You are on page 1of 13

1

INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA - IFSC
CAMPUS FLORIANÓPOLIS-CONTINENTE



FRANCINE VIEIRA CORRÊA DA SILVA
MARIA MÁRCIA KLAUBERG CRUZ
SILVANO DE JESUS PEREIRA










HOTEL ECONÔMICO













FLORIANÓPOLIS
2014
2

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ......................................................................................................... 03
2 HOTEL ECONÔMICO ............................................................................................ 03
2.1 CONCEITO ............................................................................................................. 04
2.2 CARACTERÍSTICAS ............................................................................................. 04
3 SURGIMENTO DA HOTELARIA ECONÔMICA .............................................. 05
3.1 BRASIL.................................................................................................................... 05
3.2 GRANDE FLORIANÓPOLIS ................................................................................. 06
4 METODOLOGIA ..................................................................................................... 07
5 PESQUISA DE CAMPO – IBIS SÃO JOSÉ .......................................................... 07
5.1 HÍSTÓRICO............................................................................................................. 07
5.2 LOCALIZAÇÃO...................................................................................................... 07
5.3 FORMA DE ADMINISTRAÇÃO ........................................................................... 08
5.4 INFRAESTRUTURA FÍSICA .................................................................................08
5.5 CAPACIDADE ........................................................................................................ 09
5.6 ESTRUTURA DE SERVIÇOS................................................................................. 09
5.7 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL...................................................................... 09
5.8 CURIOSIDADES..................................................................................................... 10
6 OUTROS HOTÉIS.................................................................................................... 10
6.1 HOTEL 10 – JOINVILLE........................................................................................ 10
6.2 COMFORT HOTEL – JOINVILLE ........................................................................ 11
7 CONSIDERAÇÕES FINAIS ...................................................................................... 11
REFERÊNCIAS ............................................................................................................. 12










3

1 INTRODUÇÃO
O presente trabalho tem como temática a caracterização dos meios de hospedagem
de turismo, na qual procura analisar a categoria econômica. Hotel econômico é redução
de custos, isso quer dizer que são hotéis que buscam melhor aproveitamento,
procurando reunir o máximo de funcionalidade pela menor diária possível. Essa
categoria tem como objetivo reduzir suas instalações como, por exemplo, nas UHs
(unidades habitacionais), dimensionando exatamente para aquilo que o hóspede
necessita com espaços muito bem aproveitados.
Os empreendimentos econômicos são produtos de fácil comercialização,
principalmente pelo auto índice de reservas, bem como via internet também sinalizam
que o consumidor final já realiza sua própria reserva, demonstrando a aceitação do
hóspede final, que já conhece o conceito de hotelaria econômico. Como público alvo
são grupos caracterizados por executivos de nível intermediário, técnicos, profissionais
e vendedores que viajam a negócios e que preferem (ou podem apenas) pagar tarifas
mais baixas, é mais o conforto do que a sofisticação das instalações e serviços
hoteleiros. Quanto à sua localização, é preferencial que seja próximo a rodovias, junto a
entradas de cidades ou junto a entroncamentos de onde derivam acesso para mais de
uma cidade.
Como metodologia, foi utilizado um questionário qualitativo que segundo Silva
(2011) é normalmente as informações são coletadas por meio de um roteiro na qual as
opiniões dos participantes são gravadas e posteriormente analisadas. Esse questionário,
foi aplicado fazendo uma visita técnica juntamente com o IFSC (Instituto Federal de
Santa Catarina) em um hotel e com pesquisa qualitativa na qual Silva (2011) afirma que
estimula os entrevistados a pensar e falar livremente sobre algum tema, objeto ou
conceito. Elas fazem emergir aspectos subjetivos, atingem motivações não explícitas, ou
mesmo não conscientes, de forma espontânea. em mais dois hotéis da mesma categoria
em sites, para ter como objetivo caracterizar empreendimentos desse segmento.
Espera-se que o presente estudo possa contribuir com um maior conhecimento sobre
a categoria econômica na qual possa caracterizar o empreendimento, verificando os
pontos positivos e negativos sobre hotéis econômicos.

