SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE

Profa. Dra. Maria Cecília Bonato Brandalize 2008

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
Conceitos de Geoprocessamento. Conceitos de SIG. Fontes de Dados Georreferenciados: Topografia, Geodésia (GPS), Cartografia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto. Estruturas de Dados Geográficos. Bancos de Dados Geográficos. Sensoriamento Remoto: Sensores e Imagens. Noções de Processamento Digital de Imagens. Base de Dados Raster. Análise Espacial: Desenvolvimento de Aplicativos.

-2-

1

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
Proporcionar ao estudante de Engenharia Ambiental noções sobre a importância do geoprocessamento e dos sistemas de informações geográficas na concepção de uma base de dados que sirva de subsídio ao planejamento ambiental e, conseqüentemente, ao desenvolvimento sustentável. Proporcionar ao estudante de Engenharia Ambiental noções sobre a integração e tratamento de dados geográficos, bem como, sobre a geração de produtos com vistas ao planejamento ambiental .

-3-

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
As aulas serão ministradas tendo como recursos didáticos: quadro negro, retroprojetor e projetor multimídia. Como suporte às aulas e às avaliações de aprendizagem serão utilizadas algumas bibliografias (indicadas na seqüência). O material encontrado em formato digital será oportunamente disponibilizado ao aluno para o devido acompanhamento das aulas. Eventualmente poderão ser agendadas, no dia e horário das aulas, palestras proferidas por especialistas em alguns temas de interesse do programa ou visitas a empresas .
-4-

2

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
Para avaliação da aprendizagem do aluno serão utilizados os seguintes instrumentos: Trabalhos Práticos (individuais ou em grupos) Trabalhos Teóricos (individuais) Apresentação de Seminários (duplas)* Resolução de Exercícios (individual) Provas (individuais)

-5-

A Disciplina
CÂMARA, G. et al. Anatomia de Sistemas de Informação Geográfica. Campinas: INPE, Ementa 1996. CONCEIÇÃO, C. L. da; SOUZA, J. L. S. de. Noções Básicas de Coordenadas Geográficas Objetivos e Cartografia. Porto Alegre: 2000. Programa DUARTE, P. A. Fundamentos de Cartografia. Florianópolis: UFSC, 2002. ERBA, D. A. Topografia para Estudantes de Arquitetura, Engenharia e Geologia. 2003. Metodologia FITZ, P. R. Cartografia Básica. Canoas: La Salle, 2000. FLORENZANO, T. G. Imagens de Satélite para Estudos Ambientais. São Paulo: 2002. Avaliação LOCH, C.; ERBA, D. A. Cadastro Técnico Multifinalitário Urbano e Rural. Cambridge: LILP, 2007. Bibliografia MARTINELLI, M. Mapas da Geografia e Cartografia Temática. São Paulo: Contexto, 2003. MOREIRA, M. A. Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologias de Aplicação. Viçosa: UFV, 2003. RAMOS, C. da S. Visualização Cartográfica e Cartografia Multimídia: Conceitos e Tecnologias. São Paulo: UNESP, 2005. -6-

Básica:

3

A Disciplina
Básica:
ROCHA, C. H. B. Geoprocessamento: Tecnologia Interdisciplinar. Juiz de Fora: 2000. SANTOS, R. F. dos. Planejamento Ambiental: Teoria e Prática. São Paulo: 2004. SILVA, A. de B. Sistemas de Informações Geo-referenciadas: Conceitos e Fundamentos. Campinas: 1999. SILVA, J. X. da. Geoprocessamento para Análise Ambiental. Rio de Janeiro: 2001.

