You are on page 1of 7

MENSAGEM – 2 CRONICAS 7.

14
TEXTO BÍBLICO – 2 CRONICAS 7.14
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar e se
converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados e
sararei a sua terra”.
INTRODUÇÃO
Este é um dos versículos mais conhecidos da Escritura Sagrada. Muitos o sabem de cor
e o aprenderam desde a infância na Escola Dominical.
Este versículo foi dito pelo próprio Deus a Salomão quando este acabou de construir o
templo de erusalém.
! constru"ão do templo era um sonho de Davi e que Deus não permitiu construir#
dando a seu $lho Salomão este privilégio e responsabilidade.
7.11 Assim, Salomão acabou a Casa do SEN!" e a casa do rei# tudo quanto Salomão
intentou $a%er na Casa do SEN!" e na sua casa, prosperamente o e$etuou. 7.1& 'e noite,
apareceu o SEN!" a Salomão e lhe disse( !uvi a tua ora)ão e escolhi para mim este lu*ar
para casa do sacri$+cio.
!gora observe que este versículo tão famosos da %íblia vem amarrado com uma
advert&ncia' 7.1, Se eu cerrar os céus de modo que não ha-a chuva, ou se ordenar aos
*a$anhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo#
Deus é amor mas também é (usti"a. Ele tem o direito de aben"oar e também de retirar
a sua ben"ão. Se o povo se desviasse do caminho do Senhor ele iria cerrar os céus# enviar os
gafanhotos e as pestes. )odemos lembrar do cora"ão duro de *araó que só foi amolecido
quando as consequ&ncias +pragas, atingiram sua cidade# seu povo e especialmente sua
família.
Deus aqui vai ensinar a Salomão o que eles devem fa-er para se reconciliarem quando
as consequ&ncias do pecado come"arem a atingir a na"ão de .srael.
MEU POVO
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome...
Esse povo tem dono/
./0s, porém, sois ra)a eleita, sacerd0cio real, na)ão santa, povo de propriedade
e1clusiva de 'eus, a 2m de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas
para a sua maravilhosa lu%.. 1 3edro &(4
SE HUMILHAR
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar e se
converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados e
sararei a sua terra”. 5& Cronicas 7.167
.srael estava vivendo agora um tempo de grande prosperidade com o reinado de Davi e
Salomão. 0 reinado de Salomão seria o mais próspero de toda história. 0 avan"o da
agricultura# a e1pansão bélica# o ac2mulo de rique-as.
Deus (3 havia alertado o povo quando saíram do Egito# para que eles não se
esquecessem de Deus' 8.19 avendo:te, pois, o SEN!", teu 'eus, introdu%ido na terra
que, sob -uramento, prometeu a teus pais, Abraão, ;saque e <ac0, te daria, *randes e boas
cidades, que tu não edi2caste# 8.11 e casas cheias de tudo o que é bom, casas que não
encheste# e po)os abertos, que não abriste# vinhais e olivais, que não plantaste# e, quando
comeres e te $artares, 8.1& *uarda:te, para que não esqueças o SENHOR, que te tirou da
terra do E*ito, da casa da servidão. 8.1, ! SEN!", teu 'eus, temer=s, a ele servir=s, e,
pelo seu nome, -urar=s. 5'euteronomio 8.19:1,7.
4ual é o cuidado de Deus aqui5 6 que eles não se esquecessem da fonte das b&n"ãos.
4ue eles não se esquecessem de manter a depend&ncia de Deus.
>umilhai:vos perante o Senhor, e Ele vos e1altar=”. ?ia*o 6.19
! soberba é a porta de entrada da ruína. Deus resiste aos soberbos# mas d3 gra"a aos
humildes.
>Sacri$+cios a*rad=veis a 'eus são o esp+rito quebrantado# cora)ão compun*ido e
contrito, não o despre%ar=s, 0 'eus”. 5Salmo @1.177
Davi disse isso depois que reconheceu seu pecado de adulterio. 0 salmo 78 foi escrito
neste momento.
