O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão

)
Breve introdução “Self-evaluation is valuable. It may seem initially demanding, perhaps even threatening, but it is also enlightening, invigorating and a very potent catalyst for change and development.” Elspeth Scott De facto, com a aplicação do modelo pretende-se igualmente estabelecer padrões de funcionamento que consolidem o trabalho substantivo que a biblioteca escolar deve desenvolver em áreas consideradas fulcrais para o seu sucesso e efectiva integração pedagógica na escola. Desta forma, o Modelo de Auto-Avaliação das BE proposto pela RBE importa a inclusão da BE na informação prestada às equipas de avaliação externa, tendo em vista a sua valorização, desenvolvimento e melhoria, é fundamental. O quadro abaixo permite o cruzar dos domínios/subdomínios da Autoavaliação da BE com os do quadro de referência para a avaliação de Escolas e Agrupamentos. Quadro de referência para a avaliação de Escolas e Agrupamentos 1. Resultados
1.1 – Sucesso académico 1.2 -Participação cívico 1.3 - Comportamento e disciplina e desenvolvimento

Auto – avaliação da BE A. Apoio ao Desenvolvimento

Curricular
A.1 Articulação Curricular da BE com as Estruturas de Coordenação Educativa e Supervisão Pedagógica e os Docentes das A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital

1.4 -

Valorização

e

impacto

aprendizagens

2. Prestação de serviço educativo
2.1 Articulação e sequencialidade 2.2 Acompanhamento da prática lectiva em sala de aula 2.3 Diferenciação e apoios 2.4 Abrangência valorização aprendizagem do dos currículo saberes e e da

A. Apoio

ao

Desenvolvimento

Curricular
A.1 Articulação Curricular da BE com as Estruturas de Coordenação Educativa e Supervisão Pedagógica e os Docentes A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital

B. Leitura e Literacia

Formanda: Aurora Viana

1

O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão)
B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento B.2 Integração da BE nas estratégias e programas de leitura ao nível da escola agrupamento B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia

3. Organização e gestão escolar
3.1 Concepção, planeamento e desenvolvimento cívico 3.2 Gestão dos recursos humanos 3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros 3.4 Participação dos pais e outros elementos da comunidade educativa 3.5 Equidade e justiça

D. Gestão da Biblioteca Escolar
D.1 Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D.3 Gestão da colecção/da informação

4. Liderança
4.1 Visão e estratégia 4.2 Motivação e empenho 4.3 Abertura à inovação Parcerias, protocolos e projectos

B. Projectos, Actividades

Parcerias Livres e

e de

Abertura à Comunidade
C.1 Apoio a actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular C.2 Projectos e parcerias

5. Capacidade de auto-regulação D. Gestão da Biblioteca Escolar e melhoria da escola
5.1 Auto-avaliação 5.2 Sustentabilidade do progresso D.1 Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE D.1.4 Avaliação da BE na escola/agrupamento D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D.3 Gestão da colecção/da informação

Formanda: Aurora Viana

2

O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão)

Conclusão O modelo de Auto-avaliação da BE nos seus domínios interage de forma plena nos propostos da IGE, do texto de apresentação do Modelo de Autoavaliação da BE, temos em referencia “Esta análise, sendo igualmente um princípio de boa gestão e um instrumento indispensável num plano de desenvolvimento, permite contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE, permite determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a BE estão ou não a ser alcançados, permite identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar e permite identificar pontos fracos que importa melhorar. A auto-avaliação da biblioteca deve ainda ser incorporada no processo de auto-avaliação da própria escola, dada a sua relação estreita com sua missão e objectivos.”

Formanda: Aurora Viana

3

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful