SELEÇÃO PÚBLICA – PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO FELIZ - SP

CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA
www.consulplan.net atendimento@consulplan.com
2
CARGO: PEB III – HISTÓRIA
TEXTO:
O MAU VIDRACEIRO
Existem naturezas puramente contemplativas e totalmente impróprias para a ação, que, no entanto, sob uma impulsão
misteriosa e desconhecida, agem às vezes com uma rapidez de que elas próprias se julgariam incapazes.
Como aquele que, temendo encontrar com o zelador uma notícia aflitiva, ronda covardemente durante uma hora frente à
porta da casa sem ousar entrar, como aquele que guarda durante quinze dias uma carta sem abri-la, ou só ao fim de seis meses
se conforma em efetuar um empreendimento necessário desde há um ano, elas se sentem às vezes bruscamente precipitadas
para a ação por uma força irresistível, como a flecha de um arco. O moralista e o médico, que afirmam saber de tudo, não
podem explicar de onde vem tão de súbito uma tão louca energia nessas almas preguiçosas e voluptuosas, e como é que elas,
incapazes de cumprir as coisas mais simples e mais necessárias, encontram em dado momento uma coragem de luxo para
executar os atos mais absurdos e até, muitas vezes, os mais perigosos.
Um dos meus amigos, o mais inofensivo sonhador que já existiu, ateou fogo uma vez numa floresta, para ver, dizia, se o
fogo pegava com tal facilidade como se afirma comumente. Dez vezes consecutivas a experiência falhou; mas, na décima
primeira, foi por demais bem-sucedida.
Outro irá acender um charuto ao lado de um barril de pólvora, para ver, para saber, para tentar o destino, para se forçar a si
mesmo a dar provas de energia, para se fazer de jogador, para conhecer os prazeres da ansiedade, por nada, por capricho, por
desocupação.
É uma espécie de energia que jorra do tédio e do devaneio; e aqueles nos quais ela se manifesta tão inopinadamente são,
geralmente, como eu disse, os mais indolentes e sonhadores dos seres.
(...)
Fui vítima, mais de uma vez, dessas crises e desses impulsos, que nos autorizam a crer que Demônios maliciosos se
insinuam dentro de nós e nos fazem cumprir, à revelia, suas mais absurdas vontades.
Certa manhã, eu me levantara aborrecido, triste, cansado de ociosidade e levado, me parecia, a fazer algo, grande, uma
ação de brilho; e abri a janela, infelizmente!
(Queiram observar, por favor, que o espírito de mistificação, que em certas pessoas não é resultado de um trabalho ou de
uma combinação, mas de uma inspiração fortuita, tem parte, muito, mesmo que apenas pelo ardor do desejo, neste humor,
histérico segundo os médicos, satânico segundo aqueles que pensam um pouco melhor do que os médicos, que nos empurra
sem resistência para uma série de ações perigosas ou inconvenientes).
A primeira pessoa que avistei na rua foi um vidraceiro cujo grito penetrante, dissonante, me veio através da pesada e suja
atmosfera parisiense. Me seria, aliás, impossível dizer por que fui tomado, em relação a esse pobre homem, de um ódio tão
repentino quanto despótico.
“Ei, ei” e eu lhe gritei que subisse. Entretanto eu refletia, não sem certa alegria, que o quarto encontrando-se no sexto andar
e sendo a escada bastante estreita, o homem deveria estar experimentando certa dificuldade em efetuar sua ascensão, e
esbarrando em diversos lugares os ângulos de sua frágil mercadoria.
Ele enfim apareceu: examinei com curiosidade todas as suas vidraças, e lhe disse: “Mas como? Você não tem vidros
coloridos? Vidros cor-de-rosa, vermelhos, azuis, vidros mágicos, vidros de paraíso? Que atrevido é você! Ousa passear pelos
bairros pobres e nem mesmo possui vidros que tornem a vida bela de se ver!” E o empurrei com vivacidade para a escada na
qual tropeçou resmungando.
Aproximei-me da sacada e agarrei um vasinho de flores e, quando o homem reapareceu no vão da porta, deixei cair
perpendicularmente meu engenho de guerra na borda traseira de suas forquilhas; e derrubado pelo choque, ele acabou de
destroçar sob suas costas toda a sua pobre fortuna inconstante, que produziu o ruído estrondoso de um palácio de cristal
atingido por um raio.
