AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR CARLOS TEIXEIRA

ESCOLA EB 2, 3 PROF. CARLOS TEIXEIRA

EBI DE SILVARES















40º aniversário do 25 de abril
e do fim da guerra colonial






1914-2014
Centenário da 1ª Grande Guerra



ANO LETIVO
2013 ▪ 2014

AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 2



INTRODUÇÃO




A presença da disciplina de História no currículo do Ensino Básico encontra
a sua justificação maior no sentido de que é através dela que o aluno constrói
uma visão global e organizada de uma sociedade complexa, plural e em
permanente mudança. A função do professor, enquanto agente que participa
na construção do conhecimento histórico, é enquadrar o aluno no
estabelecimento dos referenciais fundamentais em que assenta essa tomada
de consciência do tempo social, estimulando-o a construir o saber histórico
através da expressão de” ideias históricas” na sua linguagem, desde os
primeiros anos de escolaridade. Esta construção do pensamento histórico é
progressiva e gradualmente contextualizada, em função das experiências
vividas; o saber constrói-se a partir das vivências dentro e fora da escola e,
compete à escola explorar estas ideias tácitas, ajudando o discente a
desenvolvê-las numa perspectiva de conhecimento histórico.
Foi neste sentido que se elaboraram os pontos determinantes da gestão
curricular dos programas dos sétimos, oitavos e nonos anos de escolaridade,
tendo como pontos de referência, a significativa e pertinente relação dos alunos
com o saber histórico.












AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 3
METAS DE APRENDIZAGEM



O ser humano e os seus modos de organização e de pensamento
“carregam” a história consigo. Por isso, é parte intrínseca de cada um
de nós interrogar-se sobre as suas raízes e o mundo, para mel hor se
orientar na vida pessoal e coletiva. Através da compreensão dessa(s)
Hi stória(s), o ser humano aprofunda a sua consciência identitária,
entendendo-se a si próprio e à sociedade em que vi ve de uma forma
mai s profunda e sofisticada do que se conhecer apenas o seu aqui e
agora quotidiano, ao nível de perceções superficiais e emoções.
Poderemos perceber porquê e como os seres humanos se
movi mentaram ou fi xaram, se agregaram, cooperaram ou lutaram entre
si, procurando dar respostas a necessidades de todos ou apenas dos
seus grupos específicos - com maior ou menor sucesso a curto, médio
ou longo prazo. É refletindo sobre a intrincada teia da aventura
humana, nas suas grandezas e mi sérias, conhecendo e relacionando
moti vações, condicionalismos e consequências da interação social, em
vários tempos e lugares, que podemos entender a diversidade e
complexi dade cultural, o valor da cooperação e da negociação pacífica
e a sua negação, ou seja, os perigos, sempre patentes, do acender de
conflitos antagónicos de i nteresses entre ‘nós e os outros’. É uma
aprendizagem sempre renovada procurar entender esse “país estranho”
que é a História.
Mas saber História fornece aos jovens mai s ainda do que esta
compreensão alargada da vida em sociedade e da possibilidade de
problematização dos eventuai s papéis de cada um na história. Os
métodos hi storiográfi cos encerram em si um instrumento intelectual
poderoso para uma l eitura analíti ca e cruzada da informação plural com
que se lida na atual Sociedade de Informação e Conheci mento.




AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 4
QUADRO GENÉRICO DAS METAS DE APRENDIZAGEM

1. O aluno utiliza unidades/convenções de datação para relacionar e
problematizar a relevância de personalidades, acontecimentos, processos e
interações em diversos tempos
2. O aluno interpreta cronologias comparadas que sejam significativas para
compreender a História da Humanidade, relacionando a História nacional com
a História europeia e mundial.
3. O aluno reconhece a complexidade das ideias de mudança e continuidade
em História, integrando noções sobre diferentes ritmos de evolução (longa,
média e curta duração: evolução e rutura) e múltiplas perspetivas sobre
sentidos de mudança (progresso, declínio, ciclo) e permanência (estabilidade,
inevitabilidade).
4. O aluno utiliza diferentes formas de representação espacial como fonte de
compreensão da ação humana em diferentes espaços ao longo do tempo.
5. O aluno integra na sua ideia de História uma visão diacrónica e
multiperspetivada da ocupação humana dos espaços (no sentido em que as
visões e formas de representação dos espaços mudam ao longo dos tempos e
segundo pontos de vista diversos).
6. O aluno interpreta fontes diversificadas para, com base nelas e em
conhecimentos prévios, inferir leituras historicamente válidas e abrangentes
sobre o passado.
7. O aluno apresenta sínteses sobre acontecimentos, processos e períodos de
diversas sociedades do passado, integrando várias causas, condicionalismos e
consequências, em diversas dimensões históricas da História mundial.
8. O aluno aplica a terminologia e conceitos substantivos (essenciais para a
compreensão histórica), tornados significativos ao longo da abordagem das
temáticas em estudo.
9. O aluno reconhece a diversidade, quer de interesses, culturas e ideologias
quer de experiencias interculturais, e avalia motivações e razoes dos

AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 5
intervenientes em situações históricas (pacificas ou conflituais) e respetivas
consequências.
10. O aluno apresenta breves sínteses diacrónicas sobre contributos
significativos para a Humanidade, de vários indivíduos, grupos sociais, povos e
civilizações.
11. O aluno reconhece a utilidade social do saber historiográfico, pela
capacidade que fornece de examinar a informação sobre o mundo de forma
objetiva e multiperspetivada e de pensar a vida e as identidades a uma escala
temporal mais abrangente.
12. O aluno comunica as suas ideias em História por escrito (em narrativas,
relatórios de pesquisa e respostas breves) e oralmente (em debates e diálogos
de grande e pequeno grupo).
13. O aluno utiliza as TIC para comunicar e partilhar as suas ideias em História.
14. O aluno utiliza expressões artísticas (dramática, literária, plástica e outras)
para disseminar as suas ideias históricas e dos seus colegas em exposições,
etc.

















AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 6
EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZAGEM


Ao longo da educação básica dos alunos, estes deverão ter oportunidade de
experimentar atividades diferenciadas que impliquem:

1) A pesquisa histórica (individual e/ou grupal) com o respetivo
tratamento de informação e sua apresentação (sempre que possível)
oral;

2) A utilização da tecnologia informática;

3) O contacto/estudo direto (também sempre que possível) com o
património histórico-cultural nacional e regional/local nas suas
diversas vertentes;

4) A articulação horizontal que permita a mobilização dos saberes
históricos em outros contextos disciplinares;

5) A divulgação e partilha do conhecimento histórico através do
envolvimento direto em exposições e painéis alusivos a alguns
conteúdos lecionados nos diferentes anos de escolaridade.













AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 7
DISTRIBUIÇÃO DA CALENDARIZAÇÃO ESCOLAR
POR PERÍODOS LETIVOS

O Grupo Disciplinar de História planificou para o ano letivo 2013/2014
■ 7º ano de escolaridade, a totalidade de 97 tempos letivos (com duração de
45 minutos),de acordo com os quadros seguintes:

7º ANO DE ESCOLARIDADE

Aulas previstas (45 minutos)

1.º Período

2.º Período

3.º Período

total

39 aulas

36 aulas

22 aulas

97

Avaliação / recuperação de
conteúdos

6 aulas 4 aulas 4 aulas 14

Desenvolvimento programático


33 aulas

32 aulas

18 aulas

83

7.º ANO DE
ESCOLARIDADE

TEMAS

AULAS
1.º Período
39 aulas

A. Das sociedades recolectoras às primeiras civilizações
A.1. Das sociedades recolectoras às primeiras sociedades produtoras

1. As sociedades recolectoras 7

2. As primeiras sociedades produtoras no Neolítico

6

A.2. Os contributos das Primeiras Civilizações


1. As civilizações dos grandes rios
2. A civilização egípcia
3. Novos contributos civilizacionais do Mediterrâneo Oriental – as
civilizações hebraicos e fenícia

