You are on page 1of 16

Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão

Conhecimento na área Biblioteca escolar

Aspectos críticos
que a Literatura Desafios. Acções a
Domínio Pontos fortes Fraquezas Oportunidades Ameaças
identifica implementar

*Capacidade de *Disponibilidade *Devido à *A Direcção do *Apesar das *A mais complexa,
antecipação – o para a grande afluência agrupamento melhorias desafiadora e
bibliotecário deve ser (auto)formação, de alunos à hora denota: introduzidas, a BE compensadora
prospectivo, ou seja, encarada como de almoço e à capacidade de continua sem um tarefa é,
conhecendo os oportunidade de presença apenas ouvir, dialogar, programa potencialmente, a
actores da desenvolvimento de uma das debater e informático que transformação da
comunidade escolar e pessoal e assistentes negociar; espírito permita a informação em
da comunidade profissional. operacionais, a de cooperação e catalogação e a conhecimento. Para
educativa, assim professora reconhecimento elencagem das tal, é necessário
como o clima e a *Conhecimento bibliotecária tem do papel requisições e dos reformular práticas
cultura de da BE, advindo de se dedicar a fundamental que empréstimos do e procedimentos,
escola/agrupamento, da participação na tarefas que cabe à BE no material livro e do nomeadamente
Competências do
deve ser capaz de sua dinamização, limitam a acesso à material não livro. proceder à
professor bibliotecário
prever evoluções e nos últimos 4 disponibilidade informação e à Pesem embora as deslocação das
desfechos, para poder anos lectivos. para a orientação construção do diligências prioridades de
direccionar o mais dos alunos. conhecimento; concretizadas pela acção. A
adequadamente *Trabalho na BE interesse pelas professora organização do
possível as suas a tempo inteiro. *Apesar de se iniciativas levadas bibliotecária, na espaço da BE, assim
interacções. encontrar a a efeito, nas qualidade de como os recursos
*Possibilidade de exercer funções a quais, elemento da disponíveis, são
*Abertura à mudança participar na tempo inteiro, a frequentemente, equipa da BE, em importantes se
– tem de se manter escolha dos professora está presente o 2008/2009, só este forem colocados ao
atento à evolução membros da bibliotecária Director ou um ano foi viável serviço da
científica, tecnológica equipa. experimenta a membro da solicitar à Câmara construção do
e pedagógica, tendo-a sensação e a Direcção; Municipal de conhecimento. Daí a
1
Conhecimento na área Biblioteca escolar

em conta na *Carácter certeza de que o motivação para Lamego que, à preocupação
reformatação das suas multidisciplinar tempo é transformar e semelhança do que evidenciada na
práticas. da equipa que a demasiado apetrechar o se passou com coluna anterior e a
coadjuva escasso para espaço da BE, de outras escolas, necessidade de
*Pesquisa/investiga- conseguir modo a torná-lo conceda a licença proceder a
ção e actualização – o *Dispõe de duas concretizar todas mais funcional, de um dos vários melhoramentos
bibliotecário deve assistentes as actividades e acolhedor e programas nestas áreas.
assumir-se como um operacionais a tarefas consentâneo com disponíveis no
aprendente que vai tempo inteiro previstas/surgida as actividades a mercado. Para não *(Re)orientar as
alargando e (apenas ao fim da s de forma realizar. inviabilizar a práticas da equipa
diversificando a sua tarde estão inopinada. requisição e o da BE, no sentido
(auto)formação, envolvidas na *Disponibilidade, empréstimo de de se basearem na
nomeadamente limpeza de salas dinamismo e materiais, o recolha de
através da formação de aula). criatividade dos registo destas evidências –
contínua, de modo a elementos da operações tem modificações ao
dar resposta às *Mantém um equipa da BE. sido feito numa nível cognitivo e
diferentes clima de bom base de dados feita
comportamental/
solicitações entendimento *Disponibilidade, pela professora atitudinal registadas
decorrentes do com os alunos, o imaginação, bibliotecária, em nos
exercício da sua que facilita a criatividade e Excel e alunos/formandos
função. integração destes dinamismo aperfeiçoada pelo com quem foram
na preparação e manifestados colega de estabelecidas
concretização de pelos alunos, informática que interacções;
diferentes aquando da integra a equipa. demonstração de
actividades preparação e uma efectiva e
(exemplos: realização das *Inexistência de directa intervenção
Bibliomalta e um interacções. um(a) na aprendizagem e,
grupo que se coordenador(a) da portanto, na
dedicará à *Disponibilidade BE desde consecução dos
dinamização de dos responsáveis Dezembro de 2008 objectivos das
actividades, em por diferentes (data da políticas educativas
interacção com a clubes/grupos de aposentação da do agrupamento.
2
Conhecimento na área Biblioteca escolar

