UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Centro de Ciências Matemáticas e da Terra
Instituto de Geociências
Departamento de Geografia
Geografia do Mundo Contemporâneo
Professor: Frédéric Monié
Anteprojeto





REGIONALIZAÇÃO DO BRASIL









Thales Oliveira

Vinícius Martins Corrêa

Yasmin Pellegrino



Rio de Janeiro, 1 de outubro de 2014
2




1. INTRODUÇÃO

1.1 Objeto

Elaborar um estudo sobre a regionalização brasileira de forma a fazer-se entender os
critérios usados para a divisão do território, suas particularidades e a sua finalidade política-
administrativa.


1.2 Justificativa

Regionalização é um processo essencial para a atual divisão espacial brasileira, que se
desenvolveu a partir da época da colonização portuguesa. Desde então, houve vários estudos
nessa área, a fim de elaborar uma divisão regional adequada. Onde o instituto brasileiro de
geografia e estatística (IBGE) oficiou seus estudos em 1941, segundo a passagem extraída de
um texto do mesmo: "Os estudos da Divisão Regional do IBGE tiveram início em 1941 sob a
coordenação do Prof. Fábio Macedo Soares Guimarães." Portanto, parte desse o princípio de
definir as dimensões do território nacional no âmbito físico, urbano, rural, econômico, social,
político e cultural. No qual, inúmeros elementos e atores marcam a dinâmica sócio-espacial.
Sendo assim, após os diversos trabalhos de pesquisa, chega-se a atual Regionalização do
Brasil, dividida em cinco regiões: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

1.3 Objetivos
1.3.1 Geral
Analisar a atual divisão regional brasileira e as sistematizadas "divisões regionais" já
propostas.
1.3.2 Específicos
- Identificar os critérios e os fatores que deram origem a atual divisão territorial brasileira;
- Definir as particularidades e diversidades espaciais, culturais e econômicas dos estados em
relação as suas regiões;
- Expor a finalidade político-administrativa, de forma a esclarecer os benefícios e os
transtornos para o país e sua população
1.4.Metodologia
1.4.1. Conceitual
Como estrutura teórica usaremos para o desenvolvimento deste trabalho três conceitos. Os
quais são: Região, Regionalização e Território.

Para o grupo, o conceito de Território é:
3




3
"[...] o território pode ser concebido a partir da incricaçãode
múltiplas relações de poder, do poder, do podermais material das
relações econômicas-políticas ao poder mais simbólico das relações
de ordem maisestritamente cultural.[...]"(Haesbaert, 2004)
Espaço e tempo: complexidade e desafios do pensar e do fazer geográfico.



Para grupo o entendimento do complexo conceito de Região é:
Como intitula o capítulo em seu livro "Região: um conceito
complexo" Roberto Lobato conceitua o termo em questão como:
"[...] o conceito de região está ligada à noção fundamental de
diferenciação de área, quer dizer, à aceitação de ideia de que a
superfície da Terra é constituída por áreas diferentes entre sim
[...] Os principais conceitos de região, ou seja, o de região natural
, e o de região geográfica de Vidal de La Blache e o de região
como classe de área [..] região como instrumento de ação e
controle dentro de uma sociedade de classes. [...] E Claval, por
sua vez, lembra o fato de que, por não haver um critério
sistemático para se identificar regiões os resultados obtidos
indicam a sua diversidade . " (Corrêa, Roberto Lobato, 1995)


“Região é um conceito que funda uma reflexão política de base
territorial, se ela coloca em jogo comunidades de interesse
identificadas a uma certa área e, finalmente, se ela é sempre uma
discussão ente os limites da autonomia face parte desta nova
definição em lugar de assumirmos de imediato uma solidariedade
total com o senso comum que, neste caso da região, pode
obscurecer um dado essencial: o fundamento político, de
controle e gestão de um território..”
(GOMES, Paulo Cesar da Costa, 1995)




Ao que concerne à conceituação de Regionalização, compreendemos:

"A região continua a existir, mas com um nível de complexidade
jamais visto pelo homem. Agora, nenhum subespaço do planeta
pode escapar escapar ao processo conjunto de globalização
e fragmentação, isto é, de individualização e regionalização"
Região, regionalização e regionalidade: questões contemporâneas Brasil (Santos, 1999)

"Regionalizações “jogam com fatos sobre o mundo ao mesmo
tempo em que refletem as tendências, intelectuais e políticas, de seus formuladores”
Região, regionalização e regionalidade: questões contemporâneas Brasil (AGNEW, 1999, p.95).


