You are on page 1of 6

Rui Pimenta p.

1 de 6

P R O V A E S C R I T A D E G
GG E
EE O
OO G
GG R
RR A
AA F
FF I
II A
AA
Duração da prova: 80 minutos 28 / maio / 2012
Tolerância: 10 minutos
1
11 1
11 º
ºº A
AA N
NNO
OO –
–– T
TT U
UU R
RR M
MMA
AA B
BB
TESTE DE ETAPA


versão 1

NOTA PRÉVIA:
. Identifique claramente os grupos e os itens a que responde.
. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta.
. É interdito o uso de “esferográfica-lápis” e de corretor.
. As cotações da prova encontram-se na página 6.
. Pode utilizar régua e máquina de calcular não alfanumérica.
. Nos itens de resposta aberta com cotação igual a 30 pontos, cerca de 10% da
cotação é atribuída à comunicação em língua portuguesa.
. Nos grupos I, II, III e IV, em cada um dos itens, SELECIONE a alternativa
CORRETA.
. Na sua folha de respostas, indique claramente o NÚMERO do item e a LETRA da
alternativa pela qual optou.
. É atribuída a cotação zero pontos aos itens em que apresente:
- mais do que uma opção (ainda que nelas esteja incluída a opção correta);
- o número e/ou letra ilegíveis.
. Em caso de engano, este deve ser riscado e corrigido, à frente, de modo bem legível.
. Nos grupos V e VI, nos itens em que é pedido um número determinado de elementos:
- se a resposta ultrapassar esse número, a classificação é feita segundo a ordem
pela qual estão apresentados;
- a indicação de elementos contraditórios anula a classificação de igual número de
elementos corretos.

Rui Pimenta p. 2 de 6

Grupo I
Considere os dois mapas que se seguem – mapas A e B –, abrangendo a área de Portugal continental.
1 – Os mapas A e B correspondem,
respetivamente,…
A. à divisão administrativa e esta-
tística do território português.
B. à organização do espaço conti-
nental em “unidades territoriais”:
NUT’s e distritos.
C. a uma simplificada e distorcida
representação do território
continental português.
D. Nenhuma das afirmações anterio-
res é opção.
2 – O lugar assinalado no mapa A com a
letra , revela uma localização
que, de forma aproximada, se
poderia traduzir da seguinte
forma:…
A. 42º N, 7º E. B. 41º N, 9º O.
C. 41º N, 7º O. D. 42º N, 9º E.
3 – Os números 1, 4, 6 e 7 assinalados no mapa B correspondem, respetivamente, aos distritos de…
A. Algarve, Santarém, Porto e Bragança. B. Faro, Lisboa, Viseu e Guarda.
C. Faro, Santarém, Aveiro e Bragança. D. Faro, Évora, Coimbra e Bragança.
4 – O território continental português, mapas A e B,…
A. situa-se no extremo sudeste da Europa.
B. ocupa toda a fachada ocidental (oeste) da Península Ibérica.
C. faz parte integrante que um conjunto que engloba uma região ultraperiférica – os dois arquipélagos
atlânticos – que se estendem para este do referido território.
D. faz parte integrante que um conjunto que comporta também uma Zona Económica Exclusiva (ZEE).
5 – A presença de numerosas comunidades de portugueses e de luso-descendentes em todo o mundo…
A. constitui um fator de irradicação da nossa cultura e da nossa língua.
B. representa um importante elo de ligação de Portugal aos países de acolhimento dessas comunidades.
C. tem como consequência a dinamização de fluxos financeiros através das chamadas remessas dos
emigrantes, geralmente nas regiões de destino dos emigrantes.
D. foi reforçada em 1986 com a constituição da CPLP, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, a qual
veio reforçar a cooperação entre os países que a integram.
Mapa B
8
7
5
6
3
4
2
1
Mapa A
Y
Y

