You are on page 1of 18

CURSO BRASIL

ALUNO:___________________________________________________________
TURNO: ____________ HORÁRIO: ______________ DATA: _____/____/_____
ÁLGEBRA
01)DEF: (do ar. AL - gabara(t)= (reunião ou repor no mesmo lugar daquilo
que se quebrou).É à parte da matemática em que se empregam letras para
representar e generalizar (estender-se) situações envolvendo nmeros.
OBS: O uso de letras para representar números é sem dúvida, uma das grandes
idéias da matemática e se constituem em uma das principais ferramentas de que
dispõe a ciência moderna para a resolução de suas questões.
Letras = símolo gráfico.
Número = !oleção de unidades ou de partes da unidade.
0!)EXPRESSÕES ALGÉBRICAS:
!.1)EXPRESSÕES NUMÉRICAS: "#o e$pressões que t%m apenas nmeros.
&': a)8 + 3 x + !
b)"#$ % + 8 x & ' "
!.!)EXPRESSÕES ALGÉBRICAS: "#o e$pressões que envolvem operações com
nmeros e com letras( ou apenas letras.
&': a)%ab + !a
%
b
b) x(
%
+ 3 ) x + %(
3
.
OBS: "uma e#pressão algérica, as letras que normalmente representam
números reais, são c$amadas de variáveis %que muda ou altera&.
*xpressão' ( a )epresentação algérica do valor de uma quantidade.
1
0))CLASSIFICAÇÃO:
*s e$pressões alg+,ricas s#o classi-icadas de acordo com a posiç#o de
suas variáveis. *ssim + classi-icada em:
OBS: +ari,-el = *u+eito a variações, inconstante, mudável.
.lassi/i0a1ão = -istriuição por classes.
.lasse = !ada um dos grupos ou divisões de uma série ou con+unto.
).1)INTEIRA: .uando n#o /á letras no denominador.
&': a) a
%
x + (2 b)x 0)3x ' (
d) x ' 3( ) %
).!)FRACIONÁRIA: .uando /á uma ou mais letras no denominador.
&': a)% ) x + 3 b)3 ) ( 0)" ) x ' ( d)" ) ( ' %x
).))RACIONAL: .uando n#o /á letras no radicando.
&': a) 3x( ' &x
%
+ % b)a - b 0)3 ) x ' ( d)%a - %b
).0)IRRACIONAL: .uando /á uma ou mais letras no radicando.
&': a) √ 8 ' 3x( b) √ x 0) " - √ ( d) % ) " - √ x
OBS: 3nteiro = "úmero em que não $á frações.
4ra0ion,rio = .m que $á fração ou número querado.
5a0ional = /quilo que é de ra0ão.
5a2ão = / relação e#istente entre grande0as da mesma espécie.
3rra0ional = -i01se da quantidade cu+a relação com a unidade não se pode
e#primir em números.
5adi0ando = 2uantidade que figura%3magem, gravura, estampa& so
radical.
2
00) TERMOS ALGÉBRICOS:
0.1)DEF: É o 0on6unto de números e numerais literais ou apenas numerais
literais agrupadas por sinais que indicam operações( e$ceto (+) ou (-).
OBS: 4odo termo alg7bri0o é um produto de números que tamém podem ser
representados por letras.
8ermos = !ada um dos elementos de uma fração, de uma relação, de
uma proporção ou de uma progressão, , isto é, 2ualquer elemento constitutivo de
uma e#pressão.
Literal = letra.
1uma e$press#o alg+,rica( cada uma das partes separadas pelos sinais
operacionais (+) ou (-) rece,e o nome de termo alg7bri0o.
&': a)%x
%
' 3x
%
+ %a9 expressão 0onstitu:da por tr;s termos alg7bri0os.
b)3x
&
' %x(9 expressão 0onstitu:da por dois termos alg7bri0os.
0)x
&
(
3
9 expressão 0onstitu:da por um termo alg7bri0o.
02)COEFICIENTE E PARTE LITERAL DOS TERMOS ALGÉBRICOS:
2.1)COEFICIENTE: É a parte num+rica do termo alg+,rico.
&': a)3x = 3 b)- %ax
%
= -% 0)a
%
b = " d)- ab
%
= -"
2.!)PARTE LITERAL: É o produto indicado por letras.
&': a)3x = x b)-%ax
%
= ab
%
0)a
%
b = a
%
b d)-ab
%
= ab
%
OBS: .oe/i0iente = "úmero ou letra que, colocado 5 esquerda de uma
quantidade algérica, l$e serve de multiplicador.
Literal = !onforme a letra.
03)VALOR NUMÉRICO:
4 valor num+rico de uma e$press#o alg+,rica + o nmero real que o,temos
quando:
3.1)<ubstitu:mos todas as -ari,-eis da expressão pelos seus respe0ti-os
-alores dados.
3.!)*/etuamos as opera1=es indi0adas na expressão.
&': a) .al0ular o -alor num7ri0o da expressão 3a - %b9 onde a = & e b = -3
5$ 3a - %b = 3(&) ' %(-3) = "& + > = %"
b).al0ular o -alor num7ri0o da expressão &x + x
%
9 onde x =
5$ &x + x
%
= &() + ()? = %# +" > = %"
0).al0ular o -alor da expressão alg7bri0a x
%
+ &( ) x ' (9 onde x=3 e
(=%
5$ x
%
+ &( ) x ' ( = 3? + &.% ) 3 ' % = @ + "# ) " = "@ ) " = "@
3
OBS: a& !omo saemos, não existe di-isão por 2ero9 isto é, fa0 com que se
torne impossível encontrar o valor numérico de uma e#pressão algérica na qual
os valores atriuídos á variável anulam o denominador da e#pressão.
 EX:
 x = !=
 a) x ) ( = x ) ( = # ) #
07)MON"MIOS #$% &'(&%:M%)*+ = ,)-.%/ +%0-)1%2:
5.1)DEF: "#o as e$pressões alg+,ricas racionais e inteiras que possuem nico
termo.
&': a) 3x
%
( b) &ab
%
0 0) 8x