revista Fórum trabalho e colega que exercia *Desenvolvimento
Estudante). gabinetes (já essa função) até à das competências de
referidos entrada em leitura,
*Abertura à anteriormente) funções da compreensão e
mudança, para a formação bibliotecária. Tal expressão, através
consubstanciada: de um núcleo situação originou da potenciação das
na reorganização duro, no sentido atrasos e possibilidades dadas
do espaço da BE, da dinamização descoordenações pelo Plano Nacional
tornando-o mais cultural do que a bibliotecária de Leitura – Ler+,
funcional e agrupamento, tem tentado extensível aos
convidativo à através da remediar. alunos/formandos
leitura, ao estudo realização de de todo o
e ao trabalho; na iniciativas *A recuperação agrupamento.
tentativa de destinadas a verificada é
minimizar os diferentes agentes visível, mas ainda *Concretização de
efeitos do não da comunidade persistem uma real articulação
aproveitamento escolar/comunida limitações/ com diferentes
de oportunidades de educativa. impossibilidades membros da
que teriam provenientes da comunidade
possibilitado a desvalorização da escolar/da
melhoria da BE e do seu papel comunidade
qualidade dos no contexto da educativa, com
serviços educação/forma- destaque para os
prestados. ção dos pais/encarregados
alunos/formandos, de educação. É,
*Reformulação com a consequente efectivamente, um
do “Cantinho da falta de desafio implicá-los
Leitura e da investimento na em iniciativas que
Escrita”, modernização e criem a base de
tornando-o um apetrechamento. confiança e o à-
espaço mais Neste contexto, a -vontade
acolhedor e determinação de indispensáveis ao
3
Conhecimento na área Biblioteca escolar

propício ao transformar a BE envolvimento na co-
desenvolvimento num espaço de -construção do
destas construção de percurso
actividades. conhecimento, educativo/formativo
viabilizou o dos educandos.
*Abertura para o desenvolvimento
estabelecimento/ eficiente e eficaz *Aproveitamento/
alargamento da de diferentes rentabilização de
rede de interacções. todas as
interacções com: oportunidades de
a Educação Pré- *Pré-conceito desenvolvimento
Escolar; os 1.º, 2.º acerca das funções profissional, com
e 3.º Ciclos do da professora destaque para a
Ensino Básico; o bibliotecária, formação contínua.
Ensino segundo o qual,
Secundário; os uma vez
cursos CEF, EFA dispensada da
e TIE; o CNO; os componente
Clubes de lectiva, o trabalho
Leitura, de (pouco) que tem a
Jornalismo seu cargo, não é
(Jornal do de
agrupamento, responsabilidade,
edições impressa ou seja, nada tem
e on-line), da a ver com o acesso
Natureza e da à informação e
Sustentabilidade e com a
de Cinema; o transformação
Gabinete de desta em
Saúde. conhecimento,
nada tem a ver
*Concretização com a formação
4
Conhecimento na área Biblioteca escolar

de diferentes integral do aluno.
interacções com a
comunidade *Falta de tempo,
educativa: expressa por
autarquias alguns
(Câmara coordenadores de
Municipal de departamentos
Lamego e Juntas curriculares, para
de Freguesia), a integrarem a bolsa
Biblioteca de colaboradores
Municipal de cuja formação visa
Lamego e o facilitar a ligação
Centro de e as interacções
Operações BE –
Especiais, entre departamentos
outros. curriculares.

