You are on page 1of 16

Buscar

 Página principal
 » Categorias
 » Educação e Comunicação
 » Leitura e Redação
 Conteúdo
 Editar
 Discussão
Como Escrever um Ensaio
Criado por Jack.aw
5 Métodos:Um Processo Passo-a-Passo para a Escrita de um EnsaioRevisando o
EnsaioEscrevendo um Ensaio PersuasivoEscrevendo um Ensaio ExpositivoEscrevendo um Ensaio
Narrativo
Você terá de escrever um ensaio em muitas ocasiões de sua carreira
acadêmica. Você pode trabalhar em um ensaio para aulas ou para participar de
um concurso literário. Talvez seja necessário escrever um ensaio para ser
admitido em uma faculdade. Este artigo mostrará a você os processos de
escrita e revisão para todos os tipos de ensaios. Em seguida, explorará como
escrever ensaios narrativos, persuasivos e expositivos.
Parte 1 de 5: Um Processo Passo-a-Passo para a Escrita de
um Ensaio
1. 1
Defina o contexto do ensaio. O contexto é basicamente o ponto de vista do
trabalho. Centralmente, a questão a se fazer é: O que estão pedindo para eu
escrever? O contexto pode incluir múltiplos parâmetros, incluindo:
 Tópico. Algumas vezes, você terá de trabalhar em cima de um assunto pedido
pelo professor. Caso o tema seja livre, prefira um assunto pelo qual você nutre
paixão e pelo qual realmente queira discutir para aprimorar-se.
 Formato. A extensão do ensaio, a diagramação das páginas e a apresentação
importam. Siga religiosamente as regras dadas pelo professor para não perder
pontos.
 Público. Com quem você está tentando se comunicar? Quem você quer
persuadir: seu professor, seus colegas ou uma banca julgadora? Modifique seu
estilo de acordo com o público.
Anúncio
2. 2
Faça pesquisas para conseguir evidências em prol de seus argumentos.
 Pesquise online, vá para a biblioteca ou pesquise o sistema acadêmico. Não
hesite em pedir ajuda para um bom bibliotecário. O objetivo deles é exatamente
ajudar.
 Conheça quais fontes seu professor irá aceitar.
 Seu professor quer certo número de referências primárias e secundárias?
 É possível usar a Wikipédia? A Wikipédia é, normalmente, um bom ponto inicial
para aprender sobre um assunto. Porém, muitos professores não permitirão
que você a cite por desejarem fontes mais fidedignas.
 Faça anotações detalhadas e mantenha registradas as fontes de suas citações.
Escreva suas referências no formato apropriado para não ter de voltar e
procurá-las novamente.
 Jamais ignore fatos e afirmações que pareçam discordar de sua ideia/tese
original. Um bom ensaísta a) inclui a evidência contrária e mostra o porquê de
ela não ser válida ou b) altera o próprio ponto de vista de acordo com a
evidência.
3. 3
Analise alguns bons ensaios. Em sua pesquisa, você provavelmente se
deparará com alguns argumentos muitíssimo bem-escritos (e outros nem tanto
assim) sobre seu assunto. Analise-os para descobrir porque eles funcionam.
 Que afirmações o autor faz?
 Por que eles parecem bons? É a lógica, as fontes, o estilo, a estrutura? É algo
diferente?
 Quais evidências o autor apresenta?
 Por que essas evidências parecem críveis? Como o autor apresenta fatos, e
qual a abordagem dele ao contar uma história com fatos?
 A lógica é palpável ou falha, e por quê?
 Por que a lógica é palpável? O autor reforça suas informações com exemplos
simples de se seguir?
4. 4
Reflita sobre suas próprias ideias. Claro, você pode usar argumentos alheios
para reforçar suas intenções. Porém, é preciso demonstrar ideias originais no
texto para torná-lo unicamente seu.
 Faça listas de ideias. Você também pode tentar criar um mapa mental.
 Gaste algum tempo. Caminhe pela vizinhança ou por um parque e pense sobre
seu assunto. Esteja preparado para o surgimento de ideias em momentos
inesperados.
5. 5
Crie uma declaração de tese.
