SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL?

1

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
O Novo Testamento não
menciona qualquer coisa a
respeito de crentes que não se
importam com a igreja e vivem
isoladamente a vida cristã
andando para lá e para cá
1
.
Existem muitas pessoas que
são semelhantes a ervas
aquáticas, vivem flutuando de
igreja em igreja. Não
pertencem à membresia de
nenhuma delas, mas estão
presentes a todas as
“poderosas” concentrações de
poder. Onde for aberta uma
nova igreja, ali os
encontraremos. E, se outra
igreja for estabelecida, tais
crentes mudarão para lá
2
.
Quando você decidiu aceitar o
convite do Senhor para viver
com Ele – sua conversão à
Cristo, você foi
espiritualmente unido ao seu

1
Hb 10.25
2
Conrad Mbewe é pastor da Igreja Batista
Reformada de Kabwara em Lukasa, Zâmbia (África)
3
1Pe 2.13; Tt 3.5; Rm 2.13; 3.24; 5.1; 1Co 6.11; Hb
2.11; Rm 8.15; Gl 4.5; Ef 5.1; Rm 8.9-11; 1Co 3.16
4
1Co 12.12-13
corpo. Isto acontece porque a
salvação assemelha- se a um
pacote: Inclui regeneração,
justificação, santificação,
adoção, habitação do Espírito
3
,
etc. Um dos elementos deste
pacote é a união com Cristo, ou
seja, o processo pelo qual o
Espírito Santo o enxerta no
corpo de Cristo – a Igreja, de
modo que você se torna um
membro orgânico – vivo, desse
corpo
4
, ao invés de um
membro autômato
5
.
"Cada igreja (ekklesia)
neotestamentária é um grupo,
um corpo local e organizado de
pessoas que já foram salvas do
caminho do Inferno
6
- isto é, o
Espírito Santo já as "chamou
para fora" do mundo e do
pecado, e elas biblicamente
arrependeram-se, creram,
foram regeneradas,
5
Indivíduo de comportamento maquinal,
executando tarefas ou seguindo ordens como se
destituído de consciência, raciocínio, vontade – Dic.
Eletrônico Houaiss
6
Hb 12.23
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 2

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
convertidas, pediram e foram
imersas em água e arroladas
como membros da igreja local.
À luz do que os dicionários
gregos trazem para o verbete
"ekklesia" - Igreja, e à luz da
Bíblia, não há como escapar
dessa definição.
Os membros de cada igreja se
reúnem física e corporalmente,
uma ou mais vezes por
semana, num mesmo local
físico para, todos eles, [física e
espiritualmente] juntos,
cultuarem a Deus com uma só
doutrina e prática
perfeitamente definidas; e
unanimemente cridas e
defendidas entre os seus
membros; e absolutamente
neotestamentárias
7
.
Essa definição é o
indispensável alicerce para
podermos entender tudo o
mais sobre quaisquer assuntos
da doutrina da igreja. À luz
dessa definição, vamos

7
At 4.1-5
meditar profunda e
sinceramente em algumas
passagens sobre a suprema
importância de ser membro de
uma igreja neotestamentária:
TORNAR-SE MEMBRO DA IGREJA É
ORDEM DE JESUS
O nosso Senhor Jesus Cristo
ordenou aos seus seguidores
que se filiassem à igreja. Em
Mateus 16.18, Jesus diz aos
Seus discípulos: “eu edificarei a
minha igreja”. Ele descreve a
igreja como o templo da nova
aliança, e todos os que
confessam que Jesus é o
Senhor são as pedras desse
edifício
8
.
Em Mateus 28.19-20, Jesus
confirma e amplia a sua
declaração anterior ao ordenar
aos Seus seguidores que façam
discípulos, batizando-os e
ensinando-os depois. O
cumprimento dessa grande
comissão resulta na inclusão
dos convertidos à igreja. Por
8
Mt 16.16; 1Pe 2.5; Ef 2.19-20
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 3

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
que dizemos isso? Porque a
ordenança do batismo faz
parte da grande comissão.
Conquanto o batismo do (em,
com) Espírito Santo é pessoal e
íntimo, não manifesto, não
devemos manter invisível a
nossa salvação, temos que
expressá-la externamente
9
. O
batismo em água, externo e
visível, simboliza esta realidade
invisível.
Em Mateus 20.22,23 Jesus
pergunta aos seus discípulos se
eles podiam beber do mesmo
cálice que Ele. Em Rm 6.3-8
Paulo faz referência a esse
mesmo evento afirmando que
no batismo desempenhamos o
mesmo sacrifício de Cristo.
Noutras palavras, deseja que o
nosso relacionamento com Ele
seja honesto e perceptível e
que seja também um
relacionamento corporativo
10
.

