You are on page 1of 23

SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES

São os elementos que expressam uma idéia,
mesmo que absurda.
Estudaremos apenas as proposições
declarativas, que podem ser classificadas ou só
como verdadeiras (V), ou só como falsas (F). As
proposições serão representadas por letras do
alfabeto latino: p, q, r, s...
Ex: p: Pedrão é professor.
q: Todas as mulheres dirigem mal.
r: O Grêmio é o melhor time do Brasil.
s: 2 + 3 = 4
t: 5.2 + 1 > 6
u: 3
2
≠ (– 3)
2
Obs: há outros tipos de sentenças que não serão
estudadas por não poderem ser classificadas ou só
como verdadeiras ou só como falsas:
Interrogativas – ex: Será que vou aprender
lógica?
Exclamativas – ex: Feliz aniversário!
Imperativas – ex: Explique bem a matéria.
Cuidado: para ser proposição é necessário
“especificar o sujeito”. Ex: Aquelas questões são
difíceis. (não é proposição)
SENTENÇAS ABERTAS
São sentenças onde elementos são substituídos
por variáveis, não podendo ser classificadas ou só
como verdadeiras ou só como falsas, pois há infinitos
valores que podem ser substituídos nas variáveis,
tornando-as verdadeiras ou falsas.
Ex: x + y = 5
x + 2 > 7
Se x é professor de y, então x é professor de
z.
SENTENÇAS FECHADAS
São sentenças que podem ser classificadas ou só
como verdadeiras ou só como falsas.
Ex: 2 + 7 = 8
3
2
– 1 < 9
MODIFICADORES
O “não” (símbolos: ~ ou ¬) é utilizado para
representar a negativa de uma proposição. Lê-se:
“não p”.
Ex: p: Pedrão é um bom professor.
~p (ou ¬p): Pedrão não é um bom professor.
Obs: se o símbolo ¬ aparecer antes de um
parênteses ¬ ( ), devemos ler: não é verdade que...
CONECTIVOS
São utilizados para compor proposições
compostas, a partir de proposições simples:
Conjunção: “e” (símbolo: ∧ )
Disjunção: “ou” (símbolo: ∨ )
Condicional: “se..., então” (símbolo: →)
Bicondicional: “se, e somente se” (símbolo: ↔)
PROPOSIÇÕES SIMPLES E COMPOSTAS
p: Pedrão é professor. (simples)
q: Karol é linda. (simples)
p∧ q: Pedrão é professor e Karol é linda.
(composta)
p∨ q: Pedrão é professor ou Karol é linda.
(composta)
p→q: Se Pedrão é professor, então Karol é linda.
(composta)
p↔q: Pedrão é professor se e somente se Karol
é linda. (composta)
TABELA-VERDADE
É uma tabela que exibe todas as valorações que
uma frase pode assumir.
O número de linhas de uma tabela-verdade é
dado por 2
n
, onde n é o número de proposições
simples que compõem a tabela-verdade.
CONECTIVO “E” ( ∧ ) – CONJUNÇÃO
Considere as seguintes situações:
1ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (V)
p∧ q: Pedrão é professor e Karol é linda. (V)
2ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (F)
p∧ q: Pedrão é professor e Karol é linda. (F)
3ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (V)
p∧ q: Pedrão é professor e Karol é linda. (F)
4ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (F)
p∧ q: Pedrão é professor e Karol é linda. (F)
Observe que a conjunção p∧ q só é verdadeira
se p e q são verdadeiras.
Para ajudar na interpretação das proposições:
a conjunção p ∧q também pode ser interpretada
como:
# p e então q: Pedrão é professor e então Karol é
linda
# p e também q: Pedrão é professor e também
Karol é linda
# p mas q: Pedrão é professor mas Karol é linda
# p embora q; Pedrão é professor embora Karol
seja linda
# p assim como q: Pedrão é professor assim
como Karol é linda
# p apesar de que também q: Pedrão é professor
apesar de que Karol também é linda
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 1
# não só p, mas, ainda, q: não só Pedrão é
professor, mas, ainda, Karol é linda
# não apenas p, como também q: não apenas
Pedrão é professor, como também Karol é linda
Pela tabela-verdade:
p q p∧ q
V V V
V F F
F V F
F F F
CONECTIVO “OU” ( ∨) – DISJUNÇÃO
O conectivo “ou” pode ter dois sentidos;
Inclusivo ( ∨ ): Pafúncio é atleta ou Pafúncio é
lindo. (podem ocorrer as situações isoladamente ou
ambas ao mesmo tempo)
Exclusivo ( ∨); Pafúncio é Paranaense ou
Pafúncio é Catarinense. (não podem ocorrer ambas as
situações ao mesmo tempo). As situações de “ou”
exclusivo não serão estudadas.
Considere as seguintes situações de “ou”
inclusivo:
1ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (V)
p∨ q: Pedrão é professor ou Karol é linda. (V)
2ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (F)
p∨ q: Pedrão é professor ou Karol é linda. (V)
3ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (V)
p∨ q: Pedrão é professor ou Karol é linda. (V)
4ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (F)
p∨ q: Pedrão é professor ou Karol é linda. (F)
Observe que a disjunção p∨ q só é falsa se p e
q são falsas.
Pela tabela-verdade:
P q p∨ q
V V V
V F V
F V V
F F F
CONECTIVO “SE..., ENTÃO ” ( →) –
CONDICIONAL
Considere as seguintes situações:
1ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (V)
p→q: Se Pedrão é professor então Karol é
linda. (V – Pedrão é professor e Karol é linda)
2ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (F)
p→q: Se Pedrão é professor então Karol é
linda. (F – quando Pedrão é professor Karol “tem que
ser linda”)
3ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (V)
p→q: Se Pedrão é professor então Karol é
linda. (V – quando Pedrão não é professor Karol pode
ou não ser linda)
4ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (F)
p→q: Se Pedrão é professor então Karol é
linda. (V – quando Pedrão não é professor Karol pode
ou não ser linda)
Observe que a condicional p→q só é falsa se p
é verdadeira e q é falsa.
Para ajudar na interpretação das proposições:
A condicional p→q também pode ser interpretada
como:
# se p,q: se Pedrão é professor, Karol é linda
# q se p: Karol é linda se Pedrão é professor
# todo p é q: toda vez que Pedrão é professor,
Karol é linda
# quando p, q: quando Pedrão é professor, Karol
é linda
# p implica (ou acarreta) q: Pedrão ser professor
implica (ou acarreta) Karol ser linda
# p somente se q: Pedrão é professor somente se
Karol é linda
# p é condição suficiente para q: Pedrão ser
professor é condição suficiente para Karol ser linda
# q é condição necessária para p: Karol ser linda
é condição necessária para Pedrão ser professor
Pela tabela-verdade:
p q p→q
V V V
V F F
F V V
F F V
CONECTIVO “SE, E SOMENTE SE ” ( ↔) –
BICONDICIONAL
Considere as seguintes situações:
1ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (V)
p↔q: Pedrão é professor se e somente se
Karol é linda. (V)
2ª) p: Pedrão é professor. (V)
q: Karol é linda. (F)
p↔q: Pedrão é professor se e somente se
Karol é linda. (F)
3ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (V)
p↔q: Pedrão é professor se e somente se
Karol é linda. (F)
4ª) p: Pedrão é professor. (F)
q: Karol é linda. (F)
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 2
p↔q: Pedrão é professor se e somente se
Karol é linda. (V)
Observe que a bicondicional p↔q só é
verdadeira se p e q são ambas verdadeiras ou
falsas.
Para ajudar na interpretação das proposições:
A bicondicional p↔q também pode ser interpretada
como:
# p se e só se q: Pedrão é professor se e só se
Karol é linda
# se p então q e se q então p: se Pedrão é
professor então Karol é linda e se Karol é linda então
Pedrão é professor
# p somente se q e q somente se p: Pedrão é
professor somente se Karol é linda e Karol é linda
somente se Pedrão é professor
# p é equivalente a q e q é equivalente a p:
Pedrão ser professor é equivalente a Karol ser linda e
Karol ser linda é equivalente a Pedrão ser professor
# p é condição necessária e suficiente para q e q
é condição necessária e suficiente para p: Pedrão ser
professor é condição necessária e suficiente para
Karol ser linda e Karol ser linda é condição necessária
e suficiente para Pedrão ser professor
# todo p é q e todo q é p: toda vez que Pedrão é
professor, Karol é linda e toda vez que Karol é linda,
Pedrão é professor
Pela tabela-verdade:
P q p↔q
V V V
V F F
F V F
F F V
Dizer p ↔q é o mesmo que dizer
(p→q) ∧ (q→p). Se Pedrão é professor, então Karol
é linda e, se Karol é linda, então Pedrão é professor
são formas diferentes de expressar a mesma idéia.
VALORAÇÃO LÓGICA
Consiste em fazer a análise de proposições
compostas, atribuindo um “resultado” V ou F para as
mesmas, utilizando para isso o que foi estudado nos
casos de aplicação dos conectivos ( ∧ , ∨ , →, ↔).
MONTAGEM DE UMA TABELA-VERDADE
Entre os objetivos de montar uma tabela-verdade,
temos o de determinar o número de valorações
verdadeiras e falsas de uma sentença.
A comparação entre as valorações de duas ou
mais sentenças nos permite verificar se as mesmas
são:
Equivalentes (são equivalentes quando
possuírem as mesmas valorações: V com V, F com F).
Negativas (são negativas quando possuírem as
valorações opostas: V com F, F com V).
Tautologia é uma proposição composta onde os
“resultados” da tabela-verdade são sempre
verdadeiros (V).
Ex: p ∨ ¬p
Pela tabela-verdade:
P ¬p p ∨ ¬p
V F V
F V V
Contradição é uma proposição composta onde os
“resultados” da tabela-verdade são sempre falsos (F).
Ex: p ∧ ¬p
Pela tabela-verdade:
P ¬p p ∧ ¬p
V F F
F V F
Contingência é uma proposição composta onde
os “resultados” da tabela-verdade podem ser
verdadeiros (V) e podem ser falsos (F).
Ex: p→ ¬p
Pela tabela-verdade:
P ¬p p→ ¬p
V F F
F V V
IMPLICAÇÕES LÓGICAS
O símbolo ⇒ é utilizado para representar uma
relação entre duas proposições (compostas ou não), o
que é diferente do símbolo→ que é utilizado para
representar uma operação entre duas proposições.
A proposição p⇒q (dizemos p implica q) ocorre
quando não houver VF (nessa ordem) nas colunas
de suas tabelas-verdade.
Também podemos afirmar que a proposição
p⇒q ocorre quando a proposição p→q for uma
tautologia
Ex: p⇒q→p
Pela tabela-verdade:
p Q q →p p→( q→p)
V V V V
V F V V
F V F V
F F V V
Observe na tabela-verdade que em p ⇒q→p
não ocorre VF (nessa ordem), e que p→( q→p) é
uma tautologia.
EQUIVALÊNCIAS LÓGICAS
O símbolo ⇔ é utilizado para representar uma
relação entre duas ou mais proposições, o que é
diferente do símbolo ↔ que é utilizado para
representar uma operação entre duas ou mais
proposições.
A proposição p⇔q (dizemos p equivale a q)
ocorre quando não houver VF nem FV nas colunas
de suas tabelas-verdade.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 3
Ex: p→q ⇔ ¬p ∨ q
p Q ¬p p→q ¬p ∨ q
V V F V V
V F F F F
F V V V V
F F V V V
Observe na tabela-verdade que em
p→q ⇔ ¬p ∨ q não ocorre VF nem FV.
“No popular”: só serão equivalentes quando os
“resultados” de sua tabelas-verdade forem idênticos (V
com V ou F com F). Observe na tabela-verdade que
em p→q ⇔ ¬p ∨ q todas as linhas são
correspondentes (V com V ou F com F).