(
%
d) >ax
&
(
%
&m todo mon6mio( distinguimos o 0oe/i0iente %número ou letra& e a parte
literal %letra&
&': a) 3x
%
( . = 3 AL = x
%
(
b) &ab
3
0
%
. = & AL = ab
3
0
%
OBS: 6&2uando o coeficiente é ", costuma1se omiti1lo.
.7' a)"x( = es0re-e-se apenas x(
b)"a
%
b

= es0re-e-se apenas a
%
b

8&2uando o coeficiente é '", costuma1se escrever apenas o sinal (-)'
.7' a)-"x = es0re-e-se -x
b)-"x
3
(
&
= es0re-e-se 'x
3
(
&
9&4odo número real é considerado um monBmio sem parte literal.
:&4odo termo que tem coeficiente # representa sempre o número real # e é
c$amado de monBmio nulo.
.7' a)#x = # b)#a
3
b
8
= #
;&.oe/i0iente = "úmero ou letra que, colocado 5 esquerda de uma
quantidade algérica, l$e serve de multiplicador.
<&5a0ional = /quilo que é de ra2ão %/ relação e#istente entre grande0as
da mesma espécie&.
=&3nteiro = "úmero em que não $á frações.
>&ConBmio = 2uantidade algérica, entre cu+as partes não $á interposição
de sinal de adição ou de sutração.
4
07)GRAU DE UM MON"MIO:
7.1)DEF: É a soma dos e$poentes das variáveis (letras).
&': a)3x
%
(
&
7 do &D grau (% + 3 = &).
b)-ab 7 do %D grau (" + " = %)
0)8x

(
%
7 do >D grau ( + % = >)
OBS: 6& 4odo número real é um monBmio de grau #.
.7' 39 %9 % ) &.
8&O grau de um mon?mio com coeficiente %não1nulo&, tamém pode ser
dado em relação a uma de suas variáveis.
"esse caso, o grau do mon?mio corresponde ao e#poente dessa
variável.
.7' E monBmio 3a
%
b

