You are on page 1of 4

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

TECNOLOGIA DA BAHIA

CURSO DE ELETROMECÂNICA – MODALIDADE –
INTEGRADO

PORTUGUÊS









CAIO CESAR SANTOS GUEDES

SOL ENI DA SILVA SANTOS









O DESTERRO DOS MORTOS






Simões Filho
2014



CAIO CESAR SANTOS GUEDES

SOL ENI DA SILVA SANTOS







O DESTERRO DOS MORTOS








.



















Simões Filho
2014

Resenha apresentada à disciplina de português
como requisito parcial para a aprovação no curso
de Eletromecânica, do Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia.

Professora: Carla Ceci
APRESENTAÇÃO

Esse trabalho se trata de uma resenha sobre o livro, O desterro dos mortos, de Aleilton
Fonseca. Falaremos sobre a sua característica que difere dos escritores brasileiros mais
conhecidos, e as quais fazem com que seja intitulado escritor contemporâneo. E também sobre
a sua obra, que de um modo geral possui uma grande afinidade com o tema, Morte. O desterro
dos mortos é um livro pequeno, que reúne 12 contos do autor, mas que transmite uma grande
idéia sobre o tema apresentado, e que de forma simples, nos emociona.
























O desterro dos mortos é uma coletânea de contos, juntos em um livro, criados pelo
escritor baiano Aleilton Fonseca. Nesse livro, se encontram histórias que representam
acontecimentos casuais da vida humana com o tema, Morte. E cada uma das histórias nos faz
refletir sobre como encaramos a morte nos dias de hoje, assim como no principal conto do
livro, O desterro dos mortos.
Aleilton é caracterizado por ser um escritor bastante diferente dos que conhecemos.
Em seus contos, ele utiliza de uma linguagem simples, porém correta ortograficamente, faz
referência ao arcadismo, com a fuga das cidades para o campo, faz a utilização de um
narrador presente, e principalmente, valoriza a morte. Visto todas essas características, ele é
considerado como um verdadeiro escritor contemporâneo.
Com relação à sua idéia de morte. Está claro nas histórias que o autor critica a nossa
visão atual sobre a mesma e procura dar um sentido maior a tal acontecimento, relacionando-a
com as interpretações de nossos antepassados. Dessa forma, pode-se notar que todas as suas
histórias são sentimentais, e tentam mostrar ao leitor uma nova visão sobre o tema.
No conto, O desterro dos mortos, há uma situação em que o pai quer que seus filhos
vivenciem a morte de seu avô da mesma forma que ele vivenciou no passado, para que assim
eles aprendam realmente sobre a morte. Em O pescador, a morte se encontra de forma mais
imaterial, quando se percebe que o narrador possuía a vida de pescador no passado, mas
matou-a para que conseguisse, na cidade, se tornar professor. Em Para sempre, há também
uma valorização da morte quando se compara a profissão de coveiro com a de jardineiro,
demonstrando assim o respeito para com os mortos.
Portanto, atribui-se ao livro, O desterro dos mortos, uma importância ainda maior do
que se esperava. Pois ele é capaz de fazer com que o leitor reflita sobre um tema tão simples
que é a morte, e o qual se faz parecer tão complexo. Por isso o autor está sempre tomando
como referência a vida do interior, já que o povo ainda leva uma vida simples, e da mesma
forma enfrentam a morte, pois “a morte virá para todos um dia”. O sentimento que o livro
oferece, é justamente que a vida pode ser mais simples do que parece.