FMU – Centro Universitário

das Faculdades Metropolitanas Unidas
CURSO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA –
CEPA
1.º Ano – 1º Semestre
Práti! "e Proesso Ci#i$
D!t! %%%%&%%%%%&%%%%%
Sumário: Juizados Especiais Cíveis (Lei n. 9.099/95).
I. Juizados Especiais Cíveis
. Concei!o
A Lei 9099/95 dispõe sobre os Juizados Especiais Cíveis e Criminais. Esses juizados
foram criados para concilia!o" processo e jul#amen$o de causas de menor
comple%idade. &s cri$'rios (ue re#em o processo s!o os princípios da oralidade"
simplicidade" informalidade" economia processual e celeridade. As par$es devem buscar
sempre (ue possível a concilia!o ou $ransa!o.
& au$or $em a faculdade de op$ar pelo procedimen$o do Juizado Especial Cível e essa
op!o impor$ar) em ren*ncia ao cr'di$o e%ceden$e ao limi$e impos$o por essa lei" (ue '
de +0 sal)rios mínimos" e%ce$o pela ,ip-$ese de concilia!o.
& acesso ao Juizado Especial Cível independe de pa#amen$o de cus$as ou $a%as.
& procedimen$o des$e Juizado ' c,amado de procedimen$o sumaríssimo.
". Compe!#ncia (ar!. $% Lei 9099/95)
& Juizado Especial Cível ' compe$en$e para jul#ar.
 Causa cujo valor n!o e%ceda a +0 /(uaren$a0 sal)rios mínimos1
 Enumeradas no ar$. 235" C4C" inciso 551
 A!o de despejo para uso pr-prio1
 A!o possess-ria sobre bens im-veis de valor inferior a +0 sal)rios mínimos.
6
$. E&c'uídos da compe!#ncia (ar!. $% ( ")% Lei 9099/95)
& Juizado Especial Cível n!o $er) compe$7ncia para jul#ar.
 Aões de na$ureza alimen$ar1
 Aões de na$ureza fiscal e de in$eresse da 8azenda 4*blica1
 Aões rela$ivas a aciden$es do $rabal,o1
 Aões rela$ivas a resíduo1
 Aões rela$ivas ao es$ado e capacidade da pessoa" ainda (ue de cun,o
pa$rimonial.
*. +ar!es (ar!. ,-% capu! e ( - e "-% Lei 9099/95)
4oder!o propor a!o /au$ores0 somen$e pessoas físicas" e%cluídos cession)rios de direi$o
de pessoas jurídicas" sendo (ue o ar$i#o 9:" da Lei 9.:+6/99" permi$e (ue as
microempresas $amb'm $en,am le#i$imidade para pos$ular nos Juizados Especiais.
./o poder/o ser par!es
 & incapaz1
 & preso1
 4essoas jurídicas de direi$o p*blico"
 Empresas p*blicas da ;ni!o1
 <assa falida1
 5nsolven$e civil.
=o juizado especial cível ' admi$ido o li$iscons-rcio /pluralidade das par$es0" mas n!o
s!o admi$idas nen,uma forma de in$erven!o de $erceiros e nem reconven!o.
5. 0ssis!#ncia do advo1ado (ar!. 9-% Lei 9099/95)
As par$es n!o precisar!o cons$i$uir advo#ado nas causas a$' 20 sal)rios mínimos. Acima
desse valor a assis$7ncia do advo#ado ' obri#a$-ria.
Em fase recursal /vide $-pico 62 des$a aula0 $amb'm ' obri#a$-rio (ue as par$es sejam
represen$adas por advo#ado
Em causas em (ue o juiz ac,ar necess)rio aler$ar) as par$es a conveni7ncia de se fazer
acompan,ar por um advo#ado e o mandado do advo#ado poder) ser verbal" caso n!o
sejam necess)rios poderes especiais.
2
>e o r'u for pessoa jurídica ou $i$ular de firma individual poder) ser represen$ado por
um prepos$o. >e a assis$7ncia do advo#ado for facul$a$iva" ou seja" nas causas cujo valor
n!o ul$rapasse a 20 sal)rios mínimos" e (ual(uer das par$es comparecerem com
advo#ado" poder) a ou$ra par$e ob$er assis$7ncia judici)ria pres$ado pelo Juizado.
