You are on page 1of 29

Universidade Anhanguera Uniderp – Polo Naviraí

Tutor (EAD): Prof. Msc. Glenda de Almeida Soprane
Tutor presencial: Jefferson Kiyoshi
Curso: Administração







ATPS – ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS
ESTRUTURA E ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS


Acadêmicos:
Aezer ToralRA: 314252
Luiz Augusto RA: 347971
Maiara Perez RA: 290170






Abril de 2013
Naviraí – MS




INTRODUÇÃO

Nessa atividade foram analisadas técnicas que nos permitiu avaliar uma determinada
empresa, nas seguintes áreas: rentabilidade, fluxo de caixa, lucratividade e longevidade no
mercado.
As empresas desenvolvem algumas atividades financeiras que precisam ser
registradas. Estes registros demonstram a vida da empresa e possibilitam uma análise
completa de sua situação. A administração desses dados é responsabilidade do administrador
financeiro, que coleta, estrutura, analisa e gera informações essenciais para o processo de
tomada de decisões.
A Análise das Demonstrações Financeiras é um importante instrumento que os
administradores devem utilizar, visando otimizar os resultados e criar novas situações para a
empresa.
Através das diversas junções de técnicas podemos avaliar com maior precisão quais as
melhores decisões para uma empresa se tornar mais rentável nos dias de hoje.




















ETAPA 1 – ANÁLISE VERTICAL E HORIZONTAL

ANALISE HORIZONTAL NO BALANÇO PATRIMONIAL EM 2007 E 2008

CIRCULANTE R$ A.H. R$ A.H.
Caixa e equivalentes de caixa 189.010,00 R$ 100% 135.224,00 R$ -28,46%
Titulos mantidos para negociação 111.512,00 R$ 100% 53.721,00 R$ -51,82%
Duplicatas a Receber 62.888,00 R$ 100% 77.463,00 R$ 23,18%
Valores a receber-finame fabricante 223.221,00 R$ 100% 306.892,00 R$ 37,48%
Partes Relacionadas - - - -
Estoques 183.044,00 R$ 100% 285.344,00 R$ 55,89%
Impostos e Contribuições a Recuperar 11.537,00 R$ 100% 17.742,00 R$ 53,78%
Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos 2.149,00 R$ 100% 3.243,00 R$ 50,91%
Outros Créditos 3.479,00 R$ 100% 7.247,00 R$ 108,31%
Total Circulante 786.840,00 R$ 100% 886.876,00 R$ 12,71%
NÃO CIRCULANTE
Realizável à Longo prazo - - - -
Duplicatas a Receber 1.149,00 R$ 100% 1.686,00 R$ 46,74%
Valores a receber-finame fabricante 409.896,00 R$ 100% 479.371,00 R$ 16,95%
Partes Relacionadas - - - -
Impostos e Contribuições a Recuperar 5.391,00 R$ 100% 18.245,00 R$ 238,43%
Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos 5.867,00 R$ 100% 9.488,00 R$ 61,72%
Outros Créditos 2.928,00 R$ 100% 5.405,00 R$ 84,60%
Investimento em Controlada, incluindo ágio e deságio - - - -
Outros Investimentos 1.935,00 R$ 100% 3.163,00 R$ 63,46%
Imobilizado Líquido 127.731,00 R$ 100% 252.171,00 R$ 97,42%
Intangível - - 6.574,00 R$ -
Total Não Circulante 554.897,00 R$ 776.103,00 39,86%
Total do Ativo 1.341.737,00 R$ 1.662.979,00 23,94%
ANALISE HORIZONTAL - BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO 2007 2008


CIRCULANTE R$ A.H. R$ A.H.
Financiamentos 29.498,00 R$ 100% 26.375,00 R$ -10,59%
Financiamentos - Finame Fabricante 192.884,00 R$ 100% 270.028,00 R$ 40,00%
Fornecedores 25.193,00 R$ 100% 31.136,00 R$ 23,59%
Salários e Encargos Sociais 35.934,00 R$ 100% 33.845,00 R$ -5,81%
Impostos e Contribuições a Recolher 8.013,00 R$ 100% 7.357,00 R$ -8,19%
Adiantamentos de Clientes 9.702,00 R$ 100% 14.082,00 R$ 45,15%
Dividendos e Juros Sobre o Capital Próprio 2.375,00 R$ 100% 11.777,00 R$ 395,87%
Participações a Pagar 4.400,00 R$ 100% 4.500,00 R$ 2,27%
Outras Contas a Pagar 4.524,00 R$ 100% 15.044,00 R$ 232,54%
Provisão para Passivo Descoberto-Controlado - - - -
Partes Relacionadaas - 100% - -
Total Circulante 312.523,00 R$ 100% 414.144,00 R$ 32,52%
NÃO CIRCULANTE
Exigível à Longo Prazo
Financiamentos 49.306,00 R$ 100% 68.943,00 R$ 39,83%
Financiamentos - Finame Fabricante 348.710,00 R$ 100% 453.323,00 R$ 30,00%
Impostos e Contribuições a Recolher 1.896,00 R$ 100% 3.578,00 R$ 88,71%
Provisão para Passivo Eventuais 1.659,00 R$ 100% 2.073,00 R$ 24,95%
Outras Contas a Pagar - - 9.626,00 R$
Deságio em Controladas 4.199,00 R$ 29.513,00 R$
Total Não Circulante 405.770,00 R$ 100% 567.056,00 R$ 39,75%
PARTICIPAÇÃO MINORITÁRIA 1.871,00 R$ 2.536,00 R$
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social 489.973,00 R$ 100% 489.973,00 R$ 0,00%
Reserva Social 2.052,00 R$ 100% 2.052,00 R$ 0,00%
Ajustes de Avaliação Patrimonial 968,00 -R$ 100% 349,00 -R$ -63,95%
Reserva de Lucros 130.516,00 R$ 100% 187.567,00 R$ 43,71%
621.573,00 R$ 100% 679.243,00 R$ 9,28%
Total Passivo e do Patrimonio Líquido 1.341.737,00 R$ 100% 1.662.979,00 23,94%
PASSIVO 2007 2008
ANALISE HORIZONTAL - BALANÇO PATRIMONIAL


