You are on page 1of 2

PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DA UFG_CAC – PROF.

RICARDO CRUVINEL DORNELAS – 2012
FICHAMENTO DE MCC1
Texto / Caso: Aglomerantes - Capítulo 02 - Livro Materiais de Construção do Falcão Bauer
Aluno: Camila Lourenço Parreira 112!
Data da
discussão/entrega:
22"11"2012
1. esen!a do texto
As#alto $ um aglomerante de cor preta% &idrocar'onada (ue est) presente e dissolvido em petr*leos
crus+ , muito mane-)vel e processos ocorridos na nature.a levaram / #ormação de dep*sitos naturais desse
produto% estes são con&ecidos como roc&as 'etuminosas+ 0ão poderosos ligantes% de longa duração%
rapidamente adesivo e muito imperme)vel+ Apresenta #le1i'ilidade control)vel em suas misturas com
agregados minerais+
Podem ser classi#icados em2
-Cimentos as#)lticos% produ.idos a partir de resíduos compostos de as#alto e *leo+ 3sse material $
su'metido / destilação em 'ai1a temperatura ou por processo de precipitação+ 0ão termopl)sticos e variam
sua consist4ncia de #irme a duro+ , produ.ido e classi#icado em uma s$rie de variedades% #a.endo ensaios de
penetração (ue medem a dure.a e a consist4ncia+ Fa.-se determinação do ponto #ulgor% onde durante o
a(uecimento mede-se a temperatura para (ue os vapores desprendidos se in#lamem em contato com uma
c&ama+
-As#altos lí(uidos% #ase semi-s*lida de materiais dissolvida em *leos+ Podem ser de cura lenta onde
se t4m a mistura de *leos e cimento as#)ltico e seu endurecimento $ #eito lentamente pela evaporação dos
*leos5 de cura m$dia (ue $ uma mistura de cimento as#)ltico de alta penetração com um solvente
&idrocar'onado e estes endurecem com rapide.5 e os de cura r)pida% compostos por cimento as#)ltico e um
solvente altamente vol)til e endurecem mais rapidamente (ue os tipos anteriores+ A consist4ncia desse tipo
de as#alto pode ser medida em ensaios de viscosidade c&amados de Saybolt Furol% e (uanto mais longo o
tempo de escoamento% maior $ a viscosidade do produto+
-3muls6es as#)lticas% (ue são misturas &omog4neas de cimento as#)ltico e )gua+
Cal $ resultante da calcinação de roc&as calc)rias e tam'$m de dep*sitos de resíduos de es(ueletos
animais% onde esse processo puro resulta na produção de *1ido de c)lcio puro (ue $ de grande import7ncia
industrial e tem mel&or preço (ue os produtos não puros (ue geralmente são utili.ados em construç6es+
8s di#erentes tipos de cal se classi#icam a partir da sua composição (uímica ')sica onde apresentam
as variedades de cal c)lcica e cal magnesiana e seu rendimento em pasta (ue pode ser cal gorda e cal
magra+
9o caso da cal viva% tem-se um produto de cor 'ranca em #orma de grãos de taman&o grande e
porosos ou em p*+ :) a cal &idratada% apresenta-se em #locos ou em p* e tam'$m de coloração 'ranca+ A
plasticidade% na cal% conceitua a maior ou menor #acilidade de aplicar as argamassas como revestimento+
A cal &idratada $ um produto industriali.ado (ue so#reu o processo de &idratação em usinas onde a
cal viva $ moída ou pulveri.ada% misturada com )gua e assim a &idratada $ separada da não-&idratada e das
impure.as+ A cal &idratada $ de #)cil manuseio% arma.enamento% transporte e pronta para ser utili.ada+
A cal dolomítica $ produ.ida atrav$s de calc)rios dolomíticos% e por ocorrer e1pansão de &idratação
durante a e1tinção da cal viva esse produto o#erece consider)vel di#iculdade al$m do processo de &idratação
ser muito lento+
- 1 -
PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DA UFG_CAC – PROF. RICARDO CRUVINEL DORNELAS – 2012
A calcinação do calc)rio ocorre em altas temperaturas (ue estão entre ;<0=C e 1200=C e pode ser
reali.ada ao ar livre ou em #ornos contínuos (ue são do tipo vertical e &ori.ontal% onde o primeiro $ de acordo
com o com'ustível empregado de c&ama curta ou de c&ama longa+
8 gesso $ o termo utili.ado para nomear os aglomerantes simples (ue são constituídos de sul#atos
mais ou menos &idratados e anidros de c)lcio e o'tidos pela calcinação da gipsita natural+ 9a França% e1iste
grande (uantidade de gesso% e esse material $ sempre aplicado puro+ :) nos 3stados >nidos $
principalmente utili.ado misturado com a areia+ Por$m% no Brasil% gesso não $ encontrado em a'undancia e
conse(uentemente $ caro e pouco usado como um aglomerante% no mercado pode ser c&amado tam'$m de
estu(ue ou gesso-mole e $ um p* 'ranco e muito #ino (ue d) pega r)pida e atinge grande resist4ncia+
As pastas e argamassas de gesso se aderem muito 'em ao ti-olo% pedra e #erro e mal /s super#ícies
de madeira5 e (uando endurecidas% as pastas tem grande isolamento t$rmico e ac?stico al$m de alta
impermea'ilidade ao ar e consider)vel resist4ncia ao #ogo+ 8 processo mais moderno da produção de gesso
$ pelos #ornos rotativos+ 9a construção civil% $ usado principalmente para revestimento e decoração de
interiores+
@) ainda alguns aglomerantes especiais como o cimento sorel (ue d) pega em tempo menos (ue 2A
&oras e endurece completamente em (uatro meses por$m se deteriora (uando muito mol&ado5 o cimento
resistente / ação de )cidos (ue são produtos org7nicos% normalmente pl)sticos e resinas5 a cal po.ol7nica
(ue $ um misturado de cin.a vulc7nica com cal &idratada (ue endurece so're a )gua5 a cal metal?rgica (ue
$ semel&ante a cal po.ol7nica onde a po.olana $ su'stituída pela esc*ria de alto #orno #inamente
pulveri.ada5 e a cal &idr)ulica (ue $ um aglomerante o'tido pela calcinação de roc&as calc)rias (ue
conten&am materiais argilosos e não $ indicada para construç6es so're a )gua+
". #uais são as $rinci$ais contri%ui&'es deste texto( E )uais são suas $rinci$ais li*ita&'es(
8 te1to $ de grande contri'uição para o con&ecimento so're composição dos aglomerantes como o
as#alto% a cal% o gesso e aglomerantes especiais utili.ados em o'ras de construção civil e so're o processo
utili.ado para o't4-los+ Por$m% apesar de ter algumas recomendaç6es de como e onde utili.)-los% ainda &)
#al&as na e1plicação de como preparar o produto para sua aplicação+
- 2 -