You are on page 1of 9

Malária

Exercícios
1) Determinados indivíduos, quando são picados por um inseto do gênero Anopheles, em seguida
apresentam uma doença conhecida vulgarmente pelos nomes de: malária, maleita, impaludismo ou
febre intermitente. Conclui-se que este indivíduo apresenta um parasita chamado:
a) Plasmódium
b) Trypanosoma
c) Leishmania
d) Paramecium
e) n.d.a.
2) Se a infecção da malária for severa, quais são os sintomas adicionais mais graves?
 Choque circulatório (parasitas entupindo vasos sanguíneos), síncopes (desmaios), convulsões,
delírio, hepatomegalia (inchaço do fígado), esplenomegalia (inchaço do baço), hipoglicemia, problemas
renais com urina escurecida por hemoglobinas, fraqueza muscular (ao ponto de não conseguir andar
adequadamente) e edema pulmonar resultando em dificuldade de respirar.
3) Quais são as quatro espécies que podem produzir a infecção da malária?
 Plasmodium falciparum, Plasmodium vivax, Plasmodium malariae e Plasmodium ovale.
4) Qual é o Plasmodium causador da malária mais grave?
 Plasmodium falciparum.
5) Como pode ser feita a prevenção da malária?
 Evitar picadas do mosquito, fazendo o uso de repelentes, calças e camisas de manga longa,
principalmente no período de fim da tarde e início da noite. Evitar o acúmulo de água parada a fim de
impedir a ovoposição e nascimento de novos mosquitos é outra forma de evitar a malária.







Exercícios – 2
1. A partir da análise desses planisférios e considerando-se outros conhecimentos sobre o assunto, é
INCORRETO afirmar que:
a) ( ) a persistência de um alto risco de transmissão da malária nas faixas de baixa latitude do Globo se
deve não às características ambientais dessas regiões, mas às condições socioeconômicas das populações.

b) (x) as porções continentais de mais elevada densidade demográfica na zona intertropical são as que
apresentam os mais altos riscos de transmissão da malária, porque tornam mais caros os processos de
erradicação da doença.

c) ( ) o mosquito transmissor sobrevive em ecossistemas tropicais, com temperaturas médias elevadas
e alto índice de precipitação, e em ecossistemas temperados sujeitos a uma forte variação sazonal e à
ocorrência de neve.

d) ( ) o percentual da população mundial exposto, na atualidade, ao risco de transmissão da malária é
menor em relação à segunda metade do século anterior, embora abranja um número maior de indivíduos.

