You are on page 1of 16

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

Formanda: Teresa Castelo Branco Novembro de 2009


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

OPERACIONALIZAÇÃO DO MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO


DA BIBLIOTECA ESCOLAR

DOMÍNIO DE AVALIAÇÃO SELECCIONADO:

DOMÍNIO B – LEITURA E LITERACIA

PROBLEMA IDENTIFICADO:

Sendo um dos objectivos prioritários do Projecto Educativo do AVET – Melhorar a Qualidade


do Sucesso Educativo – é imperativo o domínio de competências em Língua Materna, cuja
aprendizagem deverá ser reforçada transversalmente, uma vez que muitos alunos revelam dificuldades
de: expressão oral; compreensão oral e escrita; ortografia; estruturação sintáctica; e, variedade
vocabular.

OBJECTO DE AVALIAÇÃO:

A BE incidirá a sua actividade no domínio da promoção da Leitura e Literacia, como apoio e


complemento às actividades curriculares, em parceria com os professores, utilizando como Processo
(actividades e serviços disponibilizados) o Indicador B.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção
da leitura na escola/agrupamento; e o Indicador B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e
competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia, como indicador de resultados obtidos
– Impactos na aquisição de competências comunicativas.

TIPO DE AVALIAÇÃO:

A avaliação tem como referentes os níveis de desempenho e a satisfação dos utilizadores


envolvidos, numa perspectiva de melhoria e desenvolvimento de boas práticas.
De forma a proceder a uma avaliação criteriosa e rigorosa da sua performance a BE recorrerá a
diferentes tipos de avaliação, a saber:
• questionários aos elementos envolvidos ( professores, alunos e encarregados de educação…)
acerca dos inputs disponibilizados ( equipamentos, colecções…)
• observação directa de desempenhos e grelhas de observação de competências, acerca dos
processos utilizados (actividades desenvolvidas e serviços prestados)
• grelhas de análise de trabalhos dos alunos, acerca dos outputs obtidos ( verificação do
desempenho dos alunos em complemento de outros trabalhos escolares, tais como, testes,
exames…).
AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

MÉTODOS E INSTRUMENTOS ( Procedimentos):


Domínio B – Leitura e Literacia

INDICADORES Factores críticos de sucesso Evidências (Dados


(Acções Implementadas) recolhidos)
B.1 Trabalho da BE ao serviço A BE… • Questionário aos
promoção da leitura na • Disponibiliza uma colecção docentes (QD2)
escola/agrupamento. variada em quantidade e • Questionário aos
qualidade, de acordo com as alunos (QA2)
necessidades educativas da • Caixa de sugestões da
escola/agrupamento BE
(currículo e filosofia • Actas de reuniões com
educativa da escola) e gostos representantes dos
e interesses dos utilizadores. diversos sectores da
• Adequa a colecção a novos comunidade educativa
públicos (CEF e EFA). ( docentes, alunos,
• Identifica problemáticas e encarregados de educação,
dificuldades neste domínio e CE…) para auscultação de
implementa problemas e integração da
estratégias/actividades de BE nas actividades de
superação em conjunto com ensino-aprendizagem.
os docentes, nomeadamente:
- na disponibilização de • Estatísticas de
recursos programáticos em requisição de recursos
vários suportes, para utilização
na BE/em sala de aula; • Grelhas de observação
directa de
• Colabora em acções de competências
formação de utilizadores em manifestadas.
competências de leitura;
• Inquéritos de auto-
• Incentiva o empréstimo avaliação.
domiciliário aos alunos e • Desdobráveis
encarregados de educação informativos
promovendo a leitura
• Desenvolve actividades de em família e a
implementação do PNL, a importância /oferta da
saber: requisição domiciliária
- disponibilização de baús de • Questionário aos
livros recomendados pelo PNL Pais/Encarregados de
para Jardins de Infância e Educação (QEE1)
escolas do 1º ciclo • Estatísticas de
- circulação pelas escolas do requisição, circulação
Agrupamento, sob orientação da no agrupamento e uso
BE da escola sede; de recursos
- sugestões de actividades a relacionados com a
realizar no âmbito do PNL, leitura.( PORBASE5)
nomeadamente a realização de
um concurso de leitura “Ler é
Fixe”, baseado em obras PNL • Regulamento de
dadas em sala de aula utilização dos baús
- participação em concursos de (ver anexos)
leitura promovidos pelo PNL. • Fichas de requisição de
- vindas de escritores baús (ver anexos)