Davi era rei# rico# poderoso# famoso# teria dinheiro para oferecer sacrifícios#
holocaustos# mas tem consci&ncia que o que Deus quer é seu arrependimento. 0 sacrifício
que Deus quer é o cora"ão quebrantado.' @1.18 3ois não te compra%es em sacri$+cios# do
contr=rio, eu tos daria# e não te a*radas de holocaustos. @1.17 Sacri$+cios a*rad=veis a 'eus
são o esp+rito quebrantado# cora)ão compun*ido e contrito, não o despre%ar=s, 0 'eus.
E ORAR E ME BUSCAR
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar....
Estamos na 9ampanha :; dias de e(um e ora"ão. <este ano de =;8: o assunto é
e1atamente este >SD# >empo a Sós com Deus.
>odos nós estamos convencidos dos benefícios da ora"ão. Mas porque oramos tão
pouco5 6 verdade que e1istem crentes que passam dias sem orar# ou só oram e leem suas
%íblias no culto de domingo.
Mas é possível ser um crente $el# e dispensar a pr3tica da ora"ão5 6 claro que não/
0 versículo di-' ?orar e me buscar@. 0 que signi$ca buscar a face de Deus5 6 dese(ar
conhec&Alo mais a cada dia. 6 reconhecer a Deus como a melhor companhia# é saciarAse da
presen"a Dele.
Salmo 19@.6 >Auscai o Senhor, e a sua $or)a# buscai a sua $ace continuamente”.
E SE CONVERTER DOS MAUS CAMINHOS
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar e se
converter dos seus maus caminhos...
0 que é converter dos seus maus caminhos5
9onversão é transforma"ão# altera"ão de sentido ou dire"ão A mudan"a de rumo.
9onverterAse pela ótica bíblica é abandonar pr3ticas que não agradam a Deus.
)erceba que este te1to é voltado para o povo de Deus. Este versículo não est3
direcionado para um ateu.
.sso signi$ca que o povo de Deus muitas ve-es se e1travia do caminho# e precisa
voltar.
Bo(e pouco se ouve falar de arrependimento. B3 uma tend&ncia da igre(a moderna
esquecer o arrependimento. Bo(e temos o evangelho da prosperidade# da auto a(uda.
Bo(e vemos Corescer um falso evangelho# o evangelho da prosperidade# e não o
evangelho da cru-. Esse evangelho promete conforto# e não sacrifícioD sucesso# e não
ren2nciaD rique-as na terra# e não bemAaventuran"a no céu. Esse evangelho coloca o ser
humano no centro# em ve- de Deus. E antropoc&ntrico# e não teoc&ntrico. <esse evangelho é
Deus quem est3 a servi"o do homem# e não o homem a servi"o de Deus. <esse evangelho é a
vontade do homem que deve ser feita no céu# e não a vontade de Deus que deve ser feita na
terra.
oão %atista disse' ?!rrependamAse@. esus di- a mesma coisa depois.
! igre(a que leva a )alavra de Deus a sério# ela sempre pregou a mensagem e
arrependimento.
Estamos dedicando o nosso culto para meditar na nossa p3tria. Bo(e é um dia especial
;E de seembro# dia da independ&ncia do %rasil.
>emos que orar pela nossa na"ão e pelos pecados da corrup"ão. >emos no %rasil o que
conhecemos como ?(eitinho brasileiro@# que é de$nido como a busca por uma saída para uma
situa"ão que não se quer ou não se pode enfrentar.
0 vocabul3rio do (eitinhoAcorrup"ão (3 é bem volumoso e criativo e (3 é possível
colecionar alguns sinFnimos' carteirada# conhecer o ?caminho das pedras@D esquemaD fa-er
?vista grossa# molhar a mãoD ?por bai1o dos panos@D tudo termina em pi--a.
.GHS>I!JK0 DE)H>!D0 <!>!< D0<!D0< A 9ondenado L cadeia por forma"ão de
quadrilha e peculato +obter vantagem $nanceira com o cargo p2blico,# o deputado <atan
Donadon conquistou# o direito de continuar deputado. 0u se(a# ser3 prisioneiro e parlamentar
ao mesmo tempo. >er3# em tese# as prerrogativas de um congressista# mas ser3 obrigado a
seguir as regras de uma penitenci3ria. 9omo isso ser3 possível5 Só mesmo fa-endo um
e1ercício de imagina"ão.
