I

I
R
E
P
U
S

SUPER II

Física 1
Constantes Físicas Importantes

Formulário
x = x0 + v 0t +

1 2
at
2

=
v v 0 + at
2

2
0

ρ=

m
V

PV = nRT



∆x
vm =
∆t

P1V1 P2 V2
=
T1
T2



∆v
am =
∆t

T=
TC + 273
K
q1q2
r2

Felétrica = k

v = ωr



F elétrica = qE


ω=
T

q
E=k 2
r



F = ma

V=k

Fatrito = µN

q
r

Pot = Ui

Fgravit = G

Mm
r2

q = CU

1
mv 2
2

Epotencial = mgh

=
W Fd cosq

W = ∆Ecinética

Pot
=

W
= Fv
∆t

P=

F
A

P= P0 + ρgh
=
  0 (1 + a ∆T )
Q
= mc∆T
Q = mL

A escolha de quem pensa!

0

0

1

0

30°

1
2

3
2

3
3

45°

2
2

2
2

1

60°

3
2

1
2

3

90°

1

0

g = 10 m/s2
cágua = 1 cal/g . °C

µ0 = 4π × 10-7 T.m/A
Lvap. água = 540 cal/g

U = Ri

mv 2
R

Ecinética =

tg

k = 9,0 × 109 N.m2/C2

Fcentrípeta =

Feslástica = −kx

cos

W= P∆V

v = v + 2a∆x

=
x x 0 + vt

sen

Ecapacitor =

q2
2C

F=
qvBsenq
magnética
µ 0i
2πr

B=

n=

c
v

1 1 1
=
+
f p p'
n1sen
=
q1 n2 senq2

a=

p' i
=
p o

v = λf
f=

1
T

T= 2π

m
k

1

para que não seja marcado o gol. que fica no centro da cidade A. que reúne dezenas de países. então. colidirem entre si. até a casa de seu amigo Pedro. antes de terminar a pista. em km/s. 06. 04.000 voltas por segundo para. a) Calcule quanto tempo o avião permanece na pista desde o início do movimento até o instante em que levanta voo. a) Calcule o tempo necessário.0 s. e com boa precisão. João fez uma pequena viagem de carro de sua casa. Um grupo acompanhou uma medida realizada por um cientista.0 m. a) Calcule a velocidade do próton. até que alcancem 11.0 s. No total. b) Calcule a velocidade escalar constante do carro na rodovia. conforme ilustrado na figura abaixo. no instante t = 3. Considerando que a velocidade da luz. 02. ao saltar em direção ao ponto B. 03.0 m e. para a bola atingir o ponto B. Na rodovia. milhares de cientistas e emprega bilhões de dólares. b) Calcule o percentual dessa velocidade em relação à velocidade da luz. durante um lance normal.000 km/s.5 s. Um consórcio internacional. calcule a distância Terra-Lua. e que no instante do chute ele esteja parado no centro da linha de gol (ponto C). um cientista informou que foram deixados na Lua espelhos refletores para que. no instante t = 8. Para sair de sua cidade e entrar na rodovia que conduz à cidade em que Pedro mora. no instante da colisão. c) Além do desenvolvimento científico. 05. no qual eletromagnetos aceleram partículas. é responsável pelo Large Hadrons Colider (LHC). é igual a 58. para esse cálculo. b) Supondo que o goleiro esteja com as mãos próximas ao corpo. João percorreu uma distância de 10 km em meia hora. considerada. em metros.0 m/s2 até o instante em que levanta voo. igual a 300. da Terra. Um avião vai decolar em uma pista retilínea. As experiências realizadas no LHC investigam componentes elementares da matéria e reproduzem condições de energia que teriam existido por ocasião do Big Bang. A escolha de quem pensa! . sempre no mesmo sentido. de modo a desviar a bola. na qual t = 2. deslocando-se em movimento retilíneo e uniforme. é igual a 28. Uma partícula se afasta de um ponto de referência O. Expresse a velocidade em km/h. Em um programa televisivo. como prótons e antiprótons. é igual a 3 × 108 m/s e desprezando os efeitos da rotação da Terra. b) Determine o menor comprimento possível dessa pista. pela medida do intervalo de tempo ∆t que um feixe de laser percorre o caminho de ida e volta. a partir de uma posição inicial A. 2 a) Calcule a velocidade escalar média do carro de João no percurso dentro da cidade A. que mora bem na entrada da cidade B. relativamente ao solo. da posição inicial A em relação ao ponto de referência O. (UFPR) Em uma partida de futebol. Ele inicia seu movimento na cabeceira da pista com velocidade nula e corre por ela com aceleração média de 2. em segundos. ele manteve uma velocidade escalar constante até chegar à casa de Pedro. um túnel circular subterrâneo. a medida da distância Terra-Lua pudesse ser realizada periodicamente. com 27 km de extensão.SUPER II MU / MUV 01. de alto vácuo. cite outros dois interesses que as nações envolvidas nesse consórcio teriam nas experiências realizadas no LHC. As comemorações dos 40 anos da chegada do homem à Lua trouxeram à baila o grande número de céticos que não acreditam nessa conquista humana. que não está representada em escala. A distância da partícula em relação ao ponto O. Determine a distância. com uma velocidade de 80 m/s. calcule a velocidade média que suas mãos devem atingir. no instante t = 0 s. João percorreu 330 km e gastou quatro horas e meia. Suponha que a bola se desloque em linha reta e com velocidade constante. um jogador localizado no ponto A chuta uma bola rasteira com velocidade de 90 km/h em direção a um canto inferior da trave. no vácuo.

em uma trajetória retilínea. ficando atrás apenas dos Jogos Olímpicos. faça um gráfico com t (s) representado no eixo x e v (m/s) representado no eixo y. como indica a figura. Observando-se a velocidade do carro em função do tempo. nadando no sentido sul-norte. v (m/s) 2 2 2 1 0 –1 –2 –2 –2 –1 0 t (s) 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 a) Com os dados da tabela acima.0 m/s2 e Z também parte do repouso com a mesma aceleração no sentido oposto. Um motorista dirige um carro com velocidade constante de 80 km/h. observa Pedro. Dê sua resposta em metros. quase sempre é conveniente a construção de um gráfico com os dados obtidos. que boia no rio e está parada em relação à água. 11. em diferentes instantes t. Duas pessoas pegam simultaneamente escadas rolantes. para obedecer à sinalização e passar pela “lombada” com a velocidade máxima permitida. O motorista aciona os freios. Se A parte do repouso em direção ao gol com aceleração de 3. como observadas por Ana e por Marta. um rio de 60 m de largura e margens paralelas. qual 5 o valor do módulo da velocidade 5 a) de Pedro em relação à água? b) de Pedro em relação à margem? c) da água em relação à margem? 08. A Copa do Mundo é o segundo maior evento desportivo do mundo. VA = 1 m/s e a que sobe e VB. Considere agora que A e Z movem-se a velocidades constantes de 6. b) Com base no gráfico do item (a).0 s. Para que o atacante A não esteja em impedimento. Ana. Determine a distância percorrida entre o instante t = 0. estão indicadas nas figuras a seguir. com velocidade constante. descreva o movimento do carrinho. Sabendo-se que as 1 pessoas se cruzam a do caminho percorrido pela 3 pessoa que sobe. Se o ângulo q for tal que cos q = 3 e sen q = 4 . Pedro atravessa a nado. sendo que uma delas desce e a outra sobe. sentada na margem do rio. em que os freios foram acionados. de mesmo comprimento l. As trajetórias. Qual é a distância mínima entre A e Z no momento do lançamento para que o árbitro decida de forma inequívoca que A não está impedido? 10. imprimindo uma desaceleração constante. obtidos num experimento de mecânica. b) o comprimento das escadas. e o instante t = 3. perpendicular às margens. vê que Pedro se move no sentido sudoeste-nordeste. em 2 minutos. quando percebe uma “lombada” eletrônica indicando a velocidade máxima permitida de 40 km/h. em uma loja. em que o carro ultrapassa a “lombada”.SUPER II 07. paralelas. A tabela abaixo contém os dados da velocidade v de um carrinho em movimento retilíneo. Para melhor compreender um resultado experimental.1 s entre o momento em que vê o lançamento de L e o momento em que determina as posições dos jogadores A e Z. G e Z. respectivamente por PA e PM. desde o instante em que os freios foram acionados até o instante de passagem pela “lombada”.0 m/s. no exato instante em que o jogador L lança a bola para A (ver figura). determine: a) a velocidade VB da escada que sobe. em uma trajetória que forma um ângulo q com a linha perpendicular às margens. A escolha de quem pensa! 3 . 09. Considere o tempo de descida da escada igual a 12 s. Marta. quanto tempo o jogador L tem para lançar a bola depois da partida de A antes que A encontre Z? b) O árbitro demora 0. em linha reta. Uma das regras do futebol que gera polêmica com certa frequência é a do impedimento. podemos traçar o gráfico a seguir. A escada que desce tem velocidade a) Suponha que a distância entre A e Z seja de 12 m. Considere que somente os jogadores G e Z estejam à frente de A e que somente A e Z se deslocam nas situações descritas a seguir. deve haver ao menos dois jogadores adversários a sua frente. c) a razão entre os tempos gastos na descida e na subida das pessoas.

600 m. b) 0. 04. desconsidere o tamanho do veículo. Qual deve ser o valor dessa desaceleração para que o veículo pare exatamente na cancela? Gabarito 01. Em muitas praças de pedágio de rodovias existe um sistema que permite a abertura automática da cancela. A escolha de quem pensa! .SUPER II 12. a) 15.67m/s. Para as perguntas a seguir. b) 12 m. 50 m. b) 99 %. 96 m. de t = 8 s a t = 12 s o movimento é retrógrado e uniformemente acelerado. a partir do repouso. um veículo munido de um dispositivo apropriado é capaz de trocar sinais eletromagnéticos com outro dispositivo na cancela. de t = 16 s a t = 20 s o movimento é retrógrado e uniformemente retardado. Há ainda um outro interesse que é a busca por novas fontes para produção de energia.0 s. a) 20 Km/h b) 80 Km/h. 08. Ao se aproximar. Os avanços tecnológicos nos meios de transporte reduziram de forma significativa o tempo de viagem ao redor do mundo.5 m/s. 07.97 × 105 km/s. b) 1. 11. 13. A velocidade escalar média de um avião comercial no trecho São Paulo Tóquio é de 800 km/h. imprimindo uma desaceleração de módulo constante. 1 c) . a) 2 a. de t = 12 s a t = 16 s o movimento é retrógrado e uniforme. em que s é medido em metros e t em segundos. que. c) Sabemos da corrida em busca de novas armas envolvendo tecnologias nucleares.5 s. a) b) de t = 0 a t = 4 s o movimento é progressivo e uniforme. b) 6. Em 2008 foram comemorados os 100 anos da chegada em Santos do navio “Kasato Maru”. 2 09. a) O comprimento da trajetória realizada pelo “Kasato Maru” é igual a aproximadamente duas vezes o comprimento da trajetória do avião no trecho São Paulo-Tóquio. b) 1. 12. c) Calcule a distância percorrida pela bola e o seu deslocamento em t = 5.83m/s c) 0. 15. a) 2. determine a posição s1 correspondente ao instante t = 6s. um primeiro interesse das nações envolvidas é bélico. b) 0 c) 34 m e 30 m. Os gráficos a seguir representam a velocidade e a posição de um objeto móvel em função do tempo. a) 32 Km/h. 3. a) 2. b) Calcule a velocidade da bola em t = 4. Atualmente. trouxe ao Brasil os primeiros imigrantes japoneses. de t = 4 s a t = 8 s o movimento é progressivo e uniformemente retardado. 10 m. a) Um veículo aproxima-se da praça de pedágio a 40 km/h. a) 0. O movimento de uma bola sobre uma trajetória retilínea é descrito de acordo com a seguinte equação: s = 5 + 16t – 2t2.75 × 105 Km. ou mesmo na redução dos custos de produção.0 s.54 m/s2.2 m. partindo de Tóquio. a) 40 s b) 1. A viagem durou cerca de 50 dias. Com base nos gráficos. 14. melhorando o poder aquisitivo e a qualidade de vida das pessoas. 13. a) Faça o esboço do gráfico da posição em função do tempo. b) A conquista espacial possibilitou uma viagem do homem à Lua realizada em poucos dias e proporcionou a máxima velocidade de deslocamento que um ser humano já experimentou.6 Km/h. a) 4.5 m/s. 06. Portanto. 10. b) 6 min e 40 s. a cancela abre-se automaticamente e o veículo é identificado para posterior cobrança. 02. uma viagem de avião entre São Paulo e Tóquio dura em média 24 horas. Qual é o tempo disponível para a completa abertura da cancela? b) O motorista percebe que a cancela não abriu e aciona os freios exatamente quando o veículo se encontra a 40 m da mesma. Além disso. Ao receber os sinais.0 s. Calcule a velocidade escalar média do navio em sua viagem ao Brasil. Considere um foguete subindo com uma aceleração resultante constante de módulo aR = 10 m/s2 e calcule o tempo que o foguete leva para percorrer uma distância de 800 km. A cancela recebe os sinais quando o veículo se encontra a 50 m de distância. a) 0. 4 14. a descoberta de novas tecnologias também pode ser aproveitada no desenvolvimento de novos produtos. 03. 05.