NEGAÇÕES LÓGICAS
Duas proposições são negativas quando na
tabela-verdade observarmos que em todas as linhas
ocorre VF ou FV.
Ex: (p ∧ q) ; ( ¬p ∨ ¬q)
P q ¬p ¬q p ∧ q ¬p ∨ ¬q
V V F F V F
V F F V F V
F V V F F V
F F V V F V
Observe na tabela-verdade que em (p ∧ q) ;
( ¬p ∨ ¬q) todas as linhas são V com F ou F com V.
EXERCÍCIOS
01) Quais são as proposições declarativas, entre as
sentenças abaixo?
a) Feliz dia dos professores!
b) Curitiba é a capital do Paraná.
c) Quem é você?
d) Pedro é filho de Pedrão.
e) Faça os exercícios.
f) Esta frase está errada.
g) x – y < 0
h) 4
2
= 4.2
i) 2 + 3 = 5
j) x + 2 = 3
02) Considere as proposições:
p: João é filho de Ana.
q: João é simpático.
Escreva cada uma das sentenças abaixo, dadas na
forma simbólica:
a) ¬p
b) ¬q
c) p∧ q
d) ¬p ∧ q
e) p ∧ ¬q
f) ¬p ∧ ¬q
g) p ∨ q
h) ¬ p ∨q
i) p∨ ¬q
j) ¬p ∨ ¬q
k) ¬( p ∧ q)
l) ¬ (p ∨ q)
m) ¬( ¬ p ∧ q)
n) ¬(p ∨ ¬q)
o) ¬( ¬ p)
03) Considerando as proposições abaixo, passe as
sentenças para a forma simbólica:
p: O professor ensinou.
q: O aluno passou no concurso.
a) O professor ensinou e o aluno passou no concurso.
b) O professor ensinou ou o aluno passou no
concurso.
c) O professor não ensinou e o aluno passou no
concurso.
d) O professor não ensinou ou o aluno não passou no
concurso.
e) O professor não ensinou e o aluno não passou no
concurso.
f) Não é verdade que o professor ensinou e o aluno
passou no concurso.
g) Não é verdade que o professor não ensinou e o
aluno não passou no concurso.
h) Não é verdade que o professor não ensinou.
i) Não é verdade que o aluno passou no concurso.
j) O professor ensinou e não é verdade que o aluno
não passou no concurso.
04) Considere as proposições:
p: João é filho de Ana.
q: João é simpático.
Escreva cada uma das sentenças abaixo, dadas na
forma simbólica:
a) p→ ¬q
b) ¬p→¬q
c) ¬p →q
d) ¬( p→q)
e) p→ ¬(p ∨ q)
f) p→ ¬(p ∧ q)
g) ¬p→(p ∧ q)
h) ¬p→(p ∨ q)
i) ¬p→ ¬(p ∧ q)
j) ¬p→ ¬(p ∨ q)
k) (p∨ q) → ¬q
l) (p∧ q) →¬q
m) ¬(p ∨q) →¬q
n) ¬(p ∧ q) →q
05) Dê o valor lógico de cada uma das proposições
abaixo:
a) 2 + 3 = 5 e 5
0
– 1 > 0
b) 2 + 3 = 5 ou 5
0
– 1 > 0
c) se 2 + 3 = 5 então 5
0
– 1 > 0
d) 2 + 3 = 5 se e somente se 5
0
– 1 > 0
e) Pedrão é professor de matemática e de raciocínio
lógico.
f) Pedrão é professor de matemática ou de raciocínio
lógico.
g) Pedrão é professor de matemática e de português.
h) Pedrão é professor de matemática ou de português.
i) Lula é nordestino e Lula é presidente.
j) Lula é nordestino ou Lula é presidente.
k) Se Lula é nordestino então Lula é presidente.
l) Lula é nordestino se, e somente se, Lula é
presidente.
m) O curso Aprovação é de Curitiba e Curitiba é a
capital do Brasil.
n) O curso Aprovação é de Curitiba ou Curitiba é a
capital do Brasil.
o) Se o curso Aprovação é de Curitiba então Curitiba é
a capital do Brasil.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 4
06) Sendo p e q proposições verdadeiras e r e s
proposições falsas, julgue cada uma das sentenças
abaixo:
a) ¬p ∨ r
b) ¬s ∨ q
c) ¬r ∨ s
d) ¬p ∨ q
e) (p ∧ q) ∨ (r ∧ s)
f) (p∨ q) ∧ (r ∨ s)
g) ¬(p ∨ q) ∧ ¬(r ∨ s)
h) ¬(p ∨ q) ∨ ¬(r ∧ s)
i) ¬[ ¬(p ∨ q) ∧ ¬(r ∨ s)]
j) ¬[ ¬(p ∨ q) ∨ ¬(r ∧ s)]
k) ¬[ ¬(p ∨ r) ∨ ¬(q ∧ s)]
l) ¬[ ¬(p ∨ r) ∧ ¬(q ∨s)]
m) ¬[( ¬p ∨r) ∧ ( ¬q ∨ s)]
n) ¬[p ∨ (p ∨ q)] ∨ [(p ∧q) ∧p]
o) ¬[r ∨ (r ∨ s)] ∨[(r ∧ s) ∧s]
07) Construir a tabela-verdade para cada uma das
sentenças a seguir, dizendo quantas são as
valorações verdadeiras e quantas são as valorações
falsas:
a) ¬p ∨ q
b) p ∨ ¬q
c) ¬p ∧ ¬q
d) ¬(p→q)
e) ¬p ↔¬q
f) ¬(p ∨ q)
g) ¬(p ↔q)
h)( ¬p ∧ ¬q) ∨ p
i)( ¬p ∨ q) ∧ (p ∨ ¬q)
j)(p∨ q) ∧ ¬(p ∧ q)
k)(p ∧ q) →¬( ¬p ∨ q)
08) Verifique se as proposições são equivalentes:
a)q ∨ ¬p ⇔ ¬p → ¬q
b)p→¬q ⇔ ¬p ∨ ¬q
c) p→¬q ⇔ ¬p →q
d) p→q ⇔q ∨ ¬p
e) p ∨ q ⇔(p →q) →p
f)(p→q) ∨ (p→s) ⇔p→(q ∨ s)
09) Verifique se as proposições são negativas:
a) (p ∧ q) ; ( ¬p ∨ ¬q)
b) (p ∨ ¬q) ; ( ¬p ∧ q)
c) (p→q) ; ( ¬p ∨ q)
d) ( ¬p →q) ; ( ¬q→p)
e) ( ¬p →q) ; (q→p)
10) Verifique se as proposições são tautologias,
contradições ou contingências:
a) ( ¬p ∧ ¬r) ∧ (q ∧ r)
b) (p ∧ r) → ( ¬q ∨ r)
c) (p ↔q) ∨ (q ∧ ¬r)
11) Escreva em linguagem simbólica e verifique que
são logicamente equivalentes as proposições: “Se
meu nome é Pedrão, então ensinarei lógica.” e
“Ensinarei lógica ou não me chamo Pedrão.”
12) Dizer “Pedrão não é professor ou Serginho é
paulista” é o mesmo que dizer “Se Pedrão é professor,
então Serginho é paulista”?
13) Dizer “Pedrão é professor ou Serginho não é
paulista” é o mesmo que dizer “Pedrão não é
professor e Serginho é paulista”?
14) É correto afirmar que a negativa da sentença
“Hoje é sexta-feira e amanhã não vai chover” é “Hoje
não é sexta-feira ou amanhã não vai chover”.
15) É correto afirmar que a negativa da sentença
“Aprendi lógica então acertarei esta questão” é
“Aprendi lógica e não acertarei esta questão”?
16) É correto afirmar que a negativa da sentença “Se
a crise aumentar, então as vendas de Natal vão cair” é
“ As vendas de Natal vão aumentar ou a crise vai
diminuir”?
PROPRIEDADES DA CONDICIONAL
Recíprocas: para obter a recíproca, basta trocar o
sentido da condicional.
p→q tem como recíproca q→p
Duas proposições recíprocas não são logicamente
equivalentes (uma pode ser verdade sem que a outra
seja)
Inversas; para obter a inversa, basta negar as
proposições.
p→q tem como inversa ¬p→ ¬q
Duas proposições inversas não são logicamente
equivalentes (uma pode ser verdade sem que a outra
seja)
Contrapositivas: para obter a contrapositiva,
devemos trocar o sentido da condicional e negar as
proposições.
p→q tem como contrapositiva ¬q → ¬p
p→q ⇔ ¬q → ¬p
Duas proposições contrapositivas são
logicamente equivalentes (sempre que uma for
verdade a outra também será)
PRINCIPAIS NEGATIVAS E EQUIVALÊNCIAS
NEGATIVAS
As negações são muito exploradas como: “a
negativa de ... é ...”
# e virando ou:
Original: p∧ q (p e q)
Negação: ¬( p ∧ q) ⇔ ¬p ∨ ¬q
“e” vira “ou” e nega tudo.
# ou virando e:
Original: p∨ q (p ou q)
Negação: ¬ (p ∨ q) ⇔ ¬p ∧ ¬q
“ou” vira “e” e nega tudo.
Ex: A negativa de “Pedrão é professor ou Karol
não é linda” é: “Pedrão não é professor e Karol é
linda”.
# se... então virando e:
Original: p→q (se p então q)
Negação: ¬(p →q) ⇔ p∧ ¬q
“se...então” vira “e” e nega a segunda.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 5
# e virando se... então:
Original: p∧ q (p e q)
Negação: ¬( p ∧q) ⇔p→ ¬q
“e” vira “se...então” e nega a segunda.
Ex: A negativa de “Se Pedrão é professor, então
Karol é linda” é: “Pedrão é professor e Karol não é
linda”.
EQUIVALÊNCIAS
As equivalências são muito exploradas como:
“dizer ... é equivalente a dizer ...”
# Se ... então virando ou:
Original: p→q
Equivalência: p→q ⇔ ¬p ∨ q
“Se ... então” vira “ou” e nega a primeira.
# ou virando se ... então:
Original: p∨q
Equivalência: p ∨ q ⇔ ¬p→q
“ou” vira “se ... então” e nega a primeira.
Ex: Dizer “Se Pedrão é professor então Karol é
linda” é logicamente equivalente a dizer que “Pedrão
não é professor ou Karol é linda”.
# Se...então virando se...então:
Original: p→q
Equivalente (contrapositiva – troca p por q e nega
tudo):
p→q ⇔ ¬q →¬p
Ex: Dizer “Se Pedrão é professor então Karol é
linda” é logicamente equivalente a dizer “Se Karol não
é linda então Pedrão não é professor”.
EXERCÍCIOS
17) Dadas as proposições abaixo, determine as
recíprocas, as inversas e as contrapositivas em cada
caso:
a) p→¬q
b) ¬q→p
c) ¬p→ ¬q
18) Considere a proposição: “Se ele é um bom
professor, então, ele explica bem a matéria”.
Determine a recíproca, a inversa e a contrapositiva.
19) Determine a recíproca da inversa da contrapositiva
da proposição p→q:
20) Dizer que “André é artista ou Bernardo não é
Engenheiro” é logicamente equivalente a dizer que:
a) André é artista se e somente se Bernardo não é
engenheiro.
b) Se André é artista, então Bernardo não é
engenheiro.
c) Se André não é artista, então Bernardo não é
engenheiro.
d) Se Bernardo é engenheiro, então André é artista.
e) André não é artista e Bernardo é engenheiro.
21) A negação da sentença “Ana não voltou e foi ao
cinema” é:
a) Ana não voltou e foi ao cinema.
b) Ana voltou e não foi ao cinema.
c) Ana não voltou ou não foi ao cinema
d) Ana não voltou e não foi ao cinema
e) Ana voltou ou não foi ao cinema.