Sítios Recomendados:
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE: www.inpe.br/ Engesat Imagens de Satélite: http://www.engesat.com.br/ Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA: http://www.embrapa.br/ EMBRAPA Meio Ambiente: http://www.cnpma.embrapa.br/ Esteio Engenharia e Aerolevantamentos S.A.: http://www.esteio.com.br Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE: http://www.ibge.gov.br/home/
-7-

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
1. Topografia 1.1. Conceitos 1.2. Elementos da Planta Topográfica 1.3. Estudo do Modelado do Terreno: Perfil, Declividades e Curvas de Nível 1.4. Leitura de Plantas Topográficas 2. Geodésia por Satélites 2.1. Conceitos 2.2. Sistema de Posicionamento Global (GPS) 2.3. Levantamentos GPS

-8-

4

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
3. Cartografia 3.1. Conceitos 3.2. Características Geométricas da Terra: Datum, Sistema de Coordenadas, Projeções 3.3. Cartografia Básica ou de Referência 3.4. Cartografia Temática 3.5. Cartografia Cadastral 4. Fotogrametria 4.1. Conceitos 4.2. Fotogrametria Aérea 4.3. Fotogrametria Terrestre 4.4. Fotointerpretação 4.5. Principais Produtos

-9-

A Disciplina
Ementa Objetivos Programa Metodologia Avaliação Bibliografia
5. Sensoriamento Remoto 5.1. Conceitos 5.2. Principais Sistemas Imageadores 5.3. Principais Sistemas Não Imageadores 5.4. Principais Produtos 6. Geoprocessamento 6.1. Conceitos 6.2. Sistemas de Informações Geográficas 6.3. Estruturas de Dados Geográficos 6.4. Bancos de Dados Geográficos 6.5. Relações Espaciais 6.6. Funções de Análise Espacial 6.7. Aplicativos
-10-

5

1. Topografia
1.1. Conceitos 1.2. Elementos da Planta Topográfica 1.3. Estudo do Modelado do Terreno Perfis Declividades Curvas de Nível 1.4. Leitura de Plantas Topográficas

-11-

1.1. Conceitos

Topografia é a ciência que descreve, de forma exata e descreve minuciosa, a superfície ou sub-superfície do terreno. minuciosa ê Finalidade: determinar o contorno (limites), as dimensões (área) e a posição relativa ou absoluta de uma porção limitada da superfície terrestre (projetos). ê Importância: base para a elaboração e assentamento de qualquer projeto de Engenharia.
-12-

6

1.1. Conceitos

Topografia x Geodésia
Topografia: se ocupa com o levantamento de pequenas porções do terreno, considerando a Terra plana. terreno Geodésia: se ocupa com o levantamento de grandes porções do terreno, considerando a Terra esférica. terreno

-13-

1.1. Conceitos

Topografia x Geodésia
Superfície Topográfica

Planta Topográfica
-14-

7

1.1. Conceitos

Topografia x Geodésia
Utilizam os mesmos métodos e equipamentos de medida, porém, na Geodésia, as medidas devem ser corrigidas da curvatura terrestre. Levantamento Planimétrico: pontos e feições são levantados e projetados Planimétrico segundo suas coordenadas planimétricas (X, Y) Altimétrico: pontos e feições são levantados e projetados Altimétrico segundo suas coordenadas altimétricas (Z) -15-

1.1. Conceitos

Topografia x Geodésia
Planimetria + Altimetria ê Plano-altimetria ou Planialtimetria ou Topometria ê Estudo das formas da superfície terrestre e das leis que regem o seu modelado ê TOPOLOGIA
-16-

8

1.2. Elementos da Planta Topográfica Planta Topográfica: é toda representação da superfície terrestre realizada até a escala 1:25.000
Hidrografia Vegetação

Estradas Curvas de Nível Urbanização Toponomínia

-17-

1.2. Elementos da Planta Topográfica Relevo: curvas de nível ou sombreado

-18-

9

1.2. Elementos da Planta Topográfica

Título e Nomenclatura

Malha Coordenadas Escala e Projeção

-19-

1.2. Elementos da Planta Topográfica

Convenções Cartográficas
-20-

10

1.2. Elementos da Planta Topográfica
Articulação e Situação

Orientação

-21-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Perfil Topográfico
É a representação gráfica do relevo terrestre, expresso sobre terrestre uma única linha traçada sobre o terreno ê Longitudinal e Transversal O perfil topográfico permite visualizar o relevo em corte, ou corte seja, através de um ponto de vista frontal
-22-

