You are on page 1of 10

Escola Secundária com 3-º Ciclo de Caneças

Auto - avaliação da Biblioteca Escolar

Domínio A: Apoio ao Desenvolvimento Curricular
Subdomínio A.2. Promoção das Literacias da Informação, Tecnologia e Digital
Indicadores: A. 2. 1. Organização de actividades de formação de utilizadores na escola
A.2. 4. Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola
Fundamentação da escolha do Domínio/Subdomínio

A opção pelo Domínio A, Apoio ao Desenvolvimento Curricular, Subdomínio A.2. Promoção das Literacias da Informação, Tecnologia e Digital
permite centrar a biblioteca na essência do papel da escola e da missão da biblioteca escolar
“A biblioteca escolar proporciona informação e ideias fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade actual, baseada na
informação e no conhecimento. A biblioteca escolar desenvolve nos estudantes competências para a aprendizagem ao longo da vida e
desenvolve a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos responsáveis.”
Directrizes da IFLA/UNESCO para Bibliotecas Escolares, 2002,

Tradicionalmente o apoio ao desenvolvimento curricular, não constituía uma área de intervenção das bibliotecas escolares que privilegiavam as
actividades no âmbito da literacia da leitura. No entanto, cada vez mais se afirma a necessidade das bibliotecas escolares desenvolverem a sua
acção no apoio a um ensino construtivista “ O papel de um educador será sempre o de garantir o maior número de experiências possíveis no espaço
educativo, tendo consciência de que estas exigem não só a capacidade dos educadores deixarem os jovens descobrir por si mesmos, mas também, e
no que respeita às novas tecnologias, que estamos em presença de uma técnica refinada, minuciosa, exigente e rigorosa” (Lencastre, José e Araújo,
Maria, 2007). Cumpre também à biblioteca escolar facilitar a utilização das TIC no processo de aprendizagem ajudando, os alunos, a imprimirem
rigor na sua utilização e, os professores, a ultrapassarem os “bloqueios” que muitas vezes se traduzem em resistência à inovação.
Por último, os alunos, e os professores, que vão à biblioteca escolar sem qualquer orientação específica, e muitas vezes sem saber o que nela existe
dificilmente conseguem tirar partido dos recursos nela existentes. Como refere António Calisto (2009), estes alunos, “ Usam a biblioteca como
sala de convívio e os computadores de forma recreativa e como primeira, e muitas vezes única, forma de acesso à informação”
Os dois indicadores A.2. 1. Organização de actividades de formação de utilizadores e A. 2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e
de informação dos alunos na escola encontram-se interrelacionados: o primeiro identifica os processos e o segundo os impactos produzidos através desses
processos. O efeito feed-back pode, também, estabelecer-se entre os dois indicadores: a observação dos impactos verificados (A. 2.4.) permite corrigir as
actividades implementadas.

Integração do documento de auto-avaliação com outros documentos da escola
-deve constar do plano de actividades da biblioteca
- deve constar do projecto curricular das turmas dos alunos envolvidos
- deve constar do plano de actividades da escola e ser a concretização de um dos objectivos/finalidades do Projecto educativo, que especificamente refere:
Desenvolver um ensino assente na inovação, nas actividades práticas e no recurso a novas tecnologias.
Princípios - Projecto Educativo da Escola
Metodologia

Pressupostos
- A explicitação do modelo de auto-avaliação aos diferentes órgãos da escola, pedagógicos e de gestão, de modo a criar motivação, compromisso e co-
responsabilização institucional . De alguns instrumentos possíveis para a concretização destes objectivos, se deu conta nas duas últimas sessões de trabalho:
workshop e power-point
- Constituição a nível da escola, do grupo responsável, sob orientação do professor bibliotecário, pela auto-avaliação da BE. O grupo deve definir: Plano de
Actividades e responsabilidades de implementação e acompanhamento do processo de auto-avaliação. O grupo, que deve ter elementos da equipa da BE, deve
trabalhar em colaboração com a direcção da escola, viabilizando pontos de articulação entre a auto-avaliação da biblioteca e da escola.
- A avaliação do Domínio A. Subdomínio A.2. enquadra-se no processo global de avaliação, um domínio a avaliar por ano, escolhido de acordo com critérios
considerados pertinentes e claros. A escolha do domínio é o resultado dum processo colaborativo entre a BE, os departamentos e a Direcção da escola, deve
ocorreu no final de um ano lectivo, a implementar no ano seguinte, ou no início do ano lectivo (Setembro). Para a concretização e êxito do modelo devem ser
convocados todos os professores, alunos e a comunidade educativa.
- A equipa deve previamente preparar, no final do ano lectivo anterior, Julho, uma análise de verificação dos pontos fortes e fracos, fotografia do momento de
partida, relativamente ao domínio/subdomínio a avaliar:

