You are on page 1of 1

O CONHECIMENTO

O conhecimento tem a sua origem etimologica do latim “ cognito, cum+gnosco, co+
cognoscere”, o que significa: uma captacao conjunta; uma compreensao ou reuniao de
dados.
Do ponto de vista fenomelogico, o conhecimento descreve-se como um fenómeno que
coloca em relação dois termos que se se encontram face a face. No conhecimento existe
sempre alguem que conhece "cognoscente" (o sujeito), algo a conhecer "conhecido" (o
objeto) e uma relacao entre esses dois elementos.
Estes dois termos são distintos um do outro e opostos nas sua funções mas
simultaneamente existem um para o outro no acto do conhecimento.
A relacao entre o sujeito e o objeto caracteriza-se por correlação. O objecto só é para um
sujeito e o sujeito para um objecto. Nesta relação cada um dos termos não pode permutar
funções, o sujeito nunca pode ser objecto e vice versa. Diz-se por isso que é uma relação
irreversível, pois nenhum dos termos se pode converter no outro ou alterar as sua funções.
Apesar de serem existentes apenas na relação, os dois termos têm identidades separadas e
opostas que não podem ser reduzidas ou alteradas.
O objecto é transcendente ao sujeito o que significa que este se encontra fora da esfera do
sujeito, opaco e resistente à apropriação. O objecto está sempre diante do sujeito como um
outro, que se deixa captar nas suas determinações apenas quando o sujeito sai da sua esfera
e permanece fora de si mas permanece, mesmo depois de apreendido, como exterior ao
sujeito e este não o pode modificar, acrescentar ou retirar nada à sua natureza.
A apreensão do objecto pelo sujeito dá-se em três momentos: o sujeito sai da sua esfera,
permanece fora de si para captar as determinações do objecto e regressa a si com a
consciência do que foi apreendido.
Quando o sujeito sai fora de si, capta o objeto e apreende as suas carateristicas, fazendo que
elas entrem na sua consciencia e construindo uma representacao mental do objeto (imagem
do conceito). A funcao do sujeito é apreender o objeto, sendo que a do objeto é deixar-se
apreender.
O que resulta deste acto é uma imagem do objecto em tudo idêntica a este mas construída
mentalmente pelo sujeito que se altera pelo novo conhecimento adquirido.
O objecto não é modificado pelo sujeito, mas sim o sujeito pelo objecto. Apenas no sujeito
alguma coisa se transformou pelo acto do conhecimento. No objecto nada de novo foi
criado; mas no sujeito nasce a consciência do objecto com o seu conteúdo, a imagem do
objecto.
Em suma, conhecer é construir representacoes imageticas ou conceptuais a partir da relacao
entre o sujeito e o objeto.
O conhecimento é uma relacao de representacao, ou seja, uma relacao em que o sujeito é
um ser capaz de ter presente o objeto, mesmo quando esta ausente.