7 do %D grau em rela1ão , -ari,-el (b).
9&2uando na parte literal de um mon?mio $á letra isolada sem e#poente
di0emos que o grau do mon?mio é "
.7' !x9 x9 (9 b
:&Frau = *ímolo colocado 5 direita e um pouco acima de outro símolo,
para indicar a que potência este deve ser elevada
08)TERMOS SEMELHANTES #%3 4%)54-%+ +(4(617)8(+2:
8.1)DEF: "#o aqueles que possuem a mesma parte literal.
 -%x = -x
 3ab% = -&ab%9
 3ab% = -#9&ab%
 3pq = &pq
OBS: &x
%
( e '3x(
%
esses termos não possuem a mesma parte literal, logo não
são termos semelGantes.
4odo termo que não possuem a mesma parte literal, não são termos
semelGantes.
<emelGante = parecido.
8ermo = !ada um dos elementos de uma fração, de uma relação, de uma
proporção ou de uma progressão , isto é, 2ualquer elemento constitutivo de uma
e#pressão.
,
5
10)REDUÇÃO DE TERMOS SEMELHANTES:
1a adiç#o( todos os termos semel/antes -icam reduzidos a apenas um.
&': %x + 8x ' &x = x(% + 8 ' &) = &x9 apli0ou-se H propriedade
distributi-a da multipli0a1ão.
%x( ' 8x( ' x( = x( (> ' 8 + &) = %x(
1a prática( adicionamos os coe-icientes e conservamos a parte literal
&': - %x
3
( + x
&
' x
3
( ' 8x
&
= -3x
3
( ' x
&
- x
%
' 8x
3
' x ' &x
%
' "#x
3
= x
%
' "8x
3
' x
REGRA: Aara adi0ionar algebri0amente termos semelGantes9 somamos os
0oe/i0ientes e mantemos a parte literal.
.#istem vários casos de redução dos termos semel$antes de uma
e#pressão algérica.
19)CASO: :odos os termos semel/antes da e$press#o alg+,rica s#o
semel/antes. ;eduzir os termos semel/antes.
&': a)3a + &a = (8 + &)a = "3 a
b)-3x( + 3x( ' &x( = (-3 + % ' &)x( = (% ' 8)x( = ->x(
0)")%x
%
+ %)3x
%
= (")% + %)3)x
%
= 3 + ) >x
%
= !)>x
%
!9)CASO: *lguns termos da e$press#o alg+,rica s#o semel/antes. ;eduzir os
termos semel/antes das e$pressões.
&': a)&x( + >a - %x( + a = &x( ' %x( + >a + a = 3x( + "#a
b)3x + %( ' x '!( + &x = 3x ' x + &x + %( ' !( = !x ' &(
OBS: "a prática, agrupamos os termos semel$antes, somamos seus coeficientes
e conservamos a parte literal.
5edu1ão = !onversão de uma quantidade em outra, equivalente.
)9)CASO: * e$press#o alg+,rica possui sinais de associaç#o. &sses sinais
dever#o ser eliminados na seguinte ordem: "D Aar;ntese9 %D .ol0Getes e 3D
.Ga-es9 <amos eliminar os sinais de associaç#o e reduzir os termos
semel/antes.
&': a)%x ' (( ' 3x) + (&x ' () = %x ' ( + 3x + &x ' ( = %x + 3x + &x
' ( ' ( = "#x ' &(
b) 3a% ' I%a - " ' (%a% ' &a + 3)J ' > =
3a% - I%a - " ' (%a% ' &a + 3)J ' > =
3a% ' I%a - " ' %a% + &a ' 3J ' > =
3a% ' %a + " + %a% ' &a + 3 ' > =
3a% + %a% ' %a - &a + " + 3 ' > =
&a% ' !a - %
0) a - K - b + I( a - 0 ) - (- b + 0)J - a L =
 a - K - b + I a - 0 + b - 0 J - a L =
 a - K- b + a - 0 + b - 0 - aL =
 a + b - a + 0 - b + 0 + a =
 a ' a + a + b ' b + 0 + 0 =
 &a ' a + %0 =
=
 a + %0
6
11)POLIN"MIOS #$% &'(&%: :%6! = 43-8%+/ $-;('+%+2:
11.1)DEF: É qualquer e$press#o alg+,rica inteira constitu=da por um monBmio
ou pela soma de dois ou mais monBmios.
&':
x
%
' (
@x
%
x
3
' %( + &
3x
3
+ %x
%
' "
3x + "
a
%
' %ab + b
%
!ab + @b0 ' %ab &b0
!a
%
' 3ab + b
%
' &
OBS: a& @m polinBmio pode ter uma ou mais -ari,-eis, representadas pelas
letras. "o caso da variável %M&, di0emos polin?mio na variável %M&.
&Os monBmios que formam um polin?mio são c$amados 8*5CE< de
polinBmios.
.7' E monBmio ax 7 um polinBmio de um sN termo.
3ax
%
' %ax 7 um polinBmio de dois termos.
x
%
' &x + "# 7 um polinBmio de tr;s termos.
11.!)<UANTO AO N=MERO DE TERMOS/ ALGUNS POLIN"MIOS RECEBEM
NOMES ESPECIAIS:
11.!.1)MON"MIO: É todo polin6mio de um s> termo.
&': 3x
%
%(
%
b9
11.!.!)BIN"MIO: É todo polin6mio reduzido que apresenta somente dois termos.
&': 3x
%
' %x " ' 3x ax ' %a
11.!.))TRIN"MIO: É todo polin6mio reduzido que apresenta somente tr%s termos.
&': x
3
' %x + & %ab
3
' ab + %a
OBS: Os polinBmios com mais de tr;s termos não re0ebe denomina1ão.
11.!.0)4 valor num+rico de um polin6mio na variável (M) + o,tido su,stituindo o
(M) pelo valor num+rico que l/e -or atri,u=do.
&': A(M)= x
%
' 3x + para M= 3
A(3)= (3)
%
' 3(3) + = @ ' @ + = # + =
1!)O GRAU DE UM POLIN"MIO
<e?am estes e$emplos: x
%
' %x + 3 e &x
3
+ + ".
1ote que os maiores e$poentes que a variável (M) assume nesses casos
s#o
%
e
3
( respectivamente. *ssim( dizemos que os graus desses polin6mios s#o
%
e
3
.
OBS: *xpoente = *ímolo colocado 5 direita e um pouco acima de outro símolo,
para indicar a que potência este deve ser elevada
7
1!.1)REGRA: E grau de um polinBmio 7 dado pelo número que representa o
mais alto grau de um de seus monBmios que tenGa 0oe/i0iente di/erente de
2ero.
1))ORDENAÇÃO DE TERMOS ALGÉBRICOS
@odemos ordenar os termos de um polin6mio segundo o grau de sua
variável.
&sta ordenaç#o poderá ser: .5*<.*N8* e O*.5*<.*N8*.
&': A = 3x + %x