2. +edido do au!or (ar!. *- a 3-% Lei 9099/95)
& pedido poder) ser escri$o ou oral" sendo (ue o pedido oral ser) reduzido a $ermo e
dever) cons$ar.
 =ome" (ualifica!o e o endereo das par$es1
 &s fa$os e os fundamen$os de forma sucin$a1
 & obje$o e seu valor1
=o Juizado Especial Cível ' admi$ido formular pedido #en'rico (uando n!o ' possível
de$erminar a e%$ens!o da obri#a!o.
?amb'm ser!o admi$idos pedidos al$erna$ivos ou cumula$ivos" por'm para pedidos
cumula$ivos deve ser observado o valor por(ue a soma dos valores dos pedidos cone%os
n!o poder) ul$rapassar +0 sal)rios mínimos /limi$e es$abelecido para compe$7ncia des$a
lei0.
& pedido ser) re#is$rado na >ecre$aria do Juizado (ue ir) desi#nar a sess!o de
concilia!o e jul#amen$o" no prazo de 65 dias.
3. 4espos!a do r5u (ar!. $0 e $% Lei 9099/95)
A con$es$a!o poder) ser oral ou escri$a e dever) con$er $oda a ma$'ria de defesa" por'm
a ar#@i!o de suspei!o e impedimen$o do juiz dever) se#uir o procedimen$o previs$o
nos ar$i#os 90+ a 96: do C4C.
& r'u dever) con$es$ar o pedido do au$or na pr-pria audi7ncia e se assim n!o o fizer
poder) re(uerer (ue seja desi#nada nova da$a para con$es$ar e se o r'u n!o comparecer a
audi7ncia de ins$ru!o e jul#amen$o ou a sess!o de concilia!o ocorrer) a revelia /$odos
os fa$os ale#ados pelo au$or na inicial ser!o considerados verdadeiros0.
A reconven!o nes$e juizado n!o ' permi$ida" mas o r'u poder) na con$es$a!o
apresen$ar pedido em seu favor /pedido con$rapos$o0" mas sempre observando os limi$es
previs$os no ar$. 9A e o pedido em favor do r'u dever) es$ar baseado nos mesmos fa$os
(ue fundamen$am o pedido do au$or.
9
,. Ci!a67es (ar!. ,% Lei 9099/95)
=o juizado especial n!o se admi$e ci$a!o por edi$al.
A ci$a!o ser).
 4or correspond7ncia" com aviso de recebimen$o em m!o pr-pria1
 >e pessoa jurídica ou firma" median$e a en$re#a B recep!o" iden$ificando a
pessoa (ue recebeu1
 4or oficial de jus$ia (uando necess)rio e independen$e de mandado ou car$a
preca$-ria.
=a ci$a!o dever) con$er c-pia do pedido inicial" a dia e ,ora do comparecimen$o e a
adver$7ncia (ue se o ci$ando n!o comparecer as ale#aões iniciais ser!o $idas como
verdadeiras /revelia0 e ser) proferido o jul#amen$o" sendo (ue o comparecimen$o
espon$Cneo da par$e con$r)ria supre a fal$a de ci$a!o.
9. In!ima67es (ar!. 9% Lei 9099/95)
=o juizado especial as in$imaões ser!o fei$as na forma previs$a para ci$a!o" ou por
(ual(uer ou$ro meio idDneo de comunica!o" sendo (ue dos a$os (ue forem pra$icados
na audi7ncia as par$es sair!o cien$es.
As par$es devem comunicar ao juízo as mudanas de endereo (ue ven,am a ocorrer no
decorrer do processo. As comunicaões enviadas ao local indicado inicialmen$e ser!o
consideradas eficazes caso n!o ,aja indica!o da mudana de endereo.
0. Conci'ia6/o% 8uízo ar9i!ra' e audi#ncia de ins!ru6/o e 8u'1amen!o (ar!. " a "3%
Lei 9099/95)
A concilia!o ' conduzida pelo juiz $o#ado ou lei#o ou conciliadores.
&s conciliadores s!o au%iliares da Jus$ia e s!o recru$ados preferencialmen$e en$re os
bac,ar'is em Eirei$o.
J) os juízes lei#os s!o advo#ados com mais de cinco anos de e%peri7ncia e $amb'm s!o
au%iliares da Jus$ia" ficando impedidos de e%ercer a advocacia peran$e os Juizados
Especiais en(uan$o es$!o desempen,ando $al fun!o.