11

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Perfil Topográfico
Gráfico → Eixos Perpendiculares (x e y) ê Eixo X: representa as distâncias horizontais entre os pontos do terreno sobre a linha Eixo Y: representa as diferenças de nível entre estes mesmos pontos Escala (x e y): Ex = Ey; Ex > Ey; Ex < Ey
-23-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno
Elaboração Tabela de Valores Ponto Altitude 1 2 3 4 5 100 m 105 m 110 m 120 m 115 m
1:500
Altitude

Distância 25 m 50 m 35 m 40 m 1:1000

120+ 115+ 110+ 105+ 100+ • + 1 + 2 + 3
• •

Perfil

+ 4

+ 5 Distância
-24-

12

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Declividade
Representa, em graus ou em porcentagem, a inclinação do porcentagem relevo entre dois pontos ê

 DN  do = arc.tg.    DH 

 DN  d% =  .100 DH   

-25-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Declividade
Classe
A B C D E F
Garcia & Piedade (1978)

Declividade (%)
< 03 03 a 06 06 a 12 12 a 20 20 a 40 > 40

Declividade (°) (°
< 01,7 01,7 a 03,4 03,4 a 06,8 06,8 a 11,3 11,3 a 21,8 > 21,8

Inclinação Relevo Inclinaç
Fraca Moderada Moderada a Forte Forte Muito Forte Extremamente Forte

-26-

13

1.3. Estudo do Modelado do Terreno
Declividade Tabela de Valores Ponto Altitude 1 2 3 4 5 100 m 105 m 110 m 120 m 115 m 25 m 50 m 35 m 40 m d=10%
Altitude

Distância

120+ 115+ 110+ 105+ 100+ • + 1 + 2 + 3

Perfil

pa ra m d
DH

• DN

d=5,71°

+ 4

+ 5 Distância
-27-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Curvas de Nível
Superfície Topográfica ê É a superfície que não pode ser representada por equações em virtude de sua forma geometricamente indeterminável. ê É a superfície natural do terreno → Relevo
-28-

14

1.3. Estudo do Modelado do Terreno
Curvas de Nível → Representação 2D do Relevo

• • • •


+ + +

+ +

Ponto Notável Ponto Cotado
CCI < h < CCS 10m < h < 20m

Planos Nivelados e Eqüidistantes

Curvas de Nível

-29-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Curvas de Nível
ê São linhas curvas fechadas que unem pontos de mesma cota (c) ou altitude (h). São representadas na cor marrom ou sépia. A eqüidistância vertical (EV) ou intervalo depende da escala de representação. As cotas das curvas são sempre múltiplas de 1, 2, 5, 10, 20, 25, 50, 100 ... → Números Inteiros
-30-

15

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Características Nível:

Mestra

Mestras e Intermediárias
780 760

As únicas curvas com cota aparente são as mestras. Para saber a cota das curvas intermediárias, é necessário analisar a cota das curvas mestras que as compreendem. Qual a cota das intermediárias? Qual a EV destas curvas? Intermediária

740 720

-31-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Características Nível: Curvas Afastadas → Ondulação Suave do Terreno Ondulaç

Curvas Próximas → Ondulação Forte do Terreno Ondulaç
-32-

16

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Características Nível: Duas curvas de nível jamais se cruzam Curvas de nível não convergem para formar uma única curva (Exceção → Paredes Naturais) Curvas de nível iniciam e terminam no mesmo ponto

• • •

-33-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Terminologias Nível: Vertente = Flanco = Encosta = Escarpa Cume = Cimo = Crista Talvegue = Linha de Aguada Divisor de Águas = Linha de Crista = Linha de Cumiada Colo = Quebrada = Garganta = Sela Serra → Contraforte → Espigão
-34-

17

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:
Depressão

Elevação

sobe

desce

-35-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:

