You are on page 1of 51

Existem várias maneiras de ver o cérebro

Psicologia Fisiologia
Neurociência cognitiva:
Estuda a linguagem, a
autoconsciência e a memória
Josef Parvizi, professor associado de Neurologia
e director do Programa de Electrofisiologia
Cognitiva intracraniana Humana, dirigiu a
equipa que demonstrou pela primeira vez a
existência de um grupo de neurónios que se
especializaram no processamento de números.
“Nesta pequena população de células nervosas,
vimos uma resposta muito maior aos números
do que a símbolos semelhantes”, explicam.
http://www.cienciahoje.pt/670
• Neurociência comportamental:
– Estuda os mecanismos do sono, do
comportamento sexual, do
comportamento emocional, etc
Ressonância Magnética
Uma equipa de cientistas japoneses diz ter descoberto uma
forma de descodificar os sonhos analisando a actividade
cerebral de um grupo de voluntários através de imagens de
ressonância magnética. Segundo o estudo publicado ontem
na revista «Science», foram bem-sucedidos em cerca de 60
por cento dos casos.
Esta é a primeira vez, de acordo comos investigadores, que
se consegue ler, a nível mundial, o que as pessoas vêem
enquanto dormem. Os especialistas dos ATR Computational
Neuroscience Laboratories, em Quioto, identificaram a
parte do cérebro activada durante os primeiros minutos do
sono e, de seguida, acordaram os voluntários para saber o
que tinhamsonhado.
http://www.cienciahoje.pt/670
PSICONEUROIMUNOENDOCRINOLOGIA
É A ÁREA DA CIÊNCIA QUE ESTUDA A INTERAÇÃO ENTRE OS SISTEMAS
NERVOSO, IMUNOLÓGICO E ENDÓCRINO E O FATOR PSICOLÓGICO.
DENOMINADA HÁ APROXIMADAMENTE 22 ANOS, ESTA CIÊNCIA ORIGINOU-
SE DA TENTATIVA DE EXPLICAÇÃO DO MECANISMO DE FUNCIONAMENTO DO
EFEITO PLACEBO.
EXISTEM EVIDÊNCIAS BEM SUGESTIVAS QUE AFIRMAM QUE O EFEITO
PLACEBO PODE SER EXPLICADO COMO UMA RESPOSTA CONDICIONADA DO
ORGANISMO, CONSTITUINDO-SE EM UM FENÔMENO QUE ENVOLVE
INTERAÇÕES ENTRE A MENTE, AS EMOÇÕES, E DIFERENTES SISTEMAS,
PRINCIPALMENTE O ENDÓCRINO E O IMUNOLÓGICO, O QUE PODE
CONSTITUIR UM ACESSO PARA OS MECANISMOS INTERNOS, NATURAIS E
QUE PODERIAM DESENCADEAR TANTO PROCESSOS PATOLÓGICOS QUANTO
DE CURA.
ESTE EFEITO PODE SER GERADO ATÉ MESMO POR PENSAMENTOS!
Uma abordagem neurológica, descrita em Bud
Craig (2003), distingue entre duas classes de
emoção: "Emoções clássicas", que incluem luxúria,
raiva e medo, e eles são sentimentos evocados por
um estímulo ambiental, cada um motivado por nós
(como, por exemplo, respectivamente,
sexo/luta/fuga);
Maria das Graças Teles Martins é professora, psicóloga clínica e hospitalar, Mestre em educação-ULHT/Portugal- Lisboa, Mestre em Ciências Humanas (Saúde Coletiva)-UNIFESP, especialização
em: Psicologia cognitivo comportamental-FIP/PB, Psicologia do Desenvolvimento e Hospitalização-UFRN
Existemdois tipos de sinapses no neurônio a química e a elétrica.
Tipos de sinapses
Neurotransmissâo
Geração de
impulso nervoso
no neurônio 2
1.Chegada do impulso nervoso ao
terminal
2.Abertura de Canais de Ca
Voltagem dependentes
3.Influxo de Ca (2o mensageiro)
4.Exocitose dos NT
5.Interação NT- receptor pós-
sinaptico causando abertura de
canais iônicos NT dependentes
6.Os NT são degradados por
enzimas (6)
Categorias de Sinapses Químicas
Sinapses excitatórias
Sinapses excitatórias causam uma mudança elétrica excitatória no
potencial pós-sináptico.
