You are on page 1of 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

!

1 MÊS!
1 MÊS!
••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• ! 1 MÊS! … em 1 HORA Informativos Resumidos •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••! Página ECONOMIZE TEMPO 1 de
… em 1 HORA
… em 1 HORA
Informativos Resumidos •••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••! Página ECONOMIZE TEMPO 1 de 20 DECISÕES MAIS IMPORTANTES DO STF E STJ
Informativos Resumidos
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!
Página
ECONOMIZE TEMPO
1
de
20
DECISÕES MAIS IMPORTANTES DO STF E STJ
www.informativosresumidos.com.br

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

Apresentação

Apresentação

 

GERSON ARAGÃO E JOSÉ JAIME

Como estudar todos os informativos de 1 MÊS dos Informativos do STF e STJ em apenas 1 hora? !

Você acha isso possível?!

Saiba que nós temos a solução e vamos explicar como:!

Todos nós sabemos que é muito difícil e leva muito tempo ler todas as decisões do STF e STJ.!

Isso ocorre por dois motivos: !

1º- A linguagem dos Tribunais Superiores é complicada; e !

2º- A quantidade grande.!

de decisões é muito

E como resolvemos isso para você? !

Nós fazemos o seguinte: !

1º- Explicamos as melhores técnicas de leitura, análise e sistematização dos informativos.!

2º- Selecionamos as decisões e os trechos mais importantes com base nessas técnicas e nossa experiência de aprovação em concursos de juiz e defensor. !

Dessa forma conseguimos reduzir o texto produzido pelo STF/STJ, em apenas +/- 10% do conteúdo oficial, com extrema qualidade. Ou seja, você vai ler o que realmente cai em concurso.

E quem produz este trabalho? !

São especialistas e aprovados em concursos com experiência no estudo dos informativos há mais de 10 anos.!

••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• Apresentação GERSON ARAGÃO E JOSÉ JAIME Como estudar todos os informativos de 1 MÊS doswww.informativosresumidos.com.br " id="pdf-obj-1-68" src="pdf-obj-1-68.jpg">

Gerson Aragão Silva Figueiredo !

Especialista em Direito Constitucional e Processo Penal. Aprovado para Defensor Público na Bahia em 2010 e Sergipe em 2013.!

!

José Jaime de Andrade Neto!

Especialista em Processo Civil pela Escola da Magistratura. Aprovado para Juiz em Sergipe, Defensor Público na Bahia e Analista do TRE.

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

Como Estudar em 1h?
 

Como Estudar em 1h?

1 MÊS EM ! 1 HORA

COMO ESTUDAR ESTUDAR 1 MÊS DE INFORMATIVOS EM 1 HORA?

EXEMPLO DO CLIPPING DJ: ”O fato de o servidor público estar preso preventivamente não legitima

a Administração a proceder a

Para estudar os informativos do STF e STJ de forma simples, rápida

descontos em seus proventos”.

e com alto poder de entendimento,

Viu como é mais simples?

você precisa saber de uma técnica

e não cometer o maior erro que a maioria dos concurseiros.

Só com essa técnica você vai começar a ler mais rápido e compreender melhor os

Isso faz parte de um sistema que, se colocado em prática aumentará

informativos do STF.

sua produtividade nos estudos dos

O MAIOR ERRO AO ESTUDAR

informativos em 2 vezes e reduzirá

seu tempo de estudos.

O maior erro de quem estuda os informativos é querer ler tudo.

A MELHOR TÉCNICA DE ESTUDO

 
 

Você não pode cometer esse erro

A melhor técnica para ler os informativos do STF é começar pelo Clipping DJ.

por um simples motivo: "nem tudo importa para concursos”.

 

Muita gente nem lê o clipping, quando na verdade é por lá que se deveria começar.

E agora você pode me perguntar: e como saber o que deve ser lido ou não?

 

E eu explico: é no Clipping DJ que está o conteúdo dos informativos

Ei vou te dar um exemplo: você não precisa ler as decisões que estão iniciando. É uma perda de tempo.

anteriores de forma mais prática, direta e fácil de entender.

Veja abaixo um exemplo de como é esse tipo de decisão:

Veja isso prática!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

Ex: … A 1ª Turma iniciou julgamento de mandado de segurança em que se discute… !
Ex: … A 1ª Turma iniciou
julgamento de mandado de
segurança em que se discute…
!
Perceba então que não há
relevância esse conteúdo, pois não
são cobrados em concursos
decisões não concluídas.
Assim, a utilização da técnica de
leitura prioritária do Clipping DJ e a
seleção do conteúdo mais
importante já proporcionará, de
imediato um ganho impressionante
no estudo dos informativos.
!
Nas próximas páginas deste ebook
!
A grande maioria das questões
sobre jurisprudência são de
eu vou mostrar isso na prática, ou
seja, você verá todos os
decisões encerradas,
consolidadas e as súmulas.
informativos de um mês do STF e
STJ, resumidos.
!
!
!
!
!
Foram utilizadas essas e outras
técnicas, bem como toda
experiência adquirida em concurso
e análise de provas, ao longo de
aprovações em concursos que
exigem jurisprudência.
!
!
Com isso, será possível estudar 1
Mês de Informativos em 1 hora ou
menos.
!
Um Grande Abraço,
Gerson Aragão
José Jaime
! ! ! ! ! !
!
!
! !
! !
! ! ! ! !
!
! !
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••! Já pensou em estudar 1 ANO de Informativos em 1 SEMANA? Clique Aqui! Página 4
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!
Já pensou em estudar 1 ANO de
Informativos em 1 SEMANA?
Clique Aqui!
Página
4
de
20
www.informativosresumidos.com.br

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

STF Resumido

STF Resumido

1 MÊS EM ! 1 HORA

1. Direito Constitucional!

realizará, em audiência pública, auditoria

 
 

ADI-4543 :

O

Plenário

julgou

 

procedente

pedido

formulado

p a r a

em

a ç ã o

d i r e t a

d e c l a r a r

a

inconstitucionalidade do art. 5º da Lei

 

12.034/2009, que dispõe sobre o voto impresso. (…) Asseverou-se que, nos

t e r m o s

d o

d a

n o r m a

questionada,

c a p u t seria

permitido

ao

eleitor

conferir

seu

voto,

pois

associado o conteúdo desse ato de

 

cidadania com a assinatura digital da

urna.

Entretanto,

anotou-se

que

a

inviolabilidade e o segredo do voto

 

suporiam a impossibilidade de se

ter,

no

exercício

do

voto ou

no

próprio

voto,

qualquer

forma

de

i d e n t i fi c a ç ã o

p e s s o a l .

