You are on page 1of 4

BUSCA RÁPIDA

Buscar

 NOTÍCIAS
 MULHER
 HOMEM
 CRIANÇA
 CLÍNICA GERAL
 VÍDEOS
 DRAUZIO ENTREVISTA
 .DOC
 DICAS DE SAÚDE
 ESTAÇÃO MEDICINA
 RÁDIO
 INFOGRÁFICO
 ARTIGOS
 LIVROS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 Oito fatos sobre ELA
 Proibida comercialização de […]
 SBI faz alerta sobre Ebola
 VENCER O CÂNCER
 CORAÇÃO ALERTA
 NUTRIÇÃO
 CORPO HUMANO
 TABAGISMO
 OBESIDADE
 SEXUALIDADE
 RESPIRAR
 AVISO AOS VIAJANTES
 VÍRUS E BACTÉRIAS
 LABORATÓRIO
CLÍNICA GERAL
VOLTAR
DOENÇAS E SINTOMAS
ÁCIDO ÚRICO / HIPERURICEMIA
 A+a-
 Imprimir
O ácido úrico está entre as substâncias naturalmente
produzidas pelo organismo. Ele surge como resultado da
quebra das moléculas de purina – proteína contida em
muitos alimentos – por ação de uma enzima chamada
xantina oxidase. Depois de utilizadas, as purinas são
degradadas e transformadas em ácido úrico. Parte dele
permanece no sangue e o restante é eliminado pelos rins.
Os níveis de ácido úrico no sangue podem subir 1) porque
sua produção aumentou muito, 2) porque a pessoa está
eliminando pouco pela urina, 3) por interferência do uso de
certos medicamentos.
Como consequência dessa taxa de ácido úrico elevada
(hiperuricemia), formam-se pequenos cristais de urato de
sódio semelhantes a agulhinhas, que se depositam em
vários locais do corpo, de preferência nas articulações, mas
também nos rins, sob a pele ou em qualquer outra região
do corpo.
Estudos recentes realizados no Instituto do Coração de
São Paulo mostram que níveis elevados de ácido úrico no
sangue aumentam o risco de desenvolver acidentes
cardiovasculares.
Sintomas
O depósito dos cristais de urato nas articulações, em geral,
provoca surtos dolorosos de artrite aguda secundária,
especialmente nos membros inferiores (joelhos, tornozelos,
calcanhares, dedos do pé), mas pode comprometer
qualquer articulação. Nem todas as pessoas com
hiperuricemia desenvolverão gota, um tipo de artrite
secundária, de caráter genético e hereditário, que acomete
mais os homens adultos.
Nos rins, a hiperuricemia é responsável pela formação de
cálculos renais (litíase renal) e insuficiência renal aguda ou
crônica (nefropatia úrica).
Diagnóstico
O diagnóstico de certeza é dado por um exame que mede
a concentração de ácido úrico no sangue e exige oito horas
de jejum para ser realizado.
Tratamento e prevenção
Portadores desse distúrbio metabólico devem evitar o
estresse físico, o uso de diuréticos e de anti-inflamatórios,
assim como devem evitar a ingestão excessiva de
alimentos e bebidas ricos em purina (carne vermelha, frutos
do mar, peixes, como sardinha e salmão, e miúdos).
Como leite e derivados parecem melhorar a eliminação do
ácido úrico, devem ser incluídos na dieta que, acima de
tudo, precisa ser saudável e favorecer o controle da
obesidade e da hipertensão.
Além da alimentação pouco calórica, quando necessário,
podem ser indicados medicamentos para inibir a produção
de ácido úrico (alopurinol) ou para aumentar sua excreção
(probenecide e sulfinpirazona). Algumas pessoas precisam
dos dois tipos porque têm excesso de produção e
dificuldade de excreção dessa substância.
Recomendações
* Beba bastante água para ajudar o organismo a eliminar o
ácido úrico;
* Prefira os alimentos não industrializados; adote uma dieta
saudável, rica em frutas, verduras, leite e derivados;
* Evite o consumo de bebidas alcoólicas, especialmente de
cerveja que é rica em purina;
* Não se automedique. Consulte um médico para orientar o
tratamento e peça ajuda ao nutricionista para eleger uma
dieta que ajude a controlar a taxa de ácido úrico e a manter
o peso em níveis adequados.