R$ A.H. R$ A.H.
RECEITA OPERACIONAL BRUTA 761.156,00 R$ 100% 836.625,00 R$
Mercado Interno 679.099,00 R$ 100% 728.313,00 R$ 7,25%
Mercado Externo 82.057,00 R$ 100% 108.312,00 R$ 32,00%
Impostos Incidentes Sobre Vendas 129.168,00 -R$ 100% 140.501,00 -R$ 8,77%
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 631.988,00 R$ 100% 696.124,00 R$ 10,15%
Custo dos Produtos e Serviços Vendidos 359.903,00 -R$ 100% 416.550,00 -R$ 15,74%
LUCRO BRUTO 272.085,00 R$ 100% 279.574,00 R$ 2,75%
RECEITAS (*DESPESAS) OPERACIONAIS
Vendas 59.786,00 -R$ 200% 65.927,00 -R$ 10,27%
Gerais Administrativas 45.428,00 -R$ 100% 63.800,00 -R$ 40,44%
Pesquisa e Desenvolvimento 26.340,00 -R$ 100% 28.766,00 -R$ 9,21%
Honorários de Administração 8.025,00 -R$ 100% 8.278,00 -R$ 3,15%
Tributarias 6.742,00 -R$ 100% 2.913,00 -R$ -56,79%
Resultado de Equivalência patrimonial - - -
Outras Receitas Operacionais Líquidas 1.031,00 R$ 100% 1.673,00 R$ 62,27%
Total das Despesas Operacionais 145.290,00 -R$ 100% 168.011,00 -R$ 15,64%
LUCRO OPERACIONAL ANTES DO RES. FIN 126.795,00 R$ 100% 111.563,00 R$ -12,01%
RESULTADO FINANCEIRO
Receita Financeira 30.508,00 R$ 100% 36.950,00 R$ 21,12%
Despesas Financeira 5.048,00 -R$ 100% 5.061,00 -R$ 0,26%
Variação Cambial Ativa 3.796,00 -R$ 100% 10.752,00 R$ -383,25%
Variação Cambial passiva 6.258,00 R$ 100% 7.338,00 -R$ -217,26%
Total Resultado Financeiro 27.922,00 R$ 100% 35.303,00 R$ 26,43%
LUCRO OPERACIONAL 154.717,00 R$ 100% 146.866,00 R$ -5,07%
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIB. SOCIAL
Corrente 27.457,00 -R$ 100% 33.324,00 -R$ 21,37%
Diferido 1.914,00 R$ 100% 4.715,00 R$ 146,34%
LUCRO LÍQUIDO ANTES DAS PARTICIP. 129.174,00 R$ 100% 118.257,00 R$ -8,45%
participação Minoritária (555,00) 100% 881,00 -R$ 58,74%
participação da Administração (4.400,00) 100% 4.423,00 -R$ 0,52%
LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 124.219,00 R$ 100% 112.953,00 R$ -9,07%
ANALISE HORIZONTAL - DRE EM 2007/2008
DEMOSNTRAÇÃO DE RESULTADOS 2007 2008


CIRCULANTE R$ A.V. R$ A.V.
Caixa e Equivalentes de Caixa 189.010,00 R$ 14,09% 135.224,00 R$ 8,13% -5,96%
Títulos Mantidos para Negociação 111.512,00 R$ 8,31% 53.721,00 R$ 3,23% -5,08%
Duplicatas a Receber 62.888,00 R$ 4,69% 77.463,00 R$ 4,66% -0,03%
Valores a Receber-Repasse Finame Fabricante 223.221,00 R$ 16,64% 306.892,00 R$ 18,45% 1,82%
Partes Relacionadas - - - - -
Estoques 183.044,00 R$ 13,64% 285.344,00 R$ 17,16% 3,52%
impostos e Contribuições a Recuperar 11.537,00 R$ 0,86% 17.742,00 R$ 1,07% 0,21%
Impostos de Renda e Contribuição Social Deferidos 2.149,00 R$ 0,16% 3.243,00 R$ 0,20% 0,03%
Outros Créditos 3.479,00 R$ 0,26% 7.247,00 R$ 0,44% 0,18%
Total do Circulante 786.840,00 R$ 58,64% 886.876,00 R$ 53,33% -5,31%
NÃO CIRCULANTE
Realizávelo à Longo prazo - - - - -
Duplicatas a Receber 1.149,00 R$ 0,09% 1.686,00 R$ 0,10% 0,02%
Valores a Receber-Repasse Finame Fabricante 409.896,00 R$ 30,55% 479.371,00 R$ 28,83% -1,72%
Partes Relacionadas - - - - -
Impostos e Contribuições a Recuperar 5.391,00 R$ 0,40% 18.245,00 R$ 1,10% 0,70%
Impostos de Renda e Contribuição Social Deferido 5.867,00 R$ 0,44% 9.488,00 R$ 0,57% 0,13%
Outros Créditos 2.928,00 R$ 0,22% 5.405,00 R$ 0,33% 0,11%
Investimentos em Controlada, Incluindo ágio e Deságio - - - - -
Outros Investimentos 1.935,00 R$ 0,14% 3.163,00 R$ 0,19% 0,05%
Imobilizado Líquido 127.731,00 R$ 9,52% 252.171,00 R$ 15,16% 5,64%
Intangível - - 6.574,00 R$ 0,85% -
Total do Não Circulante 554.897,00 R$ 41,36% 776.103,00 R$ 46,67% 5,31%
Total do Ativo 1.341.737,00 R$ 100% 1.662.979,00 R$ 100,00% 0,00%
ANÁLISE VERTICAL - BALANÇO PATRIMONIAL EM 2007 E 2008
VARIAÇÃO
EM %
ATIVO 2007 2008


