CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA

Curso de Ciências Contábeis:
Prof. Me. Hugo David Santana
TEMA – REVISÃO DE CONTEÚDO
OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM
Proceder a uma revisão dos conteúdos Proceder a uma revisão dos conteúdos
ministrados.
INTRODUÇÃO
Proceder a uma revisão dos conteúdos ministrados,
possibilitando dessa maneira um reforço da matéria. possibilitando dessa maneira um reforço da matéria.
OBJETIVOS DA CONTABILIDADE
A contabilidade é uma ciência social.
Embora a contabilidade se utilize de métodos quantitativos,
não podemos confundi-la com as ciências matemáticas (ou
exatas).
A contabilidade surgiu basicamente da necessidade dos
donos de bens de patrimônio que desejavam controlar suas
riquezas.
No cenário moderno da economia, a contabilidade está
centrada na figura das entidades (empresas).
O principal objetivo da contabilidade é a tomada de
decisão.
Por isso, há necessidades de dados e informações
corretas, de subsídios que contribuam para uma boa
tomada de decisão. tomada de decisão.
A contabilidade é o grande instrumento que auxilia
a administração a tomar decisões.
O processo decisório não se restringe apenas aos
administradores e gerentes da empresa, mas também
a outros segmentos.
Entende-se por direitos todos os valores que as
empresas ou pessoas têm a receber de terceiros.
Em relação a uma empresa, seu direito a receber
mais comum é resultado das suas vendas a prazo.
Exemplos de direitos: duplicatas a receber
(clientes), promissórias a receber, juros a receber,
aluguéis a receber.
Obrigações são as dívidas que se tem com
terceiros.
Uma obrigação exigível bastante comum nas
empresas é aquela resultante da compra de
mercadorias ou contratação de serviços a prazo.
Exemplos de obrigações: salários a pagar, impostos Exemplos de obrigações: salários a pagar, impostos
a pagar, financiamentos a pagar, encargos sociais a
pagar, aluguéis a pagar, outras contas a pagar.
ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS
Todos recursos que entram em uma empresa passam
pelo Passivo e Patrimônio Líquido.
Esses recursos são originários dos proprietários,
fornecedores, governo, bancos, financeiras etc.
O Passivo e o Patrimônio Líquido representam O Passivo e o Patrimônio Líquido representam
origens ou fontes de recursos.
O Ativo, por sua vez, evidencia todas as aplicações
de recursos.
A empresa só pode aplicar algo ao seu Ativo por
meio de valores originados no Passivo.
PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES
FINANCEIRAS
A Lei nº 6.404/76 que dispõe sobre a Sociedade por
Ações, é conhecida como a Lei das S.A (alterada pelas
leis nº 11.638/2007 e nº 11.941/09), define as
Demonstrações Financeiras como sendo os relatórios Demonstrações Financeiras como sendo os relatórios
contábeis que retratam o patrimônio da empresa,
assim como a situação econômico-financeira.
As Demonstrações Financeiras fornecem subsídios
para os processos de tomadas de decisões e também
são conhecidas como Demonstrações Contábeis.
Art 176 – Lei das S.A – Demonstrações financeiras:
Balanço Patrimonial.
Demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados
(DLPA) ou Demonstração das Mutações do (DLPA) ou Demonstração das Mutações do
Patrimônio Líquido (DMPL).
Demonstração do resultado do exercício (DRE).
Demonstração dos fluxos de caixa (DFC).
Demonstração do Valor Adicionado (DVA) – se
companhia aberta.
Notas explicativas (NE).
BALANÇO PATRIMONIAL
É um dos mais valiosos relatórios gerados pela
contabilidade.
Balanço Patrimonial – apresenta o Ativo, Passivo e
Patrimônio Líquido em determinada data.
Contempla todas as operações ocorridas em uma
empresa.
O Ativo é composto pelo Ativo Circulante e Ativo não
Circulante.
O Passivo é composto pelo Passivo Circulante, Não
Circulante e Patrimônio Líquido.
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO
EXERCÍCIO
É a exposição ordenada de forma dedutiva do
resultado das operações da empresa durante um
determinado período.
Engloba todas as receitas, despesas, ganhos e Engloba todas as receitas, despesas, ganhos e
perdas do exercício.
A DRE é considerada como um instrumento de
controle e decisão.
São apresentadas na DRE as receitas ganhas e as
despesas consumidas.
