilidade de recursos, os quais permitem que tudo o que pesquisamos seja facultado de um modo muito simples e rápido. Segundo, Tim Berners-Lee, “é necessário defender a liberdade de expressão
na internet, pois tem que se garantir que a Web continue a ser uma plataforma universal, independentemente de qualquer equipamento, hardware específico, plataforma de software, língua, cultura ou deficiência.”6 Quer isto dizer que apesar

de estarmos a caminhar para uma internet onde cada um de nós poderá fazer o que quiser e da forma que bem entender, não nos podemos esquecer que só assegurando as suas bases e o objectivo para a qual foi criada é que continuaremos a ter uma Web capaz de servir a todos sem qualquer restrições, continuando assim a ser para todos.

6

Declarações feitas por Tim Berners-Lee acerca do futuro da internet, disponível em: http://www.vooz.com.br/blogs/tim-berners-lee-criador-da-www-defende-liberdade-de-expressao-nainternet-20327.html