A Engenharia Econômica e de Custos na Incorporação de Equipamentos Médico-Hospitalares.

Lúcio Costa de Brito1, Saide Jorge Calil2
Membro do IEEE Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) 2 Professor Doutor da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Departamento de Engenharia Biomédica (DEB) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Brasil, 13084-971, Campinas, SP Fone: +55 19 3788 9286, Fax: +55 19 3289 3346 brito@ieee.org, calil@ceb.unicamp.br
1

Resumo - O entendimento e a aplicação dos princípios econômicos à engenharia nunca foi tão importante. A engenharia é mais do que a solução de um problema focado no desenvolvimento de produtos, sistemas e processos para satisfazer uma necessidade ou demanda. Além do desempenho e função os equipamentos devem ser viáveis economicamente. Os projetos de incorporação desses equipamentos quando executados sem nenhuma metodologia são, em geral, super estimados, não seguem os cronogramas de execução física/financeira e não realizam as atividades que deveriam executar. Para otimizar os programas de gerenciamento de equipamentos médicos, os engenheiros clínicos devem estar dispostos a assumir responsabilidades de planejamento e gerenciamento desses equipamentos em todas as áreas relacionadas do hospital, devendo também desenvolver políticas e procedimentos para estes programas. Fazendo uso da documentação de desempenho e custos de manutenção juntamente com os conhecimentos das práticas clínicas devem determinar a melhor época e processo para planejar a substituição de um equipamento. Nesse contexto, os engenheiros clínicos freqüentemente deparam-se com a responsabilidade de planejar e executar novas instalações, comprar, manter em operação, ou especificar a substituição de equipamentos em estabelecimentos assistenciais de saúde e para executar cada uma dessas funções ele deve não apenas avaliar o valor tecnológico, no ponto de vista da importância, do equipamento, mas também o seu custo. Tendo primeiramente decidido entre uma série de componentes alternativos no qual especificam os requisitos do sistema, o engenheiro deve então acrescentar os custos, realizar comparações e avaliações tecnológicas desses equipamentos. O controle de custos deve representar um dos mais importantes aspectos do departamento de engenharia clínica e o objetivo geral desse trabalho é fornecer, através da engenharia econômica e de custos, metodologias e ferramentas analíticas necessárias para que o engenheiro clínico possa tomar decisões na incorporação e na substituição de equipamentos. Através de formulários de apuração de custos o engenheiro clínico coleta os elementos de custos relacionados ao ciclo de vida do equipamento, ou seja, desde a aquisição até a sua desativação. Utilizando o método do valor presente e da taxa interna de retorno obterá a melhor rentabilidade de investimento para o Estabelecimento Assistencial de Saúde – EAS. Palavras-chave: Engenharia Econômica, Custos, Incorporação de Equipamentos Médicos.