You are on page 1of 4

Carta de Santo Inácio de Antioquia aos Magnésios - Sobre a Obra

Por Alessandro Ricardo Lima
Esta carta foi escrita em Esmirna onde Policaro era biso! aro"imadamente em #$% d&C&&
'amas! ent(o biso de Magnésia! )ai até Esmirna saudar Inácio a! além dos resb*teros
+asso e Aol,nio e o diácono -otion& Inácio aro)eita a oortunidade ara en)iar uma
carta . comunidade da Magnésia&
Podemos erceber nesta carta que a Igre/a /á se encontra)a organi0ada em tr1s n*)eis
2ieráquicos distintos3 biso! resb*teros e diáconos&
4 o mais antigo testemun2o da era 5s-aot5lica da fé na Sant*ssima 6rindade 7Magnésios -
Sauda8(o9& Inácio confessa a semre e"ist1ncia da essoa di)ina de Cristo 7Magnésios :3#9
e sua 'i)indade! aontando-o como insirador dos Profetas 7Magnésios ;3<9& Inácio dá
testemun2o da fé rimiti)a em um =nico 'eus 7Magnésios ;3<9! mas comosto or tr1s
essoas di)inas 7Magnésios #>9&
O tema central da carta é a ?nidade& Inácio e"orta toda a comunidade . submiss(o ao
diáconos! e estes aos resb*teros e estes ao biso& A 2ierarquia de)e ser reseitada como
sinal de uni(o com 'eus& A carta re)ela a imort@ncia que o cristianismo rimiti)o da)a ao
biso! que era fundamental na edifica8(o e condu8(o da Igre/a! ois reresenta)a o r5rio
'eus 7Magnésios :3#9
Aesta carta obser)amos que os rimeiros crist(os guarda)am o domingo como dia santo
7'ia do Sen2or9 em )e0 do sábado 7Magnésios B3#9& E! ainda que obser)a)am como regra
de fé o Magistério da Igre/a em )e0 da Lei de Moisés 7Magnésios ;CBC#$9&
Carta de Santo Inácio de Antioquia aos Magnésios - Cas I a DII
Por Santo Inácio de Antioquia
6radu8(o3 I)o Storniolo! Euclides M& +alancin
Eonte3 Padres Aost5licos! Dolume I! Cole8(o Patr*stica& Ed& Paulus
Sauda8(o
Inácio! também c2amado 6e5foro! . Igre/a que está em Magnésiaa! /unto ao Meandro!
aben8oada na gra8a de 'eus em Fesus Cristo nosso Sal)ador& Min2a sauda8(o e meus )otos
de grande alegria em 'eus Pai e em Fesus Cristo&
Amor na unidade
#& #6endo con2ecido a ordem erfeita do )osso amor segundo 'eus! alegrei-me e ensei
em falar-)os na fé em Fesus Cristo& <Gonrado com o nome de eslendor di)ino! nessas
cadeias que ora carrego! eu canto ara as Igre/as e dese/o-l2es a uni(o na carne e no es*rito
de Fesus Cristo! nossa eterna )idaC uni(o na fé e no amor! ao qual nada é refer*)el! e! o que
é mais imortante! uni(o com Fesus Cristo e o Pai& Se nele erse)erarmos e e)itarmos todas
as amea8as dos r*ncies deste mundo! c2egaremos até 'eus&
<& #6i)e a 2onra de )os )er na essoa de 'amas! )osso biso digno de 'eus! e na essoa de
)ossos resb*teros +asso e Aol,nio! como também do diácono -otion! meu coman2eiro
de ser)i8o! de cu/a resen8a esero semre usufruir& Ele é submisso ao biso como . gra8a
de 'eus! e aos resb*teros como . lei de Fesus Cristo&
Reseito elo +iso
>& #Con)ém que n(o abuseis da idade do )osso biso b! mas! elo oder de 'eus Pai! l2e
tributeis toda re)er1ncia& 'e fato! eu soube que )ossos santos resb*teros n(o abusaram de
sua e)idente condi8(o /u)enil! mas! como gente sensata em 'eus! se submetem a ele! n(o a
ele! mas ao Pai do biso de todos! Fesus Cristo& <Portanto! ara 2onra daquele que nos
amou! é reciso obedecer sem nen2uma 2iocrisia! orque n(o é ao biso )is*)el que se
engana! mas é ao in)is*)el que se mente& A(o se fala da carne! mas do 'eus que con2ece as
coisas escondidas&
H& #4 reciso n(o s5 le)ar o nome de crist(o! mas ser de fato& Alguns falam semre do
biso! mas deois agem de modo indeendente& Estes n(o me arecem ter boa consci1ncia!