E, embriagado por minha loucura, gritei-lhe furiosamente: “A vida bela de se ver! A vida bela de se ver!”
Essas brincadeiras nervosas não são isentas de perigo, e pode-se às vezes pagar caro por elas. Mas o que importa a
eternidade da danação a quem encontrou num segundo o infinito da fruição? (Charles Baudelaire)
01) A expressão popular brasileira que melhor caracteriza os tipos de pessoas apresentadas no texto é:
A) “Bobo da corte”. D) “Bicho do mato”.
B) “Espírito de porco”. E) “Cabra da peste”.
C) “Pau pra toda obra”.
02) Com relação ao significado das palavras empregadas no texto, apenas uma NÃO está correta:
A) “...almas preguiçosas e voluptuosas...” (2º§): descansadas.
B) “... o mais inofensivo sonhador...” (3º§): inocente.
C) “... que jorra do tédio...” (5º): fastio.
D) “... se insinuam dentro de nós...” (7º§): penetram.
E) “... efetuar sua ascensão...” (11º§) : subida.
03) A presença de um parágrafo inteiro entre parênteses denota que:
A) O autor ressalta dados importantes à compreensão do texto.
B) O parágrafo em questão é uma descrição didática.
C) O autor interrompe a narrativa para tecer algumas considerações.
D) O autor interrompe a narrativa para fazer uma conclusão.
E) O uso dos parênteses não tem uma explicação lógico-semântica.
www.pciconcursos.com.br 
SELEÇÃO PÚBLICA – PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO FELIZ - SP
CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA
www.consulplan.net atendimento@consulplan.com
3
04) “Ousa passear pelos bairros pobres e nem mesmo possui vidros que tornem a vida bela de se ver.” Assinale a
alternativa que contém o melhor significado para a frase anterior:
A) Seria como se o vidraceiro humilhasse as pessoas pobres porque só comercializa vidros caros.
B) Seria como se o vidraceiro fosse um falso comerciante.
C) Seria como se o vidraceiro desprezasse os que não têm poder aquisitivo.
D) Seria como se o vidraceiro pudesse melhorar a vida dos pobres, colocando cores em suas vidas.
E) Seria como se o vidraceiro escolhesse seus fregueses.
05) “O moralista e o médico, que afirmam saber de tudo.” Na frase anterior, o narrador-personagem, em relação ao
moralista e o médico, expressa um tom de:
A) Respeito. D) Conformidade.
B) Subversão. E) Desconfiança.
C) Astúcia.
06) “... empreendimento necessário desde há um ano, elas se sentem às vezes...” (2º§) A palavra sublinhada na frase
anterior se refere a:
A) Próprias. B) Impróprias. C) Carta. D) Naturezas. E) Ações.
07) A palavra “infelizmente” colocada no oitavo parágrafo expressa:
A) Uma surpresa do narrador. D) Uma exaltação do narrador.
B) Uma alegria do narrador. E) Uma lamentação do narrador.
C) Uma glória do narrador.
08) Dos ditos populares abaixo, o que resume a idéia central do texto é:
A) “Mais vale um gosto do que milhões no bolso.” D) “Deus escreve certo por linhas tortas.”
B) “Depois da tempestade vem a bonança.” E) “Jacaré que fica parado vira bolsa.”
C) “Águas passadas não movem moinhos.”
09) O tipo de extremismo a que o texto se refere é:
A) Da extrema apatia para a extrema agressividade. D) Da extrema agressividade para a extrema apatia.
B) Do extremo descaso para a estrema preocupação. E) Da extrema preocupação para o extremo descaso.
C) Da extrema desonestidade para a extrema honestidade.
10) O último período do texto funciona como:
A) Explicitação. B) Contestação. C) Conclusão. D) Retificação. E) Repetição.
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
“Veja só,
A minha como vida está mudada.
Não sou mais aquele
Que estava em casa só alta madrugada.

Faça o que eu fiz,
Porque a vida é do trabalhador.
Tenho um doce lar
E sou feliz com meu amor.

O Estado Novo
Veio para nos orientar.
No Brasil não falta nada,
Mas precisa trabalhar

Tem café, petróleo e ouro.
Ninguém pode duvidar.
E quem for pai de quatro filhos
O presidente manda premiar.
O negócio é casar.”

