You are on page 1of 16

2009/2010

AVEA – Fafe
Workshop

Modelo de Auto-avaliação da BE/CRE

Ricardo Lemos

13/11/2009

Modelo de Auto-avaliação

 

Participantes: Membros do Conselho Pedagógico Objectivos:  Conhecer o Modelo de Auto-avaliação da BE/CRE  Reflectir sobre vantagens e desvantagens do modelo  Reflectir sobre os impactos da aplicação do modelo Calendarização: 13 de Novembro de 2009


Local: Biblioteca
Duração:  Teórico 45 min  Prático 45 min

A avaliação é um instrumento de melhoria de qualidade

Deve servir de planeamento de acções futuras

Avaliação

Deve identificar pontos fortes e pontos fracos

Mudança

Metas a atingir

Tomar conhecimento do Modelo de Auto-avaliação das BE’s

Reflectir sobre os impactos da aplicação deste modelo

Conhecer os conceitos implicados na sua construção

Integrar/aplicar à realidade da escola/biblioteca escolar

Avaliar para quê?

  

Melhorar a qualidade da BE Implementarmos acções de melhoria Melhorar os resultados do Agrupamento


 

Afirmação e o reconhecimento da BE
Melhorar a articulação com os departamentos Identificar o que correu menos bem

Organização Estrutural do Modelo

Organiza-se em 4 domínios

A - Apoio ao desenvolvimento curricular

Articulação entre professores e BE/CRE com vista ao sucesso na aprendizagem dos alunos Desenvolvimento da literacia da informação

B - Leitura e Literacia

Promover e desenvolver as leituras e as literacias

Organização Estrutural do Modelo

C - Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade escolar

Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular
Projectos e parcerias

D - Gestão da BE

Articulação da BE com a Escola/Agrupamento Condições humanas e materiais para a prestação de serviços Gestão da colecção/informação

Organização Estrutural do Modelo
Cada domínio/subdomínio inclui:  Indicadores 4 Perfis de desempenho: escala em 4 níveis

A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.
A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos. A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.

 Factores críticos de sucesso

3

 Recolha de evidências

2

 acções para a melhoria

1

Como Avaliar?

Estabelecer prioridades – não se pode medir tudo Identificar as evidências mais significativas Articular elementos quantitativos e qualitativos Informação específica Gerir e recolher informação

Aplicação do Modelo

Professores Bibliotecários

 

Estratégias e metodologias de sensibilização Diálogo com os vários departamentos e professores


A comunicação constante com o órgão directivo
Apresentação e discussão do processo no Conselho Pedagógico

Proposta de Aplicação/Integração

Oportunidades e Constrangimentos

Ano Lectivo
2009/2010 2010/2011 2011/2012

Domínios
A - Apoio ao desenvolvimento curricular D - Gestão da BE C - Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade escolar B - Leitura e Literacia

2012/2013

Implementação

Aplicação do Modelo

Questionários Professores/Alunos

Recolha de evidências

Análise de dados

Relatório

Plano de melhoria

Divulgação

Quando avaliar?
Num ciclo de 4 anos

Cada ano avalia-se um domínio diferente

No final dos 4 anos está avaliada na globalidade

Trabalho Prático

1ªParte

Documento em análise (Modelo de auto-avaliação da RBE) Impactos pretendidos e constrangimentos

2ªparte Apresentação do trabalho  Debate e discussão  Elaboração de uma proposta consensual comum

Referências Bibliográficas

Gabinete da RBE, Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares, Nov. 2009

Textos da sessão

FIM

Obrigado pela colaboração…