5

B. A herança do Mediterrâneo Antigo
B.1. Os Gregos no séc. V a.C.


1 Os Gregos no século V a.C.: o exemplo de Atenas
7

2. O mundo romano no apogeu do Império.
3. Origem e difusão do Cristianismo
8



AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 8














Avaliação / recuperação de conteúdos

6
2.º Período
36 aulas

C. A formação da cristandade ocidental e a expansão islâmica


1. A Europa do século VI ao século IX.


10

2. O Mundo muçulmano em expansão
4

3. A sociedade europeia nos séculos IX a XII
6

4. A Península Ibérica: dois mundos em presença
6
D. Portugal no contexto europeu dos séculos XII a XIV

1. Desenvolvimento económico, relações sociais e poder

6

Avaliação / recuperação de conteúdos

4
3.º Período
22 aulas

D. Portugal no contexto europeu dos séculos XII a XIV


1. Desenvolvimento económico, relações sociais e poder
5

2. Cultura, arte e religião.
A cultura portuguesa face aos modelos europeus

7

3. Crises e revolução no século XIV
6

Avaliação / recuperação de conteúdos

4
Total de aulas previstas 97

AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 9

■ No 8º ano de escolaridade, a totalidade prevista é de 97 tempos letivos.



8º ANO DE ESCOLARIDADE

Aulas previstas (45 minutos)

1.º Período

2.º Período

3.º Período

total

39 aulas

36 aulas

22 aulas

97

Avaliação / recuperação de
conteúdos

6 aulas 4 aulas 4 aulas 14

Desenvolvimento programático


33 aulas

32 aulas

23 aulas

83




8.º ANO DE
ESCOLARIDADE

TEMAS

AULAS
1º Período
39 aulas

E. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI.

1. O expansionismo europeu 14
2. Renascimento e Reforma 13

F. Portugal no contexto europeu dos séculos XVII e XVIII.

1. O Império Português e a concorrência internacional 6
Avaliação / recuperação de conteúdos 6
2.º Período
36 aulas
2. Absolutismo e Mercantilismo numa sociedade de Ordens 7

3. A cultura em Portugal face aos dinamismos da cultura europeia
7

G. O arranque da Revolução Industrial e o triunfo das Revoluções Liberais

1. O triunfo das revoluções liberais
12
2. A Revolução Agrícola e o arranque da Revolução Industrial

6
Avaliação / recuperação de conteúdos 4
3.º Período
22 aulas
G. O arranque da Revolução Industrial e o triunfo das Revoluções Liberais (cont.)
2. A Revolução Agrícola e o arranque da Revolução Industrial
4

AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 10
H. A civilização industrial no século XIX

1. O mundo industrializado – expansão da Revolução Industrial

9

2. Os países de difícil industrialização: o caso português

5

Avaliação / recuperação de conteúdos

4
Total de aulas previstas 97




























AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 11

■ No 9º ano de escolaridade, a totalidade prevista é de 94 tempos letivos.


9º ANO DE ESCOLARIDADE

Aulas previstas (45 minutos)

1.º Período

2.º Período

3.º Período

total

39 aulas

36 aulas

19 aulas

94

Avaliação /recuperação de
conteúdos

6 aulas 4 aulas 4 aulas 14

Desenvolvimento programático


33 aulas

32 aulas

15 aulas

80

9.º ANO DE
ESCOLARIDADE

TEMAS

AULAS
1º Período
39 aulas

I. A Europa e o Mundo no limiar do séc. XX

1. A hegemonia e declínio da influência europeia

10

2. A revolução soviética
4

3. Portugal: da primeira república á ditadura militar
8

4. Sociedade e cultura num mundo em mudança

6

J. Da Grande Depressão à 2ª Guerra Mundial


1. As dificuldades económicas dos anos 30

5

Avaliação /recuperação de conteúdos

6
2.º Período
36 aulas


2. Entre a ditadura e a democracia

10
k. 3.. Portugal: do autoritarismo à democracia 9

4. A segunda guerra mundial

8

2. O mundo saído da guerra

5

Avaliação /recuperação de conteúdos

4




AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 12


3.º Período
19 aulas

K. Do segundo pós-guerra aos anos oitenta (cont.)


2. O mundo saído da guerra

5

3. As transformações do mundo contemporâneo

10

Avaliação /recuperação de conteúdos

4
Total de aulas previstas 94


A gestão dos programas será da competência do professor no quadro da
escola em que se insere e em função das caraterísticas das turmas.