2 HOTEL ECONÔMICO


4

2.1 CONCEITO
Os hotéis econômicos, segundo Mota (2007) é recente no Brasil, somente a partir do
ano de 2000 é que houve crescimento efetivo desta tipologia de hotel no país. Esse
segmento possui redução de custos, na qual acaba atraindo muitos hóspedes, composto
em sua maioria por pessoas que viajavam a negócios. São hotéis que buscam otimização
onde seus serviços buscam o melhor aproveitamento, procurando reunir o máximo de
funcionalidade pela menor diária possível, mas teve-se manter sempre um bom padrão
de hospedagem. Sendo assim, “hotel econômico tem como princípio a redução dos
custos” (MOTA, 2007).
Porém não se deve confundir hotel econômico com hotel com baixa qualidade, pois o
objetivo de um hotel econômico é justamente manter um bom nível de qualidade por
um preço baixo, no qual diminuindo o valor das diárias, atrai mais hóspede. Research
(2005) afirma que, o hotel econômico foi planejado para otimizar suas funções
operacionais, de maneira a reduzir o quadro de funcionários, assim como os níveis
hierárquicos, favorecendo a redução do custo operacional. Isso significa dizer que
“existe grande diferença entre “hotel econômico” e hotel que cobra pouco pelos seus
serviços” (RESEARCH, 2005). Portanto, hotel que cobra pouco pelos seus serviços não
necessariamente foi planejado para poder trabalhar com baixos preços e serviços
condizentes.

2.2 CARACTERÍSTICAS
Os hotéis econômicos, normalmente, possui a recepção junto com o espaço de
alimentação, na qual o atendente de hospedagem atende os dois ambientes. Segundo
Mota (2007), as UHs são dimensionadas exatamente em aquilo que o hóspede necessita
com quartos e banheiros mais compactos. Os quartos são pequenos, porém tem o espaço
muito bem aproveitado, na qual, dificilmente, um quarto de um hotel econômico vai
passar de 20 metros quadrados, “[...] comportando algumas vezes centenas de quartos”
(MOTA, 2007).
Apesar dos quartos serem pequenos, tudo é de qualidade, com serviços de TV a cabo
e Internet Wireless além de um banheiro moderno no qual, na opinião de Santos (2012)
a camareira não deixa os amenities, isso quer dizer que itens que visam trazer prazer e
conveniência aos hóspedes, apenas sabonete e uma toalha de banho, na qual a toalha de
rosto não tem, ou seja, possui apenas o necessário. O hóspede, nesse segmento de hotel,
é mais participante do que em outros, no qual não possui serviço mensageiro e os
5

recados estão posicionados em um painel de forma visível, na qual é posto de forma
econômica e rápida. Santos (2012) comprova que o hotel econômico não apresenta uma
variedade de itens, entretanto os serviços como o café da manha, se torna opcional do
cliente, pagando uma taxa além da diária. “Alguns não possuem também telefone no
quarto, somente toalha para banho, poucos amenities, somente sabonete, café da manhã
self service com pagamento extra, fora do valor pago pela diária” (SANTOS, 2012).
A localização desse segmento é, normalmente, entorno de locais de fácil
movimentação como shoppings, rodovias, centros administrativos e eventos, com fácil
acesso a ponto de ônibus, facilitando o transporte para esse público.
Usualmente estão próximos a geradores de demanda como centros de
eventos, regiões comerciais, aeroportos e rodoviárias; regiões servidas
por vida noturna e entretenimento, assim como próximo a meios de
transportes públicos, uma vez que este público visa economizar
também com transporte (RESEARCH, 2005).
Portanto, os hotéis econômicos são hotéis compactos, possuindo apenas o necessário
para a estadia.