22) Dizer “Se meu nome é Pedrão, então ensinarei
lógica.” É logicamente equivalente a dizer que:
a) Meu nome é Pedrão ou ensinarei lógica.
b) Meu nome é Pedrão e ensinarei lógica.
c) Se ensinarei lógica, então meu nome é Pedrão.
d) Ensinarei lógica ou me chamo Pedrão.
e) Ensinarei lógica ou não me chamo Pedrão.
23) Dizer “Pedrão não é professor ou Serginho é
paulista” é o mesmo que dizer:
a) Se Pedrão é paulista, então Serginho é professor.
b) Se Pedrão não é professor, então Serginho não é
paulista.
c) Se Pedrão não é professor, então Serginho é
paulista.
d) Se Pedrão é professor, então Serginho não é
paulista.
e) Se Pedrão é professor, então Serginho é paulista.
24) A negativa de “Pedrão é professor ou Serginho
não é paulista” é:
a) Pedrão é paulista e Serginho é professor.
b) Pedrão é professor e Serginho não é paulista.
c) Pedrão não é professor e Serginho não é paulista.
d) Pedrão é professor e Serginho é paulista.
e) Pedrão não é professor e Serginho é paulista.
25) É correto afirmar que a negativa da sentença
“Hoje é sexta-feira e amanhã não vai chover” é:
a) Hoje é sábado e amanhã vai chover.
b) Hoje não é sexta-feira e amanhã não vai chover.
c) Hoje não é sexta-feira e amanhã vai chover.
d) Hoje não é sexta-feira ou amanhã não vai chover.
e) Hoje não é sexta-feira ou amanhã vai chover.
26) É correto afirmar que a negativa da sentença
“Aprendi lógica, então acertarei esta questão” é:
a) Não aprendi lógica, então não acertarei esta
questão.
b) Não aprendi lógica, então acertarei esta questão.
c) Aprendi lógica e não acertarei esta questão.
d) Aprendi lógica e acertarei esta questão.
e) Não acertarei esta questão, então não aprendi
lógica.
27) É correto afirmar que a equivalente da sentença “Se a
crise aumentar, então as vendas de Natal vão cair” é:
a) As vendas de Natal vão cair então a crise não vai
aumentar.
b) As vendas de Natal não vão cair então a crise vai
aumentar.
c) As vendas de Natal não vão aumentar então a crise vai
diminuir.
d) As vendas de Natal não vão aumentar então a crise não
vai diminuir.
e) As vendas de Natal vão aumentar então a crise vai
diminuir.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 6
LÓGICA DA ARGUMENTAÇÃO
Argumento
Um argumento é uma série de afirmações
(proposições chamadas de premissas) que irão gerar
uma única proposição (chamada de conclusão).
Podemos dizer então que:
premissas + conclusão = argumento
Obs: o argumento normalmente virá depois das
palavras portanto (será representado pelo símbolo∴)
ou logo.
Supondo as premissas P
1
, P
2
,..., P
n
do
argumento, e a conclusão Q, indicamos, de forma
simbólica por:
P
1
, P
2
,..., P
n
Q
Lê-se: P
1
, P
2
,..., P
n
acarretam Q, Q decorre de
P
1
, P
2
,..., P
n
, Q se deduz de P
1
, P
2
,..., P
n
, Q se infere
de P
1
, P
2
,..., P
n
.
O símbolo é chamado de taco de asserção.
Um argumento de premissas P
1
, P
2
,..., P
n
e
conclusão Q, também pode ser indicado através da
forma padronizada, por:
P
1

P
2
...
P
n
∴Q
Silogismo
É como chamamos todo argumento composto
por duas premissas e uma conclusão.
Ex:
Pedrão é professor ou engenheiro
Pedrão não é engenheiro
Portanto, Pedrão é professor
Validade de argumentos
Para podermos determinar se um argumento é
válido ou não, devemos inicialmente considerar que as
premissas sempre serão verdadeiras.
Argumento válido: quando premissas
verdadeiras geram conclusões verdadeiras.
Argumento inválido (sofisma ou falácia):
quando premissas verdadeiras geram conclusões
falsas ou ambíguas (podem ser verdadeiras ou
falsas).
Obs: se uma das premissas for falsa, o
argumento é inválido.
Podemos utilizar as tabelas-verdade para
verificar se um argumento é válido ou inválido, sendo
que um argumento só é válido se o valor lógico da
conclusão for V em todas as linhas onde os valores
lógicos de todas as premissas forem V, nas mesmas
linhas.
Outra forma de verificar se um argumento é
válido ou não, consiste em se montar a tabela-verdade
e verificar se a condicional (P
1
∧ P
2
∧ ... ∧ P
n
) →Q é
uma tautologia. Quando a condicional for uma
tautologia, o argumento é válido.
EXERCÍCIOS
28) Verifique se os argumentos são válidos ou
inválidos:
a) p→q
¬q

∴p
b) p→q
x →p
¬q
∴x
c) h→q
q→p
p→x
x →y
¬y
∴¬h
d) p→q
q∧ ¬w
¬w
∴¬p
e) p ∨ q
¬q
∴p
f) p∧ q
¬q
∴p
g) p→q
q
∴p
h) p→q
q→x
¬x ∧ m
∴¬p
i) p→q
q→k
∴p →k
j) p→q
q→h
∴p→h
k) p→q
q→x
x →m
∴p→m
l) p→q
¬x →¬q
∴p →x
29) Verificar a validade do argumento:
Se é domingo, Karol vai à missa
Karol não foi à missa
Logo, não é domingo
30) Verificar a validade do argumento:
Estudo ou não serei aprovado em Matemática
Se trabalho, não estudo
Trabalhei
Logo, fui reprovado em Matemática
31) Verificar a validade do argumento:
Se um homem é inteligente, ele casa.
Se um homem não casa, ele é infeliz
O homem é feliz
Logo, homens inteligentes não casam
32) Considere a proposição “Pedrão é professor e
guerreiro, ou Pedrão é bonito”. Como Pedrão não é
bonito, então é correto afirmar que Pedrão é professor
e guerreiro?
33) Considere as seguintes premissas:
“Cláudia é bonita e inteligente, ou Cláudia é
simpática.”
“Cláudia não é simpática.”
A partir dessas premissas, conclui-se que Cláudia:
a) Não é bonita e não é inteligente.
b) Não é bonita e é inteligente.
c) É bonita e não é inteligente.
d) É bonita ou é inteligente.
e) Se é bonita, então não é inteligente.
34) Se o jardim não é florido, então o gato mia. Se o
jardim é florido, então o passarinho não canta. Ora, o
passarinho canta. Logo:
a) O jardim é florido e o gato mia
b) O jardim é florido e o gato não mia
c) O jardim não é florido e o gato mia
d) O jardim não é florido e o gato não mia
e) Se o passarinho canta, então o gato não mia
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 7
35) No final de semana Pedrinho não foi ao parque.
Ora, sabe-se que sempre que Pedrão estuda, Pedrão
é aprovado. Sabe-se, também, que, nos finais de
semana, ou Karol vai à missa ou vai visitar seus pais.
Sempre que Karol vai visitar seus pais, Pedrinho vai
ao parque e, sempre que Karol vai à missa, Pedrão
estuda. Então, no final de semana,
a) Pedrão não foi aprovado e Karol não foi visitar seus
pais.
b) Pedrão não estudou e Pedrão foi aprovado.
c) Pedrão estudou e Pedrinho foi ao parque.
d) Karol não foi à missa e Pedrão não foi aprovado.
e) Karol foi à missa e Pedrão foi aprovado.
36) As seguintes afirmações, todas elas verdadeiras,
foram feitas sobre a ordem de chegada dos
participantes de uma prova de natação:
I) Dado chegou antes de Gueti e depois de Ita;
II) Dado chegou antes de Dani e Dani chegou antes
de Gueti, se e somente se Gueti chegou depois de Ita;
III) Rê não chegou junto com Dani, se e somente se
Gueti chegou junto com Dado. Logo:
a) Dado chegou antes de Rê, depois de Ita e junto
com Gueti.
b) Gueti chegou antes de Ita, depois de Dani e antes
de Dado.
c) Gueti chegou depois de Dani, depois de Rê e junto
com Ita.
d) Dani chegou antes de Ita, depois de Dado e junto
com Rê.
e) Rê chegou antes de Gueti, depois de Ita e junto
com Dani.
DIAGRAMAS LÓGICOS
O estudo da Teoria dos Conjuntos e dos
Diagramas de Venn são ferramentas importantes na
resolução de questões de Raciocínio Lógico, sendo
que devemos destacar três situações:
Conjuntos que não possuem elementos em
comum (disjuntos – (A∩B ∅ = ) – “Nenhum A é
B”
Conjuntos que possuem ao menos um
elemento em comum (A∩B ∅ ≠ ) – “Algum A é B”
e “Algum A não é B”
Conjunto contido em outro conjunto (A⊂B) –
“Todo A é B”
Proposições Categóricas
# Todo A é B (V), então:
Nenhum A é B (F)
Algum A é B (V)
Algum A não é B (F)
# Nenhum A é B (V), então:
Todo A é B (F)
Algum A é B (F)
Algum A não é B (V)
# Algum A é B (V), então:
Nenhum A é B (F)
Todo A é B (indeterminada)
Algum A não é B (indeterminada)
# Algum A não é B (V), então:
Todo A é B (F)
Nenhum A é B (indeterminada)
Algum A é B (indeterminada)
# Todo A é B (F)
Algum A não é B (V)
Nenhum A é B (indeterminada)
Algum A é B (indeterminada)
# Nenhum A é B (F)
Algum A é B (V)
Todo A é B (indeterminada)
Algum A não é B (indeterminada)
# Algum A é B (F)
Todo A é B (F)
Nenhum A é B (V)
Algum A não é B (V)
# Algum A não é B (F)
Todo A é B (V)
Nenhum A é B (F)
Algum A é B (V)
PRINCIPAIS NEGAÇÕES
"TODO É"
"PELO MENOS UM NÃO"
"EXISTE UM QUE NÃO É"
"ALGUM NÃO É"
"NENHUM É"
"PELO MENOS UM É"
"EXISTE UM QUE É"
"ALGUM É"
"ALGUM É" "NENHUM É"
"ALGUM NÃO É" "TODO É"
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 8
A negação da frase: "Todo Gremista é inteligente"
é:
"Pelo menos um Gremista não é inteligente"
"Existe um Gremista que não é inteligente "
"Algum Gremista não é inteligente "
A negação da frase: "Nenhum Gremista é
inteligente " é
"Pelo menos um Gremista é inteligente "
"Existe um Gremista que é inteligente "
"Algum Gremista é inteligente "
A negação da frase: "Algum Gremista é inteligente
" é
"Nenhum Gremista é inteligente "
A negação da frase: "Algum Gremista não é
inteligente " é
"Todos Gremistas são inteligente "
EXERCÍCIOS
37) A negação da proposição “As palavras mascaram-
se” pode ser corretamente expressa pela proposição
“Nenhuma palavra se mascara”.
38) A negação da proposição “Existe banco brasileiro
que fica com mais de 32 dólares de cada 100 dólares
investidos” pode ser assim redigida: “Nenhum banco
brasileiro fica com mais de 32 dólares de cada 100
dólares investidos.”
39) Se a afirmativa “todos os beija-flores voam
rapidamente” for considerada falsa, então a afirmativa
“algum beija-flor não voa rapidamente” tem de ser
considerada verdadeira.
40) Se A for a proposição “Todos os policiais são
honestos”, então a proposição ¬A estará enunciada
corretamente por “Nenhum policial é honesto”.