9
Rm 10.9-10
10
Mt 10.32; Hb 10.24-25
11
Gn 17.7, 10-11;
PARALELAMENTE O AT CORROBORA
A IMPORTÂNCIA DA FILIAÇÃO
ECLESIÁSTICA
O Antigo Testamento
exemplifica o modelo de
afiliação. Os israelitas eram o
povo da velha aliança. Deus
ordenara a circuncisão como
selo daquela relação pactual, e
como sinal de membro da
comunidade do pacto
11
. O NT
compara essa velha
comunidade da aliança como
“a igreja”
12
.
Se você fosse estrangeiro em
Israel, teria que ser
circuncidado para se tornar
membro da comunidade antes
de poder celebrar a Páscoa.
Noutras palavras, você teria
que se “filiar à igreja” antes de
poder participar da mesa do
Senhor. Se não fosse
circuncidado, não interessaria
a sua história nem a sua fé
subjetiva
13
.
12
At 7:38
13
Êx 12.43-44, 48; Gn 17:14
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 4

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
Pode ver o paralelismo com o
NT? O batismo é a circuncisão
do Novo Testamento e marca a
sua entrada na nova
comunidade do pacto, a
igreja
14
. A Ceia do Senhor é
agora a nova Páscoa do
pacto
15
. Assim, da mesma
maneira que era necessário ser
circundado para se tornar
membro de Israel antes de
poder celebrar a Páscoa, do
mesmo modo é necessário
tornar-se membro da igreja
antes de poder participar da
Ceia do Senhor. Por isso é que,
os que “foram batizados” e
“acrescentados à igreja” eram
os que participavam do partir
do pão com os apóstolos
16
.
A FILIAÇÃO ECLESIÁSTICA É
CONCLUSIVA NO NOVO
TESTAMENTO
O NT pressupõe que todo
convertido filia-se à igreja. A
conversão inclui ser

14
Cl 2.11-12; Gl 3.27, 29; 6:15-16; Fp 3.3
15
Mt 26.17-19; 1Co 5:7
16
At 2.41-42; 47
acrescentado à igreja local
visível, é “quase um
complemento da salvação”
17
.
Era impensável que alguém
pudesse abraçar a Cristo e
optar por não se filiar à igreja
do Senhor. Na verdade quem
não era membro da igreja era
considerando como
incrédulo
18
. O cristianismo
bíblico é intensamente pessoal,
mas, nunca particular e
individualista.
O Novo Testamento enfatiza
vigorosamente o caráter
corporativo do cristianismo.
Ele fala do ajuntamento dos
crentes como sendo, por
exemplo, o corpo de Cristo, a
noiva de Cristo, a família da fé,
o templo do Espírito Santo, a
comunhão dos santos, a nação
santa, o povo de Deus, a família
de Deus, etc. Nos dias dos
apóstolos, todo convertido
filiava-se à igreja, senão o
17
At 2.41, 47; 14:21-23
18
Mt 18.17
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 5

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
fizesse, não era considerado
convertido
19
.
A FILIAÇÃO ECLESIÁSTICA É PARTE
INTEGRANTE DA EDIFICAÇÃO
Externamente, você se
identifica como pertencendo a
Cristo pela profissão da sua fé
diante da igreja e na adoração,
aprendizado e testemunho
contínuos juntamente com a
assembleia. Fazer parte de
Cristo é, na Bíblia, fazer parte
do corpo de Cristo.
Biblicamente, os cristãos
servem a Cristo, não em
isolamento autossuficiente,
independente, mas como
membros vivos do Seu corpo
20
.
A DISCIPLINA NA IGREJA AUTENTICA
A NECESSIDADE DE FILIAÇÃO
As tantas prescrições bíblicas
sobre ordem na igreja deixam
claro que Deus espera que os
crentes se filiem às igrejas
locais. Deus estabelece
requisitos de admissão
21
, provê

19
At 8.13
20
Rm 10.9-10; Mt 10.32; At 2.41-42; Hb 10.25; 1Co
12.13, 27; Rm 12.5; Ef 5.29-30
meios de expulsão da igreja
22
,
ordena que haja líderes (ou
oficiais) como pastores e
diáconos
23
. Só este último fato
já evidencia que os crentes
terão que se filiar à igreja.
Como é que haveria oficiais se
não houvesse membros para
os eleger e seguir? De onde é
que viriam pastores e
diáconos? Para que serviriam
eles?
Em I Timóteo, depois de dar
instruções sobre a oração no
culto público (2.1-8), sobre as
mulheres no culto público (9-
15) e sobre a eleição de
pastores e diáconos (3.1-13), o
apóstolo Paulo explica: “para
que, se eu tardar, fiques ciente
de como se deve proceder na
casa de Deus, que é a igreja do
Deus vivo, coluna e baluarte
da verdade” (3.15). Tais regras
seriam inúteis, se os crentes
21
Mt 16.16; At 2.40,41, 18.8, 19.3-5
22
Mt 18.17; 1Co 5.4-5
23
Ef 4.11-12; At 14.23; 1Tm 3.1-13
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 6

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
não fossem membros de
igrejas locais organizadas.
MANDAMENTOS BÍBLICOS QUE
MANIFESTAM A NECESSIDADE DE
FILIAÇÃO
Há muitas outras instruções
bíblicas que só podem ser
obedecidas se você for
membro de igreja. Cristo
instrui os Seus seguidores para
que celebrem a Ceia do
Senhor
24
. Mas a Mesa do
Senhor está posta apenas para
os que são membros batizados,
e em comunhão com a sua
igreja.
Deus ordena que os cristãos
amem a seus irmãos e os
sirvam
25
. Mas como é possível
reconhecer os irmãos? Alguns
se dizem crentes, e não o são.
Como é que os crentes podem
reconhecer a outros se não for
pela identificação de
pertencerem a uma igreja
visível que anuncia o
evangelho?

