You are on page 1of 24

O termo “blog” é a abreviatura do termo original da língua inglesa

“weblog”, sendo nada mais do que uma página Web dinâmica e interactiva.
Para alguns Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web e criador do
primeiro website, é também considerado o criador do primeiro Weblog, tendo
este sido utilizado pela primeira vez em 1997 por Jorn Barger1.
Os primeiros Web blogues foram criados por pessoas com alargados
conhecimentos informáticos para gerarem páginas WWW, uma vez que não
existiam ainda disponíveis serviços automáticos de criação, gestão e
alojamento de blogues.
Actualmente, e segundo Maria João Gomes2, o blogue possibilita uma
fácil utilização, desde a sua criação, gestão e manutenção, até à facilidade de
acesso através de qualquer computador com ligação à internet, sendo
actualizada com grande frequência através da colocação de mensagens – que
se designam “posts” – sem a necessidade de escrever qualquer tipo de código
em HTML. Estas mensagens constituídas por imagens e/ou textos, muitas
vezes incluem hiperligações para sites de interesse e/ou comentários e
pensamentos pessoais do autor e são apresentadas de forma cronológica, isto
é, exibindo a última mensagem na primeira posição da página inicial.
Os blogues possuem ferramentas de publicação que permitem entradas
frequentes, não só de texto, mas também de vídeo, de fotografias, de áudio,
etc. Oferecem também uma área onde os visitantes podem deixar comentários,
criando assim, uma comunidade de pessoas com os mesmos interesses, onde
podem partilhar opiniões, passar dicas, tirar dúvidas, enfim, relacionarem-se à
distância através de um simples “click”.
O sucesso dos blogues está muito provavelmente associado ao facto de
estes constituírem espaços de publicação na Web, sendo facilmente utilizáveis
por internautas sem conhecimentos de construção de websites, e
frequentemente sem custos para os seus criadores. Existindo mesmo, sites
que disponibilizam sistemas de criação, gestão e alojamento gratuito de
weblogs.

1
Jorn Barger foi o editor do blogue original e concebeu o termo weblog, disponível em:
http://en.wikipedia.org/wiki/Jorn_Barger
2
“Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica”, disponível em:
https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/4499/1/Blogs-final.pdf
Podemos então concluir que os blogues são baseados em mecanismos
que facilitam a criação, edição e manutenção de uma página na Web.
De realçar que um dos blogues mais conhecido mundialmente é o
http://www.blogspot.com, o qual em Portugal é denominado por
https://www.blogger.com, sendo juntamente com o http://blogs.sapo.pt/ os mais
usados no nosso país.