CIRCULANTE R$ A.V. R$ A.V.
Financiamentos 29.459,00 R$ 2,20% 26.375,00 R$ 1,59% -0,61%
Financiamentos - Finame Fabricante 192.884,00 R$ 14,38% 270.028,00 R$ 16,24% 1,86%
Fornecedores 24.795,00 R$ 1,85% 31.136,00 R$ 1,87% 0,02%
Salários e Encargos Sociais 35.927,00 R$ 2,68% 33.845,00 R$ 2,04% -0,64%
Impostos e Contruições a Recolher 7.500,00 R$ 0,56% 7.357,00 R$ 0,44% -0,12%
Adiantamentos de Clientes 9.702,00 R$ 0,72% 14.082,00 R$ 0,85% 0,12%
Dividendos e Juros Sobre o Capital Próprio 2.234,00 R$ 0,17% 11.777,00 R$ 0,71% 0,54%
Participações a Pagar 4.400,00 R$ 0,33% 4.500,00 R$ 0,27% -0,06%
Outras Contas à Pagar 4.262,00 R$ 0,32% 15.044,00 R$ 0,90% 0,59%
Provisão para Passivo Descoberto - Controlado - - - - -
549,00 R$ - - - -
Total Circulante 311.712,00 R$ 23,23% 414.144,00 R$ 24,90% 1,67%
Total Não Circulante
Exigível à Longo Prazo - - - - -
Financiamentos 49.144,00 R$ 3,66% 68.943,00 R$ 4,15% 0,48%
Financiamentos - Finame Fabricante 348.710,00 R$ 25,99% 453.323,00 R$ 27,26% 1,27%
Impostos e Contruições a Recolher 1.896,00 R$ 0,14% 3.578,00 R$ 0,22% 0,07%
Provisão para Passivo Eventuais 1.659,00 R$ 0,12% 2.073,00 R$ 0,12% 0,00%
Outras Contas à Pagar - - 9.626,00 R$ 0,58% -
Deságio em Controladas - 29.513,00 R$ 1,77% 1,77%
Total Não Circulante 401.409,00 R$ 29,92% 567.056,00 R$ 34,10% 4,18%
Participações Minoritária - - 2.536,00 R$ 0,15% -
Patrimônio Líquido
Capital Social 489.973,00 R$ 36,52% 489.973,00 R$ 29,46% -7,05%
Reserva de Capital 2.052,00 R$ 0,15% 2.052,00 R$ 0,12% -0,03%
Ajustes de Avaliação Patrimonial 968,00 -R$ -0,07% 349,00 -R$ -0,02% 0,05%
Reserva de Lucros 130.516,00 R$ 9,73% 187.567,00 R$ 11,28% 1,55%
Total de Patrimônio Líquido 621.573,00 R$ 46,33% 679.243,00 R$ 40,84% -5,48%
Total do Passivo 1.341.737,00 R$ 100,00% 1.662.979,00 R$ 100,00% 0,00%
ANÁLISE VERTICAL - BALANÇO PATRIMONIAL EM 2007 E 2008
VARIAÇÃO EM %
PASSIVO 2007 2008




CIRCULANTE R$ A.V. R$ A.V.
RECEITA OPERACIONAL BRUTA 761.156,00 R$ 100,00% 836.625,00 R$ 100,00% 0,00%
Mercado Interno 679.099,00 R$ 89,22% 728.313,00 R$ 87,05% -2,17%
Mercado Externo 82.057,00 R$ 10,78% 108.312,00 R$ 12,95% 2,17%
Impostos Incidentes Sobre Vendas 129.168,00 -R$ -16,97% 140.501,00 -R$ -16,79% 0,18%
RECEITA OPERACIONAL líquida 631.988,00 R$ 83,03% 696.124,00 R$ 83,21% 0,18%
Custos dos Produtos e Serviços Vendidos 359.903,00 -R$ -47,28% 416.550,00 -R$ -49,79% -2,51%
Lucro Bruto 272.085,00 R$ 35,75% 279.574,00 R$ 33,42% -2,33%
Receita (Despesas) Operacionais
Vendas 59.786,00 -R$ -7,85% 65.627,00 -R$ -7,84% 0,01%
Gerais e Administrativas 45.428,00 -R$ -5,97% 63.800,00 -R$ -7,63% -1,66%
Pesquisa e Desenvolvimento 26.340,00 -R$ -3,46% 28.766,00 -R$ -3,44% 0,02%
Honorários de Administração 8.025,00 -R$ -1,05% 8.278,00 -R$ -0,99% 0,06%
Tributarias 6.742,00 -R$ -0,89% 2.913,00 R$ 0,35% 1,23%
Resultado de Equivalência Patrimonial - - - -
Outras Receitas Operacionais Líquidas 1.031,00 R$ 0,14% 1.673,00 R$ 38,37% 38,24%
Total Despesas Operacionais 145.290,00 -R$ -19,09% 168.011,00 -R$ 13,52% 32,61%
Lucro Operacional Antes do Res. Fin. 126.795,00 R$ 16,66% 111.563,00 R$ -13,65% -30,31%
Resultado Financeiro
Receita Financeira 30.508,00 R$ -23,62% 36.950,00 R$ 4,42% 28,04%
Despesa Financeira 5.048,00 -R$ -0,66% 5.061,00 -R$ -0,60% 0,06%
Variação Cambial Ativa 3.796,00 -R$ -0,50% 10.752,00 R$ 1,29% 1,78%
Variação Cambial Passiva 6.258,00 R$ 0,82% 7.338,00 -R$ -0,88% -1,70%
Total Resultado Financeiro 27.922,00 R$ 3,67% 35.303,00 R$ 4,22% 0,55%
Lucro Operacional 154.717,00 R$ 20,33% 146.866,00 R$ 17,55% -2,77%
Imposto de Renda e Contrib. Social
Corrente 27.457,00 -R$ -3,61% 33.324,00 -R$ -3,98% -0,38%
Deferido 1.914,00 R$ 0,25% 4.715,00 R$ 0,56% 0,31%
Lucro Líquido Antes das Particip. 129.174,00 R$ 16,97% 118.257,00 R$ 14,14% -2,84%
Participação Minoritária 555,00 -R$ -0,07% 881,00 -R$ -0,11% -0,03%
Participação da Administração 4.400,00 -R$ -1% 4.423,00 -R$ -0,53% 0,05%
Lucro Líquido do Exercício 124.219,00 R$ 16,32% 112.953,00 R$ 13,50% -2,82%
DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 2007 2008
ANÁLISE VERTICAL - NA DRE EM 2007 E 2008
VARIAÇÃO EM %


