You are on page 1of 7

[2009

]
[O Modelo de Auto-
Avaliação das
Biblioteca Escolar]
Ana Maria Cabral

[Metodologias de operacionalização (Conclusão)]
Tendo por base a amostra de Relatórios de avaliação externa das escolas e agrupamentos dos concelhos de Pombal e Soure, tracei uma análise à presença
de referências a respeito das BE, nesses Relatórios.
Em análise 4 escolas/agrupamentos que estiveram envolvidas no processo de avaliação externa, nos concelhos de Pombal e de Soure

Ano Lectivo Escola/Agrupamento Ano Integração RBE Coordenador Tempo Parcial Coordenador Tempo Inteiro Autoavaliação das BE
em que
decorreu a
avaliação
externa

2006/2007 Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Pombal 2006 2008/2009 Sim (2008/2009)

Agrupamento de Escolas Gualdim Pais 1998 X Não
2007/2008
Agrupamento de Escolas Marquês de Pombal 2005 2008/2009 Sim (2008/2009)

2008/2009 Agrupamento de Escolas de Soure 1997 2007/2008 e 2008/2009 Sim (2007/2008 e 2008/2009)

II – Caracterização da Unidade de Gestão

Ano Lectivo em Escola/Agrupamento
que decorreu a
avaliação externa

2006/2007 Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Pombal Este estabelecimento oferece boas condições de trabalho, disponibilizando equipamentos
e materiais favoráveis ao desenvolvimento educativo dos quais se destacam… a biblioteca….

Agrupamento de Escolas Gualdim Pais
2007/2008
Agrupamento de Escolas Marquês de Pombal …destacando-se a Escola Básica do 1.º Ciclo do Louriçal,
cuja biblioteca integra a Rede…tal como a da Escola sede.

2008/2009 Agrupamento de Escolas de Soure “…nove (9) Bibliotecas Escolares integradas na Rede de Bibliotecas Escolares”

Ana Maria Cabral – formação RBE Página 2
III – Conclusões da Avaliação por Domínio

Escola / Domínio Resultados Prestação de serviço educativo Organização e gestão Escolar Liderança Capacidade de Auto-regulação e melhoria

Escola Secundária Bom Bom Bom Muito Bom Bom
c/ 3.º Ciclo de Pombal “A Biblioteca está dotada
de meios informáticos e de
materiais adequados,
constituindo-se um espaço
nobre da Escola.”

Agrupamento de Escolas Bom Bom Bom Muito Bom Suficiente
EBI Gualdim Pais

Agrupamento de Escolas Suficiente Suficiente Bom Bom Suficiente
Marquês de Pombal “ Foi elaborado um plano de
formação interno a partir do
levantamento das necessidades
junto dos departamentos/conselho
de docentes, privilegiando-se
tecnologias da informação (…)
biblioteca (…)”
“ (…) as bibliotecas assumem-se
como pólos promotores e
aglutinadores

Agrupamento Bom Bom Bom Bom Suficiente
de Escolas de Soure

“Nas diversas bibliotecas são
promovidas várias actividades,
com particular destaque para o
Plano Nacional de Leitura e as
novas tecnologias, sendo de
realçar a utilização de
computadores portáteis”

Em síntese, a observação dos quadros apresentados mostra que são apenas dois os diferentes domínios (prestação de serviço educativo e organização da gestão escolar) nos quais se faz
menção à biblioteca e à sua acção. E isso acontece em todas as escolas e agrupamentos de escolas, à excepção do Agrupamento de Escolas EBI Gualdim Pais.

Ana Maria Cabral – formação RBE Página 3
IV – Avaliação por factor
ES c/ 3.º ciclo de Pombal Agrupamento de escolas Gualdim Pais Agrupamento de escolas Marquês de Pombal Agrupamento Escolas de Soure
1.Resultados

1.1 Sucesso académico

1.2 Participação e desenvolvimento cívico

1.3 Comportamento e disciplina

1.4 Valorização e impacto das aprendizagens

2. Prestação do serviço educativo

2.1. Articulação e sequencialidade “A equipa da BE criou maletas
pedagógicas de obras para o 1.º Ciclo

2.2. Acompanhamento da
prática lectiva em sala de aula

2.3 Diferenciação e apoio

2.4 Abrangência do currículo e valorização dos “As duas bibliotecas, a da Escola sede e a do 1.º Ceb
saberes e da aprendizagem do Louriçal, integradas na Rede de Bibliotecas
Escolares, têm-se constituído como pólos promotores
de vários projectos”