' x
3
+ %x ' "9 do D grau9
1).1)ORDEM CRESCENTE: %x

' x
3
+ x
%
+ %x - "
1).!)ORDEM DECRESCENTE: -" + %x + x
%
' x
3
+ %x

OBS: a& 2uando um polin?mio tem os termos em ordem crescente e decrescente
de grau, di0emos que ele está E5O*NAOE.
&*e o polin?mio tiver todos os termos independentes, é dito,
3N.ECAL*8E.
c&"ão se define grau para o polin?mio 2ero.
.7' 89 pode ser es0rito 0om 8x
#
9 grau #.
E5O*NAPQE = Ordem, arrumação, arran+o.
10)POLIN"MIO REDU>IDO
Am polin6mio que n#o apresenta termos semel/antes + c/amado:
AEL3NRC3E 5*OST3OE9
&': @x
%
( ' 3x( + & est, na /orma redu2ida9 pois não tem termos
semelGantes.
x
3
+ @x
3
' %x + & não est, na /orma redu2ida9 pois apresenta termos
semelGantes (x
3
e @x
3
).
&screver um polin6mio 3a ' ab + &a ' 3ab + & na -orma reduzida.
;: 3a ' ab + &a ' 3ab + & =
3a + &a ' ab ' 3ab + & =
8a ' !ab + & (polinBmio redu2ido).
OBS: 5edu2ido = !onverter em termos mais simples
8
12)POLIN"MIO INCOMPLETO:
.uando um polin6mio na -orma reduzida n#o apresentar uma ou mais
pot%ncia da variável( dizemos que ele está 3N.ECAL*8E. 1esses casos( os
coe-icientes dos termos que n#o aparecem s#o iguais a zero.
&': a)x
3
' x + 3 est, in0ompleto = x
3
+ #x
%
' x + 3 0ompleto
b)x
&
' "9 est, in0ompleto = x
&
+ #x

+ #x
3
+ #x
%
+ #x ' " 0ompleto.
OBS: 3n0ompleto = "ão completo, não acaado.
Aot;n0ias = Aroduto de fatores iguais.
13)POLIN"MIO COM UMA S? VARIÁVEL
4,serve: x
%
' 8x + "% %x

' 3x
%
+ &x ' > x
3
' "
"#o c/amados polinBmios 0om uma -ari,-el %3 polinBmios 0om
-ari,-el (x)9
Beralmente os termos do polin6mio com uma variável são apresentados
segundo as pot;n0ias de0res0entes da -ari,-el.
&': &x
%
' x + % x
3
' %x
%
+ x ' " %x

' 3x
%
+ %
@x
8
' x
&
+ 3x

' %x
%
+ &x + "
OBS: *ão os polin?mios que apresentam apenas uma variável.
15)GRAU DE UM POLIN"MIO A UMA VARIÁVEL
Cado um polin6mio a uma variável reduzida e n#o-nulo( de-inimos como
F5AS desse polin6mio o maior e$poente que a variável apresentar (com
coe-iciente n#o-nulo).
&': x