+
=a aber$ura da audi7ncia de concilia!o o juiz e%plicar) sobre a concilia!o e uma vez
ob$ida ser) reduzida a $ermo e ,omolo#ada. >e o demandado n!o comparecer o juiz
$o#ado preferir) sen$ena.
A ,omolo#a!o da concilia!o" (ue ' fei$a pelo juiz $o#ado" ser) fei$a median$e sen$ena
e $er) efic)cia de $í$ulo e%ecu$ivo.
>e nes$a audi7ncia a concilia!o n!o for ob$ida as par$es poder!o op$ar pelo juízo
arbi$ral" sendo a escol,a do )rbi$ro fei$a pelas par$es.
>e n!o ins$i$uído o juízo arbi$ral ser) ins$aurada a audi7ncia de ins$ru!o e jul#amen$o.
=a audi7ncia de ins$ru!o e jul#amen$o $emFse a oi$iva de $es$emun,as" col,ei$a de
provas e sen$ena.
. Sen!en6a (ar!. $, a *9% Lei 9099/95)
A sen$ena con$er) resumo dos fa$os relevan$es ocorridos em audi7ncia e os elemen$os
(ue serviram de convic!o ao juiz" sendo dispensado o rela$-rio.
A sen$ena condena$-ria por (uan$ia ilí(uida n!o ' admi$ida e n!o poder) e%ceder o
valor de +0 sal)rios mínimos /limi$e es$abelecido para compe$7ncia no Juizado Especial
Cível0. & (ue e%ceder a esse limi$e n!o ser) considerado.
". 4ecursos (ar!. * a 50% Lei 9099/95)
Ea sen$ena" e%ce$o a de ,omolo#a!o de concilia!o ou laudo arbi$ral" cabe recurso.
& recurso ser) por pe$i!o escri$a para o pr-prio juizado e o prazo para a in$erposi!o
ser) de 60 dias a par$ir da ci7ncia da sen$ena.
& recorrido" (ue ser) in$imado pela >ecre$aria do Juizado" $amb'm $er) o prazo de 60
dias para oferecer suas con$ra razões por escri$o.
& recurso ser) jul#ado pela $urma (ue ser) compos$a por $r7s juízes $o#ados.
& recurso $em efei$o devolu$ivo" mas o juiz poder) a$ribui efei$o suspensivo se es$iver
dian$e de dano irrepar)vel.
Ea sen$ena ou ac-rd!o /s*mula do jul#amen$o0 caber!o Embar#os de Eeclara!o"
sempre (ue ,ouver omiss!o" con$radi!o" d*vida ou obscuridade" no prazo de cinco
dias" a con$ar da ci7ncia da sen$ena ou do ac-rd!o.
>e#undo o ar$i#o 50 da lei" os embar#os de declara!o" (uando in$erpos$os con$ra
sen$ena" suspender!o o prazo para recursos.
5
FMU – Centro Universitário
das Faculdades Metropolitanas Unidas
CURSO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA –
CEPA
1.º Ano – 1º Semestre
Aluno(a) ______________________________________________ n.º ______ Turma:
______
PE'A PRÁTICA PROCESSO CIVIL
C:;. .0"
Tício, furtando documentos de um terceiro, comparece a
uma agência bancária, nesta Capital, e consegue abrir uma
contacorrente em seu nome. !m seguida, de posse de um
tal"o, Tício emitiu todos os c#e$ues nele contidos, os $uais,
naturalmente, foram de%ol%idos por falta de fundos.
Comunicadas as de%olu&'es ( %ítima, $ue n"o era
correntista do )anco, te%e ela seu nome lan&ado nos
sistemas de prote&"o a clientes na pra&a, passando a sofrer
restri&'es de cr*dito.
(UEST)O* Como ad%ogado do terceiro lesado, a+a em seu
prol.
E+ERC,CIO DE -E-ORI.A')O
C:;. *.0
, -ual a .usti&a, /oro e .uí0o competentes1
2 -uem s"o os autores1
3 -uem * o r*u1
4 5o caso, * necessário $uali6car as partes1
G
7 8 $ue de%e ser re$uerido1
9 -uais os fatos e fundamentos da peti&"o1
: ;áse %alor ( causa1 <or $ue1
= Como de%e ser feito o encerramento da peti&"o1
> .usti6$ue a medida adotada.
