You are on page 1of 7

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:

Metodologia de Operacionalização (Parte I)

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO:

Domínio Subdomínio Indicadores

A.2.1 Organização de actividades


A. Apoio ao A.2. Promoção das de formação de utilizadores na
De- Literacias da escola/agrupamento.
senvolvimento Informação, (PROCESSO)
Curricular Tecnológica e Digital

A.2.5. – O impacto da BE no
desenvolvimento de valores e
atitudes indispensáveis à
formação da cidadania e à
aprendizagem ao longo da vida.
(IMPACTO)

There are many tools and methods to use to evaluate school library media
centers. It’s important to identify the issue you want to address, identify
the data you need to collect, match the correct evaluative method to
gather that data, analyze it, and report it to the appropriate people. By
following these steps, you’ll realize many benefits and potential improvements to
your program.

Everhart, Nancy. Evaluation of School Library Media Centers: demonstrating


quality, Library Media Connection, March, 2003

PROBLEMA/DIAGNÓSTICO

O subdomínio seleccionado apresenta-se como um dos objectivos gerais definidos no


Projecto Educativo de Agrupamento. A “Promoção das Literacias da Informação,
Tecnológica e Digital” apresenta-se, deste modo, como uma das prioridades do
agrupamento, como tal o Professor Bibliotecário, em diálogo com a equipa da BE,
seleccionou-o como domínio no âmbito do qual se desenvolve o processo de auto-
avaliação. Esta escolha não foi feita ignorando os restantes docentes da escola, antes
aconteceu uma selecção que resultou de um diálogo aberto que envolveu os diversos
órgãos. O objectivo passa por verificar de que forma a BE dá respostas no domínio em
causa e o impacto das mesmas.
Finda a auto-avaliação, os resultados da mesma, presentes no respectivo relatório,
integrar-se-ão na própria avaliação do Projecto Educativo e integrará o processo de
avaliação da própria escola. Ao mesmo tempo, desencadear-se-á um plano de acção,
que dependerá dos resultados obtidos.

1
SENSIBILIZAÇÃO DA COMUNIDADE EDUCATIVA

Constituição da equipa responsável pela - Professor Bibliotecário


aplicação e condução do processo de - Membros de vários órgãos
avaliação - Equipa da BE
- Colaboradores
- Equipa PTE

Motivação e compromisso institucional dos - Director do Agrupamento


órgãos de gestão pedagógica e executiva - Presidente do Conselho Geral
com o processo de auto-avaliação da BE - Presidente do Conselho Pedagógico

Motivação e co-responsabilização das - Conselho Pedagógico


estruturas da escola no processo de auto- - Associação de Pais e encarregados
avaliação, promovendo-o como uma mais de educação
valia para a escola em termos das - Representantes dos Alunos
aprendizagens dos alunos

Motivação para a importância do trabalho - Coordenadores de Departamento


colaborativo na implementação das tarefas - Directores de Turma
definidas no do Modelo de auto-avaliação - Membros dos Serviços de Psicologia
e Orientação
- Coordenadores de actividades extra-
curriculares/áreas curriculares não
disciplinares

Motivação para a importância do trabalho - Assistentes operacionais e técnicos


colaborativo na implementação das tarefas - Pais e Encarregados de Educação
definidas no do Modelo

2
FORÇAS E FRAQUEZAS

Pontos fortes Pontos fracos

O plano de trabalho da BE Os alunos não revelam


inclui actividades de competências para o uso
formação de utilizadores da BE, particularmente no
com turmas/grupos/alunos que diz respeito às
e com docentes. “Literacias digitais”,
Avaliação diagnóstica revelando pouca
autonomia na sua
utilização, apesar das
sessões de formação de
utilizadores.

Os alunos demonstram Os alunos não revelam


atitudes de curiosidade, valores de cooperação,
iniciativa, criatividade e autonomia e
reflexão crítica, responsabilidade,
necessárias a uma conformes a uma
aprendizagem baseada aprendizagem autónoma,
em recursos. activa e colaborativa.

3
A.2.1 Organização de actividades de formação de utilizadores na escola/agrupamento.

Factores críticos de sucesso Acções a avaliar Intervenientes Recolha de evidências Calendarização


das acções

O plano de trabalho da BE inclui - Actividades de formação


actividades de formação de de utilizadores.
utilizadores com
turmas/grupos/alunos e com - Formação intitulada
docentes no sentido de promover “Uma viagem na Equipa responsável pelo Actas várias.
o valor da BE, motivar para a sua Biblioteca”. processo de auto- Análise do PAA da BE. Ao longo do ano
utilização, esclarecer sobre as avaliação da BE. Plano TIC. lectivo
formas como está organizada e - Sinalética/informação PCTs.
ensinar a utilizar os diferentes disponível na BE, Equipa de avaliação
serviços. nomeadamente aquela interna do Agrupamento.
que identifica as classes
da CDU. Coordenador do PTE.