 

(Constitucional.

Inf.

727,

STF.

Plenário).!

 
 

Art. 5º Fica criado, a partir das eleições de

 

2014, inclusive, o voto impresso conferido pelo eleitor, garantido o total sigilo do voto e observadas as seguintes regras: § 1º A máquina de votar exibirá para o eleitor, primeiramente, as telas referentes às eleições proporcionais; em seguida, as referentes às eleições majoritárias; fi n a l m e n t e , o v o t o c o m p l e t o p a r a conferência visual do eleitor e confirmação final do voto. § 2º Após a confirmação final do voto pelo eleitor, a urna eletrônica imprimirá um número único de identificação do voto associado à sua própria assinatura digital. § 3º O voto deverá ser depositado de forma automática, sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado. § 4º Após o fim da votação, a Justiça Eleitoral

independente

do

software

mediante

o

sorteio

de

2%

(dois

por cento) das urnas

eletrônicas

de

cada

Zona

Eleitoral,

respeitado

o

limite

mínimo

de

3

(três)

máquinas por município, que deverão ter

s e u s

v o t o s

e m

p a p e l

c o n t a d o s

e

c o m p a r a d o s

c o m

o s

r e s u l t a d o s

apresentados

pelo

respectivo

boletim

de

urna. § 5º É permitido o uso de identificação

do

eleitor

por

sua

biometria

ou

pela

digitação do seu nome ou número de eleitor,

desde

que

a máquina

de identificar não

tenha

nenhuma

conexão

com

a

urna

eletrônica.!

 

RE-474267: Após a EC 33/2001, é constitucional a instituição do ICMS incidente sobre a importação de bens, sendo irrelevante a classificação jurídica do ramo de atividade da empresa importadora.

(Constitucional. Inf. 727, STF. Plenário - Repercussão Geral).!

NOTA: A validade da constituição do crédito tributário depende da existência de lei complementar sobre normas gerais e de legislação local de instituição do ICMS incidente sobre operações de importação realizadas por empresas que não sejam comerciantes, nem prestadoras de serviços de comunicação ou de transporte interestadual ou intermunicipal. !

NOTA2 : Para se considerar válida a constituição do crédito tributário, a sua incidência deveria ocorrer na presença concomitante de três condicionantes:

existência de competência; exercício dessa competência pela União, com base em norma geral em matéria tributária; e

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

exercício de competência por cada um dos Estados-membros e pelo Distrito Federal, resultante na regra-matriz de incidência tributária.!

 
 

RHC N. 116.672-SP: A verba de representação recebida pelos Procuradores do Estado de São Paulo não se caracteriza como vantagem de natureza pessoal e,

por isso, deve ser incluída no teto remuneratório da categoria.

(Constitucional. Inf. 727, STF. Clipping DJ).!

 
 

RE-627543 : É constitucional a

exigência contida no art. 17, V, da LC 123/2006 (“Art. 17. Não poderão recolher os impostos e contribuições na forma do Simples Nacional a microempresa ou a empresa de

pequeno porte:

V - que possua

 
 

RE-440028 : É dever do Estado- membro remover toda e qualquer barreira física, bem como proceder a reformas e adaptações necessárias, de modo a permitir o acesso de pessoas com restrição locomotora à escola pública. (Constitucional. Inf. 726, STF - Primeira Turma).!

 
 

NOTA: Com base

nessa orientação, a 1ª

Tu r m a

d e u

p r o v i m e n t o

a

r e c u r s o

extraordinário em que discutido: a) se o ato de se determinar à Administração Pública a realização de obras significaria olvidar o

princípio da separação dos Poderes, porquanto se trataria de ato discricionário; b) se necessário o exame de disponibilidade orçamentária do ente estatal.!

 

HC-113018 : É constitucional lei estadual que confere poderes ao Conselho da Magistratura para

atribuir aos juizados da infância e juventude competência para processar e julgar crimes de natureza sexual praticados contra criança e adolescente, nos exatos

l i m i t e s d a

a t r i b u i ç ã o

q u e

a

 
 

Constituição

Federal

confere

aos

 
 

tribunais . (Constitucional. Inf. 726,

STF - Segunda Turma).!

 
 
 

AG. REG. NO RE N. 668.722-RS: O Poder Judiciário, em situações excepcionais, pode determinar que a Administração Pública adote medidas concretas, assecuratórias de direitos constitucionalmente reconhecidos como essenciais, como é o caso da saúde. 2. A Corte de origem consignou ser necessária a aquisição das fraldas descartáveis, em razão da condição de saúde da agravada e a impossibilidade de sua representante legal de fazê-lo às suas expensas. (Constitucional. Inf. 725, STF - Clipping DJ).!

 
 

2. Direito Administrativo!

 

AG. REG. NO ARE N.705.174-PR: A jurisprudência da Corte fixou entendimento no sentido de que o fato de o servidor público estar p r e s o p r e v e n t i v a m e n t e n ã o legitima a Administração a proceder a descontos em seus proventos. (Administrativo. Inf. 725, STF - Clipping DJ).!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

! RE-606199: Desde que mantida a irredutibilidade, o servidor inativo, embora aposentado no último patamar da
!
RE-606199: Desde que mantida a
irredutibilidade, o servidor inativo,
embora aposentado no último
patamar da carreira anterior, não tem
direito adquirido de perceber
proventos correspondentes aos da
última classe da nova carreira
reestruturada por lei superveniente.
(Administrativo. Inf. 723, STF -
Plenário - Repercussão Geral).!
!
NOTA: A Corte consignou jurisprudência —
s o b r e r e v i s ã o d o s p r o v e n t o s d e
aposentadoria — segundo a qual o
reescalonamento dos ativos na carreira não
teria, necessariamente, reflexo
no
direito
assegurado pelo citado dispositivo
constitucional.!
!
3.
Direito Civil e Processo Civil!
!
HC N. 108.749-DF: Redistribuição de
processos, constitucionalmente
admitida, visando a melhor prestação
da tutela jurisdicional, decorrente da
instalação de novas varas em Seção
Judiciária do Tribunal Regional
Federal da 3ª Região, não ofende os
princípios constitucionais do
devido processo legal, do juiz natural
e da perpetuatio jurisdictionis.
(Processo Civil. Inf. 727, STF.
Clipping DJ).!
!
4.
Direito Penal.!
!

