You are on page 1of 4

Vamos falar Sobre ideias?

A ideia é a grande fonte de mudança da humanidade. Ideias são os meios que
nós temos de mudar a nossa vida para melhor ou para pior. Antes de qualquer
atitude vem os pensamentos e a medida em que perguntas são feitas as
respostas são organizadas na nossa mente, assim surgem as ideias.
Essas perguntas são a base da nossa inconformidade, frustração e conflitos.
Conheça a ideia:
Tente por um momento, questionar o que se entende como verdade.
Recentemente notamos de forma clara que a nossa percepção em relação a
existência humana é diferente da percepção social comum. Isso nos incomoda
bastante. Política, Religião, Economia, Relações Humanas, Desigualdade, ciclos
e mais ciclos… o que há de errado com a sociedade?
Percebemos que esta maneira de pensar tem um grande potencial: O potencial
da mudança. Porém esbarramos em uma imensa barreira: Como mudar?
Buscamos por material teórico incentivador, motivador mas não “em um
sentido auto-ajuda” e sim no aspecto de que não devemos deixar que terceiros
nos guiem, que controlem nossas vidas mesmo que tenhamos que bater de
frente com o senso comum. Não achamos material suficiente, então tivemos
essa ideia: Um manual.
Vivemos todos em uma realidade bem parecida, temos os mesmos conflitos e
grande parte dos nossos problemas tem as mesmas causas.
Nadar contra a correnteza é um problema por si só. Pensar diferente, agir
diferente, ser diferente. Somos uma minoria, não significa que estamos sós. Se
não estamos sós onde estariam os outros que pensam igual a nós? Como
reunir os que pensam diferente?
Só faltava uma coisa. Um lugar comum, onde compartilharíamos nossas ideias,
soluções e pontos de vista, formando um grande banco de dados. Um lugar
onde podemos, discordar, formar opiniões, mudar de opinião, evoluir e refazer
escolhas que não deram certo. Um manual de quem pensa diferente.
Você está aí porque você quer – parte 2 de 2 – Para evoluir, faça agora.
A mudança começa como um choque. Sair do ponto zero e tomar as primeiras
atitudes é ir de encontro aos seus costumes e desafiar os hábitos.
Toda jornada começa em algum lugar. O ponto zero.
É como começar a praticar exercícios. Seu corpo vai entrar em desequilíbrio.
Você deve começar aos poucos, se adaptar e gradativamente aumentar a
carga. Será doloroso e difícil, mas sair da zona de conforto fará com que você
se sinta melhor, você verá mudanças positivas e poderá esculpir suas atitudes
da mesma forma que faz com o corpo. Mesmo com as mudanças nos hábitos,
em algum tempo seu corpo irá parar de crescer e de queimar gordura. Seu
corpo estará em equilíbrio. Então novamente você deverá mudar os exercícios
e a quantidade de repetições para causar um choque novamente, entrar em
desequilíbrio e alcançar a próxima evolução. É um ciclo contínuo de tentar
melhorar. Evolução.
Moldar nossas atitudes acontece em um processo semelhante. Exige
percepção, atitude, choque, adaptação e evolução. Depois disso encontramos a
estagnação e devemos partir para uma nova jornada na tentativa de melhorar.
Percepção é o primeiro passo. Exige tato, sensibilidade e aceitação de críticas
construtivas. É um pouco abstrato, mas quando acontece vemos que algo está
errado, que é possível melhorar (sempre é), que temos defeitos e se quisermos
sair de onde estamos e tentar ser pessoas melhores e influenciar os outros de
forma positiva temos que melhorar. O que nos leva ao segundo passo…
Atitude. O ponto mais difícil da caminhada. É a primeira atitude concreta em
direção a mudança. Para tomar a atitude temos que sair da zona de conforto,
abandonar nossos medos, medir consequências, respirar fundo e nos levantar
de onde estamos. O mais importante aqui é fazer algo para que as
engrenagens comecem a funcionar. É importante ter em mente que decidir
mudar não é mudar. Precisamos fazer algo quando queremos evoluir e não
simplesmente decidir fazer algo. O mundo está repleto de pessoas com idéias
brilhantes, e também com muitas pessoas que decidiram realizar,
mas pouquíssimas são as que realmente realizaram.
Choque. Talvez você se sinta um peixe fora d’água nessa fase. Dependendo do
tipo de mudança que decidiu fazer, poderá ser um iniciante em meio a
veteranos e isso causa uma espécie de desconforto. O mais importante aqui é
a disciplina. Entenda desde o começo que você não será movido somente por
força de vontade. A força de vontade te acompanha em dias de autoestima
elevada, em dias positivos. Funciona em picos que te dão vontade de fazer
algo, mas desaparecem na mesma velocidade. É o famoso fogo de palha. Fogo
de palha não é algo ruim, mas não funciona sozinho. Para manter a chama
acesa você precisa de algo a mais, precisa de disciplina e isso você só
consegue lutando contra seus desejos quando isso for necessário.
A adaptação é uma fase legal mas perigosa. Você começa a ver os primeiros
resultados, mas não deve aliviar a sua busca por conta disso. É um momento
crucial, pois muitas vezes desistimos de nossos objetivos quando percebemos
que somos capazes de alcançá-los. Parece contraditório mas já vi muitas
pessoas que fizeram isso e me incluo nessa estatística. As vezes quando
percebemos ser capazes de realizar algo abandonamos esse objetivo e
passamos para algo diferente antes de desfrutarmos do resultado de nossos
esforços.
Evolução. É onde vemos o resultado alcançado e normalmente estamos
colhendo os frutos dos nossos esforços. Significa o fim de um ciclo mas o
começo de outro. Alcançar esse estágio nos leva novamente a zona de
conforto, portanto depois de desfrutar um pouco das alegrias que esse estágio
te traz é hora de partir para o começo e fazer tudo de novo, rumo a uma nova
melhoria. Seja na sua forma física, na sua forma de lidar com as pessoas,
qualificação profissional ou em algo mais íntimo, como uma característica
pessoal.
Nesse caminho para evoluir existem algumas regras básica, mas três regras
que são essenciais:
1. Jamais espere condições ideais para agir. As condições ideais só existiriam
se o problema já tivesse sido superado. No entanto quando ele for superado
novos problemas ou novas possibilidades de melhoria surgirão, ou seja, o
cenário perfeito nunca existirá. Portanto o mais importante é sair do lugar.
2. Não deixe para depois. Caso queira fazer isso, é melhor admitir a
incapacidade do que se torturar, condicionando seu cérebro a querer fazer
algo que você não vai se esforçar para concretizar. Para ver mudanças de curto
ou longo prazo na sua vida comece agora. A dieta não deve esperar pela
segunda-feira, o estudo não precisa esperar pela biblioteca. Deixar para
amanhã pode ser uma armadilha chamada procrastinação. Uma armadilha que
te levará a um ciclo vicioso de nunca completar nada do que você iniciou.
3. Disciplina. Uma habilidade fundamental no cumprimento de qualquer tarefa.
Disciplina te faz superar os dias difíceis e seguir mesmo quando a vontade é
zero. Como dito anteriormente. Não se deixe guiar somente por força de
vontade, crie o hábito. Eduque-se para fazer o que quer que seja com
excelência, mas nos dias mais difíceis nos quais isso não for possível, faça
mesmo assim. Isso fará com que você evolua mais do que nos dias de grande
inspiração.
Não fique a espera de inspiração, faça algo, se esforce, entregue seu suor e ela
naturalmente virá.