BATENTE OLEODINÂMICO

i.

Definições e condições gerais
Os batentes oleodinâmicos têm por missão fundamental absorver a energia originada
pelo impacto de um comboio proporcionando a máxima protecção e regulando a
desaceleração dos corpos móveis ou unidades que o compõem. A absorção da energia é
feita mediante a sua transformação em calor dentro do conjunto, mantendo ao mínimo a
força final.

- Composição e princípio de funcionamento
Cada batente oleodinâmico consta de uma unidade cilíndrica composta por sua vez por
um êmbolo receptor das forças de transmissão do choque, câmara de nitrogénio, piston
separador flutuante, boca de óleo, orifício de comunicação, câmara de óleo e passador
doseador.
O princípio de funcionamento é simples. Perante um impacto, o êmbolo da unidade
situado dentro do cilindro comprime o óleo situado dentro da câmara. Em resultado desta
pressão o óleo desloca-se por meio de um passador doseador e através de um orifício
para uma boca de óleo. O óleo que chega até aqui empurra o piston separador flutuante
até à cabeça l do amortecedor comprimindo o gás contido na câmara de nitrogénio.
O referido gás comprimido, actuando sobre o óleo por meio do piston separador cria a
força de retorno para voltar a estender o êmbolo do amortecedor.
Quando se desloca lentamente o êmbolo para dentro, o óleo passa através do orifício a
baixa velocidade com uma escassa perda de pressão, de modo que a resistência ao
fecho está regulada principalmente pela compressão do gás. Isto proporciona uma
amortização "suave" para absorver com suavidade os impactos a baixa velocidade.
Quando se força o êmbolo rapidamente para dentro, o óleo que esse êmbolo desaloja
tem que circular com grande rapidez, o que aumenta automaticamente a pressão na
câmara de óleo, proporcionando assim a resistência ao fecho do amortecedor requerida
para absorver o impacto a altas velocidades.
A circulação regulada de óleo através do orifício consegue-se através de um passador
doseador perfilado com a precisão que reduz gradualmente a área do orifício durante
fecho do amortecedor.
No entanto, a força de retorno mantém-se no mínimo, sendo adicionalmente amortecida
devido ao fluxo inverso do óleo através do orifício doseador.
Depois do golpe, a força de retorno do amortecedor permanece extremamente baixa
devido à sua elevada capacidade de dissipação de energia, que reduz ao mínimo as
consequências do retorno.

- Características técnicas
Os batentes oleodinâmicos, que em número de dois por via se localizam sobre
uma toupeira de betão armado e que estão unidos por uma viga de contraventamento de
aço laminado, têm que ter as seguintes características técnicas:

-

O êmbolo deve ter um alcance mínimo de 40 cm.

-

Deve ser capaz de absorver uma energia de 225.000 joules

-

Deve ser capaz de permitir uma força de impacto ao choque de 70.000
Kg.

-

Para além disso deverá a cabeça do batente deverá ser acondicionada de
acordo com as formas e dimensões dos batentes do material móvel.

FORNECIMENTO
OLEODINÂMICO.

E

MONTAGEM

DE

BATENTE

Será medido e pago por unidade (Un) de batente oleodinâmico realmente montado em
obra de acordo com o preço indicado na Tabela de Preços nº 1.
Este preço inclui o fornecimento, transporte, cargas, descargas, armazenamento de
todos os materiais, ou montagem dos batentes, o seu alinhamento, nivelamento e
testes do batente bem como a cabeça acoplável à do material móvel.
Este artigo aplica-se à seguinte unidade:

Unidade. Un. Fornecimento e montagem de batente oleodinâmico tipo “Óleo
9” ou similar, incluindo transportes, cargas, descargas e
armazenamentos necessários, colocação em maciço de betão,
montagem com todos os seus elementos, incluindo a peça da
cabeça do batente de materiais móveis, totalmente terminada.

Chamo a atenção que o para-choques deve ter os batentes adequados ao material
circulante, pelo que é necessário conhecer a geometria exacta da cabeça do batente,
bem com a sua posição relativamente ao PBV e ao eixo da via.