RE-600817: É vedada a incidência da causa de diminuição do art. 33, § 4º, da Lei 11.343/2006 (“§ 4o Nos delitos definidos no caput e no § 1o deste artigo, as penas poderão ser reduzidas de um sexto a dois terços, desde que o agente seja primário, de bons antecedentes, não se dedique

às atividades criminosas nem integre organização criminosa”), combinada com as penas previstas na Lei 6.368/76, no tocante a crimes praticados durante a vigência desta norma. (Direito Penal. Inf. 727, STF. Plenário - Repercussão Geral).!

 
 

NOTA: O caso em exame diferenciar-se-ia

da

simples

aplicação

do

princípio

da

retroatividade da lei penal mais benéfica,

pois pretendida a combinação do caput do

art.

12

da

Lei

6.368/76 com a causa

de

diminuição do art. 33,

 

§

4º,

da Lei

11.343/2006. !

 
 

NOTA2: O relator considerou não caber ao julgador aplicar isoladamente a pena mínima prevista na lei antiga em combinação com a novel causa de diminuição, que teria sido prevista para incidir sobre pena-base mais severa. Acresceu que a minorante representaria benefício para os que tivessem praticado crime de tráfico sob a vigência da lei anterior. Porém, para que isso ocorresse, dever-se-ia considerar a pena-base nos termos da Lei 11.343/2006. Não seria lícito, portanto, combinar a pena mínima de uma norma com a minorante de outra, criada para incidir sobre pena-base maior. Ressaltou que, ao assim proceder, o juiz criaria nova lei e atuaria como legislador positivo. !

!

HC-115252: Reveste-se de ineficácia a decisão que declara extinta a punibilidade pelo cumprimento do sursis se, em decorrência do provimento de apelação interposta pelo Ministério Público Militar, for aumentada a pena aplicada, de modo a excluir o benefício (CPPM, art. 613). (Direito Penal. Inf. 727, STF. Segunda Turma).!

!

AG. REG. NO HC N. 110.814-MG: A jurisprudência da Primeira Turma do

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

S u p r e m o

T r i b u n a l

F e d e r a l

 

lesão. (Direito Penal. Inf. 725, STF -

consolidou-se no sentido de admitir

Clipping DJ).!

que

a

natureza

e

a quantidade de

 

droga

apreendida

sejam

utilizadas

 

RHC N. 107.210-PE: O pretendido

único latrocínio, não obstante

tanto na primeira fase de dosimetria

reconhecimento do concurso formal

quanto na graduação da minorante

próprio no delito de latrocínio

prevista no

art.

33,

§

4º,

da

Lei

praticado encontra respaldo jurídico

11.343/2006. (Direito Penal. Inf. 725,

 

na jurisprudência do Supremo

STF - Clipping DJ).!

 

Tribunal, segundo a qual "o crime de

 

latrocínio é um delito complexo, cuja

 

HC N. 107.199-SP : Uma vez reconhecido que a vítima não foi alvo de surpresa, havendo provocado o

 

unidade não se altera em razão da diversidade de vítimas fatais; há um

agressor, descabe a qualificadora do motivo fútil – disputa pela ocupação

o n s t a t a d a s d u a s m o r t e s ; a pluralidade de vítimas não configura a

c

de uma mesa de sinuca. (Direito Penal. Inf. 725, STF - Clipping DJ).!

continuidade delitiva, vez que o crime-fim arquitetado foi o de roubo e não o de duplo latrocínio". (Direito

AG. REG. NO RE EM HC N. 97.664- DF: A jurisprudência majoritária do

Penal. Inf. 725, STF - Clipping DJ). !

Supremo Tribunal Federal reafirmou o

HC

105674/RS :

A

circunstância

caráter absoluto da presunção de

judicial

“culpabilidade”,

disposta

no

violência no crime de estupro contra

art. 59 do CP, atende

ao

critério

vítima menor de catorze anos (art.

constitucional da individualização da

213 c/c art. 224, "a", do CP, com a

pena. (…) a

previsão

do

aludido

redação anterior à Lei 12.015/2009),

l e g a l

a t i n e n t e

à

sendo irrelevantes, para tipificação do

  • d i s p o s i t i v o culpabilidade

mostrar-se-ia

afinada

delito, o consentimento ou a

  • c o m

o

p r i n c í p i o

m a i o r d a

compleição física da vítima. (Direito

individualização, porquanto a análise

Penal. Inf. 725, STF - Clipping DJ).!

judicial das circunstâncias pessoais

 

do réu seria indispensável

à

 

HC N. 112.103-MG: A aplicação do

 

adequação temporal

da

pena,

em

princípio da insignificância, de modo

especial nos crimes perpetrados em

a tornar a ação atípica, exige a satisfação, de forma concomitante, de

 

concurso de pessoas, nos quais se exigiria que cada um respondesse,

certos requisitos, quais sejam, a

tão somente,

na

medida

de

sua

conduta minimamente ofensiva, a

culpabilidade

(CP,

art.

29).

(Direito

ausência de periculosidade social da

Penal. Inf. 724, STF - Plenário).!

 

a ç ã o , o

r e d u z i d o g r a u d e

reprovabilidade do comportamento e a lesão jurídica inexpressiva. II - Para o reconhecimento da insignificância da ação, não se pode levar em conta apenas a expressão econômica da

HC N. 116.828-SP: Não tendo sido analisada pelo Superior Tribunal de Justiça defesa fundada no princípio da insignificância, é inviável a análise originária desse pedido pela Suprema

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

Corte, sob pena de supressão de instância, em afronta às normas constitucionais de competência. (Direito Penal. Inf. 724, STF - Clipping DJ).!

condenatória. (Processo Penal. Inf. 725, STF - Clipping DJ).!

!

HC

N.

110.013-MS :

É

firme

a

jurisprudência desta Corteno sentido

Resumo das decisões mais importantes

de que a prática de falta grave no d e c o r r e r d a e x e c u ç ã o p e n a l interrompe o prazo para concessão de progressão de regime, reiniciando- se, a partir do cometimento da infração disciplinar grave, a contagem do prazo para que o condenado possa pleitear novamente o referido benefício executório. (Processo Penal. Inf. 725, STF - Clipping DJ).!

DÉCIMOS EMB. DECL. JULG. NA

AP

N.

470-MG:

Os

embargos

de

declaração são inadmissíveis quando a m a t é r i a a p r e s e n t a d a f o i devidamente examinada na decisão

embargada.

(Processo

Penal.

Inf.

723, STF - Clipping DJ).!

NOTA: Os embargos de declaração são julgados pelo Relator do acórdão embargado, nos termos do artigo 337, 2º, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal.!