ois n(o se re=nem ara o culto de modo )álido! conforme o mandamentoc&
I& #As coisas t1m fim! e duas coisas est(o diante de n5s3 a morte e a )ida! e cada um irá
ara o seu r5rio lugar& <4 como se se tratasse de duas moedas! a de 'eus e a do mundo!
cada uma delas cun2ada com a sua marcaC os infiéis tra0em a marca deste mundo! os fiéis
tra0em no amor a marca de 'eus Pai! gra)ada or Fesus Cristo& Se n(o estamos disostos a
morrer or ele! ara articiar de sua ai"(o! a )ida dele n(o está em n5s&
:& #Aas essoas acima designadas eu )i e amei na fé toda a )ossa comunidade& Por isto )os
e8o que este/ais disostos a fa0er todas as coisas na conc5rdia de 'eus! sob a resid1ncia
do biso! que ocua o lugar de 'eus! dos resb*teros! que reresentam o colégio dos
a5stolos! e dos diáconos! que s(o muito caros ara mim! aos quais foi confiado o ser)i8o
de Fesus Cristo! que antes dos séculos esta)a /unto do Pai e or fim se manifestou& <6endo
todos essa unidade de sentimentos que )em de 'eus! reseitai-)os mutuamente& Jue
ninguém ol2e o seu r5"imo segundo a carne! mas amai-)os uns aos outros em Fesus
Cristo& Jue n(o 2a/a entre )5s que )os ossa di)idir! mas uni-)os ao biso e aos c2efes
como sinal e ensinamento de incorrutibilidade&
%& #Assim como o Sen2or nada fe0! nem or si mesmo nem or meio de seus a5stolos!
sem o Pai! com o qual ele é um! também )5s n(o fa8ais nada sem o biso e os resb*teros&
A(o tenteis fa0er assar or lou)á)el coisa alguma que fi0erdes so0in2os& Pelo contrário!
reunidos em comum! 2a/a uma s5 ora8(o! uma s5 s=lica! um s5 es*rito! uma s5 eseran8a
no amor! na alegria imaculada! que é Fesus Cristo3 nada é mel2or do que ele& <Correi todos
/untos como ao =nico temlo de 'eus! ao redor do =nico altar! em torno do =nico Fesus
Cristo! que saiu do =nico Pai e que era =nico em si e ara ele )oltou&
aAntiga cidade da Cária! regi(o costeira do sudoeste de 4feso! /unto ao rio Meandro&
Col,nia fen*cia! foi 2eleni0ada elos dorianos& Mais tarde! fe0 arte do territ5rio do rei de
Pérgamo e ane"ada! em #>>! or Roma& Aliada a Roma! na guerra contra Mitridates!
tornou-se cidade li)re elos esfor8os de Silas&
bInácio ad)erte aos crist(os magnesianos que! aesar da ouca idade! o biso merece todo
reseito! ois é reciso fa0er tudo Kem comumK! na unidade! e ara ele o biso é o fator
essencial da unidade&
cEorte e)id1ncia de que aquele que n(o está em comun2(o com a 2ierarquia n(o está em
comun2(o com a Igre/a e com Fesus&
Carta de Santo Inácio de Antioquia aos Magnésios - Cas DIII a LD
Por Santo Inácio de Antioquia
6radu8(o3 I)o Storniolo! Euclides M& +alancin
Eonte3 Padres Aost5licos! Dolume I! Cole8(o Patr*stica& Ed& Paulus
Cuidado com os /udai0antes
;& #A(o )os dei"eis enganar or doutrinas 2eterodo"as nem or )el2as fábulas que s(o
in=teis& Com efeito! se ainda )i)emos segundo a lei! admitimos que n(o recebemos a gra8a&
<'e fato! os di)in*ssimos rofetas )i)eram segundo Fesus Cristo& Por essa ra0(o foram
erseguidos! ois eram insirados ela gra8a dele! a fim de que os incrédulos ficassem
lenamente con)encidos de que e"iste um s5 'eus! que se manifestou or meio de Fesus
Cristo seu Eil2o! que é o seu Derbo sa*do do sil1ncioC e que em todas as coisas se tornou
agradá)el .quele que o tin2a en)iado&