GABARITO – RACIOCÍNIO LÓGICO
01) a) F b) V c) F d) V e) F
f ) F g) F h) V i) V j) F
02) a) João não é filho de Ana.
b) João não é simpático.
c) João é filho de Ana e é simpático.
d) João não é filho de Ana e é simpático.
e) João é filho de Ana e não é simpático.
f ) João não é filho de Ana e não é simpático.
g) João é filho de Ana ou é simpático.
h) João não é filho de Ana ou é simpático.
i) João é filho de Ana ou não simpático.
j) João não é filho de Ana ou não é simpático.
k) Não é verdade que João é filho de Ana e é
simpático.
l) Não é verdade que João é filho de Ana ou é
simpático.
m) Não é verdade que João não é filho de Ana e
é simpático.
n) Não é verdade que João é filho de Ana ou não
é simpático.
o) Não é verdade que João não é filho de Ana.
03) a) q p ∧ b) q p ∨
c) q p ∧ ¬ d) q p ¬ ∨ ¬
e) q p ¬ ∧ ¬ f) ( ) q p ∧ ¬
g) ( ) q p ¬ ∧ ¬ ¬ h) ( ) p ¬ ¬
i) ( ) q ¬ ¬ j) ( ) q p ¬ ¬ ∧
04) a) Se João é filho de Ana, então não é
simpático.
b) Se João não é filho de Ana, então não é
simpático.
c) Se João não é filho de Ana, então é
simpático.
d) Não é verdade que se João é filho de Ana
então é simpático.
e) Se João é filho de Ana, então não é verdade
que João é filho de Ana ou é simpático.
f) Se João é filho de Ana, então não é verdade
que João é filho de Ana e é simpático.
g) Se João não é filho de Ana, então é filho de
Ana e é simpático.
h) Se João não é filho de Ana, então é filho de
Ana ou é simpático.
i) Se João não é filho de Ana, então não é
verdade que é filho de Ana e é simpático.
j) Se João não é filho de Ana, então não é
verdade que é filho de Ana ou é simpático.
K) Se João é filho de Ana ou é simpático, então
não é simpático.
l) Se João é filho de Ana e é simpático, então não
é simpático.
m) Se não é verdade que João é filho de Ana ou é
simpático, então não é simpático.
n) Se não é verdade que João é filho de Ana e é
simpático, então é simpático.
05) a) F b) V c) F d) F e) F f) V g) F
h) V i) F j) V k) V l) V m) F n) V
o) F
06) a) F b) V c) V d) V e) V f) F g) F
h) V i) V j) F k) F l) V m) V n) V o) V
07) a) 3V e 1F b) 3V e 1F c) 1V e 3F
d) 1V e 3F e) 2V e 2F f) 1V e 3F
g) 2V e 2F h) 3V e 1F i) 2V e 2F
j) 2V e 2F k) 3V e 1F
08) a) não são equivalentes
b) são equivalentes
c) não são equivalentes
d) são equivalentes
e) não são equivalentes
f ) são equivalentes
09) a) são negativas
b) são negativas
c) não são negativas
d) não são negativas
e) não são negativas
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 9
10) a) contradição
b) tautologia
c) contingência
11)
V V
V V
F F
V V
p q q p
lógica arei En q
Pedrão é nome Meu p
¬ ∨ ⇔ →
. sin :
. :
12)
V V
V V
F F
V V
q p q p
paulista é Serginho q
professor é Pedrão p
→ ⇔ ∨ ¬
. :
. :
13)
negativas são
F V
V F
F V
F V
q p q p
paulista é Serginho q
professor é Pedrão p
∧ ¬ ¬ ∨ ;
. :
. :
14)
es equivalent nem negativas são não
V F
V F
V V
F F
q p q p
chover vai Amanhã q
feira sexta é Hoje p
¬ ∨ ¬ ¬ ∧

;
. :
. :
15)
negativas são
F V
F V
V F
F V
q p q p
questão esta Acertarei q
lógica Aprendi p
¬ ∧ → ;
. :
. :
16)
negativas são não
V V
V V
V F
F V
p q q p
cair vão Natal de vendas As q
aumentar vai crise A p
¬ ∨ ¬ → ;
. :
. :
17)
a)
p q C
q p I
p q R
¬ →
→ ¬
→ ¬
:
:
:
b)
q p C
p q I
q p R
→ ¬
¬ →
¬ →
:
:
:
c)
p q C
q p I
p q R


¬ → ¬
:
:
:
18)
R : Se ele explica bem a matéria, então ele é um
bom professor.
I : Se ele não é um bom professor, então ele não
explica bem a matéria.
C : Se ele não explica bem a matéria então ele
não é um bom professor.
19)
q p R
p q I
p q C


¬ → ¬
:
:
:
20) c 21) e 22) e 23) e
24) e 25) e 26) c 27) e
28) a) inválido b) inválido c) válido d) inválido
e) inválido f ) inválido g) inválido h) válido
i ) válido j ) válido k) válido l ) válido
29) válido 30) válido 31) inválido
32) correto(válido) 33) e 34) c 35) e
36) e 37) E 38) C 39) C 40) E
QUESTÕES CESPE – TABELA-VERDADE
Texto para os itens a seguir
O número de mulheres no mercado de trabalho
mundial é o maior da História, tendo alcançado,
em 2007, a marca de 1,2 bilhão, segundo relatório
da Organização 4 Internacional do Trabalho (OIT).
Em dez anos, houve um incremento de 200
milhões na ocupação feminina. Ainda assim, as
mulheres representaram um contingente distante
do 7 universo de 1,8 bilhão de homens
empregados. Em 2007, 36,1% delas trabalhavam
no campo, ante 46,3% em serviços. Entre os
homens, a proporção é de 34% 10 para 40,4%. O
universo de desempregadas subiu de 70,2 milhões
para 81,6 milhões, entre 1997 e 2007 — quando a
taxa de desemprego feminino atingiu 6,4%, ante 13
5,7% da de desemprego masculino. Há, no mundo,
pelo menos 70 mulheres economicamente ativas
para 100 homens. O relatório destaca que a
proporção de assalariadas 16 subiu de 41,8% para
46,4% nos últimos dez anos. Ao mesmo tempo,
houve queda no emprego vulnerável (sem
proteção social e direitos trabalhistas), de 56,1%
para 51,7%. Apesar 19 disso, o universo de
mulheres nessas condições continua superando o
dos homens.
O Globo, 7/3/2007, p. 31 (com adaptações).
Com referência ao texto e considerando o gráfico nele
apresentado, julgue os itens a seguir.
Proposição é uma frase que pode ser julgada
como verdadeira – V – ou falsa – F –, não cabendo
a ela ambos os julgamentos. Um argumento
correto é uma sequência de proposições na qual
algumas são premissas,e consideradas V, e as
demais são concusões, que, por conseqüência da
veracidade das premissas, também são V.
proposições simples podem ser representadas
simbolicamente pelas letras A, B, C etc. Conexões
entre proposições podem ser feitas por meio de
símbolos especiais. Uma proposição da forma A v
B, lida como “A ou B”, tem valor lógico F quando
A e B são F; caso contrário, é V. Uma proposição
da forma A∧B, lida como “A e B”, tem valor lógico
V quando A e B são V; caso contrário, é F. Uma
proposição da forma ¬A, a negação de A, é F
quando A é V, e é V quando A é F.
Uma expressão da forma P(x), proposição da
lógica de primeira ordem, em que P denota uma
propriedade a respeito dos elementos x de um
conjunto U, tem a sua veracidade ou falsidade
dependente de U e do significado dado a P. Se a
proposição for da forma ∃xP(x), lida como “Existe
x tal que P(x)”, tem a sua valoração V ou F
dependente de existir ou não um elemento em U
que satisfaça a P.
De acordo com as definições apresentadas acima
e a veracidade de todas as informações
apresentadas no texto precedente, julgue os itens
a seguir.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 10
01) Infere-se do texto que a proposição “Há mais
mulheres economicamente ativas do que homens, no
mercado de trabalho mundial” é verdadeira.
02) A frase “Quanto subiu o percentual de mulheres
assalariadas nos últimos 10 anos?” não pode ser
considerada uma proposição.
03) Suponha um argumento no qual as premissas
sejam as proposições I e II abaixo.
I Se uma mulher está desempregada, então, ela é
infeliz.
II Se uma mulher é infeliz, então, ela vive pouco.
Nesse caso, se a conclusão for a proposição
“Mulheres desempregadas vivem pouco”, tem-se um
argumento correto.
04) Considere que A seja a proposição “O número de
mulheres no mercado de trabalho mundial atingiu 1,2
bilhão, em 2007” e B seja a proposição “O percentual
de mulheres que trabalhavam no campo era maior que
o percentual de mulheres que trabalhavam em
serviços, em 2007”. Atribuindo valores lógicos, V ou F,
à proposição A e à proposição B, de acordo com o
referido texto, pode-se garantir que a proposição (¬A)
v B é V.
05) Se P(x) é a proposição “Entre 1997 e 2007,
verificou-se que 70,2 milhões ≤ x ≤ 81,6 milhões”, e se
x pertence ao conjunto de todas as mulheres
desempregadas, então P(x) é V.
06) Suponha-se que U seja o conjunto de todas as
pessoas, que M(x) seja a propriedade “x é mulher” e
que D(x) seja a propriedade “x é desempregada”.
Nesse caso, a proposição “Nenhuma mulher é
desempregada” fica corretamente simbolizada
por ¬∃x(M(x) ∧ D(x))
07) A proposição “Não existem mulheres que ganham
menos que os homens” pode ser corretamente
simbolizada na forma ∃x(M(x) →G(x))
Proposições são frases que podem ser julgadas
como verdadeiras – V – ou como falsas – F –, mas
não ambas; são frequentemente simbolizadas por
letras maiúsculas do alfabeto. A proposição
simbolizada por A→B – lida como “se A, então
B”, “A é condição suficiente para B”, ou “B é
condição necessária para A” – tem valor lógico F
quando A é V e B é F; nos demais casos, seu valor
lógico é V. A proposição A∧B – lida como “A e B”
– tem valor lógico V quando A e B forem V e valor
lógico F, nos demais casos. A proposição ¬A, a
negação de A, tem valores lógicos contrários aos
de A.
08) A negação da proposição A→B possui os mesmos
valores lógicos que a proposição A٨(¬B).
09) Considere que A seja a proposição “As palavras
têm vida” e B seja a proposição “Vestem-se de
significados”, e que sejam consideradas verdadeiras.
Nesse caso, a proposição A٨(¬B) é F.
10) A negação da proposição “As palavras mascaram-
se” pode ser corretamente expressa pela proposição
“Nenhuma palavra se mascara”.
11) A proposição “Se as reservas internacionais em
moeda forte aumentam, então o país fica protegido de
ataques especulativos” pode também ser
corretamente expressa por “O país ficar protegido de
ataques especulativos é condição necessária para que
as reservas internacionais aumentem”.
12) A proposição “Se o Brasil não tem reservas de 190
milhões de dólares, então o Brasil tem reservas
menores que as da Índia” tem valor lógico F.
13) Toda proposição simbolizada na forma A→B tem
os mesmos valores lógicos que a proposição B→A.
14) A proposição “Existem países cujas reservas
ultrapassam meio bilhão de dólares” é F quando se
considera que o conjunto dos países em questão é
{Brasil, Índia, Coréia do Sul, Rússia}.
15) Considerando como V as proposições “Os países
de economias emergentes têm grandes reservas
internacionais” e “O Brasil tem grandes reservas
internacionais”, é correto concluir que a proposição “O
Brasil é um país de economia emergente” é V.
Proposições são sentenças que podem ser
julgadas como verdadeiras – V – ou como falsas –
F –, mas não ambas simultaneamente. As
proposições são frequentemente representadas
por letras maiúsculas e, a partir de proposições
simples, novas proposições podem ser
construídas utilizando-se símbolos especiais. Uma
expressão da forma A→B, que é lida como “se A,
então B”, é F se A for V e se B for F e, nos demais
casos, será sempre V. Uma expressão da forma
A∧B, que é lida como “A e B”, é V se A e B forem
V e, nos demais casos, será sempre F. Uma
expressão da forma A v B, que é lida como “A ou
B”, é F se A e B forem F e, nos demais casos, será
sempre V. Uma expressão da forma ¬A, a
negação de A, é V se A for F e é F se A for V.