 Observe as ideias que gerou. Escolha uma ou três das ideias mais fortes que
dão base ao assunto. Você deve reforçar tais ideias com evidências
encontradas em pesquisa.
 Desenvolva uma declaração de tese que sumarize as ideias que planeja
apresentar. Essencialmente, faça com que o leitor descubra para onde você
está indo e o porquê disso.
 Um declaração de tese deve focar estritamente no assunto e no que você
planeja apresentar. Por exemplo, ”Apesar de a descaroçadora de algodão de
Eli Whitney ter conduzido a América a uma nova era de prosperidade, ela
também provocou um aumento no sofrimento de escravos Afro-Americanos,
que seriam cada vez mais solicitados e sofreriam mais do que nunca.”
 Uma declaração de tese não deve conter perguntas, pronomes de primeira
pessoa (“eu”), fugidas do assunto e nem podem ser combativas.
6. 6
Planeje o ensaio. Faça um delineamento com a reunião daquilo que antes foi
refletido. Escreva parágrafos para suas ideias principais. Produza pontos
principais e utilize evidências para defendê-los. Geralmente, você quer três
argumentos/evidências para apoiarem cada ideia principal.
 Ponto principal: ”A descaroçadora de algodão de Eli Whitney tornou a vida dos
escravos Afro-Americanos mais difícil.”
 Ex.: “Muitos escravos nortenhos corriam o risco de serem sequestrados e
trazidos para o sul para trabalharem nos campos de algodão.”
 Ex.: “Em 1790, antes da descaroçadora de algodão, a América possuía cerca
de 700.000 escravos. Em 1810, depois da adoção da descaroçadora, o número
de escravos aumentou para 1,2 milhões – um aumento de 70%.”
7. 7
Escreva o desenvolvimento do ensaio. Quanto à extensão do mesmo: não
escreva milhares de páginas se seu professor quiser apenas 5 parágrafos.
Porém, escreva livremente para permitir que seus pensamentos se revelem.
Você sempre pode torná-los concisos mais tarde.
 Evite usar generalizações. Argumentos como “_____ é o problema mais
importante na humanidade atual,” podem desagradar seu leitor se ele/ela
discordar de você. Por outro lado, “_____ é um problema global significante” é
mais preciso.
 JAMAIS use argumentos com “eu”, como “Eu acho
que.”Semelhantemente, evite o uso dos pronomes “você”, “nós”, “meu”, “seu”,
ou “nosso”. Reforçar seus argumentos com fatos torna seu texto mais
confiável. Em vez de escrever “Eu descobri que Frum possui um olhar
conservador”, prefira demonstrar ao leitor a razão de seu argumento ser
verdade “Frum exibe um olhar conservador quando escreve que...”
8. 8
Crie um título e uma introdução marcantes para seu ensaio. O título e a
introdução devem despertar interesse. Se o público for seu professor, então é
claro que ele lerá todo o trabalho. Porém, concursos literários ou admissões em
faculdades exigirão que título e introdução conquistem o leitor.
 Pule expressões óbvias como: “Este ensaio trata sobre”, “O assunto deste
ensaio é” ou “Agora, mostrarei que”.
 Tente a fórmula da pirâmide invertida. Comece com uma larga descrição de
seu assunto e afunile-o até chegar à declaração de tese. Tente não usar mais
do que 3 ou 5 frases para ensaios curtos, e não mais do que 1 página para
trabalhos mais longos.
 Exemplo de ensaio curto: “Todos os anos, milhares de animais indesejados e
maltratados acabam em abrigos municipais. O aprisionamento não apenas
causa sofrimento aos animais como também causa prejuízos ao orçamento
governamental. Capitais e cidades devem evitar o abuso animal e o
desperdício governamental requerendo que possíveis donos de animais
passem por educação obrigatória antes de permitir-lhes a posse de um bicho
de estimação. Apesar de moradores locais poderem resistir inicialmente à
ideia, eles logo verão que os benefícios da educação obrigatória são muito
superiores aos custos”.
9. 9
Conclua o ensaio. Sumarize seus pontos e sugira caminhos pelos quais suas
conclusões possam ser interpretadas de uma maneira mais ampla.