11) A canção de Ataulfo Alves e Felisberto Martins revela alguns elementos presentes na sociedade brasileira. O
populismo, fenômeno político latino-americano no período pós-guerra, inicia-se no Brasil com a queda do “Estado
Novo” e estende-se até a deposição de João Goulart. Pode ser definido como:
A) A manipulação pelo Estado das camadas urbanas e suas reivindicações.
B) A expressão política autônoma da classe operária.
C) A ditadura do proletariado que alija do poder a burguesia e a oligarquia agrária.
D) A queda do regime democrático e a instalação de um governo totalitário e anti-industrial.
E) Um movimento anti-nacionalista e de defesa do capital estrangeiro.



www.pciconcursos.com.br 
SELEÇÃO PÚBLICA – PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO FELIZ - SP
CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA
www.consulplan.net atendimento@consulplan.com
4
12) As disputas entre as diversas forças políticas isolavam cada vez mais o presidente Jango, que perdia o controle de
seu governo. A direita, principalmente os militares, propunha uma intervenção. O modelo político implantado no
Brasil a partir de 1964 pode ser definido:
A) Expansão da tecnoburocracia, a qual exerce o poder e tem sob seu controle todos os setores da vida econômica
nacional.
B) Aliança entre setores modernos do empresariado e classes médias, os quais no exercício do poder estimulam um
processo de privatização crescente da economia.
C) Fortalecimento do poder executivo, baseado na grande unidade de produção pública e privada, visando ao crescimento
do produto interno bruto nacional.
D) Predominância das Forças Armadas como grupo dirigente, que implementam uma política deliberada de estatização da
economia.
E) Hegemonia dos partidos políticos representantes dos interesses agro-exportadores e industriais, que promovem um
projeto de desenvolvimento eminentemente nacionalista.
13) A República foi, em grande parte, fruto da aliança entre Exército e fazendeiros de café, o rompimento, logo após a
proclamação, entre ambos foi causado:
A) Pelas divergências político-ideológicas, já que os militares apoiavam um governo forte e reformista, e a oligarquia
pretendia um federalismo que favorecia seus interesses.
B) Pela defesa de um governo central forte pelos fazendeiros, com o objetivo de anular as diferenças regionais.
C) Pela oposição dos militares ao projeto de industrialização do país, defendido pelos cafeicultores.
D) Pela rejeição do federalismo pelas oligarquias agrárias, porque possibilitava constantes intervenções da União nos
Estados.
E) Pela fraqueza política do governo do Marechal Floriano Peixoto, que se revelou incapaz de conter as revoltas que
eclodiam em seu governo.
14) A conquista e ocupação territorial da América pelos povos europeus baseou-se nos interesses das metrópoles, mais
especificamente da monarquia e da burguesia comercial. Portugal, ao promover a colonização do Brasil como um
desdobramento da expansão marítima procurou:
A) Integrar o Brasil dentro do sistema português com o Oriente, que produzia vultosos lucros.
B) Criar uma estrutura que produzisse em larga escala, segundo as necessidades do comércio europeu.
C) Desenvolver, especialmente, a circulação de mercadorias, sobretudo a produção do pau-brasil, que fixava o colono ao
solo.
D) Adequar o sistema espanhol de repartimientos ao Brasil, a fim de criar condições para o florescimento da policultura.
E) Estruturar um sistema próprio, através das capitanias hereditárias, desligado do sistema mercantilista europeu.
15) A oposição senhor-escravo constituiu-se na contradição social básica no Brasil colonial; na impossibilidade de
organizar-se politicamente, o escravo negro utilizou-se de várias formas de contestação, dentre elas a fuga. Os
quilombos, aldeamentos de negros fugidos, desafiavam o governo colonial; o maior de todos, Palmares, por mais de
meio século sobreviveu aos ataques. Sua destruição deve-se:
A) Aos bem-sucedidos ataques dos invasores holandeses.
B) À utilização da repressão colonial do sertanismo de contrato e propagação de doenças contagiosas.
C) Ao crescimento populacional, que trouxe problemas para a subsistência do grupo.
D) À inferioridade numérica e técnica dos quilombos face aos portugueses.
E) Às lutas internas e leis abolicionistas que enfraqueceram o espírito de luta do quilombo.
