You are on page 1of 12

MEDIÇÃO INDIRETA DE RESISTÊNCIA / APARELHOS DE MEDIÇÃO

:
VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO / LEI DE OHM
109.140 - LABORATÓRIO DE FÍSICA GERAL 3
PROF.: REGIEL LUIZ DE MESQUITA GAMBETTI


ABNER AUGUSTO DOS REIS ID: 305150
ALEX MARTINS PEREIRA ID: 305777
BRUNO DA SILVA FERREIRA ID: 305213
FERNANDA CELER ID: 305197
FERNANDA GARCIA ID: 305098
JÉSSICA MARIA DE ÂNGELO ID: 305950
MIRELLA NAVARRO FERNANDES ID: 305452
RICARDO ZANFERRARI PANDOLFI ID: 210850

MESA 02
TURMA: Segunda- feira / 19:00



LINS
2014
MEDIÇÃO INDIRETA DE RESISTÊNCIA / APARELHOS DE MEDIÇÃO:
VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO / LEI DE OHM

1. OBJETIVOS
Foi observado o funcionamento de um circuito elétrico com três
resistores diferentes e feita a leitura no amperímetro, miliamperímetro e
voltímetro. Para cada resistor foram calculadas as resistências, considerando e
desprezando a corrente desviada pelo voltímetro e seus respectivos erros
percentuais. Além disso, também foram calculadas a potência elétrica e a
energia elétrica dissipada.

2. MATERIAIS UTILIZADOS
- Amperímetro (0 – 100 A);
- Miliamperímetro (0 – 1 A);
- Voltímetro (0 – 5 V);
- Resistores;
- Pilhas;
- Fios condutores.

3. DESENVOLVIMENTO

3.1. TEÓRICO

Circuito elétrico
Circuito elétrico é um conjunto formado por um gerador elétrico, um
condutor em circuito fechado e um elemento capaz de utilizar a energia
produzida pelo gerador.
Os circuitos elétricos são classificados de duas maneiras:
- Circuitos de corrente contínua: possuem fontes de tensão e correntes
contínuas (que não variam no decorrer do tempo).
- Circuitos de corrente alternada: possuem fontes de tensão e correntes
alternadas (que variam no decorrer do tempo).
Elementos que podem fazer parte de um circuito elétrico:
- Gerador Elétrico: é o aparelho capaz de transformar qualquer tipo de
energia em energia elétrica. Sua principal função é fornecer energia para as
cargas que o atravessam, como, por exemplo, pilhas e baterias.
Sua representação é dada por:


Representação do Gerador Elétrico

- Receptor Elétrico: é o aparelho responsável por transformar energia
elétrica em outras formas de energia, não sendo exclusivamente a energia
térmica, por exemplo, o motor elétrico. Segue sua representação:

Receptor elétrico

- Resistor: elemento responsável por transformar energia elétrica em
energia térmica (fenômeno chamado de efeito Joule), por exemplo, o chuveiro
elétrico, lâmpadas comuns, fios condutores e o ferro elétrico. Podem ser
associados de duas formas:
Em série: nesse caso, a resistência equivalente será maior que o resistor
de maior resistência da associação.
Em paralelo: nesse caso, a resistência equivalente será menor que o
resistor de menor resistência da associação.
Mista: podem ser encontrados resistores em série e resistores em
paralelo.
Representação de resistores:

Representação de resistores

Cor Dígito Fator de Multiplicação Tolerância
Preta 0 1 -
Marrom 1 10^1 -
Vermelha 2 10^2 -
Laranja 3 10^3 -
Amarela 4 10^4 -
Verde 5 10^5 -
Azul 6 10^6 -
Violeta 7 10^7 -
Cinza 8 10^8 -
Branca 9 10^9 -
Dourada - 10^-1 5%
Prateada - 10^-2 10%
Sem cor - - 20%


Código de cores de um resistor: a
cor da primeira faixa corresponde ao
primeiro dígito; a da segunda, ao segundo
dígito, a terceira, ao fator multiplicação; e a
da quarta à tolerância.


- Dispositivos de Manobra: são os responsáveis por desligar ou acionar
o funcionamento do circuito elétrico, por exemplo, os interruptores e as chaves.

Esquema do Interruptor

- Dispositivos de Segurança: responsáveis pela interrupção da
passagem da corrente elétrica, quando uma grande intensidade elétrica (maior
que o suportável pelo aparelho) é atravessada. Os mais comuns são os
fusíveis e os disjuntores.