24
Lc 22.19; 1Co 11.23-30
O que prevalece hoje é um
espírito de autonomia que
despreza a autoridade. Isso não
é nada novo (2Pe 2.10). Mas
Deus ordena aos Seus filhos
redimidos que “acateis com
apreço os que [...] vos
presidem no Senhor e vos
admoestam” (1Ts 5.12) e que
“obedecei aos vossos guias e
sede submissos para com eles”
(Hb 13.17). Mas como será isso
possível se você não se filiou à
igreja que eles supervisionam?
De que outra maneira seria
possível saber quem são
aqueles a quem Deus colocou
sobre você? Isso significa
obediência e submissão a
Cristo.
Se não há qualquer exigência
bíblica de pertencer a uma
igreja local, então a quais
líderes deveria um cristão
individual obedecer e se
submeter? Segundo, e mais
pessoalmente, por quem eu,
25
Gl 6.2; 1Pe 3.17; 1Jo 3.14
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 7

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
como pastor, haveria de
prestar contas? Essas duas
questões despertaram minha
busca por um entendimento
bíblico da igreja local, e elas
começaram em torno das
ideias de autoridade e
submissão. No tocante à
primeira questão, as Escrituras
claramente ordenam que os
cristãos se submetam e
honrem um corpo de
presbíteros (1Tm 5.17). Se não
há qualquer entendimento
acerca da membresia da igreja
local, então a quem devemos
nos submeter e obedecer? Será
que devemos fazê-lo a
qualquer um com o título de
“presbítero” de qualquer
igreja?
O CUIDADO PASTORAL EXIGE
FILIAÇÃO ECLESIÁSTICA
Seria impossível cuidar
biblicamente da ovelha de
Cristo sem a filiação à igreja.
Deus ordena que os pastores

26
At 20.28; 1Pe 5.1-4
pastoreiem o rebanho no
exercício do cuidado e da
supervisão pastoral. A igreja é
o rebanho que o Senhor deixou
aos cuidados deles
26
. Eles têm
que concentrar a atenção
naqueles que se filiaram à
igreja sobre a qual Deus os fez
supervisores (1Co 5.12). Os que
visitam à igreja, porém, não
estão sob a jurisdição dos
pastores. Se não se filiarem a
ela, como é que poderão ser
pastoreados adequadamente?
Além do mais, o bom pastor
conhece as suas ovelhas pelos
seus nomes e é também
conhecido por elas (Jo 10.3-
4,14). Os que estão sob o seu
pastorado não precisariam
fazer o mesmo (1Pe 5.1-4)?
Como poderão pastorear o
rebanho se não souberem
quem faz parte dele?
Em Mateus 18.15-18 o nosso
Senhor Jesus ensina aos Seus
discípulos como devem lidar
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 8

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
com o pecado e o conflito no
corpo de Cristo. Se um cristão
professo está em pecado e nele
persiste teimosamente sem se
arrepender, a igreja deverá
excomungá-lo e considerá-lo
como um incrédulo (1Co 5). Se
arrepender deverá ser
restaurado (2Co 2.5-11). O
objetivo principal da disciplina
é o socorro e a restauração (Gl
6.1). Mas como seria possível
essa prática à igreja se não
houvesse uma distinção
objetiva entre os que são “de
dentro” e os que são “de fora”
(1Co 5.12-13)? É impossível
obedecer às instruções de
Cristo sobre a supervisão
pastoral e a disciplina
eclesiástica se os crentes não
se tornarem membros de
igreja.
A VIDA PRÁTICA DA IGREJA ABRANGE
A FILIAÇÃO ECLESIÁSTICA
Há muitas questões de ordem
prática que a igreja não pode

27
At 11.22; 13.3; 17.10
realizar bem sem a filiação
eclesiástica objetiva. Deus
ordena que “Tudo, porém, seja
feito com decência e ordem”
(1Co 14.40). As igrejas
precisam levantar pastores,
eleger diáconos, enviar
missionários
27
, definir
orçamentos, comprar
propriedades, construir locais
de reunião, etc. São decisões
importantes. Mas sem
membros objetivamente
definidos, como seria possível
decidir de modo justo — “com
decência e ordem”.
O EVANGELISMO BÍBLICO EXIGE A
FILIAÇÃO ECLESIÁSTICA
É impossível o evangelismo
bíblico sem a filiação
eclesiástica. A maior parcela do
evangelismo de hoje reforça o
tomar decisões. Jesus, no
entanto, nos ordena a fazer
discípulos. O medidor bíblico
do sucesso evangelístico não
está marcando um grande
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 9