16) Se o país recebeu Jânio com entusiasmo, sua ação no governo era uma incógnita. Observe a charge abaixo:





















(José Geraldo Moraes. Caminhos das civilizações. Atual Editora.)
www.pciconcursos.com.br 
SELEÇÃO PÚBLICA – PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO FELIZ - SP
CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA
www.consulplan.net atendimento@consulplan.com
5
Uma das marcas do governo Jânio foi:
A) Adoção de uma política externa independente. D) Elaboração do Plano de Metas.
B) Ausência de oposição partidária. E) Nacionalização das indústrias.
C) Consolidação das reformas de base.
17) Em 1983, PMDB e PT lançaram, individualmente, campanhas em favor das eleições diretas para presidente. No ano
seguinte, a campanha ganhou extraordinário fôlego. Comícios gigantescos foram organizados em São Paulo e Rio
de Janeiro reunindo milhões de pessoas, constituindo-se na maior e mais entusiasmante manifestação da história
política do país. Dos fatos abaixo, qual NÃO teve relação com o Movimento das “Diretas já” de 1984:
A) A eleição direta de José Sarney para a presidência da República.
B) A mobilização política da juventude de classe média, que se repetiria com os “cara-pintadas” anti-Collor alguns anos
depois.
C) O fortalecimento da candidatura de Tancredo Neves a presidente, ainda que escolhido indiretamente.
D) A transformação de uma parte dos políticos que apoiavam a ditadura militar em membros da frente liberal, pela cisão
dentro do PDS.
E) A ampliação da participação político-partidária, inclusive, com a formação de partidos novos e o enfraquecimento do
regime militar.
18) As “entradas” e as “bandeiras” tiveram um papel importante durante boa parte da história do Brasil colonial. A
alternativa que define esse fenômeno é:
A) As “entradas” eram expedições oficiais da Coroa Portuguesa, nos séculos XVI e XVII que tinham como finalidade o
reconhecimento do território; as “bandeiras” eram expedições de particulares, ocorridas no século XVIII, com objetivo
de encontrar ouro.
B) As “entradas” eram expedições de particulares ocorridas no século XVI a XVIII objetivando reconhecer o território e
localizar minerais; as “bandeiras” eram expedições oficiais, ocorridas nos séculos XVII e XVIII, com o objetivo de
encontrar metais preciosos, capturar índios e negros foragidos.
C) As “entradas”, expedições de particulares durante os séculos XVI e XVIII, foram responsáveis pelo descobrimento da
Amazônia; as “bandeiras”, expedições oficiais da Coroa Portuguesa, ocorridas nos séculos XVII e XVIII, foram
responsáveis pelo descobrimento de Florianópolis e Laguna.
D) As “entradas” eram expedições oficiais da Coroa Portuguesa, ocorridas entre os séculos XVI a XVIII, com o objetivo
de reconhecer o território e localizar metais preciosos; as “bandeiras” eram expedições organizadas por particulares,
ocorridas entre os séculos XVI e XVIII, objetivando a localização de metais preciosos e captura de índios e negros
foragidos.
E) As “entradas” eram expedições particulares organizadas pelos donatários portugueses entre os séculos XV a XVII, elas
foram responsáveis pelo desbravamento do território brasileiro durante a fase colonial, contribuindo também para o
aprisionamento dos indígenas; as “bandeiras” eram expedições particulares organizadas pelos comerciantes portugueses,
tendo por objetivo a realização do comércio com o interior do país.
19) Em relação às licenças permitidas ao Servidor Público Municipal, analise:
I. A critério da Administração, poderá ser concedida ao Servidor estável, licença para o trato de assuntos particulares.
II. A licença sem vencimento não será concedida ao Servidor ocupante de cargo em comissão sem vínculo de caráter
efetivo com o município.
III. A licença sem vencimento poderá ser interrompida a qualquer tempo a pedido do funcionário ou no interesse do
serviço.
Está(ão) correta(s) apenas a(s) assertiva(s):
A) I B) III C) I, II e III D) I e II E) II e III
20) Não é dever do Servidor Público Municipal:
A) Zelar pela economia do material e pela conservação do patrimônio público municipal.
B) Guardar sigilo sobre assuntos da repartição.
C) Ser assíduo e pontual ao serviço.
D) Atender com presteza.
E) N.R.A.

CONHECIMENTOS DIDÁTICOS PEDAGÓGICOS
21) As atividades preparadas para serem desenvolvidas em sala de aula, não precisam ser impositivas. Dentro dessa
perspectiva, o professor deve, EXCETO:
A) Construir o conhecimento de forma conjunta. D) Provocar sempre o desequilíbrio cognitivo.