Domínio A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular
Subdomínio: A. 2. Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital
Indicador: A.2.1. Organização de actividades de formação de utilizadores na escola
Actividades Objectivos Intervenientes Calendário Instrumentos de avaliação/Recolha
de Evidências
Definição de objectivos, Equipa da biblioteca Início de Setembro Registo de ocorrências
Reunião da equipa da planificação da actividade, Plano de actividades da Biblioteca
biblioteca elaboração de documentos e Plano de actividades da escola
de indicadores
Apresentação da biblioteca Conhecer o espaço, a Registo de ocorrências
aos novos professores organização e as regras de Equipa da biblioteca Início de Setembro Plano de actividades da Biblioteca
funcionamento da Biblioteca
Reunião da equipa com os Clarificação de objectivos e Registo de ocorrências
directores de turma do ensino calendarização das Professor bibliotecário e Início de Setembro Plano de actividades da Biblioteca
básico e secundário actividades a desenvolver directores de turma Plano curricular da turma
com a biblioteca
Plano de actividades da escola
“Esmiuçar a Biblioteca” Conhecer o espaço, a Equipa da biblioteca Setembro / Outubro Plano de actividades da Biblioteca
Jogo de descoberta da organização e as regras de Plano curricular da turma
biblioteca – actividade funcionamento da Biblioteca Jornal semanal da escola “Em Progresso”
destinada aos novos alunos Questionário aos alunos (amostra
da escola ( 7º e 10º ano) constituída pelo total de alunos
envolvidos)
Análise dos questionários e Aferir o cumprimento dos
comunicação dos resultados objectivos da actividade e Equipa da biblioteca Registo de actividades
da actividade “Esmiuçar a comunicá-los Professores envolvidos Final de Outubro Acta do Conselho Pedagógico
biblioteca”
Clarificação de objectivos e
Reunião com os professores calendarização das Registo de ocorrências
da área de Projecto do Ensino actividades a desenvolver Equipa da biblioteca Outubro Plano de actividades da Biblioteca
Básico com a biblioteca: Professores da área de Plano curricular de turma
- descoberta da página da projecto do ensino básico
escola e da biblioteca (apoio
aos alunos e catálogo on-line)
- utilização da página da
biblioteca com recurso do
trabalho de projecto

Conhecer a página da escola Plano de actividades da escola
“Esmiuçar a página da e da biblioteca.. Identificar as Equipa da biblioteca Plano de actividades da Biblioteca
escola” potencialidades da página da Professores da área de Outubro/Novembro Plano curricular de turma
Jogo de descoberta da página biblioteca como recurso ao projecto do ensino básico Jornal semanal da escola “Em Progresso”
da escola e da biblioteca – desenvolvimento do trabalho Questionário aos alunos
actividade destinada aos de pesquisa: guiões de apoio (amostra constituída pelo total de alunos
alunos do ensino básico à realização de trabalhos envolvidos)
Análise dos questionários e Aferir o cumprimento dos
comunicação dos resultados objectivos da actividade e Equipa da biblioteca Registo de actividades
da actividade “Esmiuçar a comunicá-los Professores envolvidos Novembro Acta do Conselho Pedagógico
Página da escola/biblioteca”
Aferir critérios comuns de
Reunião com professores da metodologias de trabalho de Equipa da biblioteca Registo de ocorrência
área de projecto do 12º ano projecto; planificar apoio aos Professores da área de Outubro Plano de actividades da Biblioteca
utilizadores da biblioteca da projecto do 12.º ano
escola e a colaboração com a
biblioteca municipal
Desenvolver nos anos Alunos do 12.º ano Registo de ocorrências
Formação de utilizadores: competências de pesquisa; Equipa da biblioteca Outubro/Novembro Plano de actividades da Biblioteca
Recuperação de informação aproximar os alunos da Professores da área de Plano curricular de turma
e pesquisa com operadores biblioteca municipal projecto, 12.º ano Plano de actividades da escola
boleanos Biblioteca Municipal Registo de Observações professores
Questionário aos alunos (duas turmas, ver
percentagem representativa
Análise dos questionários e Aferir o cumprimento dos Equipa da biblioteca Registo de actividades
comunicação dos resultados objectivos da actividade e Professores da área de Novembro Acta do Conselho Pedagógico
da actividade comunicá-los projecto 12.º ano
Actividade de práticas de Aferir o cumprimento dos
pesquisa – ensino básico objectivos da actividade e Equipa da biblioteca Plano de actividades da biblioteca
implementar actividades de Professores da área de Fevereiro Grelha de observação O2
correcção dos erros e lacunas projecto ensino básico Plano curricular de turma
verificadas
Tratamento da informação Analisar o processo e Equipa da biblioteca Plano de actividades da biblioteca
recolhida e comunicação aos comunicar ressultados Professores da área de Fevereiro Grelha de observação O2
professores projecto ensino básico Plano curricular de turma
Actividade de práticas de Aferir o cumprimento dos
pesquisa – ensino secundário objectivos da actividade e Equipa da biblioteca Grelha de observação O2
implementar actividades de Professores da área de Fevereiro
correcção dos erros e lacunas projecto ensino básico
verificadas
Tratamento da informação Analisar o processo e
recolhida e comunicação aos comunicar ressultados Equipa da biblioteca Plano de actividades da biblioteca
professores Professores da área de Fevereiro Grelha de observação O2
projecto ensino básico Plano curricular de turma
Domínio A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular
Subdomínio: A. 2. Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital
Indicador: A. 2. 4. Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola
Actividades Objectivos Intervenientes Calendário Instrumentos de avaliação
Reunião do conselho Uniformizar processos de
pedagógico para discussão do pesquisa e produzir sinergias Equipa da biblioteca Setembro Acta do conselho pedagógico
modelo de pesquisa da escola na aprendizagem dos alunos Conselho pedagógico Actas dos departamentos
E comunicação aos diferentes
departamentos