*Implicação de
pais/encarregados
de educação em
actividades
destinadas aos
alunos, em
interacção com o
GAAF.

*Partilha do
trabalho
efectuado com a
comunidade
escolar e a
comunidade
5
Conhecimento na área Biblioteca escolar

educativa, através
da apresentação
das realizações
e/ou da interacção
com o grupo de
trabalho
responsável pela
divulgação das
actividades a
concretizar/
concretizadas na
escola/no
agrupamento.

*Apoio aos
alunos, através da
ajuda/orientação
na concretização
de pesquisas e
outras tarefas
inerentes às
actividades
curriculares/extra-
curriculares.

*Estabelecimento
de tempos e
espaços de
encontro
consagrados à
leitura (nas suas
diferentes
6
Conhecimento na área Biblioteca escolar

modalidades), à
escrita e à
dramatização,
entre outras,
como formas de
cultivar o gosto e
o prazer de ler, a
criatividade e a
imaginação.

*Disponibilidade
para continuar a
participar no
projecto A Mala
que Anda -
possibilidade de
os alunos do 1.º
CEB terem acesso
a livros da BE,
sem terem de se
deslocar à sede do
agrupamento.

*Participação em
iniciativas no
âmbito de
programas que
visam fomentar o
gosto pela leitura,
nomeadamente o
Plano Nacional de
Leitura - Ler+.
7
Conhecimento na área Biblioteca escolar

*Articulação com a
equipa constituída,
aproveitando a mais-
-valia de se tratar de
uma equipa
multidisciplinar.

*Articulação da
acção da BE com os
professores, os
alunos, a Direcção e
outros membros da
comunidade escolar.
Para além desta, a
bibliotecária
Organização e Gestão procurará interagir
da BE com a comunidade
educativa.

*Integração da BE no
Projecto Curricular
do Agrupamento, no
Plano
Anual/Plurianual de
Actividades e nos
Projectos
Curriculares de
Turma.

*Definição de
políticas educativas
facilitadoras da
8
Conhecimento na área Biblioteca escolar

construção do
conhecimento e da
formação integral do
aluno.

*Investimento na
qualidade da BE e
dos seus contributos,
buscando a eficiência
e a eficácia.

*Implementação de
uma avaliação
sistemática dos
processos e dos
resultados do trabalho
concretizado,
recorrendo a
evidências.

*Diversificação dos
materiais e recursos,
não esquecendo que
estão ao serviço da
comunidade escolar
Gestão da Colecção e, sempre que se
justifique, da
comunidade
educativa, pelo que o
acesso individual ou
em grupo deve ser
facilitado.
9
Conhecimento na área Biblioteca escolar

*Selecção/coadjuvân-
cia na selecção de
novos
materiais/recursos.

*Consideração da
qualidade dos
materiais/recursos, o
que levará a
bibliotecária a
implicar-se no
estabelecimento de
critérios definidores
da qualidade dos
mesmos.

*Colaboração na
formulação e
transmissão de
orientações para a
utilização de novos
materiais/recursos.

A BE como espaço de *Formação para: a
conhecimento e pesquisa, selecção e
aprendizagem. tratamento da
Trabalho colaborativo informação colhida
e articulado com em diversos tipos de
Departamentos e suportes; a
docentes. construção do
10
Conhecimento na área Biblioteca escolar

conhecimento; a
cidadania; as
literacias, facilitando
o desenvolvimento de
competências
essenciais à
aprendizagem e à
construção do
conhecimento..

*Viabilização da
utilização articulada e
integrada dos
recursos de
informação,
associando-os à
prática lectiva.

*Coordenação com
os departamentos
curriculares e os
vários clubes/grupos
de intervenção, na
concepção, na
planificação, no
planeamento, na
concretização, na
avaliação e, quando
necessário/pertinente,
na reformulação de
planos de interacção.
*Integração
11
Conhecimento na área Biblioteca escolar

institucional e
programática da
actividade da BE.