4



Desta forma, qualquer análise regional que se pretenda consistente deve levar
em conta tanto o campo da produção material quanto o das representações e símbolos,
ideais, tanto a dimensão da funcionalidade (político-econômica, desdobrada por sua vez
sobre uma base material-“natural”) quanto do vivido (simbólico-cultural, mais subjetivo) –
em outras palavras, tanto a coesão ou lógica funcional quanto a coesão simbólica, em suas
múltiplas formas de construção e desarticulação – onde, é claro, dependendo do contexto,
uma delas pode acabar se impondo sobre – e refazendo – a outra."
Região, regionalização e regionalidade: questões contemporâneas. (HAESBAERT, 2010)

1.4.2. Operacional

Como consequência desse levantamento inicial, o trabalho se explanará nos elementos e atores
que marcam a dinâmica sócio-espacial que descrevem e a analisam a organização e a gestão do
território nacional, como se possibilita direcionar levantamentos estatísticos e subsidiar a formulação
e o monitoramento de políticas territoriais. Para enobrecer e esclarecer a discussão, abordaremos as
tecnologias de mapeamento digital sustentadas por sistemas de informações geográficas que se
fazem de suporte para modelos de divisões regionais, necessárias à busca de diversidades e
homogeneidades espaciais. Portanto, fazendo mapas, índices, tabelas, uso de escalas geográficas,
dados estatísticos, socioeconômicos e informações de recursos naturais para adequar-se às análises
dos fenômenos físicos. Estes dados que alicerçaram todo o desenvolvimento dessa parte do projeto
provêm dos documentos disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Por fim, na derradeira etapa do trabalho, buscaremos elucidar as análises anteriores,
contextualizando as modificações e impactos espaciais da regionalização no Brasil. Para nos
fundamentarmos, recorremos ao livro do Milton Santos: Brasil: território e sociedade no
início do século XXI




xxxx Mudar tudo abaixo, menos bibliografia xxx



1.5.Cronograma
Mês Projetos
- Fevereiro: - Discussão do tema e de tópicos iniciais.
- Reuniões para a seleção de materiais.
- Definição de tópicos iniciais.
- Março: - Reunião para apresentação de pesquisa e conteúdo
- Reunião monitorada com o objetivo de aperfeiçoar a justificativa e
objetivos específicos.
- Definição de conceitos-chave.
- Montagem e Revisão do Pré-Projeto.
- Entrega do Pré-Projeto.
- Abril: - Desenvolvimento de pesquisa e material.
- Estudos aprofundados sobre a Cidade do Cabo.
5



- Reunião para selecionar materiais necessários.
- Maio: - Montagem do Projeto Final.
- Finalização e revisão do Projeto Final.
- Entrega do Projeto Final.
- Reunião para a montagem da apresentação em PowerPoint.
- Junho: - Apresentação Oral Final.
1.6. Sumário indicativo
1. Introdução
1.1. Objeto
1.2. Justificativa
1.3. Objetivos
1.3.1. Geral
1.3.2. Específico
1.4. Metodologia
1.4.1. Conceitual
1.4.2. Operacional
2. ************Megaeventos e cidades
3. ***********Copa do Mundo: atores e ações
4. **Impactos e transformações. Um estudo de caso - a Cidade do Cabo, África do Sul
5. ***Conclusão
6. ***Bibliografia geral
1.7. Referências bibliográficas

CASTRO, I. E.; GOMES, P. C.; CORRÊA, R. L. Geografia: Conceitos e Temas. Rio de Janeiro:
Bertrand Brasil, 2008

CORRÊA, R. L. Região e Organização Espacial. São Paulo: Editora Ática, 1987.

HAESBAERT, Rogério. Região, regionalização e regionalidade: questões contemporâneas.
ANTARES, 2010.

AGNEW, J. Regions in revolt. Progress in Human Geography 25(1). 2001.

HAESBAERT, Rogério. Regional-Global: dilemas da região e da regionalização na Geografia
Contemporânea. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

SANTOS, Mílton; SILVEIRA, María Laura. Brasil: território e sociedade no início do
século XXI. Record, 2001

6



MENDONÇA, F.; SAHR, C. L. L.; SILVA, M. (org.). Espaço e tempo: complexidade e
desafios do pensar e do fazer geográfico. Curitiba: Ademadan, 2009