AP R E SE NT AÇ ÃO D A D I S CI PL I N A D E HI ST ÓRI A ᅵ 3 . º CI CL O
2 0 1 3 / 2 0 1 4
Pg. 13



História
(3º Ciclo)

2013 ▪ 2014




Relacionamento Interpessoal

* Cumprimento de regras / comportamento
* Responsabilidade
* Cooperação
* Respeito pelos outros

Método de trabalho e de estudo

* Organização do caderno (organização)/tpc
* Ter o material necessário à aula
* Ser assíduo e pontual


Construção do conhecimento histórico


- Em contexto de trabalho na aula


- Fichas de avaliação / trabalhos





Notas:
A forma de testagem depende do modelo de aula
Instrumentos de testagem – fichas escritas de avaliação – pelo menos 1 por
período
Trabalhos na aula (individual ou de grupo) – têm metade do peso das fichas de
avaliação
Trabalhos fora da aula: - com guião têm metade do peso de uma ficha de
avaliação
- trabalho livre tem metade do peso de uma ficha de
avaliação
A atribuição do nível 1 deverá ter sempre em atenção a necessidade de evitar o
abandono escolar.



10%





10%




80%


20%


60%



EB2,3 PROF. CARLOS TEIXEIRA
Perfil do Aluno
História - 3° Ciclo Níveis
1 2 3 4 5
R
e
l
a
c
i
o
n
a
m
e
n
t
o

i
n
t
e
r
p
e
s
s
o
a
l

/

C
i
d
a
d
a
n
i
a

1
0
%


Cumprir regras / comportamento Nunca cumpre Raramente cumpre Às vezes cumpre Cumpre sempre Cumpre plenamente
Ser responsável Rejeita orientações Raramente aceita orientações
Às vezes aceita ou
colabora
Colaborador
É responsável e
colaborador ativo
Ser cooperante Recusa-se a participar/indiferente
Interrompe
frequentemente/distraído
Com alguma atenção; c/
inibição; participa quando
solicitado
Atenção/participa
voluntariamente/ faz
propostas
Aguarda pela vez p/
participar/Toma a
iniciativa
Respeitar os outros Agressivo
Aceita contrariado; pouco
respeitador
Respeita os outros Dialogante / Solidário
Respeita e tem iniciativa
de ajuda



M
é
t
o
d
o

d
e

t
r
a
b
a
l
h
o


e

d
e

e
s
t
u
d
o

1
0
%


Organizar o trabalho / caderno
diário / tpc
Muito desorganizado / desleixado Desorganizado Organizado
Organizado e completa
bem o trabalho
Meticuloso / cuidadoso
Ter o material necessário à aula
(manual, caderno diário)
Nunca tem Raramente Algumas vezes tem Sempre Tem sempre e usa
Ser assíduo e pontual Nunca
Raramente / Muitas vezes
atrasado
Às vezes
Raramente falta ou
chega atrasado
Comparece sempre e é
pontual







C
o
n
s
t
r
u
ç
ã
o

d
o

c
o
n
h
e
c
i
m
e
n
t
o

h
i
s
t
ó
r
i
c
o




8
0
%
2
0
%

Em contexto de trabalho na aula
(participação, realização,
compreensão, espírito crítico)
Nunca cumpre/participa com (n)as
tarefas e/ou revela muitas
dificuldades
Raramente cumpre/participa
e/ou revela dificuldades
Cumpre/participa com
alguma regularidade e
revela alguma
compreensão
Cumpre/participa com
regularidade e revela
bastante compreensão
Cumpre/participa com
bastante regularidade e
revela muita
compreensão, tem
espírito crítico e ajuda a
tirar conclusões
6
0
%

Fichas de avaliação / trabalhos Até 19% 20 a 49% 50 a 69% 70 a 89% 90 a 100%