Analisando a jogada pela TV. b) Calcule o ângulo. está a uma distância horizontal de 27 m da linha do gol. Determine a velocidade final da bicicleta. ao cruzar a linha do gol. após a partida de A. no qual o móvel B alcançou o móvel A pela primeira vez. com a mesma velocidade inicial. O acelerador tem um anel. Três bolinhas idênticas. e outra de raio 4. do artilheiro. Uma bicicleta possui duas catracas. Após o chute. a bola. toca o solo. a bola passou a uma altura de 1. no qual. para que ele alcance a bola imediatamente antes de ela tocar o gramado? 06. de 27 km de comprimento. um famoso jogador nos presenteou com um lindo gol. em km/h. Calcule o intervalo de tempo decorrido. No campeonato paulista de futebol. lado a lado e em sequência. a partir do solo horizontal.9 s neste movimento. Quando a distância percorrida for 16h a velocidade será v2. em km/h. 04. percorrem uma pista circular em movimento uniforme. 07. 02. partiu 4 segundos após o A. de módulo igual a 15 m/s para cima. respectivamente. ao perceber o início da jogada. a) Determine a distância horizontal percorrida pela bola entre o seu lançamento até a posição de recebimento pelo artilheiro (goleador fenomenal). como mostra a figura. o ciclista muda para a catraca de 4. A terceira bolinha é lançada no instante em que a primeira. corre para receber a bola. verifica-se que a bola é chutada pelo armador da jogada a partir do chão com uma velocidade inicial de 20. em relação ao chão. uma de raio 6.0 cm. a segunda bolinha é lançada. c) Calcule a altura máxima atingida pela bola em relação ao solo.5 cm mantendo a mesma velocidade angular dos pedais. Despreze a resistência do ar e considere g = 10 m/s2. b) o instante e a altura H. o móvel B. antes do chute. Calcule a razão v2/v1. foi inaugurado o mais potente acelerador de partículas já construído. A direção do movimento do artilheiro é perpendicular à trajetória da bola. fazendo um ângulo com a horizontal de 45° para cima. b) No instante do lançamento da bola. porém.0 m de distância da posição em que ele estimou que a bola cairia e. a velocidade será v1. Um segundo após o lançamento da primeira. Uma bola cai em queda livre a partir do repouso. considerado nesta questão como circular. determine a) a altura máxima (hmax) atingida pela primeira bolinha e o instante de lançamento da terceira bolinha. da força que o jogador imprimiu sobre a bola pelo seu chute.0 rad/s. ao retornar. e levou 0. Considere desprezível a resistência do ar. Qual é a velocidade média. 03. 05.0 cm. A e B. Quando a distância percorrida for h. No dia 10 de setembro de 2008. no qual prótons são postos a girar em movimento uniforme. Considerando g = 10 m/s2 e que os efeitos da resistência do ar ao movimento podem ser desprezados. ao correr para receber um lançamento de um dos atacantes. Um ciclista move-se com velocidade uniforme de 12 km/h usando a catraca de 6. em que a primeira e a segunda bolinha se cruzam. Na cobrança de uma falta durante uma partida de futebol. a) Calcule o módulo da velocidade na direção vertical no instante em que a bola foi chutada.SUPER II PROJÉTEIS / MCU 01.0 m/s. indicada na figura. o artilheiro estava a 16.35 m do chão quando estava em movimento descendente.5 rad/s e 3. são lançadas na vertical. Dois móveis. o goleador fenomenal parou a bola no peito do pé e a chutou certeira ao gol. Com o objetivo de aumentar a sua velocidade.5 cm. Os dois móveis partiram do mesmo ponto e no mesmo sentido com as velocidades de 1. A escolha de quem pensa! 5 .

SUPER II

Supondo que um dos prótons se mova em uma circunferência de 27 km de comprimento, com velocidade de
módulo v = 240.000 km/s, calcule o número de voltas
que esse próton dá no anel em uma hora.
08. Em uma partida de basquete, um jogador tem direito a
realizar dois lances livres. O centro da cesta está situado
a uma distância de 4,0 m da linha de lançamento e a
uma altura de 3,0 m do solo, conforme a figura. A bola
é lançada sempre a uma altura de 2,0 m do solo. No
primeiro lançamento, a bola é lançada com velocidade
de 5,0 m/s, formando um ângulo de 30° com a horizontal,
e não atinge a cesta. No segundo lançamento, a bola é
lançada com uma velocidade desconhecida, formando
um ângulo de 30° com a horizontal, e atinge a cesta.

10. Diante da maravilhosa visão, aquele cãozinho observava
atentamente o balé galináceo. Na máquina, um motor
de rotação constante gira uma rosca sem fim (grande
parafuso sem cabeça), que por sua vez se conecta a
engrenagens fixas nos espetos, resultando, assim, no
giro coletivo de todos os franguinhos.

Dados: cos 30° = 0,86; sen 30° = 0,50; tan 30° = 0,57;
cos2 30° = 0,75.

a) Determine o instante em que a altura máxima é
atingida pela bola no primeiro lançamento.
b) Demonstre que a bola não atinge a cesta no primeiro
lançamento.
c) Determine a velocidade inicial da bola no segundo
lançamento.

a) Sabendo que cada frango dá uma volta completa a
cada meio minuto, determine a frequência de rotação
de um espeto, em Hz.
b) A engrenagem fixa ao espeto e a rosca sem fim
ligada ao motor têm diâmetros respectivamente
iguais a 8 cm e 2 cm.

09. Pesquisadores têm observado que a capacidade de
fertilização dos espermatozoides é reduzida quando
estas células reprodutoras são submetidas a situações
de intenso campo gravitacional, que podem ser
simuladas usando centrífugas. Em geral, uma centrífuga
faz girar diversos tubos de ensaio ao mesmo tempo; a
figura representa uma centrífuga em alta rotação, vista
de cima, com quatro tubos de ensaio praticamente no
plano horizontal.
Determine a relação entre a velocidade angular do motor
e a velocidade angular do espeto (ωmotor/ωespeto).

As amostras são acomodadas no fundo de cada um dos
tubos de ensaio e a distância do eixo da centrífuga até os
extremos dos tubos em rotação é 9,0 cm. Considerando
g = 10 m/s2, calcule a velocidade angular da centrífuga
para gerar o efeito de uma aceleração gravitacional de 8,1 g.

6

11. Satélites de órbita polar giram numa órbita que passa
sobre os polos terrestres e que permanece sempre em
um plano fixo em relação às estrelas. Pesquisadores
de estações oceanográficas, preocupados com os
efeitos do aquecimento global, utilizam satélites desse
tipo para detectar regularmente pequenas variações de
temperatura e medir o espectro da radiação térmica de
diferentes regiões do planeta. Considere o satélite a 5
298 km acima da superfície da Terra, deslocando-se
com velocidade de 5 849 m/s em uma órbita circular.
Estime quantas passagens o satélite fará pela linha do
equador em cada período de 24 horas.
Utilize a aproximação p = 3,0 e suponha a Terra esférica,
com raio de 6.400 km.

A escolha de quem pensa!

SUPER II

12. A figura a seguir ilustra um jogador de basquete no
momento em que ele faz um arremesso bem sucedido.
A bola, ao ser arremessada, está a uma distância
horizontal de 6,0 m da cesta e a uma altura de 2,0 m em
relação ao piso. Ela sai das mãos do jogador com uma
velocidade de módulo 6 m/s fazendo um ângulo de 45°
com a horizontal. A cesta está fixada a uma altura de
3,0 m em relação ao piso. Desprezando a resistência
do ar, determine:

Gabarito
01. 4.
02. a) 11,25 m e 3 s;
b) 2 s e 10 m.
03. a) 6,0 m/s;
b) q = arc tg 0,20;
c) 1,8 m.
04. 16 Km/h.
05. a) 40 m;
b) 20,16 Km/h.
06. 8,0 s.
07. 3,2 × 107 voltas.

a) a altura máxima atingida pela bola em relação ao
piso.
b) o intervalo de tempo entre o instante em que a bola
sai da mão do jogador e o instante em que ela atinge
a cesta.
13. Considerando a situação em que um garoto joga um
objeto verticalmente para cima:
a) Faça uma análise qualitativa, explicando, com base
nos conceitos da mecânica, o movimento do objeto
para os diferentes instantes de tempo.
b) Quais hipóteses simplificadoras poderiam ser
consideradas numa análise quantitativa do problema? Explique.
c) Quais condições iniciais poderiam ser alteradas
de modo a produzir diferentes resultados para o
movimento? Justifique.
14. Um jogador de futebol chuta uma bola, que está no
chão, verticalmente para cima com uma velocidade de
20 m/s. O jogador, imediatamente após chutar a bola,
sai correndo para frente com uma velocidade de 8 m/s.
Considere g = 10 m/s2.

08. a) 0,25 s;
b) 2,3125 m;
c) 9,03 m/s.
09. 30 rad/s.
 1 
10. a)   Hz;
 30 
b) 4.
11. 14,4.
12. a) 308 m.
b) 1,0 s.
13. a) Movimento retardado ascendente e movimento acelerado
descendente, ambos devido à ação única da gravidade,
na direção vertical e sentido para baixo.
b) O desprezo da influência do ar e das dimensões do objeto
em relação à Terra.
c) A velocidade de lançamento e o ângulo de lançamento
alterando, entre outros, a altura atingida pelo objeto.
14. a) 4,0 s;
b) 32 m;
c) 16 m.
15. 4,0 m.

a) Calcule o tempo de voo da bola até voltar a bater
no chão.
b) Calcule a distância percorrida pelo jogador, na
horizontal, até a bola bater no chão novamente.
c) Calcule qual seria a distância percorrida pelo
jogador se o mesmo tivesse partido do ponto inicial
(onde ele chutou a bola) com velocidade inicial
nula e aceleração de 2,0 m/s2, ao invés de ter uma
velocidade constante de 8 m/s.
15. Um jogador de futebol chutou uma bola no solo com
velocidade inicial de módulo 15,0 m/s e fazendo um
ângulo a com a horizontal. O goleiro, situado a 18,0 m
da posição inicial da bola, interceptou-a no ar. Calcule
a altura em que estava a bola quando foi interceptada.
Despreze a resistência do ar e considere g = 10,0 m/s2,
sen a = 0,6 e cos a = 0,8.

A escolha de quem pensa!

7

SUPER II

LEIS DE NEWTON
01. Um bloco de massa 2,0 kg está sobre a superfície de um
plano inclinado, que está em movimento retilíneo para
a direita, com aceleração de 2,0 m/s2, também para a
direita, como indica a figura a seguir. A inclinação do
plano é de 30° em relação à horizontal.