3. Organização e Gestão Escolar

3.1 Concepção, planeamento e
desenvolvimento da actividade

3.2 Gestão dos
Recursos Humanos

Ana Maria Cabral – formação RBE Página 4
3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros “O Centro de Recursos “ As Bibliotecas do
(biblioteca, sala de estudo e Agrupamento, que fazem parte da Rede
auditório) está dotado de Nacional de Bibliotecas Escolares,
promovem actividades diversificadas,
meios informáticos e interligadas em projectos, com particular
materiais, constituindo-se destaque para a leitura, complementada
como espaço nobre da com expressão artística.”
Escola”

3.4 Participação dos pais e outros elementos da comunidade educativa

3.5 Equidade e justiça

4. Liderança

4.1 Visão Estratégica

4.2 Motivação e empenho “(…) em especial as mais
directamente implicadas nas
prioridades de melhoria – a
equipa da biblioteca,
professores ligados ao PNL

4.3 Abertura e inovação

4.4 Parcerias, protocolos e projectos “De referir, ainda, a
participação da Escola
no projecto Nacional
da Rede de Bibliotecas
Escolares”
5. Capacidade de auto-regulação e melhoria do agrupamento

5.1 Auto-avaliação

5.2 Sustentabilidade e progresso

Ana Maria Cabral – formação RBE Página 5
A comunicação para o exterior dos resultados de avaliação apurados no processo de auto-avaliação da BE e incorporados na auto-avaliação de cada escola é uma etapa uma
etapa essencial, pois esses resultados dizem respeito a toda a escola e toda a escola deve ser envolvida.

O quadro, a cima, descrito revela o muito trabalho que ainda tem que ser desenvolvido, não só na visão que as estruturas educativas da escola têm da importância da
Biblioteca, como também na percepção que o professor bibliotecário tem relativamente ao impacto das acções que se desenvolvem na Biblioteca.
1 - Na Escola Secundária de Pombal, a avaliação externa coincidiu com abertura da nova Biblioteca, que é referenciada como o ex-libris da escola. No entanto, esta visão é
incipiente e sem consistência. Nada nos evidencia o seu carácter de espaço nobre. Será pelo facto de a estrutura física da escola ter sido renovada?
2 - No Agrupamento Gualdim Pais, apesar de estar desde 1998 na Rede, a avaliação denota a fraca implementação da acção da Biblioteca Escolar. Verificamos, no âmbito da
articulação, a importância de que se revestiu o projecto das “Maletas Pedagógicas”. O Plano Nacional de Leitura foi interiorizado como uma obrigatoriedade, notando-se que
a avaliação é o reflexo dessa perspectiva.
3 - O Agrupamento Marquês de Pombal, com duas Bibliotecas na Rede e sem coordenador a tempo inteiro aquando do processo de avaliação, demonstra que a liderança tem
já alguma noção sobre a missão da Biblioteca Escolar. Este facto também é constatado no contraditório, onde se menciona o trabalho das Bibliotecas Escolares na
monitorização das medidas de apoio implementadas.
4 - Ler o relatório do Agrupamento de Soure não me surpreendeu, pois tinha conhecimento de que a Professora Bibliotecária não foi chamada para o painel com a equipa do
IGE. Mesmo tendo sido aplicado o Modelo de Auto-Avaliação das BE e apresentadas, em Conselho Pedagógico, as suas conclusões, isso não foi referenciado no relatório de
avaliação.

A finalidade da auto-avaliação é melhorar o desempenho da BE e revelar o seu contributo e impacto no ensino e na aprendizagem, conduzindo à melhoria contínua dos
resultados da comunidade, só lhe encontramos o sentido se estiver integrada na avaliação interna da escola, num trabalho colaborativo e por sua vez , contribuir e participar
na avaliação externa da escola.

Ana Maria Cabral

Bibliografia
http://www.ige.min-edu.pt/content_01.asp?BTreeID=03/01&treeID=03/01/03&newsID=663 [ acedida a 01-12-09]
MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES
Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. ME. Disponível em http://www.rbe.min-edu.pt/np4/427.html

Ana Maria Cabral – formação RBE Página 6
Ana Maria Cabral – formação RBE Página 7