You are on page 1of 7

COMERCIALIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE USINAGEM NO POLO

INDUSTRIAL DE MANAUS - UM TRATAMENTO CONTÁBIL

Thiago Ribeiro de Mattos


Graduando Engenharia de Produção
Universidade Federal do Amazonas (UFAM)
(92) 8423-6072/3236-8487
Av. Rodrigo Otávio Jordão Ramos, 3000 – Aleixo – Manaus – AM – CEP 69077-000
bfbarroncas@hotmail.com

RESUMO

Este artigo apresenta de forma simples e objetiva a dificuldade que as empresas do


ramo de beneficiamento de resíduos industriais têm em mensurar as perdas no
momento da aquisição dos resíduos, devido misturas com outros materiais do processo
industrial que participaram do processo fabril. As perdas e geração de subprodutos
devem ser contabilizadas e necessitam de estudos, análise e emissão de laudo técnico.
Utilizando equipamentos, sistemas de controle e registros a empresa Cometais
Comércio de Metais Ltda., que atua no ramo de beneficiamento de resíduos industriais
na cidade de Manaus, conseguiu identificar, registrar e contabilizar com respaldo legal
as perdas e os subprodutos de resíduos industriais originados de processo de usinagem
de empresas do Pólo Industrial de Manaus.
Palavras Chave: 1. Usinagem 2. Resíduo Industrial 3. Contábil

ABSTRACT

This article presents in simple and objective way, the difficulties that Companies of
Residue facing to measuring it waste at moment on the purchase of residue due to mix
of different materials were in the industrial process. The residues and products
generation must be accounted and need further studies, analysis and issue a technical
report. Using equipments, control systems and reports, the Cometais Company Metal
Commerce Ltd., that operates in the field of Residues Processing in Manaus city, has
achieved to identify, to record and to account, with legal support, the losses and
products of industrial residues such as: cutting in the Manaus Industrial Pole.
Key-Words: 1. Cutting 2. Industrial Residue 3. Accounting
1. Introdução
O processo de usinagem de metais gera resíduos que possuem valor de mercado
no ramo de reciclagem de metais porem, inerentes ao processo de usinagem o resíduo
gerado apresenta-se de forma que há a necessidade de passar por tratamento de secagem
e segregação para que esteja nas condições exigidas pelo mercado no momento da
venda.
A aquisição dos resíduos de usinagem é adquirida ainda sem passar por
tratamento de secagem e segregação configurando-se matéria prima, visualizando no
momento da venda após ter passado por tratamento de secagem e segregação, perdas e
geração de produto e subproduto.
A Cometais comércio de metais Ltda, empresa que atua no ramo de
comercialização de resíduos metálicos, na apuração do estoque contábil não
contemplava as perdas e a geração de subprodutos ocorridas no processo de secagem e
segregação dos resíduos de usinagem, ocasionando diferença no estoque contábil com o
estoque físico.
Visando demonstrar a movimentação do estoque dos produtos com suas perdas e
subprodutos gerados na demonstração de resultados do exercício e no balanço
patrimonial de forma correta e com respaldo legal, a Cometais comércio de metais ltda
adotou uma sistemática de mensuração, registro e contabilização dos percentuais de
perda no processo de secagem e segregação e dos subprodutos gerados utilizando-se de
equipamentos de secagem, esteiras com imãs, balança e sistema informatizado
interligando o setor de produção responsável pelo tratamento do resíduo com a
contabilidade.