' 3x
3
+ &x
%
+ x ' "9 7 do D grau
-%x
&
+ 8x ' 39 7 do &D grau
x ' "9 7 do "D grau.
OBS: a& "ão se define o grau do polin?mio nulo %B&.
&@m polin?mio formado por apenas um número real %não1nulo& tem grau #.
.7' 8 7 um polinBmio do grau 2ero9 pois 8 = 8x
#
-3 7 um polinBmio do grau 2ero. Aois '3x
#
c&Frau = .#poente de uma potência.
9
17)OPERAÇÕES ALGÉBRICAS ENVOLVENDO AS @ OPERAÇÕES
Adi1ão e subtra1ão de monBmios e polinBmios
Cultipli0a1ão e Oi-isão de monBmios e polinBmios
Aoten0ia1ão e 5adi0ia1ão alg7bri0as.
17.1)ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE MON"MIOS
REGRA: -az-se a eliminaç#o dos par%nteses e( a seguir( a reduç#o dos
termos semel/antes( se e$istirem.
 a) (x) + (-8x) + (+&x) ' (+3x) ' (-!x) =
 x ' 8x + &x ' 3x + !x
=
 ( ' 8 + & ' 3 + !)x
=
 ( + & + ! ' 8 ' 3)
=
 &x
b)(+&ax) ' (- %a() + (- 3ax) + (- >a() =
&ax + %a( ' 3ax ' >a( =
&ax ' 3ax + %a( ' >a( =
%ax ' a(
17.!)MULTIPLICAÇÃO DE MON"MIO:
REGRA: e-etuam-se a multiplicaç#o dos coe-icientes e a multiplicaç#o das
partes literais.
 &':
a)&x3.%x (&.% = "#) (3+ =!)
= "#x!
b) (")%a%b) . (%)3a) =
%)> a>b (".%=%) (%.3=>) (a%+a=a>)
17.))DIVISÃO DE MON"MIOS POR MON"MIO:
REGRA: e-etuam-se a divis#o dos coe-icientes e a divis#o das partes
literais.
 &':
 ("#x
&
) $ (%x
3
)
 = ("# $ % = &) (x
&
' x
3
=x
%
)
"e a divis#o dos coe-icientes n#o -or e$ata( indica-se o quociente na -orma
de -raç#o.
&':
 %a
3
b

$ 3ab
%
=
 %)3 a
%
b
%
(% $ 3 = %)3) (a
3
' a
"
= a
%
)
 (b

' b
%
= b
%
)
10
17.0)POTENCIAÇÃO DE MON"MIOS:
REGRA: &leva-se o coe-iciente a pot%ncia indicada e conservam-se as
letras( dando-l/es como e$poente o produto dos respectivos e$poentes.
&': a) (%x
3
)
%
= (%)
%
. (x
3
)
%
= x
3 . %
= x
>
b)(- %a
%
b
&
)
3
= (-%)
3
. (a
%
)
3
. (b
&
)
3
= - 8a
>
b
"&
OBS: .oe/i0ientes ="úmero ou letra que, colocado 5 esquerda de uma
quantidade algérica, l$e serve de multiplicador.
*xpoente = *ímolo colocado 5 direita e um pouco acima de outro
símolo, para indicar a que potência este deve ser elevada.
Aroduto = )esultado de uma multiplicação.
Aotência = Aroduto de fatores iguais.
17.2)RAI> <UADRADA DE UM MON"MIO
REGRA: &$traindo-se a raiz quadrada do coe-iciente e dividindo-se o
e$poente de cada variável por %.
&': a) √ %& a
%
= √%& . √a
%
= &a
b) √ @ x

(
%
= √@ . √x

. √(
%
= !x
%
(
0) √ a
>
= √ . √a
>
= %a
3
d) √ @ x
%
(
8
= √@ . √x
%
. √(
8
= 3x(

OBS: *xtrair = 4irar, pu#ar %alguma coisa& para fora de algo que a contém ou do
qual ela constitui uma parte.
5ai2 quadrada D Calor de uma variável que anula uma função dessa
variável.
*xpoente = *ímolo colocado 5 direita e um pouco acima de outro
símolo, para indicar a que potência este deve ser elevada.
17.3)ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO ALGÉBRICA DE POLIN"MIOS:
REGRA: Eaz-se a eliminaç#o dos par%nteses e( a seguir( a reduç#o dos
termos semel/antes( se e$istirem.
17.3.1)SUBTRAÇÃO:
&': (%x
%
+ &( + 3x) ' ( - 3x
%
+ %( ' x) =
%x
%
+ &( + 3x + 3x
%
' %( + x =
%x
%
+ 3x
%
+ &( ' %( + 3x + x =
&x
%
+ 3( + !x
11
17.3.!)ADIÇÃO:
&': (x
%
' !x + %) + (3x
%
+ %x + 3) =
x
%
' !x + % + 3x
%
+ %x + 3 =
x
%
+ 3x
%
- !x + %x + % + 3 =
!x
%
' &x + & =
17.5)MULTIPLICAÇÃO DE MON"MIO POR POLIN"MIO:
REGRA: &-etua-se a multiplicaç#o do mon6mio por todos os termos do
polin6mio (propriedade distri,utiva).
&': a)%x
%
. (3x + %x
%
' x
3
) = >x
3
+ x