*Papel preponderante
assumido pela
formação para as
literacias, de modo a
construir um
substrato
imprescindível à
aprendizagem e à
construção do
Formação para a leitura
conhecimento.
e para as literacias
*Desenvolvimento de
competências de
leitura e de um
programa de literacia
da informação, numa
perspectiva de
integração no
desenvolvimento
curricular.

*Os novos ambientes
digitais têm de ser
assumidos pela BE,
BE e os novos
constituindo mais
ambientes digitais.
uma ferramenta de
que dispõe para a
construção do
12
Conhecimento na área Biblioteca escolar

conhecimento e a
consecução do
sucesso
educativo/formativo.

*A equipa da BE
deve integrar
elementos dotados de
formação nesta área,
de forma a
multiplicar os
conhecimentos
necessários.

*Não se deve cair no
pré-conceito de crer
que os alunos
possuem uma vasta
gama de saberes na
área das TIC. O
aprofundamento e a
sistematização de
conhecimentos não
devem ser
descurados, sob pena
de não apetrecharmos
os alunos com
ferramentas
indispensáveis à
construção do
conhecimento.
Gestão de evidências/ *A recolha de
13
Conhecimento na área Biblioteca escolar

avaliação. evidências deve
processar-se de forma
sistemática. Elas
permitem-nos
detectar sucessos e
insucessos,
facilitando a
avaliação da
eficiência e eficácia
dos serviços
prestados, incluindo
as consequências ao
nível das
atitudes/comporta-
mentos e
competências dos
utilizadores, do
impacto na
aprendizagem e no
sucesso educativo.

Gestão da mudança
SÍNTESE Factores de sucesso Obstáculos a vencer Acções prioritárias

*Assunção da *Assunção das fraquezas e das ameaças *Resistência de parte da comunidade *Transformação dos pontos fracos e das
construção do como desafios que urge vencer. escolar e da comunidade educativa à ameaças em pontos fortes e
conhecimento como articulação com a BE. oportunidades, respectivamente.
objectivo central da *Coesão da equipa da BE. *Desvalorização do papel da BE e da *Implementar a grande mudança , ou
14
interacção da professora bibliotecária. seja, o desenvolvimento de uma
professora *Entendimento com a Direcção do actividade sistemática de recolha de
bibliotecária. agrupamento. *Perda de oportunidades no que se informação , procedimento
refere ao apetrechamento da BE, imprescindível à escolha fundamentada
*Atribuição de um *Valorização da BE e do seu papel no nomeadamente no que respeita ao da orientação a dar às interacções.
papel central à recolha contexto educativo/formativo, por parte da programa de catalogação, requisição e
de evidências, Direcção. empréstimo de materiais (livros e *Tirar o melhor partido possível dos
encaradas como a outros). Desde Dezembro de 2008 desafios proporcionados aos professores
prova mais palpável e *Interacções estabelecidas com parte da que nada se faz neste domínio, pois o bibliotecários, aos restantes docentes e às
directa da (in)eficiência comunidade educativa e comunidade programa deixou de funcionar. direcções executivas, pela mistura ensino,
e (in)eficácia das escolar. bibliotecas e literacias, no sentido de
interacções encontrar respostas que permitam fazer
implementadas. das BE’s espaços de construção do
conhecimento.
*Aproveitamento das
disponibilidades para a
cooperação,
manifestadas por
diferentes membros da
comunidade escolar e
da comunidade
educativa, reforçando,
assim, uma cultura de
trabalho colaborativo.

*Embora sabendo que
o papel fulcral da
bibliotecária não reside
no apetrechamento da
BE, deve reconhecer-se
que, para se
processarem
aprendizagens
significativas, tem de
existir adequação dos
15
espaços e
equipamentos.

*Gestão direccionada
para o sucesso
educativo e para a
formação
multidimensional dos
alunos/formandos.

*Aposta na auto-
formação e na
formação contínua.

16