B& #Aqueles que )i)iam na antiga ordem de coisas c2egaram . no)a eseran8a! e n(o
obser)am mais o sábado! mas o dia do Sen2or! em que a nossa )ida se le)antou or meio
dele e da sua morte& Alguns negam isso! mas é or meio desse mistério que recebemos a fé
e no qual erse)eramos ara ser disc*ulos de Fesus Cristo! nosso =nico Mestre& <Como
odemos )i)er sem aquele que até os rofetas! seus disc*ulos no es*rito! esera)am como
MestreM Eoi recisamente aquele que /ustamente esera)am! que ao c2egar! os ressucitou
dos mortos&
#$& #Portanto! n(o se/amos insens*)eis . sua bondade& Se ele nos imitasse na maneira como
agimos! /á n(o e"istir*amos& Contudo! tornando-nos seus disc*ulos! abra8amos a )ida
segundo o cristianimso& Juem é c2amado com o nome diferente desse! n(o é de 'eus&
<Fogai fora o mau fermento! )el2o e ácido! e transformai-)os no fermento no)o! que é Fesus
Cristo& 'ei"ai-)os salgar or ele! a fim de que nen2um de )5s se corroma! ois é elo odor
que sereis /ulgados&
>4 absurdo falar de Fesus Cristo e! ao mesmo temo /udai0ar& A(o foi o cristianismo que
acreditou no /uda*smo! e sim o /uda*smo no cristianismo! ois nele se reuniu toda l*ngua
que acredita em 'eus&
##& #Meus car*ssimos! n(o )os escre)o isso or ter sabido que alguns dentre )5s se
comortam desse modo& Ao contrário! embora inferior a )5s! quero dei"ar-)os de
sobrea)iso! ara que n(o se/ais fisgados elo an0ol da )aidade! mas este/ais con)encidos do
nascimento! da ai"(o e da ressurrei8(o que aconteceram sob o go)erno de P,ncio Pilatos&
Essas coisas foram reali0adas )erdadeira e seguramente or Fesus Cristo! )ossa eseran8a!
da qual nen2um de )5s ossa /amais se afastar&
Di)er na fé e na unidade
#<& #Possa eu alegrar-me con)osco em todas as coisas! caso eu se/a digno& Embora
acorrentado! n(o me osso comarar com um s5 de )5s que estais li)res& Sei que n(o )os
inflais de orgul2o! ois tende Fesus Cristo em )5s& Por outro lado! quando )os elogio! sei
que )os enrubesceis de )ergon2a! como está escrito3 KO /usto é acusador de si mesmo&K
#>& #Procurai manter-)os firmes nos ensinamentos do Sen2or e dos a5stolos! ara que
rosere tudo o que fi0erdes na carne e no es*rito! na fé e no amor! no Eil2o e no Pai e no
Es*rito! no rinc*io e no fim! unidos ao )osso dign*ssimo biso e . reciosa coroa
esiritual formada elos )ossos resb*teros e diáconos segundo 'eus& <Se/am submissos ao
biso e também uns aos outros! assim como Fesus Cristo se submeteu! na carne! ao Pai! e os
a5stolos se submeteram a Cristo! ao Pai e ao Es*rito! a fim de que 2a/a uni(o! tanto f*sica
como esiritual&
Sauda8(o Einal
#H& #Sei que estais reletos de 'eus e! or isso! )os e"ortei bre)emente& Lembrai-)os de
mim em )ossas ora8Nes! a fim de que eu ossa alcan8ar a 'eus! e lembrai-)os da Igre/a que
está na S*ria! da qual eu n(o sou digno de ortar o nome& 6en2o necessidade da )ossa
ora8(o unida em 'eus e do )osso amor! a fim de que! ela )ossa Igre/a! a Igre/a da S*ria
mere8a receber o or)al2o celeste&
#I& #Sa=dam-)os os efésios de Esmirna! de onde )os escre)o& Eles )ieram aqui ara a
gl5ria de 'eus! como também )5s& E em tudo me reconfortaram! /untamente com
Policaro! biso dos esmirniotas& As outras Igre/as também )os sa=dam em 2onra de Fesus
Cristo& Este/am bem! na 2armonia com 'eus! ossuindo o es*rito inseará)el! que é Fesus
Cristo&