Rui Pimenta p. 3 de 6
Fonte: Censos 2011 – Resultados provisórios, INE.
N
Grupo II
Considere o mapa ao lado, correspondente à densidade
populacional por município.
1 – Densidade populacional é o…
A. número de habitantes, por unidade de superfície.
B. valor total da população de um dado território.
C. número de ativos de uma população.
D. número de residentes que exercem funções num
mesmo município.
2 – O mapa ilustra…
A. mal, a tendência atual da distribuição da po-
pulação portuguesa.
B. bem, dois dos problemas da distribuição da po-
pulação portuguesa.
C. mal, as concentrações demográficas vulgarmente
conhecidas por Grande Lisboa e Grande Porto.
D. bem, as desigualdades que existem em Portugal ao nível da evolução da população.
3 – Por litoralização entende-se…
A. toda e qualquer área onde se registe elevada concentração de população.
B. o intenso preenchimento do Litoral com atividades económicas de grande poder aquisitivo.
C. a perda progressiva de população do Litoral para as áreas rurais.
D. a concentração da população e das atividades económicas no Litoral.
4 – O contínuo despovoamento do Interior é simultaneamente causa e efeito de problemas como…
A. o desordenamento do espaço devido à escassa construção de edifícios.
B. a falta de mão de obra para a esmagadora maioria das atividades agrícolas.
C. a fraca oferta de bens e serviços.
D. a degradação ambiental devido à poluição atmosférica.
5– De entre as possíveis soluções para a correção das assimetrias na distribuição da população em Portugal,
destaca-se…
A. a valorização dos recursos naturais, quer para a produção de energia renovável quer para a
promoção de atividades de cultura e lazer.
B. a criação de serviços essenciais à população, como o recurso a incentivos financeiros e fiscais.
C. a desqualificação social e humana, através de medidas de combate à pobreza, à marginalidade, à
insegurança, ao desemprego, etc.
D. o desenvolvimento das atividades económicas, para combater o desemprego e o dinamismo
económico e social do Interior.

Rui Pimenta p. 4 de 6
Grupo III
Considere os seguintes
perfis transversais e
longitudinal do rio Douro.



1 – Por rio entende-se…
A. qualquer canal (natural ou artificial) que comporte o escoamento de águas.
B. toda a porção de espaço situado entre dois vales vizinhos.
C. todo o curso de água permanente que corre em leito próprio.
D. o lençol de água bastante extenso, bloqueado a jusante por um obstáculo em que a água apenas
se escoa por um canal.
2 – Um perfil longitudinal é…
A. uma linha que une os pontos de menor altura do leito de um rio.
B. uma linha que une pontos de igual valor de profundidade média num curso de água.
C. uma linha que define a forma do vale numa determinada secção de um curso de água.
D. uma linha que une pontos do talvegue desde a nascente até à foz.
3 – O rio português com maior comprimento é o…
A. Tejo. B. Mondego. C. Sado. D. Douro.
4 – A distribuição da precipitação em Portugal revela irregularidades:…
A. espacial, que se traduz num contraste evidente entre o norte e o sul, devido sobretudo à influência
da latitude, pois a perturbação da frente polar afeta com menor frequência o Sul do País.
B. intra-anual, que nos coloca perante a existência de meses mais secos, os correspondentes ao
verão, sendo que os valores mais elevados de precipitação ocorrem no final do outono, durante o
inverno e a primavera.
C. interanual, ou seja, de ano para ano, acabam por se verificar diferenças pouco significativas nos
valores da precipitação total anual.
D. Todas as afirmações anteriores constituem opção de resposta.
5 – Nos centros de baixas pressões…
A. formam-se condições atmosféricas que marcam os estados de tempo em Portugal, sobretudo nos meses
de Verão.
B. o movimento do ar ocasiona uma diminuição da temperatura, a qual que é responsável pela passagem
do vapor de água ao estado líquido (evaporação), formando-se nuvens que provocam precipitação.
C. a movimentação do ar é predominantemente horizontal, não possibilitando a ocorrência de precipitação.
D. ar toma um sentido ascendente, convergindo junto da superfície terrestre.