B) Transmitir sempre o conhecimento. E) Promover a auto-estima do aluno.
C) Procurar fazer sempre uma exposição dialogada.
22) “Quem constrói o conhecimento é o sujeito, mas a partir da relação social, mediada pela realidade.” Dentro da
perspectiva citada anteriomente o papel do professor NÃO poderá ser:
A) De mero expositor o conteúdo. D) De depositário do conhecimento para o aluno.
B) De estabelecer as relações para os alunos. E) De impor o trabalho escolar para o aluno.
C) De provocar e dispor objetos/elementos/situações.

www.pciconcursos.com.br 
SELEÇÃO PÚBLICA – PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO FELIZ - SP
CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA
www.consulplan.net atendimento@consulplan.com
6
23) Numa visão atual da educação, a postura metodológica do professor deverá versar sobre:
A) Pesquisa. D) Jogos educativos.
B) Oficinas. E) Todas as opções anteriores estão corretas.
C) Problematização.
24) Leia atentamente as afirmativas abaixo:
I. O que se deseja através da avaliação é que se possa romper as camadas que tornam obscuras a problemática
educacional.
II. A avaliação formativa contribui para uma mudança na metodologia de trabalho em sala de aula.
III. A avaliação bem feita tem como função contabilizar resultados.
IV. A avaliação deverá ser utilizada para constatar os desvios ocorridos.
V. O desafio para o professor ao avaliar deverá ser o de como traduzir em nota o desempenho do aluno.
São FALSAS as afirmativas:
A) I, II e III B) II e IV C) I e III D) III, IV e V E) I e V
25) Para a renovação metodológica, o trabalho por projetos é um dos indicados. Através dele, pode-se, EXCETO:
A) Superar uma série de problemas da prática tradicional.
B) Promover a ruptura com a passividade do aluno.
C) Diminuir a distância entre o objeto de conhecimento e o interesse do aluno.
D) Promover a desarticulação do ensino com a realidade.
E) Promover a ruptura com a iniciativa e a autonomia do aluno.
26) Na elaboração do Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola, o diagnóstico é uma das etapas importantes. Nesse
caso, o diagnóstico funciona:
A) Como uma tomada de posição após a constatação de dados.
B) Como um levantamento de dados simples da realidade.
C) Como um referencial teórico.
D) Como uma pesquisa.
E) Como um levantamento de necessidades.
27) Segundo a LDBEN – 9394/96, o ensino é livre à iniciativa privada, atendidas as seguintes condições, EXCETO:
A) Autorização para desenvolvimento de propostas pedagógicas.
B) Avaliação de qualidade pelo Poder Público.
C) Cumprimento das normas gerais da educação nacional e do respectivo sistema de ensino.
D) Autorização de funcionamento.
E) Capacidade de autofinanciamento, ressalvado o previsto no art. 213 da Constituição Federal.
28) Segundo a tendência pedagógica Liberal Tradicional a metodologia de trabalho funcionava tendo como
fundamento, EXCETO:
A) A aula expositiva. D) A exposição dialogada.
B) O professor como centro do trabalho. E) Uma disciplina normativa.
C) A transmissão do conteúdo.
29) Os temas transversais são:
A) Novas matérias a serem trabalhadas junto aos conteúdos.
B) Novas estratégias e metodologias de trabalho.
C) São assuntos que atravessam as áreas do currículo.
D) São ações de reorganização do currículo.
E) São orientações gerais sobre o funcionamento do PCN’s.
30) A educação infantil deve ser um local privilegiado:
A) De estudos e desenvolvimento de técnicas de pesquisa.
B) Para dar um espaço transicional de jogo para entrar a cultura.
C) De apreensão de regras e normas que serão estabelecidas pelos docentes.
D) De inclusão, exclusão e identificação de disciplinas que regularão a vida do adulto.
E) Do saber, de aprender, de respeitar onde as crianças passarão da anomia para a autonomia.
CONHECIMENTOS GERAIS
31) Todos os jornais e revistas publicaram em Dezembro/2006 indicadores importantes do IBGE. Segundo este
Instituto, o município que tem o maior PIB per capta do Brasil, fica no estado:
A) Minas Gerais. D) São Paulo.
B) Rio de Janeiro. E) Rio Grande do Sul.
C) Bahia.