PRINCÍOS DE CONTABILIDADE - PC
A Resolução nº 750/1993 do Conselho Federal de
Contabilidade (CFC) que dispõe sobre os Princípios
Fundamentais de Contabilidade foi alterada pela
Resolução CFC nº 1.282/2010, tendo em vista a
necessidade da convergência em direção das Normas necessidade da convergência em direção das Normas
Internacionais de Contabilidade.
Os Princípios de Contabilidade são:
a)Entidade. e)Competência
b)Continuidade. f )Prudência
c)Oportunidade.
d)Registro pelo valor original.
CONTAS
Conta é uma denominação dada aos elementos
patrimoniais (Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido) e
elementos de resultado (Receitas e Despesas).
Os fatos escriturados servirão de base para todos os Os fatos escriturados servirão de base para todos os
demonstrativos contábeis.
No Ativo, as contas são dispostas em ordem
decrescente de grau de liquidez.
No Passivo, as contas são classificadas em ordem
decrescente de exigibilidade.
O Ativo é composto pelo Ativo Circulante e Ativo
Não Circulante
Exemplos de contas do Ativo Circulante:
Disponível (Caixa, Banco, Aplicações Financeiras de
Liquidez Imediata). Liquidez Imediata).
Clientes ou Duplicatas a Receber.
(-) Provisão p/ devedores duvidosos.
Adiantamento de Fornecedores.
Estoques.
Despesas antecipadas.
Exemplos de contas do Ativo Não Circulante:
Realizável a Longo Prazo:
Clientes ou Duplicatas a Receber LP.
Títulos a Receber.
Empréstimos a Sócios. Empréstimos a Sócios.
Aplicações Financeiras a LP.
Investimentos:
Participações em outras empresas.
Imóveis para renda.
Imobilizado:
Terrenos.
Edifícios.
Instalações.
Máquinas e Equipamentos.
Veículos. Veículos.
Intangível:
Marcas e Patentes.
Direitos Autorais.
Exemplos de contas do Patrimônio Líquido
(Capital Próprio)
Capital Social.
(-) Capital a Integralizar.
Reservas de Capital. Reservas de Capital.
Ajustes de Avaliação Patrimonial.
Reservas de Lucros.
Ações em Tesouraria.
Prejuízos Acumulados.
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO
EXERCÍCIO - DRE
A DRE evidencia os componentes que provocam
alterações no patrimônio líquido das empresas.
A DRE é uma demonstração financeira que evidencia A DRE é uma demonstração financeira que evidencia
o resultado apurado pela companhia, por meio do
confronto entre as receitas, despesas e custos.
O resultado apurado na DRE é transferido para o
Balanço Patrimonial (na conta de Lucro ou Prejuízo).
A apresentação desse relatório é analítico e
estruturado, demonstrando o resultado líquido de
uma empresa (lucro ou prejuízo) em um determinado
período.
O resultado obtido pela DRE poderá ser positivo, O resultado obtido pela DRE poderá ser positivo,
negativo ou nulo.
As contas de receitas, despesas e custos são
chamadas de contas de resultado, posteriormente
seus saldos são zerados, ou seja, não se acumulam
de um ano para outro.
O regime contábil adotado para a elaboração da DRE
é o de competência: receitas e despesas são
apropriadas ao período de apuração, em função de
sua incorrência (fato gerador) e independentemente
de seu reflexo financeiro, ou seja, se foram de seu reflexo financeiro, ou seja, se foram
recebidas (receitas) ou pagas (despesas) dentro do
período de apuração.
PLANO DE CONTAS
Na contabilidade damos o nome de conta aos
elementos patrimoniais e de resultados.
Essas contas são devidamente alocadas no Plano de Essas contas são devidamente alocadas no Plano de
Contas que é um instrumento ou ferramenta
indispensável ao trabalho do contador.
Um plano de contas corresponde a um agrupamento
ordenado de todas essas contas que serão utilizados
na contabilidade.
A quantidade de contas disposta num plano de
contas dependerá do volume e da natureza do
negócio de cada empresa.
No plano de contas, além da classificação em No plano de contas, além da classificação em
patrimoniais e de resultado, também temos a
classificação quanto a seu grau de especificação que
são as contas sintéticas e analíticas.
• Contas Sintéticas: não recebem lançamentos e
têm seu saldo a partir dos lançamentos em contas
analíticas, ou seja, são as contas que totalizam os
saldos das contas analíticas.