' 8x
&
b)3)&x
%
. (%x
3
' &)3x
%
+ %)3x) = >)&x
&
' x

+ %)&x
3
0)%)&x
%
. (" ' 3)x

+ ")3x) = %)&x
%
' 3)"#x
>
+ %)"&x
3
17.7)MULTIPLICAÇÃO DE POLIN"MIO POR POLIN"MIO:
REGRA: &-etua-se a multiplicaç#o de cada termo de um polin6mio por
todos os termos do outro polin6mio e( a seguir reduzem-se os termos
semel/antes( se e$istirem.
&': (3x ' %) . (%x + &) = >x
%
+ "&x ' x ' "# = >x
%
+ "" - "#
(x + () . (%)&x ' ")%() = %)&x
%
' ")"#x( ' ")%(
%
.
17.8)DIVISÃO DE POLIN"MIO POR MON"MIO
REGRA: &-etua-se a divis#o de cada termo do polin6mio pelo mon6mio
divisor (propriedade distri,utiva).
&': (x
3
' x
%
) $ x = x
%
' x
(x
%
' 8) $ % = %x
%
'
17.10)DIVISAO DE POLIN"MIO POR POLIN"MIO.
*ntes de aprender a determinar o quociente de um polin6mio por outro
polin6mio( voc% precisa sa,er:
a).omo ordenar um polinBmioU
b).omo determinar o grau de um polinBmio.
.': %x

' 3x
3
+ &x
%
' 8x + 3x
#
ou 3= este polin?mio está ordenado segundo as
potências decrescentes de 7.
3x
3
' x
"
+ !x
#
ou != este polin?mio está ordenado segundo as potências
decrescentes de 7. .ntretanto ele está incompleto, pois está faltando o termo que
corresponde á segunda potência. Cocê poderá completá1lo assim'
3x
3
+ #x
%
' x
"
+ !x
#
ou 3x
3
+ #x
%
' x + !
17.10.1)PASSOS PARA A DIVISÃO
12
AB PASSO: Civida o primeiro termo do dividendo (%x
3
) pelo primeiro termo do
divisor (x)( o,tendo assim o primeiro termo do quociente.
%x
3
' x
%
+ %x + & x + "
%x
%
CB PASSO: Fultiplique o primeiro termo do quociente (%x
%
) pelo polin6mio divisor
(x + ").
%x
%
(x + ") = %x
3
+ %x
%
:ome os sim+tricos dos termos desse produto e os adicione aos termos
correspondentes do dividendo.
%x
3
+ %x
%
→ - %x
3
- %x
%
<im7tri0os
%x
3
' x
%
+ %x + & x + "
-%x
3
' %x
%
%x
%
- 3x
%
+ %x + & primeiro resto
DB PASSO: Civida o primeiro termo do primeiro resto #- 3x
%
) pelo primeiro termo do
divisor (x)( o,tendo assim o segundo termo do quociente.
%x
3
' x
%
+ %x + & x + "
- %x
3
' %x
%
%x
%
' 3x
- 3x
%
+ %x + &
@B PASSO: Fultiplique o segundo termo do quociente (E3x) pelo polin6mio divisor
(x + ").
- 3x (x + ") = -3x
%
' 3x
:ome os sim+tricos dos termos desse produto e os adicione aos termos
correspondentes do dividendo.
- 3x
%
' 3x → + 3x
%
' 3x
<im7tri0os
%x
3
' x
%
+ %x + & x + "
- %x
3
' %x
%
- 3x
%
+ %x + &
+ 3x
%
+ 3x
+ &x + & segundo resto
FB PASSO: Civida o primeiro termo do segundo resto (&x) pelo primeiro termo do
divisor (x)( o,tendo assim o terceiro termo do quociente.
13
2x
3
: x = 2x
2
- 3x
2
: x = - 3x
5x : x = 5
%x
3
' x
%
+ %x + & x + "
- %x
3
' %x
%
%x
%
' 3x + &
- 3x
%
+ %x + &
+ 3x
%
+ 3x
+ &x + &
GB PASSO: Fultiplique o terceiro termo do quociente (&) pelo polin6mio divisor
(x + ").
&(x + ") = &x + &
:ome os sim+tricos dos termos desse produto e os adicione aos termos
correspondentes do dividendo.
&x + & → - &x ' &x sim7tri0os
%x
3
' x
%
+ %x + & x + "
- %x
3
' %x
%
x
%
' 3x + &
- 3x
%
+ %x + &
+ 3x
%
+ 3x
&x + &
- &x - &
#
18)PRODUTOS NOTÁVEIS
1o cálculo alg+,rico( certos produtos tornam-se muito evidentes( porque
s#o usados -reqGentemente( sendo c/amados de produtos not,-eis. @ara o,ter
esses produtos( voc% poderá utilizar a propriedade distri,utiva. 1o entanto( eles
podem ser o,tidos de uma -orma mais simples atrav+s de regras especiais.
<amos con/ecer os principais produtos notáveis:
a)VSAO5AOE OA <ECAU
b)VSAO5AOE OA O34*5*NPA
0)A5EOS8E OA <ECA A*LA O34*5*NPA
d).SWE OA <ECA
e).SWE OA O34*5*NPA
/)A5EOS8E OA 4E5CA (x + p) . (x + q)
g)VSAO5AOE OA <ECA O* 85X< 8*5CE<.
18.1)<UADRADO DA SOMA DE DOIS TERMOS:
REGRA: É igual ao quadrado do primeiro termo mais o do,ro do produto do
primeiro pelo segundo mais o quadrado do segundo termo.
&': (a + b)
%
= a
%
+ %ab + b
%
18.!)<UADRADO DA DIFERENÇA DE DOIS TERMOS:
REGRA: É igual ao quadrado do primeiro termo( menos o duplo produto do
primeiro pelo segundo( mais o quadrado do segundo termo.
&': (a ' b)
%
= a
%
' %ab + b
%
18.))PRODUTO DA SOMA PELA DIFERENÇA DE DOIS TERMOS:
14
REGRA: É igual ao quadrado do primeiro termo( menos o quadrado do
segundo termo.
&': (a + b) . (a ' b) = a
%
' b
%