Nessas condições,
a) represente, na figura, as forças que agem na massa
presa ao fio.
b) indique, na figura, o sentido de movimento do trem.
c) determine a aceleração máxima do trem.
05. Considere dois blocos empilhados, A e B, de massas
mA = 1,0 kg e mB = 2,0 kg. Com a aplicação de uma
força horizontal F sobre o bloco A, o conjunto move-se
sem ocorrer deslizamento entre os blocos. O coeficiente
de atrito estático entre as superfícies dos blocos A e B é
igual a 0,60, e não há atrito entre o bloco B e a superfície
horizontal.
Determine o valor máximo do módulo da

força F, em newtons, para que não ocorra deslizamento
entre os blocos.

Suponha que o bloco não deslize sobre o plano inclinado
e que a aceleração da gravidade seja g = 10 m/s2.
Usando a aproximação 3 ≅ 1,7, calcule o módulo e
indique a direção e o sentido da força de atrito exercida
pelo plano inclinado sobre o bloco.
02. Com o objetivo de analisar a deformação de uma mola,
solta-se, a partir do repouso e de uma certa altura,
uma esfera de massa m = 0,1 kg sobre essa mola, de
constante elástica k = 200 N/m, posicionada em pé
sobre uma superfície. A deformação máxima causada
na mola pela queda da esfera foi 10 cm. Considere a
aceleração da gravidade igual a 10 m/s2 e despreze a
massa da mola e o atrito com o ar.
a) Determine o módulo e a orientação das forças
que atuam sobre a esfera no instante de máxima
deformação da mola.
b) Determine o módulo e a orientação da força
resultante sobre a esfera no instante de máxima
deformação da mola.
c) Determine o módulo e o sentido da máxima
aceleração sofrida pela esfera.
d) Determine a força normal exercida pelo solo sobre a
mola no instante de sua máxima deformação.
03. Para medir o coeficiente de atrito cinético, µc, entre um
bloco e uma superfície plana, um impulso inicial e dado
ao bloco, que se desloca em linha reta sobre a superfície
ate parar. O bloco percorre 80 cm desde o instante em
que a sua velocidade tem modulo igual a 2 m/s ate o
instante em que para. Expressando o coeficiente de
atrito cinético na forma µc = A × 10–2, qual o valor de A?
04. Uma pessoa pendurou um fio de prumo no interior de
um vagão de trem e percebeu, quando o trem partiu
do repouso, que o fio se inclinou em relação à vertical.
Com auxílio de um transferidor, a pessoa determinou
que o ângulo máximo de inclinação, na partida do trem,
foi 14°. (Dados: tg 14° = 0,25, g = 10 m/s2)

06. Uma estação espacial é projetada como sendo um
cilindro de raio r, que gira em seu eixo com velocidade
angular constante ω, de modo a produzir uma sensação
de gravidade de 1 g = 9,8 m/s2 nos pés de uma pessoa
que está no interior da estação.
Admitindo-se que os seus habitantes têm uma altura
média de h = 2 m, qual deve ser o raio mínimo r da
estação, de modo que a variação da gravidade sentida
entre os pés e a cabeça seja inferior a 1% de g?

07. Calcule a aceleração do sistema abaixo quando o
corpo de massa M é puxado por uma força F que forma
um ângulo a com horizontal. Sabendo-se que entre
a superfície e o corpo existe um coeficiente de atrito
cinético µ.
Dados: F = 10 N; M = 2 kg; a = 60; μ = 0,1; cos 60° = 0,5;
sen 60° = 0,9 e g = 10 m/s2.
08. Um elevador que se encontra em repouso no andar
térreo é acionado e começa a subir em movimento
uniformemente acelerado durante 8 segundos,
enquanto a tração no cabo que o suspende é igual a
16.250 N. Imediatamente após esse intervalo de tempo,
ele é freado com aceleração constante de módulo
igual a 5 m/ s2, até parar. Determine a altura máxima
alcançada pelo elevador, sabendo que sua massa é
igual a 1.300 kg.
 

8

A escolha de quem pensa!

em função de M. M e d. deduza as fórmulas para a aceleração dos baldes e para a tração na corda. a qual pode girar sem atrito com o eixo. b) Considere.10. em relação ao solo. pela outra extremidade.SUPER II 09. transportando um caixote. a) Supondo que a areia tenha sido dividida entre os baldes em porções de massas m1 e m2 e usando g para o módulo da aceleração da gravidade local. Inicialmente. sobre a polia. também de módulo a. 2 m/s em cada segundo. se a velocidade deste diminuir. horizontal e de módulo 240 newtons. uniformemente. 10. Sejam T a tensão do fio na descida e T’ a tensão do fio na subida. Dados: sen 60°= 0.m2  sobre o teto é dado por F =   .5. a polia. por uma de suas extremidades. como mostra a figura 2. Em seguida. Verifica-se que a elongação da mola é maior do que a anterior por um valor d. Um pêndulo cônico é formado por um fio de massa desprezível e comprimento L = 1. uma situação na qual o elevador se mova com aceleração constante para cima e o balde esteja em repouso relativamente ao elevador. cos 60°= 0.g  m1 + m2  c) Em qual das seguintes situações a força exercida pelo cabo sobre o teto é menor: 5 kg de areia em cada balde (situação 1) ou 4 kg num deles e 6 kg no outro (situação 2)? Justifique sua resposta utilizando o resultado do item anterior. a massa m executa um movimento circular uniforme num plano horizontal. O barco é puxado por uma corda de modo que a força resultante sobre o sistema seja constante. determine: (Adote g = 10 m/s2 e despreze a resistência do ar) a) a máxima aceleração e desaceleração que o caminhão pode imprimir. isto é. uma pessoa de 58 kg e um pacote de 2.87. a corda e o cabo têm massas desprezíveis. sem que o caixote deslize. Os baldes. a) Calcule a elongação x0 da mola supondo que tanto o elevador quanto o balde estejam em repouso. cuja carroceria mede cerca de 12 metros.5 kg na sua extremidade inferior. k e do módulo g da aceleração da gravidade. 13. conforme a figura. até parar. 12. para cima. agora. A figura a seguir mostra uma máquina de Atwood formada por dois baldes idênticos e uma polia. a um balde vazio de massa M que pende na vertical. conforme ilustra a figura a seguir. como mostra a figura 1.25 m. b) Mostre que o módulo da força exercida pelo cabo  4m1. b) a distância que o caixote deslizará sobre o caminhão. para baixo.0 km/h.0 kg que ela carrega consigo. como ilustra a figura 2. Quando o pêndulo oscila. e o ângulo que o fio forma com a vertical é q = 60°. T Sabendo-se que o coeficiente de atrito estático entre as superfícies do caixote e do caminhão é igual ao dinâmico e vale 0. o bloco é abaixado com aceleração constante vertical. Um bloco de massa m é abaixado e levantado por meio de um fio ideal. Supondo que não haja movimento relativo entre as partes do sistema. trafega em uma via retilínea e horizontal. 11. situação ilustrada na figura 1. calcule o módulo da força horizontal que a pessoa exerce sobre o pacote. Calcule o módulo da aceleração do balde em termos de k. Determine a razão T ' em função de a e g. que suporta uma massa m = 0. de módulo a (por hipótese. Uma mola de constante elástica k e comprimento natural L está presa. Uma carreta. Suponha que a mola seja ideal. o bloco é levantado com aceleração constante vertical. menor do que o módulo g da aceleração da gravidade). que tenha massa desprezível e satisfaça à lei de Hooke. Um sistema é constituído por um barco de 100 kg. Um cabo inextensível acoplado ao teto sustenta o eixo de uma polia. A extremidade superior do fio é presa ao teto. Os dois baldes encontram-se ligados um ao outro por meio de uma corda inextensível que não desliza A escolha de quem pensa! 9 . Considere que tenhamos 10 kg de areia para distribuir entre os dois baldes e despreze a resistência do ar. ao teto de um elevador e. 14. com velocidade escalar constante de 18.

18. se ele não se rompe. 08. para o bloco não escorregar. O coeficiente de atrito estático entre o bloco e o disco é µ. isto é.0 m/s2 b) 3. 2 × 102 m. deve ser baixada. a velocidade angular máxima do disco deve ser reduzida. 16. Mg . 13. b) 4. 120 m. a) 10 N.0 rad/s.8 N.m2 . responda se este cabo é adequado a essa situação.g m1 + m2 c) F1 = 100N e F2 = 96N.6 N. a) Represente na figura as forças que atuam sobre o bloco durante o movimento e indique os seus nomes. 03. b) c) 2. a) a =  m + m  . b) P = 2 N.0 N.g = r ϖmáx c) ϖ 'máx = 2 b) ϖ máx Isso significa que. e m3 = 34. 25 04. b) FR = 19 N vertical para cima. 06.0 m/s2. em perfil. a corda se rompe.20 m/s2? b) Ache a força exercida por m2 em m3.SUPER II a) Qual é a tensão no fio? b) Qual é a velocidade angular da massa? 15. c) O que acontecerá com a velocidade angular máxima ωM quando a distância r do bloco ao eixo de rotação for duplicada? Justifique.200 N. a) 120 N. b) Calcule o módulo de todas as forças que estão atuando nesse terceiro elo. c) 190 m/s2 vertical para cima. Sabe-se que existe uma velocidade angular máxima ωM a partir da qual o bloco desliza para fora do disco. T= 2m1. A aceleração da gravidade é representada por g. a figura abaixo. 3. 10  F2. b) 40. como se fossem uma só.0 kg. reduzindo sua velocidade inicial com uma desaceleração de módulo 2. Na figura têm-se três caixas com massas m1 = 45. Como a tração vale 1. 17. a) x0 = 11.100 N. F23 = 6 N. 6.3: força do 2° elo no 3°. m2 = 21. k kd b) a = . A escolha de quem pensa! .0 N vertical para baixo. apoiadas sobre uma superfície horizontal sem atrito.125 m. Fe= 20 N vertical para baixo. M 10. d) 20 N. 15. conforme mostra.g = = m1 + m2 1 2 12. Considere g = 10. 09. 18. 17. A tração máxima que o cabo pode sofrer.3: força do 4° elo no 3°.0 kg. a) a) Qual a força horizontal F necessária para empurrar as caixas para a direita. 02. 07. T (g − a ) 14. Uma corrente composta por cinco elos está presa ao teto por meio de um barbante.m2 b) F 2T . Gabarito 01. responda os itens a seguir. 16.5 m/s2. a uma distância r do eixo de rotação. b) Obtenha uma equação para a velocidade angular máxima ωM em função dos dados fornecidos. é 1. Com base nesses dados. Sobre esse disco está posicionado um pequeno bloco de madeira de massa m. 1. Um disco de raio R está em movimento circular uniforme com velocidade angular ω. m −m   1 2 4m1. T ' (g + a ) = . com uma aceleração de 1. suspensa por um cabo de massa desprezível. conforme mostra a figura. sem se romper. 9 N.0 kg.00 m/s2.95 m/s2. F43 = 4 N. identificando cada uma das forças que atuam sobre ele. Fazendo os cálculos pertinentes. Uma caixa de massa igual a 100 kg. a) 1. F 4. a) µ. a) Faça um diagrama de forças para o terceiro elo. A massa de cada elo é de 200 g. a) O diagrama mostra as forças atuantes no terceiro elo.g . P peso do 3° elo. 05. P = 1.