Blogue na Educação

O Blogue é, provavelmente, a ferramenta Web 2.0 mais conhecida e
utilizada no contexto educativo.
O conceito de blogue tem vindo a expandir-se, sendo a sua definição
cada vez menos consensual em resultado da diversidade de formas, objectivos
e contextos de criação, bem como da diversidade e distinta natureza dos seus
criadores.
Dos blogues pessoais, adoptando a fórmula do “diário electrónico”, aos
blogues visando a difusão de informação com intuitos comerciais, pode
encontrar-se de tudo na Web. Assim, do autor individual que connosco partilha
a sua intimidade ou os seus interesses, à autoria institucional formalmente
assumida, passando pelos blogues criados e mantidos por grupos de pessoas,
existe todo um leque de possibilidades em termos de autoria.
É possível encontrar milhares de blogues na Internet, abrangendo toda
uma diversidade de temas, de especificidade e com diferentes objectivos
(lúdico, informativo, político, de intervenção cívica, etc.). Os blogues são
encarados pelo seu autor como uma forma de expressão, de natureza íntima e
intimista (apesar de num espaço com um público potencial à escala mundial)
ou procurando a notoriedade e a máxima divulgação das ideias expostas.
Assim, um blogue pode ser um simples arquivo de hiperligações úteis
enriquecido com comentários ou descrições.
O blogue pode também constituir um registo digital das reflexões e/ou
emoções do seu autor ou apresentar-se com um espaço de troca de ideias e
confronto de perspectivas, procurando o escrutínio público e incentivando a
participação dos “bloguers” que o visitam.
Com o surgimento dos sites de criação, gestão e alojamento de blogs
gratuitos e de fácil utilização, a criação de um blogue tornou-se uma tarefa
acessível a qualquer utilizador da Internet.
Em consequência, o conceito de blogue tem vindo a evoluir ao ritmo da
criatividade e imaginação dos internautas, tendo também chamado a atenção
de investigadores, professores e outros profissionais com preocupações no
domínio da educação.
No sentido de sistematizar as possíveis utilizações pedagógicas dos
blogues consideram-se duas categorias possíveis:
Como recurso pedagógico;
Como estratégia educativa.
As utilizações potenciais dos blogues como recurso e como estratégia
pedagógica são muito diversificadas:
Enquanto recurso pedagógico os blogues podem ser um espaço de:
Acesso a informação especializada;
Disponibilização de informação por parte do professor.
Enquanto “estratégia pedagógica” os blogs podem assumir a forma de
um:
Portfólio digital;
Espaço de intercâmbio e colaboração;
Espaço de debate – “role playing”;
Espaço de integração.
A utilização educativa dos blogues tem sido alvo do interesse recente de
muitos autores que não param de advogar em favor das suas inúmeras
potencialidades educativas.
Nesse sentido há quem os considere como meios flexíveis muito potentes
para a comunicação em ambientes “b-learning”, advogando que a construção
de blogues encoraja o desenvolvimento do pensamento crítico e que
proporciona a oportunidade de confrontarem as suas ideias/reflexões num
plano social, participando na construção social do conhecimento.
Há blogues criados e dinamizados por professores ou alunos, de autoria
individual ou colectiva, de professores e alunos, estando focalizados em
temáticas de disciplinas específicas e outros que procuram alcançar uma
dimensão transdisciplinar.
Há também blogues que se constituem como portfolios digitais do
trabalho escolar realizado e outros que funcionam como espaço de
representação e presença na Web de escolas, departamentos ou associações
de estudantes.
O leque de explorações e o número de professores e alunos envolvidos
não pára de aumentar. A blogosfera educacional é cada vez mais transversal
aos diferentes níveis de ensino, desde o pré-escolar ao ensino superior.
Pretende-se assim sistematizar um conjunto de possíveis vertentes de
exploração dos blogues em contexto escolar, os quais podem ser utilizados de
forma individual ou colectiva, sendo muito versáteis em termos de exploração
pedagógica, muito fáceis de conceber e actualizar e daí a enorme popularidade
e o interesse crescente em aferir do seu potencial educativo.

Manual

Existem várias ferramentas gratuitas para a criação de um blogue, sendo
que todas são bastante simples de criar e utilizar.
Optei pelo Blogger (cf. Figura 1), que neste momento é, sem dúvida, um
dos mais utilizados, especialmente em Portugal.
Figura 1 – Página Inicial do Blogger

Para entrar basta aceder ao site www.blogger.com e ter em atenção dois
aspectos importantes: possuir já uma conta do Google criada para fazer o seu
registo ou iniciar do zero, isto é, criar em primeiro lugar uma conta de e-mail
Google e de seguida fazer o registo no Blogger.
Para isso vamos começar com a criação de uma conta de e-mail no
Google, onde em primeiro lugar devemos aceder à página do Google,
www.google.pt , (cf. Figura 2) ou aceder directamente à página do Gmail,
www.gmail.com , (cf. Figura 3).
.Figura 2 – Criar uma conta no Google

Figura 3 - Criar uma conta directamente no site do Gmail

Depois de clicar em “Criar uma conta” irá aparecer um ecrã para a
introdução dos seus dados pessoais (cf. Figura 4, 5). No fim é pedida uma
verificação de palavras antes de aceitar criar a sua conta (cf. Figura 6).
Figura 4 – Introdução dos dados pessoais

Figura 5 – Introdução dos dados pessoais (cont.)
Figura 6 – Verificação de palavras e Criar conta

Depois de ter criado a sua conta de e-mail no Google, vamos então criar o
nosso Blogue, propriamente dito. Para isso irá aceder novamente à página
www.blogger.com e introduzir o e-mail que criou anteriormente e clicar em
“Criar um Blogue” (cf. Figura 7).