Depressão

Elevação

-36-

18

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:
• • • • • • •

Talvegue Superfície que compreende um talvegue

VALE
Talvegue: linha que une os pontos mais baixos de um vale e onde se concentra a água da chuva ou a que aflora da sub-superfície e, que escorre pelas encostas, formando os rios e córregos.
-37-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:

Talvegue ⇔ Vale
-38-

19

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:
• • •• • • • • • •

Superfície que compreende um divisor de águas

Divisor

DORSO

Divisor de Águas: linha que une os pontos mais altos de um dorso e onde a água proveniente da chuva é dividida para escoar por um ou por outro lado da encosta, até chegar aos talvegues.
-39-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:

Divisor ⇔ Dorso
-40-

20

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:

Garganta: local onde divisores de água se curvam fortemente mudando de sentido. -41-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:

Parede de Rocha Natural: local onde o relevo é tão íngreme, que a representação das curvas de nível só é possível utilizando simbologia especial.
-42-

21

1.3. Estudo do Modelado do Terreno Curvas de Nível: Interpretação Nível:

Aterro: local onde o relevo natural é alterado pelo acúmulo de material. Corte: local onde o relevo natural é alterado pela retirada de material.-43-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno

Divisores de Águas

Talvegues Encostas

-44-

22

1.3. Estudo do Modelado do Terreno
Perfil sobre Curva de Nível

720 710 700 690 680 670

− − − − − −•
670

• • • • • •
670

• • • • •


670 680 690 700 710 720 720 710 700 690 680

-45-

1.3. Estudo do Modelado do Terreno
Perfil sobre Curva de Nível

-46-

23

1.4. Leitura de Planta Topográfica
1

Tomando como base a figura ao lado e suas indicações, identifique:
1. A eqüidistância vertical (EV) das curvas de nível (metros). 2. A curva mestra de menor cota (metros). 3. A curva mestra de maior cota (metros).

2

4. A curva intermediária de maior cota (metros). 5. A curva intermediária de menor cota (metros). 6. O ponto cotado de menor cota (metros). 7. O ponto cotado de maior cota (metros). 8. As flechas de número 1, 2 e 3 indicam terreno em aclive ou declive? 9. As linhas tracejadas de número 1, 2 e 3 indicam a presença de talvegue ou divisor de águas? 10. Reforce, utilizando caneta preta, as curvas mestras presentes na carta.
-47-

2 1 3

3

Tomando como base a figura ao lado:

1.4. Leitura de Planta Topográfica longitudinal do 1. Desenhe o perfil
4 1 3

terreno com base na linha AB traçada sobre a figura. 2. Determine a declividade do terreno entre os pontos cotados assinalados: 1 e 2; 3 e 4; 5 e 6.

2

5 A B

3. Classifique as declividades segundo o modelo de classificação proposto por Garcia & Piedade (1978).

6

-48-

24

1.4. Leitura de Planta Topográfica

Trabalho Prático
ê Sorteio de uma carta topográfica 1:50.000 (uma para cada aluno) em formato DWG (AutoCAD); Impressão da carta topográfica, no formato A1, em duas vias coloridas; Entrega das impressões, com o nome do aluno no verso, na próxima aula; Sobre estas impressões serão realizados os trabalhos práticos das próximas semanas. -49-

1.4. Leitura de Planta Topográfica

Trabalho Prático
ê
A professora irá traçar uma linha sobre uma das cópias coloridas, indicando o local sobre o qual deverá ser elaborado o perfil do terreno. A professora indicará quais são os pontos, ao longo da linha traçada, que deverão ser utilizados para o cálculo das declividades (1-2, 2-3, 3-4). Isto será feita para cada aluno individualmente, portanto, manter a calma e esperar a sua vez. A escala de X deverá ser a mesma da planta (1:50.000), enquanto a escala de Y deverá ser 10 vezes maior. Interpretar a cota das curvas de nível, analizando o intervalo -50entre as mestras (a interpretação faz parte do trabalho).

25