Exercícios – 3
1. Quanto à malária, responda:
a) Descreva o ciclo pré-eritrocítico e eritrocítico que o parasito realiza no hospedeiro definitivo.
b) Qual o gênero de vetor responsável pela transmissão do Plasmodium spp? Cite o ciclo evolutivo no HI
informando a forma de inoculação em hospedeiro vertebrado.
c) Qual a forma de diagnóstico da malária? d. Explique como ocorre no paroxismo malárico as reações
de febre comparando com o ciclo do Plasmodium falciparum no hospedeiro vertebrado e. Por que
na África existe maior resistência para infecções por Plasmodium vivax?
2. Quanto aos coccídeos, responda:
a) Qual é o protozoário causador da diarréia com característica de invasão celular e eliminação
oocistos esporulados contendo dois esporocistos e quatro esporozoítos?
b) Qual o protozoário causador de diarréia intensa e crônica em imunossuprimidos responsável
pela produção de oocistos de parede delgada que podem causar quadros de reinfecção?
c) Qual o protozoário causador de diarréia que produz oocistos com dois esporocistos e dois
esporozoítos?
d) Qual a forma de contaminação através de coccídeos?
e) Qual a forma de diagnóstico dos coccídeos?
3. Com relação à toxoplasmose, responda:
a) Quais as formas evolutivas encontradas no hospedeiro definitivo?
b) Quais as formas evolutivas encontradas no hospedeiro intermediário?
c) Qual a forma de contaminação para os hospedeiros intermediários e definitivos?
d) Cite o ciclo de vida do T.gondii para os hospedeiros definitivo e intermediário.
e) Como pode ser realizada a transmissão transplacentária?
f) Como pode ser realizado o diagnóstico na fase aguda?
4. Com relação às leishmanioses responda:
a) Indicar os agentes etiológicos e explicar os seus principais aspectos morfológicos.
b) Esquematizar o ciclo biológico do parasito.
c) Indicar as formas de transmissão e as medidas de controle.
d) Explicar o quadro clínico.
5. Com relação a doença de chagas responda:
a) Indicar o agente etiológico e explicar os seus principais aspectos morfológicos.
b) Esquematizar o Ciclo Biológico do parasito.
c) Indicar as formas de transmissão e as medidas de controle.
d) Explicar o quadro clínico e as principais complicações da doença.
6. Sobre o Ancylostoma apresente: principais características morfológicas, ciclo biológico, ação sobre
o hospedeiro e diagnóstico.
7. Apresente uma mosca importante causadora de miíases, o ciclo biológico e sua importância médica-
veterinária.
Exercícios – Reino Protista
1. Onde podemos encontrar protozoários?
2. Qual a diferença entre os protozoários e os indivíduos do reino monera?
3. Do que os protozoários se alimentam:
4. Como foram descobertos os protozoários?
5. Quais as principais características dos protozoários flagelados? Cite exemplos.
6. Quais são as principais características dos protozoários ciliados? De exemplos.
7. O que são protozoários rizópodes? De exemplos.
8. Explique o processo de alimentação dos rizópodes conhecido como, fagocitose.
9. Quais as principais características dos esporozoários? De exemplos.
10. Uma boa parcela dos protozoários são capazes de causar doenças em seres humanos. Qual fator
sanitário é determinante na incidência dessas doenças?
11. Quais os principais sintomas verificados em uma infecção causada por protozoários?
Exercícios - Ancilostomose
1. Sobre o Ancylostoma apresente: principais características morfológicas, ciclo biológico, ação sobre
o hospedeiro e diagnóstico.
A ancilostomose é uma helmintíase que pode ser causada tanto pelo Ancylostoma duodenale como
peloNecatur americanus. Ambos são vermes nematelmintes (asquelmintes), de pequenas dimensões,
medindo entre 1 e 1,5 cm, Os vermes adultos vivem no intestino delgado do homem. Depois do
acasalamento, os ovos são expulsos com as fezes, Encontrando condições favoráveis no calor (calor e
umidade), tornam-se embrionados 24 horas depois da expulsão. A larva assim originada denomina-se
rabditóide. Abandona a casca do ovo, passando a ter vida livre no solo. Depois de uma semana, em média,
transforma-se numa larva que pode penetrar através da pele do homem, denominada larva filarióide
infestante. As larvas penetram ativamente migrando do coração para os alvéolos pulmonares, Dos alvéolos,
seguem para os brônquios, traquéia, laringe, faringe, esôfago, estômago e intestino delagado, local em que
se transformam em adultos, o diagnostico é encontro nas fezes de ovos e de vermes adultos.
Exercícios – 4
1. A malária é provocada por um parasita, o Plasmodium, sendo o Plasmodium falciparum responsável
pela maioria dos casos graves ou fatais. Esse parasita é transmitido através da picada do mosquito
fêmea. Uma vez no organismo, os parasitas vão-se multiplicar no fígado, infectando os glóbulos
vermelhos do sangue.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 3,3 mil milhões de pessoas estão em risco de
contrair malária durante a sua vida, em particular nos países mais pobres. Estima-se que a incidência anual
desta doença seja superior a 500 milhões de novos casos, sendo responsável por mais de um milhão de
mortes por ano.

Como os mosquitos que transmitem o parasita ocorrem em climas tropicais, são essas as áreas onde a
malária é mais comum.

