You are on page 1of 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL - REI

Campus – Alto Paraopeba




Relatório de Físico – Química
(Prática - Cinética Química)



Bruna Cabral do Nascimento 13420005
Charlene Lobo Matias Vieira 134200025
Fabiana da Costa Silva 13420008
Laisa Fernanda Silva 134200033
Ludmila Ferreira 124250038





Ouro Branco - MG



INTRODUÇÃO
A cinética química é uma ciência que estuda a velocidade das reações químicas de
processos químicos e os fatores que as influenciam.
Cinética química inclui investigações de como diferentes condições experimentais podem
influir a velocidade de uma reação química e informações de rendimento sobre o mecanismo
de reação e estados de transição, assim como a construção de modelos matemáticos que
possam descrever as características de uma reação química.
A velocidade da reação recebe geralmente o nome de taxa de reação. A taxa de reação está
relacionada com: as concentrações dos reagentes e seu estado particular, o fato dos
reagentes estarem ou não em solução (neste caso a natureza do solvente irá influir na
velocidade da reação), a temperatura, a eletricidade, a luz, a pressão, a presença
de catalisadores e dos produtos de reação.
Sua importância é muito ampla, já que se relaciona com temas como, por exemplo, a rapidez
com que um medicamento atua no organismo ou com problemas industriais, tais como a
descoberta de catalisadores para acelerar a síntese de algum novo produto.


Teoria das colisões: a velocidade de reação aumenta proporcionalmente à concentração dos reagentes.
Fatores que influem na velocidade das reações:

Concentração dos reagentes
O aumento da concentração dos reagentes promove o aumento do número de colisões
entre as moléculas. Isso faz com que a probabilidade de colisões efetivas acontecerem
para a formação do complexo ativado seja maior.



Temperatura
Com o aumento da temperatura, aumenta a energia cinética média das moléculas em um
sistema e consequentemente o número de colisões efetivas entre elas. Alimentos na
geladeira, como por exemplo, leite, ovos, carnes e etc, demoram muito mais para
estragar do que no ambiente. Isso porque as reações químicas feitas pelos
microorganismos decompositores são retardadas pelas baixas temperaturas.

Natureza dos reagentes
Dependendo de quais substâncias reagem, o tempo de tais reações variam, ou seja, a
rapidez ou velocidade com que se formam ou rompem as ligações dependem da
natureza dos reagentes. Quando a formação de ligações covalentes toma lugar entre as
moléculas e quando moléculas grandes são formadas, as reações tendem a ser muito
lentas. A natureza e força das ligações em moléculas influencia grandemente a taxa de
sua transformação em produtos.
Catalizadores
Os catalisadores aumentam a velocidade de uma reação química, mas não participam da
formação dos produtos, sendo completamente regenerados no final. Atuam ao promover
rotas de reação com menor energia de ativação. O catalisador acelera a reação, pois
diminui a energia de ativação das moléculas, mas não participa da reação, ou seja, não
ocorre nenhuma mudança nos elementos químicos da reação, e o catalisador continua
intacto.





OBJETIVO

Este experimento tem como objetivo entender os fatores que influenciam na
velocidade da reação, tais como temperatura, concentração e catalisadores.

MATERIAIS E REAGENTES


1. Tubo de ensaio
2. Água destilada
3. Cronômetro
4. Iodeto de potássio
5. Sulfato de sódio
6. Vasilha com gelo
7. Cloreto de cobre
8. Cloreto de férrico
9. Conta gotas
10. Agua oxigenada volume 30
11. Pinça de madeira
12. Termômetro
PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

(Prática 01)

Em cinco tubos de ensaio de 18 x 150 mm numerados de 1 a 5 adicionou-
se 10 ml da solução 0,01 mol/L de KIO₃ (Iodeto de potássio) ao tubo 1, aos de
mais tubos, 8,6,4,e 2 ml desta solução na devida ordem crescente de suas
numerações. Posteriormente acrescentou-se no segundo tubo (numero dois),
2 ml de agua destilada, prosseguindo em ordem crescente de 2ml de volume
para cada tubo ate o numero 5. Agitaram-se os tubos para obter
homogeneização da solução. Ao tubo numero 1, acrescentou-se 10 ml de
solução a 0,04% m/v de NAHSO₃ e o cronômetro foi acionado neste instante
até que a solução tivesse uma coloração azul, Repetiu-se esse procedimento
ao demais tubos.





(Prática 02)

Essa prática se divide em duas etapas. 1ª- Em um tubo de ensaio adicionamos
5mL de solução de KIO
3
e no outro 5mL de solução de NaHSO
3
, medimos a
temperatura no interior dos tubos (temperatura ambiente) e adicionamos ao tubo
contendo a solução de KIO
3
a solução de NaHSO
3.
Agitamos para homogeneizar
e marcamos o tempo necessário para que a reação ocorra. 2ª- Repetimos a
primeira etapa, só que desta vez colocamos os tubos em banho de gelo, e assim
que ambos os tubos atingiram 5ºC adicionamos ao tubo contendo a solução de
KIO
3
a solução de NaHSO
3
homogeneizamos e marcamos o tempo necessário
para a reação se processar.




(Prática 03)

Nessa prática foi utilizado 2 tubos de ensaio. Com o auxilio de uma pinça de
madeira foi adicionado cerca de 1,0ml de agua oxigenada a 30 volumes em
cada um dos tubos, em seguida utilizando um conta gotas adicionou-se 2
gotas de Cloreto de cobre em um dos tubos e 2 gotas de cloreto de férrico em
outro tubo





RESULTADOS E DISCUSSÃO


A tabela 01 mostra os valores de volume gasto de iodeto de potássio e
água destilada e o tempo transcorrido a partir do momento em que a solução de
sulfato de sódio NaHSO₃ foi transferida ao tubo de ensaio contendo a solução de
iodeto de potássio. A tabela 2 mostra as temperaturas com relação ao tempo
decorrido para que a reação ocorra e fica implícito que quanto menor a
temperatura, mais lenta é a reação. Já a tabela 03, mostra os valores ao adicionar
FeCl₃ na água oxigenada, onde observou-se uma reação exotérmica, rápida de
coloração marrom e quando adicionado CuCl
2
também houve uma reação
exotérmica, porém um pouco mais lenta e com coloração levemente azulada.

Tabela 01: Tempo de reação em relação ao volume se solução adicionado
Tubo de
Ensaio
KIO₃
(ml)
Água
destilada
(ml)
NaHSO₃
(ml)
Tempo
decorrido (s)
1 10 10 26’’97’’’
2 8 2 10 31’’12’’’
3 6 4 10 37’’63’’’
4 4 6 10 58’’06’’’
5 2 8 10 2’02’’


Tabela 02: Tempo de reação em função da temperatura
Tubo Temperatura (ºC) Tempo decorrido (s)
1 21 24''
2 5 48''


Tabela 03: Efeito catalisador sobre as reações
Tubo Solução a
ser
adicionada
Volume a
ser
adicionado
Observações
1 FeCl₃ 2 gotas Mistura exotérmica espontânea, foi uma
reação rápida
2 Cucl₂ 2 gotas Mistura exotérmica espontânea, reação
mais lenta

Respostas do Questionário:
1- Em relação ao NaHSO
3
na reação com o KIO
3
, ele é oxidante ou redutor?

O NaHSO
3
é o agente redutor, pois o enxofre sofre oxidação e reduz o íon
iodo.

2- A que se deve o aparecimento da cor azul a primeira reação?

O aparecimento da cor azul pode ser explicado pela interação do iodo
produzido na reação do NaHSO3 e do KIO3...
3-
4-
5-
6-