Alunos e professores.
Alunos e docentes desenvolvem - Frequência da BE. Estatística de utilizadores.
competências para o uso da BE Observação do cumprimento
revelando um maior nível de - Utilização da BE. de regras.
autonomia na sua utilização após Elementos recolhidos na 2.º Período
as sessões de formação de - Cumprimento dos arrumação dos materiais.
utilizadores. pressupostos de utilização.

A BE produz materiais - Materiais informativos de Materiais produzidos para Ao longo do ano


informativos e/ou lúdicos de formação de utilizadores. formação de utilizadores. lectivo.
apoio à formação dos utilizadores Avaliação dos
utilizadores/formandos.

4
A.2.5. – O impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes
indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.

Factores críticos de sucesso Acções a avaliar Intervenientes Recolha de evidências Calendarização


das acções

Os alunos aplicam modalidades - Utilização da BE por


de trabalho diversificadas parte dos alunos, tanto Estatísticas de utilização da
(individual, a pares ou em grupo) autónoma como para BE. Ao longo do ano
e realizam tarefas diferenciadas, desenvolver actividades Registo de observação de lectivo
de acordo com a estruturação orientadas. Equipa responsável pelo utilização da BE.
espacial e funcional da BE. processo de auto-
avaliação da BE.

Os alunos estabelecem entre si - Cumprimento das regras Equipa de avaliação


um ambiente de confiança e de presentes no regulamento interna do Agrupamento.
respeito mútuo, cumprindo interno relativas à BE. PCTs.
normas de actuação, de Coordenador do PTE. Actas de Conselhos de Ao longo do ano
convivência e de trabalho, Turma. lectivo
inerentes ao sistema de Alunos e professores. Observação de utilização da
organização e funcionamento da BE.
BE.

Os alunos revelam valores de - Trabalho colaborativo PCTs.


cooperação, autonomia e desenvolvido pelos alunos Actas de Conselhos de
responsabilidade, conformes a e grau de autonomia com Turma. Ao longo do ano
uma aprendizagem autónoma, que o mesmo é Documentos de avaliação lectivo.
activa e colaborativa. desenvolvido. das áreas curriculares não
disciplinares.
Inquéritos a docentes.

5
Os alunos demonstram atitudes - Natureza da aprendiza- PCTs.
de curiosidade, iniciativa, gem dos alunos, fruto da Actas de Conselhos de Ao longo do ano
criatividade e reflexão crítica, forma como fazem uso dos Turma. lectivo
necessárias a uma aprendizagem recursos disponibilizados. Documentos de avaliação
baseada em recursos. das áreas curriculares não
disciplinares.
Inquéritos a docentes.
Inquéritos a alunos.
Trabalhos dos alunos.

6
ANÁLISE DE DADOS

Tratamento de dados

Como cada elemento da equipa tem uma tarefa a desempenhar neste processo,
também no que concerne à análise e ao tratamento de dados, este não estará apenas
a cargo somente do professor bibliotecário. Os dados irão sendo tratados conforme
vão sendo recolhidos e organizados num portfólio digital criado para o efeito.
Serão ainda elaborados instrumentos de compilação de dados, os quais permitirão a
sistematização e a transformação da informação recolhida a partir das mais diversas
origens.
Os dados obtidos serão confrontados com os “factores críticos de sucesso” e os
“descritores de desempenho”. Daqui em diante, está-se em condições de consolidar
os aspectos positivos e melhorar aqueles que forem perspectivados como menos
bons.

Comunicação dos resultados - Julho de 2010

Os resultados da avaliação serão alvo de análise e reflexão por parte dos órgãos
pedagógicos e de gestão da escola. O Conselho Pedagógico será o local de eleição
para realizar esta reflexão, sendo ainda importante a definição de estratégias que
permitam a elaboração de um plano de acção de melhoria para os pontos fracos
identificados.
Os resultados devem ser comunicados publicamente a toda a comunidade escolar e
devem ainda integrar o relatório anual de actividades da biblioteca escolar a ser
enviado para a RBE.

José Martinho Gaspar