ANÁLISE DAS POSSIVEIS CAUSAS DAS VARIAÇOES

Vendas
A Receita Operacional Liquida consolidada apresentou um crescimento de 10,1% em
comparação a 2007 atingindo 696 milhões. Este crescimento se deu pelo desempenho geral de
suas operações e pelo desempenho positivo dessa atividade no Brasil em 2008. A empresa
mostrou ser competitiva, no mercado externo, nas receitas de exportação teve um aumento de
35%, dentro das exportações a receita operacional teve um crescimento de 3% de um ano para
o outro.

Custos dos Produtos Vendidos
À análise horizontal de 2007, o custo dos produtos e serviços vendidos apresentou um
aumento de R$ 56.647,00, tendo aumento de 13,60%. Na Analise Vertical em 2008 o
aumento foi de 2,89% comparado ao ano anterior. Conforme os aumentos das receitas
observaram o aumento dos custos e a diminuição da margem de lucro.

Na Margem Bruta

Fórmula: Lucro Bruto*100
Receita Líquida

2007
124, 219
9,26%
1341, 737

2008
112, 953
6,79%
1662, 797

Margem Bruta - em relação a 2007 todas as unidades de negocio tiveram as margens
reduzidas, decorrente da conjuntura cambial e da instabilidade do preço de algumas matérias-
primas metálicas, principalmente na divisão de fundidos e usinados, o que levou a uma
redução significativa no volume de vendas, que atingiu 40,2% contra 43,1% em 2007.




Nas Despesas Operacionais
Em 2007 os valores das despesas foram de R$145.290,00, segundo a análise
horizontal. No ano de 2008 este valor foi de R$168.011,00, ou seja, 15,52% de aumento.
As despesas administrativas foram as que obtiveram maior diferença de um ano para o
outro com um aumento de 40,44%, contudo houve uma diminuição nas despesas tributárias
de -56,79%, isto se deve à um melhora na gestão tributária da empresa.

Contas Patrimoniais
No circulante a situação da empresa é confortável uma vez que o índice do Ativo
Circulante é 2,14 vezes maior do que o Passivo Circulante, ou seja, para cada 1,00 real de
obrigações a pagar no circulante a empresa tem 2,14 reais em bens e direitos no circulante.
No não circulante a situação é muito parecida, estando a empresa com um índice de
Ativo não Circulante de 1,37 vezes maior que o Passivo não Circulante.

Os Juros sobre o Capital Próprio foram creditados aos acionistas durante o ano de
2008, líquidos de IRRF e imputáveis aos dividendos mínimos obrigatórios do exercício social
de 2008, foram de R$35,5 milhões e correspondeu a 31,4% do lucro líquido do exercício.
O circulante de 2007 para 2008 a conta “Outros Créditos” aumentou para 10,8% e a
que teve maior relevância foi a de Títulos Mantidos para Negociação, com redução de
51,82%.
O ativo não circulante apresentou a conta Impostos e Contribuições a recuperar o de
maior percentual com 238,43% e o menor foi o de Valores a receber-repasse Finame
fabricante, com 16,95%.
No Passivo circulante o aumento de 395,87% na conta Dividendos e juros sobre o
capital próprio, foi o maior e o menor na conta Financiamento com redução de 10,59%.
No Passivo não circulante o Deságio em controladas teve um salto de 302,86% e a
Provisão para passivos eventuais um aumento de 24,95%.
No Patrimônio Líquido com 43,71% a Reserva de Lucros foi a mais alta e a menor foi
os ajustes de Avaliação Patrimonial com uma redução de 63,95%.





QUADRO RESUMO DOS ÍNDICES


Í ndice Í ndice Fórmula I nterpretação
Estrutura de Capital
Participação de Capitais
de Terceiros

PC + ELP x 100
Passivo total
Indica qual a “dependência” dos negócios em relação a recursos
de terceiros (bancos, fornecedores, recursos trabalhistas e
tributários).



Composição do
endividamento
Passivo circulante x 100
Capital de terceiros
Mostra a relação entre o passivo de curto prazo da empresa e o
passivo total. Ou seja, qual o percentual de passivo de curto
prazo é usado no financiamento de terceiros.


I mobilização do
Patrimônio Líquido
ANC - RLP x 100
Patrimônio líquido
Quanto menor melhor, já que quanto menos a empresa investe
em ativo permanente, mais recursos próprios sobram para outros
investimentos, diminuindo a necessidade de endividamento e do
financiamento de terceiros. É importante ter em mente,
entretanto, que este indicador muda muito de acordo com o setor
de atuação da empresa.


I mobilização dos recursos
não correntes
ANC - RLP x 100
Patrimônio Líquido + Exigível a longo
prazo
Quanto menor melhor, já que quanto menos a empresa investe
em ativo permanente, mais recursos próprios sobram para outros
investimentos, diminuindo a necessidade de endividamento e do
financiamento de terceiros. É importante ter em mente,
entretanto, que este indicador muda muito de acordo com o setor
de atuação da empresa.
Liquidez
Liquidez Geral
Ativo circulante + Realizável longo
prazo
Passivo circulante + exigível a longo
prazo
Demonstra a “viabilidade” de médio e longo prazo dos
pagamentos de compromissos já assumidos. O índice mínimo é
1. Abaixo de 1, indica problemas de liquidez.



Liquidez Corrente
Ativo circulante
Passivo circulante
Evidencia a capacidade de pagamento de curto prazo. Um índice
inferior a 1 indica problemas prementes de liquidez.