 Responda questões como “Quais implicações poderiam levar a crer que sua
declaração de tese é verdade?”, “Qual o próximo passo?”, “Quais questões
permanecem sem respostas?”.
 Seus argumentos devem levar o leitor a uma conclusão lógica e natural. De
alguma maneira, você está recriando sua declaração de tese ao fazer o leitor
lembrar de todo o ensaio.
 Crie uma frase final forte. Se o título e o parágrafo inicial fazem o leitor ler o seu
ensaio, então a frase conclusiva faz com que o mesmo leitor se lembre de
você. Se um ginasta faz perfeitos giros com a argola e falha no pouso, as
pessoas se esquecerão de todos os giros dele. Os ginastas devem “caprichar
no final”, assim como os escritores.
[1]

Parte 2 de 5: Revisando o Ensaio
1. 1
Espere um dia ou dois antes de reler o ensaio. Complete seu ensaio alguns
dias antes da data de entrega. Assim, você terá tempo para revisá-lo e
melhorá-lo. Evite entregar um rascunho que não tenha sido verificado.
2.
2
Corrija erros relacionados à gramática, pontuação e construção. Consulte
um livro de estilos se não souber como usar marcadores de referências, dois
pontos, ponto-e-vírgula, aspas ou vírgulas. Evite usar pontos de exclamação
para enfatizar seus argumentos.
 Procure por erros comuns envolvendo: mas/mais, porque/por que, a
gente/agente.
 Procure erros envolvendo a pontuação em geral. Verifique frases longas,
vírgulas e pontos dentro de citações. Verifique também os pouquíssimos
usados travessão, dois pontos e ponto-e-vírgula.
3. 3
Remova quaisquer palavras desnecessárias ou repetitivas. Varie sua
linguagem com a ajuda de um dicionário de sinônimos. Consulte um dicionário
para ter certeza de que está utilizando palavras pouco familiares de maneira
correta.
 Foque em escrever verbos fortes para as frases. Os verbos comunicam ações
em uma frase e orientam a ação. Um grande verbo pode fazer a diferença
entre uma frase fraca e uma belíssima.
 Use adjetivos cautelosamente. Adjetivos são ótimas palavras descritivas, mas o
uso indiscriminado delas pode tornar o seu texto maçante e menos legível.
Deixe verbos e substantivos fazerem a maior parte do trabalho antes de focar
em adjetivos.
4. 4
Evite a escrita coloquial. Não use contrações ou abreviações (Ex.: „tá, „tô,
mó). Seu ensaio deve ter um tom sério, mesmo se for escrito em um estilo leve
ou lírico.
5. 5
Analise como o seu ensaio flui. Cada frase está tranquilamente conectada às
outras? Cada parágrafo flui logicamente para o próximo? Bons conectivos
ajudarão no fluxo de suas ideias:
 Quando eventos acontecem em sequência: Inicialmente, comecei a
compreender que era minoria quando estava no ensino médio... Minha
compreensão foi confirmada na época da faculdade.
 Em frases elaboradas umas nas outras: Plantas precisam de água para
sobreviver... A habilidade de uma planta de absorver água depende da nutrição
do solo.
 Quando uma ideia contrasta com outra: Vegetarianos afirmam que a terra é
desperdiçada desnecessariamente para a criação de animais que servirão de
alimento... Oponentes afirmam que a terra utilizada para a alimentação desses
animais jamais poderia servir para a criação de qualquer outro tipo de alimento.
 Caso esteja trabalhando em uma relação de causa e efeito: Serei a primeira
pessoa na família a me graduar na faculdade... Inspiro-me para cultivar o
progresso familiar no decorrer das gerações.
 Para conectar ideias semelhantes: Diz-se que alimentos orgânicos são
melhores para o ambiente... Diz-se que a comida local possui os mesmos
objetivos.
6. 6
Corte informações que não se relacionem especificamente ao
assunto. Você não quer que seu ensaio fuja do tema. Qualquer informação
que não apoiar direta ou indiretamente a sua tese deve ser retirada.