conhecida como arranque. os operários usam algumas máquinas simples para facilitar e diminuir sua carga diária de energia gasta na execução de seu trabalho. passam a oscilar tal como um pêndulo simples. massa total (incluindo 500 passageiros) de 500 t e potência máxima dos motores elétricos igual a 8 MW. supondo que o trem tenha 80 rodas e que as forças entre cada uma delas e o trilho tenham a mesma intensidade. 04. supondo que os motores forneçam a potência máxima o tempo todo. identifique as grandezas físicas que são conservadas e calcule.05 s e que a compressão máxima da mola. qual é. e um cabo de massa desprezível. as roldanas fixas e móveis. x. c) Se foi gasto um tempo t =10 s para o operário elevar o bloco até o segundo andar da obra. entre cada roda e o trilho. a massa e o módulo da velocidade do corpo ao atingir a mola. determine: a) O tempo necessário para o trem atingir a velocidade de 288 km/h. em unidades de 102 W? 05. que fica a uma altura h = 5. sendo considerada como parte da matriz energética de muitos países. Sabendo-se que a constante de força. as máquinas elétricas que atuam como motores também podem ser usadas como geradores. Considere que em um desses brinquedos. Nesse caso. O Skycoaster é uma atração existente em grandes parques de diversão. as máquinas elétricas são acionadas como geradores de 8 MW de potência. no mínimo. c) Se a energia gerada pela turbina for armazenada numa bateria.0 m tenha sido de 1. Considerando que o intervalo de tempo transcorrido para levantar o corpo até a altura de 2. na velocidade de 288 km/h. é igual a 0. Em uma construção civil.0 s. Nos jogos olímpicos. através do uso de barcos a vela e moinhos de vento para moer grãos ou bombear água. Nesses trens. A escolha de quem pensa! a) Faça um diagrama de forças que atuam sobre o bloco e identifique cada uma das forças. três aventureiros são presos a cabos de aço e içados a grande altura. ∆t. representado nas figuras a seguir. aproximadamente. Trens de alta velocidade. a necessidade de energias limpas e renováveis e o desenvolvimento da tecnologia fizeram com que a energia eólica despertasse muito interesse. em kJ. c) A aceleração do trem quando. é igual a 400 N/m. o atleta tem que levantar o peso acima da cabeça num ato contínuo. Para essa tarefa. atingindo uma altura máxima de 60 metros e chegando a uma altura mínima do chão de apenas 2 metros. 5 km. k. Uma das máquinas simples mais utilizadas são. calcule o módulo da velocidade tangencial de um ponto na extremidade externa da pá. como mostra a figura a seguir. por exemplo. Depois de solto um dos cabos. em m/s. qual a potência requerida do atleta. determine a energia armazenada em duas horas de funcionamento. têm massas iguais a 50 kg cada um.0 m em relação ao solo. um operário deve elevar. Um corpo de massa M abandonado a partir do repouso desliza sobre um plano inclinado até ser freado por uma mola ideal. Considere uma turbina que gera a potência de 2 MW e cujo rotor gira com velocidade constante de 60 rpm. freando o movimento. com velocidade constante. 02. a preocupação com o meio ambiente. dos participantes durante essa oscilação e qual o valor da maior energia cinética. Considerando um trem e uma ferrovia com essas características. b) Calcule a tração no cabo que está em contato com a mão do operário e o trabalho realizado por ele. Atualmente. numa curva horizontal percorrida a 288 km/h. as curvas têm raio de curvatura de. a) Considerando que cada pá da turbina tem um comprimento de 30 m. A partir da rotação da turbina a conversão de energia é semelhante à das usinas hidroelétricas. b) Calcule o módulo de aceleração centrípeta desse ponto. um bloco de pedra de massa m = 100 kg para o segundo andar da obra. a máxima velocidade. Considere g = 10m/s2. que o intervalo de tempo. a que eles ficam submetidos? 11 . Os jovens. b) A força máxima na direção horizontal. 06. A humanidade usa a energia dos ventos desde a antiguidade. para elevar o bloco até o segundo andar da obra. a partir do repouso. o atleta que ganhou a medalha de ouro levantou um corpo de 165 kg. Nessas condições e desprezando a ação de forças de resistências. Em um dia comum de trabalho. é igual a 0. calcule a potência gasta nessa tarefa. deverão estar em funcionamento no Brasil nos próximos anos. que se movem juntos no brinquedo. uma fixa e outra móvel. 03. freando o movimento (freios regenerativos). Nas ferrovias. desprezando os efeitos de forças dissipativas. conforme a figura.3 m. desde o instante em que o corpo toca a mola até o momento que esse para. Características típicas desses trens são: velocidade máxima de 300 km/h. chamados trens-bala. Numa das classes de provas de halterofilismo.SUPER II TRABALHO / POTÊNCIA / ENERGIA 01. o operário utilizou um sistema com duas roldanas. a energia cinética dos ventos é convertida em energia de movimentação das pás de uma turbina que está acoplada a um gerador elétrico.

0 m/s. e daí por diante a gravidade era a única fonte externa de energia para o carrinho. sem os efeitos especiais de hoje em dia. um trator florestal (Trator Florestal de Rodas 545C) é capaz de arrastar toras por meio do seu cabo exercendo sobre elas uma força de módulo 2. b) Encontre o valor da força normal realizada pelo trilho sobre o carrinho no ponto B. como o da figura. por um trilho especial chamado cremalheira. em que se viaja de cabeça para baixo. Durante a Segunda Guerra Mundial. Uma montanha russa é um brinquedo de parque de diversões que usa a gravidade para mover um carrinho de passageiros sobre um trilho ondulado. é como se o carrinho estivesse realizando instantaneamente um movimento circular de raios iguais a R1 = 10 m e R2 = 5 m. Calcule 07. Segundo informação da empresa fabricante.SUPER II Considere a energia gravitacional do avião em relação ao solo. Considere que a aceleração da gravidade g = 10 m/s2 e que os atritos são desprezíveis para esse sistema. descendo e subindo. o carrinho. e uma experiência realizada por James P. Um corpo de massa 2 kg é suspenso por um fio cuidadosamente enrolado em um carretel. no ponto inicial do ataque. o trem só seguia um caminho único. era comum o ataque com bombardeiros a alvos inimigos por meio de uma técnica denominada mergulho. Com ela. A escolha de quem pensa! . tais como “loops”. ligado ao eixo de um gerador. igual a E2. ele sairia voando do carrinho? Ou não? Justifique a sua resposta. cujo esquema pode ser observado a seguir. Desprezando a massa do cabo e supondo que a força por ele exercida seja horizontal e paralela ao solo. no ponto de onde a bomba é lançada. A relação entre calor e outras formas de energia foi objeto de intensos estudos durante a Revolução Industrial. as alturas H1.000 m de altura. 09. nos pontos marcados B e C da figura. a) Calcule a velocidade do carrinho nos pontos B. igual a E1 e. c) Se o passageiro não estivesse usando o cinto de segurança no ponto C. A figura a seguir apresenta uma versão atualizada da máquina de Joule. e a bomba era lançada sobre o alvo de uma altura de 500 m. Joule foi imortalizada. com velocidade constante de módulo 2. 15 m. E1 . O mergulho do avião iniciava-se a 5. No modelo da figura.0 × 105 N. 12 10. Nesses modelos. C e D. respectivamente. determine a potência útil desenvolvida pelo trator. H2 e H3 são. Nos modelos antigos. respectivamente. 2 m e 10 m. era arrastado até o ponto mais alto da trajetória (iniciando a corrida a partir do repouso no ponto A). Veja que. ficou demonstrado que o trabalho mecânico e o calor são duas formas diferentes de energia e que o trabalho mecânico poderia ser convertido em energia térmica. de massa M = 150 kg. E2 08.

09. depois de abandonado a partir do repouso. a) 17 m/s. 12.0 × 105 W. Calcule: O gerador converte a energia mecânica do corpo em elétrica e alimenta um resistor imerso em um recipiente com água.0 W. c) 500 W. durante um intervalo de tempo t = 5.0 s. 15. 04. 07.20 m/s2 03.0 s. desde o instante do seu lançamento até o instante no qual ele atinge a altura máxima. b) 6 kN. Uma bolinha de massa m = 200 g é largada do repouso de uma altura h. b) 500 N e 5 kJ. formando um ângulo de 30° com a horizontal. 34 m/s e 87 kJ. a potência desenvolvida pela enfermeira. de qual altura em relação ao solo o corpo foi abandonado? 11. Gabarito 01. a) 600 J. A escolha de quem pensa! 13 . 3 10 m/s. realizado pela gravidade terrestre (força peso) sobre o projétil durante este intervalo de tempo. ele não sairá voando.0 s. 08. 13. Calcule o trabalho. 33.0 s uma enfermeira gira a manivela de 20 voltas completas. a) T = 1 kN vertical para cima. Em 40. P = 1 kN vertical para baixo. de constante elástica k = 1. determine: a) b) c) d) o trabalho realizado pela enfermeira. em metros. que está fixada no piso (ver figura). deslizando sobre rolos de madeira. é lançado da Terra com velocidade de módulo V0 = 100 m/s. 10. sejam transferidos para a água 24 J de energia térmica. Como mostra a figura. 1. Suponha que. sem atritos. até que o corpo chegue ao solo. c) 1. a altura inicial h.5 m.0 s. em joules. 6. 05. 14. por uma força F = 12. para elevar verticalmente um peso total de 320 N a uma altura de 0. de 4. c) p rad/s. 10. é arrastado horizontalmente. 02.44 × 1010J. ou seja. a) 200 s.3 m/s e 14m/s. Sabendo que esse valor corresponde a 80% da energia mecânica. A manivela possui um braço de 0. a) 160 J. d) 6. 4. c) N = 300 N. Ela colide com a mola comprimindo-a por ∆x = 10 cm. c) 0. o módulo da força exercida pela enfermeira na extremidade do braço da manivela. Calcule.0 toneladas. Despreze a resistência do ar. Despreze a resistência do ar ao longo da trajetória do projétil. Considere apenas o movimento ascendente do projétil. Desprezando as perdas por atrito. a) 60 p m/s. Um bloco de pedra. desce um plano inclinado a partir do repouso. um bloco de massa m = 3. com velocidade angular constante. calcule o trabalho total. b) 8 kN. de massa m = 60 g. b) o seu deslocamento e o trabalho realizado pela força F durante os 5.0 kg. b) 50 m. 13.240 N/m. em kJ. 3. Sabendo-se que o bloco percorre 12 m em 4. supondo-a constante.4 N. a) a sua velocidade e a sua energia cinética ao final dos 5. a velocidade angular da manivela.0 N. 06. Um pequeno projétil. acima de uma mola ideal. b) 120 p2 m/s2. 11. realizado sobre o bloco pela força resultante no intervalo de tempo considerado. inicialmente em repouso. b) 4. –75 J. 72 kJ. 15.0 m. 12.20 m.50 m.SUPER II 14. Uma cama de hospital possui um sistema roscamanivela para elevá-la.

calcule a) a velocidade do pêndulo com a pedra engastada. faça o que se pede nos itens seguintes.4. de 1. c) Calcule a distância deslocada pelo bloco B em direção à mola.SUPER II DINÂMICA IMPULSIVA 01. determine a sua velocidade depois de transcorridos 3 s. em N/cm2. b) Calcule o deslocamento máximo sofrido pela mola se o atrito entre o bloco B e o solo for desprezível.0 N / m. c) A pressão.0 kg e uma mola de constante elástica k = 4. se o atrito cinético entre o bloco B e o solo for igual a c = 0. em relação àquele dos valores positivos. Um arqueiro está posicionado a determinada distância do ponto P. um saco com 20 kg de areia é solto. imediatamente após a colisão. A figura a seguir mostra um sistema composto por dois blocos de massas idênticas mA = mB = 3. de 5 m de altura em relação à tábua. o arqueiro acerta o alvo no instante em que tanto a flecha quanto o alvo encontram-se na posição mais alta de suas trajetórias. que atravessam a tábua. Com base nesses dados e considerando que em t = 0 o objeto está em repouso. Determine: a) A velocidade do saco de areia ao tocar a tábua de pregos. Sabendo que a massa do alvo é cinco vezes a da flecha e desprezando as perdas de energia por atrito. Sabendo que a distância entre o bloco B e a mola é d = 3. Nesse gráfico.05 s após seu contato com a tábua. O pêndulo tem 6. b) A força média total aplicada no peito do homem se o saco de areia parar 0. calcule: A escolha de quem pensa! . um homem deita-se no chão do picadeiro e sobre seu peito é colocada uma tábua. de onde um alvo é lançado do solo verticalmente e alcança a altura máxima H = 20 m.0 m/s2. a) Usando a lei de conservação da quantidade de movimento (momento linear). atua sobre um objeto de massa 10 kg. Suponha que as pontas de todos os pregos estejam igualmente em contato com o peito do homem. em torno da extremidade fixa da corda. 03.0 kg de massa e está pendurado por uma corda de massa desprezível e inextensível.0 m com velocidade de módulo de 21 m/s. No clímax do espetáculo. Uma força. Uma pequena pedra de 10 g é lançada por um dispositivo com velocidade horizontal de módulo igual a 600 m/s. na qual foram cravados 400 pregos. incide sobre um pêndulo em repouso e nele se engasta. calcule a velocidade do bloco B imediatamente após a colisão do bloco A. onde está posicionado o bloco B. caracterizando uma colisão totalmente inelástica. b) a altura máxima atingida pelo pêndulo com a pedra engastada e a tensão T na corda neste instante. e cai sobre ela. Flechas são lançadas de uma altura igual a h0 = 2. 05. Nesse caso. a mola será comprimida pelo bloco B? Justifique. a partir do repouso.8 m em relação à superfície S. exercida no peito do homem por cada prego. cuja ponta tem 4 mm2 de área. de mesmo tamanho. Em uma de suas tentativas. Num espetáculo de circo. conforme ilustra a figura.0 m de comprimento.0 m e que a colisão entre os blocos A e B é elástica. valores negativos para F indicam uma inversão de sentido. de 30 cm x 30 cm. de modo que a energia mecânica seja conservada após a colisão. 14 Considerando g = 10. 04. cujo módulo F varia com o tempo t conforme o gráfico ao lado. 02. Ele pode girar sem atrito no plano vertical. O bloco A está preso a um fio de massa desprezível e suspenso de uma altura h = 0.