3 SURGIMENTO DA HOTELARIA ECONÔMICA

3.1 BRASIL
Em 1808 houve a mudança da corte portuguesa para o Brasil, onde acaba
incentivando a implantação de hospedarias no Rio de Janeiro. No ano de 1904 surge a
primeira lei de incentivos para a implantação de hotéis no Rio de Janeiro. Já em 1946
houve, no Brasil, a lei para proibição dos jogos de azar e fechamento dos cassinos, o
que acabou inviabilizando os hotéis construídos para esse fim. Na década de 60 houve a
criação da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) e do Fungetur (Fundo Geral do
Turismo), que viabilizam a implantação de grandes hotéis. Nos anos 60 e 70 chegam ao
Brasil às redes hoteleiras internacionais. Mesmo sem um número importante de hotéis,
essas redes vão criar uma nova orientação na oferta hoteleira, com novos padrões de
serviços e de preços.
Nessa introdução ao Brasil de redes hoteleiras internacionais, a rede Accor
Hospitality que anteriormente era familiar e independente, incorporou o segmento
econômico através das bandeiras Ibis e Formule 1. Contudo, inicialmente, um grande
desafio vivenciado pela Accor Hospitality fora conseguir relacionar um produto de boa
qualidade, padronizado e com preço acessível.

6

3.2 GRANDE FLORIANÓPOLIS
Como consequência do incremento das viagens e do comércio, surgem os primeiros
meios de hospedagem que se caracterizavam como estabelecimentos de passagem, para
um único pernoite, já que as longas distâncias tornavam necessária a existência de locais
para descanso. Inicialmente, os viajantes contavam somente com a hospitalidade dos
habitantes da região, devido à inexistência de locais destinados ao acolhimento das
pessoas que chegavam à cidade. Os viajantes estrangeiros no século XIX
surpreenderam-se com a hospitalidade brasileira que somada à generosidade e à
afabilidade no trato, representam um traço do caráter brasileiro.
Florianópolis sempre teve seu turismo voltado para a proposta de sol e mar, sofrendo
grandes recessões devido à sazonalidade durante o período de inverno. Nos anos de
1990 e 200, o segmento de negócios alavancou os investimentos em projetos para uma
hotelaria executiva, por causa da sazonalidade que havia. O turista de negócio é muito
mais exigente com os serviços de apoio, ou seja, é muito mais exigente pela qualidade
dos serviços. Por esse motivo, unidades habitacionais foram modificadas para receber
esse tipo de turista.
Segundo Santos (2005), apenas em 1990 surge na cidade uma hotelaria voltada para
o turismo de negócios e eventos e a partir de 1998, o mercado hoteleiro se modificou
em função da intensificação do fluxo de turistas de negócios e eventos. Também é
ressaltado pela autora que a entrada de empreendimentos administrados por redes
nacionais e internacionais aumentou a competitividade entre os hotéis.
Conforme Castelli (2001, p 16) é o cliente que determina o sucesso ou fracasso de
uma empresa. Desta forma, o desempenho com qualidade das prestações hoteleiras é
condição determinante do sucesso empresarial, sobretudo no contexto atual, onde a
concorrência se torna cada vez mais acirrada e o cliente mais exigente.
O hotel se apresenta ao hospede como um todo, onde se distinguem.
Fundamentalmente, duas realidades: a estrutura e o funcionamento.
Desde o momento em que um serviço é solicitado por parte de um
cliente, até o atendimento desse serviço, transcorre um processo
sincronizado, onde deverá existir suporte estrutural e funcional
igualmente perfeito. (CASTELLI, 2001)
Neste cenário surge o Hotel Ibis São José em 2010, com a bandeira da rede Accor
Hospitality e concebido para a hospedagem de executivos e participantes de eventos da
cidade. Representa a categoria econômica de hotéis desta rede, caracterizando se pela
sua localização na região central de São José – SC, onde possui uma estrutura compacta
com serviços limitados e uma equipe de colaboradores.
7


4 METODOLOGIA
Para alcançar os objetivos propostos, foi utilizado um questionário qualitativo que
segundo Silva (2011) é normalmente as informações são coletadas por meio de um
roteiro na qual as opiniões dos participantes são gravadas e posteriormente analisadas.
Esse questionário foi aplicado fazendo uma visita técnica juntamente com o IFSC
(Instituto Federal de Santa Catarina) em um hotel.
Foi realizada também uma pesquisa qualitativa - na qual Silva (2011) afirma que
estimula os entrevistados a pensar e falar livremente sobre algum tema, objeto ou
conceito, elas fazem emergir aspectos subjetivos, atingem motivações não explícitas, ou
mesmo não conscientes, de forma espontânea - em mais dois hotéis da mesma categoria
em sites, para ter como objetivo caracterizar empreendimentos desse segmento e
descobrir as diferenças entre eles.