3
FMU – Centro Universitário
das Faculdades Metropolitanas Unidas
CURSO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA –
CEPA
1.º Ano – 1º Semestre
Aluno(a) ______________________________________________ n.º ______ Turma:
____
C:;. *.0$
(/est0es O12eti#!s "e Direito Ci#i$ 3 $/4 "o E5!me "e Or"em "!
OA6&SP*
?,. Assinale a alternati%a correta.
(A) @ obrigatArio o procedimento perante os .ui0ados !speciais Cí%eis
$uando o %alor da causa for at* 4? salários mínimos.
()) @ facultado ao autor optar por litigar perante os .ui0ados !speciais
ou na .usti&a Comum, desde $ue dentro dos limites econBmicos e da
mat*ria sob a sua +urisdi&"o.
(C) As #ipAteses de cabimento das demandas perante os .ui0ados
!speciais Cí%eis s"o idênticas (s do procedimento sumário.
(;) 5"o * cabí%el recurso em sede de .ui0ados !speciais.
.usti6$ue o fundamento legal da resposta correta
_________________________________
?2. 5o .ui0ado !special Cí%el, em n"o comparecendo o autor (
audiência de concilia&"o, será:
(A) decretada a sua re%elia.
()) recon#ecida a renCncia ao direito.
(C) adiada a audiência.
(;) ar$ui%ado o processo.
.usti6$ue o fundamento legal da resposta correta
_________________________________
?3. <ode 6gurar como parte no pAlo ati%o das a&'es promo%idas perante
o .ui0ado !special Cí%el
(A) o insol%ente ci%il.
()) o preso.
(C) o incapa0, desde $ue de%idamente assistido na forma da Dei.
(;) a microempresa.
.usti6$ue o fundamento legal da resposta correta
_________________________________
:
?4. AcArd"o proferido por Col*gio Eecursal de .ui0ado !special Cí%el
(A) pode ser ob+eto de recurso especial ou recurso eFtraordinário.
()) pode ser ob+eto de recurso especial, apenas.
(C) pode ser ob+eto de recurso eFtraordinário, apenas.
(;) n"o pode ser ob+eto nem de recurso especial, nem de recurso
eFtraordinário.
.usti6$ue o fundamento legal da resposta correta
_________________________________
9
FMU – Centro Universitário
das Faculdades Metropolitanas Unidas
CURSO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL DE ADVOCACIA –
CEPA
1.º Ano – 1º Semestre
Aluno(a) ______________________________________________ n.º ______ Turma:
____
(UESTIONÁRIO PRÁTICO
COD. 7.89
, As a&'es propostas nos .ui0ados !speciais admitem a
inter%en&"o de terceiro e de assistente1 ! o
litisconsArcio1
2 8 $ue acontece se as partes comparecerem
%oluntariamente ao .ui0ado !special para solucionar o
conGito de seus interesses1
3 Comparecendo %oluntariamente as partes e #a%endo
pedido contraposto, o +ui0 conciliador poderá dispensar
a contesta&"o formal1
4 Como * feita a cita&"o da parte (pessoa física) no
.ui0ado !special1
7 Como * feita a cita&"o da parte (pessoa +urídica) no
.ui0ado !special1
9 Al*m das formas mencionadas, eFistem outras formas
de cita&"o no .ui0ado !special1
: @ admitida a cita&"o por !dital no .ui0ado !special1
= 8 $ue de%e conter o mandado de cita&"o1
> Como s"o feitas as intima&'es nos .ui0ados !speciais1
,? Como * entendida a re%elia nos .ui0ados
!speciais1
,, Como as partes tomam con#ecimento da data da
sess"o de +ulgamento nos .ui0ados !speciais1
60
,2 @ admitida A&"o EescisAria nos .ui0ados
!speciais1
,3 -ual * o procedimento das a&'es propostas no
.ui0ado !special Cí%el1
,4 !m $ue momento de%e ser apresentado a !Fce&"o
de Hncompetência nos .ui0ados !speciais1
,7 -uais as a&'es $ue admitem o <rocedimento
Iumário1
,9 -uais as a&'es $ue admitem o <rocedimento
Iumaríssimo1
66