You are on page 1of 6

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:

Metodologias de Operacionalização (Conclusão)

A avaliação externa e o modelo de auto-avaliação da Biblioteca Escolar

A leitura comparativa do Modelo de Avaliação Externa proposto pela Inspecção-Geral de Educação (I.G.E.) e do Modelo de
Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares proposto pela RBE permite encontrar uma base comum, já que qualquer uma das avaliações
propostas pressupõe uma recolha de evidências, a definição de pontos fracos e de pontos fortes e ainda a elaboração de um plano de
acção/melhoria.
No entanto, parece-me que o processo de Avaliação Externa da I.G.E., que se inicia com a apresentação da Escola no seu
conjunto, na qual devem ser referidas todas as estruturas que compõem a escola, esquece a Biblioteca Escolar que deveria desde
logo constar desta apresentação. A BE, no quadro de referência proposto pela I.G.E., é unicamente referida no ponto 3.3 – Gestão dos
recursos materiais e financeiros, referindo-se apenas à organização como ponto a integrar a avaliação externa, naquilo que considero
uma perspectiva extremamente redutora da BE.
De qualquer modo e pensando a BE no novo contexto, como já tantas vezes foi referido no âmbito desta formação, é possível
um cruzamento de muitas variáveis entre a informação resultante da auto-avaliação da BE, nos seus diferentes domínios, e os campos
e tópicos estabelecidos pela I.G.E., como se pode constatar na seguinte tabela:

Etelvina Bronze
Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares 2
Metodologias de Operacionalização (conclusão)

Inspecção-Geral de Educação Modelo de Auto-Avaliação da BE

Campo de Análise Tópicos Descritores Domínio Subdomínios Indicadores


1. Contexto e 1.2. Dimensão e condições A. Apoio ao A.2. Promoção das A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de
Caracterização físicas da escola Desenvolvimento Literacias da Informação, valores e atitudes indispensáveis à formação
Geral da Curricular Tecnológica e Digital da cidadania e à aprendizagem ao longo da
Escola 1.4. População docente vida;

1.5.População não docente D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE D.1.2. Valorização da BE pelos órgãos de
com a Escola. Acesso e direcção, administração e gestão da escola;
1.6. Recursos financeiros serviços prestados pela
BE D.1.3. Resposta da BE às necessidades da
escola;

D.2.1. Liderança do professor bibliotecário na


escola;

D.2. Condições humanas D.2.2. Adequação da equipa em número e


e materiais para qualificações às necessidades de
prestação dos serviços funcionamento da BE e às solicitações da
comunidade educativa;

D.2.3. Adequação da BE em termos de


espaço às necessidades da Escola;

D.2.4. Adequação dos computadores e


equipamentos tecnológicos ao trabalho da BE
e dos utilizadores na escola;

D.3. Gestão da Colecção D.3.2. Adequação dos livros e de outros


/ da Informação recursos da informação (no local ou online) às
necessidades curriculares e aos interesses
dos utilizadores da escola.
Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares 3
Metodologias de Operacionalização (conclusão)

2. O Projecto 2.1. Prioridades e A. Apoio ao A.1. Articulação Curricular A.1.1. Cooperação da BE com as estruturas
Educativo Objectivos Desenvolvimento da BE com as Estruturas de coordenação educativa e supervisão
Curricular de Coordenação pedagógica da escola;
2.2. Estratégias e Educativa e Supervisão
Planos de Acção Pedagógica e os A.1.2.
Docentes A.1.3.
A.1.4
A.2. Promoção das A.1.6
Literacias da Informação,
Tecnológica e Digital A.2.2. Promoção do ensino em contexto de
competências de informação da escola;

B. Leitura e B2. Integração da BE nas estratégias e


Literacias programas de leitura ao nível da escola;

D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE D.1.1. Integração/Acção da BE na Escola;


com a Escola. Acesso e
serviços prestados pela D.1.2. Valorização da BE pelos órgãos de
BE direcção, administração e gestão da escola;

D.3.Gestão da D.3.1. Planeamento/ Gestão da colecção de


colecção/da informação acordo com a inventariação das necessidades
curriculares e dos utilizadores da escola;

3. Organização e 3.1. Estruturas de Gestão A. Apoio ao A.1. Articulação Curricular A.1.1 Cooperação da BE com as estruturas
Gestão da Escola Desenvolvimento da BE com as Estruturas de coordenação educativa e Supervisão
3.2. Gestão Pedagógica Curricular de Coordenação Pedagógica da escola;
Educativa e Supervisão
3.3. Procedimentos de Pedagógica e os A.1.2. Parceria da BE com os docentes
autoavaliação institucional Docentes; responsáveis pelas Áreas Curriculares não
Disciplinares da Escola;