6. Direito Tributário.!

RE-554951 :

O

n ú m e r o

d e

empregados não pode ser utilizado como base de cálculo para a cobrança da taxa de localização e funcionamento de estabelecimento industrial e comercial. (…) No mérito, esclareceu-se que, ao contrário do que ocorreria com o tamanho do imóvel, o número de empregados não poderia ser elemento integrante da base de cálculo de nenhum imposto.

! 5. Processo Penal.! ! HC-118317 : É c a u s a d e prejudicialidade
!
5. Processo Penal.!
!
HC-118317 : É c a u s a d e
prejudicialidade de habeas corpus a
superveniência de novo título judicial
que mantém a prisão cautelar do
paciente com base nos mesmos
fundamentos expostos em decreto de
prisão anterior. (Processo Penal. Inf.
725, STF - Primeira Turma).!
!
!
HC-116780: A 1ª Turma, por maioria,
concedeu habeas corpus para
declarar a incompetência absoluta da
Justiça Militar para processar e julgar
crimes de injúria e difamação
praticados por civil contra militar.
Reputou-se que as supostas ofensas
difamatórias teriam sido proferidas
em razão da conduta do ofendido
durante atendimento odontológico à
paciente, razão pela qual teriam
ficado limitadas à esfera pessoal da
vítima de modo a macular somente a
honra subjetiva desta. Assim, não se
vislumbrou ter a conduta da paciente
ofendido as instituições militares para
fins de fixação da competência da
!
!
!
J u s t i ç a
C a s t r e n s e p a r a
processamento e julgamento do feito.
(Processo Penal. Inf. 725, STF -
Primeira Turma).!
!
HC
N. 111.205-CE: A alegação de
e x c e s s o
preventiva
d e
p r a z o
d a
fica
superada
p r i s ã o
pela
s u p e r v e n i ê n c i a
d a
s e n t e n ç a

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

(Direito

Tributário.

Inf.

724,

STF

-

Primeira Turma).!

 

R E

6 2 6 4 8 9 / S E :

O

d i r e i t o

à

 

previdência

social

constitui

direito

 

RE

N.

385.091-DF : A regra de

 

f u n d a m e n t a l

e ,

u m a

v e z

imunidade compreende o reverso da

implementados os pressupostos de

atribuição de competência tributária.

sua aquisição, não deve ser afetado

Isso porque a norma imunitória se

pelo

decurso

do

tempo.

Como

traduz em um decote

na

regra de

consequência,

inexiste

prazo

competência, determinando a não

decadencial para a concessão inicial

incidência da regra matriz nas áreas

do

benefício

previdenciário.

2.

É

p r o t e g i d a s p e l o b e n e p l á c i t o

legítima,

todavia,

a

instituição

de

concedido pelo constituinte. 2. Se,

prazo decadencial de dez anos para

por um lado, a imunidade é uma

a revisão de benefício já concedido,

regra de supressão da norma de

com fundamento

no

princípio

da

competência, a isenção traduz uma

segurança jurídica, no interesse em

supressão tão somente de um dos

evitar a eternização dos litígios e na

critérios da regra matriz. 3. No caso

busca

de

equilíbrio

financeiro

e

d a i m u n i d a d e d a s e n t i d a d e s

atuarial para o sistema previdenciário.

beneficentes de assistência social, a

(Previdenciário.

Inf.

625,

STF

-

Corte

tem

conferido

interpretação

Transcrições).!

extensiva

à

respectiva

norma,

ao

p a s s o q u e t e m i n t e r p r e t a d o

 

RE-626489: Não há direito adquirido

restritivamente as normas de isenção.

à inexistência de prazo decadencial

4. Adquirido

o

status de

imune, as

para fins de revisão de benefício

presunções sobre o enquadramento

previdenciário. Ademais, aplica-se o

originalmente conferido devem militar a favor do contribuinte, de modo que o afastamento da imunidade só pode ocorrer mediante a constituição de

lapso decadencial de dez anos para o pleito revisional a contar da vigência da Medida Provisória 1.523/97 aos b e n e f í c i o s o r i g i n a r i a m e n t e

prova

em

contrário

produzida

pela

concedidos antes dela. (Direito

administração

tributária.

O

oposto

Previdenciário. Inf. 724, STF -

ocorre com a isenção que constitui

Plenário - Repercussão Geral).!

mero benefício fiscal por opção do

 

legislador ordinário, o

que

faz com

 

NOTA: o direito à previdência social

que a presunção milite em favor da

seria um direito fundamental,

Fazenda Pública. (Direito Tributário. Inf. 724, STF - Clipping DJ).!

baseado na dignidade da pessoa humana, na solidariedade, na

 

cidadania e nos valores sociais do

 

7. Outras Matérias.!

 

trabalho (CF, art. 1º, II, III e IV).

 
••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••• ! ! STJ Resumido ! ! ! WWW.INFORMATIVOSRESUMIDOS.COM.BR ! 1 MÊS EM ! 30 MINUTOS
•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••
!
!
STJ Resumido
!
!
!
WWW.INFORMATIVOSRESUMIDOS.COM.BR
!
1 MÊS EM !
30 MINUTOS
 
 

1. Direito Público!

atividade nociva. (Administrativo. Inf. 531, STJ - Segunda Turma).!

MS 17.886-DF: O candidato aprovado

fora das vagas previstas no edital não

REsp 1.339.313-RJ : É legal

a

tem direito subjetivo à nomeação,

cobrança de tarifa de esgoto na

ainda que surjam novas vagas durante o prazo de validade do certame, seja em decorrência de vacância nos quadros funcionais seja em razão da criação de novas vagas por lei. (Administrativo. Inf. 531, STJ -

hipótese em que a concessionária realize apenas uma – e não todas – das quatro etapas em que se desdobra o serviço de esgotamento sanitário (a coleta, o transporte, o tratamento e a disposição final de

Primeira Seção).!

dejetos). (Administrativo. Inf. STJ - Primeira Seção).!

530,

NOTA: dentro do parâmetro fixado em repercussão geral pelo STF, os candidatos aprovados em concurso público, mas inseridos em cadastro de reserva, têm apenas expectativa de direito à nomeação. !

