You are on page 1of 1

14

Processos morfológicos de formação de palavras
3
A derivação parassintética é diferente da situação em que os processos de prefixação e sufixação
não são simultâneos: a palavra desfavorecer, por exemplo, formou-se por prefixação a partir de favore-
cer (des-+favorecer) e esta, por sua vez, formou-se por sufixação a partir da base favor (favor+-ecer).
Gramática tradicional Dicionário Terminológico
derivação
processo de formação de palavras que pode implicar a adição de consti-
tuintes morfológicos a uma forma de base (prefixação, sufixação, prefixa-
ção e sufixação, parassíntese) ou não (conversão, derivação não afixal)
• por afixação – com adição de constituintes morfológicos:
prefixação – adição de um prefixo a uma forma de base
[des]tapar, [in]feliz, [re]encher
sufixação – adição de um sufixo a uma forma de base
amor[oso], feliz[mente], papel[ada]
parassíntese
3
– adição simultânea de um prefixo e de um sufixo a
uma forma de base
[a]joelh(o)[ar], [a]padrinh(o)[ar], [en]tard(e)[ecer]
• sem adição de constituintes morfológicos:
derivação imprópria
derivação regressiva
conversão – processo de alteração da
categoria gramatical de uma palavra
cuja forma se mantém
olhar V →olhar N
comer V →comer N
derivação não afixal – processo de for-
mação de palavras em que um nome
se forma a partir do radical verbal
troc- > troca N, troco N
abraç- > abraço N
fixação,
são, derivação
tes morfológicos:
uma forma de base
o a ummmma a formmmma d a d a d a de baseee
[ada ada ad ad ]]]]
ultân ne ne nea d a d a d a de u e u e u e um p m p m m refixo ooo e e e e de de de de um ummm su su su su
h(o)[a [a [a [ar] r], [en [en [en [en]tard(e)[ [[[ece ece ece ecer] r] r] r]
tttitu itu itu ituint int int intes es es es mor mor mor morfo fo fol fológi ógi ógi ógicos cos cos cos::::
essiva
conver ver ver versão ão ão ão – –– pr pr pro pr
cat ccc ego ego ego egoria ria ria ria ggr gr graam am am
cuj cujjja f a f a f a form orm orm orma s a s a sse
olh olh olh olhaar V V V V →→→→
com om om omer er er er V V V V
derivaç
maçã
se sss f
tttt
15 O que há de novo na gramática?
Gramática tradicional Dicionário Terminológico
composição
processo de formação de palavras em
que se juntam dois ou mais radicais ou
palavras
• aglutinação: junção, num só vocábulo,
com significado independente, de
duas ou mais palavras distintas (estas
subordinam-se a um único acento
tónico e perdem integridade silábica)
aguardente, pernalta, varapau, cor-
rimão
• justaposição: junção, num só vocá-
bulo, com significado independente,
de duas ou mais palavras distintas
(estas mantêm a sua integridade
fonética)
segunda-feira, abre-latas, madressilva,
girassol, amor-perfeito, arco-da-velha
processo de formação de palavras em
que se juntam duas formas de base
(dois radicais; um radical e uma pala-
vra; duas ou mais palavras)
• composição morfológica: processo
de formação de palavras em que se
junta um radical a outro ou a uma ou
mais palavras (entre radicais, geral-
mente ocorre uma vogal de ligação)
agricultura = agr- + -i- + cultura
psicologia = psic- + -o- + -logia
agroindustrial = agro- + industrial
anti-histamínico = anti- + histamínico
• composição morfossintática
4
: pro-
cesso de formação de palavras em
que se juntam duas ou mais palavras
surdo-mudo, guarda-chuva, Via Láctea,
trabalhador-estudante, peixe-espada,
abre-latas
4
Não é consensual a classificação de palavras como fidalgo, vinagre, corrimão ou aguardente. Há
quem considere que se trata de palavras simples, porque a sua estrutura interna já não é transparente,
tendo sofrido um processo de lexicalização semântica. Desta forma, a análise morfológica destes
casos será pouco produtiva. Por outro lado, há quem afirme que estas palavras são complexas, forma-
das por composição morfossintática, considerando-se que são formadas por outras palavras (exem-
plo: fidalgo = filho de algo).
Também não é consensual a classificação de situações como bicho-de-conta ou fim de semana (for-
mados por nome+preposição+nome) e cara-pálida ou amor-perfeito (constituídos por nome+adjetivo).
Há especialistas que as consideram compostos morfossintáticos, pois os seus constituintes têm existência
autónoma e independente no léxico. No entanto, outros consideram-nas expressões sintáticas lexicaliza-
das, na medida em que, em termos formais e semânticos, se comportam como palavras simples.
cá-
ente, ,,,
tintas
gridad ad ad ade
mad mad mad madres res re re ssi si silva aaa,
co-d o-d -d da-v a-v a-v a-velh lh lh lha
untam
adicais; um r
uas ou mais palavr vr vr vraa
• comp omp omp m osi si si sição ção ção ção mm
de e for for for formaç maç maç mação ão ãoo
jun un un unta ta ta um um um umra ra ra ra
mai ma ma ma s ppppala al al al
men men men mentte te te oooo
agr agr agr agricu cu cu cu
psico
ag
a
ficaçã