• Incentiva à leitura • Grelhas de observação


informativa articulando com de competência
Departamentos Curriculares leitora/comunicativa
no desenvolvimento de (ver anexos)
actividades de ensino e • Actas de reuniões com
aprendizagem, elementos responsáveis
nomeadamente: pelas BEs/
- realiza actividades de implementação do
promoção da leitura,ex.: “A PNL do Agrupamento
Biblioteca vai ao recreio”, com • Regulamento do
cenários temáticos de acordo Concurso
com os assuntos dos livros, • Resultados obtidos
publicitando novas aquisições; ( pontuações das
- dinamiza actividades de leitura equipas participantes)
( horas de conto e dramatizações
de obras) de acordo com • Trabalhos elaborados
solicitação dos Departamentos pelos alunos sobre os
Curriculares do Agrupamento, escritores (bibliografia)
através do Clube de Animação e baseados na sua obra
da BE “Letras com Piruetas e (escrita criativa).
Companhia”.

• Promove actividades de • Planificação da


leitura e escrita com a actividade
colaboração do Clube de
• Fotografias
Jornalismo na redacção de
• Grelhas de avaliação
notícias relativas aos eventos
preenchidas pelo
dinamizados pela BE e sua
público-alvo
divulgação no blog da
mesma. • Tratamento de dados

• Actas de reuniões de
• Dinamiza eventos culturais
Departamento/Grupo
que promovem o livro e a
leitura, tais como: • Conselho Pedagógico
- acções de formação de • Grelhas de Avaliação
professores e alunos no âmbito de actividades
da escrita criativa levadas a cabo • Trabalhos elaborados
pela equipa da BE; pelos alunos (1º, 2º e 3º
- realização dos “Encontros ciclos)
com…” escritores, ilustradores e • Trabalhos redigidos
editores. pelos alunos (2º ciclo)

• Organiza e difunde recursos • Trabalhos produzidos


documentais que, pelos alunos
associando-se a diferentes
temáticas ou projectos, • Grelha de avaliação de
suportam a acção educativa e actividades
garantem a transversalidade • Catálogo da colecção
e o desenvolvimento de • Blog
competências associadas à
leitura, nomeadamente: • Trabalhos elaborados
- temáticas como a Matemática, pelos alunos
Ecologia, Alimentação (…) em
diversos suportes, entre os quais • Observação directa de
documentos impressos e digitais competências
que envolvem a necessidade de
leitura e interpretação.

• Dinamiza“Torneios de
Debates” inter-turmas sobre • Trabalhos realizados
temas da actualidade ou pelos alunos ( ppts,
ligados a Projectos esquemas…)
desenvolvidos pela
escola/agrupamento para
desenvolvimento de:

• Fluência discursiva;

• Organização lógica de ideias;

• Juízo crítico;

• Cultura geral.

Os alunos…
B.3 Impacto do trabalho da BE • Estatística de
nas atitudes e competências • Utilizam o livro e a BE para actividades de leitura
dos alunos, no âmbito da leitura recreativa, na BE.
leitura e da literacia. informativa ou realização de
trabalhos de casa.
• Elaboram trabalhos,
recorrendo a equipamentos e
ambientes informacionais
variados, com o apoio do
staff da BE e dos professores • Observação da
colaboradores, utilização da BE
nomeadamente: (O3;O4)
- na pesquisa, • Trabalhos realizados
- na selecção, pelos alunos
- no tratamento da informação
manifestando progressos nas
suas competências no âmbito da
leitura e da literacia. • Análise diacrónica das
• Participam activamente avaliações dos alunos
em actividades de promoção de
leitura, tais como: clube de
animação da BE, clube de
jornalismo, blog...
AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

INTERVENIENTES:

Grupo responsável pela condução do processo de auto-avaliação da BE, ao nível do Agrupamento,