18.0)<UADRADO DA SOMA DE TRHS TERMOS:
REGRA: É igual ao quadrado do primeiro( mais o quadrado do segundo(
mais o quadrado do terceiro( mais duas vezes o primeiro pelo segundo( mais duas
vezes o primeiro pelo terceiro( mais duas vezes o primeiro pelo terceiro( mais duas
vezes o segundo pelo terceiro.
&': (a + b + 0)
%
= a
%
+ b
%
+ 0
%
+ %ab + %a0 + %b0
18.2)CUBO DA SOMA DE DOIS TERMOS:
REGRA: É igual ao cu,o do primeiro( mais tr%s vezes o quadrado do
primeiro pelo segundo( mais tr%s vezes o primeiro pelo quadrado do segundo(
mais o cu,o do segundo.
&': (a + b)
3
= a
3
+ 3a
%
b + 3ab
%
+ b
3
18.3)CUBO DA DIFERENÇA DE DOIS TERMOS:
REGRA: É igual ao cu,o do primeiro( menos tr%s vezes o quadrado do
primeiro pelo segundo( mais tr%s vezes o primeiro pelo quadrado do segundo(
menos o cu,o do segundo.
&': (a ' b)
3
= a
3
' 3a
%
b+ 3ab
%
' b
3
18.5)PRODUTO DA FORMA #x I :2 9 #x I J2:
(x + p) . (x + q) = x
%
+ px + qx + pq = (x
%
+ (p + q)x ) < + pq ) A)
p + q = <
3ndi0ando p . q = A9 teremos$ (x + p) . (x + q) = x
%
+ <x + A
!0)FATORAÇÃO ALGÉBRICA
FATORAR uma e$press#o alg+,rica signi-ica escreve-la na -orma de um
produto de e$pressões mais simples. Cecompor (um polin6mio qualquer) num
produto de -atores.
&studaremos alguns processos( usados para -atorar uma e$press#o
alg+,rica( denominado casos de -atoraç#o.
4,serve:
15
% x 3 x & = 3#  1ote que % x 3 x & + um produto indicado
equivalente a 3#. 1este produto indicado( os -atores s#o: %9 3 e &.
%(x + 3) = %x + >  1ote que %(x + 3) + um produto indicado equivalente
a %x + >. 1este produto indicado( os -atores s#o: % e (x + 3).
F78%'7KL% D É a operaç#o que permite trans-ormar uma e$press#o num
produto indicado equivalente a esta e$press#o.
&nt#o: F78%'7KL%
Cx I G C#x I D2
(x:'(++L% :'%:'-($7$( :'%$38% -)$-.7$%
$-+8'-M38-;7
(J3-;76()8(+
@ara o,ter o produto indicado equivalente a uma e$press#o( devemos
con/ecer alguns processos con/ecidos por 0asos de /atora1ão.
&studaremos os 0 casos mais simples e -reqGentes de -atoraç#o:
". *xpress=es alg7bri0as 0om /ator 0omumU
%. Asso0ia1ão em gruposU
3. 8rinBmio quadrado per/eitoU
. Oi/eren1a de dois quadrados.
19) CASO: *xpress=es alg7bri0as 0om /ator 0omum.
Honsidere a e$press#o: am + bm + 0m.
1ote que em todos os termos dessa e$press#o e$iste o -ator m.
&nt#o( para conseguir um produto indicado equivalente( devemos
seguir estes passos:
1)P7++%: &screve-se o -ator comum: am + bm + 0m → m
!)P7++%: *,re-se par%ntese e escrevem-se os quocientes da divis#o
de cada termo da e$press#o pelo -ator comum( -ec/ando-se o
par%ntese ap>s o ltimo quociente:
16
am + bm + 0m = m(a + b + 0)
am)m = a bm)m = b 0m)m = 0
4 -ator comum pode ser num+rico( literal ou numeral e literal.
1.1)COMO DESCOBRIR O FATOR COMUM:
• A0Ga-se o CO. dos 0oe/i0ientes de todos os termos da
expressão9 obtendo-se9 assim9 o /ator 0omum num7ri0o.
• *s0re-em-se as letras que 0onstam de todos os termos
da expressão9 0om os seus menores expoentes.Ebt7m-
se9 assim o /ator 0omum literal.
&$emplos:
a) a + >b ' 80
Hoe-icientes dos termos: 9 > e 8.
CO. dos coe-icientes: CO. (9>98) = %
Eator comum num+rico: %
Ietras que constam de todos os termos: não G,.
Eator comum literal: não G,.
Honclus#o: -ator comum D %
,) %x
%
( + 8x
3
(
%
' x
%
(
3
Hoe-icientes dos termos: %9 8 e
CO. dos coe-icientes: CO. (%9 8 9) = %
Eator comum num+rico: %
Ietras que constam de todos os termos$ x e (.
Eator comum literal: x
%
(
Honclus#o: -ator comum D %x
%
(
4utros e$emplos:
%x + >x
%
&ax ' "#a
%
x
4ator 0omum$ %x 4ator 0omum$ &ax
3x
%
' &x
3
3m
%
' @m