Para preencher a tabela a seguir, considere que os
filmes A e B sejam de categorias distintas —
documentário ou ficção —, e, em um festival de
cinema, receberam premiações diferentes —
melhor fotografia ou melhor diretor. Tendo como
base as células já preenchidas, preencha as outras
células com V ou F, conforme o cruzamento da
informação da linha e da coluna correspondentes
constitua uma proposição verdadeira ou falsa,
respectivamente.
A partir do preenchimento das células da tabela e
das definições apresentadas no texto, julgue os
itens subseqüentes.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 11
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 12
29) Se a primeira pessoa diz “Nossas fichas não são
da mesma cor” e a segunda pessoa diz “Nossas fichas
são da mesma cor”, então, pode-se concluir que a
segunda pessoa está dizendo a verdade.
Uma proposição é uma afirmação que pode ser
julgada como verdadeira (V) ou falsa (F), mas não
como ambas. As proposições são usualmente
simbolizadas por letras maiúsculas do alfabeto,
como, por exemplo, P, Q, R etc. Se a conexão de
duas proposições é feita pela preposição “e”,
simbolizada usualmente por v, então obtém-se a
forma PvQ, lida como “P e Q” e avaliada como V
se P e Q forem V, caso contrário, é F. Se a conexão
for feita pela preposição “ou”, simbolizada
usualmente por w, então obtém-se a forma PwQ,
lida como “P ou Q” e avaliada como F se P e Q
forem F, caso contrário, é V. A negação de uma
proposição é simbolizada por ¬P, e avaliada como
V, se P for F, e como F, se P for V. Um argumento é
uma seqüência de proposições P1, P2, ..., Pn,
chamadas premissas, e uma proposição Q,
chamada conclusão. Um argumento é válido, se Q
é V sempre que P1, P2, ..., Pn forem V, caso
contrário, não é argumento válido. A partir desses
conceitos, julgue os próximos itens.
30) A proposição simbólica (P v Q) v R possui, no
máximo, 4 avaliações V.
31) O quadro abaixo pode ser completamente
preenchido com algarismos de 1 a 6, de modo que
cada linha e cada coluna tenham sempre algarismos
diferentes.
32) Há duas proposições no seguinte conjunto de
sentenças:
(I) O BB foi criado em 1980.
(II) Faça seu trabalho corretamente.
(III) Manuela tem mais de 40 anos de idade.
33) Considere as seguintes proposições:
P: “Mara trabalha” e Q: “Mara ganha dinheiro”
Nessa situação, é válido o argumento em que as
premissas são “Mara não trabalha ou Mara ganha
dinheiro” e “Mara não trabalha”, e a conclusão é “Mara
não ganha dinheiro”.
As afirmações que podem ser julgadas como
verdadeira (V) ou falsas (F), mas não ambas, são
chamadas proposições. As proposições são
usualmente simbolizadas por letras maiúsculas: A,
B , C etc. A expressão A→B, lida, entre outras
formas, como “se A então B”, é uma proposição
que tem valoração F quando A é V e B é F, e tem
valoração V nos demais casos. Uma expressão da
forma ¬A, lida como “não A”, é uma proposição
que tem valoração V quando A é F, e tem
valoração F quando A é V. A expressão da forma
A∧B, lida como “A e B”, é uma proposição que
tem valoração V apenas quando A e B são V, nos
demais casos tem valoração F. Uma expressão da
forma A v B, lida como “A ou B”, é uma
proposição que tem valoração F apenas quando A
e B são F; nos demais casos, é V. Com base
nessas definições, julgue os itens que se seguem.
34) Considere que as afirmativas “Se Mara acertou na
loteria então ela ficou rica” e “Mara não acertou na
loteria” sejam ambas proposições verdadeiras.
Simbolizando adequadamente essas proposições
pode-se garantir que a proposição “Ela não ficou rica”
é também verdadeira.
35) A proposição simbolizada por (A→B)→(B→A)
possui uma única valoração F.
36) Considere que a proposição “Sílvia ama Joaquim
ou Sílvia ama Tadeu” seja verdadeira. Então pode-se
garantir que a proposição “Sílvia ama Tadeu” é
verdadeira.
37) Uma expressão da forma ¬(A ٨ ¬B) é uma
proposição que tem exatamente as mesmas
valorações V ou F da proposição A→B.
O fluxograma abaixo contém uma seqüência finita
de instruções a serem executadas na ordem em
que são apresentadas, começando-se da posição
designada por “início” e seguindo-se as setas.
Dentro das formas retangulares, a seta para a
esquerda indica que o valor escrito ou obtido à
direita é atribuído à variável à esquerda. A
expressão no losango é avaliada e, quando
resultar verdadeira, prossegue-se na direção
indicada por V, e, quando for falsa, prossegue-se
na direção indicada por F. Se P e Q representam
PR
oposições que podem ter valorações V ou F, então
as expressões ¬P, P→Q, P٧Q e P٨Q, que são lidas
“não P”, “P implica Q”, “P ou Q” e “P e Q”,
respectivamente, também são proposições e
podem ter valorações V ou F conforme as
valorações dadas a P e a Q.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 13
A partir do texto e do fluxograma precedente, em
que A, B, X e Y são proposições quaisquer, siga as
instruções do fluxograma e julgue os itens a
seguir.
38) A valoração atribuída a X será igual à valoração
de A→B.
39) A proposição ¬(A→B) tem as mesmas valorações
V e F que a proposição (¬A)→(¬B).
40) Se as valorações iniciais de A e de B fossem,
respectivamente, F e F, então a valoração de Y seria
também F.
41) A seguinte proposição é verdadeira: Se a capital
de São Paulo é Manaus, então 1 + 1 = 3.
42) Considere-se que A e B sejam enunciados
verdadeiros.
Nesse caso, denotando por “¬X” a negação de um
enunciado X e por “X..Y” o enunciado “ou X ou Y”,
então o enunciado (¬A)..B é um enunciado falso.
43) Considere as seguintes proposições: P: “Está
quente” e Q: “Está chovendo”. Então a proposição R:
“Se está quente e não está chovendo, então está
quente” pode ser escrita na forma simbólica P..(¬Q) ..
P, em que “P..(¬Q)” significa “P e ¬Q”.
Uma proposição é uma declaração que pode ser
afirmativa ou negativa. Uma proposição pode ser
julgada verdadeira ou falsa. Quando ela é
verdadeira, atribui-se o valor lógico V e, quando é
falsa, atribui-se o valor lógico F. Uma proposição
simples é uma proposição única, como, por
exemplo, “Paulo é engenheiro”. As proposições
simples são representadas por letras maiúsculas
A, B, C etc. Ligando duas ou mais proposições
simples entre si por conectivos operacionais,
podem-se formar proposições compostas. Entre
os conectivos operacionais, podem-se citar: “e”,
representado por v; “ou”, representado por w; “se,
..., então”, representado por ÷; e “não”,
representado por ¬. A partir dos valores lógicos de
duas (ou mais) proposições simples A e B, pode-
se construir a tabela-verdade de proposições
compostas. Duas proposições são equivalentes
quando possuem a mesma tabela-verdade. A
seguir, são apresentadas as tabelas-verdade de
algumas proposições.
Com base nessas informações, julgue os itens de 117
a 120.
44) Considere as seguintes proposições.
A: Maria não é mineira.
B: Paulo é engenheiro.
Nesse caso, a proposição “Maria não é mineira ou
Paulo é engenheiro”, que é representada por A v
B, é equivalente à proposição “Se Maria é mineira,
então Paulo é engenheiro”, simbolicamente
representada por (¬A)→B.
45) Considere as seguintes proposições.
A: Está frio.
B: Eu levo agasalho.
Nesse caso, a negação da proposição composta
“Se está frio, então eu levo agasalho” — A→B —
pode ser corretamente dada pela proposição “Está
frio e eu não levo agasalho” — A٨(¬B).
46) O número de linhas da tabela-verdade de uma
proposição composta (A٨B)٧C é igual a 6.
47) Uma proposição composta é uma tautologia
quando todos os seus valores lógicos são V,
independentemente dos valores lógicos das
proposições simples que a compõem. Então, a
proposição [A٨(A→B)]→B é uma tautologia.
Para julgar os itens de 21 a 25, considere as
seguintes informações a respeito de estruturas
lógicas, lógicas de argumentação e diagramas
lógicos. Uma proposição é uma frase a respeito da
qual é possível afirmar se é verdadeira (V) ou se é
falsa (F). Por exemplo: “A Terra é plana”; “Fumar
faz mal à saúde”. As letras maiúsculas A, B, C etc.
serão usadas para identificar as proposições, por
exemplo:
A: A Terra é plana;
B: Fumar faz mal à saúde.
As proposições podem ser combinadas de modoa
representar outras proposições, denominadas
proposições compostas. Para essas combinações,
usam-se os denominados conectivos lógicos: ∧
significando “e”; V significando “ou”; →
significando “se...então”; ↔ significando “se e
somente se”; e ¬ significando “não”. Por
exemplo, com as notações do parágrafo anterior, a
proposição “A Terra é plana e fumar faz mal à
saúde” pode ser representada, simbolicamente,
por A∧B. “A Terra é plana ou fumar faz mal à
saúde” pode ser representada, simbolicamente
por A V B. “Se a Terra é plana, então fumar faz mal
à saúde” pode ser representada, simbolicamente,
por A→B. “A Terra não é plana” pode ser
representada, simbolicamente, por ¬A. Os
parênteses são usados para marcar a pertinência
dos conectivos, por exemplo: (A∧B) → ¬A,
significando que “Se a Terra é plana e fumar faz
mal à saúde, então a Terra não é plana”.
Na lógica, se duas proposições são tais que uma é
a negação de outra, então uma delas é F. Dadas
duas proposições em que uma contradiz a outra,
então uma delas é V. Para determinar a valoração
(V ou F) de uma proposição composta, conhecidas
as valorações das proposições simples que as
compõem, usam-se as tabelas abaixo,
denominadas tabelas-verdade.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 14
Uma proposição composta que é valorada sempre
como V, independentemente das valorações V ou
F das proposições simples que a compõem, é
denominada tautologia. Por exemplo, a proposição
A V ( ¬A) é uma tautologia.
Tendo como referência as informações
apresentadas no texto, julgue os seguintes itens.
48) Considere que a proposição “O Ministério da
Saúde cuida das políticas públicas de saúde do Brasil
e a educação fica a cargo do Ministério da Educação”
seja escrita simbolicamente na forma P٨Q. Nesse
caso, a negação da referida proposição é simbolizada
corretamente na forma ¬P٨¬Q, ou seja: “O Ministério
da Saúde não cuida das políticas públicas de saúde
do Brasil nem a educação fica a cargo do Ministério da
Educação”.
49) Se A e B são proposições, completando a tabela
abaixo, se necessário, conclui-se que a proposição
¬(AVB) → ¬AV¬B é uma tautologia.
50) Se A e B são proposições simples, então,
completando a coluna em branco na tabela abaixo, se
necessário, conclui-se que a última coluna da direita
corresponde à tabela-verdade da proposição
composta A → (B→A).
Raul, Sidnei, Célio, João e Adélio, agentes
administrativos do MS, nascidos em diferentes
unidades da Federação: São Paulo, Paraná, Bahia,
Ceará e Acre, participaram, no último final de
semana, de uma reunião em Brasília – DF, para
discutir projetos do MS. Raul, Célio e o paulista
não conhecem nada de contabilidade; o
paranaense foi almoçar com Adélio; Raul, Célio e
João fizeram duras críticas às opiniões do baiano;
o cearense, Célio, João e Sidnei comeram um
lauto churrasco no jantar, e o paranaense preferiu
fazer apenas um lanche.