5 PESQUISA DE CAMPO - IBIS SÃO JOSÉ

5.1 HISTÓRICO
O hotel Ibis São José surge em 2010, com a bandeira da rede Accor Hospitality. O
público alvo desse hotel, desde sua concepção, foi atender executivos e participantes de
eventos, por ser de categoria econômica localizado na região central de São José – SC.

5.2 LOCALIZAÇÃO
O Hotel Ibis está localizado em São José, SC, em frente ao Fórum e ao lado do
Shopping Itaguaçu, próximo a BR 101, na principal Via Gastronômica de São José com
atrações noturnas. Mesmo ficando ao lado do Shopping Itaguaçu, o hotel possui fácil
acesso a outros shoppings como o Mundo Car Shopping que fica a 2.5 km e o Beira
Mar Shopping a 12 km. O hotel fica a 3 km do Centro Multiuso de São José e a 8 km do
Centro de Convenções Centro Sul, além de ficar a 19 km do Aeroporto. Os atrativos da
Grande Florianópolis mais visitados que ficam próximo ao hotel é a Casa dos Açores
que fica a 26 km, o Mercado Público de Florianópolis à 11 km e a Ponte Hercílio Luz à
9 km.
Além desses atrativos, o hotel possui passagem facilitada a todas as praias da Grande
Florianópolis. Além disso, o hotel é cercado por estádios de futebol próximos como o
8

Estádio Orlando Scarpeli (Figueirense) que fica a 5 km e o Estádio da Ressacada (Avaí)
que fica a 17 km do hotel. Ademas, o hotel fica próximo do Hospital Infantil Joana
Gusmão (15 km) e do Hospital Regional (1.5 km). Entre as principais cidades da região,
o hotel fica à 75 km de Balneário Camboriú, à 23 km de Santo Amaro da Imperatriz, à
20 km de Palhoça e à 8 km de Florianópolis (a capital de SC).

5.3 FORMA DE ADMINISTRAÇÃO
O Hotel Ibis São José é filiado à rede Accor Hospitality, na qual possui um grande
número de estabelecimentos sendo todos administrados por uma direção com filosofia
comum de operação. A rede Ibis adquiriu ao longo dos anos uma forte reputação
mundial em oferecer serviços excelentes a preços bastante competitivos, baseando-se
num padrão internacional. Sempre prestando todos os principais serviços de um hotel
moderno com a melhor relação qualidade e preço dos mercados onde está presente.

5.4 INFRAESTRUTURA FÍSICA
O hotel não possui estrutura de lazer, nem de eventos. As unidades habitacionais do
hotel Ibis São José são bem equipadas, onde todas possuem mesa de trabalho, televisão
a cabo, internet sem fio (wi-fi) grátis, telefone sem fio com discagem direta, mensagem
eletrônica, despertador automático e por operador, ar condicionado, frigobar, secador de
cabelo, UH’s com isolamento acústico e cortinas black-out.
O hotel é 100% não fumante e possui 15 quartos familiares, isso quer dizer que tem
15 unidades habitacionais para acomodação de 3 pessoas, sendo 1 cama de casal e 1
cama extra para criança até 12 anos na qual torna-se funcional, confortável, ideal para
casal que vem com filho, além de o hotel possui a opção de berço. Além desse tipo de
acomodação, tem também quarto com 1 cama de casal ou com 2 camas de solteiro
ideais para trabalho ou relaxamento. O hotel permite que o hóspede traga seu animal de
estimação.
Por ser um hotel econômico, os seus serviços são reduzidos, porém possui service
desk para aluguel de veículos, serviço de negócios, cofre na recepção, conectividade
com a Internet, acesso multimídia, internet sem fio no hotel e no quarto, bar, lavanderia,
máquina de engraxar sapatos e, estacionamento próprio com vaga para 81 carros e área
para parada de ônibus, entretanto não oferece serviço de quarto e de mensageria. O hotel
também possui serviços opcionais como o de café da manhã com pagamento de taxa
9

