You are on page 1of 7

Resumo de Finanças Internacionais

Economia é a ciência social que estuda a produção, distribuição e consumo de bens e serviços
Uma das definições da ciência econômica moderna é a de Lionel Robbins: “a ciência que estuda as
formas de comportamento humano resultantes da relação existente entre as limitadas necessidades
a satisfazer e os recursos escassos da sociedade.

Câmbio
Troca, permuta de moedas entre praças de países diversos.
Operação de pagamentos entre praças distantes, através de letras ou saques.
Troco em dinheiro. Dinheiro miúdo.
Oficial: taxa de conversão de moedas fixada por um país.
Ao par: câmbio igual entre diferentes países.
Direto: operação cambial realizada diretamente entre duas praças.
I ndireto: operação cambial realizada entre duas praças por intermédio de outra.
Livre: operação cambial regulada pela lei de oferta e procura.
Manual: a troca física de uma moeda por outra.
Marítimo: empréstimo de dinheiro contra hipoteca sobre um navio ou a carga, arcando o credor
com os riscos decorrentes da viagem;
Negro: compra/venda clandestina de moedas ou de artigo escasso ou em falta. também chamado
Câmbio Paralelo.

BRICS - Brasil, Rússia, Índia e China África do Sul (South Africa) - países que apresentavam
como oportunidade de investimento, destacados em crescimento econômico.
- Ao Brasil e Rússia caberia os postos de maiores fornecedores de matérias-primas: Brasil,
alimentos e a Rússia, petróleo. Os serviços e produtos manufaturados caberiam a Índia e China por
concentrar a mão de obra e a tecnologia.

OFERTA E DEMANDA
Se a oferta é MAIOR que a demanda, os preços caem.
Se a oferta é MENOR que a demanda, os preços sobem.

O controle a inflação cabe aos Bancos Centrais, controlando a velocidade do (a):
•CONSUMO
•PRODUÇÃO
•CRIAÇÃO DE MOEDA PELOS BANCOS.

INSTRUMENTOS DE POLÍTICA MONETÁRIA PARA CONTROLE DA INFLAÇÃO:

POLÍTICA MONETÁRIA RESTRITIVA
(TAXA DE JUROS SOBE)
Open Market BACEN vende títulos públicos – retira dinheiro reduzindo a liquidez da economia.
Redesconto Prazo menor e taxa de juros do empréstimo maior – redução da liquidez.
Compulsório BACEN eleva a alíquota do compulsório retirando dinheiro do mercado e
“enxugando” a liquidez.

POLÍTICA MONETÁRIA EXPANSIONISTA
(TAXA DE JUROS CAI)
Open Market BACEN compra títulos públicos – injeta dinheiro aumentando a liquidez da
economia.
Redesconto Prazo maior e taxa de juros do empréstimo menor – aumento da liquidez.
Compulsório BACEN reduz a alíquota do compulsório aumentando o dinheiro a liquidez do
mercado.

POLÍTICA FISCAL
É a administração e adequação das receitas (tributos) e dos gastos do governo para regular a
atividade econômica. Ela é usada para neutralizar as tendências à recessão e a inflação. A política
fiscal afeta o nível de demanda ao influir na renda disponível da população.
RECEITA ↑DESPESA SUPERAVIT
RECEITA ↓DESPESA DEFICIT


RESTRITIVA
Menores gastos +Elevação de Impostos
= Diminuição Da Renda Disponível

EXPANSIONISTA
Maiores gastos +Redução de Impostos
= Aumento Da Renda Disponível

O déficit fiscal diminui os recursos disponíveis para investimento privado, pois, o Governo
disputa esses recursos com o mercado

BALANÇO DE PAGAMENTOS - O registro das transações de um país com o resto do mundo é
chamado de Balanço de Pagamentos. Aqui registramos entradas e saídas de moeda estrangeiras do
BRASIL com os demais países do mundo.