Com base na situação hipotética apresentada acima,
julgue os itens a seguir. Se necessário, utilize a tabela
à disposição no espaço para rascunho.
51) A proposição “Se Célio nasceu no Acre, então
Adélio não nasceu no Ceará”, que pode ser
simbolizada na forma A→(¬B), em que A é a
proposição “Célio nasceu no Acre” e B, “Adélio nasceu
no Ceará”, é valorada como V.
52) Considere que P seja a proposição “Raul nasceu
no Paraná”, Q seja a proposição “João nasceu em
São Paulo” e R seja a proposição “Sidnei nasceu na
Bahia”. Nesse caso, a proposição “Se Raul não
nasceu no Paraná, então João não nasceu em São
Paulo e Sidnei nasceu na Bahia” pode ser simbolizada
como (¬P) → [(¬Q)^R)] e é valorada como V.
Toda afirmativa que pode ser julgada como
verdadeira ou falsa é denominada proposição.
Considere que A e B representem proposições
básicas e que as expressões AVB e ¬A sejam
proposições compostas. A proposição AVB é F
quando A e B são F, caso contrário, é V, e ¬A é F
quando A é V, e é V quando A é F.
De acordo com essas definições, julgue os itens a
seguir.
53) Se a proposição A for F e a proposição (¬A)v B for
V, então, obrigatoriamente, a proposição B é V.
54) Independentemente da valoração V ou F atribuída
às proposições A e B, é correto concluir que a
proposição ¬(A v B) v (A v B) é sempre V.
55) Se a afirmativa “todos os beija-flores voam
rapidamente” for considerada falsa, então a afirmativa
“algum beija-flor não voa rapidamente” tem de ser
considerada verdadeira.
Julgue os itens seguintes, que versam acerca de
estruturas lógicas, lógica de argumentação e
diagramas lógicos.
56) Considere que o aniversário de Mariana ocorre no
mês de janeiro, cujo mês/calendário do ano de 2007 é
mostrado a seguir.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 15
Nesta situação, se o número corresponde a data do
aniversário de Mariana tem dois algarismos, a
diferença entre eles é igual a 6 e, em 2007, o seu
aniversário não ocorreu em uma quarta-feira, então o
aniversário de Mariana ocorreu em uma segunda-
feira.
57) Considere que, no fluxograma ilustrado abaixo, as
instruções devam ser executadas seguindo o fluxo das
setas, de acordo com a avaliação verdadeira — V —,
ou falsa — F —, da expressão lógica que ocorre em
cada caixa oval. Nessa situação, a execução do
fluxograma termina em ACEITA se, e somente se A e
B forem ambas V.
Uma proposição é uma frase afirmativa que pode
ser julgada como verdadeira ou falsa. Um
argumento é considerado válido se, sendo sua
hipótese verdadeira, a sua conclusão também é
verdadeira.
Considerando essas informações e a figura acima,
em que estão colocadas algumas figuras
geométricas conhecidas — quadrados, triângulos
e pentágonos (5 lados) — dispostas em uma
grade, julgue os itens seguintes.
58) Considere que sejam verdadeiras as seguintes
proposições.
Se B é um quadrado pequeno então E é um
pentágono
grande. B não é um quadrado pequeno.
Nessa situação, é correto concluir que é verdadeira a
proposição E não é um pentágono grande.
59) A proposição: Se A é um triângulo pequeno, então
A está atrás de C é verdadeira.
60) A afirmativa: Existe um pentágono grande e todos
os triângulos são pequenos é uma proposição falsa.
Considere que as letras P, Q, R e T representem
proposições e que os símbolos ¬, ∨ ∧, e → sejam
operadores lógicos que constroem novas
proposições e significam não, e, ou e então,
respectivamente. Na lógica proposicional, cada
proposição assume um único valor (valor-
verdade), que pode ser verdadeiro (V) ou falso (F),
mas nunca ambos.
Com base nas informações apresentadas no texto
acima, julgue os itens a seguir.
61) Se as proposições P e Q são ambas verdadeiras,
então a proposição (¬ P) V (¬ Q) também é
verdadeira.
62) Se a proposição T é verdadeira e a proposição R é
falsa, então a proposição R → (¬ T) é falsa.
63) Se as proposições P e Q são verdadeiras e a
proposição R é falsa, então a proposição (P∧ R) → (¬
Q) é verdadeira.
Considere as sentenças abaixo.
I Fumar deve ser proibido, mas muitos europeus
fumam.
II Fumar não deve ser proibido e fumar faz bem à
saúde.
III Se fumar não faz bem à saúde, deve ser
proibido.
IV Se fumar não faz bem à saúde e não é verdade
que muitos europeus fumam, então fumar deve
ser proibido.
V Tanto é falso que fumar não faz bem à saúde
como é falso que fumar deve ser proibido;
conseqüentemente, muitos europeus fumam.
Considere também que P, Q, R e T representem as
sentenças listadas na tabela a seguir.
Com base nas informações acima e considerando
a notação introduzida no texto, julgue os itens
seguintes.
64) A sentença I pode ser corretamente representada
por P ^ (¬ T).
65) A sentença II pode ser corretamente representada
por (¬ P) ^ (¬ R).
66) A sentença III pode ser corretamente representada
por R → P.
67) A sentença IV pode ser corretamente
representada por (R ^ (¬ T)) → P.
68) A sentença V pode ser corretamente representada
por T → ((¬ R) ^ (¬ P)).
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 16
Uma proposição é uma afirmação que pode ser
julgada como verdadeira — V —, ou falsa — F —,
mas não como ambas. Uma proposição é
denominada simples quando não contém
nenhuma outra proposição como parte de si
mesma, e é denominada composta quando for
formada pela combinação de duas ou mais
proposições simples.
De acordo com as informações contidas no texto,
julgue os itens a seguir.
69) A frase “Você sabe que horas são?” é uma
proposição.
70) A frase “Se o mercúrio é mais leve que a água,
então o planeta Terra é azul”, não é considerada uma
proposição composta.
Uma proposição simples é representada,
freqüentemente, por letras maiúsculas do alfabeto.
Se A e B são proposições simples, então a
expressão A V B representa uma proposição
composta, lida como “A ou B”, e que tem valor
lógico F quando A e B são ambos F e, nos demais
casos, é V. A expressão ¬A representa uma
proposição composta, lida como “não A”, e tem
valor lógico V quando A é F, e tem valor lógico F
quando A é V.
Com base nessas informações e no texto, julgue
os itens seguintes.
71) Considere que a proposição composta “Alice não
mora aqui ou o pecado mora ao lado” e a proposição
simples “Alice mora aqui” sejam ambas verdadeiras.
Nesse caso, a proposição simples “O pecado mora ao
lado” é verdadeira.
72) Uma proposição da forma (¬A) V (B V ¬C) tem, no
máximo, 6 possíveis valores lógicos V ou F.
Denomina-se proposição toda frase que pode ser
julgada como verdadeira — V — ou falsa — F —,
mas não como V e F simultaneamente. As
proposições simples são aquelas que não contêm
mais de uma proposição como parte. As
proposições compostas são construídas a partir
de outras proposições, usando-se símbolos
lógicos e parênteses para evitar ambiguidades. As
proposições são usualmente simbolizadas por
letras maiúsculas do alfabeto: A, B, C etc. Uma
proposição composta na forma A V B, chamada
disjunção, é lida como “A ou B” e tem valor lógico
F se A e B são F, e V, nos demais casos. Uma
proposição composta na forma A ^ B, chamada
conjunção, é lida como “A e B” e tem valor lógico
V se A e B são V, e F, nos demais casos. Uma
proposição composta na forma A → B, chamada
implicação, é lida como “se A, então B” e tem
valor lógico F se A é V e B é F, e V, nos demais
casos. Além disso, ¬A, que simboliza a negação
da proposição A, é V se A for F, e é F se A for V.
A partir do texto, julgue os itens a seguir.
73) Na sequência de frases abaixo, há três
proposições.
» Quantos tribunais regionais do trabalho há na
região Sudeste do Brasil?
» O TRT/ES lançou edital para preenchimento de
200 vagas.
»Se o candidato estudar muito, então ele será
aprovado no concurso do TRT/ES.
»Indivíduo com 50 anos de idade ou mais não
poderá se inscrever no concurso do TRT/ES.
74) A negação da proposição “O juiz determinou a
libertação de um estelionatário e de um ladrão” é
expressa na forma “O juiz não determinou a libertação
de um estelionatário nem de um ladrão”.
75) Caso a proposição “No Brasil havia, em média, em
2007, seis juízes para cada 100 mil habitantes na
justiça do trabalho estadual, mas, no estado do
Espírito Santo, essa média era de 13 juízes” tenha
valor lógico V, também será V a proposição “Se no
Brasil não havia, em média, em 2007, seis juízes para
cada 100 mil habitantes na justiça do trabalho
estadual, então, no estado do Espírito Santo, essa
média não era de 13 juízes”.
76) As proposições (¬A) V (¬B) e A → B têm os
mesmos valores lógicos para todas as possíveis
valorações lógicas das proposições A e B.
77) Para todos os possíveis valores lógicos atribuídos
às proposições simples A e B, a proposição composta
[A ^ (¬B)] V B tem exatamente 3 valores lógicos V e
um F.
78) Considere que uma proposição Q seja composta
apenas das proposições simples A e B e cujos valores
lógicos V ocorram somente nos casos apresentados
na tabela abaixo.
Nessa situação, uma forma simbólica correta para Q é
[A ^ (¬B)] v [(¬A) ^ (¬B)].
79) A sequência de frases a seguir contém
exatamente duas proposições.
< A sede do TRT/ES localiza-se no município de
Cariacica.
< Por que existem juízes substitutos?
< Ele é um advogado talentoso.
80) A proposição “Carlos é juiz e é muito competente”
tem como negação a proposição “Carlos não é juiz
nem é muito competente”.
81) A proposição “A Constituição brasileira é moderna
ou precisa ser refeita” será V quando a proposição “A
Constituição brasileira não é moderna nem precisa ser
refeita” for F, e vice-versa.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 17
Considere que cada pessoa cujo nome está
indicado na tabela abaixo exerça apenas uma
profissão. Se a célula que é o cruzamento de uma
linha com uma coluna apresenta o valor V, então a
pessoa correspondente àquela linha exerce a
profissão correspondente àquela coluna; se o
valor for F, então a pessoa correspondente à linha
não exerce a profissão correspondente àquela
coluna. Assim, de acordo com a tabela, Júlio é
administrador, Flávio não é contador nem Mário é
técnico de informática.
Considerando as informações e a tabela
apresentadas acima, é correto afirmar que a
proposição
82) “Júlio não é técnico em informática e Mário é
contador” é F.
83) “Mário não é contador ou Flávio é técnico em
informática” é V.
84) “Flávio não é técnico em informática” é V.
Considere que cada uma das proposições
seguintes tenha valor lógico V.
I Tânia estava no escritório ou Jorge foi ao centro da
cidade.
II Manuel declarou o imposto de renda na data correta
e Carla não pagou o condomínio.
III Jorge não foi ao centro da cidade.
A partir dessas proposições, é correto afirmar que a
proposição
85) “Carla pagou o condomínio” tem valor lógico F.
86) “Manuel declarou o imposto de renda na data
correta e Jorge foi ao centro da cidade” tem valor
lógico V.
87) “Tânia não estava no escritório” tem,
obrigatoriamente, valor lógico V.
Uma dedução é uma sequência de proposições em
que algumas são premissas e as demais são
conclusões. Uma dedução é denominada válida
quando tanto as premissas quanto as conclusões
são verdadeiras. Suponha que as seguintes
premissas sejam verdadeiras.