Esses objetos podem colidir com satélites. com uma mola ideal comprimida entre eles. de mesma massa. escorregando sem sofrer atrito e com velocidade vertical nula no ponto B (figura 1). 10. em m/s. em repouso no ponto B da rampa (figura 2). 15 . calcule a força máxima Fmax.2 kg e mB = 0. cuja estrutura foi danificada. de massa m = 0. O bloco desliza ao longo de uma superfície sem atrito e colide com um outro bloco. é largado de uma altura h =  8 m. Considere que durante um reparo na estação espacial. b) Determine a velocidade dos blocos após a colisão. Na primeira etapa da experiência. de massas mA = 0. se a rebatida durou 0. descrevendo a trajetória AB. Em um dado instante.8 kg.5 kg.0 m/s. 09. passando a se mover com velocidade de 8. Calcule a velocidade do bloco A. em m/s. conhecer a distância horizontal por ela percorrida (do ponto B’ até o ponto C de queda no chão). um astronauta substitui um painel solar.40 kg. considerando o fato de que a flecha e o alvo chegam solidários ao solo. A mola comprimida armazena 32 J de energia potencial elástica. sobre uma superfície horizontal e lisa. 07. inicialmente em repouso no ponto A. Os blocos estão inicialmente em repouso. A montagem de um experimento utiliza uma pequena rampa AB para estudar colisões entre corpos. movendo-se a 6. a bolinha I é solta do ponto A. b) a distância L. Dois blocos A e B.10 s. o fio se rompe liberando os blocos.SUPER II a) a velocidade do conjunto flecha-alvo imediatamente após a colisão. finalizando a trajetória ABC. calcule sua velocidade de recuo. a) Sabendo que a massa do astronauta é ma = 60 kg. inicialmente em repouso no ponto B. de forma simplificada. b) o módulo da força média que o jogador exerce na bola. além de pôr em risco astronautas em atividades extraveiculares. o módulo da força aplicada pelo astronauta sobre o painel em função do tempo durante o lançamento. 08. é possível marcar o ponto exato C onde a bolinha I tocou o chão e com isto. O lixo espacial é composto por partes de naves espaciais e satélites fora de operação abandonados em órbita ao redor da Terra. lança-o com uma velocidade vp = 0. Com o auxílio de uma folha carbono. de massa mp = 80 kg. a bolinha I é solta da mesma forma que na primeira etapa e colide com a bolinha II. cujo módulo pode ser obtido pela área do gráfico. A escolha de quem pensa! Na segunda etapa da experiência. considerando-a perfeitamente elástica.15 m/s. O astronauta estava inicialmente em repouso em relação à estação e ao abandonar o painel no espaço. Determine: a) o módulo da variação da quantidade de movimento da bola ao ser rebatida.0 m/s. idêntica e de mesma massa. numa direção perpendicular à direção inicial de seu movimento. Um pequeno bloco. em m/s. Sabendo que a variação de momento linear é igual ao impulso. a) Determine a velocidade do segundo bloco após a colisão. considerando-a perfeitamente inelástica. é rebatida por um jogador. estão presos por um fio. respectivamente. Uma bola de massa 0. b) O gráfico a seguir mostra. 06.

parados um de frente para o outro. h = 0.SUPER II a) a velocidade da massa m do pêndulo imediatamente antes da colisão. situada a uma distância x = 1. esse bloco é liberado. b) a velocidade do bloco imediatamente após a colisão. O esquema a seguir ilustra esse processo para um núcleo de trítio. que aplicou as leis de conservação de quantidade de movimento e energia ao processo de desintegração β. ao final da qual a massa do foguete vale 50 g. Considere que o foguete apresenta um movimento retilíneo horizontal e despreze as perdas por atrito e resistência do ar. Um foguete demonstrativo.0 cm. percorrendo distâncias horizontais de mesmo valor (d1 = d2). Isto está de acordo com o princípio da conservação da energia? Justifique. em metros. que separa os dois patinadores neste instante. inicialmente em repouso. Num determinado instante. por uma distância x = 10. c) Nota-se que a energia cinética do foguete varia durante a combustão. He . e . 15. 13. empurram-se bruscamente de modo a se movimentarem em sentidos opostos sobre uma superfície horizontal sem atrito. Determine o módulo da quantidade de movimento do anti-neutrino.5 m do bloco. Despreze o atrito entre os blocos e o piso. mais um elétron. vindo a colidir em seguida com um outro bloco de massa m2 = 200 g. O pêndulo é abandonado de uma altura h = 20 cm em relação a sua posição de equilíbrio e colide elasticamente com o bloco no instante em que passa pela posição vertical.0 × 10–27 kg. b) Qual é a velocidade do núcleo de hélio após a desintegração? A massa do núcleo de hélio é 5.0 × 10–24 kgm/s. supondo que o coeficiente de atrito cinético entre o bloco e essa superfície seja µ = 0. o bloco de massa m encontra-se em repouso sobre uma superfície horizontal e deve ser impulsionado para tentar atingir a caçapa. determine a velocidade final dos blocos. e um antineutrino. c) a distância percorrida pelo bloco. em m/s. A combustão dura 4.6 m e g = 10 m/s2. Para impulsioná-lo. A escolha de quem pensa! . Em um dado instante. 12. como mostra a figura. b) Determine a força média horizontal que atua sobre o foguete durante a combustão. inicialmente em repouso. Sabendo que H = 1 m.0 g com velocidade média de módulo 30 m/s em relação ao solo. Um casal de patinadores pesando 80 kg e 60 kg. Considerando a aceleração da gravidade g = 10 m/s2. 11. Considerando a colisão perfeitamente inelástica. que se transforma em um núcleo 3 – de  hélio. O núcleo de trítio encontra-se inicialmente em repouso. Admita que as bolinhas I e II chegam ao solo nos pontos C1 e C2. No brinquedo ilustrado na figura. o patinador mais pesado encontrase a 12 m do ponto onde os dois se empurraram.   a) O ângulo a que a trajetória do antineutrino faz com o eixo horizontal é de 30°. Após a desintegração.0 s. Calcule a distância. Um bloco de massa m1 = 100 g comprime uma mola de constante elástica k = 360 N/m. utiliza-se um pêndulo de mesma massa m. sobre a superfície horizontal. a) Determine a velocidade do foguete ao final da combustão. determine as velocidades horizontais da bolinha I ao chegar ao chão na primeira e na segunda etapa da experiência. A existência do neutrino e do antineutrino foi proposta em 1930 por Wolfgang Pauli. o núcleo de hélio possui uma quantidade de movimento com módulo de 12 × 10–24 kgm/s e o elétron sai em uma trajetória fazendo um ângulo de 60° com o eixo horizontal e uma quantidade de movimento de módulo 6. é constituído por um corpo cilíndrico e propelido por um combustível à base de pólvora.20 e verifique se o bloco atinge a caçapa. H3 (um isótopo do hidrogênio). conforme a figura 3. Durante a combustão é ejetada horizontalmente uma massa total de 4. calcule: 16 14. ν .

b) 4. a) 2.1 N. b) 30 N. a) 6 3 × 1024 kgm/s. 11.0 m/s. 13. 10 m/s. b) 20 N.5 N/cm2. a) 0. a) 4 m/s.0 cm. c) 2m. 2.20 m/s. a) 10 m/s.0 m/s.SUPER II Gabarito 01. 03.0 m. 09. 16 m/s. a) ≈ 1.0 m. a) 1. 57. b) 5. 15. c) 1. c) 262. 04. 06. a) 4 Kgm/s b) 40 N. A escolha de quem pensa! 17 .0 m/s. b) 3.8 m/s e 2 sec q m/s. Como D < d. 02.0 m/s.5 m/s.4 × 103 m/s. b) 2. 28 m. b) 2. não. a mola não será comprimida pelo bloco B.0 m/s. 14. 08. b) 2 3 m.2 kN.4 m/s. 12. a) 2. (01) b) 2. 07. 10. 2.0 m/s. A variação de energia vem da combustão. a) 4. c) Sim. 05.

a) Que fração do volume do cone de gelo fica submersa na água do mar? O valor dessa fração seria alterado se o cone fosse invertido? b) Se o mesmo experimento fosse realizado no alto de uma montanha.025 g/cm3. Um objeto esférico de massa 1. o fio passa por um conjunto de três polias que também sustentam um bloco de peso P. localizada na Via Láctea. mantendo o ar em seu interior a uma pressão Pint = 0. faça o que se pede:   a) Determine o valor da densidade desse líquido. por ρest e ρágua. Como mostra a figura. como indicado nas figuras a seguir.8 kg e densidade 4. frequentemente usada quando surgem os primeiros sinais de um grande problema. 06. qual o valor de N? 04.920 g/cm3 e a densidade da água do mar. Uma barra homogênea.0 N. b) Calcule o peso máximo que a placa poderia ter para que a ventosa ainda conseguisse sustentá-la. possui um planeta orbitando ao seu redor. Considere a densidade do gelo 0. Pelo Princípio de Arquimedes explica-se a expressão popular “isto é apenas a ponta do iceberg”. Considerando a aceleração da gravidade com módulo igual a g. 18 A escolha de quem pensa! . necessariamente. Se a ordem de grandeza da razão ρest/ρágua é 10N. em movimento circular uniforme (MCU) de raio R. A área de contato A entre o ar dentro da câmara e a placa é de 0. determine a forca de ação do pino O sobre a barra. Com este objetivo realizou-se um experimento. No experimento. ao ser completamente imerso em um líquido. b) Indique qual princípio físico teve que ser utilizado. de modo que as temperaturas do béquer e da solução mantenham-se constantes a 0 °C. 02. a) Calcule o módulo da força vertical de contato entre a placa e as paredes da câmara da ventosa. Considere que a Terra realiza um MCU ao redor do Sol de raio RTS e despreze a influência gravitacional de outros corpos do sistema solar. no qual uma solução de água do mar e gelo (água doce) é contida em um béquer de vidro. Descobre-se que uma estrela de massa igual a quatro vezes a massa do Sol. na resolução desse problema. A placa está suspensa na horizontal pela ventosa e ambas estão no ambiente à pressão atmosférica usual. igual a 1. o iceberg foi representado por um cone de gelo. a 0 °C. articulada no pino O. é mantida na posição horizontal por um fio fixado a uma distância x de O. sobre uma bacia com gelo. ao nível do mar.00 × 105 N/m2. a fração do volume submerso seria afetada pela variação da aceleração da gravidade e pela variação da pressão atmosférica? Justifique sua resposta. Uma ventosa comercial é constituída por uma câmara rígida que fica totalmente vedada em contato com uma placa. Quanto vale a razão R/RTS? 03. respectivamente. 05. A parede da câmara tem espessura desprezível.95 × 105 N/m2.SUPER II ESTÁTICA / GRAVITAÇÃO / HIDROSTÁTICA 01.0 g/cm3. Considere a massa do Sol igual a 2 × 1030 kg e as densidades da estrela de nêutrons e da água denotadas. Desprezando efeitos de atrito e o peso das polias. o peso da placa é 40 N e o sistema está em repouso. apresenta um peso aparente de 9. Uma estrela de nêutrons tem massa igual a quatro vezes a massa do Sol e volume esférico de raio 20 km. Patm = 1. conforme esquematizado na figura. O tempo necessário para que esse exoplaneta percorra uma circunferência completa ao redor da estrela é a metade de um ano terrestre.10 m2.

