You are on page 1of 6

Maria do Rosário Corvelo de Sousa – Escola Básica de 2º e 3º Ciclos

de Gualdim Pais – Tomar MAABE – 7ª sessão Workshop

Tarefa 1 – 7ª sessão Distinguir descrição de Avaliação

Introdução
Como o presente trabalho tem o formato de worksop, que
normalmente deve ser feito em grupo e, como tal não nos é possível,
eu vou fazer, em monólogo, aquilo que faria em grupo . Então, face a
estas questões, eu procederia da seguinte maneira:

1ª Etapa ler o guia da sessão e sublinhar aquilo que é o cerne da


questão: O que é descrição e o que é avaliação. Neste contexto, há
que distinguir entre descrição e avaliação. A avaliação implica uma
apreciação positiva ou negativa resultante da análise da informação
recolhida e evidências que permitam identificar os pontos fortes e
fracos e delinear, assim, as acções futuras para o Plano de Acção. A
descrição é dizer o que acontece.

2ª Etapa– Apesar do carácter prático deste trabalho, ele não é tão


prático quanto parece. E também não é tão fácil quanto parece, dado
o carácter, à 1ª vista, tão simples dos enunciados apresentados!...
Assim, como o Guia nos remete para o Modelo de Auto-Avaliação, eu
proporia ao grupo uma leitura atenta do que se pode considerar
evidências e quais os instrumentos fundamentais, situações a aplicar,
etc.

3ª Etapa– da leitura do MAABE, no que diz respeito às evidências,


evidenciaríamos as seguintes ideias:

A Avaliação deve assentar na recolha de evidências, pois são estas


que nos dão a caracterização do trabalho desenvolvido, os resultados
e os impactos. Há vários tipos de evidências, sendo as mais
significativas resultantes:

- da aplicação de instrumentos despoletadores de dados de carácter


quantitativo ( requisições de leitura domiciliária ou em contexto de
sala de aula, dos equipamentos…) Da análise destes dados
poderemos avaliar o nível de utilização dos recursos da BE pelos
professores e alunos e a sua adequação às necessidades dos alunos.

-da aplicação de outros instrumentos, tais como questionários,


grelhas de observação, entrevistas, reuniões com um determinado
grupo de pessoas… que irão proporcionar-nos informações relativas
à satisfação dos utilizadores face ao trabalho desenvolvido com ou
pela BE.

1
- da observação de actividades numa ou mais turmas onde haja um
trabalho de conjunto entre o professor da Turmas e o Professor
Bibliotecário que nos permite concluir se este trabalho de conjunto
se materializa numa maior e melhor qualidade de desempenhos dos
alunos.

Maria do Rosário Corvelo de Sousa – Escola Básica de 2º e 3º Ciclos


de Gualdim Pais – Tomar MAABE – 7ª sessão Workshop

- da análise dos documentos orientadores do Agrupamento ( PE, PAA,


PCA, PCT) onde se pode inferir da acção da BE na dinâmica do
Agrupamento, ou até da análise dos próprios documentos elaborados
BE ou dos registos dos projectos e actividades que a BE dinamiza ou
participa .

Da análise dos dados recolhidos e até de alguns cruzados, poder-se-á


proceder a uma avaliação da eficácia e eficiência da BE, ou seja,
como e qual é o valor, a utilidade e o impacto da BE nas
aprendizagens e na construção do saber.

4ª etapa– passemos aos enunciados e à apresentação das conclusões


às propostas de trabalho das formadoras. À primeira leitura
considerei que não havia propriamente enunciados avaliativos, a não
ser o nº 2 , mas… numa segunda leitura, considerei que havia uns
mais claramente descritivos e outros onde se inscrevem já alguns
juízos de valor. Então, separei logo os que considerei meramente
descritivos. A seguir os que considerei menos descritivos, com juízos
de valor que, quanto a mim, necessitam ainda de alguma
especificação .

Enunciados considerados claramente descritivos

1- Foi recolhida informação dos departamentos sobre a colecção da


BE.

3- Iniciativa de um projecto (parceria com a Câmara Municipal) de


âmbito nacional.

5- Horário da BE cobre todo o tempo de abertura da escola.

7- A BE disponibiliza guiões de pesquisa baseados no modelo Big6.