Liquidez Seca
Ativo circulante - estoques
Passivo circulante
Como os estoques tem uma característica de permanência nas
atividades da empresa (pois são indispensáveis a maioria das
atividades de produção e comercialização), este índice procura
demonstrar uma “liquidez real”, mediante a realização de ativos
ditos “financeiros” (que se realizam em caixa).

Rentabilidade
Giro do ativo
Vendas líquidas
Ativo total
Indica qual a geração de receitas sobre cada R$ do ativo. Quanto
maior o índice, maior a capacidade de geração de receitas,
indicando um bom desempenho de vendas e/ou uma boa
administração dos ativos.



Margem líquida
Lucro liquido x 100
Vendas líquidas
Utiliza-se este índice para avaliar o desempenho de resultado
(lucro ou prejuízo) sobre a receita. Quanto maior o índice (se
positivo), melhor a margem.



Rentabilidade do ativo
Lucro liquido x 100
Ativo Total
A porcentagem resultante mostra a eficiência da aplicação dos
ativos e quanto lucro eles estão gerando, onde quanto for maior
a porcentagem, melhor.


Rentabilidade do
Patrimônio Líquido
Lucro liquido x 100
Patrimônio liquido médio
A remuneração do Patrimônio Líquido é representada pelos
resultados gerados. Se este índice for inferior à taxa de aplicação
financeira (líquida de impostos) no período, significa um
desempenho insatisfatório.





ETAPA 2 - DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS

ESTRUTURA

Participação de capitais de terceiros - Endividamento

Índice ano 2007
PC + ELP x 100
R$ 311.712,00
* 100 23,23%
Passivo total
R$
1.341.737,00
Índice ano 2008
PC + ELP x 100
R$ 414.144,00
* 100 24,90%
Passivo total
R$
1.662.979,00


Mais da metade do seu passivo está financiando o seu Ativo, isto mostra que a empresa
investe em capital de terceiros para exercer suas atividades, em 2008 ela aumentou o
investimento em 1,67% em capital de terceiros em relação a 2007, não tendo medo de
arriscar.

Composição do endividamento

Índice ano 2007
Passivo circulante x 100
R$ 311.712,00
* 100 50,14%
Capital de terceiros
R$ 621.573,00

Índice ano 2008
Passivo circulante x 100
R$ 414.144,00
* 100 60,97%
Capital de terceiros
R$ 679.243,00

As dívidas a serem pagas em curto prazo aumentaram 10,83% de um ano para o outro, ela
se mantém estável quanto ao capital de terceiros que deve pagar em curto prazo, correndo
assim menos riscos.
Imobilização do patrimônio liquido

Índice ano 2007
ANC - RLP x 100
R$ 554.897,00
* 100 89,27%
Patrimônio líquido
R$ 621.573,00

Índice ano 2008
ANC - RLP x 100
R$ 776.103,00
* 100 114,26%
Patrimônio líquido
R$ 679.243,00

A empresa investiu 114,26% em ativos imobilizados no ano de 2008 o que fez o índice
de Imobilização do PL aumentar em 24,99%.

Imobilização dos recursos não correntes

Índice ano 2007
ANC - RLP x 100
R$ 554.897,00
* 100 89,27 %
Patrimônio Líquido+ Exigível a longo prazo
R$ 621.573,00

Índice ano 2008
Ativo permanente x 100
R$ 776.103,00
* 100 114,26 %
Patrimônio Líquido+ Exigível a longo prazo
R$ 679.243,00

Quanto menor melhor, já que quanto menos a empresa investe em ativo permanente,
mais recursos próprios sobram para outros investimentos, diminuindo a necessidade de
endividamento e do financiamento de terceiros. É importante ter em mente, entretanto, que
este indicador muda muito de acordo com o setor de atuação da empresa.
Nesse caso aumentou 24,99% o que não é bom para a empresa.







LIQUIDEZ

Índice de liquidez corrente

Índice ano 2007
Ativo circulante 786.840,00 = 2,52
Passivo circulante 312.523,00

Índice ano 2008
Ativo circulante 886.876,00 = 2,84
Passivo circulante 414.144,00

As dívidas de médio prazo seriam pagas, pois em 2007 para cada R$1,00 de dívida a
empresa tem R$2,52 de recursos, em 2008 o índice aumentou, no entanto continua com bom
índice.

Índice de liquidez seca

Índice ano 2007
Ativo circulante - estoques 603.796,00 = 1,93
Passivo circulante 312.523,00

Índice ano 2008
Ativo circulante - estoques 601.532,00 = 1,45
Passivo circulante 414.144,00

Este índice utiliza somente as contas que facilmente se transformariam em dinheiro,
mostrando que a empresa pagaria todas as suas dívidas de curto prazo somente com estes
recursos.




Índice de liquidez geral

Índice ano 2007
Ativo circulante + Realizável longo prazo 312.523,00 = 0,39
Passivo circulante + exigível a longo prazo 786.840,00

Índice ano 2008
Ativo circulante + Realizável longo prazo 886.876,00 = 1,14
Passivo circulante + exigível a longo prazo 414.144,00

Mostra de forma geral a capacidade de liquidez das dividas de uma empresa,
utilizando-se dos recursos de curto, médio e longo prazo. Neste caso a situação geral da
empresa é de que para cada R$1,00 de dívida em 2007 ela tem R$0,39, já em 2008 para cada
R$1,00 ela tem R$1,14.


RENTABILIDADE

Giro do Ativo

Índice ano 2007
Vendas líquidas 631.988,00 = 0,47
Ativo total 1.341.737,00

Índice ano 2008
Vendas líquidas 696.124,00 = 0,41
Ativo total 1.662.979,00

Revela quanto à empresa vendeu em relação ao investimento total (Ativo Operacional)
no período. O resultado deste índice mostra que para cada R$1,00 investido em ativo em 2007
a empresa conseguiu vender somente R$0,47 em 2008 este índice diminuiu para R$0,41.
Resultado que os bens da empresa não têm sido eficientemente utilizados.