Observações astronômicas indicam que as velocidades de rotação das estrelas em torno de galáxias são incompatíveis com a distribuição de massa visível das galáxias.000 kg. A figura mostra. Aceleração da gravidade g = 10 m/s2. Em seguida. é denominada velocidade de escape. que uma galáxia de massa M vitacional FG = r2 exerce sobre uma estrela externa à galáxia. 09. em função de R. Admita que 55% do peso total do trator são exercidos sobre os pontos de contato dos pneus dianteiros com o solo (2) e o restante sobre os pontos de contato dos pneus traseiros com o solo (1). h = 4. com um orifício lateral muito estreito. 10. A menor velocidade inicial necessária para que uma partícula livre-se da ação do campo gravitacional de um corpo celeste. O valor da energia potencial. é preenchido com o líquido.0 × 105 N/m2. o raio de um buraco negro é menor que o raio R de um outro corpo celeste de mesma massa. isto é. Para se determinar a densidade de um líquido em um laboratório de pesquisa. o líquido escoa até atingir o equilíbrio a uma altura h.6 × 1020 m do centro da galáxia. ao liberar a abertura. x é a abscissa de seu centro de gravidade (CG). A escolha de quem pensa! A curva no gráfico a seguir mostra como a força gra( GmM) . A distância entre seus eixos. Inicialmente. para o qual a velocidade de escape de uma partícula corresponde à velocidade c da luz no vácuo. Ep. o tubo. ao ser lançada da superfície deste. de c e da constante G. Em qualquer instante. um trator florestal “derrubador – amontoador” de massa 13. conforme esboçado na figura. G é a constante de gravitação universal e r é a distância entre a partícula e o centro de massa do corpo celeste. A constante de gravitação G vale 6. Entre outras propriedades físicas. Adote g = 10 m/s2 e dê a resposta com dois algarismos significativos. Derive a 3ª Lei de Kepler do movimento planetário a partir da Lei da Gravitação Universal de Newton considerando órbitas circulares. Determine a densidade mínima de um buraco negro. o tubo é posicionado verticalmente com o orifício tampado. a) Determine a massa M da galáxia.5 m. na horizontal. Nesta situação. b) Calcule a velocidade de uma estrela em órbita circular a uma distância r = 1. foi utilizado um método que consiste de um tubo cilíndrico fechado nas extremidades. sugerindo que grande parte da matéria do Universo é escura.0 m GmM r Nessa expressão. de uma partícula de massa m sob a ação do campo gravitacional de um corpo celeste de massa M é dado pela seguinte expressão: 08. em relação ao ponto 1. é DE = 2. que impede a entrada de ar.0 × 1030 kg para a massa da estrela. traseiro e dianteiro. um líquido é identificado pela sua densidade. em geral. Buracos negros são corpos celestes. considerando-se m = 1. Determine a abscissa x do centro de gravidade desse trator. deve variar em função da distância r da estrela em relação ao centro da galáxia. O movimento de rotação das estrelas resulta da força de atração gravitacional que as galáxias exercem sobre elas. extremamente densos. Qual é a densidade do líquido? Ep = Dados: Pressão atmosférica: p0 = 1. em corte. 19 . A essa velocidade. a energia cinética inicial da partícula é igual ao valor de sua energia potencial gravitacional na superfície desse corpo celeste.SUPER II 07.7 × 10–11 m3 kg–1 s2. 11. matéria que não interage com a luz.

como mostra a figura. O trilho encontra-se em equilíbrio estático. 18. Uma haste de comprimento L e massa m uniformemente distribuída repousa sobre dois apoios localizados em suas extremidades.6 g/cm3. mantém elevado um peso P = 400 N. a) Determine as reações nas duas extremidades da haste. Sabendo que a área do êmbolo maior é 8 vezes a área menor. 17. b) a força que o gás aplica na superfície do mercúrio em A. o líquido manométrico utilizado foi o mercúrio. mantendo-o em equilíbrio. 13. e 'a' é a média entre a maior e a menor distância do planeta ao Sol. 15. A constante K é a mesma para todos os objetos em órbita em torno do Sol. em newtons. calcule   a) a pressão do gás. de comprimento e massa respectivamente iguais a 10 m e 350 kg. Um bloco de massa m uniformemente distribuída encontra-se sobre a barra em uma posição tal que a reação em uma das extremidades é o dobro da reação na outra extremidade. a partir do ponto P. cuja densidade é 13. Plutão foi reclassificado pela União Astronômica Internacional. Dado: 10 = 3. A velocidade da luz no vácuo é igual a 3.0 × 108 m/s. 20 A escolha de quem pensa! . próximo a um trilho de ferro AB. 16. A figura a seguir mostra um homem de massa igual a 100 kg. a) Sendo µe = 0. qual teria sido a altura da coluna de óleo? Justifique sua resposta. com o objetivo de medir a pressão interna de um botijão de gás contendo butano. No caso da Terra. b) Calcule a pressão da rolha sobre o bocal da garrafa. Considere o raio interno do bocal da garrafa igual a 0. com 60% do seu comprimento total apoiados sobre a laje de uma construção. a) Considerando-se as distâncias médias.6 g/cm3 e g = 10 m/s2. Despreze o peso da rolha.0 cm. a pressão do gás provoca um desnível de mercúrio no tubo. Estime a distância máxima que o homem pode se deslocar sobre o trilho. Considere a pressão atmosférica dada por 105 Pa.2 o coeficiente de atrito estático entre a rolha e o bocal da garrafa. atuando sobre o êmbolo menor de uma prensa hidráulica. Se tivesse sido utilizado como líquido manométrico um óleo com densidade de 0. encontre a força normal que a rolha exerce no bocal da garrafa.85 g/cm3. Considere a aceleração da gravidade com módulo igual a g. Em agosto de 2006. enquanto que para Plutão ap = 60 × 1011 m. conforme a figura. quanto tempo leva a luz do Sol para atingir a Terra? E para atingir Plutão? b) Quantos anos terrestres Plutão leva para dar uma volta em torno do Sol? Expresse o resultado de forma aproximada como um número inteiro. Uma pessoa. onde T é o tempo para um planeta completar uma volta em torno do Sol. o desnível h = 104 cm de Hg e a secção do tubo 2 cm2. Ao abrir o registro R. b) Determine a distância x entre o ponto em que o bloco foi posicionado e a extremidade em que a reação é maior. Adotando a massa específica do mercúrio igual a 13. Na reprodução da experiência de Torricelli em um determinado dia. como ilustrado na figura.SUPER II 12. tendo-se obtido uma coluna com altura igual a 70 cm.75 cm e o comprimento da rolha igual a 4. essa média é aT = 1. determine o valor de F. no sentido da extremidade B. em pascal. contendo mercúrio. 14.5 × 1011 m. A terceira Lei de Kepler diz que T2 = K a3. em Curitiba. conecta à válvula do botijão um manômetro em forma de U. a força mínima que deve ser aplicada para que a rolha de uma garrafa comece a sair é igual a 360 N. Uma força vertical de intensidade F. passando a ser considerado um planeta-anão.2. Ao se usar um saca-rolhas.

b) a aceleração que o cilindro adquire no instante em que o fio é cortado. como ilustra a figura a seguir. b) a velocidade linear do satélite. determine o valor da aceleração da gravidade g(p) a que uma pessoa estaria sujeita na superfície desse planeta.38 N e no outro prato um recipiente de peso desprezível. 09. 14. em m/s2. Uma balança de braços iguais tem em um dos pratos um peso de 0. Os astrônomos têm anunciado com frequência a descoberta de novos sistemas planetários. 21 . pois o empuxo seria o mesmo. cada gota com um volume de 2. b) a altura máxima atingida pelo corpo no experimento em Marte. a) a aceleração da gravidade. a partir do solo marciano. Se o cone fosse invertido. Um cilindro maciço de volume 1. b) Os fatores mencionados (variações da aceleração da gravidade e da pressão atmosférica) em nada afetam o experimento. T2 =  r .0 × 10–7 m3. Sabendo que o peso de uma pessoa é igual à força gravitacional exercida sobre ela.0 m/s2. resultando na mesma equação do item anterior. 21. a) 89. 06. Adote g = 10 m/s2 e da água = 1. 20. 3c 2 10. 2. Um quadro de massa m = 6. Dado: A aceleração da gravidade na superfície da Terra é 10 m/s2. ρ = . que fazem com a horizontal os ângulos q1 = 60° e q2 = 30°.600 km de altitude em relação à superfície terrestre. 23. 1. b) Príncípio de Arquimedes.0 L e densidade 0. determine: 03. P(x − y) .SUPER II 19. a altura atingida foi 12.  GM  08. b) 8 × 104 m/s. Gabarito 01. utilizando o mesmo corpo e a mesma velocidade de lançamento. a) a aceleração da gravidade na superfície de Marte. 24. Adotando o raio de Marte igual à metade do raio da Terra e sua massa dez vezes menor que a da Terra. mostrando que a da fração imersa do volume depende apenas das densidades do gelo e da água que não se alteram com os fatores mencionados.60 kg/L é preso por um fio ao fundo de um tanque com água. F0 = 02. b) 256 anos. 12. 1. a) 4mg/3. Para demonstrar que a aceleração da gravidade na superfície de Marte é menor do que na superfície terrestre. A aceleração da gravidade na superfície de um planeta de raio R e GM massa M é dada por g = 2 . 13. para que os pratos da balança fiquem nivelados. Determine: a) a intensidade da força de tração no fio. conforme a figura. As comunicações entre o transatlântico e a Terra são realizadas por meio de satélites que se encontram em órbitas geoestacionárias a 29.0 × 103 kg/m3 e g = 10 m/s2.0 kg/L. calcule as trações nos fios 1 e 2. 8πGR2 11. determine o tempo necessário. onde g = 10.0 kg se encontra em equilíbrio pendurado ao teto pelos fios 1 e 2. sendo G a constante de R A escolha de quem pensa! 05. Observações preliminares em um desses sistemas constataram a existência de um planeta com massa 50 vezes maior que a massa da Terra e com diâmetro 5 vezes maior que o da Terra. gravitação universal. a) 2 g/cm3. 4(x + y) Para essa altitude. em segundos.5 × 1040 Kg. Adotando g = 10 m/s2. 04.4 m. A justificativa está na própria expressão dg encontrada no item anterior: f = . b) L/6.8 %. um jipe-robô lança um pequeno corpo verticalmente para cima. Em experimento idêntico na Terra. desprezando a atmosfera e a rotação dos planetas. a) 5 × 102 s e 2 × 104 s. Sobre o recipiente existe uma torneira pingando 2 gotas de água por segundo. 2mg/3. essa fração continuaria a mesma.0 m. calcule. a) 1. 22. b) 50 N. Considerando a densidade da água 1.  4 π2  3 07. a) 460 N.5 g/cm3.