2. Desenvolvimento
2.1 Produção e aquisição de matéria-prima
Operações de usinagem são aquelas que, ao conferir à peça metálica a forma, ou
as dimensões ou o acabamento, ou ainda uma combinação qualquer destes três itens,
produzem cavaco. Defini-se cavaco, a porção de material da peça, retirada pela
ferramenta, caracterizando-se por apresentar forma geométrica irregular (FERRARESI,
1924).
As operações de corte no processo de usinagem é realizada com a presença de
fluidos de corte. Os fluidos de corte são constituídos de uma combinação de agentes

2
químicos com a água que possuem como função otimização no processo de usinagem,
tendo caráter funcional ou caráter econômico.
A otimização de caráter funcional são aquelas que facilitam o processo de
usinagem, conferindo a este um desempenho melhor. Distingue-se:
• Redução do coeficiente de atrito entre a ferramenta e o cavaco;
• Expulsão do cavaco da região de corte;
• Refrigeração da ferramenta
• Refrigeração da peça em usinagem;
• Melhor acabamento superficial da peça em usinagem;
A otimização de caráter econômico são aquelas que induzem a um processo de
usinagem mais econômico. Distingue-se:
• Redução do consumo de energia de corte
• Redução do custo da ferramenta na operação
• Impedimento da corrosão da peça em usinagem (FERRARESI, 1924)
Durante a usinagem ocorrem desgastes nas superfícies de saída e de folga da
ferramenta. O processo de desgaste gera resíduo de aço proveniente da ferramenta e
junto com a utilização dos fluidos de corte o cavaco gerado vem embebido em fluido e
misturado com uma porcentagem de aço.
As empresas que atuam no ramo de comercialização de resíduos industriais
metálicos e material sucatado possuem grande interesse na aquisição do cavaco e sua
negociação realizada em unidades monetárias por quilogramas.
2.2 Processamento da matéria-prima e venda do produto
O cavaco ainda contaminado é pesado em balança aferida e certificada pelo
inmetro, tendo seu peso real e contábil registrado e identificado em lote em sistema
informatizado, o cavaco é encaminhado para o setor de produção onde passa
inicialmente por um forno para tratamento térmico para evaporar os fluidos, após essa
etapa o cavaco passa por uma esteira com um imã que irá retirar do cavaco o aço. O
produto final, o cavaco totalmente livre de fluidos e aço, é novamente pesado e
registrado de acordo com seu lote identificador e vendido as fundições que possuem alto
interesse no produto, pois o mesmo não perde suas características físico químicas
metálicas após passar por processo de secagem e segregação.

3
2.3 Tratamento contábil da perda normal de material
As perdas devido a evaporação dos fluidos dos resíduos de usinagem são
consideradas perdas normais ou seja inerentes ao processo de elaboração do produto
sendo assim o custo do material perdido fará parte do custo do produto elaborado
(MARTINS,1990). Para a contabilização, o processo de perda deve passar por laudo
técnico para ter respaldo legal como cita Hiromi Higushi (2009) em seu livro imposto
de renda das empresas:
“O valor das quebras e perdas razoáveis, de acordo com a natureza
do bem e da atividade, ocorridas na fabricação, no transporte ou no manuseio
integrará o custo das mercadorias vendidas ou dos produtos fabricados. Integrará
também o custo o valor das quebras ou perdas de estoque por deterioração ou
obsolescência ou pela ocorrência de riscos não cobertos por seguros desde que
comprovada” (art. 291, inciso II, do RIR/99)

a. por laudo ou certificado de autoridade sanitária ou de segurança, que


especifique e identifique as quantidades destruídas ou inutilizadas e as
razões da providência;
b. por certificado de autoridade competente, nos casos de incêndios,
inundações ou outros eventos semelhantes;
c. mediante laudo de autoridade fiscal chamada a certificar a destruição de
bens obsoletos, invendáveis ou danificados, quando não houver valor
residual apurável;
A contabilidade obtém as informações de perda registradas no sistema
informatizado interligado com a produção e elabora os relatórios contábeis.
2.4 Tratamento contábil dos subprodutos
Subproduto são aqueles itens que, nascendo de forma normal durante o processo
de produção, possuem mercado de venda relativamente estável, tanto no que diz
respeito à existência de compradores como quanto ao preço. São itens que tem
comercialização tão normal quanto os produtos da empresa, mas que representam
porção ínfima do faturamento total. (MARTINS, 1990).
Na contabilização da venda do subproduto é considerada a receita originada de
sua venda como redução do custo de produção da empresa. Se houver custos e de
preparação do subproduto para colocá-lo em condições de venda e/ou despesas para
realizar a venda estes devem deduzir o valor bruto de vendas para depois abatermos do
custo de produção. (MARTINS, 1990).