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
número de decisões
professadas, só está alistando
pessoas nos privilégios e nas
responsabilidades de seguir a
Cristo. Biblicamente o
evangelismo só estará
completo quando os
convertidos estiverem
matriculados na “escola” de
Cristo e abraçados ao seio da
família visível dos crentes – a
Igreja
28
.
A Igreja é o único organismo
autorizada por Cristo para
anunciar as boas novas,
cumprir as ordenanças e
revelar a justiça de Deus. Por
isso, sem membros
comprometidos com essas
verdades e princípios, isso seria
impossível.
O AMOR DE DEUS CLAMA PELA
FILIAÇÃO ECLESIÁSTICA
O grande amor de Deus pela
igreja convida os crentes a que
se filiem à Ela. A Bíblia reforça
repetidamente o quão vital e

28
Mt 28.19-20; cf. 1Co 12:13; At 2.41, 47
importante é a igreja para o
Deus vivo e Trino.
A igreja estava no coração de
Deus na Sua obra de criação (Ef
3.9-11). A igreja estava no
coração de Deus na Sua obra
de salvação. A igreja tem a
promessa da Sua presença
especial
29
. Se a igreja é tão
importante para o Senhor,
também não deveria ser para
todos aqueles que O amam?
Como é que você pode amar ao
Senhor e ao mesmo tempo se
desviar para longe daquilo que
o Senhor ama? Será que isso
não quer dizer que todo o
crente tem que se identificar
abertamente com a igreja de
Cristo?
Se alguém diz: Eu posso
sobreviver bem sem a igreja
quanto com ela, está na
verdade dizendo que é mais
inteligente do que Deus! Para
ajudar a nutrir o
relacionamento entre cada
29
Mt 16.18; Ef 5.25; Hb 2.12; Mt 18.20
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 10

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
cristão e Cristo, e para ajudar a
levar mais pessoas para esse
relacionamento.
Especificamente, a igreja local
desempenha um papel
importante no plano de Deus,
no sentido de que: 1) É mais
fácil ser cristão, permanecer
cristão e crescer
espiritualmente num grupo
amoroso e cuidadoso do que
fazer isso sozinho; 2) os cristãs
reunidos numa igreja local
podem realizar obras de
edificação, evangelização e
benevolência que seriam
impossíveis de se realizar
individualmente; 3) Deus é
glorificado de maneira especial
pela adoração coletiva dos seus
filhos.
Jesus amou à Igreja e se deu
por ela a fim de a santificar (Ef
5.25-27). Portanto cada igreja
local, e cada crente individual,
são a pura e virginal noiva a ser
unida a Cristo
30
.

30
2Co 11:2-3; Ap 19.7-9
A esposa de Cristo não pode
ser adúltera, ela é incorruptível
e pura. Ela conhece um lar, ela
guarda com casta modéstia a
santidade de seu leito. Ela nos
mantém para Deus. Ela aponta
os filhos que ela gerou para o
reino. Aquele que está
separado da Igreja e está unido
a uma adúltera, é separado das
promessas da Igreja. Não pode
aquele que amaldiçoa a Igreja
de Cristo conquistar as
recompensas de Cristo. Ele é
um estranho, ele é profano, ele
é um inimigo. Não pode mais
ter Deus como seu Pai, aquele
que não tem a Igreja como sua
mãe. Se algum daqueles que
estavam de fora da arca de Noé
pudesse escapar, então
poderiam também escapar
aqueles que estão fora da
Igreja
31
.
É OPCIONAL SER MEMBRO DE
IGREJA?
31
Cipriano de Cartago - Da unidade da igreja .6
SER MEMBRO DA IGREJA É OPCIONAL? 11

UNIDADE I - Lição I
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte I-III – Novos Crentes
Então, ser membro de igreja é
uma exigência ou pode ser
opcional? Vamos dizer de
outro jeito: a obediência a
Cristo é uma exigência ou uma
opção? Essa pergunta precisa
ser feita hoje pois muitas
pessoas têm a ideia equivocada
de que para serem crentes
tudo que precisam é fazer uma
mera oração e serão
eternamente salvas. Não é
necessário que se evidencie
nenhuma transformação
particular em suas vidas.
Jamais precisarão abandonar
os seus pecados de estimação;
não precisarão ter vontade de
ler a Bíblia ou de frequentar
uma igreja regularmente; não
precisarão ser líderes
espirituais em suas famílias;
não precisarão ter um
testemunho cristão digno de
crédito. Nunca precisarão fazer
nada por Cristo
32
.