21. 22.SUPER II 14. 20. 15. b) 6. 24.3 m/s2. 95 s.2 m. b) 2500 m/s. b) 48 N. a) 4 N.4 × 105 Pa.8 kN. 19. 20 m/s2.5 m. b) 1 × 106 Pa. 11. 30 3 N e 30 N. b) 30 m. 17. 3. a) 1. 50 N. 18. a) g = 0. 16.0 m/s2. 23. a) 4. 22 A escolha de quem pensa! .7 m/s2. a) 2.

direção vertical e sentido para baixo). os raios não ocorrem a todo momento. O processo de eletrização por atrito. onde o campo elétrico é nulo.0 × 10–15 C. entre as cargas.SUPER II Física 2 ELETROSTÁTICA Exercícios de Sala 01. Despreze quaisquer efeitos de dissipação de energia (resistência do ar. a manifestação mais clara desse acúmulo de cargas é a existência de raios. responda: a) Sabe-se que a rigidez dielétrica do ar numa certa região vale 3. FB 02. Nos condutores.0 × 103 N/C de intensidade. no caso de ser colocada uma partícula de carga q3 = –1 × 10–5 C e massa m3 = 1. como ilustra a figura A. essa grandeza tem valores muito menores que nos isolantes. como o ar atmosférico é um material isolante. com um campo elétrico pouco intenso é possível produzir movimento de cargas num condutor. Qual é a carga máxima que pode ser armazenada por um condutor esférico com raio de 30 cm colocado nessa região? b) Supondo que o potencial elétrico a uma distância muito grande do condutor seja nulo. é lançada em um campo elétrico uniforme de 2. o módulo da força eletrostática resultante sobre a carga qo vale FB. Determine o módulo do campo elétrico para o qual a partícula apresenta o máximo alcance ao longo da linha horizontal localizada na altura em que ela deixa a região do campo elétrico. nesse caso. 03.). A escolha de quem pensa! Sabendo que q1 encontra-se na origem do sistema de coordenadas e considerando k = 9 × 109 Nm2/C2. Duas cargas. A aceleração da gravidade local é (de módulo g. enquanto num isolante o campo necessário deve ser muito mais intenso. quanto vale o potencial elétrico produzido por esse condutor esférico na sua superfície quando ele tem a carga máxima determinada no item anterior? 1 . Nessa situação. sejam isolantes ou condutores. na qual existe um campo elétrico vertical E (constante). etc. Considerando essas informações.0 kg. Nessa situação. Uma partícula eletrizada positivamente. Duas partículas de cargas q1 = 4 × 10–5 C e q2 = 1 × 10–5 C estão alinhadas no eixo x sendo a separação entre elas de 6 m. como ilustra a figura B. Entretanto. e essa é uma característica que os diferencia. penetra numa região de comprimento L (paralelo à velocidade inicial da  partícula). com velocidade horizontal ν (módulo v). em parte. A carga qo é então afastada dessa posição ao longo da mediatriz entre as duas outras até atingir o ponto P. c) o módulo. ou triboeletrização. Agora. Calcule a razão FA . q e –q são mantidas fixas a uma distância d uma da outra. É importante notar que não apenas o ar. no ponto do meio da distância entre q1 e q2 04. Uma partícula de massa  m e carga positiva q. as três cargas estão nos vértices de um triângulo equilátero. a) Qual a intensidade da força que atua sobre a partícula no interior do campo elétrico? b) Qual a variação da energia potencial da partícula entre os pontos A e B? 05. que são descargas elétricas extremamente perigosas. a força elétrica tem módulo maior que a força peso. Na região onde o campo elétrico é não-nulo (entre as linhas verticais tracejadas na figura abaixo). conforme a figura a seguir. possuem rigidez dielétrica. Para que ocorram. mas todos os materiais. a direção e o sentido da aceleração. determine: a) a posição x. descrevendo o movimento representado na figura. onde é fixada. Uma terceira carga qo é colocada no ponto médio entre as duas primeiras. Assim. b) o potencial eletrostático no ponto x = 3 m. é responsável. o valor do campo elétrico produzido no ar por um objeto carregado deve ter uma intensidade maior do que um certo valor crítico chamado rigidez dielétrica. em geral. pelo acúmulo de cargas nas nuvens e. o módulo da força eletrostática resultante sobre a carga qo vale FA. atrito. com carga 3.0 × 106 N/C.

na sequência indicada: 2 a) Explique o fenômeno físico ocorrido com a fita metálica. M1 é afastada até retornar à sua posição inicial. M2 = zero. em seguida. M2 = . tem raio igual a R e está eletrizado com carga Q. II e III estão corretas. Na hora da demonstração. M3 = 2 4 4 Q Q Q M1 = . Um aluno montou um eletroscópio para a Feira de Ciências da escola. A esfera M1 é aproximada de M2 até que ambas fiquem em contato elétrico. representado pela figura a seguir. A escolha de quem pensa! . 03. Analise as afirmações que se seguem: I. M2 e M3. de mesmo diâmetro e montadas em suportes isolantes. Sob ação da gravidade e do campo elétrico. Inicialmente M1 e M3 têm cargas iguais. onde existe um campo elétrico uniforme E. O aluno observou. com valor Q. com massa m. Uma outra barra isolante é fixada perpendicularmente à primeira no ponto médio entre essas duas cargas. b) O aluno. o potencial elétrico é dado por R IV. é abandonada a partir do repouso no interior do capacitor. e M‚ está descarregada. onde g é a aceleração da gravidade. Duas cargas +q estão fixas sobre uma barra isolante e distam entre si uma distância 2d. M3 é afastada até retornar à sua posição inicial. No ponto C. M2 = . observando um ângulo de abertura a2. como mostra a figura a seguir. a) b) c) d) e) Q = 0. O sistema é colocado de modo que esta última haste fica apontada para cima. como ilustrado na figura. M2 = 3 .2 m/gE. Três esferas metálicas. então.2 g. V II. Q = 1. A seguir.2 E/mg. III e IV estão corretas. tornou a atritar o cano com a flanela e o reaproximou do eletroscópio sem encostar nele. Um condutor esférico em equilíbrio eletrostático. Uma terceira pequena esfera de massa m e carga +3q furada é atravessada pela haste vertical de maneira a poder deslizar sem atrito ao longo desta. conforme ilustrado na figura a seguir. estão bem afastadas entre si e longe de outros objetos. A seguir. e em seguida encostou-o na tampa metálica e retirou-o. M3 = 3 2 4 4 M1 = Q. A distância de equilíbrio da massa m ao longo do eixo vertical é z.2 mg/E. O valor absoluto (módulo) da carga pode ser calculado através da expressão Após essas duas operações.8 mg/E.SUPER II 06. Exercícios de Casa 01. Q = 1. M1. Q = 1. M3 = 3 2 4 4 Q Q M1 = 2 . No ponto A. o campo elétrico e o potencial elétrico são nulos. tem-se V EC = C 2R É correto afirmar que apenas as(a) afirmações(ão) a) b) c) d) e) I e III estão corretas. I. Compare a1 e a2. as cargas nas esferas serão cerca de Q Q Q . um ângulo de abertura a1 na folha de alumínio. justificando sua resposta. IV está correta. Q = 0. II e IV estão corretas. a gota inicia um movimento de queda com aceleração 0.8 E/mg. Na superfície da esfera EB = B R KQ III. M2 = 2 . 07. II. M3 = 2 Q 3 3 3 Q Q Q M1 = 3 . A gota de óleo. São realizadas duas operações. No ponto C distante do ponto A de 2R. deixando-o eletrizado positivamente. M3 = Q a) M1 = b) c) d) e) 02. A esfera M3 é aproximada de M2 até que ambas fiquem em contato elétrico. Um dispositivo para medir a carga elétrica de uma gota de óleo é constituído de um capacitor polarizado no interior de um recipiente convenientemente vedado. o aluno atritou um pedaço de cano plástico com uma flanela.

Seis cargas elétricas puntiformes se encontram no vácuo fixas nos vértices de um hexágono regular de lado . o valor de q para equilibrar a massa m é dado por a) b) c) d) b) m ⋅ g ⋅ d1 (F ⋅ d ) m ⋅ g ⋅ L ⋅ d1 c) m ⋅ g ⋅ d12 a) (F ⋅ d ) 2 (F ⋅ d ) 2 2 d) m ⋅ g ⋅ d F ⋅ d12 ( ) (F ⋅ d ) 2 e) (m ⋅ g ⋅ d ) 2 1 06.m2/C2 L = 3. d1. no vácuo. e seus sinais estão indicados na figura. situada a uma certa distância de outra carga. Considere uma balança de braços desiguais. O campo elétrico no interior de um capacitor de placas U paralelas é uniforme. a) Determine a relação entre U. Duas partículas têm massas iguais a m e cargas iguais a Q.0 × 101 cm. onde g é a aceleração gravitacional e k a constante eletrostática. g e k.SUPER II Com base nessas informações. g. Devido a sua interação eletrostática. D. |Q| = 5. A expressão para a massa m será dada por: a) m = b) m = c) m = 2 kq z (d2 + z2 )3 / 2 6kq2z g(d2 + z 2 )3 / 2 2 6kq z g(d2 + z 2 )2 6kq2z d) m = g(d2 + z 2 )3 04. No lado direito encontra-se uma massa m sobre um prato de massa desprezível. estas partículas são penduradas. elas sofrem uma força F quando estão separadas de uma distância d. por fios de comprimento L e ficam equilibradas quando a distância entre elas é d1. A figura representa uma gota de óleo. conforme mostra a figura. Dados: Constante eletrostática do vácuo = k0 = 9. M. entre as placas horizontais do capacitor. Em seguida. de massa M e carga positiva Q. A cotangente do ângulo α que cada fio forma com a vertical. D b) Reduzindo a distância entre as placas para e 3 aplicando uma diferença de potencial U1. dado pela fórmula E = . verificase que a gota adquire uma aceleração para cima. a partir de um mesmo ponto. z. o valor da massa m em questão pode ser escrito em função de d. Q e g (aceleração da gravidade). As cargas têm o mesmo módulo. A gota encontra-se em equilíbrio sob ação das forças gravitacional e elétrica.0 × 109 N.0 × 10–5 C 05. q. em função de m. |Q|. onde U é D a diferença de potencial entre as placas e D a distância entre elas. d. No lado esquerdo encontra-se pendurada uma carga de magnitude Q e massa desprezível. de módulo igual ao da aceleração da gravidade (g). de comprimentos 1 e 2. é A escolha de quem pensa! 3 . U Qual a razão 1 ? U –mg 2 d2 (k 0Q1) –8mg 2d2 (k 0Q 1) –2mg 2d2 ( 3 k 0 Q 1 ) –8mg 2d2 (3 3 k 0Q 1) –4mg 2d2 e) (3k 0Q 1) 07. F e L. Considerando as cargas como puntuais e desprezível a massa do prato da direita.