extra com o sistema de buffet com diversas opções para todos os gostos e dispõe de
uma cozinha que serve pratos quentes e frios dia e noite, e um bar que nunca fecha.
O hotel Ibis São José possui instalações para deficientes com rampa de acesso para
cadeiras de rodas, adaptações em 2 unidades habitacionais, como por exemplo portas do
banheiro com tamanho diferenciado do convencional. O hotel também possui recursos
de segurança como alarmes de fumaça sonoros em todo o hotel, inclusive no quarto.

5.5 CAPACIDADE
O Hotel Ibis São José possui 136 UH (Unidades Habitacionais), com uma capacidade
máxima de 230 hóspedes no Hotel. Dentro desses 136 apartamentos, 2 unidades
habitacionais são adaptados para deficientes.

5.6 ESTRUTURA DE SERVIÇOS
O hotel Ibis São José é um hotel de segmento econômico, logo os serviços prestados
são limitados, já que para comprar uma diária mais em conta é necessário cortar custos.
Por essa razão, possui apenas service desk para aluguel de veículos, serviço de
negócios, cofre na recepção, conectividade com a Internet, acesso multimídia, internet
sem fio no hotel e no quarto, bar, lavanderia, máquina de engraxar sapatos e
estacionamento próprio com vaga para 81 carros e área para parada de ônibus. O hotel
não possui serviço de quarto e mensageria.

5.7 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL
Charles Reimer, o gerente do Hotel Ibis São José, afirmou que o Hotel em média tem
28 funcionários, onde não passa de 30. Possui uma alta rotatividade de funcionários,
sendo alegado que não querem trabalhar em final de semana e feriados. Os
recepcionistas, na qual possuem em média 3 em cada turno, são considerados como
atendentes de hospedagem, pois possuem conhecimento em várias áreas dentro do
Hotel, onde eles acabam executando multifunções, já que o bar fica ao lado do balcão
da recepção.
No setor da governança, possui apenas uma supervisora que coordena todas as
camareiras em cada turno, e eles possuem em média 5 camareiras por turno. Além dos
citados, no setor de gerenciamento tem uma assistente do Charles Reimer.


10

5.8 CURIOSIDADES
O hotel possui o selo de qualidade ISO 9001, que diz que todo o estabelecimento que
melhora a sua participação no mercado, reduzindo os custos, gerenciando o risco mais
eficazmente ou melhorar a satisfação dos clientes, e ISSO 14001 é uma norma
internacionalmente que define os requisitos para estabelecer e operar um Sistema de
Gestão Ambiental, isso significa que a norma reconhece as organizações que estão
preocupadas tanto com a sua lucratividade quanto com a gestão de impactos ambientais.
O Ibis possui um contrato de 15 minutos na qual os funcionários têm 15 minutos para
resolver o problema, caso não seja resolvido em 15 minutos, o serviço será pago pelo
hotel.