• Contas Analíticas: efetivamente recebem os
lançamentos a débito e a crédito, ou seja, são as
contas movimentadas pela escrituração dos fatos
contábeis
EXEMPLO DE PLANO DE CONTAS
Primeiro Grau (sintética)
1 – Ativo
2 – Passivo e PL
3 – Receitas
4 – Despesas e Custos 4 – Despesas e Custos
Segundo Grau (sintética)
1.1 – Ativo Circulante
1.2 – Ativo Não Circulante
Terceiro Grau (sintética)
1.1.1 – Disponível
1.1.2 – Créditos
1.1.3 – Estoques
Quarto Grau Quarto Grau
1.1.1.1 – Caixa (sintética)
Quinto Grau
1.1.1.1.01 – Caixa Geral
(analítica)
MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS /
ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL
O método das partidas dobradas foi desenvolvido
pelo frade veneziano Luca Pacioli, na Itália, no século
XV e deu início a uma nova fase para a contabilidade. XV e deu início a uma nova fase para a contabilidade.
A propagação deste método fez desabrochar naquela
época a assim chamada Escola Contábil Italiana, que
dominou o cenário das práticas contábeis até o início
do século XX.
Contas Patrimoniais
Aumento de Ativo = Débito
Diminuição de Ativo = Crédito
Aumento de Passivo e PL = Crédito Aumento de Passivo e PL = Crédito
Diminuição de Passivo e PL = Débito
Contas de Resultado
Receita = Crédito
Despesas e Custos = Débito
SALDO DAS CONTAS PATRIMONIAIS
Saldo final do Ativo = Débito
Saldo final do Passivo e PL = Crédito
(excetos as contas redutoras) (excetos as contas redutoras)
Na contabilidade, débito e crédito servem para
registrar as mudanças no patrimônio por meio dos
aumentos ou diminuições dos saldos das contas
contábeis.
BALANCETE DE VERIFICAÇÃO
O Balancete de Verificação tem como base o método
das partidas dobradas e tem como finalidade
averiguar se os saldos das contas contábeis estão em
equilíbrio.
Regra: Para todo débito lançado numa conta haverá
um crédito lançado em outra conta.
Não haverá saldo devedor sem saldo credor.
O Balancete pode ser analisado diariamente,
quinzenalmente, mensalmente, por profissionais
contábeis, para que seja detectado erros e os
mesmos sejam acertados. mesmos sejam acertados.
A principal finalidade do balancete é confirmar se a
soma dos saldos devedores é exatamente igual à
soma dos saldos credores.
APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO
- ARE
Para avaliar se a empresa obteve lucro ou prejuízo,
precisamos comparar a Receita, o Custo e a Despesa
do período de acordo com o princípio da
competência. competência.
Em cada período, chamado de Exercício Social, deve-
se apurar o seu resultado, isto é, verificar se houve
lucro ou prejuízo.
Se a Receita for maior que o Custo e a Despesa, a
empresa obteve lucro.
Se a Receita for menor que o Custo e a Despesa, a
empresa obteve prejuízo.
O resultado apurado é destacado na DRE. Este
demonstrativo apresenta um resumo ordenado das
receitas, dos custos e das despesas do período, o que
facilita a tomada de decisão.
Por meio do resultado apurado, pode-se verificar se o Por meio do resultado apurado, pode-se verificar se o
maior objetivo da empresa foi atingido, ou seja, se os
benefícios foram maiores que os sacrifícios realizados.
DIFERENÇA ENTRE DESPESAS E CUSTOS
Indústrias:
Custo significa todos os gastos na fábrica, isto é,
na produção, tais como o consumo de matéria- na produção, tais como o consumo de matéria-
prima, mão de obra, energia elétrica, manutenção e
embalagem, entre outros
Despesa: corresponde aos gastos do escritório,
seja no departamento administrativo, no de vendas,
seja no financeiro.
EFEITO DO LUCRO NO BALANÇO
O resultado do exercício apurado pela empresa (lucro
ou prejuízo) será lançado no Balanço Patrimonial no
grupo do Patrimônio Líquido.
O lucro apurado pela empresa pertence aos
proprietários (investidores), visto que são os
responsáveis pelo negócio. Se houver prejuízo, os responsáveis pelo negócio. Se houver prejuízo, os
proprietários sofrem a perda.