- Dispositivos de controle: medem ou identificam a corrente elétrica ou a
diferença de potencial entre dois pontos, por exemplo:
Amperímetro: aparelho utilizado para medir a intensidade de corrente
elétrica que passa por um fio. Pode medir tanto corrente contínua como
corrente alternada. O amperímetro deve ser ligado sempre em série, para aferir
a corrente que passa por determinada região do circuito, para isso deve ter sua
resistência interna muito pequena. Se sua resistência interna for muito
pequena, comparada às resistências do circuito, o amperímetro é considerado
ideal.

Amperímetro não-ideal

Amperímetro Ideal


Voltímetro: aparelho utilizado para medir a diferença de potencial entre
dois pontos, assim deve ser ligado sempre em paralelo com o trecho do circuito
do qual se deseja obter a tensão elétrica. Para não interferir no circuito, sua
resistência interna deve ser muito alta. Se sua resistência interna for muito alta,
comparada às resistências do circuito, o aparelho é considerado ideal. Os
voltímetros podem medir tensões contínuas ou alternadas dependendo da
qualidade do aparelho.

Voltímetro Ideal

Voltímetro não-ideal

Galvanômetro: é um instrumento muito sensível utilizado para medir
correntes de baixa intensidade, como por exemplo, correntes da ordem
miliampère. O galvanômetro nada mais é do que um amperímetro muito
sensível, com o ponteiro no meio da escala, podendo assim medir correntes
nos dois sentidos do circuito elétrico. Para ligar um galvanômetro em um
circuito é muito simples, basta liga-lo no circuito para que passe corrente
através dele, para poder fazer a medição. Quando ligado a um circuito elétrico,
a corrente que passa pelo galvanômetro cria um campo magnético que move o
ponteiro sobre uma escala graduada proporcional a corrente elétrica que
transcorre o circuito elétrico, demonstrando assim, na escala, a intensidade da
corrente. A sua representação em um diagrama é:


Corrente Elétrica
Se um condutor é ligado aos pólos de um gerador, os elétrons do pólo
negativo se movimentam ordenadamente para o pólo positivo, esse movimento
ordenado dos elétrons é denominado corrente elétrica.
O sentido convencional da corrente coincide com o sentido de
movimentação das cargas elétricas positivas, que é contrário ao movimento
dos elétrons.


A quantidade de carga elétrica ∆Q que atravessa uma seção transversal
do condutor por um determinado intervalo de tempo ∆t determina a intensidade
de corrente elétrica:
i = ∆Q / ∆t
Onde:
i = intensidade da corrente elétrica
∆Q = quantidade de carga elétrica
∆t = intervalo de tempo
A unidade de medida utilizada para corrente elétrica é o
Coulomb/segundo (C/s), esta unidade recebe o nome de ampère (A).

Leis de Ohm
- Primeira Lei de Ohm
Ao analisar, na primeira metade do século XIX, características de
materiais submetidos a potenciais diferentes e as correntes originadas nesses,
George Simon Ohm verificou que, para vários materiais, existia uma
proporcionalidade entre a d.d.p e a corrente elétrica. Ou seja:
U.i = constante
Graficamente, isso pode ser expresso através de uma reta:

Esse tipo de material, na qual a proporção acima é válida, é chamado
material ôhmico. A constante que aparece na equação acima será chamada de
resistência elétrica, para qual será adotado o símbolo R.
U/i = R ⇒ U = R.i
Essa proporção recebe o nome de Primeira Lei de Ohm:
“Em um condutor ôhmico, mantido à temperatura constante, a
intensidade de corrente elétrica é proporcional à diferença de potencial
aplicada entre suas extremidades, ou seja, sua resistência elétrica é
constante”.
A unidade de resistência elétrica, no Sistema Internacional, é o ohm,
representado pelo símbolo Ω.

- Potência dissipada em um resistor
Potência elétrica associada a um dispositivo qualquer pode ser calculada
como:
Pot = U.i
Em resistores ôhmicos, vale a seguinte relação:
U = R.i
Substituindo a segunda equação na primeira:
Pot = U.i ⇒ Pot = R.i.i ⇒ Pot = R.i²
É possível escrever a corrente elétrica, de acordo com a Lei de Ohm, da
seguinte maneira:
i = U/R
Substituindo esse resultado na equação de potência:
Pot = U.i ⇒ Pot = U. (U/R) ⇒ Pot = U²/R
Esse resultado mostra que, dado uma voltagem constante, a potência
dissipada por um resistor é inversamente proporcional à sua resistência
elétrica.