Sinapses inibitórias
As sinapses inibitórias causam um potencial pós-sináptico inibitório,
porque o efeito líquido da liberação do transmissor é para hiperpolarizar a
membrana, tornando mais difícil alcançar o potencial de limiar elétrico.
Para que servem os
PEPS E PIPS?
Como um neurônio
que recebe milhares de
sinais excitatórios e
inibitórios processam
esses sinais antes de
gerar PA?
O resultado dessas combinações
determinarão se haverá ou não PA
e com que frequência.
Sumário sobre PA
• é similar em todos neurônios
•Tem amplitude fixa, variando
em torno de 90 mV
•A abertura e fechamento dos
canais dependentes de
voltagem tem cinética diferente
•Diferentes neurônios podem ter
diferentes distribuições
de canais dep voltagem
•Cada região do neurônio tem
diferente excitabilidade
Os PEPS e PIPS são gerados
apenas nos dendritos e no corpo
celular que se propagam em
direção a zona de gatilho do PA.
Se o PEPS atingir o valor limiar
haverá PA; se o PEPS for mais
intenso que o limiar, haverá mais
de um PA gerado pela zona de
gatilho.
PEPS = potencial pós-sináptico excitatório + = NT excitatório
PIPS = potencial pós-sinaptico inibitório- = NT inibitório
Potencial de Ação
Unidade básica
da condução
informação
Conduz a
informação por
meio de um
desequilíbrio no
potencial de
repouso da
membrana
Repouso
Repouso
Despolarização
Repolarização
A bomba de sódio
(também
designada bomba
de sódio-potássio,
Na+/K+-ATPase ou
bomba Na+/K+) é
um mecanismo
que se localiza na
membrana
plasmática de
quase todas as
células do corpo
humano. É
também comum
em todo o ser vivo
Bomba de Na+/K+
Inibição pós-sináptica
Neurônio excitatório: ATIVO
Neurônio inibitório: inativo A excitação se
propagou do dendrito até o cone de
implantação.
Neurônio excitatório: ATIVO
Neurônio inibitório: ATIVO A excitação
causada pelo neurônio excitatório foi
totalmente bloqueada pelo neurônio
inibitório
CIRCUITOS NEURAIS Um
neurônio sozinho de nada vale.
As células nervosas são capazes
de interpretar estímulos
sensoriais ou produzir
comandos motores porque
vários neurônios
funcionalmente relacionados
estabelecem circuitos neurais.
CIRCUITOS NEURAIS: redes de
neurônios funcionalmente
relacionados. Rede
monossinaptica Rede
polissinaptica
LOCALIZAÇÃO
LOCALIZAÇÃO
EMINÊNCIA MÉDIA
Região entre o hipotálamo e a hipófise
Local de secreção de hormônios
hipotalâmicos
Alta vascularização: sistema porta-
hipotálamo-hipofisário
Direcionamento dos hormônios à
adenohipófise
CORPOS ANTERIOR E POSTERIOR DA PITUITATRIA ou (HIPÓFISE)
ADENO HIPÓFISE
NEUROHIPÓFISE
EMINÊNCIA MÉDIA
Região entre o hipotálamo e a hipófise
Local de secreção de hormônios hipotalâmicos
Alta vascularização: sistema porta-hipotálamo-
hipofisário
Direcionamento dos hormônios à adenohipófise
Neuro-
Hipófise
ou
Hipófise
Posterior
“Os Hormônios afetam
quase todos os aspectos da
função humana, regulam o
crescimento, o
desenvolvimento e a
produção e ampliam a
capacidade corporal de
lidar com os estressantes
físicos e psicológicos.”
William D. McArdle
Resposta à ação hormonal:
1.Alteração da permeabilidade da membrana
2.Regulação da atividade de enzimas
3.Ativação de genes
Situada no
epitálamo (sistema
nervoso central),
produz melatonina
e regula o ritmo
circadiano. Tem
ação inibidora
sobre as glândulas
do corpo e é
inibida pela
presença de luz.
Faz ligação entre o sistema nervoso e o
sistema endócrino, atuando na ativação
de diversas glândulas endócrinas.
Controla a temperatura corporal, regula
o apetite e o balanço de água no corpo,
o sono e está envolvido na emoção e no
comportamento sexual.
NEUROCIÊNCIA DA MENTE E DO COMPORTAMENTO.