I Se os processos estavam sobre a bandeja, então
o juiz os analisou.
II O juiz estava lendo os processos em seu
escritório ou ele estava lendo os processos na
sala de audiências.
III Se o juiz estava lendo os processos em seu
escritório, então os processos estavam sobre a
mesa.
IV O juiz não analisou os processos.
V Se o juiz estava lendo os processos na sala de
audiências, então os processos estavam sobre
a bandeja.
A partir do texto e das informações e premissas
acima, é correto afirmar que a proposição
88) “Se o juiz não estava lendo os processos em seu
escritório, então ele estava lendo os processos na sala
de audiências” é uma conclusão verdadeira.
89) “Se os processos não estavam sobre a mesa,
então o juiz estava lendo os processos na sala de
audiências” não é uma conclusão verdadeira.
90) “Os processos não estavam sobre bandeja” é uma
conclusão verdadeira.
91) “Se o juiz analisou os processos, então ele não
esteve no escritório” é uma conclusão verdadeira.
Nos diagramas acima, estão representados dois
conjuntos de pessoas que possuem o diploma do
curso superior de direito, dois conjuntos de juízes
e dois elementos desses conjuntos: Mara e Jonas.
Julgue os itens subsequentes tendo como
referência esses diagramas e o texto.
92) A proposição “Mara é formada em direito e é juíza”
é verdadeira.
93) A proposição “Se Jonas não é um juiz, então Mara
e Jonas são formados em direito” é falsa.
Para a análise de processos relativos a
arrecadação e aplicação de recursos de certo
órgão público, foram destacados os analistas
Alberto, Bruno e Carlos. Sabe-se que Alberto
recebeu a processos para análise, Bruno recebeu
b processos e Carlos recebeu c processos, sendo
que a × b × c = 30. Nessa situação, considere as
proposições seguintes.
P: A quantidade de processos que cada analista
recebeu é menor ou igual a 5;
Q: a + b + c = 10;
R: Um analista recebeu mais que 8 processos e os
outros 2 receberam, juntos, um total de 4
processos;
S: Algum analista recebeu apenas 2 processos.
Com base nessas informações, julgue os itens que
se seguem.
94) P →Q é sempre verdadeira.
95) Se R é verdadeira, então S é falsa.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 18
96) A proposição ¬Q é equivalente à proposição
seguinte: Pelo menos um analista recebeu apenas um
processo.
97) Maria, Míriam e Marina são componentes de
uma orquestra. Cada uma delas toca somente um
dos seguintes instrumentos: flauta, piano e
violino. Questionadas por um desconhecido a
respeito do instrumento que tocavam, elas
apresentaram as respostas a seguir.
Maria: Marina toca flauta.
Míriam: Maria não toca flauta.
Marina: Míriam não toca piano.
Com base nessas informações, pode-se afirmar que
A) Marina toca violino.
B) Maria toca violino.
C) Míriam toca piano.
D) Maria toca flauta.
E) Míriam toca violino.
Uma proposição é uma sentença declarativa que
pode ser julgada como verdadeira ou falsa, mas
não como verdadeira e falsa simultaneamente. As
proposições são denotadas por letras maiúsculas
A, B, C etc. A partir de proposições dadas, podem-
se construir novas proposições mediante o
emprego de símbolos lógicos: A ^ B (lê-se: A e B),
A V B (lê-se: A ou B) e A → B (lê-se: se A, então B).
A proposição ¬A denota a negação da proposição
A.
Considerando que os 3 filhos de um casal têm
idades que, expressas em anos, são números
inteiros positivos cuja soma é igual a 13 e sabendo
também que 2 filhos são gêmeos e que todos têm
menos de 7 anos de idade, julgue os itens
seguintes.
98) A proposição “As informações acima são
suficientes para determinar-se completamente as
idades dos filhos” é falsa.
99) A proposição “Se um dos filhos tem 5 anos de
idade, então ele não é um dos gêmeos” é verdadeira.
100) A proposição “Se o produto das 3 idades for
inferior a 50, então o filho não gêmeo será o mais
velho dos 3” é falsa.
Julgue os itens que se seguem, acerca de
proposições e seus valores lógicos.
101) A negação da proposição “O concurso será
regido por este edital e executado pelo CESPE/UnB”
estará corretamente simbolizada na forma (¬A)^(¬B),
isto é, “O concurso não será regido por este edital
nem será executado pelo CESPE/UnB”.
102) A proposição (A ^ B) → (A V B) é uma tautologia.
Uma proposição é uma declaração que pode ser
julgada como verdadeira — V —, ou falsa — F —,
mas não como V e F simultaneamente. As
proposições são, frequentemente, simbolizadas
por letras maiúsculas: A, B, C, D etc. As
proposições compostas são expressões
construídas a partir de outras proposições,
usando-se símbolos lógicos, como nos casos a
seguir.
# A→B, lida como “se A, então B”, tem valor
lógico F quando A for V e B for F; nos demais
casos, será V;
# AvB, lida como “A ou B”, tem valor lógico F
quando A e B forem F; nos demais casos, será V;
# A^B, lida como “A e B”, tem valor lógico V
quando A e B forem V; nos demais casos, será F;
# ¬A é a negação de A: tem valor lógico F quando
A for V, e V, quando A for F.
Uma sequência de proposições A
1
, A
2
, ..., A
k
é uma
dedução correta se a última proposição, A
k
,
denominada
conclusão, é uma consequência das anteriores,
consideradas V e denominadas premissas. Duas
proposições são equivalentes quando têm os
mesmos valores lógicos para todos os possíveis
valores lógicos
das proposições que as compõem. A regra da
contradição estabelece que, se, ao supor
verdadeira uma proposição P, for obtido que a
proposição Pv(¬P) é verdadeira, então P não pode
ser verdadeira; P tem de
ser falsa.
A partir dessas informações, julgue os itens os
itens subsequentes.
103) Considere as proposições A, B e C a seguir.
A: Se Jane é policial federal ou procuradora de justiça,
então Jane foi aprovada em concurso público.
B: Jane foi aprovada em concurso público.
C: Jane é policial federal ou procuradora de justiça.
Nesse caso, se A e B forem V, então C também será
V.
104) As proposições “Se o delegado não prender o
chefe da quadrilha, então a operação agarra não será
bem-sucedida” e “Se o delegado prender o chefe da
quadrilha, então a operação agarra será bem-
sucedida” são equivalentes.
105) Considere que um delegado, quando foi
interrogar Carlos e José, já sabia que, na quadrilha à
qual estes pertenciam, os comparsas ou falavam
sempre a verdade ou sempre mentiam. Considere,
ainda, que, no interrogatório, Carlos disse: José só
fala a verdade, e José disse: Carlos e eu somos de
tipos opostos. Nesse caso, com base nessas
declarações e na regra da contradição, seria correto o
delegado concluir que Carlos e José mentiram.
106) Se A for a proposição “Todos os policiais são
honestos”, então a proposição ¬A estará enunciada
corretamente por “Nenhum policial é honesto”.
107) A sequência de proposições a seguir constitui
uma dedução correta.
Se Carlos não estudou, então ele fracassou na prova
de Física.
Se Carlos jogou futebol, então ele não estudou.
Carlos não fracassou na prova de Física.
Carlos não jogou futebol.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 19
GABARITO – QUESTÕES CESPE
01) E 02) C 03) C 04) E 05) C
06) C 07) E 08) C 09) C 10) E
11) C 12) E 13) E 14) E 15) E
16) C 17) C 18) E 19) C 20) E
21) E 22) C 23) C 24) C 25) E
26) E 27) E 28) E 29) C 30) E
31) C 32) C 33) E 34) E 35) C
36) E 37) C 38) C 39) E 40) C
41) C 42) E 43) C 44) C 45) C
46) E 47) C 48) E 49) C 50) E
51) E 52) C 53) E 54) C 55) C
56) E 57) E 58) E 59) E 60) C
61) E 62) E 63) E 64) E 65) C
66) C 67) C 68) E 69) E 70) E
71) C 72) E 73) C 74) E 75) C
76) E 77) C 78) C 79) E 80) E
81) C 82) E 83) C 84) E 85) C
86) E 87) E 88) C 89) E 90) C
91) C 92) E 93) E 94) C 95) C
96) C 97) E 98) C 99) E 100) C
101) E 102) C 103) E 104) E 105) C
106) E 107) C
GABARITO – CESGRANRIO – PROBABILIDADES
01) B 02) D 03) B 04) A 05) C 06) A
07) C
QUESTÕES CESGRANRIO – TABELA-VERDADE
01) Considere verdadeira a declaração: “Se x é
par, então y é ímpar”. Com base na declaração, é
correto concluir que, se:
A) x é ímpar, então y é par.
B) x é ímpar, então y é ímpar.
C) y é ímpar, então x é par.
D) y é par, então x é par.
E) y é par, então x é ímpar.
02) A negação de “Nenhum rondoniense é casado”
é
A) há pelo menos um rondoniense casado.
B) alguns casados são rondonienses.
C) todos os rondonienses são casados.
D) todos os casados são rondonienses.
E) todos os rondonienses são solteiros.
03) Sejam p e q proposições simples e ~p e ~q,
respectivamente, as suas negações. Os
conectivos e e ou são representados,
respectivamente, por ∧∧∧ ∧ e ∨∨∨ ∨. A negação da
proposição composta ~p ∨∨∨∨ q é
A) p ∧ ~q
B) p ∨∨∨ ∨ ~q
C) ~p ∨∨∨ ∨ ~q
D) ~p ∧∧∧ ∧ ~q
E) ~p ∧∧∧ ∧ q
04) O silogismo é uma forma de raciocínio
dedutivo. Na sua forma padronizada, é constituído
por três proposições: as duas primeiras
denominam-se premissas e a terceira, conclusão.
As premissas são juízos que precedem a
conclusão. Em um silogismo, a conclusão é
conseqüência necessária das premissas. São
dados 3 conjuntos formados por 2 premissas
verdadeiras e 1 conclusão não necessariamente
verdadeira.
(I) Premissa 1: Júlio gosta de basquetebol.
Premissa 2: Todo brasileiro gosta de basquetebol.
Conclusão: Júlio é brasileiro.
(II) Premissa 1: Paulo é brasileiro.
Premissa 2: Alguns brasileiros gostam de voleibol.
Conclusão: Paulo gosta de voleibol.
(III) Premissa 1: Marcos é brasileiro.
Premissa 2: Todo brasileiro gosta de atletismo.
Conclusão: Marcos gosta de atletismo.
São silogismos:
A) I, somente.
B) II, somente.
C) III, somente.
D) I e III, somente.
E) II e III, somente.
05) Chama-se tautologia à proposição composta
que possui valor lógico verdadeiro, quaisquer que
sejam os valores lógicos das proposições que a
compõem. Sejam p e q proposições simples e ~p e
~q as suas respectivas negações. Em cada uma
das alternativas abaixo, há uma proposição
composta, formada por p e q. Qual corresponde a
uma tautologia?
A) p ∨∨∨ ∨ q
B) p ∧∧∧ ∧ ~q
C) (p ∨ q) →(~p ∧ q)
D) (p ∨∨∨ ∨ q) → (p ∧∧∧ ∧ q)
E) (p ∧∧∧ ∧ q) →(p ∨∨∨ ∨ q)
06) O silogismo é uma forma de raciocínio
dedutivo. Na sua forma padronizada, é constituído
por três proposições: as duas primeiras
denominam-se premissas e a terceira, conclusão.
As premissas são juízos que precedem a
conclusão. Em um silogismo, a conclusão é
conseqüência necessária das premissas. Assinale
a alternativa que corresponde a um silogismo.
A) Premissa 1: Marcelo é matemático.
Premissa 2: Alguns matemáticos gostam de física.