Em vota"ão aberta# a 9âmara decidiu nesta quartaAfeira +8=A;=A=;8:, por :ME votos e
uma absten"ão cassar o mandato do deputado <atan Donadon +sem partidoAI0,# condenado
a mais de 8N anos de prisão pelo Supremo >ribunal *ederal +S>*,. )ara a cassa"ão do
mandato# eram necess3rios os votos de pelo menos =7E dos 78N deputados. ! decisão desta
quarta ocorre seis meses depois de o mesmo plen3rio ter re(eitado# em vota"ão secreta#
cassar o mandato do parlamentar. <a ocasião# somente =NN deputados foram favor3veis L
cassa"ão.
O!%.<E>E A 0 parlamentar tem direito a quatro linhas de celular# cinco ramais
telefFnicos# fa1# cinco computadores com internet r3pida#>P a cabo# frigobar e mobili3rio de
escritório# como poltronas# escrivaninhas e mesa de reuniQes. 0 presidi3rio# no m31imo# pode
ter uma televisão de 8: polegadas# se tiver bom comportamento
!SSESS0IES A 9ada parlamentar tem direito a contratar até =7 funcion3rios. 9omo a
usti"a não autori-a a presen"a de estranhos dentro da penitenci3ria# o presidi3rio teria de
arregimentar internos para a(udar no trabalho parlamentar. 0s sal3rios são muito convidativos
S!GRI.0 A 9omo deputado# ele continuar3 recebendo =ME=N reais. ; presidi3rio pode
poupar a renda ou gast3Ala em um pequeno ?supermercado@ clandestino que funciona na
)apuda
90>! )!IG!ME<>!I A 0 deputado tem N= E;; reais por m&s para gastar com
alimenta"ão e demais despesas do gabinete. )roblema' o ?supermercado@ que funciona na
)apuda não emite notas $scais para reembolso dos gastos
0IJ!ME<>0 A o parlamentar poder3 destinar até 87 milhQes de reais do or"amento
federal para obras em sua região. Se direcionar esse dinheiro para a )apuda# ser3 um refor"o
e tanto para melhorar a vida dos colegas detentos
M0ID0M.!S A 0 deputado ainda tem direito a um au1ílioAmoradia de N S;; reais#
passaporte diplom3tico# assinatura de (ornais e revistas e um sal3rio no início e no $m do
mandato para a(udar nas despesas A o chamado au1ílioApaletó.; presidi3rio usa cal"a e
camiseta
!>.P.D!DE )!IG!ME<>!I A 0 deputado propQe e aprova leis. ; presidi3rio est3 na
)apuda e1atamente por desrespeitar as leis
e se converter dos seus maus caminhos...
6 comum vermos nas notícias que um político foi (ulgado e culpado por algum ato
ilícito# mas ele (ura que não sabia nada e que alguém est3 armando contra ele. 9omo na
história %íblica de !dão e Eva onde um (oga a culpa no ombro do outro' >Boi a mulher que me
deste por companheira que me deu do $ruto da =rvore, e eu comi” 5Cn ,.1&7.
.GHS>I!JK0 T )!S>0I 9B!M0H HM B0MEM )!I! 90<PEIS!I )0.S ! ES)0S!
SHS)E.>!P! DE !DHG>6I.0
9ulpaAse o diabo# os poderes ocultos# o decote da mulher alheia# o celibato# a genética#
a educa"ão recebida no lar# as oportunidades para o mal e coisas assim. )orém não assume a
culpa/
! restaura"ão de Davi só come"ou quando o profeta com dedo em riste falou para ele'
?>u és o homem@ +=Sm 8=.E,' Salmo @1.16 Divra:me dos crimes de san*ue, 0 'eus, 'eus da
minha salva)ão, e a minha l+n*ua e1altar= a tua -usti)a.
)ecado tem nome. Muitas ve-es oramos' Senhor# perdoa os meus pecados. Mas
devemos orar' Senhor# me perdoa quando $- isto. Sim# devemos estar cientes do que
estamos confessando. <ós temos sempre a tend&ncia de cobrir o nosso mau cheiro do pecado
com o desodorante da desculpa.
Hm corpo belo e um bonito rosto# podem ocultar comportamentos pecaminosos.
)recisamos passar pela necess3ria cirurgia do arrependimento. !dmitir o pecado# confessar a
maldade# são passos imprescindíveis para renunciar a carnalidade e andar em dire"ão a
santi$ca"ão.