Figura 7 – Inicio da criação do Blogue
O passo seguinte é introduzir os seus dados da conta de e-mail criada
anteriormente clicando em “inicie sessão primeiro” para passar ao passo
seguinte (cf. Figura 8).

Figura 8 – Iniciar Sessão Primeiro

Para aceder à criação propriamente dita do seu Blogue terá que
preencher o e-mail e a sua palavra - passe para passar ao passo seguinte (cf.
Figura 9).

Figura 9 – Aceder com os seus dados pessoais ao Blogger.com
No próximo passo, irá escolher o título para o seu Blogue e também o
endereço (não poderá ter espaços, caracteres especiais nem acentos) e por
fim fazer a verificação de palavras e clicar em continuar para passar ao passo
seguinte (cf. Figura 10).
Em relação ao endereço terá sempre que fazer a verificação da
disponibilidade, pois poderá já existir o endereço que escolheu (cf. Figura 11).

Figura 10 – Atribuir nome e endereço ao Blogue

Figura 11 – Verificação de disponibilidade do endereço do site
Após a verificação de disponibilidade do endereço do seu Blogue e se a
“Verificação de palavras” estiver correcta, poderá clicar em “Continuar” para
passar á última fase de criação do seu Blogue (cf. Figura 12).

Figura 12 – Endereço e Verificação correctas

O último passo é a selecção do modelo que pretende para o seu Blogue.
Antes de o seleccionar poderá pré-visualizar o modelo em questão (cf. Figura
13), e por fim clicar em “continuar” para finalizar a criação do seu Blogue (cf.
Figura 14).

Figura 13 – Último passo: Selecção do Modelo
Figura 14 – Blogue criado, comece a usá-lo

O seu blogue está criado, este é o aspecto da sua selecção (cf. Figura
15). Se verificar em cima no endereço aparece a escolha que fez anteriormente
após a verificação da disponibilidade.

Figura 15 – O seu Blogue
No modo de edição do Blogue temos quatro tipos de separadores.
No primeiro separador, denominado “envio de mensagens”, irá criar e
editar as suas mensagens, com uma barra de ferramentas, onde para além da
formatação de texto poderá adicionar imagens, vídeos e hiperligações, e por
fim moderar os comentários das pessoas que visitam o seu Blogue (cf. Figura
16, 17, 18).
Qualquer mensagem depois de publicada poderá ser alterada sempre que
quiser, bastando para isso aceder ao separador de “editar mensagens” e fazer
as alterações que considere necessárias.

Figura 16 – Criar Mensagem e Barra de Ferramentas

Figura 17 – Editar Mensagens
Figura 18 – Moderação de Comentários

O segundo separador, “Definições”, é aquele que lhe permite configurar
as opções básicas de publicação, de formatação, dos comentários, da maneira
como deseja arquivar as mensagens, o Site Feed, E-mail e Mobile, o Open ID e
as permissões para leitores do Blogue e para quem tem direito de publicar
mensagens.
Sempre que fizer qualquer alteração deverá guardá-las no fim de cada
separador em “Guardar Definições”, para que estas tenham efeito no seu
Blogue (cf. Figura 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27).

Figura 19 – Definições - Básico
Figura 20 – Definições - Publicação

Figura 21 – Definições – Formatação
Figura 22 – Definições – Formatação

Figura 23 – Definições – Arquivamento

Figura 24 – Definições – Site Feed
Figura 25 – Definições – E-mail e Mobile

Figura 26 – Definições - OpenID
Figura 27 – Definições - Permissões

Passamos então para o terceiro separador, “Esquema”, o qual inclui
quatro separadores onde irá configurar o seu Blogue para o tornar mais
interessante e apelativo.
Em “elementos de página”(cf. Figura 28) irá configurar e reorganizar os
elementos que constam na página, tais como o cabeçalho, os seguidores, os
arquivos, entre outros.