32

http://www.monergismo.com/textos/igreja/membr
o_igreja_pribble.htm
O QUE É IGREJA? 12

UNIDADE I - Lição II
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
A BÊNÇÃO PROMETIDA
A Igreja é o cumprimento da
bênção que descende da
promessa de Deus a Abraão:
Multiplicarei a tua
descendência
1
como as estrelas
do céu, e lhe darei todas estas
terras; e por meio dela serão
benditas todas as nações da
terra Gn 26.4.
Veja que ao promulga-la à
Abraão, Deus afirma que as
nações da terra seriam
alcançadas.
Entretanto, dessa relação com
os filhos do patriarca no
decorrer dos tempos, Deus não
revelou como os povos seriam
abençoados.
Ao utilizar da Lei
2
Ele conduzia
o povo em disciplina fazendo
perceber a força do pecado.
Ao cumprir-se a plenitude dos
tempos
3
o que Deus havia
preparado para revelar-se
como sendo a bênção de

1
Para melhor entendimento veja: ele não diz: aos
teus descendentes, mas tua descendência.
Abraão se identifica na vida do
Messias o que faz Paulo
dissertar ao Gálatas a verdade
sobre essa promessa: Ora, as
promessas foram feitas a
Abraão e ao seu descendente
(Gn 12.7). Não diz: E aos
descendentes, como se falando
de muitos, porém como de um
só: E AO TEU DESCENDENTE, QUE É
CRISTO Gl 3.16.
A bênção à todas as nações da
terra é o Salvador, o cordeiro
de Deus que tira o pecado do
mundo – Jesus o filho de Deus.
Fazendo comparação ao que
acontecia com Israel Paulo diz:
Porque não quero, irmãos, que
ignoreis este mistério (para que
não sejais presumidos em vós
mesmos): que veio
endurecimento em parte a
Israel, até que haja entrado a
plenitude dos gentios Rm
11:25.
JESUS E A IGREJA
2
Ex 20.1-17
3
Gl 4.4
O QUE É IGREJA? 13

UNIDADE I - Lição II
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
É fato que a missão do Messias
trouxe grande controvérsia
entre os judeus. Veio para o
que era seu, e os seus não o
receberam Jo 1:11.
O endurecimento de seus
corações fez autenticar a
necessidade de alcançar os
gentios
4
. Entretanto, Jesus veio
para a casa de Israel e tudo
acerca de sua vida relacionava
primariamente e distintamente
com o seu povo. Mas, Ele fez
algo que jamais se havia dito: ...
EDIFICAREI A MINHA IGREJA, e as
portas do inferno não
prevalecerão contra ela Mt
16.18b. No decorrer de seu
ministério, tudo fez para
ENSINAR aos seus discípulos
acerca dessa comunidade que
seria estabelecida mediante a
fé em Deus e n’Ele como
criador e salvador de todos os
que crerem.
Portanto, Cristo é o cabeça da
igreja Ef 5.23; é o edificador,

4
Um não israelita, qualquer pessoa ou nação
n’Ele está firmado todas as
coisas. Eu sou a videira, vós, os
ramos. Quem permanece em
mim, e eu, nele, esse dá muito
fruto; porque sem mim nada
podeis fazer Jo 15:5. Afirmou
ainda: ...eu sou a porta das
ovelhas. Se alguém entrar por
mim, será salvo; entrará, e
sairá, e achará pastagem
5
.
Quando lemos passagens
semelhantes podemos extrair
que: Jesus edifica a Igreja e a
Igreja é edificada por estar
n’Ele. [e, eu, nele].
Desta forma a promessa de
Abraão chegou a todos nós.
Como um grande mistério que
inclui todos os povos, raças e
línguas. O apóstolo Pedro
testificou isso e declarou:
Reconheço, por verdade, que
Deus não faz acepção de
pessoas At. 10.34.
Para fazer cumprir a promessa
feita a Abraão Jesus cumpriu
tudo o que dizia a seu respeito
5
Jo 10.7,9
O QUE É IGREJA? 14

UNIDADE I - Lição II
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
no AT, e para demonstrar o seu
envolvimento nessa relação
Paulo diz que Cristo amou a
igreja e a si mesmo se
entregou por ela Ef 5.25. Ele é
a cabeça do corpo, da igreja Cl
1.17-20.
Assim como Ele e o Pai são um,
a Igreja da mesma forma está
para com Cristo de maneira
que a missão d’Ele é a missão
da Igreja
6
.
A NATUREZA DA IGREJA EDIFICADA
Edificada por um amor
incondicional, puro e Divino, a
Igreja é fundamentalmente
gloriosa à vista de Deus. Não há
nada no mundo que a ela se
compara. No Esplendor, na
honradez, na magnificência,
dignidade etc. todas essas
virtudes podem ser vistas nas
Sagradas Escrituras:
1. Sua eleição Ef 1.3-6

6
1Pe 2.9,21;
2. No preço pela qual foi
comprada E 1.7; 5.25 e
1Pe1.18,19
3. Na adoção de seus
membros como filhos de
Deus Ef 1.5; Rm 8.15. Jesus
não só assegurou o perdão
para os que creem, mas
também a posição de
filhos. São ainda elevados a
“realeza”, reis e sacerdotes
Ap 1.6; Pedro afirma que
são sacerdócio real, nação
santa 2.9.
4. Na distinta e esplêndida
herança Ef 1.14,18; Rm
8.17,18; Ap 21.1. Como
filhos de Deus são
herdeiros de grandes
bênçãos. Incluem: Reino de
Deus, novo céu e nova
terra, a vida eterna
7
. Assim,
a Igreja é um grupo de
pessoas chamadas para
possuir uma herança
incorruptível 1Pe 1.4,5, e
para isso, deve viver
7
2Pd 3.13; Ap 21.1; Mc 10.30, Jo 10.28, Rm 6.23,
Hb 9.15
O QUE É IGREJA? 15

