FOLHA

RESUMO
As folhas são um órgão especializado em fotossíntese, fazem trocas gasosas, servem de
proteção e reserva de nutrientes e possuem intima relação para/com o caule.
Nelas estão presentes:
 Limbo: é a parte escondida, geralmente plana. Toda a superfície do limbo é revestida
por epiderme e entre uma epiderme e outra existe o mesófilo.
 Pecíolo: é a haste que liga o limbo ao caule.
 Bainha: é uma extensão do pecíolo.
Podemos encontrar folhas compostas que são as folhas que possuem o limbo dividido em
folíolos. Eles se encontram sobre uma raque e podem apresentar diversos graus de
ramificação.
Nas estruturas simples as folhas saem faz gemas que estão presentes no caule. Já na estrutura
composta as folhas saem do caule.
Todas as folhas possuem seus próprios padrões de nervação e seus diferentes
posicionamentos de uma folha para outra. Exemplo: Alterna, onde a posição das folhas são
alternadas, ou seja, nenhuma folha irá ficar “de frente” para a outra.
Temos também as diferenças entre as formas com relação ao eixo central, ou seja as margens
do limbo.
As folhas possuem brácteas que são folhas ramificadas (possuem diversas funções e formas) e
elas ficam na base das flores.
Possuem também estípula que serve para proteção da gema. As estípulas possuem apêndices
foliáceas e se localizam na base das folhas, lateralmente ao pecíolo e envolvendo o caule.









RAIZ E CAULE
RESUMO: RAIZ
A raiz tem como maior função a fixação ao solo e absorção de água e nutrientes para a planta.
Ela faz a síntese de hormônios (ex: citocimineas e giberelinas) e compostos secundários (ex:
nicotina)
Ela se desenvolve primeiramente como raiz primária e assim dá origem à dois tipos:
 Pivorantes: Há uma raiz mais proeminente que as demais
 Faciculado: Não há uma raiz mais proeminente que as demais
Temos também a parte do geotropismo. Se positivo a raiz cresce para o solo e se negativo ela
cresce para fora do solo.
Na raiz é possível encontrar as zonas, sendo elas:
 Perifera: onde ficam os tricomas
 Alongamento: é local onde a raiz cresce, sendo sempre para cima
 Meristemática: é onde é localizada a coifa
Mucigel é um lubrificante natural da raiz durante a penetração no solo (nutrição da raiz)
Em um corte transversal feito na raiz podemos observar (de fora para dentro): Epiderme,
córtex, cilindro vascular
Existem 5 tipos de raízes, sendo elas:
 Aérea: dentro desse exemplo encontramos as tabulares (que são em formato de
tábuas) e as escoras (são raízes adventícias que formam ramos laterais que “se jogam”
em direção ao chão)
 Aeração: temos a pneumatóforos (são as que tem geotropismo, ou seja, elas crescem
para cima para poderem respirar)
 Grampiforme: são as que grudam no muro
 Alimentadora: típica de uma planta parasita que não possui clorofila. Essa raiz é como
se fosse uma agulha na outra planta e assim ela suga o xilema e o floema matando o
hospedeiro. Desse mesmo gênero nós temos a hemi-parasita que não mata o
hospedeiro e planta dela faz a fotossíntese.
 Simbíose: são raízes fixadoras de nitrogênio. A bactéria entra atrás do pelo da raiz,
prolifera e forma o nódulo para assim fazer a simbiose. Aqui nós encontramos dois
tipos: endomicorrizas (que penetram nas células da raiz) e as ectomicorrizas (que
somente circundam as células da raiz)



RESUMO: CAULE
O caule tem origem no embrião. Em um corte transversal podemos observar: Epiderme, córtex
(colênquima e esclerênquima), cilindro do sistema vascular, medula (parênquima) e o feixe
vascular (xilema e floema)
Na estrutura podemos observar:
 Sifonostelo
 Eustelo
 Atactostelo
Possui crescimento secundário somente em arvores, as ervas não possuem. Para esse
crescimento secundário acontecer é necessário ter o câmbio vascular. Forma periderme, que
substitui a epiderme.
O caule tem a função de expor as folhas para a luz para assim ser realizada a fotossíntese. Ele é
responsável pela condução de xilema (para cima, h20 e sais) e de floema (para baixo,
fotossíntese)
Podemos observar dois tipos de desenvolvimento:
 Monopodial: uma gema apical
 Simpodial: várias gemas apicais