Figura 28 – Esquema – Elementos de Página
Sempre que entrar em “tipos de letra e cores” irá visualizar o seu Blogue e
ao mesmo tempo que muda o tipo ou as cores das letras vai poder pré-
visualizar as alterações efectuadas (cf. Figura 29).
Se não tiver conhecimentos de programação, será melhor não efectuar
quaisquer alterações em ”editar HTML”, pois essas só deverão ser feitas por
alguém com vasta experiencia em programação, (cf. Figura 30).
Ao entrar em “seleccionar novo modelo”, poderá alterar a estrutura e o
aspecto do seu Blogue (cf. Figura 31).
No separador “Esquema” tem sempre a possibilidade de anular as
configurações que faz, guardá-las e pré-visualizá-las.

Figura 29 – Esquema – Tipo de Letras e Cores
Figura 30 – Esquema – Editar HTML

Figura 31 – Esquema – Seleccionar Novo Modelo
Por fim temos o quarto separador, “ Circular”, onde poderá configurar o
seu Blogue para mostrar publicidade, através de anúncios que o Google
escolhe automaticamente, consoante o conteúdo do seu Blogue (cf. Figura 32).

Figura 32 – Separador Circular

Sempre que quiser visualizar o seu Blogue aquando da sua configuração
deverá clicar em “Ver Blogue”, situado logo a seguir aos separadores que
enunciei anteriormente (cf. Figura 33).

Figura 33 – Visualizar o seu Blogue
Sempre que quiser sair do seu Blogue deverá clicar em “Terminar
Sessão” (cf. Figura 34).

Figura 34 – Terminar sessão no seu Blogue

Depois de criado o seu Blogue, sempre que entrar novamente nele será
direccionado para o “Painel” onde terá todos os seus blogues criados, caso
tenha mais do que um, e onde poderá entrar nas configurações que pretender,
nomeadamente, “Envio de mensagens”, “Definições”, “Esquema” e “Circular”,
ou simplesmente ver o seu Blogue em modo administrador, podendo assim
fazer as alterações que pretender (cf. Figura 35).

Figura 35 – Entrar na sua conta do Blogger (Painel)
Referências

Site oficial do Blogger.
Disponível em:
http://www.blogspot.com

Ana Carvalho, “ Manual de ferramentas da Web 2.0 para professores” (Outubro
2008).
Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/8286

Clara Pereira Coutinho, “Utilização de blogues na formação inicial de
professores: um estudo exploratório” (Outubro 2006).
Disponível em:
http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/6455/1/Artigo%20blogs%20
SIIE06.pdf

Maria João Gomes, “Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica”
(Novembro 2005).
Disponível em:
http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/4499

Clara Pereira Coutinho, João Batista Bottentuit Júnior, “Blog e Wiki: os futuros
professores e as ferramentas Web 2.0” (Novembro 2007).
Disponível em:
http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7358

Clara Pereira Coutinho, “Tecnologias Web 2.0 na sala de aula: três propostas
de futuros professores de português” (Maio 2009).
Disponível em:
http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7358
Oliveira, A. S. & Cardoso, E. L., “Novas perspectivas no ensino da Lingua
Inglesa: Blogues e Podcasts, In Educação, Formação & Tecnologias” (2009).
Disponível em:
http://eft.educom.pt

Ana Carvalho, Maria da Graça P. C. Magalhães, “O blogue: uma ferramenta
facilitadora de aprendizagem e de comunicação na aula de francês” (2008).
Disponível em:
http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/8557/1/F013-
Cardoso%20&%20Carvalho%20%282008%29.pdf

Luís António Santos, “A explosão” dos weblogs em Portugal: percepções sobre
os efeitos no jornalismo (Abril 2004).
Disponível em:
http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/7358

Maria João Gomes, “Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica”
(Novembro 2005).
Disponível em:
https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/4499/1/Blogs-final.pdf

Rebecca Blood, “Weblogs: a history and perspective” (Setembro 2000).
Disponível em:
http://www.rebeccablood.net/essays/weblog_history.html