Margem Líquida

Índice ano 2007
Lucro liquido x 100
R$ 129.173,00
* 100 20,44%
Vendas líquidas
R$ 631.988,00

Índice ano 2008
Lucro liquido x 100
R$ 118.257,00
* 100 16,99
Vendas líquidas
R$ 696.124,00

Mostra o quanto a empresa teve de lucro em relação ao seu faturamento isso é o Lucro
líquido que a empresa teve em relação às vendas liquidas. Para cada R$100,00 vendidos em
2007 ela teve um retorno de 20,44%, em 2008 este índice caiu para 16,99% o que deve ser
verificado.

Rentabilidade do Ativo

Índice ano 2007
Lucro liquido x 100
R$ 129.174,00
* 100 9,62%
Ativo Total
R$ 1.341.737,00

Índice ano 2008
Lucro liquido x 100
R$ 118.257,00
* 100 7,11%
Ativo Total
R$ 1.662.979,00

Revela-nos o quanto a empresa teve de retorno para cada 1,00 real investido. Mostra o
quanto o Ativo rendeu em relação ao lucro liquido em 2007 ele rendeu 9,62% em 2008 este
índice caiu para 7,11% o que demonstra que a empresa não foi eficiente em rentabilizar seus
recursos.






Rentabilidade do Patrimônio Liquido

Índice ano 2008
Lucro liquido x 100 112.953,00 x 100 = 17,37%
Patrimônio liquido médio (621.573,00+679.243,00)/2

Este índice mostra o quanto o capital investido pelos sócios rendeu.Esse índice revela
quanto à empresa teve de lucro líquido para cada real de capital próprio A empresa
rentabilizou 17,37% do seu capital em 2008, serve para avaliar se o investimento é viável.

DEPENDÊNCIA BANCÁRIA

Financiamento de Ativo

Índice ano 2007
Empréstimo e
Financiamentos x 100
R$ 620.398,00
* 100 46,24%
Ativo Total R$ 1.341.737,00

Índice ano 2008
Empréstimo e
Financiamentos x 100
R$ 818.669,00
* 100 49,23%
Ativo Total R$ 1.662.979,00

Este índice mostra o quanto os empréstimos e financiamentos fazem parte dos
investimentos da empresa. Em 2007 46,24% dos investimentos eram das participações de
créditos, em 2008 o índice aumentou para 49,23% o que mostra que a empresa obteve mais
participações de créditos para investir na mesma.







Participação de instituições de créditos no endividamento

Índice ano 2007
Financiamento x 100 R$ 620.398,00
* 100 86,37%
Capitais de Terceiros R$ 718.293,00

Índice ano 2008
Financiamento x 100 R$ 818.669,00
* 100 83,44%
Capitais de Terceiros R$ 981.200,00

Este índice mostra a participação dos financiamentos em comparação ao capital de
terceiros da empresa. Em 2007 86,37% do capital de terceiros da empresa eram
financiamentos, em 2008 este índice caiu para 83,44%. Isto mostra que muitos recursos
recebidos pela empresa vieram de financiamentos.

Financiamento do Ativo Circulante por Instituições Financeiras

Índice ano 2007
Financiamento curto
prazo x 100
R$ 222.382,00
* 100 28,26%
Ativo circulante R$ 786.840,00
Índice ano 2008
Financiamento curto
prazo x 100
R$ 296.403,00
* 100 33,42%
Ativo circulante R$ 886.876,00

Este índice mostra o quanto os financiamentos a curto prazo representam se
comparado ao Ativo circulante da empresa. Em 2007 os financiamentos representavam
28,26% do Ativo circulante da empresa, em 2008 este índice caiu para 33,42% mostrando que
a empresa diminuiu seus financiamentos e está sendo financiada em partes pelos recursos
provenientes das contas operacionais.





ARTIGO DE STEPHEN KANITZ

A proposta do artigo publicado foi mostrar o lucro real de uma empresa e tentar abrir
os olhos dos jovens brasileiros para o futuro. Após uma pesquisa com operários e Donas de
casa que achavam que o lucro dos patrões era de era de 49%, mostrou que essas pessoas
tinham uma ideia negativa das empresas, empresários e administradores em geral, ele mostrou
que os jovens pensam que os empresários são “ladrões”, isso porque os jovens não leem os
balanços das que são publicados nos jornais.
De acordo com a revista Exame na ultima edição dos Melhores e Maiores, nos últimos
10 anos o lucro médio das 500 maiores empresas foi de 2,3% sobre as receitas, isso mostra
que das grandes companhias 97,7% de tudo o que compramos é custo do produto, e isso não
vai mudar, seja qual for o regime político implantado no Brasil. O artigo tenta chamar a
atenção para que revelações como essa das Melhores e Maiores que são publicadas
anualmente sejam ensinadas para os Jovens Universitários, é preciso que essa consciência
falsa seja retirada urgentemente da cabeça dos futuros Administradores do nosso Brasil.
Hoje as empresas estão à espera de mudanças, deve haver maior incentivo, para que as
empresas invistam mais em produção e geração de mais empregos, um dos incentivos e que
faria o Brasil crescer e andar mais rápido, seria a tão esperada Reforma Tributaria.