REsp 1.308.719-MG: Na fixação do valor da indenização, não se deve aplicar o critério referente à teoria da perda da chance, e sim o da efetiva extensão do dano causado (art. 944

REsp 1.385.582-RS: Em ação de improbidade administrativa, é possível a concessão de liminar “inaudita altera parte” a fim de obstar o recebimento pelo demandado de novas verbas do poder público e de

do CC), na hipótese em que o Estado tenha sido condenado por impedir servidor público, em razão de interpretação equivocada, de continuar a exercer de forma cumulativa dois cargos públicos r e g u l a r m e n t e a c u m u l á v e i s .

benefícios fiscais e creditícios. Isso porque, ressalvadas as medidas de

(Administrativo. Inf. 530, STJ Segunda Seção).!

-

n a t u r e z a e x c l u s i v a m e n t e

sancionatória – por exemplo, a multa

NOTA:

Na

hipótese

de

perda da

civil, a perda da função pública e a

chance, o objeto da reparação é a

suspensão dos direitos políticos –, pode o magistrado, a qualquer tempo, com fundamento no poder geral de cautela, adotar a tutela necessária para fazer cessar ou extirpar a

perda da possibilidade de obter um ganho como provável, sendo que há que fazer a distinção entre o resultado perdido e a possibilidade de consegui-lo. A chance de vitória terá sempre valor menor que a vitória

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

futura, o que refletirá no montante da indenização. !

 

REsp 1.255.573-RS: Não é possível a pactuação de Tarifa de Abertura de

 

Crédito (TAC) e de Tarifa de Emissão

 

RMS 37.248-SP : A Administração Pública não pode, sob a simples alegação de insuficiência de servidores em determinada unidade, designar servidor para o exercício de atribuições diversas daquelas referentes ao cargo para o qual fora nomeado após aprovação em concurso. O administrador deve agir de acordo com o que estiver expresso em lei, devendo designar cada servidor para exercer as

 

de Carnê (TEC) após 30/4/2008 (início da vigência da Resolução 3.518/2007 do CMN), permanecendo válida a pactuação de Tarifa de Cadastro expressamente tipificada em ato normativo padronizador da autoridade monetária, a qual somente pode ser cobrada no início do relacionamento entre o consumidor e a instituição financeira. (Direito Civil. Inf. 531, STJ - Segunda Seção).!

atividades que correspondam àquelas legalmente previstas. Apenas em

REsp 1.255.573-RS : Podem as

partes convencionar o pagamento do

circunstâncias excepcionais previstas em lei – o que não ocorre na situação em análise –, poderá o servidor público desempenhar atividade diversa daquela pertinente ao seu cargo. Inexistindo as circunstâncias excepcionais, tem o servidor público o direito de ser designado para

I m p o s t o s o b r e O p e r a ç õ e s Financeiras e de Crédito (IOF) por meio de financiamento acessório ao mútuo principal, sujeitando-o aos mesmos encargos contratuais. (Direito Civil. Inf. 531, STJ - Segunda Seção).!

e x e r c e r

a s

a t i v i d a d e s

HC 256.793-RN: Não cabe prisão civil

correspondentes ao cargo para o qual tenha sido aprovado. (Administrativo. Inf. 530, STJ - Segunda Seção).!

 

do inventariante em razão do descumprimento do dever do espólio de prestar alimentos. Isso porque a

 

restrição da liberdade constitui

 

RMS 41.465-RO : Na hipótese de desmembramento de serventias, não há necessidade de consulta prévia aos titulares atingidos pela medida. Não há direito adquirido ao não desmembramento de serviços

 

sanção de natureza personalíssima que não pode recair sobre terceiro, estranho ao dever de alimentar. (Direito Civil. Inf. 531, STJ - Quarta Turma).!

notariais e de registro, conforme consolidado na Súmula 46 do STF. (Constitucional. Inf. 530, STJ - Segunda Seção).!

REsp 1.381.214-SP: A vítima de dano pessoal causado por veículo automotor de via terrestre tem direito ao recebimento da indenização por invalidez permanente prevista no art.

2. Direito Civil!

3º da Lei 6.194/1974 – a ser coberta

 

pelo seguro DPVAT – na hipótese em que efetivamente constatada a

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 12

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

referida

invalidez,

mesmo

que,

na

REsp 1.132.943-PE: É abusiva a

data

do evento lesivo, a espécie de

cláusula de distrato – fixada no

dano

corporal

sofrido

hoje

contexto de compra e venda

expressamente mencionada na lista anexa à Lei 6.194/1974 (incluída pela MP 456/2009) – ainda não constasse

imobiliária mediante pagamento em prestações – que estabeleça a possibilidade de a construtora

da tabela que, na época, vinha sendo

vendedora promover a retenção

utilizada como parâmetro

para

o

integral ou a devolução ínfima do

r e c o n h e c i m e n t o

d a

i n v a l i d e z

valor das parcelas adimplidas pelo

p e r m a n e n t e

( e l a b o r a d a

p e l o

consumidor distratante. Isso porque

Conselho Nacional

de

Seguros

os arts. 53 e 51, IV, do CDC coíbem

Privados – CNSP). (Direito Civil. Inf.

530, STJ - Terceira Turma).!

  • c l á u s u l a d e d e c a i m e n t o q u e determine a retenção de valor integral

 

REsp 1.375.160-SC: Em assembleia c o n d o m i n i a l , o c o n d ô m i n o proprietário de diversas unidades

ou substancial das prestações pagas, por consubstanciar vantagem exagerada do incorporador. (Direito Civil. Inf. 530, STJ - Quarta Turma).!

autônomas, ainda que inadimplente

em relação a uma ou algumas destas, terá direito de participação e

REsp 1.132.943-PE: Na hipótese de distrato referente à compra e venda

de voto relativamente às suas

de imóvel, é justo e razoável admitir-

unidades que estejam em dia com as

se

a

retenção,

pela

construtora

taxas do condomínio. (Direito Civil.

  • v e n d e d o r a ,

c o m o

f o r m a

d e

Inf. 530, STJ - Terceira Turma).!

  • i n d e n i z a ç ã o

suportados, de

p e l o s parte

p r e j u í z o s

do

valor

REsp 1.321.739-SP : Aplica-se a

correspondente

às

prestações

regra contida no art. 14 do CDC, que

pagas,

compensação

que

poderá

estabelece a responsabilidade

abranger, entre outras, as despesas

objetiva do fornecedor pelo fato do

r e a l i z a d a s

c o m

d i v u l g a ç ã o ,

serviço, em ação regressiva ajuizada

comercialização, corretagem

e

por seguradora objetivando o

tributos, bem como o pagamento de

ressarcimento de valor pago a segurado que tivera seu veículo roubado enquanto estava sob a guarda de manobrista disponibilizado

quantia que corresponda à eventual utilização do imóvel pelo adquirente distratante. (Direito Civil. Inf. 530, STJ - Quarta Turma).!

por restaurante. Isso porque, na ação

regressiva, devem ser aplicadas as mesmas regras do CDC que seriam utilizadas em eventual ação judicial p r o m o v i d a p e l o s e g u r a d o (consumidor) contra o restaurante (fornecedor). (Direito Civil. Inf. 530, STJ - Terceira Turma).!