2
Enunciados considerados descritivos, com os juízos de
valor Implicados

4-Aproximação estimulante às famílias e seu envolvimento no


projecto da BE, com o projecto “Leituras em família”.

Comentário : Aqui acrescentaria a percentagem de


famílias envolvidas, ou especificaria o grupo de famílias
envolvidas .

Maria do Rosário Corvelo de Sousa – Escola Básica de 2º e 3º Ciclos


de Gualdim Pais – Tomar MAABE – 7ª sessão Workshop

6- A actualização do material informático não corresponde às


necessidades dos
utilizadores (professores, alunos).

Comentário :parte-se aqui do princípio que mais de 50%


dos professores e alunos
inquiridos expressaram a sua opinião. Eu acrescentaria …
% dos professores e
alunos inquiridos consideraram que a actualização do
material informático não
corresponde às necessidades dos utilizadores. Mas
também se pode aqui pôr a
hipótese da recolha de evidências se remeter à
observação directa e comentários
em reunião do PB com a sua equipa e grupo de trabalho e
até os comentários
noutras reuniões em que o PB e elementos da equipa
participam.

Enunciado Avaliativo

2-A BE promove sistematicamente mecanismos de avaliação


cujos resultados são
utilizados na planificação do trabalho.

Comentário: Aqui há o juízo de valor acompanhado da


consequência.

3
5ª Etapa: proceder à resolução do exercício 2.

2 - Melhoria dos enunciados mais descritivos,


transformando-os
claramente em Avaliativos

Maria do Rosário Corvelo de Sousa – Escola Básica de 2º e 3º Ciclos


de Gualdim Pais – Tomar MAABE – 7ª sessão Workshop

1 - Foi recolhida Informação dos Departamentos sobre


a colecção da BE.

Hipóteses:

1.1. A BE promoveu uma contínua recolha de informação sobre a


colecção junto de cada Departamento, com vista à sua avaliação,
inventariando necessidades e procedendo à sua actualização
sistemática.

1.2. A BE reuniu periodicamente com os diferentes


Departamentos, tendo recolhido

informações sobre a qualidade do acervo e levantamento


de necessidades.

1.3. Foi recolhida informação dos Departamentos sobre a colecção


da BE, tendo 30% dos inquiridos considerado a colecção
desactualizada.

4
3-Iniciativa de um projecto (parceria com a CM) de
âmbito Nacional.

Hipóteses

3.1. - A BE dinamiza, em colaboração com a Câmara Municipal/


BM, iniciativas no âmbito do Plano Nacional de Leitura.

3.2 – A BE e a CM/BM desenvolvem actividades conjuntas de


dinamização de leituras partilhadas, no âmbito do Projecto Ler+.

3 . 3- A BE integra as actividades de formação de leitores,


promovidas pela CM/BM, no âmbito do PNL.

Maria do Rosário Corvelo de Sousa – Escola Básica de 2º e 3º Ciclos


de Gualdim Pais – Tomar MAABE – 7ª sessão Workshop

5- Horário da BE cobre todo o tempo de abertura da escola.

Hipóteses

5.1 – O Horário da BE cobre todo o tempo de abertura da Escola,


respondendo totalmente às necessidades dos utilizadores.

5.2- O Horário da BE cobre todo o tempo de abertura da escola,


permitindo uma efectiva ocupação dos tempos livres.

5-.3- O Horário da BE cobre todo o tempo de abertura da BE, tendo


100% dos inquiridos considerado o horário adequado às suas
necessidades.

5
7- A BE disponibiliza guiões de pesquisa baseados no
modelo Big6.

7.1. A BE disponibiliza guiões de pesquisa , baseados no modelo Big 6


a duas Turmas, tendo-se verificado progressos na autonomia
dos alunos.

7.2 – A BE disponibiliza guiões de pesquisa baseados no modelo Big 6


a dois grupos de uma Turma, verificando-se progressivamente
maior qualidade nos trabalhos.

7.3. A BE disponibiliza guiões de pesquisa baseados no modelo Big 6


às Turmas de 6º Ano, tendo-se verificado uma progressiva
melhoria na capacidade dos alunos de utilizarem recursos
diversificados.

6ª Etapa: ENVIAR PARA O FÓRUM 1