Rui Pimenta p. 5 de 6
Grupo IV
Atente no mapa ao lado, que pretende traduzir
os países que compõem a União Europeia.
1 – A adesão de Portugal à União Europeia data
do ano de…
A. 1981.
B. 1986.
C. 1995.
D. 2004.
2 – Considerando os países assinalados através
da cor azul, o mapa da União Europeia
refere-se ao ano de…
A. 1995.
B. 2004.
C. 2007.
D. 2010.
3 – A integração de novos Estados-membros na União Europeia, a partir do Conselho Europeu de Copenhaga, em
1993, passou a depender de certas condições…
A. a cumprir após a adesão.
B. que dizem respeito a aspetos políticos, económicos e jurídicos.
C. como por exemplo, a intransigente defesa dos direitos humanos e o respeito pelas maiorias.
D. que passaram a designar-se princípios de adesão.
4 – Desde janeiro de 2007, o Instrumento de Assistência de Pré-Adesão (IPA) inclui intervenções como:…
A. o desenvolvimento rural, de acordo com as orientações da PAC (Política Agrícola Comum).
B. o desenvolvimento regional, em particular no âmbito do desenvolvimento dos serviços.
C. o combate ao desenvolvimento institucional.
D. o desenvolvimento de elites empresariais, com grandes limitações no que toca à obtenção de
linhas de crédito para o financiamento da sua formação.
5– Os doze novos países que mais recentemente aderiram à União Europeia, geraram uma onda de dúvidas e
receios mas também de oportunidades:…
A. como a expansão do mercado paralelo.
B. no seio da própria União, pelo sentimento de coesão gerado com o reforço do seu mercado interno
e a maior diversidade de instituições políticas.
C. associada ao grande aumento da dimensão territorial e demográfica.
D. Todas as afirmações anteriores constituem opção de resposta.


Rui Pimenta p. 6 de 6
Grupo V
1 – Diga o que entende por acessibilidade.
2 – Distinga distância-tempo de distância-custo.
3 – Explique a competitividade entre dois modos de transporte à sua escolha, clarificando as suas vanta-
gens comparativas.
Grupo VI
Observe com atenção o mapa relativo às
desigualdades na distribuição do rendimento,
na UE, em 2006.
1 – Faça uma síntese da informação a partir
da leitura do mapa.
2 – Refira dois objetivos fundamentais da
Política Regional Comunitária.
3 – Comente a afirmação: “A Política Ambi-
ental é o exemplo de uma política em
construção”.


FIM

C O T A Ç Õ E S

Grupo I 1- . . . . . . . 5 pontos Grupo II 1- . . . . . . . 5 pontos
2- . . . . . . . 5
’’
2- . . . . . . . 5
’’
3- . . . . . . . 5
’’
3- . . . . . . . 5
’’
4- . . . . . . . 5
’’
4- . . . . . . . 5
’’
5- . . . . . . . 5
’’
5- . . . . . . . 5
’’
25 pontos 25 pontos
Grupo III 1- . . . . . . . 5 pontos Grupo IV 1- . . . . . . . 5 pontos
2- . . . . . . . 5
’’
2- . . . . . . . 5
’’
3- . . . . . . . 5
’’
3- . . . . . . . 5
’’
4- . . . . . . . 5
’’
4- . . . . . . . 5
’’
5- . . . . . . . 5
’’
5- . . . . . . . 5
’’
25 pontos 25 pontos
Grupo V 1- . . . . . . . 10 pontos Grupo VI 1- . . . . . . . 10 pontos
2- . . . . . . . 10
’’
2- . . . . . . . 10
’’
3- . . . . . . . 30
’’
3- . . . . . . . 30
’’
50 pontos 50 pontos

Total 200 pontos

Fonte: Eurostat, 2007.