32) “Congelaram a Classe Média”. Giuliano Guandalani e Júlia Duailibi, jornalistas brasileiros, assim se expressaram
sobre a classe média no Brasil. Nas alternativas abaixo, marque V para as verdadeiras e F para as falsas, sobre este
assunto:
( ) Conclui-se que a classe média se encontra curvada sob uma brutal carga tributária, sufocada por gastos com serviços
como educação e saúde.
( ) Existe uma relação direta entre o progresso de um país e a força de sua classe média, a exemplo da China e Índia.
www.pciconcursos.com.br 
SELEÇÃO PÚBLICA – PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO FELIZ - SP
CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA
www.consulplan.net atendimento@consulplan.com
7
( ) Motor econômico das sociedades livres tanto pelo empreendedorismo quanto pelo consumo, a classe média é
também a grande produtora de idéias e cultura.
A seqüência está correta em:
A) V, V, V B) V, V, F C) V, F, V D) F, F, V E) F, V, F
33) Em Dezembro/2006 morre no Chile um governante que levou seu povo à comoção, uns de alegria, outros de tristeza.
Este general chamava-se:
A) Salvador Allende. D) Francisco Franco.
B) Augusto Pinochet. E) Alfredo Riquelme.
C) Eduardo Frei.
34) Bragança Paulista a 83 quilômetros de São Paulo, foi palco de uma tragédia, ao final de 2006, que comoveu o Brasil
quando toda uma família foi queimada. A análise final que explicita esta situação de tragédia e muitas outras
assistidas no Brasil e no mundo, são:
A) Direcionadas somente a pessoas de grande poder econômico.
B) Conseqüência de brigas e desavenças familiares.
C) Premeditadas, em busca de dinheiro fácil.
D) Por vingança, apenas.
E) Conseqüência de demônios ou orgias de drogas.
35) Museu Paulista, construído para preservar a memória da Independência do Brasil, com grande acervo de obras de
arte, mobiliário, trajes e utensílios que pertenceram a personalidades da história brasileira, também é conhecido
com o nome de:
A) Museu de Arte de São Paulo. D) Museu de Vanguarda.
B) Museu do Ipiranga. E) Museu das Letras.
C) Centro de Documentação.
36) Porto Feliz muito valoriza os bandeirantes, mas também São Paulo capital presta sua homenagem aos pioneiros que
expandiram as fronteiras brasileiras. A sede do Governo Paulista é a expressão deste simbolismo com o nome de:
A) Palácio da Alvorada. D) Palácio dos Bandeirantes.
B) Palácio das Alterosas. E) Palácio das Açucenas.
C) Palácio da Liberdade.
37) O rio Tietê é o rio mais extenso do Estado de São Paulo. Das cidades indicadas abaixo, indique a que NÃO é
banhada por este rio:
A) Porto Feliz. B) Salto. C) Barra Bonita. D) Tietê. E) Ribeirão Preto.
38) Porto Feliz, região habitada inicialmente por índios guaianazes, tornou-se ponto de partida de muitas expedições,
principalmente rumo a Cuiabá. Hoje possui rodovia(s) importante(s) que permite(m) o acesso à cidade e às outras
regiões importantes do país. São considerada(s) importante(s):
A) Rodovia Presidente Castelo Branco. D) Rodovia Carvalho Pinto.
B) Rodovia Marechal Rodon. E) As alternativas A e B estão corretas.
C) Rodovia Sorocabana.
39) Em relação às Lendas do município de Porto Feliz, destacam-se:
I. A Lenda das Canoas Fantasmas.
II. A Lenda do Homem Só.
III. A Lenda dos Três Negrinhos.
Está(ão) correta(s) apenas a(s) alternativa(s):
A) II B) I e II C) II e III D) I, II e III E) III
40) Acerca do município de Porto Feliz, marque V para as alternativas verdadeiras e F para as alternativas falsas:
( ) Porto Feliz apresenta excelente desempenho no cultivo da uva niágara, da cana-de-açúcar e de produtos
hortifrutigranjeiros.
( ) Na pecuária, Porto Feliz possui tradição principalmente no gado de corte, embora a produção de leite também ocorra
em larga escala.
( ) A principal atração histórica e cultural de Porto Feliz é o Museu das Monções.
A sequência está correta em:
A) V, V, F B) F, V, V C) F, F, V D) F, F, F E) V, V, V


www.pciconcursos.com.br