UNIDADE I - Lição II
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
procedendo com os
mesmos valores de seu
mestre.
5. No maravilhoso propósito e
no lugar central que ela
tem no plano de Deus.
Através dela pretende
demonstrar a glória do seu
amor, de sua sabedoria e
de sua graça
8
. Uma vez que
a Igreja tem o propósito de
cumprir plano tão
esplêndido, como poderia
ser posta em dúvida a sua
importância?
6. É vista na glória do seu
cabeça, seu líder, seu guia –
o Senhor Jesus, Cl 1.15-19,
Ef 1.22,23. Toda essa
importância da Igreja não
pode ser vista nem
entendida a parte de quem
é o Senhor d’Ela – Cristo
Jesus.
7. No ministério pessoal e
íntimo do Espírito Santo Ef
1.13,14, 17-19; 3.16,17. A

8
Ef 1.6,14; 2.7; 3.10,11,21 * As referências nesta
página de 1 a 7 se encontram em Wray, Daniel E. A
Importância da Igreja Local. S.P. Ed. Fiel, 1982.
Igreja é o templo do
Espírito Santo,
coletivamente e
individualmente através
daqueles que ele chamou
1Co 3.16.
É por causa dessa essência que
Davi exclamou: Pois um dia nos
teus átrios vale mais que mil;
prefiro estar à porta da casa do
meu Deus, a permanecer nas
tendas da perversidade Sl
84:10.

O MOTIVO DA EXISTÊNCIA DA IGREJA
Quando Deus convocou Moisés
para representante do povo
perante Faraó no Egito, seu
argumento diante deveria ser:
...deixa-nos ir caminho de três
dias para o deserto, a fim de
que sacrifiquemos ao SENHOR,
nosso Deus Ex 3.18. No cap.
7.16 está para que me sirva.
O QUE É IGREJA? 16

UNIDADE I - Lição II
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
O propósito da Igreja é
semelhante a formação de
Israel como nação. O plano de
Deus para resgate de muitos
incluía a vinda de seu filho.
Israel é a prova perpétua da
descendência da mulher Gn
3.15; e a vontade eterna de
Deus para formar um povo
separado de coração sensível
que o adore em espírito e em
verdade Jo 4.23, ou seja, que o
sirva.
A Igreja tem objetivo
semelhante ser testemunha da
perfeição Divina.
O motivo de sua existência é:
1. A glorificação a Deus
Em adoração e louvor
9

Em amor e obediência
10

2. Revelar a graça de Deus
Graça é o dom gratuito de
Deus. Num encontro
transformante, a criatura

9
Jo 4:23-24; Fp 3:3; Ap 22:9; Sl 50:23; He 13:15; Ef
5:18-19; Cl 3:16
10
Mc 12.33; Lc 16.13; Jo 8.42; 1Jo 4.20; Rm 15.18;
16.26; 2Co 9.13; 1Pe 1.14,22
humana é restaurada de modo
que Deus confere ao homem a
participação na vida divina
fazendo-o Seu filho adotivo
11
.
Através de seu relacionamento
com Deus a Igreja manifesta a
bondade e misericórdia do
Senhor.
3. Testificação da existência
de Deus que restringe e
ilumina o mundo ou seja
Missão.
Tudo na criação convoca a
mente humana para
compreender a existência de
Deus
12
. A Igreja é o organismo
de Deus que traz equilíbrio a
vida na terra assolada pelo
pecado
13
. Todos são
convocados para agir conforme
os princípios do Pai. Assim, a
Igreja evangeliza – prega as
boas novas da salvação Mt 18.
19. Ensina o certo esquivando-
se do errado, ensina a verdade
mantendo-se firme contra a
11
Tt 2.11-14; Rm 9.26; Gl 3.7
12
Rm 1.18-24;
13
Mt 5.13-16; 2Co 5.19; 1Tm 3.15; comp. Com Gn
18.22-33
O QUE É IGREJA? 17

UNIDADE I - Lição II
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
mentira
14
, como família de
Deus, protege e legitima o
plano criador para o lar
15

servindo uns aos outros em
amor e honra.

Vá para a página de
questionário e responda o que
lhe é solicitado. Deus o
abençoe.