REsp 1.115.428-SP: No âmbito de ação declaratória de inexistência de parentesco cumulada com nulidade de registro de nascimento na qual o autor pretenda comprovar que o réu não é seu irmão, apesar de ter sido registrado como filho pelo seu falecido pai, a recusa do demandado

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 13

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

a se submeter a exame de DNA não gera presunção de inexistência do parentesco, sobretudo na hipótese em que reconhecido o estado de filiação socioafetivo do réu. (Direito Civil. Inf. 530, STJ - Quarta Turma).!

tiver sido reconhecida a repercussão geral, o exercício da faculdade de retratação prevista no art. 543-B, § 3º, do CPC não estará condicionado a prévio juízo de admissibilidade do recurso extraordinário anteriormente

REsp 1.146.194-SC: Na hipótese em

 

sobrestado no STJ. (Processo Civil.

 

REsp 1.135.988-SP: O termo inicial do prazo de prescrição para o ajuizamento da ação de indenização por danos decorrentes de crime (ação

Inf. 531, STJ - Corte Especial).!

que, em razão da inexistência de vara

civil

ex

delicto) é

a

data do

trânsito

da Justiça Federal na localidade do

em julgado da sentença penal condenatória, ainda que se trate de ação proposta contra empregador em razão de crime praticado por

domicílio do devedor, execução fiscal tenha sido ajuizada pela União ou por suas autarquias em vara da Justiça Federal sediada em local diverso, o

empregado no exercício do trabalho que lhe competia. Sabe-se que, em

juiz federal poderá declinar, de ofício, da competência para processar e

r e g r a ,

i m p e r a a n o ç ã o d e

julgar a demanda, determinando a

independência

entre

as

instâncias

remessa dos autos para o juízo de

civil

e

criminal

(art.

935

do

CC).

direito da comarca do domicílio do

(Direito

Civil. Inf.

530, STJ

-

Quarta

executado. (Processo Civil. Inf. 531,

Turma).!

 

STJ - Primeira Seção).!

 
 

REsp 1.120.169-RJ: Em ação civil pública ajuizada na Justiça Federal,

NOTA: nas comarcas do interior onde não funcionar vara da Justiça

não é cabível a cumulação subjetiva

Federal, os juízes estaduais são

de

demandas

com

o

objetivo

de

competentes para processar e julgar

formar

um

litisconsórcio

passivo

os executivos fiscais da União e de

facultativo

comum,

quando

apenas

suas autarquias ajuizados contra

u m

d o s

d e m a n d a d o s

e s t i v e r

d e v e d o r e s d o m i c i l i a d o s n a s

submetido,

em

razão

 

de

regra

de

respectivas comarcas (art. 15, I, da

competência

ratione

personae,

à

Lei 5.010/1966). Portanto, a decisão

jurisdição da Justiça

Federal,

ao

do juiz federal que declina da

 

passo que a Justiça Estadual seja a

competência quando a norma do art.

competente para apreciar os pedidos

15, I, da Lei 5.010/1966 deixa de ser

r e l a c i o n a d o s a o s

d e m a i s

observada não está sujeita à Súmula

demandados.

(Processo

Civil.

Inf.

33 do STJ, segundo a qual “a

530, STJ - Quarta Turma).!

 

incompetência relativa não pode ser

 

declarada de ofício”. !

 

3. Processo Civil!

 

EREsp 878.579-RS: Concluído no STF o julgamento de caso em que

CC 126.747-RS: O juízo deprecado – e não o deprecante – é o competente para a degravação dos depoimentos

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 14

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

testemunhais colhidos e registrados por método não convencional (como taquigrafia, estenotipia ou outro método idôneo de documentação) no cumprimento da carta precatória. (Processo Civil. Inf. 531, STJ - Segunda Seção).!

!

NOTA: A regra trazida pelo CPC – de desnecessidade de degravação e de não transcrição dos depoimentos orais registrados por taquigrafia, estenotipia ou outro método idôneo de documentação – deve adequar-se à hipótese em que ocorra a deprecação do ato, pois, para que o juízo deprecante tome conhecimento do conteúdo dos depoimentos colhidos pelo juízo deprecado, tem-se por necessária a degravação dos testemunhos.!

!

menores, por incidência, também, do princípio do melhor interesse e da proteção integral à criança e ao adolescente (art. 3º da Convenção sobre os Direitos da Criança e art. 1º do ECA). Nesse contexto, é relativa (e não absoluta) a presunção legal de que o alimentando, diante de seu estado de premente necessidade, tem dificuldade de propor a ação em foro diverso do seu próprio domicílio ou residência, que dá embasamento à regra do art. 100, II, do CPC, segundo a qual é competente o foro “do domicílio ou da residência do alimentando, para a ação em que se pedem alimentos”, de modo que o alimentando pode renunciar à referida p r e s u n ç ã o s e l h e f o r m a i s conveniente ajuizar a ação em local diverso. (Processo Civil. Inf. 531, STJ - Segunda Seção).!

CC

118.340-MS :

Na

definição

da

 

competência para o processamento

REsp 1.221.369-RS: Não configura

REsp 1.374.456-MG: O condomínio

d e e x e c u ç ã o

d e p r e s t a ç ã o

nulidade apreciar, em sentenças

alimentícia, cabe ao alimentando a

distintas, a ação principal antes da

escolha

entre:

a)

o

foro

do

seu

oposição, quando ambas forem

domicílio

ou

de

sua residência; b) o

julgadas na mesma data, com base

juízo

que

proferiu

a

sentença

nos mesmos elementos de prova e

exequenda; c) o juízo do local onde

nos mesmos fundamentos. (Processo

se encontram bens do alimentante sujeitos à expropriação; ou d) o juízo do atual domicílio do alimentante. De fato, o descumprimento de obrigação

Civil. Inf. 531, STJ - Terceira Turma).!

tem legitimidade ativa para ajuizar

alimentar,

antes

de

 

ofender

a

contra o condômino ação de

autoridade de uma decisão judicial, viola o direito à vida digna de quem

nunciação de obra nova com pedidos de paralisação e de demolição de

dela necessita (art. 1º, III, da CF). Em

construção irregular erguida pelo

f a c e

d e s s a

p e c u l i a r i d a d e ,

a

condômino em área comum para

interpretação das normas relativas à

transformar seu apartamento,

competência,

quando

o

assunto

é

localizado no último andar do edifício,

alimentos, deve, sempre, ser a mais

em um apartamento com cobertura,

f a v o r á v e l

a o s

a l i m e n t a n d o s ,

sem o consentimento expresso e

sobretudo

em

se

tratando de

formal de todos os proprietários do

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 15

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

c o n d o m í n i o ,

n e m

l i c e n ç a

d a

REsp 1.114.605-PR : Configuram

Prefeitura Municipal, causando danos à estética do prédio e colocando em perigo as suas fundações. (Processo Civil. Inf. 531, STJ - Terceira Turma).!