Em Portugal a malária permaneceu endémica até cerca de 1950, em particular nas bacias dos rios Mondego,
Sado e Águeda, altura em que foi erradicado o vector. No entanto, devido às migrações entre Portugal e os
países de língua oficial Portuguesa situados em regiões endémicas (Angola, Moçambique, Guiné, São Tomé e
Príncipe e Timor), a malária, na sua forma importada, continua a aparecer de forma esporádica em
Portugal. Nas últimas décadas, o aumento do volume de viagens internacionais, nomeadamente para
destinos tropicais, endémicos para esta doença, acarretaram também o aumento dos casos importados.

Embora a maioria dos casos em Portugal tenha origem externa, verifica-se que o vector (mosquito) continua
abundantemente distribuído no território Nacional. Assim, a sua presença aliada à existência de casos
importados e a alterações climáticas cada vez mais acentuadas, tornam possível a ocorrência de infecções
futuras.

As alterações climáticas são um dos factores implicados no aumento da transmissão de doenças infecciosas,
estando relacionadas com a possibilidade de reemergência de malária em algumas áreas do hemisfério
norte.

Quais as causas da malária?
Como se referiu, a malária é provocada por um parasita, o Plasmodium, sendo o Plasmodium falciparum
responsável pela maioria dos casos graves ou fatais.

Existem várias espécies deste parasita mas apenas cinco causam malária em seres humanos: Plasmodium
falciparum, responsável pelas formas mais graves de doença; Plasmodium vivax, que causa formas de
malária menos sintomáticas mas que pode permanecer no fígado até 3 anos; Plasmodium ovale, mais raro e
que pode permanecer no fígado durante anos sem causar sintomas; Plasmodium malariae, muito raro e
apenas encontrado em África; Plasmodium knowlesi, igualmente muito raro.

Como se manifesta a malária?
O mosquito que transmite a malária habitualmente pica durante a noite. Se o mosquito picar alguém com
malária poderá transmitir o parasita a outras pessoas.

Inicialmente, o parasita entra na corrente sanguínea e viaja até ao fígado. Local onde a infecção se
desenvolve antes de reentrar no sangue e invadir os glóbulos vermelhos. O parasita cresce e multiplica-se
dentro desse glóbulos e, a intervalos regulares, os glóbulos rompem libertando mais parasitas para o
sangue. Os glóbulos vermelhos infectados, de um modo geral, rompem a cada 48-72 horas. Sempre que essa
rotura ocorre, os pacientes apresentam febre, calafrios e suores.

A apresentação clínica da malária é muito variável, podendo apresentar escassos sintomas ou formas agudas
e muito graves. A sua evolução pode ser fulminante e provocar a morte logo nas primeiras horas de
instalação da doença, pelo que o tratamento deve ser instituído o mais precocemente possível nos casos
suspeitos.

Os sintomas incluem febre, dores de cabeça, vómitos e, de um modo geral, surgem 10 a 15 dias depois da
picada do mosquito.

Se não for prontamente tratada, a malária afecta a irrigação de órgãos vitais e pode ser fatal.

Cerca de metade da população mundial apresenta risco de contrair malária. A maioria dos casos ocorre na
África sub-Saariana. Contudo, a Ásia, a América Latina, o Médio Oriente e algumas partes da Europa são
também afectadas.

O risco de malária é mais elevado nas crianças que ainda não desenvolveram imunidade contra as formas
graves de doença, nas grávidas não imunes (risco de aborto e morte da mãe), pessoas infectadas pelo vírus
VIH/SIDA e viajantes internacionais sem imunidade.

Como se diagnostica a malária?
O diagnóstico precoce da malária é essencial para o seu tratamento. Esse diagnóstico é feito a partir do
sangue pelo microscópio ou por testes laboratoriais muito rápidos. Deve ser realizado sempre que existe
suspeita de malária.

Um diagnóstico correcto e precoce não apenas permite um tratamento mais eficaz como reduz o
aparecimento de resistências ao tratamento.

Como se trata a malária?
Recentemente tem-se verificado o aumento de resistências, quer do mosquito aos insecticidas utilizados,
quer dos parasitas aos antimaláricos.

Apesar de tudo, a malária é uma doença que pode ser tratada e prevenida.