A.1.3. Articulação da BE com os docentes


responsáveis pelos serviços de apoios
especializados educativos da escola;

A.1.4.Ligação da BE ao Plano Tecnológico da


Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares 4
Metodologias de Operacionalização (conclusão)

Educação e a outros programas e projectos


curriculares de acção, inovação pedagógica e
formação existentes na escola;

A.1.5. Integração da BE no Plano de


Ocupação dos Tempos Escolares da escola;

A.2. Promoção das A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de


Literacias de Informação, valores e atitudes indispensáveis à formação
Tecnológica e Digital da cidadania e à aprendizagem ao longo da
vida

D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE D.1.4. Avaliação da BE na escola


com a Escola. Acesso e
serviços prestados pela D.3.2. Adequação dos livros e de outros
BE recursos de informação (no local e online) às
necessidades curriculares e aos interesses
D.3. Gestão da dos utilizadores na escola.
colecção/da Informação

4. Ligação à 4.1. Articulação e C. Projectos, C.2. Projectos e Parcerias C.2.1. Envolvimento da BE em projectos da
Comunidade participação dos pais e Parcerias e respectiva escola ou desenvolvidos em
encarregados de educação Actividades Livres parceria, a nível local ou mais amplo;
na vida da escola e de Abertura à
Comunidade C.2.2. Desenvolvimento de trabalho e
4.2. Articulação e serviços colaborativos com outras escolas,
participação das autarquias agrupamentos e BE;

4.3. Articulação e C.2.3. Participação com outras Escolas/


participação das instituições Agrupamentos e, eventualmente, com outras
locais – empresas, entidades (RBE, DRE, CFAE) em reuniões da
instituições sociais e BM/SABE ou outro grupo de trabalho a nível
culturais concelhio ou interconcelhio;

C.2.4. Estímulo à participação e mobilização


dos pais/encarregados de educação no
domínio da promoção da leitura e do
Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares 5
Metodologias de Operacionalização (conclusão)

desenvolvimento de competências das


crianças e jovens que frequentam a escola;
C.2.5. Abertura da BE à comunidade local;

D. Gestão da BE D.3.Gestão da Colecção / D.3.5. Difusão da Informação.


da informação
5. Clima e Ambiente 5.1. Disciplina e A. Apoio ao A.2. Promoção das A.2.1. Organização de actividades de
Educativos comportamento cívico Desenvolvimento literacias da Informação, formação de utilizadores na escola;
Curricular Tecnológica e Digital
5.2. Motivação e empenho A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de
valores e atitudes indispensáveis à formação
da cidadania e à aprendizagem ao longo da
vida.

C. Projectos, C.1. Apoio a actividades C.1.1. Apoio à aquisição e desenvolvimento


parcerias e livres, extra-curriculares e de métodos de trabalho e de estudo
actividades livres e de enriquecimento autónomo
de abertura à curricular
comunidade
6. Resultados 6.1. Resultados académicos A. Apoio ao A.2. Promoção das A.2.2. Promoção do ensino em contexto de
Desenvolvimento literacias da Informação, competências de informação da escola;
6.2. Resultados sociais da Curricular Tecnológica e Digital
educação A.2.4. Impacto da BE nas competências
tecnológicas, digitais e de informação dos
alunos na escola;

A.2.5. Impacto da BE no desenvolvimento de


valores e atitudes indispensáveis à formação
da cidadania e à aprendizagem ao longo da
vida;

B. Leitura e B.3. Impacto do trabalho da BE nas atitudes e


Literacias competências dos alunos, no âmbito da leitura
e da literacia.
B. Leitura e B.1. Trabalho da BE ao serviço da promoção
7- Outros Elementos Literacias da leitura na escola;
Relevantes para a
Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares 6
Metodologias de Operacionalização (conclusão)

Caracterização da D. Gestão da BE
Escola
D.3.Gestão da Colecção / D.3.2. Adequação dos livros e de outros
da informação recursos de informação (no local e online) às
necessidades curriculares e aos interesses
dos utilizadores na escola.

D.3.3.Uso da colecção pelos utilizadores da


escola;

D.3.4.Organização da Informação.
Informatização da colecção.

A Formanda:

Etelvina Bronze