TRANSAÇÕES CORRENTES =
+ Balança Comercial – Exportações e Importações
+ Serviços – Viagens; Aluguel de Equipamentos
+ Rendas – Juros; Lucros; Dividendos
+ Transferências Unilaterais

CONTA CAPITAL =
+ Investimentos de Brasileiros no Exterior
+ Investimentos de Estrangeiros no Brasil (IED, Empréstimos, Amortizações, Ações, Títulos)

Risco Brasil
Há 3 grandes indicadores para o Risco Brasil:
Classificação de Risco de Crédito - Notas atribuídas pelas agências de Rating
EMBI – Emerging Market Bonds Index - Quanto spread um país paga acima do US Treasury
CDS – Credit Default Swap - Quanto custa um seguro contra moratória de um país

Risco Soberano: Risco Político, Geográfico, de Endividamento, etc...

O Spread Over Treasury do Brasil é diferença entre os juros requeridos pelo Investidor no mercado
secundário internacional diariamente e os juros pagos pelo US Treasury do mesmo prazo. Quanto
maior a diferença (ou spread), maior o Risco Brasil.

CDS – Credit Default Swap é um tipo de seguro de crédito, no qual uma parte que deseja proteção
contra o risco de inadimplência paga um prêmio e a outra se compromete a, em caso de moratória,
restituir o principal para o credor do título.

A Tesouraria atua na origem e no desenvolvimento de operações estruturadas no mercado local e
internacional, com títulos de governo, títulos privados e mercados de moedas, mercado de
derivativos, ações e debêntures, com alto grau de customização, para atender a clientes e para
administração do capital próprio, buscando maximizar o retorno das operações. Atua também no
mercado Interbancário. O foco é viabilizar as operações advindas do mercado por meio de absorção
e gerenciamento dos riscos por elas gerados.
Entre suas responsabilidades, estão:
•Zelar pela liquidez da instituição
•Estabelecer bases de preços para as áreas de atacado, varejo e mercado de capitais.
•Gerar resultado com a administração ativa de riscos de mercado.
•Estrutura e executar as captações próprias de recursos.
•Centralizar e fornecer a pesquisa macroeconômica usada pela Instituição

Derivativos – CONCEITO - Contratos entre duas partes, cujo valor deriva do valor de um ativo,
taxa referencial ou índice-objeto, ou seja, depende de outras variáveis que o referenciam, como:
• Câmbio: Dólar, Euro, Iene
• Juros: Pré, CDI, Selic, TBF, TJLP, Libor
• Indices de Preço: IGPM, IPCA
• Indice de Bolsa / Ações
• Commodities
Associado a compromisso de compra ou venda de um ativo-objeto, a um valor pré-definido na
partida, com liquidação em uma data futura, pela sua diferença em relação ao seu preço de mercado
nessa data.

O objetivo primordial de qualquer derivativo é propiciar condições de hedge (proteção) contra
variação/oscilação nos preços do mercado primário/físico para os proprietários dos ativos-objeto.

Os segmentos do mercado de derivativos são:
• Mercados a Termo (Forwards)
• Mercados Futuros (Futures)
• Mercado de Opções (Options)
• Mercado de Swaps

• Mercados a Termo (Forwards)
Acordos de compra ou venda de um ativo, para entrega e pagamento em uma data futura (n), por
um preço determinado (preço futuro), definido no momento do fechamento do acordo (contrato).
proteção da volatilidade dos preços dos ativos, minimizando os riscos da operação dos ativos.
dólares dentro de um período de tempo). Uma parte assume posição comprada e se compromete a
adquirir o ativo por um preço determinado em uma data específica.
correspondentes dentro de um período de tempo). A contraparte assume posição vendida e se
compromete a entregar o ativo na mesma data, pelo mesmo valor.

Derivativos – mercado de futuros
Acordo entre duas partes para comprar um ativo a um certo preço em uma determinada data.
Compra/Venda de um determinado ativo, feita em D0 para uma data futura “n”, sendo que o preço
do ativo para este vencimento (n) já é determinado em D0.
preço à vista.

BM&FBOVESPA.

DERIVATIVOS – MARGEM -
Conceito: Quantia caucionada para garantir que não ocorrerá insuficiência de fundos para cobrir
prejuízos em caso de inadimplência do cliente.
Ajuste diário = Clearings
diariamente, o que impede o acumulo de eventuais prejuízos.

esta posição, utilizando sua margem para saldar o débito.