6 OUTROS HOTÉIS

6.1 HOTEL 10 - JOINVILLE
O HOTEL 10 está no mercado há 10 anos com o intuito de oferecer uma opção de
hospedagem confortável e econômica em pontos estratégicos, entre eles: rodovias,
entroncamentos rodoviários, cidades industriais, universidades, portos e aeroportos.
Permite que a hospedagem seja de até quatro pessoas por apartamento.
O HOTEL 10 Joinville encontra-se a 6 km aeroporto, da BR-101 (2,5km) e do centro
universitário (2km), que abriga a Universidade da Região de Joinville e a Universidade
do Estado de Santa Catarina, também fica próximo ao Joinville Garten Shopping (a
2km). Foi construído em frente ao Grêmio Whirlpool, área verde, com centenas de
árvores e densa vegetação. O hóspede pode utilizar a infraestrutura do Grêmio.
Academia de ginástica, pista de skate, quadras poliesportivas, campo de futebol,
churrasqueiras e restaurante são alguns serviços disponíveis que o Grêmio oferece.
As UHs possuem janelas com tratamento acústico, ar condicionado Split, mini
refrigerador, banheiro privado com pia externa, cofre eletrônico, televisão LDC 32,
apartamentos com 1 ou 2 camas de casal tipo Box Spring, café da manhã de cortesia,
acesso wi-fi gratuito disponível em todo o hotel, fechaduras eletrônicas com chaves
cartão magnético, lavanderia com opção self service gratuita, loja de conveniência,
aptos para portadores de necessidades especiais, animais de estimação são permitidos e
o estacionamento é gratuito.


11

6.2 COMFORT HOTEL – JOINVILLE
O Comfort Hotel Joinville está localizado no centro da cidade, a poucos metros do
Shopping Muller, do Batalhão da Infantaria e da badalada rua de bares e restaurantes.
De fácil acesso, fica apenas a 14km do aeroporto e a 2km da rodoviária.
O hotel possui 148 apartamentos, sendo 32 conjugados, na qual 2 apartamentos
adaptados para pessoas com necessidades especiais, possui Internet wi-fi de cortesia,
Business Center, o estacionamento é cortesia, fechadura eletrônica, Fitness Center de
cortesia, salas de Eventos, Ar condicionado SPLIT individual quente e frio, cafeteira
com kit cortesia, cama Kink Size (uma de casal ou duas de solteiro), cofre digital, ferro
e tábua de passar roupas, minibar abastecido com água, refrigerante, sucos,
achocolatado e guloseimas, mesa de trabalho, secador de cabelos, serviço de lavanderia,
TV LCD 32" à cabo digital e Room Service até às 23h00.
O Comfort Hotel Joinville possui 03 salas de eventos: Sala Orquídea (capacidade
para 100 pessoas em auditório); Sala Lírio (capacidade para 50 pessoas em auditório);
Sala Jasmin (capacidade para 10 pessoas com mesa fixa). O hotel conta com os mais
modernos equipamentos de eventos e oferece coffee break, almoço e jantar.

7 CONSIDERAÇÕES FINAIS
O hotel Ibis São José possui a modernidade e a praticidade em todas as ações
desenvolvidas dentro do hotel. Tudo feito para minimizar os gastos, assim aumentando
o lucro do empreendimento, suas UHs são modernas e confortáveis, não são luxuosas,
mas possuem um ambiente acolhedor e é isso que os hospedes estão procurando dentro
de uma categoria econômica lugares para se hospedar próximo aos grandes centros e a
comodidade básicas dos consumidores como uma boa cama e um bom banho para o
descanso, fazem parte de uma rede de hotéis e seus serviços seguem padrões
estabelecidos pela rede.
O que antes não era encontrado dentro da hotelaria independente e familiar, pois
essa estava longe de trabalhar com padrões de serviços e gestão deixando uma lacuna
aberta que fora preenchidas pelas grandes marcas, e tendo um grande desafio que era
conseguir implantar um produto com qualidade, padronizado e com um preço acessível
para esse publico consumidor em potencial, na maioria executivos, vendedores, e na alta
temporada da região supre essa falta de oferta de UHs da região.
12

Comparando os três hotéis pesquisados, foi possível verificar que os hotéis
econômicos são parecidos, mesmo sendo de redes hoteleiras diferentes, na qual
pequenas diferenças aparecem, mas normalmente seguem um padrão.
Portanto, esses empreendimentos focam em uma maximização de lucro fazendo uma
gestão bem focada e direta dentro de todos os seus setores na qual a racionalização e o
serviço padronizado de uma grande rede levam ao sucesso.
O propósito inicial foi resolvido, que era a caracterização da hotelaria econômica e
suas diferenças entre um hotel e outro na qual percebeu-se que o foi aceito no mercado,
isso quer dizer que o resultado foi positivo. A metodologia utilizada foi eficaz e os
dados obtidos na pesquisa são bastante positivos e posicionam os hotéis econômicos
como agentes de crescimento do mercado hoteleiro.