constituído por: Director (ou outro elemento do CE), docentes dos vários níveis de ensino e dos diferentes
Departamentos Curriculares, bem como do Conselho Pedagógico, representantes dos alunos e
representantes dos encarregados de educação, sob a responsabilidade do Coordenador Professor
Bibliotecário.
Depois de identificado o problema, apresentado em sede de Conselho Pedagógico, o grupo reúne e
delibera qual o domínio de acção da BE a ser avaliado.
Cada elemento exercerá tarefas específicas, ao longo do ano,
ou seja, o Director/elemento do CE, é o elo de ligação com a filosofia educativa do Agrupamento,
estabelecendo o enquadramento dos objectivos perseguidos e das actividades a desenvolver pela BE com
o Projecto Educativo de Agrupamento e todos os que lhe são subsequentes; os docentes estabelecem que
colaboração a BE deve exercer com a sala de aula, como complemento integrante do currículo,
contribuindo para a qualidade das aprendizagens; os alunos representam as angústias, necessidades e
êxitos dos não docentes em geral, como bússola indicadora de que estratégias implementar para o sucesso
educativo; os encarregados de educação fazem a ponte entre a escola e os alunos, verificando
necessidades e colaborando em actividades extra-curriculares conducentes ao sucesso.
CALENDARIZAÇÃO:
A escolha do domínio a avaliar deve ser efectuada até ao início do ano lectivo (Setembro/ Outubro), de
preferência no final do ano lectivo anterior após a análise dos resultados. Esta escolha será feita em
reunião do grupo responsável pela auto-avaliação da BE, em articulação com a equipa da BE, outros
docentes e a Direcção do Agrupamento.
Esta escolha necessita ser atempada pois, o processo de auto-avaliação, implicará a recolha sistemática de
um conjunto alargado de evidências ao longo de todo o ano lectivo.
Ao longo do ano, este grupo reunirá mensalmente, para monitorização do trabalho efectuado, análise de
evidências recolhidas, elaboração de avaliações e elaboração de medidas de melhoria.
No final do ano lectivo (Junho/Julho) será elaborado o Relatório de Auto-Avaliação da BE a apresentar à
Direcção e ao Conselho Pedagógico, do qual se elaborará uma síntese a incluir no Relatório de Auto-
Avaliação do Agrupamento. Finalmente, será elaborado um Plano de Acção (melhoria) a implementar no
ano lectivo seguinte que induzirá na escolha do Domínio a desenvolver de forma mais aprofundada e
sistematizada.
AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

PLANIFICAÇÃO DE RECOLHA E TRATAMENTO DE DADOS:

RECOLHER EVIDÊNCIAS
Identificar as evidências mais relevantes para o domínio a avaliar
Organizar e produzir instrumentos

ANALISAR OS DADOS
Fazer apreciações e retirar ilações

Confrontar os dados com os factores críticos de sucesso e os


perfis de desempenho

A auto-avaliação deve ser baseada em evidências. As evidências revelam o trabalho realizado, as


actividades desenvolvidas ( processos) e os resultados e o impacto alcançados ( outputs).
Permitem-nos reflectir sobre:
• os processos –qual o trabalho realizado e como;
• os resultados e impactos – relação entre os serviços prestados e as necessidades dos
utilizadores; como é que a acção da BE exerce influência sobre as actividades de docentes e
alunos; como é que a BE ajuda a atingir determinados objectivos do Projecto Educativo,
como é que o trabalho da/com a BE concorre para os objectivos curriculares (…).

Na situação apresentada, as evidências permitirão questionar sobre a influência da acção da BE na


aquisição de competências comunicativas, no domínio das funcionalidades da Língua Materna.
A avaliação e a recolha de evidências são um meio que nos permitirá ter uma visão mais clara e
objectiva do trabalho da Escola e da BE, do contributo desta em articulação com a Escola, para o
sucesso dos alunos.
As evidências a recolher são de vária ordem, consoante as acções desenvolvidas:
• dados quantitativos referentes ao funcionamento da BE ( taxas de utilização de equipamentos;
percentagens de empréstimos domiciliários; frequência de utilização de recursos; …);
• Consultas a docentes, alunos e outros elementos (questionários específicos, grelhas de avaliação,
caixas de sugestões, reuniões…);
• Observação e análise de recursos e de actividades (observação de alunos em trabalho na BE;
trabalhos realizados pelos alunos; utilização livre da BE: recursos utilizados, actividades
realizadas…)
• Análise de documentação (PEA, PCT, RI; documentos referentes à BE; actas e registos de
reuniões…)
É importante a utilização de grelhas de registo que dêem conta do trabalho realizado ao longo do ano, e
que possibilitem averiguar possíveis impactos entre diferentes momentos ( num mesmo ano lectivo ou
anos lectivos diferentes), como prática habitual no funcionamento da BE.
Depois de recolhidos os dados, são analisados e apreciados, conduzindo à elaboração de avaliações.

Por exemplo, verificando-se uma baixa taxa de leitura na BE por parte dos alunos do 3ºciclo,(15% ou
20%) a BE poderá elaborar o seguinte enunciado: “ As actividades implementadas pela BE no
domínio da promoção da leitura, não responderam cabalmente às necessidades dos utilizadores.”

ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL E COMUNICAÇÃO DE RESULTADOS

A análise dos dados recolhidos dará origem ao Relatório de Auto-Avaliação que permitirá um
cruzamento entre os factores críticos de sucesso (acções implementadas) e os perfis de desempenho
( elencados no Modelo de Auto-Avaliação da BE com descritores de níveis de 1 a 4), para a
identificação de um nível.
Este Relatório será apresentado em sede de Conselho Pedagógico e colocado na Plataforma Moodle do
Agrupamento para informação da comunidade educativa.
Uma síntese do mesmo deverá integrar o Relatório de Auto-Avaliação do Agrupamento e referenciado na
entrevista com a Inspecção-Geral de Educação.
Esta integração da BE na escola, nomeadamente no processo de ensino e aprendizagem, em articulação
com as diferentes estruturas educativas, atribuir-lhe-á VALOR aos olhos dos outros actores educativos.

PREPARAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM PLANO DE ACÇÃO

As apreciações efectuadas (positivas ou negativas) deverão levar à enunciação de acções para o futuro
(plano de acção) que preconizem a consolidação de aspectos positivos verificados e a melhoria de
aspectos menos bons identificados, numa perspectiva de superação e alcance do fim desejado – a
melhoria da qualidade das aprendizagens e o consequente sucesso dos alunos.
ANEXOS
AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

BAÚS ITINERANTES DE LIVROS PNL

REGULAMENTO

Os Baús Itinerantes fazem parte de um projecto promovido pela BE para todas as escolas do
Agrupamento (EB1s e Jardins de Infância).
Este projecto faz parte do PNL (Plano Nacional de Leitura) e integra-se no contexto “Leitura
orientada na sala de aula”,para EB1s e JIs, cujos objectivos são:
- Criar o gosto pela leitura;
-Promover o contacto com os livros;
-Despertar a curiosidade intelectual, o espírito crítico e a autonomia;
-Promover a leitura e a escrita;
-Colaborar com os professores na promoção da Literacia da Informação.

Os Baús para o 1º ciclo contêm:


- 2 colecções de 12 livros, sendo uma para o 1º/2º anos e outra para o 3º/4º anos;
- uma Grelha de Observação de Competência Leitora/Comunicativa, que deverá ser
preenchida e enviada para a BE no final de cada período;
-uma Grelha de Registo a preencher pelos professores que utilizarem os livros dos baús, bem
como algumas orientações (PNL);
- uma Ficha de Leitura como sugestão.

Os baús são requisitados na BE da escola sede do Agrupamento, podendo permanecer nas escolas
por um período não superior a 15 dias, findo o qual serão devolvidos à BE , podendo proceder à
requisição de novo baú ( cada professor deverá ler 2 livros por trimestre).

A equipa da BE

Caldas das Taipas, Setembro de 2009


AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

PLANO NACIONAL DE LEITURA


Ano Lectivo: ____/_____

Ano de escolaridade (1º ou 2º ano) :_______ Turma:______ Escola:_______________

GRELHA DE REGISTO DE COMPETÊNCIA LEITORA/COMUNICATIVA

Obras lidas:

Número de alunos

COMPETÊNCIAS
FRACO MÉDIO BOM

Reconta oralmente a história

Identifica personagens
(caracterização)

Dá opiniões

Utiliza vocabulário variado e


adequado

Responde a pequenos
questionários sobre as obras
lidas.

Ordena a história
sequencialmente

Observações:________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

Data:____/_____/______
O Professor
__________________
AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DAS TAIPAS

PLANO NACIONAL DE LEITURA


Ano Lectivo: ____/_____

Ano de escolaridade (3º ou 4º ano) :_______ Turma:______ Escola:_______________

GRELHA DE REGISTO DE COMPETÊNCIA LEITORA/COMUNICATIVA

Obras lidas:

Número de alunos

COMPETÊNCIAS
FRACO MÉDIO BOM

Lê textos com expressividade

Interpreta globalmente um texto

Escreve textos com correcção


ortográfica

Utiliza vocabulário variado e


adequado

Observações:________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

Data:____/_____/______
O Professor
________________
BE/CRE – ACTIVIDADES AUTÓNOMAS DOS
UTILIZADORES
ANO : 2009/10
Data:____/___/____

Ano/ Ler um Ver Trab. Trab. Fazer


NOME turma livro uma TPC grupo pesquisa um
revista jogo
Escola Básica 2,3 de Caldas das Taipas
BECRE computadores
Data N.º1 N.º2 N.º3 N.º4 N.º5 N.º6 N.º7 N.º8 N.º9 N.º10

D. Isilda 2009/2010