Análise de trabalhos Verificar a aplicação dos Equipa da biblioteca Grelha de observação
realizados por alunos do procedimentos aprendidos Professores da área de 2.º período Registo de ocorrências
ensino básico nas actividades de formação projecto do ensino básico Plano de actividades da Biblioteca
de utilizadores para o ensino Plano curricular de turma
básico Plano de actividades da escola

Análise de trabalhos Verificar a aplicação dos Equipa da biblioteca Grelha de observação
realizados por alunos do 12.º procedimentos aprendidos Professores da área de 2.º período Registo de ocorrências
ano nas actividades de formação projecto do ensino Plano de actividades da Biblioteca
de utilizadores do ensino secundário Plano curricular de turma
secundário Plano de actividades da escola

Análise de trabalhos Verificar a aplicação dos Equipa da biblioteca Grelha de observação
realizados por alunos do procedimentos aprendidos Professores do ensino 3.º período Registo de ocorrências
ensino básico nas actividades de formação básico Plano de actividades da Biblioteca
de utilizadores do ensino Plano curricular de turma
básico Plano de actividades da escola
Grelha de observação
Análise de trabalhos Verificar a aplicação dos Equipa da biblioteca Registo de ocorrências
realizados por alunos do 12.º procedimentos aprendidos Professores da área de 3.º período Plano de actividades da Biblioteca
ano nas actividades de formação projecto do ensino básico Plano curricular de turma
de utilizadores do ensino Plano de actividades da escola
básico
Grelha de observação
Concurso do trabalho da área Premiar os projectos que se Equipa da biblioteca Registo de ocorrências
de projecto do ensino básico evidenciem na aplicação dos Professores do ensino 3.º período Plano de actividades da Biblioteca
critérios de pesquisa pré- básico Plano curricular de turma
definidos Plano de actividades da escola
Grelha de observação
Concurso do trabalho da área Premiar os projectos que se Equipa da biblioteca Registo de ocorrências
de projecto do ensino evidenciem na aplicação dos Professores da área de 3.º período Plano de actividades da Biblioteca
secundário critérios de pesquisa pré- projecto do ensino Plano curricular de turma
definidos secundário Plano de actividades da escola
Apresentação pública e Equipa da biblioteca Plano de actividades da Biblioteca
colocação num blog dos Divulgar os trabalhos e as Professores da área de Final 3.º período Plano curricular de turma
trabalhos premiados na área competências apreendidas projecto Plano de actividades da escola
de projecto peos alunos

Os dois indicadores, entre os restantes pertencentes ao domínio que foi avaliado, devem posteriormente, constar da Secção A do modelo de auto-avaliação da
biblioteca onde são referidos: Indicadores; Evidências recolhidas; Pontos fortes identificados; Pontos Fracos identificados.
A secção B, do modelo de avaliação, refere informações relativas aos domínios que não foram objecto de avaliação no ano lectivo.
A secção C refere-se à visão global da acção da biblioteca, através da síntese, sobre a forma de quadro, dos resultados obtidos e das acções a implementar.

-------------------    ------------------

Cullen (1997) lembra que décadas de estudos e aprendizado sobre avaliação e dezenas de metodologias robustas disponíveis não substituem o foco principal do
sucesso de toda avaliação: liderança profissional e mudança de cultura organizacional.