 

documentos aptos a respaldar ação rescisória os microfilmes de cheques nominais emitidos por empresa de consórcio que comprovem a efetiva

 

restituição aos consorciados de

 

REsp 1.186.327-SP : É lícito ao credor recusar a substituição de penhora incidente sobre bem imóvel por debêntures, ainda que emitidas por companhia de sólida posição no mercado mobiliário, desde que não

 

valores por estes cobrados na ação rescindenda, na hipótese em que esses microfilmes, apesar de já existirem na época da prolação da sentença rescindenda, não puderam ser utilizados em tempo hábil,

e x i s t a

c i r c u n s t â n c i a

considerando a situação peculiar

excepcionalíssima cuja inobservância acarrete ofensa à dignidade da pessoa humana ou ao paradigma da boa-fé objetiva. (Processo Civil. Inf. 531, STJ - Terceira Turma).!

estabelecida na comarca, na qual mais de duas mil ações foram ajuizadas contra a referida empresa por consorciados, em sua maioria, domiciliados em outras partes do

 

território nacional, tendo sido a maior

 

HC 271.637-RJ : Na hipótese de superveniência de sentença que fixa alimentos em quantia inferior aos provisórios, a prisão civil do devedor

 

parte dos contratos firmado em outras unidades da Federação. (Processo Civil. Inf. 530, STJ - Segunda Seção).!

somente pode ser admitida diante do

REsp 1.343.375-BA: No âmbito de

não pagamento do valor resultante do

a ç ã o

d e

i n d e n i z a ç ã o

p o r

cômputo das prestações vencidas

d e s a p r o p r i a ç ã o

i n d i r e t a ,

o s

com base no novo valor estabelecido

honorários

periciais

devem

ser

pela sentença. (Processo Civil. Inf. 531, STJ - Terceira Turma).!

adiantados pela parte que requer a realização da perícia. (Processo Civil. Inf. 530, STJ - Segunda Seção).!

REsp 1.347.627-SP: Em execução

 

fiscal, a sociedade empresária executada não possui legitimidade para recorrer, em nome próprio, na defesa de interesse de sócio que teve contra si redirecionada a execução. Isso porque, consoante vedação

 

REsp 1.112.617-PR: A execução de decisão condenatória proferida pelo TCU, quando não houver inscrição em dívida ativa, rege-se pelo CPC. (Processo Civil. Inf. 530, STJ - Segunda Seção).!

expressa do art. 6º do CPC, ninguém

 

poderá pleitear, em nome próprio, d i r e i t o a l h e i o , s a l v o q u a n d o autorizado por lei. (Processo Civil. Inf. 530, STJ - Primeira Seção).!

 

REsp 1.170.750-SP: É desnecessária a apresentação de Certidão de Dívida Ativa (CDA) para habilitação, em processo de falência, de crédito previdenciário resultante de decisão

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 16

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

judicial

trabalhista.

(Processo

Civil.

Inf. 530, STJ - Quarta Turma).!

HC

251.681-PR: Nos casos de ato

infracional equiparado a crime contra

 

é

possível

que

o

 

4. Direito Penal.!

o patrimônio, adolescente

seja

beneficiado

pela

 

escusa absolutória prevista no art.

 

REsp 1.196.334-PR : Responderá

 

181, II, do CP. De acordo com o

apenas pelo crime de tráfico de

referido

artigo,

é

isento

de

pena,

drogas – e não pelo mencionado

e n t r e

o u t r a s h i p ó t e s e s , o

crime em concurso com o de posse

descendente que comete crime

de objetos e maquinário para a fabricação de drogas, previsto no art.

contra o patrimônio em prejuízo de ascendente, ressalvadas as exceções

34 da Lei 11.343/2006 – o agente

delineadas no

art.

183

do mesmo

que, além de preparar para venda

diploma

legal,

cujo

teor

proíbe

a

certa quantidade de drogas ilícitas em

aplicação da escusa: a) se o crime é

sua residência, mantiver, no mesmo

de roubo

ou

de extorsão, ou, em

local, uma balança de precisão e um

geral, quando haja emprego de grave

alicate de unha utilizados na preparação das substâncias. (Direito Penal. Inf. 531, STJ - Quinta Turma).!

ameaça ou violência à pessoa; b) ao estranho que participa do crime; ou c) se o crime é praticado contra pessoa

 

com idade

igual

 

ou

superior a

60

 
 

AgRg no AREsp 303.213-SP :

 

Penal. Inf. 531,

STJ

-

Responderá pelo crime de tráfico de drogas – art. 33 da Lei 11.343/2006 –

anos. (Direito Sexta Turma).!

 

em concurso com o crime de posse de objetos e maquinário para a fabricação de drogas – art. 34 da Lei 11.343/2006 – o agente que, além de ter em depósito certa quantidade de drogas ilícitas em sua residência para fins de mercancia, possuir, no mesmo local e em grande escala, objetos, m a q u i n á r i o e u t e n s í l i o s q u e constituam laboratório utilizado para a produção, preparo, fabricação e

AgRg no AREsp 349.732-RJ: No crime de roubo, a circunstância de a arma de fogo ter sido apontada contra o rosto da vítima não pode ser utilizada como fundamento para fixar regime prisional mais severo do que aquele previsto no art. 33, § 2º, do CP. Isso porque essa circunstância caracteriza "grave ameaça", elemento ínsito do crime de roubo. (Direito Penal. Inf. 531, STJ - Sexta Turma).!

transformação de drogas ilícitas em

 

grandes quantidades. (Direito Penal. Inf. 531, STJ - Quinta Turma).!