4
A geração do aço após o tratamento do cavaco é considerado subproduto, este é
pesado e seu peso registrado no sistema informatizado, estas informações do valor
agregado ao subproduto irão compor os relatórios contábeis.

2.4 Relatórios contábeis


O balanço patrimonial reflete a posição financeira em determinado momento,
normalmente no fim do ano ou de um período prefixado. (MARION, 2005).
O balanço patrimonial é constituído de duas colunas: a coluna do lado direito,
denominada passivo e patrimônio liquido, a coluna do lado esquerdo, denominada ativo.
BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO E PATRIMÔNIO LIQUIDO
Tabela 1
Ativo são todos os bens e direitos de propriedade da empresa, mensuráveis
monetariamente, que representam benefícios presentes ou benefícios futuros para a
empresa.
• Bens: maquinas, terrenos, estoques, dinheiro (moeda), ferramentas,
veículos, instalações etc.
• Direitos: contas a receber, duplicatas a receber, títulos a receber, ações,
depósitos em contas bancarias (direito de saque), títulos de credito etc.
(MARION, 2005).
A Cometais comércio de metais estrutura as informações do estoque que estão
registrados no sistema informatizado no balanço patrimonial conforme a tabela 2.

BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO PASSIVO E PL
BENS Ano Ano
atual anterior
Caixa
Estoques R$1.000,0 R$ 800,0
Máquinas
Imóveis
Direitos
Contas a receber
Total
Tabela 2– estrutura do balanço patrimonial da Cometais

5
As informações de perda ou quebra no processo influenciam nas informações de
estoque, este é indispensável para apuração do custo da mercadoria vendida, pois irá
compor o relatório contábil de demonstração de resultados do exercício que demonstra
se o exercício teve lucro ou prejuízo (MARION, 2005). Ver tabela 3 estrutura geral da
demonstração de resultados do exercício.

Receita bruta
(-) Deduções
= Receita liquida
(-) custo das vendas
= Lucro bruto
(-) Despesas operacionais
= Lucro operacional

Tabela 3 – Estrutura geral de DRE

3. Considerações Finais
O uso da metodologia apresentada proporcionou resultados positivos no tocante
à contabilização correta dos estoques de material, permitindo emitir relatórios de
demonstração financeira confiáveis para uma tomada de decisão gerencial.
Os resultados expostos no decorrer do presente trabalho nos levam a crer que o
investimento em técnicas de segregação que permita a mensuração dos resíduos
resultantes se faz enormemente necessário, pois não de outra forma, estaremos
atendendo as exigências fiscais e não possuiremos dados para análise e tomada de
decisão num ambiente altamente competitivo que é o mercado de comercialização de
resíduos industriais. Desta maneira, a necessidade de informações reais, organização
dos dados coletados, senso crítico durante a análise e conhecimento de ferramentas que
nos auxiliam no desenvolvimento dos métodos de segregação são de grande valia para
alcançarmos resultados positivos, reduzindo custos, aumentando a eficiência e
maximizando os resultados corporativos.

6
4. Referência
BLUCHER, Edgar; FERRARESI, Dino. Fundamentos da usinagem de metais. São
Paulo, SP, 1924.

MARION, José Carlos. Contabilidade empresarial. 11. ed. São Paulo, SP. Atlas,
2005.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 4. ed. São Paulo, SP. Atlas, 1990.

HIGUSHI, Hiromi. Imposto de renda das empresas.34. ed. São Paulo,SP,IR


Publicações,2009.