You are on page 1of 23

DESENHO TÉCNICO DE ARQUITETURA

:
Tipologia e Hierarquia de Traços:
Conceitos de desenho técnico de arquitetura: planta,
corte e vista.
Traço grosso: paredes, elementos estruturais (lajes,
pilares, vigas, etc.), escadas e terreno representados em
corte.
Traço Médio: esquadrias (portas e janelas) representadas
em corte. Objetos representados em vista em primeiro
plano, conforme uma escala de valores de traços em vista
(hierarquia).
Traço Fino: objetos representados em vista, conforme uma
escala de valores de traços em vista (hierarquia).
Tracejado (Fino): objetos representados em projeção
acima do plano de desenho (projeção superior).
Traço-ponto (Fino): objetos representados em projeção
abaixo do plano de desenho (projeção inferior).
Traço-ponto (Grosso): indicações em planta de cortes.
Traço-2 pontos (Fino): recomendado pela NBR 6420 para
objetos representados em projeção acima do plano de
desenho (projeção superior). Para demais casos de
projeção, a norma recomenda o uso de linhas tracejadas.
1
.
5
0
Ao cortar uma edificação ou um
pavimento de edificação com um
plano elevado à 1,50m do nível
de piso, obtem-se da seção vista
de cima para baixo, a planta
desta edificação ou de um dos
pavimentos em casos de
edificações com dois ou mais
pavimentos.
Os elementos deste desenho
serão representados com os
tipos de traços descritos acima:
traço grosso para paredes e
pilares que se apresentam em
corte, ou seja, na altura do
plano de corte (à 1,50m do nível
de piso). Traço médio para
portas e janelas em corte. Traço
fino para paredes, peitoris e
quaisquer objetos em vista
)abaixo do plano de corte).
porta em
corte
parede em
vista
janela em
corte
parede em
corte
parede em
vista
(peitoril)
pilar em
corte
1
Cotas de todos os
compartimentos e paredes.
Deve-se cotar primeiramente
pela periferia. Naqueles
compartimentos e paredes
que ficaram sem cotas, deve-
se traçar cotas por dentro
do desenho, desde que seja
possível a leitura das
informações.
Procure manter as cotas
próximas aos objetos que
elas se referem. Trace
também uma cota que
totaliza uma sequência
de várias outras para
informar a dimensão
inteira de um ou mais
lados do desenho.
Indicações de
corte:
Letra do corte.
Prancha do
caderno de
desenhos onde se
encontra o
referido corte.
Informar sempre o layout de
compartimentos como áreas de
serviço, cozinhas, banheiros e
lavabos (chamadas áreas
molhadas).
Se o pavimento
imediatamente acima
ou parte dele se
projeta além dos
limites da planta
desenhada, deve-se
indicá-lo em projeção
(superior)
descrevendo em local
visível para leitura.
Em casos de muros, informar
sempre a altura.
Informar as dimensões das
esquadrias: largura x
altura x peitoril, ou atravéz
de códigos que devem ser
relacionados em um quadro
de esquadrias.
Nomes e áreas de todos
os compartimentos
Título e escala do
desenho.
Número do desenho
na prancha.
Desnecessário em
pranchas com um
único desenho.
Níveis,
sempre
precedidos
dos sinais
+ ou -
conforme o
caso.
Mantenha as
informações
concentradas em
um único local
para facilitar a
leitura, de
preferência no
centro do
compartimento.
Nota: não é
necessário
informar o mesmo
nível em vários
compartimentos.
Além das diferentes representações de traço, uma planta
também deve conter:
Em plantas de cobertura
informe o sentido de
caimento e as inclinações
das águas do telhado, a
projeção do perímetro do
pavimento imediatamente
abaixo (projeção
inferior), indique os
cortes conforme as
plantas dos pavimentos
inferiores e cotas do
telhado, beirais etc.
2
O plano vertical que corta uma edificação possibilitando a visualização do seu interior com
a finalidade de representar e dimensionar elementos impossíveis de serem mostados em
planta, em arquitetura, chama-se corte. Em um projeto básico ou ante projeto, geralmente
são apresentados dois cortes, mas dependendo da complexidade, pode-se ter três, quatro
ou mais cortes em um único projeto.
Os padrões de traçado devem ser os mesmos adotados nos desenhos em planta,
respeitando criteriosamente a hierarquia nos objetos representados em vista.
Em alguns elementos como escadas e telhados, é recomendável que se desenhe primeiro o
corte que os mostre de perfil, pois não é possível representá-los em corte transversal sem
as dimensões em verdadeira grandeza (V.G.).
parede
em corte
terreno
em corte
janela
em corte
telhado
em vista
telhado
em corte
parede
em vista
(aresta)
mureta
em vista
parede
em vista
(aresta)
aresta
represente o
terreno em
corte com a
hachura
apropriada.
em cortes, procure
cotar somente elementos
em corte. aqueles que se
apresentam em vista só
devem ser cotados caso
não se encotrem em
corte em outro desenho
e seja fundamental
informar as dimensões.
os elementos estruturais
do telhado devem ser
representados nos cortes,
em corte e em vista.
deve-se cotar a
altura total da
edificação.
Níveis,
sempre
precedidos
dos sinais
+ ou -
conforme o
caso.
Título e escala do
desenho. alinhados
com o desenho pelo
lado esquerdo.
evite cotar espessuras de lajes,
alturas de vigas ou qualquer
outro elemento estrutural, a não
ser que já se conheça tais
dimensões. em projetos básicos
geralmente estas informações
ainda não foram calculadas ou
definidas por profissional
responsável.
pés direitos devem sempre ser
cotados de piso a piso, neste
nível de projeto.
nomes dos
compartimentos
devem ser
colocados
junto ao piso.
terreno em
corte: traço
forte.