UERJ – Curso de Pontes 1 – Profa. Regina Helena F.

de Souza - 2009

1

Consolos Curtos
São considerados consolos curtos os elementos em balanço, nos quais a distância a
da carga aplicada à face do apoio é menor ou igual à altura útil d do consolo.
De acordo com a NBR 6118 (item 22.3), o consolo é curto se 0,5d ≤ a ≤ d e muito
curto se a < 0,5 d. Se a > d tem-se uma viga em balanço.


















A figura mostra as trajetórias das tensões
principais em um consolo curto de um pilar
com carregamento direto, para a/d =0,5.
O esforço no banzo tracionado permanece
com o mesmo valor entre o ponto de aplicação
da carga e a seção de engastamento.
Nesta figura nota-se uma região isenta
de tensões que permite eliminar
o canto inferior do consolo.
5 , 0 
h
a
UERJ – Curso de Pontes 1 – Profa. Regina Helena F. de Souza - 2009

2

Os consolos curtos são de fato blocos, cujos esforços em regime elástico não
se distribuem de acordo com as leis simplistas da Resistência dos Materiais e na
ruptura não obedecem ao modelo teórico de treliça, válido para as peças alongadas.
Para o dimensionamento de peças muito curtas empregam-se os critérios do
método das bielas e tirantes. Os consolos transmitem cargas verticais e horizontais
através de um banzo tracionado e uma biela inclinada de compressão. As tensões
principais de tração e de compressão podem ser resumidas nos esforços Z e D.












Do equilíbrio de momentos em torno do ponto B, tem-se:

A armadura principal do consolo deve-se
situar no quarto superior do mesmo
(levando-se em conta a posição exata
do seu centro de gravidade na
determinação de d e, conseqüente-
mente, de Z
d
) e ser tal que abrace a
região de aplicação do carregamento.
Para tal, recomenda-se detalhar a
armadura em forma de laço (simples ou
múltiplo), com pequenos diâmetros que
permitam menores raios de dobramento.
d d
V
d
y a
Z 


85 , 0
. 20 , 0
UERJ – Curso de Pontes 1 – Profa. Regina Helena F. de Souza - 2009

3







detalhe errado detalhe certo

A armadura secundária é constituída por estribos (sem função estrutural,
calculada como armadura mínima para combater a fissuração) e por costelas
horizontais em forma de grampo que, ancoradas na armadura longitudinal do pilar,
aumentam a rigidez do consolo.











Verificação do concreto da biela comprimida
Pelo equilíbrio de momentos em torno do ponto A , tem-se:




Onde b
w
é a largura da biela na direção perpendicular ao plano de flexão e o valor
limite 0,60 f
cd
é escolhido em função da possibilidade de fissuração diagonal da peça
curta.
 sen
d
d
V
D 
cd
w
d
d c
f
sen c b
V
60 , 0
2
,

 




UERJ – Curso de Pontes 1 – Profa. Regina Helena F. de Souza - 2009

4

Referências Bibliográficas:
- Curso de Concreto – José Carlos Süssekind, Ed. Globo, Porto Alegre, 1980.
- Técnica de Armar as estruturas de concreto, Péricles Fusco, Ed. Pini, 1995.
- Construções de Concreto, Vol 2 – F. Leonhardt, 1979.