DERIVATIVOS – DI FUTURO - CONCEITO
Reflete, para um determinado vencimento, os juros acumulados no período do dia da operação ao
vencimento. Estes juros acumulados são a somatória dos juros diários (dias úteis) no período em
questão.
Para efeito de ajuste diário, antes do cálculo que compara PU de fechamento do dia com o PU de
fechamento dia anterior (caso a posição já exista), há a valorização do PU do dia anterior pela taxa
de CDI de um dia.

Finalidade
Minimizar o impacto negativo das oscilações da taxa de juros sobre carteiras de títulos de renda fixa
Tirar benefício dessas flutuações, que são efetuadas operações no mercado futuro de DI (taxas de
juros). Como os demais produtos no mercado futuro, os contratos de DI Futuro permitem operação
de Hedge, Posicionamento (especulação) e Trading

Curva de Juros de um Papel
O conceito de curva de rendimento é o mais importante nas análises ligadas aos investimentos que
rendem juros. Curva que descreve o PU, para diferentes prazos, com todas as demais características,
inclusive a taxa de juros mantidas constantes. Para identificar os pontos dessa curva, calculamos o
PU para cada dia de vida do papel, reduzindo o prazo a medida que se aproxima o vencimento.

Interpretação Para manter compatibilidade com o mecanismo original de preço unitário (PU), que
foi a forma adotada pela Bolsa quando do lançamento do contrato em 1991, procede-se à
transformação automática de todos os negócios efetuados em pregão para cotação em PU.

Todas as posições compradas em pregão, ou seja, compradas em taxa, revelando expectativa de alta
para a taxa de juros, são automaticamente convertidas em posições vendidas em PU, e vice-versa.
Logo, a instituição que assumir posição em pregão comprada em taxa de juros estará vendida em
PU e a instituição que assumir posição em pregão vendida em
taxa de juros estará comprada em PU.

Estratégia de Hedge
Mercado futuro de DI: passivo pós-fixado para reduzir risco de perdas decorrente de uma
elevação das taxas de juros, através da compra de contratos futuros (o que equivale a “vender PU”).



MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL
Neste mercado, são negociados em Bolsa (no Brasil, na BM&F) contratos de compra e venda da
moeda americana para uma determinada data futura, sendo que este valor é fixado no momento da
operação.
A precificação para o dólar Futuro tem a mesma lógica do preço do dólar a termo (Forward).
Atenção: A liquidação financeira é feita diariamente e não no final.

FUTURO DE ÍNDICE – IBOVESPA
O índice de ações é o indicador do comportamento desses papéis no mercado, expresso através da
evolução dos preços de uma carteira “teórica” de ações.
Os contratos futuros de índices de ações são negociados em pontos.
Cada ponto tem um valor fixo determinado pela Bolsa (revisto periodicamente).

MERCADO FUTURO DE ÍNDICE – IBOVESPA
Resultado é Positivo
Na compra: qdo houver variação positiva no nº de pontos cotados pelo mercado.
Na venda: qdo houver variação negativa no nº de pontos cotados pelo mercado.
Se o Resultado é Negativo
Na compra: qdo houver variação negativa no nº de pontos cotados pelo mercado.
Na venda: qdo houver variação positiva no nº de pontos cotados pelo mercado.



SWAP - Definição
Swap é uma operação, entre duas ou mais partes, onde ocorre a troca de fluxos relativos a um
determinado período futuro.

Características
Permite que empresas que possuam descasamentos em US$ (contra R$ pré-fixados ou pós-fixados)
dos seus ativos e passivos gerencie o risco cambial. Claro que o Swap, assim como todos os
derivativos, pode ser utilizado para operações de posicionamento.
Permite que a Empresa elimine o risco de descasamento entre ativos e passivos que estejam: um
deles (ativo ou passivo) em taxa pré-fixada e o outro em taxa pós-fixada.