7. 7
Peça para que alguém leia o seu ensaio em voz alta, ou grave-se lendo o
ensaio para escutar depois. Em alguns casos, seus ouvidos são melhores do
que os olhos na hora de encontrar erros de linguagem. O ensaio deve possuir
um bom fluxo e palavras compreensíveis.
8. 8
Reescreva quaisquer passagens problemáticas do desenvolvimento. Se
necessário, reorganize frases e parágrafos em uma ordem diferente. Certifique-
se de que tanto a conclusão quanto a introdução acompanhem as mudanças
feitas no desenvolvimento.
Parte 3 de 5: Escrevendo um Ensaio Persuasivo
1. 1
Componha seu ensaio com um propósito claro. Um ensaio persuasivo é
designado para fazer o leitor adotar o ponto de vista apresentado. Eis alguns
exemplos de bons temas para um ensaio persuasivo:
 Se o governo deveria financiar pesquisas acerca de células-tronco.
 Se o amor é uma virtude ou um vício.
 Por que Cidadão Kane é o melhor filme do século 20.
 Por que cidadãos brasileiros são forçados a votar.
2. 2
Escreva seu ensaio como se estivesse conduzindo um debate. Na hora de
debater, você introduz seu assunto, apresenta evidências e desenha uma
conclusão para os ouvintes. Um ensaio persuasivo possui uma estrutura
semelhante.
3. 3
Reúna referências confiáveis para justificar suas opiniões. Apoie seu
argumento com fatos raciocinados. Um ensaio bem-escrito é ótimo, mas um
ensaio com bons argumentos é indestrutível.
 Se quiser, realize experimentos empíricos, como enquetes, entrevistas ou
experimentos conduzidos. O resultado de enquetes ou entrevistas poderia ser
uma ótima informação para compor a introdução.
 Conte uma história sobre os fatos. Evite somente listá-los; conte uma história!
Por exemplo: “Desde o restabelecimento da pena de morte, mais de 140
condenados à morte foram soltos depois que evidências provaram a inocência
deles. Pergunte-se: Você gostaria de ser um desses 140 erroneamente
condenados?”.
4. 4
Discute opiniões conflitantes. Apresente o outro lado do argumento e use
lógica e fatos para demonstrar como esses dados opostos são imprecisos ou
antiquados.
[2]

 Por exemplo: “Algumas pessoas afirmam que a pena de morte age para deter o
crime. Várias e várias vezes, evidências demonstraram o quão falha é tal
teoria. A pena de morte, de fato, não age para deter o crime: O sul dos EUA é
responsável por 80% das execuções – ainda assim, é a região com o maior
índice de assassinatos.”
5. 5
Amarre todas as ideias em uma conclusão. Reforce sua tese pela última
vez. Use algumas das informações discutidas, ou uma história planejadamente
reservada, para colorir um pouco a conclusão.
Parte 4 de 5: Escrevendo um Ensaio Expositivo
1. 1
Escolha um assunto para seu ensaio. Você investigará um tópico e
apresentará argumentos defendidos com evidências.
 Por exemplo, você poderia escrever um ensaio expositivo tratando sobre as
pesquisas de células-tronco que podem levar a cura de lesões na coluna e de
doenças como o mal de Parkinson ou diabetes.
 Ensaios expositivos são diferentes por não demonstrarem uma opinião. Você
está exibindo fatos reforçados por pesquisas.
2. 2
Selecione a estratégia e a estrutura. Algumas estratégias e estruturas para a
escrita expositiva incluem:
 Definição. O ensaio de definição explica o significado de termos ou conceitos.
 Classificativo. Um ensaio classificativo organiza um assunto em grupos. Ele
começa com um grupo mais geral e estreita-se até grupos específicos.
 De Causa e Efeito. Tais ensaios explicam como um assunto afeta o outro e
como ambos são interdependentes.
 Como fazer. Ensaios de “como fazer” explicam os passos necessários para se
completar uma tarefa ou um procedimento. O objetivo deles é instruir o leitor.
3. 3
Não dê seu ponto de vista. O ensaio expositivo não é lugar para opiniões. Ele
deve desenhar uma conclusão através de evidências verificáveis.
[3]
Isso
significa manter uma perspectiva equilibrada e focar no que os fatos apontam.