14
1Tm 3.15
15
Mc 10.7; Rm 7.3
A IGREJA E SUA ORGANIZAÇÃO? 18

UNIDADE I - Lição III
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
...Fiques ciente de COMO SE DEVE
PROCEDER NA CASA DE DEUS, que é
a igreja do Deus vivo, coluna e
baluarte da verdade 1Tm 3.15.
Como vimos nas lições
anteriores, a Igreja não um
prédio feito de tijolos, frio e
seco, inerte e limitado. É um
organismo vivo. A substância
que move e nutre a Igreja é o
Espírito Santo
1
. A manifestação
do Espírito é concedida a cada
um visando a um fim
proveitoso [...] distribuindo-as,
como lhe apraz, a cada um,
individualmente
2
. E também há
diversidade nos serviços, mas o
Senhor é o mesmo. E há
diversidade nas realizações,
mas o mesmo Deus é quem
opera tudo em todos.
O QUE FAZ O ESPÍRITO SANTO?
Estabelece como deve esse
organismo funcionar para
cumprir a sua missão.

1
At 1.5,8; 11.8; 13.2; 1Co 12.6; Gl 3.5; 1Co 12.28
2
1Co 12.8,11, 5,6; Ef 4.11
Considerando as passagens das
Escrituras no NT, percebemos
que o Espírito instituiu numa
escala de prioridades:
...Primeiramente, apóstolos;
profetas; mestres; operadores
de milagres; dons de curar,
socorros, governos, variedades
de línguas. Seguindo a ordem,
alguns desses dons são
chamados de extraordinários e
temporários. Foram para a
infância da igreja 1Co 13.11-13.
Como podemos ver. O Espírito
Santo guiou e continua
orientando a Igreja do Senhor
Jesus através das Escrituras.
OS OFICIAIS DA IGREJA
Um oficial da Igreja é alguém
publicamente reconhecido
como detentor do direito e da
responsabilidade de
desempenhar certas funções
para o benefício da Igreja
3
.
Tudo deve ser feito com ordem
e decência na casa de Deus e
3
Grudem, Wayne. Teologia Sistemática, SP. 1ª ed.
Vida Nova, 1999.
A IGREJA E SUA ORGANIZAÇÃO? 19

UNIDADE I - Lição III
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
foi com essa finalidade que
Paulo escreveu à Timóteo. Os
oficiais precisam de
reconhecimento público para
dar contas de suas
responsabilidades.
Eles são destacados na Bíblia
como: pastores, bispos e
presbíteros
4
. São funções
específicas que se configuram
na responsabilidade de uma ou
mais pessoas (presbitério) na
condução da Igreja.
Significam que devem
supervisionar, cuidar do
rebanho e administrar.
Dedicavam ao cuidado do
“rebanho” aconselhando,
ensinando a doutrina dos
apóstolos, e pregando o
evangelho.
Esses homens sãos os que
ministram na Casa de Deus – A
Igreja do Deus vivo e por isso,
quanto ao envolvimento

4
1Pe 5.1-4;
5
Rm 4.4; 2Co 11.8; 1Tm 5.17,18;
6
1Tm 4.12; 1Pe 5.2; Tt 1.7-10
exclusivo devem ser
remunerados
5
.
Os oficiais não eram
considerados de qualquer
modo. Em Timóteo 3.1-7 ficam
claras as credencias e
características do episcopado
(função de bispo)
6
.
Diáconos. Estes são homens de
igual teor. Exercendo bem sua
vocação se tornam
preeminentes (em alta estima)
1Tm 3.13.
Paulo descreve com muita
distinção a qualidade de um
homem nessa função
7
.
Considerando os primeiros
eleitos pela Igreja devem
também ser cheios do Espírito
Santo
8
, ou seja, conforme o
texto de Timóteo, homens
maduros, experimentados. Sua
ocupação principal é servir às
mesas das viúvas e dos órfãos
9
.
Esses oficiais configuram a
organização interna na Igreja e
7
Tm 3.8-12;
8
At 6.1-7
9
1Tm 5.3-16; Gl 6.10
A IGREJA E SUA ORGANIZAÇÃO? 20

UNIDADE I - Lição III
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
são responsáveis pela
administração fiel, pelo
cuidado amoroso do povo de
Deus como quem há de prestar
contas Hb 13.17. Conduzindo-
os no caminho da verdade 1Tm
4.16.
Dentre suas obrigações pesa a
obrigação de zelar pela
doutrina do Senhor Jesus
deixada à sua Igreja. Entre as
fundamentais de prática estão:
o batismo e a ceia do Senhor.
Estas chamadas pelos batistas
de ORDENANÇAS em contraste
com os que as pratica como
SACRAMENTO.
Segundo o Concílio de Trento
(1551), “um SACRAMENTO
10
é
algo apresentado aos sentidos
e que tem o poder, por divina
instituição, não apenas de
simbolizar graça, mas também
de efetivamente transmiti-la”.
“São sinais certos da graça e
boa vontade de Deus para
conosco, pelos quais Ele,