- Segunda Lei de Ohm
Entre 1825 e 1827, Ohm, investigando o funcionamento de vários
condutores, chega à conclusão que a resistência elétrica de um fio dependia de
suas características geométricas e do material. Suas conclusões levaram ao
que é chamado de Segunda Lei de Ohm:
“A resistência elétrica de um material é diretamente proporcional ao seu
comprimento e inversamente proporcional à sua área”

Em termos matemáticos:
R = ρ. (L/A)
Onde a constante de proporcionalidade ρ é chamada de resistividade do
material, sendo uma característica da substância.


3.2. PRÁTICO
- Primeiramente conectou-se, através de fios condutores, o primeiro
resistor ao gerador e aos seguintes medidores elétricos: amperímetro,
voltímetro e miliamperímetro.









- Em seguida foram realizadas as leituras dos medidores e anotados
seus resultados.
- Depois foram realizados os mesmos procedimentos com outros dois
resistores diferentes e anotados seus resultados.

- Os resultados obtidos foram:
Resistor Amperímetro (A) Voltímetro (V) Miliamperímetro (A)
1 60 13,8 0,7
2 20 14,5 0,72
3 8,3 14,6 0,73


4. PERGUNTAS E RESPOSTAS

1- Fazer a montagem indicada e as leituras nos instrumentos, para
cada um dos três resistores: R1,R2 e R3 – em cada caso, ler: I, Iv, V.
Resposta:
R1: I (0-100) = 60A
Iv (0-1) = 0,7ª
V (0-5) = 13,8V

R2: I (0-100) = 20A
Iv (0-1) = 0,72A
V (0-5) = 14,5V

R3: I (0-100) = 8,3A
Iv (0-1) = 0,73A
V (0-5) = 14,6V


2- Calcular pela lei de OHM (V=R1  R=V/I), os valores de R1,R2,R3,
desprezando a corrente desviada pelo voltímetro, I é: Ir ≈ I e Iv≈0.
Resposta:

3- Considerar, agora, o desvio pelo voltímetro, calculando para cada
resistor: Ir = I – Iv; e, a seguir, calcular o valor mais correto de sua
resistência:

assim, teremos R1c, R2c e R3c.
Resposta:

R3c

R1
Amarela Violeta Preto Dourado
4 7 1 5%
47Ω - 5%

R2
Marrom Verde Marrom Dourado
1 5 10^1 5%
15x10^1Ω - 5%

R3
Amarela Violeta Marrom Dourado
4 7 10^1 5%
47x10^1Ω - 5%
4- Em cada caso, calcular o erro porcentual cometido ao
desprezarmos o desvio pelo voltímetro: ()
| |

(),
e em qual dos três casos o erro foi maior?
Resposta:

||

||

| |

O erro foi maior no 3° caso (R3), pois a resistência é inversamente
proporcional a corrente e na 3ª resistência a corrente é menor.

5- Calcular a Resistência do voltímetro:

6- Considera-se satisfatória uma medição com erro máximo de 5%.
Quando desprezamos a corrente desviada pelo voltímetro, a
precisão de nossas medições ficou muito afetada? Por que?
Resposta: Em R1 e R2 as medições não foram afetadas. Em R3 foi
afetada devido a pequena corrente.

7- Calcular a potência elétrica dissipada, em cada caso, pelo resistor
por Efeito Joule.
Resposta:
P1= 0,233* (59,3)²= 819,342 W
P2= 0,752*(19,28)²= 279,53W
P3= 1,929*(7,57)²= 109,085W

8- Calcular a energia elétrica dissipada, em cada caso, pelo resistor
por Efeito Joule, a cada 10 minutos que o circuito permanecer
ligado ( ,

, ) a energia,
assim calculada PE expressa em Joules (J)
Resposta:




5. CONCLUSÃO


6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

GASPAR, Alberto. Física – Vol. Único. Editora Ática S/A – edição 2009.
http://www.mundoeducacao.com/fisica/circuito-eletrico.htm
http://www.coladaweb.com/fisica/eletricidade/circuitos-eletricos
http://www.infoescola.com/eletricidade/voltimetro-e-amperimetro/
http://www.infoescola.com/eletricidade/galvanometro/
http://www.efeitojoule.com/2008/04/corrente-eletrica.html
http://www.infoescola.com/fisica/associacao-de-resistores/
http://www.brasilescola.com/fisica/corrente-eletrica.htm
http://educacao.globo.com/fisica/assunto/eletromagnetismo/resistores-e-leis-de-
ohm.html