ETAPA 3 - ANALISE PELO MÉTODO DUPONT E TERMÔMETRO DE
INSOLVÊNCIA

CÁLCULO DA RENTABILIDADE DO ATIVO PELO MÉTODO DUPON

R$ A.H. R$ A.H.
RECEDITA OPERACIONAL BRUTA 761.156,00 R$ 836.625,00 R$ 9,92%
Mercado Interno 679.099,00 R$ 100% 728.313,00 R$ 7,25%
Mercado Externo 82.057,00 R$ 100% 108.312,00 R$ 32,00%
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 761.156,00 R$ 836.625,00 R$ 9,92%
Impostos Incidentes sobre Vendas 129.168,00 -R$ 100% 140.501,00 -R$ 8,77%
Custos dos Produtos e Serviços Vendidos 359.903,00 -R$ 100% 416.550,00 -R$ 15,74%
LUCRO BRUTO 272.085,00 R$ 279.574,00 R$ 2,75%
RECEITA (DESPESAS) OPERACIONAIS
Vendas 59.786,00 -R$ 100% 65.927,00 -R$ 10,27%
Gerais e Administrativas 45.428,00 -R$ 100% 63.800,00 -R$ 40,44%
Pesquisa e Desenvolvimento 26.340,00 -R$ 100% 28.766,00 -R$ 9,21%
Honorários de Administração 8.025,00 -R$ 100% 8.278,00 -R$ 3,15%
Tributarias 6.742,00 -R$ 100% 2.913,00 -R$ -56,79%
Resultado de Equivalência Patrimonial - - - -
Outras Receitas Operacionais Líquidas 1.031,00 R$ 100% 1.673,00 R$ 62,27%
Total Despesas Opracionais 145.290,00 R$ - 168.011,00 R$ 15,64%
LUCRO OPERACIONAL ANTES DO I.R. 126.795,00 R$ - 111.563,00 R$ -12,01%
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
Corrente 27.457,00 -R$ 100% 33.324,00 -R$ 21,37%
Deferido 1.914,00 R$ 100% 4.715,00 R$ 146,34%
LUCRO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES 101.252,00 R$ - 82.954,00 R$ -18,07%
Participação Minoritária 555,00 -R$ 100% 881,00 -R$ 58,74%
Participação da Administração 4.400,00 -R$ 100% 4.423,00 -R$ 0,52%
LUCRO LÍQUIDO ANTES DO RESULTADO FINANC. 96.297,00 R$ - 77.650,00 R$ -19,36%
RESULTADO FINANCEIRO
Receita Financeira 30.508,00 R$ 100% 36.950,00 R$ 21,12%
Despesa Financeira 5.048,00 -R$ 100% 5.061,00 -R$ 0,26%
Variação Cambial Ativa 3.796,00 -R$ 100% 10.752,00 R$ -383,25%
Variação Cambial Passiva 6.258,00 R$ 100% 7.338,00 -R$ -217,26%
Total Resultado Financeiro 27.922,00 R$ - 35.303,00 R$ 26,43%
LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 124.219,00 R$ - 112.953,00 R$ -9,07%
DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS
ANÁLISE HORIZONTAL - DRE ADAPTADA
2007 2008
CÁLCULO DA RENTABILIDADE DO ATIVO PELO MÉTODO DUPON

2007:
Passivo Operacional – 97.391
Passivo Financeiro – 620.398
Patrimônio – 623.948

2008:
Passivo Operacional – 153.290
Passivo Financeiro – 818.669
Patrimônio – 691.020
Fórmula: Ativo Líquido = Ativo Total – Passivo Operacional
2007: Ativo Líquido = 1.341.737 – 97.391 = 1.244.346
2008: Ativo Líquido = 1.662.979 – 153.290 = 1.509.689

Fórmula:
Giro: Vendas Líquidas
Ativo Líquido

2007: 761.156 = 0,61
1.244.346

2008: 836.625 = 0,55
1.509.689

Fórmula:
Margem: Lucro Líquido
Vendas Líquidas

2007: 124.219 = 0,16 (x100 = 16,32%)
781.156

2008: 113.853 = 0,14 (x 100 = 13,50%)
836.625

Fórmula:
Rentabilidade do Ativo (Método Dupont) = Giro x Margem)

2007: 0,61 x 0,16 = 0,10 ( x 100 = 10% )
2008: 0,55 x 0,14 = 0,08 (x 100 = 8% )





MODELO STEPHEN KANITZ

Escala para medir a possibilidade de insolvência

Fórmula: Lucro Líquido x 0.05
Patrimônio Líquido

2007: 124.219 = 0.05 = 0.01
621.573

2008: 112.953 = 0.166292 x 0.05 = 0.01
679.243

Fórmula2: Ativo Circulante + ANC x 1.65
Passivo Circulante + PNC

2007: 786.840 + 554.897 = 1.341.737 = 1.87 x 1.65 = 3,08
312.523 + 405.770 718.293

2008: 886.676 + 776.103 = 1.662.979 = 1.69 x 1.65 = 2,80
414.144 + 567.056 981.200

Fórmula3: Ativo Circulante – Estoque x 3.55
Passivo Circulante

2007: 786.840 – 183.044 = 603.796 = 1.932005 x 3.55 = 6,86
312.523 312.523


2008: 886.876 – 285.334 = 601.532 = 1.452470 x 3,55 = 5.16
414.144 414.144

Fórmula4: Ativo Circulante x 1.106
Passivo Circulante

2007: 786.840 = 2517702 x 1.106 = 2,67
312.523

2008: 886.876 = 2.141467 x 1.06 = 2.27
414.144

Fórmula 5: Exigível Total x 0,33
Patrimônio Líquido

2007: 312.523 + 405.770 = 718.293 = 1.155605 x 0.33 = 0,38
621.573 621.573

2008: 414.144 + 567.056 = 981.200 = 1.444549 x 0.33 = 0.48
679.243 679.243

ETAPA 04 – CICLO OPERACIONAL E CICLO DE CAIXA

Determinação da Necessidade de Capital de Giro

Para gerenciar o Capital de Giro é preciso um processo contínuo, tomar decisões
voltadas para a preservação da liquidez da companhia.
Capital de giro é o conjunto de valores necessários para a empresa fazer seus negócios
acontecerem (girar). Existe a expressão "Capital em Giro", que seriam os bens efetivamente
em uso.
O Capital de Giro pode fazer a grande diferença na rentabilidade de uma empresa, por
estar envolvido em um grande volume de ativos. Para que se chegue à conclusão necessária
de Capital de Giro não de faz necessário somente um estudo do ponto de vista financeiro, e
sim a criação de uma estratégia que possa realmente garantir crescimento, lucro e
principalmente segurança para a longevidade da empresa.