OPÇÕES - CONCEITO






Compra de Opção de Compra (Call)
Direito de Comprar


ativo-objeto;

a data.

Titular de Opção de Compra
juros e principal, correspondente a essa dívida;
futuros em moeda estrangeira; Etc.

Hedge > fixar o preço do dólar no futuro, evitando assim a incerteza (riscos) da variação da moeda.
Objetivo poderia ser alcançado negociando contratos de forward e de swaps. Uma proteção mais
eficaz poderia ser obtida negociando opções.

Venda de Opção de Compra (Call)
Obrigação de Vender

-lo pelo
preço de exercício, assumindo um prejuízo que pode ser muito superior ao prêmio recebido.
Se considerarmos o lançamento da opção simplesmente (ou lançador descoberto) trata-se de uma
estratégia de alto risco.

Titular de Opção de Venda (Put)
Direito de Vender
determinado ativo objeto por um preço previamente definido (preço de exercício) > hedge de uma
posição comprada spot num determinado ativo.

quem tem essa posição é garantir um preço mínimo para vender o ativo, caso este se desvalorize,
mantendo ao mesmo tempo a possibilidade de vendê-lo a preço de mercado, caso este se valorize.

Vendedor de Opção de Venda (Put) Obrigação de Comprar
-objeto valoriza> fica com prêmio pois a opção não é exercida.
–objeto desvaloriza > o lançador será obrigado a comprá-lo pelo preço de exercício,
incorrendo numa perda;

Valor Intrínseco da Opção - O valor intrínseco da opção é igual à diferença entre o preço do ativo-
objeto e o preço de exercício da opção, quando esta diferença representar ganho para o titular da
opção.

Conclusão A questão é: Não sabemos qual o valor do ativo-objeto no vencimento e,
consequentemente, não podemos calcular com certeza qual será o valor intrínseco da opção e nem
sequer se haverá valor intrínseco. Ou seja, voltamos ao ponto de partida. Como sair desse aparente
“beco sem saída”? A teoria financeira desenvolveu duas abordagens (ou modelos) para auxiliar na
solução desse dilema. Um dos modelos e o de Black & Scholes.

Estratégias de Mercado - Conceito
Os instrumentos disponíveis nos diversos mercados de derivativos permitem implementar uma
variedade de estratégias financeiras, adequadas a distintos objetivos, avaliações de cenários, perfis
de investidores, etc.






POSICIONAMENTO
Essa estratégia poderia ser denominada, sem nenhuma conotação pejorativa, de especulação. O
investidor, neste caso, atua no mercado de derivativos assumindo riscos ao “apostar” numa
tendência futura de preços, buscando os ganhos decorrentes desta aposta (posicionamento). Em
relação à alternativa de operar diretamente com o ativo no mercado à vista, o posicionamento no
mercado de derivativos apresenta algumas vantagens.

Posicionamento - Vantagens
uma pequena parcela deste (no caso de ser exigido depósito de margem);
vel no
mercado à vista), com vistas a se beneficiar de uma queda posterior de preços.

Alavancagem - É quando o investidor tem uma estratégia de risco maior que o patrimônio da
carteira, onde poderá realizar lucros maiores. Em contra partida também poderá realizar maiores
perdas, inclusive sendo obrigado a uma chamada de aporte de capital, que é quando o investidor
perde.

Operações de Arbitragem - Trata-se aqui de operar em dois mercados simultaneamente (dois
mercados de derivativos ou num mercado de derivativo e no mercado à vista) e obter um ganho
certo e livre de risco.

CONTRATOS FUTUROS DE BALCÃO SEM ENTREGA FÍSICA – CONCEITO
As operações com NDF (Non Deliverable Forward) consistem em uma espécie de Hedge realizada
através de um contrato futuro de moedas, sem entrega física, negociado entre a instituição
financeira e o cliente.
Este contrato é registrado na CETIP e refere-se a uma compra e venda de uma parte para a outra de
um forward (futuro) negociado entre ambas.
Ao final da operação, a liquidação é feita pela diferença entre a taxa forward (futura), definida no
início da operação e a taxa de liquidação efetiva da moeda