A Lei 11.638/2007 prescreve que o lucro deve ser
distribuído de alguma forma, seja através da
capitalização, da distribuição aos sócios e/ou
transferência do saldo positivo da conta Lucros
Acumulados para a formação de reservas de lucros.
Contas Redutoras do Ativo
As contas redutoras do ativo são as contas que
apresentam saldos credores no Ativo, também
chamadas de contas retificadoras.
Relembrando, as contas do ativo são de natureza Relembrando, as contas do ativo são de natureza
devedora, ou seja, o seu saldo final é sempre devedor,
exceto as contas retificadoras ou redutoras.
São contas Retificadoras do Ativo Circulante:
duplicatas descontadas, provisão para crédito de
liquidação duvidosa e provisão para ajuste a valor de
mercado.
PROVISÃO PARA CRÉDITO DE LIQUIDAÇÃO
DUVIDOSA
Também conhecida por Provisão para Devedores
Duvidosos (PDD), é outra conta retificadora do Ativo.
Considerando que a realização de 100% das contas a Considerando que a realização de 100% das contas a
receber é sempre uma dúvida, a contabilidade,
fazendo uso do princípio da prudência ou do
conservadorismo, deve ajustar o valor do ativo ao
valor mais provável de ser realizado.
O montante das perdas prováveis poderá ser
estimado com base em históricos de períodos
anteriores.
Para encerrar o exercício corrente, a contabilidade Para encerrar o exercício corrente, a contabilidade
reserva valores sob o título de uma provisão para
ajustar o valor das duplicatas a receber a um
montante mais provável de concretização.
CONCEITO DE FOLHA DE PAGAMENTO
A Consolidação das Leis do Trabalho – CLT foi aprovada
em 1º de maio de 1943, pelo Decreto-Lei nº 5.452 e
desde então tem sido a referência mais importante para a
elaboração da folha e, consequentemente, para o cálculo
dos impostos trabalhistas.
Objetivo da CLT: regulamentação das relações individuais
e coletivas do trabalho, tendo em vista a proteção dos
direitos dos trabalhadores.
Empregado e Empregador possuem suas
responsabilidades, ou seja, seus direitos e deveres.
Mensalmente, a empresa está obrigada a elaborar a
folha de pagamento a seus empregados para efeito de
fiscalização trabalhista e previdenciária.
Proventos ou Verbas: são todas as gratificações e
adicionais que o trabalhador recebe. adicionais que o trabalhador recebe.
Os proventos ou verbas podem ser classificados em:
Salários.
Abono.
Adicional de Insalubridade.
Adicional de Periculosidade. Adicional de Periculosidade.
Prêmios / Comissão.
Gorjeta / Gratificações.
13º Salário.
Horas Extras.
Adicional Noturno
ATIVIDADE / EXEMPLOS PRÁTICOS
1 – O objeto da Contabilidade é: (Ferrari, 2011, p.
22).
A ( ) O Controle do Patrimônio;
B ( ) O fornecimento de informações aos B ( ) O fornecimento de informações aos
seus usuários;
C ( ) O Patrimônio;
D ( ) A Apuração do Lucro ou Prejuízo da
Entidade;
E ( ) A Entidade que possui um patrimônio.
Resposta = Letra “C”
2 –Representa um direito a conta: (Ferrari, 2011 p.
84)
A ( ) Provisão para férias;
B ( ) Adiantamentos de Clientes;
C ( ) Fornecedores; C ( ) Fornecedores;
D ( ) Adiantamento a Fornecedores;
E ( ) Móveis e Utensílios.
Resposta = Letra “D”
3 – (Marinha) A empresa efetua o pagamento de
despesas de aluguel do imóvel em que ocupa.
Esse é um fato contábil: (Ferrari 2011, p. 207)
A( ) Permutativo Diminutivo;
B( ) Misto;
C( ) Modificativo Aumentativo; C( ) Modificativo Aumentativo;
D( ) Permutativo Aumentativo;
E( ) Modificativo Diminutivo.
Resposta = Letra “E”
4 – (Auditor da Receita Federal/ESAF) O Registro
Contábil da Provisão para Creditos de Liquidação
Duvidosa tem como contrapartida devedora a
conta:
A( )Despesas com a Constituição de Provisões;
B( ) Provisão para Devedores Duvidosos; B( ) Provisão para Devedores Duvidosos;
C( ) Duplicatas a Receber;
D( ) Lucros Acumulados;
E( ) Despesas do Exercício Seguinte.
Resposta = Letra “A”
RESUMO