+ >m
3
4ator 0omum$ x
%
4ator 0omum$ 3m
%
>a
%
' 8ax
%
+ ax &x + "&(
4ator 0omum$ %ax 4ator 0omum$ &
%x
3
' x
%
+ %x %x + 3x
%
(
4ator 0omum$ %x 4ator 0omum$ x
>a

b
%
+ "%a
%
b
3
' "8a
%
b
%
x
3
' !x
%
(
4ator 0omum$ >a
%
b
%
4ator 0omum$ x
%
<e?amos agora dois e$emplos de -atoraç#o atrav+s de -ator comum.
&$press#o
a)a ' >x + 8( 4ator 0omum$ %
a ' >x + 8( = % (%a ' 3x + ()
a)% = %a >x)% = 3x 8()% = (
b)3x
%
( ' >x(
%
4ator 0omum$ 3x(
3x
%
( ' >x(
%
= 3x( (x ' %()
3x
%
()3x( = x >x(
%
)3x( = %(
!9)CASO: Asso0ia1ão em grupos.
17
4,serve a e$press#o:
3x
3
' %x + >ax
%
' a
1)P7++%: *grupar convenientemente os termos.
(3x
3
' %x) + (>ax
%
' a)
Eator comum: x Eator comum: %a
!)P7++%: Eatorar( por evid%ncia( cada grupo.
(3x
%
' %) + (>ax
%
' a) = x(3x
%
'%) + %a(3x
%
' %)
))P7++%: -atorar( pondo em evid%ncia o -ator comum que surgiu.
(3x
%
' %) + (>ax
%
' a)
x(3x
%
'%) + %a(3x
%
' %)
(3x
%
' %) . (x ' %a)
&ste caso de -atoraç#o( atrav+s da associaç#o dos termos em
grupos( costuma ser c/amado de -atoraç#o por agrupamento.
4utros e$emplos:
a) x
3
+ x
%
+ %x+ % = (x +") . (x
%
+%)
b) x
%
+ &x + ax + &a = (x +&) . (x + a)
0) >a
%
+ %ab + 3a0 + b0 = (3a + b) . (%a + 0)
d) %am ' na + >bm ' 3bn = (%m ' n) . (a +3b)
e) %ax + bx + %a( + b( = (%a + b) . (x + ()
SC .S3OAOE *<A*.3AL$ os sinais.
Honsidere a e$press#o: ax + a( ' bx ' b(
*gora vamos agrupar os termos:
ax + a( ' bx ' b( = (ax + a() ' (bx + b()
o sinal de menos (-)  1ote que com o sinal negativo antes dos
par%nteses( os termos ,$ e ,J tiveram seus sinais trocados:
- bx ' b( = - (+bx + b() - . + = -
18