OUVIREI DOS CÉUS
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar e se
converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus
Deus promete ouvirAnos da sua alta morada quando nós nos humilhamos# oramos#
buscamos sua face e mudamos a rota do nosso caminho. 4uando nós satisfa-emos as
condi"Qes de Deus# Ele nos ouve.
>! Senhor -= ouviu a minha sEplica, o Senhor aceita a minha ora)ão”. Salmo 8.4
PERDOAREI SEUS PECADOS
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar e se
converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados
>Se con$essarmos os nossos pecados, 'eus é 2el e -usto para nos FperdoarG os pecados
e nos Fpuri2carG de toda in-usti)a” 51<o 1.47.
Depois do perdão de Deus# o pecador não precisa mais sentirAse culpado do pecado
confessado# nem precisa confessar outra ve- o mesmo pecado. <ova con$ssão e novo perdão
serão necess3rios se ele cometer outra ve- aquele pecado ou outro qualquer.
SARAREI A SUA TERRA
“Se o meu povo que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar e se
converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados e
sararei a sua terra”. 5& Cronicas 7.167
)ara .srael sarar a terra signi$cava. Poltar a chover para que as colheitas fossem
abundantes. Givrar as planta"Qes da praga dos gafanhotos. Givrar a na"ão da pestil&ncia# das
doen"as infectocontagiosas.
Mas e para nós5 0 que signi$ca sarar a terra5 4uais seriam as maiores pragas que
assolam a nossa terra5
! corrup"ão seria uma delas.
0 arrependimento é pessoal# mas pode ser nacional. B3 momentos em que as
autoridades devem chamar a na"ão ao arrependimento.
<onas ,.8 Che*ou esta not+cia ao rei de Nínive# ele levantou:se do seu trono, tirou de
si as vestes reais, cobriu:se de pano de saco e assentou:se sobre cin%a. ,.H mas se-am
cobertos de pano de saco, tanto os homens como os animais, e clamarão $ortemente a 'eus#
e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violIncia que h= nas suas mãos. ,.4
Juem sabe se voltar= 'eus, e se arrepender=, e se apartar= do $uror da sua ira, de sorte que
não pere)amos 5<onas ,.8:47
Esses pecados demandam con$ssão e arrependimento geral.
0 arrependimento nacional pode evitar cat3strofes. Deus é benigno e compassivo. Ele
é tardio em irarAse e
grande e misericórdia. Ele se deleita em perdoar e não tem pra-er na morte do perverso.
Muitas tragédias poderiam
ser evitadas se o povo se humilhasse sob a poderosa mão de Deus/
! conversão dos ninivitas foi demonstrada pelo abandono imediato de seus maus
caminhos e pela ren2ncia imediata e de$nitiva da viol&ncia. Essas pr3ticas abomin3veis que
provocavam a ira de Deus foram abandonadas. 0nde o pecado não é abandonado# não h3
evid&ncia de conversão.
Ele não despre-a um cora"ão quebrantado. 0nde h3 sinal de arrependimento# h3 oferta
de perdão.
.gre(as que se vendem por ti(olos e cimentos.
! igre(a não deve se relacionar com poder p2blico em termos de barganhas. <ão
trocamos voto por ti(olo# por terreno# por inser"ão no poder. ! consci&ncia da igre(a não est3 L
venda.
<ão obrigamos# ou indu-imos o voto/ 6 direito de cada membro ter o seu
posicionamento pessoal como cidadão# mas a igre(a não fecha apoio a candidato# nem a
partido. <ã
0ramos pelo processo e pelas autoridades p2blicas/ 0ramos pelo processo político#
para que transcorra em pa-# para que a democracia se fa"a valer# para que os líderes
constituídos governem com sabedoria# respeito e para o bem comum. 0ramos pelas
autoridades p2blicas e para que ha(a pa- na cidade.
Deus pode curar a na"ão brasileira/
CONCLUSAO
>res condi"Qes indispens3veis' Bumilhar# orar e buscar a face e converterAse dos maus
caminhos.
4ual a contrapartida de Deus' Ele vai 0uvir# perdoar e sarar
P.DE0 A %I!S.G# 0GB! )I! 9.M!