ROBERTO LENT. com 374 páginas . Rio
de Janeiro , 2008: Guanabara Koogan . Fig. 10.1 e 10.3
IRRIGAÇÃO
A irrigação da neurohipófise é feita pela
artéria hipofisária posterior, que se
ramifica em capilares fenestrados. Nesses
capilares são liberados os hormônios que
serão levados ao resto do corpo.
A irrigação da adenohipófise é feita pela
artéria hipofisária anterior originária da
carótida interna. Alguns ramos vão direto
à pars distalis; a maioria entretanto,
forma plexos capilares na eminência
média que drenam para as veias portais
que atravessam o talo hipofisário e
atingem a adenohipófise. Eles formam o
Sistema Porta-hipotalâmico-hipofisário.
A razão para um sistema de condução
sanguínea direta é garantir a chegada dos
fatores hipotalâmicos na hipófise sem
diluição no organismo.
LTH (Prolactina): hormônio que estimula
o crescimento da mama e a produção de
leite.
MSH (Melanotrófico): hormônio
relacionado com a distribuição da
melanina na pele.
TSH (Tireotrifina): atua estimulando a
tireóide.
ACTH (Adrenocorticotrofina): hormônio
que atua no córtex da glândula adrenal.
FSH (Folículo-estimulante): hormônio
que estimula o crescimento dos folículos
no ovário.
LH (Luteinizante): hormônio que produz
o rompimento do folículo para liberação
do óvulo (ovulação).
STH (Somatotrópico): hormônio do
crescimento.
Armazena hormônios
produzidos no hipotálamo
(Sistema nervoso central).
Ocitocina: age na
musculatura lisa dos órgãos
sendo responsável p ela
descida ou eliminação do
leite
Vasopressina (ADH): regula
a absorção de água nos
túbulos renais
(antidiurético).
Triiodotironina (T3) e Tiroxina (T4),
Aumentam a velocidade dos
processos de oxidação e de
liberação de energia nas células do
corpo, elevando a taxa metabólica
e a geração de calor. Estimulam
ainda a produção de RNA e a
síntese de proteínas, estando
relacionados ao crescimento,
maturação e desenvolvimento.
Calcitocina
Participa do controle da
concentração sangüínea de cálcio,
inibindo a remoção do cálcio dos
ossos e a saída dele para o plasma
sangüíneo, estimulando sua
incorporação pelos ossos.
1- Camada cortical:
Produz corticosteróides.
Mineralocorticóides: controlam as taxas
de sódio e potássio .
Glicocorticóides: regulam o metabolismo
de carboidratos e proteínas.
Hormônios sexuais: andrógenos,
progesterona e estrógenos.
2- Camada medular:
produz mediadores químicos do sistema
nervoso autônomo.
Adrenalina (epinefrina).
Noradrenalina.
Adeno-
Hipófise
ou
Hipófise
Anterior
ADENOHIPÓFISE
 características glandulares
- células produtoras de hormônios
 recebe hormônios da eminência
mediana
 tipos celulares: somatotrofos - GH
lactotrofos - Prolactina
tireotrofos - TSH
corticotrofos - ACTH
gonadotrofos - FSH e LH
•Contração da
musculatura lisa
uterina
FOR pontina e bulbar
Projeção:
Cortez cerebral, tálamo, hipotálamo; bulbo olfatório;
cerebelo, mesencefalo e medula espinhal
Envolvido com:
Atenção seletiva
Ciclo sono-vigília
Memória
Estados emocionais
Projeção:
Bulbo e medula (analgesia endógena)
Córtex cerebral, tálamo, hipotálamo, núcleos basais
e cerebelo
Envolvido com:
Atenção seletiva
Induz o sono e está envolvido com os sonhos
Estados emocionais
LESÃO: insônia permanente
Area septal para o Hipocampo
Atenção Seletiva; Memória e Aprendizagem
Núcleos de Meynert para o Neocórtex
Alzheimer: degeneração
Área tegmentar lateral para o Tálamo Dorsal
Regulação da excitabilidade talâmica
Substancia Negra para o Corpo Estriado
Facilitação na iniciação dos movimentos voluntários
Área Tegmentar Ventral (FOR) para o Sistema Límbico e Córtex
pré-frontal
Circuitos de reforço comportamental
Esquizofrenia: hiperatividade dopaminérgica