 

REsp 1.207.155-RS: Pode configurar o crime de extorsão a exigência de pagamento em troca da devolução do

NOTA : N e s s a

s i t u a ç ã o ,

a s

veículo furtado, sob a ameaça de

circunstâncias fáticas demonstram verdadeira autonomia das condutas e inviabilizam a incidência do princípio

 

destruição do bem. (Direito Penal. Inf. 531, STJ - Sexta Turma).!

da consunção.!

NOTA: De acordo com o art. 158 do CP, caracteriza o crime de extorsão

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 17

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

“constranger

alguém,

mediante

 

(Processo

Penal.

Inf.

531,

STJ

-

violência ou grave ameaça, e com o

Quinta Turma).!

 

intuito

de

obter

para

si

ou

para

 

o u t r e m

i n d e v i d a

v a n t a g e m

 

AgRg no REsp 1.235.899-MG: As

econômica, a

fazer, tolerar que

se

referências ou a leitura da decisão de

faça ou deixar fazer alguma coisa”.!

pronúncia durante os debates em

 

plenário do tribunal do júri não

 

REsp 1.187.976-SP: Uma vez reparado o dano integralmente por um dos autores do delito, a causa de diminuição de pena do arrependimento posterior, prevista no art. 16 do CP, estende-se aos demais coautores, cabendo ao julgador avaliar a fração de redução a ser

 

acarretam, necessariamente, a nulidade do julgamento, que somente ocorre se as referências forem feitas como argumento de autoridade que beneficiem ou prejudiquem o acusado. (Processo Penal. Inf. 531, STJ - Sexta Turma).!

aplicada, conforme a atuação de cada agente em relação à reparação efetivada. De fato, trata-se de circunstância comunicável, em razão de sua natureza objetiva. (Direito Penal. Inf. 531, STJ - Sexta Turma).!

REsp 1.315.619-RJ: A utilização de termos mais fortes e expressivos na sentença penal condenatória – como “bandido travestido de empresário” e “delinquente de colarinho branco” – não configura, por si só, situação apta a comprovar a ocorrência de quebra

REsp 1.315.619-RJ: Não configura bis in idem a condenação pela prática da conduta tipificada no art. 90 da Lei 8.666/1993 (fraudar o caráter

da imparcialidade do magistrado. (Processo Penal. Inf. 530, STJ - Quinta Turma).!

competitivo do procedimento

6. Direito Tributário.!

 

licitatório) em concurso formal com a

 

do art. 96, I, da mesma lei (fraudar licitação mediante elevação arbitraria dos preços). (Direito Penal. Inf. 530, STJ - Quinta Turma).!

 

REsp 1.365.433-MG: Não caracteriza hipótese de conversão de depósito em renda (art. 156, VI, do CTN) – caso de extinção do crédito tributário – o repasse aos municípios previsto

5. Processo Penal.!

 

no § 2º do art. 1º da Lei 10.819/2003.

 

(Direito Tributário. Inf. 531, STJ -

HC 248.617-MT: A simples leitura da pronúncia ou das demais decisões

 

Segunda Turma).!

que julgaram admissível a acusação não conduz, por si só, à nulidade do julgamento, o que só ocorre quando a menção a tais peças processuais é feita como argumento de autoridade, de modo a prejudicar o acusado.

AgRg no AREsp 370.295-SC : A ausência de prévio processo administrativo não enseja a nulidade da Certidão de Dívida Ativa (CDA) nos casos de tributos sujeitos a lançamento de ofício. Com efeito, cabe ao contribuinte impugnar

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 18

de 20

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

 

administrativamente a cobrança tributária e não ao fisco que, com observância da lei aplicável ao caso,

terreno integra área de preservação ambiental. (Direito Ambiental. Inf. 531, STJ - Segunda Turma).!

lançou o tributo. (Direito Tributário.

Inf. 531, STJ - Segunda Turma).!

REsp 1.377.764-MS : Os créditos derivados de honorários advocatícios

REsp 1.201.635-MG: É possível o

sucumbenciais estão sujeitos aos

creditamento

do

ICMS

incidente

efeitos da recuperação judicial,

sobre

a

energia

elétrica

utilizada

m e s m o q u e d e c o r r e n t e s d e

pelas empresas

de

telefonia

na

condenação proferida após o pedido

p r e s t a ç ã o

d e

s e r v i ç o s

d e

de recuperação. De fato, essa verba

telecomunicações. (Direito Tributário. Inf. 530, STJ - Primeira Seção).!

não pode ser considerada como "créditos existentes à data do pedido

 

de recuperação judicial" (art. 49 da

 

7. Outras Matérias!

 

Lei 11.101/2005) na hipótese que

 

tenha nascido de sentença prolatada

 

REsp 1.121.199-SP: Os valores

a

em momento posterior ao pedido de

serem

restituídos

à

massa

falida

recuperação. Essa circunstância,

decorrentes da procedência de ação

todavia, não é suficiente para excluí-

r e v o c a t ó r i a

 

n ã o

p o d e m

s e r

l a , a u t o m a t i c a m e n t e , d a s

compensados com eventual crédito

consequências da recuperação

habilitado no

processo

de

falência

judicial. (Direito Empresarial. Inf. 531,

pelo

réu

condenado. (Direito

STJ - Terceira Turma).!

Empresarial. Inf. 531, STJ Turma).!

- Quarta

REsp 1.321.739-SP: O restaurante

 

que ofereça serviço de manobrista

 

REsp 1.287.068-RR: Não gera dano

(valet parking) prestado em via

conduta do Ibama de, após

pública não poderá ser civilmente

moral a a l g u n s

a n o s

c o n c e d e n d o

responsabilizado na hipótese de

autorizações para desmatamento e

roubo de veículo de cliente deixado

queimada

em

determinado

terreno

sob sua responsabilidade, caso não

com a finalidade de preparar o solo

tenha concorrido para o evento

para

atividade

agrícola,

deixar

de

danoso. (Consumidor. Inf. 530, STJ -

fazê-lo ao

constatar que o referido

Terceira Turma).

<a href=Já pensou em estudar 1 ANO de Informativos em 1 SEMANA? Clique Aqui! " id="pdf-obj-18-289" src="pdf-obj-18-289.jpg">
<a href=Já pensou em estudar 1 ANO de Informativos em 1 SEMANA? Clique Aqui! " id="pdf-obj-18-293" src="pdf-obj-18-293.jpg">
<a href=Já pensou em estudar 1 ANO de Informativos em 1 SEMANA? Clique Aqui! " id="pdf-obj-18-295" src="pdf-obj-18-295.jpg">

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••

•••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••!

Página 20

de 20