10
http://www.derradeirasgracas.com (acessado
18.09.14)
invisivelmente, opera em nós,
e não só desperta como
fortalece e confirma nossa fé
Nele.”
11
Para Martinho Lutero
é atribuído um poder vinculado
a ao batismo e a ceia. Sem
batismo não há lavar
regenerador dos pecados, e na
eucaristia conserva e aumenta
a vida da alma, que é a graça,
assim como o alimento
material sustenta e aumenta a
vida do corpo; perdoa os
pecados veniais e preserva dos
mortais; produz consolação
espiritual. Torna-se difícil
encontrar respaldo bíblico para
isso. (Veja Rm 3.24; Ef 2.8,9; Tt
3.5).
Alguns podem pensar que as
ordenanças podem ser um
SÍMBOLO, ou seja,
representação visível de uma
verdade invisível. O Batismo e a
Ceia são símbolos, porém, não
apenas isto. Um RITO, o que se
emprega com regularidade em
11
REVISTA infantil professores Licao 7, Ed. Metodista
A IGREJA E SUA ORGANIZAÇÃO? 21

UNIDADE I - Lição III
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
religião ou qualquer sistema
religioso cujo propósito é sacro
ou sagrado. Neste sentido, o
Batismo e a Ceia do Senhor,
também são ritos, mas não
apenas isto! ORDENANÇA,
Aquilo que é de instituição
imperativamente divina, que é
feito com regularidade, e serve
como simbolismo de
determinadas verdades
espirituais e que o Senhor Jesus
Cristo ritualmente aplicou,
para todos os crentes em todas
as épocas como um
mandamento a ser observado.
O batismo tem sua explicação
mais contundente em Rm 6.1-
11. O batismo é mais do que
mergulho temporário na água
e mais do que o livrar-se de um
passado de
descomprometimento e falta
de confiança em Deus. É
também símbolo de
participação da nova vida de
união com e dependência em

12
At 8.34-39; 10.47;
Cristo. É retrato da vida vivida
para Deus— direcionada a
Deus, e não mais ao pecado.
Inclui o lavar-se, como também
o ser revestido de Cristo. É
símbolo de um novo
revestimento. O indivíduo lava-
se do antigo, vestindo-se do
novo.
O batismo bíblico é submersão
– imersão. Vários textos
bíblicos permite entender
assim
12
. Isso deve ser devido ao
seu significado: morrer com
Cristo e ressurgir com ele em
novidade de vida. Nenhum
outro modelo pode ter esse
significado.
A Igreja tem regramento para
poder realiza-lo. Deve seguir o
que registra as Escrituras.
Quem crer e for batizado Mc
16.16
13
, ou seja, ser batizado
por que crê em Jesus para
salvação. Nisso está impedida
as criancinhas. Elas não podem
ainda ter o discernimento do
13
At 18.8;
A IGREJA E SUA ORGANIZAÇÃO? 22

UNIDADE I - Lição III
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
pecado e por isso não sabem o
que é crer em Cristo.
A fórmula para o batismo é
também claramente
estabelecida por Jesus na
grande comissão: “em nome
do Pai e do Filho e do Espírito
Santo”. Entretanto, algumas
seitas batizam somente em
nome de Jesus. Como conciliar
isso?
14
As palavras de Pedro
não representam uma fórmula
batismal; eram uma simples
declaração para afirmar que
recebiam o batismo apenas
pessoas que reconheciam
Jesus como Senhor e Salvador.
O batismo também é o modo
pela qual Jesus deixou para o
ingresso do converso na Igreja
local. Vj. At 2.42.
A Ceia, outra ordenança é um
ato de obediência ao
mandamento do Senhor. É um
memorial à morte expiatória
de Jesus. É uma proclamação
15
.
É Sinal da Nova Aliança.

14
At 2.38
Proclama a morte do Cristo.
Profetiza a volta de Cristo. É
comunhão com Cristo e com os
irmãos. Portanto, o glorioso
propósito da instituição da Ceia
não é para comemorar o
nascimento de Cristo, nem sua
ressurreição, nem o seu poder
ou milagres, mas sua morte.
Os elementos da Ceia, o pão e
o vinho, ou suco de uva, são
apenas símbolos, não existe
nenhuma mística. O pão não se
transforma no corpo de Cristo,
nem o vinho se transforma no
sangue, eles simbolizam o
corpo e o sangue de Cristo.
Estes elementos quando
recebidos pela fé, conferem ao
cristão os benefícios espirituais
da morte de Cristo, refletidos
na verdadeira comunhão com
o Senhor e com a sua igreja.
A ceia do Senhor deve ser
celebrada por aqueles que já
confessaram, foram batizados
e estão em união com a Igreja
15
1 Co 11.23-25
A IGREJA E SUA ORGANIZAÇÃO? 23

UNIDADE I - Lição III
Pr. Joel C. Araújo – Eclesiologia – parte III-III – Novos Crentes
do Senhor. Não faz sentido
ministra-la a quem está fora da
comunhão do corpo de Cristo.
Essas ordenanças não são um
passatempo. É para fiel
obediência em todos os
detalhes conforme podemos
comparar em Mt 5.18 ...Até
que o céu e a terra passem,
nem um i ou um til jamais
passará da Lei, até que tudo se
cumpra. Esse princípio ainda
está em vigor quanto ao
evangelho de Cristo.

Você cumpriu a I unidade de
nossos estudos. Parabéns!