ACO = Ativo Circulante Operacional
PCO = Passivo Circulante Operacional

Fórmula: ACO-PCO
2007: 452.107 – 87.766 = 364.341
2008: 526.263 – 105.964 = 420.299

Em geral de 50 a 60% do total dos ativos de uma empresa representam a fatia
correspondente a este capital. Além de sua participação sobre o total dos ativos da empresa, o
capital de giro exige um esforço para ser gerido pelo administrador financeiro maior do que
aquele requerido pelo capital fixo.
Um bom volume de liquidez para empresa é positivo, quando isso não ocorre significa
que o Passivo Circulante está sendo maior que o Ativo Circulante, tendo como resultado
despesas financeiras, diminuindo o lucro da empresa. Mas se a liquidez estiver com boas
sobras, pode significar para quem analisa de fora, uma ausência de investimentos, dando a
impressão negativa para empresa. Portanto no que diz respeito ao Capital de Giro é
importantíssimo que se tenha bem claro, o que será destinado a ele.


Prazo Médio de Rotação de Estoques (PMRE)
Prazo Médio do Recebimento das Vendas (PMRV)
Prazo Médio de Pagamento das Compras (PMPC PMRE)

PMRE = Tempo de giro médio dos estoques da empresa, isto é, o tempo de compra e
estocagem.
DP = Dias de Período, ou seja, se estivermos considerando o CMV de um ano, por exemplo,
DP será igual à 360 dias.
PMPC = Prazo médio de pagamento das compras.
CMV = Custo de Mercadorias Vendidas.

Estoques
Corresponde ao período compreendido desde a compra das mercadorias ate o
momento de suas vendas nas empresas comerciais.

Fórmula:
PMRE = Estoque x DP
CMV

2007: PMRE = 183.044_ = 0, 508592 x 360 = 183,09
359, 903

2008: PMRE = 285.344 = 0, 685017 x 360 = 246,61
416.550

Vendas
Compreende o intervalo de tempo entre a venda a prazo das mercadorias ou produtos
em questão, e as entradas de caixa oriundas da cobrança de duplicatas.

Fórmula:
PMRV = Duplicatas a receber x DP
Receita Bruta de Vendas


2007: PMRV = 62.888 = 0, 082621 x 360 = 30,29
761.156

2008: PMRV = 77.463 = 0, 092589 x 360 = 34,06
836, 625

Compras
Indica o período de tempo em que a empresa dispõe das mercadorias ou
materiais de produção, sem desembolsar os valores correspondentes.
Para Chegar ao saldo de compras quando esse não está no Balanço Patrimonial,
devemos utilizar a seguinte fórmula: Compras = CMV – Estoque Inicial + Estoque Final.

Fórmula: Fornecedores x DP
DP

2007: 25.193
Sem saldo inicial de 2007

2008: Compras = 416.550 – 183.044 + 285.344 = 518.850
31.136 = 0,06 x 360 = 21,60
518.850

CICLO OPERACIONAL DA EMPRESA (DIAS)

PMRE – Prazo Médio de Rotação de Estoque
PMRV – Prazo Médio e Recebimentos das Vendas
CO – Ciclo Operacional

Formula:
CO = PMRE + PMRV

2007: CO = 183.09 + 30.29 = 213.38
2008: CO = 246.61 + 34.06 = 280.67

CICLO FINANCEIRO DA EMPRESA (DIAS)

PMPC – Prazo Médio de Pagamento das Compras
CF – Ciclo Financeiro
CO – Ciclo Operacional

Formula: CF = CO-PMPC
2008: CF = 280.67 – 21.60 = 259.07

























RELATÓRIO GERAL SOBRE O EXAME DE SAÚDE ECONÔMICA, FINANCEIRA
E PATRIMONIAL.

Concluímos que no giro a empresa está como uma eficiência de 0,55, a margem de
lucro é de 14%. Com essa informação pelo Método Dupont, podemos dizer que a empresa
tem 8% de rentabilidade. Mesmo com os resultados que mostram piora em comparação ao
ano de 2007, afirmamos aos investidores que a empresa então em boas condições, mesmo que
tenha que ser mais bem cuidados em alguns aspectos.
Os aspectos Econômicos, Financeiro e Patrimonial, são aceitáveis e podemos garantir
que o estado da empresa é saudável.


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Após o termino desse trabalho de pesquisas e analises dos mais diversos
recursos contábeis, percebemos o quanto é necessário uma observação cuidada dos
demonstrativos contábeis, pois são com esses dados que podemos nos basear para tomar
decisões acertadas para a empresa.
É importante salientar que estas técnicas são frutos de muitos estudos e experiências
importantes dentro das empresas.
Não paramos por aqui, pois a cada dia teremos mais técnicas e mais precisas, pois
esses estudos irão se aprimorando a cada dia, para que as empresas continuem tomando
decisões idéias para seu crescimento financeiro, econômico e patrimonial.
REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

AZEVEDO, Marcelo Cardoso de (org.). Estrutura e Análise das Demonstrações Financeiras.
2. ed. Campinas: Alínea, 2009
Básica:

ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico-financeiro. 8. ed.
São Paulo: Atlas, 2006.

MATARAZZO, Dante Carmine. Análise Financeira de Balanços: Abordagem Básica e Gerencial. 6.
ed. São Paulo: Atlas, 2003.

ASSAF NETO, Alexandre. Finanças corporativas e valor. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2007.
BRAGA, Hugo Rocha. Demonstrações Contábeis: estrutura, análise e interpretação. 5. ed. São Paulo:
Atlas, 2003.

MARION, José Carlos. Análise das Demonstrações Contábeis. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

PEREZ JR., José Hernandez, BEGALLI, Glaucos Antônio. Elaboração das demonstrações contábeis.
3. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SILVA, José Pereira da. Análise Financeira das Empresas. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

GOMES, Adriano. A Empresa £gil, Ed. Nobel, 1999.

MATARAZZO, Dante C.. Analise Financeira de Balanços: abordagem básica. Volume 1,
2™ edição. Ed. Atlas.

FRANCO, Hilário. Estrutura, Análise e Interpretação de Balanços. 15™ edição. Ed. Atlas.

Sites
http://www.romi.com.br