O objectivo principal do tratamento é a rápida eliminação do parasita do sangue do doente de modo a se
evitar a progressão da doença e as suas complicações. Outro objectivo importante do tratamento é impedir
a transmissão da doença para ouras pessoas.

O tratamento só deve ser começado após confirmação do diagnóstico.

Esse tratamento é feito recorrendo aos medicamentos anti-maláricos, sendo a sua selecção da competência
do médico. Estes medicamentos são administrados por via oral.

A cloroquina é util na malaria causada pelo Plasmodium vivax, outra espécie deste parasita.
Nas formas graves de malária, o tratamento deve ocorrer em ambiente de hospitalização.

Como se previne a malária?
Como medidas gerais, recomenda-se evitar exposição nos períodos de maior actividade do mosquito (ao
amanhecer e ao entardecer); usar roupas compridas para evitar áreas de pele descoberta e usar calçado
fechado; utilizar repelentes de insectos na pele e roupa; aplicar rede mosquiteira na cama, se possível
impregnada com insecticida; ar condicionado para afastar os mosquitos do quarto.

A prevenção passa ainda pelo uso de medicamentos, como a mefloquina, atovaquone+proguanil (Malarone),
doxiciclina, cloroquina ou cloroquina+Proguanil.

A complexidade do parasita responsável pela malária torna difícil o desenvolvimento de uma vacina. No
momento actual, existem várias vacinas em investigação.

Portugal tem sido um dos países onde essa investigação tem sido muito intensa, prevendo-se poder existir
uma vacina eficaz no ano de 2015.

Exercícios – 5
1. De acordo com a organização Mundial da saúde (OMS), a dengue voltará com ímpeto. “A Ásia e América
Latina serão duramente castigadas este ano” diz José Esparza, coordenador de vacinas da OMS. O motivo
dessa previsão está no fato de:
a) O vírus causador da doença ter se tornado resistente aos antibióticos
b) O uso intenso de vacinas ter selecionado formas viras resistentes aos anticorpos
c) O contágio se dar de pessoa a pessoa por meio de bactérias resistentes a antibióticos
d) A população de mosquitos transmissores deve aumentar
e) A promiscuidade sexual favorece a dispersão dos vírus.
2. O ministério da saúde promove, regulamente, campanhas de vacinação contra o sarampo e a paralisia
infantil. Essas doenças são causadas por:
a) Uma bactéria
b) Um protista
c) Um fungo
d) Um bacteriófago
e) Um vírus
3. Observe a cadeia alimentar: A  B  C  D  E
a) Qual das letras representa as bactérias decompositoras?
b) De acordo com o conteúdo estudo sobre as bactérias explique a importância delas na cadeia
alimentar.
c) Sabendo que as cianobactérias são fotossintelizantes, qual das letras as representa?
4. Qual dos filos a seguir reúne exclusivamente protozoários parasitas, destituídos de estruturas locomotoras?
a) Ciliados
b) Amebóides
c) Flagelados
d) Esporozoários
5. Considere as alternativas a seguir para responder as questões de 6 a 9
a) Doenças de chagas
b) Malária
c) Desenteria amebiana
d) Leishmaniose
6. Qual doença é causada pelo trypanossoma cruzi ?
7. Qual doença é causada por protozoários do Gênero plasmodium?
8. Qual doença é transmitida pelo mosquito – palha e pode causar lesões nas vísceras?
9. Qual doença é transmitida por água ou alimentos contaminados por cistos?
10. Entre os protozoários o gênero plasmódio é um dos mais conhecidos por causar a malária. Calcula-se
que no Brasil em cada ano ocorrem cerca de 500 mil, quase todos restritos á região amazônica. Há
quatro espécies de plasmodium que causam a malária.
a) Cite as quatros espécies destacando a que não ocorre no Brasil
b) Todas as espécies são transmitidas pela picada de mosquitos de que gênero?
11. Comente:
a) Sobre a ação das bactérias no meio ambiente.
b) Ação das bactérias sobre os alimentos.
c) Ação das bactérias na produção dos alimentos.
d) Ação das bactérias no corpo dos seres vivos.