REFERÊNCIAS

ACCOR. Disponível em: <http://www.accorhotels.com/pt/hotel-6667-ibis-sao-
jose/index.shtml>. Acesso em: 24 jun. 2014.

ATLANTICA. Disponível em:
<http://www.atlanticahotels.com.br/atlantica/hoteis/Estrutura.asp?Numfuncionalidade=
292&NumHotel=1023&Cidade=Joinville&titulo=Apresenta%E7%E3o>. Acesso em:
19 jun.2014.

BASTOS, José Messias. Ensaios sobre Santa Catarina. A Pequena produção Mercantil
Açoriana. Florianópolis: Letras contemporâneas, 2000.

BUENO, Sérgio. Novos empreendimentos hoteleiros aquecem o mercado nacional.
Revista hotéis. A referência do setor, 2013. Disponível em:
<http://www.revistahoteis.com.br/materias/7-area-/13310-Novos-empreendimentos-
hoteleiros-aquecem-o-mercado-nacional>. Acesso em: 17 jun. 2014.

CASTELLI, Geraldo. Administração Hoteleira. EDUCS 9ª edição, Caxias do Sul, 2001.

HOTEL 10. Disponível em: < http://www.hotel10.com.br>. Acesso em: 19 jun. 2014.

IBIS. Disponível em: <http://www.ibis.com/pt-br/hotel-6667-ibis-sao-
jose/index.shtml>. Acesso em: 27 jun. 2014.

IGNARRA, Luiz Renato; FUNCIA, Thais. Hotelaria econômica: administração de
hotéis em um segmento promissor. Observatório de Inovação do Turismo – Revista
13

Acadêmica. Volume II, Edição Especial – BSH International. Disponível em:
<http://www.ebape.fgv.br/revistaoit>. Acesso em: 20 jun. 2014.

RESEARCH, BSH Travel. Hotéis econômicos no Brasil. BSH INTERNATIONAL, São
Paulo, 2005. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/bshinternational/2005-hotis-
econmicos>. Acesso em: 30 mai. 2014.

RESEARCH, BSH Travel. Hotéis econômicos no Brasil. BSH INTERNATIONAL, São
Paulo, 2008. Disponível em:
<http://www.bshinternational.com/sys/download/hoteis_economicos_2008.pdf>.
Acesso em: 30 mai. 2014.

MOTA, Mirian. O conceito da hotelaria super econômica. Guia da carreira, São Paulo,
2007. Disponível em: <http://www.guiadacarreira.com.br/artigos/carreira/hotelaria-
super-economica/>. Acesso em: 25 mai. 2014.

SANTOS, Fabíola M. Uma análise histórico-espacial do setor hoteleiro no núcleo
urbano central de Florianópolis. Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-
graduação em Turismo e Hotelaria da UNIVALI, 2005. Disponível em:
<http://siaibib01.univali.br/pdf/Fabiola%20Martins%20dos%20Santos.pdf>. Acesso
em: 01 jul. 2014.

SANTOS, Fabíola Martin dos. Geografia das redes hoteleiras Mundo, Brasil e Santa
Catarina [tese]. Biblioteca Universitária – UFSC, Florianópolis, 2012. Disponível em:
<https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/100551/312900.pdf?sequence=
1>. Acesso em: 26 jun. 2014.

SILVA, Katia Viviane da. Diferença entre pesquisa qualitativa e quantitativa. Blog
oficial do Programa de Iniciação Científica Júnior - PIBIC JR/FUNDECT/CNPq em
Mato Grosso do Sul, 2011. Disponível em: <
http://programapibicjr2010.blogspot.com.br/2011/04/diferenca-entre-pesquisa-
qualitativa-e.html>. Acesso em: 07 jul. 2014.