Conclusão: Marcelo gosta de física.
B) Premissa 1: Marcelo é matemático.
Premissa 2: Alguns matemáticos gostam de física.
Conclusão: Marcelo não gosta de física.
C) Premissa 1: Mário gosta de física.
Premissa 2: Alguns matemáticos gostam de física.
Conclusão: Mário é matemático.
D) Premissa 1: Mário gosta de física.
Premissa 2: Todos os matemáticos gostam de física.
Conclusão: Mário é matemático.
E) Premissa 1: Mário gosta de física.
Premissa 2: Nenhum matemático gosta de física.
Conclusão: Mário não é matemático.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 20
07) Sejam p e q proposições simples e ~p e ~q,
respectivamente, as suas negações. A negação da
proposição composta p → →→ →~q é
A) ~p →~q
B) ~p →q
C) p →q
D) p ∧ ~q
E) p ∧ q
08) A negação de “Todos os caminhos levam a
Roma” é
A) “Todos os caminhos não levam a Roma”.
B) “Nenhum caminho leva a Roma”.
C) “Pelo menos um caminho leva a Roma”.
D) “Pelo menos um caminho não leva a Roma”.
E) “Não há caminhos para Roma”.
09) Admita verdadeira a declaração: “se A é C,
então B não é C”. Conclui-se corretamente que
A) se B é C, então A não é C.
B) se B é C, então A é C.
C) se B não é C, então A não é C.
D) se B não é C, então A é C.
E) se A não é C, então B é C.
10) O silogismo é uma forma de raciocínio
dedutivo. Na sua forma padronizada, é constituído
por três proposições: as duas primeiras
denominam-se premissas e a terceira, conclusão.
As premissas são juízos que precedem a
conclusão. Em um silogismo, a conclusão é
conseqüência necessária das premissas.
Corresponde a um silogismo:
A) Premissa 1: Todo brasileiro gosta de futebol.
Premissa 2: José gosta de futebol.
Conclusão: José é brasileiro.
B) Premissa 1: Todo brasileiro gosta de futebol.
Premissa 2: Todo brasileiro é desportista.
Conclusão: Todo desportista gosta de futebol.
C) Premissa 1: João é mortal.
Premissa 2: Nenhum homem é imortal.
Conclusão: João é homem.
D) Premissa 1: Todo peixe nada.
Premissa 2: Alguns mamíferos nadam.
Conclusão: Alguns mamíferos são peixes.
E) Premissa 1: Nenhum mamífero é peixe.
Premissa 2: Alguns mamíferos nadam.
Conclusão: Algum animal que nada não é peixe.
11) Em um parque de diversões, cada vagão do
trem-fantasma possui exatamente 3 lugares.
Pretende-se ocupar os lugares desses vagões de
tal forma que, em cada vagão, haja um homem
adulto, uma mulher adulta e uma criança. Para
isso, estão disponíveis x homens adultos, y
mulheres adultas e z crianças. Nestas condições,
será possível preencher no máximo
A) x vagões, se x é maior do que y e maior do que z.
B) x vagões, se x é menor do que y e menor do que z.
C) y vagões, se x é maior do que y e maior do que z.
D) z vagões, se x é menor do que y e menor do que z.
E) z vagões, se x é maior do que y e maior do que z.
12) Considere verdadeira a proposição: “Marcela
joga vôlei ou Rodrigo joga basquete”. Para que
essa proposição passe a ser falsa:
A) é suficiente que Marcela deixe de jogar vôlei.
B) é suficiente que Rodrigo deixe de jogar basquete.
C) é necessário que Marcela passe a jogar basquete.
D) é necessário, mas não suficiente, que Rodrigo
deixe de jogar basquete.
E) é necessário que Marcela passe a jogar basquete e
Rodrigo passe a jogar vôlei.
13) A negação de “João sempre vai de carro para o
trabalho” é:
A) “João sempre vai a pé para o trabalho”.
B) “João nunca vai de carro para o trabalho”.
C) “João, às vezes, não vai de carro para o trabalho”.
D) “João, às vezes, vai a pé para o trabalho”.
E) “João nunca vai a pé para o trabalho”.
14) Considere verdadeira a afirmação “Se uma
figura plana for um quadrado, então será um
retângulo”. Com base nessa afirmação, é correto
afirmar que, se uma figura plana:
A) não for um quadrado, então não será um retângulo.
B) não for um quadrado, então será um retângulo.
C) não for um retângulo, então não será um quadrado.
D) não for um retângulo, então será um quadrado.
E) for um retângulo, então será um quadrado.
15) Admita como verdadeiras as seguintes
declarações:
• todo matemático sabe física;
• há médicos que não sabem física.
Com base nestas declarações, é correto concluir
que há
A) médicos que não são matemáticos.
B) médicos que são matemáticos.
C) médicos que sabem física.
D) físicos que são matemáticos.
E) físicos que são médicos.
16) A negação da proposição “Se o candidato
estuda, então passa no concurso” é
A) o candidato não estuda e passa no concurso.
B) o candidato estuda e não passa no concurso.
C) se o candidato estuda, então não passa no
concurso.
D) se o candidato não estuda, então passa no
concurso.
E) se o candidato não estuda, então não passa no
concurso.
17) Considere verdadeiras as proposições a
seguir.
- Se Roberto casar, seu irmão Humberto será
convidado.
- Humberto não fala com seu primo Gilberto. Por
isso, se Gilberto for convidado para o casamento
de Roberto, Humberto não irá.
- Gilberto é orgulhoso e, por isso, só comparece
em casamentos quando é convidado.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 21
Sabendo que Humberto compareceu ao
casamento de Roberto, conclui-se que
A) Gilberto foi convidado para o casamento. Por isso,
compareceu.
B) Gilberto não foi convidado para o casamento. Por
isso, não compareceu.
C) Gilberto não foi convidado para o casamento, mas,
mesmo assim, compareceu.
D) Gilberto não compareceu, ainda que tenha sido
convidado.
E) Humberto não foi convidado, ainda que tenha
comparecido.
O enunciado a seguir refere-se às próximas duas
questões.
Proposição é toda sentença declarativa que pode
ser classificada, unicamente, como verdadeira ou
como falsa. Portanto, uma proposição que não
possa ser classificada como falsa será verdadeira
e vice-versa. Proposições compostas são
sentenças formadas por duas ou mais
proposições relacionadas por conectivos.
18) Sejam p e q proposições e ~p e ~q,
respectivamente, suas negações. Se p é uma
proposição verdadeira e q, uma proposição falsa,
então é verdadeira a proposição composta
A) p ∧ q
B) ~p ∧ q
C) ~p ∨ q
D) ~p ∨ ~q
E) ~p ↔ ~q
19) Duas proposições compostas são equivalentes
se têm a mesma tabela de valores lógicos. É
correto afirmar que a proposição composta p → →→ → q
é equivalente à proposição
A) p ∧ q
B) p ∨ q
C) p → ~q
D) ~p → ~q
E) ~q → ~p
20) A negação da proposição “Alberto é alto e
Bruna é baixa” é
A) Alberto é baixo e Bruna é alta.
B) Alberto é baixo e Bruna não é alta.
C) Alberto é alto ou Bruna é baixa.
D) Alberto não é alto e Bruna não é baixa.
E) Alberto não é alto ou Bruna não é baixa.
21) Rivaldo é primo dos irmãos Nivaldo e Osvaldo.
Sobre eles, considere verdadeiras as proposições
abaixo.
- Se Nivaldo casar, seu irmão Osvaldo será
convidado.
- Osvaldo não fala com Rivaldo. Por isso, se
Rivaldo for convidado para o casamento de
Nivaldo, Osvaldo não irá.
- Rivaldo é orgulhoso e, por isso, só comparece
em casamentos quando é convidado.
Se Rivaldo compareceu ao casamento de Nivaldo,
conclui-se que
A) Osvaldo não foi ao casamento de seu irmão,
mesmo tendo sido convidado.
B) Osvaldo foi ao casamento, mesmo não tendo sido
convidado.
C) Osvaldo não foi ao casamento de Nivaldo, por não
ter sido convidado.
D) Osvaldo foi ao casamento de Nivaldo, mas não
falou com Rivaldo.
E) Rivaldo foi ao casamento, mesmo não tendo sido
convidado.
22) Proposição é toda sentença declarativa que
pode ser classificada, unicamente, como
verdadeira ou como falsa. Portanto, uma
proposição que não possa ser classificada como
falsa será verdadeira e vice-versa. Proposições
compostas são sentenças formadas por duas ou
mais proposições relacionadas por conectivos.
Sejam p e q proposições e ~p e ~q,
respectivamente, suas negações. Se p e q são
proposições verdadeiras, então é verdadeira a
proposição composta
A) p e ~q
B) ~p e q
C) ~p e ~q
D) ~p ou q
E) ~p ou ~q
23) Qual é a negação da proposição “Alguma
lâmpada está acesa e todas as portas estão
fechadas”?
A) Todas as lâmpadas estão apagadas e alguma porta
está aberta.
B) Todas as lâmpadas estão apagadas ou alguma
porta está aberta.
C) Alguma lâmpada está apagada e nenhuma porta
está aberta.
D) Alguma lâmpada está apagada ou nenhuma porta
está aberta.
E) Alguma lâmpada está apagada e todas as portas
estão abertas.
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 22
24) Denomina-se contradição a proposição
composta que é SEMPRE FALSA, independendo
do valor lógico de cada uma das proposições
simples que compõem a tal proposição composta.
Sejam p e q duas proposições simples e ~p e ~q ,
respectivamente, suas negações. Assinale a
alternativa que apresenta uma contradição.
A) p ^ q
B) q v ~q
C) p v ~q
D) ~p ^ q
E) ~p ^ p
25) Se Marcos levanta cedo, então Júlia não perde
a hora. É possível sempre garantir que
A) se Marcos não levanta cedo, então Júlia perde a
hora.
B) se Marcos não levanta cedo, então Júlia não perde
a hora.
C) se Júlia perde a hora, então Marcos levantou cedo.
D) se Júlia perde a hora, então Marcos não levantou
cedo.
E) se Júlia não perde a hora, então Marcos levantou
cedo.
26) Se Antônio levanta cedo, então Alice não perde
a hora. Se Alice perde a hora, então Laura não
trabalha. Portanto, se, em certo dia,
A) Laura trabalha, então Alice não perdeu a hora.
B) Laura não trabalha, então Alice perdeu a hora.
C) Laura trabalha, então Antônio levantou cedo.
D) Alice não perdeu a hora, então Laura trabalha.
E) Alice não perdeu a hora, então Antônio levantou
cedo.
27) A negação da proposição “Se o candidato
estuda, então passa no concurso” é
A) o candidato não estuda e passa no concurso.
B) o candidato estuda e não passa no concurso.
C) se o candidato estuda, então não passa no
concurso.
D) se o candidato não estuda, então passa no
concurso.
E) se o candidato não estuda, então não passa no
concurso.
28) Considere a proposição composta “Se o mês
tem 31 dias, então não é setembro”. A proposição
composta equivalente é
A) “O mês tem 31 dias e não é setembro”.
B) “O mês tem 30 dias e é setembro”.
C) “Se é setembro, então o mês não tem 31 dias”.
D) “Se o mês não tem 31 dias, então é setembro”.
E) “Se o mês não tem 31 dias, então não é setembro”.
GABARITO – CESGRANRIO – TABELA-VERDADE
01) E 02) A 03) A 04) C 05) C 06) E
07) D 08) D 09) A 10) E 11) B 12) D
13) C 14) C 15) A 16) E 17) A 18) D
19) C 20) E 21) A 22) D 23) B 24) E
25) D 26) A 27) B 28) C
RACIOCINIO LÓGICO -TABELA VERDADE
Profº Mdo. Raul Enrique Cuore Página 23