 Você pode até descobrir que as novas informações exigem a modificação do
tema. Se você começou a escrever sobre a escassez de informações relativas
ao aquecimento global e acabou encontrando diversas evidências científicas
sobre o assunto, então é preciso reconsiderar o ensaio.
4. 4
Use fatos para contar a história. Pense como um jornalista na hora de
escrever o ensaio expositivo. A história se contará sozinha se você descrever
os fatos como um repórter.
 Não se confunda com a estrutura de ensaios expositivos. Em ensaios
narrativos, você pode modificar a estrutura do ensaio para torná-lo mais
interessante. A estrutura do ensaio expositivo é muito linear, fazendo com que
seja mais fácil conectar seus pontos.
Parte 5 de 5: Escrevendo um Ensaio Narrativo
1. 1
Conte sua história vívida e acuradamente. Um ensaio narrativo reconta um
incidente pelo qual você ou outros passaram. Em um ensaio narrativo, seria
possível descrever uma experiência pessoal na qual a pesquisa de células-
tronco poderia ter lhe ajudado (ou algum ente querido) a se recuperar de uma
condição debilitante.
2. 2
Inclua todos os elementos de uma boa narrativa. Você precisará de
introdução, espaço narrativo, enredo, personagens, clímax e conclusão.
 Introdução: O começo. Como você vai dar início à história? Existe algo útil ou
importante neste momento que será mencionado mais tarde?
 Espaço: Onde as ações acontecem. Como o lugar parece? Que palavras
poderiam ser usadas para fazer com que o leitor se sinta no local em que a
ação aconteceu?
 Enredo: O que acontece. A essência de sua história, a ação principal. Por que
é válido contar essa história?
 Personagens: Quem está na história. O que sua história conta sobre os
personagens? O que os personagens nos contam sobre a história?
 Clímax: A parte de suspense antes da conclusão. Estamos vidrados na
história? Precisamos descobrir o que acontece em seguida?
 Conclusão: Como tudo se resolve. Qual o significado da história no final?
Pessoas, coisas e ideias mudam depois que o final é revelado?
3. 3
Tenha um ponto de vista claro. A maioria dos ensaios narrativos é escrita da
perspectiva do autor, mas você também pode considerar outras perspectivas
desde que o seu ponto de vista seja consistente.
 Utilize o pronome “Eu” se você for o narrador. Pode-se usar a primeira pessoa
em um ensaio narrativo. Entretanto, certifique-se de não exagerar. A ideia de
convicção fica mais forte na terceira pessoa – e isso vale para qualquer texto.
4. 4
Crie um significado. Você está contando uma história, mas o propósito dela é
chegar a um significado específico. Apresente a ideia principal em sua
declaração de tese e certifique-se de que os elementos da história estejam
ligados a ela.
 O que você aprendeu? Como seu ensaio explora as coisas que você
aprendeu?
 Como você mudou? O “você” que começou a escrever o ensaio é diferente do
“você” de agora? Esta pergunta relaciona-se com a primeira.
5. 5
Escolha cuidadosamente sua linguagem. Você usará palavras para
emocionar – escolha-as deliberadamente.
[4]

Anúncio
Dicas
 Refira-se a todas as ilustrações e diagramas como Figura 1, 2, 3, etc. Você
pode se referir a planilhas e gráficos como Gráfico 1, 2, 3, etc. ou como figuras.
Fotos podem ser marcadas como Foto 1, 2, 3, etc., ou como figuras. Evite
incluir uma figura que não tem relação com o desenvolvimento do ensaio.
 Evite o seguinte:
o Criar colunas com listas em forma de pontos.
o Criar uma lista dividida com ponto-e-vírgula dentro de um parágrafo.
o Usar et cetera (etc.) no final de uma lista. O “etc.” significa “e eu não consigo
pensar em mais nada” para os professores.
o Demarque cada ideia antes de escrevê-la em cada seção. É melhor utilizar
anotações demarcadas do que perder observações úteis por confiar demais na
memória.
 Não se apresse, mas também não demore demais para escrever o ensaio.
Lembre-se de priorizar as ideias principais antes de trabalhar as partes menos
importantes