0 m/s atravessando uma região de comprimento L = 8. pontual de módulo 2q. de B para E. Um corpúsculo tem carga elétrica q = –5. com um anteparo rígido. 3 3 Q 3Q e) . 13. 08. Depois de atingido o equilíbrio eletrostático. de E para B. Uma partícula de massa 1 g. gerado por essas cargas no terceiro vértice? 14. Essa partícula adquire movimento e se choca em B. de valor Q = 110 µC. as esferas são separadas. Considere uma gota típica com massa m = 1. Nas impressoras jato de tinta. a) Qual é o sinal da carga q? b) Qual é o valor do ângulo q no equilíbrio? 4 11. 5. Sabendo-se que o potencial elétrico do ponto B é de 100 V. Dado: K = 9 × 109 N .0 × 106 N/C. é abandonada do repouso no ponto A de um campo elétrico uniforme. em dois vértices de um triângulo equilátero de 3 m de lado.5 × 106 N/C e um campo gravitacional g = 10 m/s2. caso não haja qualquer outra ação sobre ele. 1. de A para D. no ar. no qual o potencial elétrico é 300 V.0 g e encontra-se próximo à Terra. Q Q 2Q d) . colocada no ponto de encontro das diagonais da caixa cúbica é a) b) c) d) e) 4kq2 3 2 8kq2 3 2 16kq2 3 2 8kq2 2 4kq2 2 09. Sendo k a constante eletrostática do meio. respectivamente. 5. a velocidade dessa partícula ao se chocar com o obstáculo é de A escolha de quem pensa! .0 × 107 N/C. O controle da trajetória é feito escolhendo-se convenientemente a carga de cada gota.0 × 10–3 m onde há um campo elétrico E = 1. o módulo da força elétrica que atua sobre uma carga. O campo deflete as gotas conforme a figura. b) Calcule a componente vertical da velocidade da gota após atravessar a região com campo elétrico. a) Determine a razão FE entre os módulos da força FP elétrica e da força peso que atuam sobre a gota de tinta.0 × 107 N/C. Faz-se o contato da esfera A com outra esfera B de raio 3R. carga elétrica q = –2. forem colocadas duas cargas iguais a essa. m2/C2. de B para E. de E para B. As novas cargas elétricas das esferas A e B valem. Em cada um dos vértices de uma caixa cúbica de aresta l foram fixadas cargas elétricas de módulo q cujos sinais estão indicados na figura. 2 2 c) neutra.SUPER II No centro do hexágono.0 × 10–13 C.0 × 106 N/C. O ponto no qual as gotas atingem o papel é determinado eletrostaticamente. Considere uma esfera de massa m e carga q pendurada no teto e sob a ação da gravidade e do campo elétrico E como indicado na figura. As gotas são inicialmente formadas e depois carregadas eletricamente. elas são lançadas com velocidade constante v em uma região onde existe um campo elétrico uniforme entre duas pequenas placas metálicas. 4 4 10. respectivamente: a) Q. que se encontra inicialmente neutra. em volts. Determine a distância d entre Q e q para que isso ocorra. qual o potencial.0 µC. Deve-se colocá-lo acima de uma outra carga puntiforme. eletrizada com carga elétrica positiva de 40 µC. velocidade horizontal v = 6. o módulo e o sentido do vetor campo elétrico resultante são. a) b) c) d) e) 5.0 × 106 N/C. neutra Q Q b) . 1. os caracteres são feitos a partir de minúsculas gotas de tinta que são arremessadas contra a folha de papel. Se. massa m = 1. 12. Em seguida. O potencial a uma distância de 3 m de uma dada carga elétrica é 40 V. de forma que o corpúsculo permaneça em repouso. Uma esfera condutora A e raio R está eletrizada com carga elétrica positiva igual a Q.0 × 10–10 kg.

Gabarito 01. e 05. determine essa distância. q1 = 2.0 × 107 m/s e v2 = 2. e a folha se abriu com ângulo α1. e 10. 12. a) 300 b) 4 m/s . Em um determinado instante.002 m A escolha de quem pensa! 5 . a) – arc tg e ⋅ q b) θ = m⋅g 11.0 × 10–4 C. b 02. b) eletrização por indução e a fita de alumínio abriu mais ainda.0 × 107 m/s. A 15. Duas partículas com carga de mesmo sinal. e 08. 03. c 09. Considerando que a distância entre as partículas será mínima no instante em que as suas velocidades tiverem mesmo módulo. c MgD Q U1 2 b) = U 3 06. pois mais cargas positivas foram induzidas nela e α2 ficou maior que α1.0 × 10–10 kg movimentam-se uma em direção à outra.0 × 10–4 C e q2 = 4. a) eletrização por contato e a fita de alumínio ficou eletrizada com carga positiva.0 × 10–10 kg e m2 = 1. 0. 80 V 14. suas velocidades têm módulos v1 = 8. a) U = 07. quando a separação entre as partículas é r0 = 0.03 m.SUPER II a) b) c) d) e) 4 m/s 5 m/s 6 m/s 7 m/s 8 m/s 15. b 04. e massas iguais a m1 = 2. 551 13.

50 No inverno. No circuito da figura têm-se as resistências R. um aquecedor elétrico é utilizado para elevar a temperatura de 120 litros de água em 30 °C. e as fontes V1 e V2. Um barco de pesca era o mais iluminado do porto ELETRODINÂMICA Exercícios de Sala 01.g–1°C–1 1 cal = 4.6 × 10–19 C) Em cada cabresto. a) Usando o relógio e a régua graduada em centímetros da figura a seguir. a corrente elétrica que atravessava uma lâmpada do circuito é.0 cal. conectando os extremos dessas ligações à bateria de 12 V da embarcação.5 8 Geladeira 1 0.SUPER II 04.0 min. diariamente. aterradas. o número de elétrons que atravessam o peito do ser humano vale: (carga do elétron= 1. A corrente de 0.64 × 103 C. A corrente i é: 03.35 12 Lâmpada 10 0. Quando acesas todas essas lâmpadas.4 Ah = 8. quando nova.10 6 a) b) Considere os seguintes valores: • • • • densidade absoluta da água: 1.0 g/cm3 calor específico da água: 1. Durante 30 dias do inverno. Qual é a corrente elétrica média fornecida pela pilha? 02. em reais. é cerca de: 6 c) d) e) ( VR 1 2 − V2R1 ) (R1R2 + RR2 + RR1) ( VR 1 1 + V2R 2 ) (R1R2 + RR2 + RR1) ( VR 1 1 − V2R 2 ) (R1R2 + RR2 + RR1) ( VR 1 2 + V2R1 ) (R1R2 + RR2 + RR1) ( V2R1 − VR 1 2) (R1R2 + RR2 + RR1) A escolha de quem pensa! . aproximadamente.3 A que atravessa o peito pode produzir fibrilação (contrações excessivamente rápidas das fibrilas musculares) no coração de um ser humano. 05. Considerando que a corrente dure 2. Supondo que o fio utilizado nas conexões tenha resistência elétrica desprezível. tem a capacidade de fornecer uma carga q = 2. o relógio usa uma pilha que. Dispositivo Quantidade Potência Tempo efetivo de uso diário (h) Ar-condicionado 2 1. uma potência de 100 W era requisitada da bateria. todas idênticas e ligadas em série. segundo a configuração esquematizada. A tabela abaixo mostra a quantidade de alguns dispositivos elétricos de uma casa. a potência consumida por cada um deles e o tempo efetivo de uso diário no verão. perturbando o ritmo dos batimentos cardíacos com efeitos possivelmente fatais. R1 e R2. o gasto total com este dispositivo. o pescador distribuiu 5 lâmpadas. e muitas vezes podemos fazer medidas de grandezas físicas usando instrumentos extremamente simples. Considere π = 3 b) Para o seu funcionamento. Observa-se que o relógio funciona durante 400 dias até que a pilha fique completamente descarregada.2 J custo de 1 kWh = R$ 0. determine o módulo da velocidade que a extremidade do ponteiro dos segundos (o mais fino) possui no seu movimento circular uniforme. A experimentação é parte essencial do método científico.

a resistência mínima que o ar deve ter para que a descarga não mate essa pessoa. caso exista. A resistência interna do gerador é de 2 Ω. quando funcionando dentro de suas especificações? a) Considere uma associação em série desses dois resistores. Se a tensão no resistor R1 for igual a 4 V. Despreze a parte fracionária de seu resultado. 8. através do seu pé. Os gráficos na figura a seguir mostram o comportamento da corrente em dois resistores. O que acontecerá com o brilho da lâmpada em relação ao seu brilho normal. um par é criado. e) Quando a corrente é de 10 A. em função da tensão aplicada. determine a) o número N de elétrons livres produzidos na câmara C a cada segundo. vale: a) b) c) d) e) 1. cada uma com energia cinética igual a 4. Exercícios de Casa 01.000 Ω e que uma corrente de 300 mA causará a sua morte. NOTE / ADOTE 1. b) a diferença de potencial V entre os pontos A e B da figura. pelo corpo da pessoa e. são formados íons positivos e igual número de elétrons livres que se dirigem. sendo a resistência R = 5 × 102 Ω. que pode ser atravessada por partículas. Considerando que apenas essas partículas criam os pares elétron-íon. Em uma de suas extremidades. qual será o valor da tensão de R2? b) Considere. sendo que para cada 30eV de energia perdida por uma partícula alfa. há uma película J. ligada a uma bateria. elétron-volt (eV) é uma unidade de energia. R1 e R2. Se a corrente que passa pelo resistor R1 for igual a 0. a cada segundo. em kΩ.0. atingirá o solo. de parede cilíndrica de material condutor. Neste processo. penetram em C. há um fio condutor F mantido em potencial positivo em relação à terra. no percurso da corrente elétrica. ligada a uma bateria.0. O gerador pode estar ligado a um circuito constituído por resistores cuja resistência equivalente vale 2 Ω. Analise a situação em que um número n = 2 × 104 partículas alfa. Suponha que uma pessoa em Brasília.0. 2. de pequena espessura.6 × 10−19C 2.5 MeV. 08. ligada à terra. No instante em que a mão estiver suficientemente próxima ao carro. a) b) c) d) A força eletromotriz do gerador é 20 V. 3. O cilindro está preenchido com um gás de tal forma que partículas alfa. 02. é de 2.000 V com relação ao solo.30 A. Assinale-a: 03.SUPER II 06. Coincidente com o eixo da câmara. aproxime sua mão de uma carro cuja carroceria apresenta uma diferença de potencial de 10. A carga de um elétron é e = –1. a intensidade da corrente que os percorre. na época da seca.0. respectivamente. colidem com moléculas do gás podendo arrancar elétrons das mesmas. Dentre as alternativas existe uma que não é verdadeira.0. qual será o valor da corrente por R2? 07. A corrente de curto circuito no gerador é de 10 A. para C e para F. Associando os três elementos em série. O número de pares elétron-íon formados é proporcional à energia depositada na câmara pelas partículas alfa. Sabendo que a resistência do corpo da pessoa. a potência útil é máxima. 5. calcule. A escolha de quem pensa! A figura representa uma câmara fechada C. fechando um circuito. uma associação em paralelo desses dois resistores. que penetram em C. em ampère. 1 MeV = 106 eV 7 . através de J. 3. Nos geradores do circuito abaixo estão indicados suas forces eletromotrizes e sua resistências internas. O sistema encontra-se associado a uma lâmpada de especificações 18 V – 6 W. O gráfico mostra a potência lançada por um gerador em um circuito elétrico. e lá perdem toda a sua energia cinética. fluirá uma corrente que passará pelo ar. agora.

Duas lâmpadas. 2 V R. Aplicando entre os pontos A e B uma diferença de potencial V. Considere o circuito esquematizado a seguir constituído por três baterias. Associações de resistores ocorrem em praticamente todos eletrodomésticos. Ao ligarmos cada lâmpada a uma tensão de 220 V. Considerando que a resistividade elétrica do cobre é ρ = 1. são idênticas. em amperes. 60 V. a) R=9Ω b) 06. pois tem maior resistência.SUPER II 04.0 3. L1 e L2. 6.0 e 1. como mostra a figura a seguir. 4 V.6 V. V . observaremos que: a) b) c) d) e) L1 e L2 terão o mesmo brilho. Para cada associação de resistores abaixo determine a Resistência Equivalente. 05. Os valores característicos de cada elemento estão indicados no esquema. 8 d) e) A escolha de quem pensa! .0 mm2 cada um. R V 2 .0 e 2. pois tem menor resistência. 3. pois tem menor resistência. exceto por uma diferença: a lâmpada L1. L1 brilhará mais.6 × 10−8 Ω.0 2.E. pois tem maior resistência. L1 brilhará mais. b) Se a potência fornecida à residência for de 3.3 A. interligados por fios perfeitamente condutores. R V . 6 V.0 3. calcule a potência dissipada P nesse trecho do circuito. L1 brilhará mais. A linha de transmissão que leva energia elétrica da caixa de relógio até uma residência consiste de dois fios de cobre com 10. além de algumas vezes contar com curto-circuito. 4 a) 4 b) c) As indicações do amperímetro conforme a chave estiver ligada em (1) ou em (2) será. um resistor ôhmico. O circuito representado é formado pelo gerador de F. respectivamente.0 e 1. 2 A. resistência interna 1 Ω e por resistores. elas podem se apresentar em série. Considere um circuito formado por 4 resistores iguais.0 e 3.M. 09. 2 A. a) b) c) d) e) 1.0 m de comprimento e secção reta com área 4. um amperímetro ideal e uma chave comutadora.0 e 3. 2 V. paralela e mista.0 08. A corrente no resistor de 9 Ω e a diferença de potencial entre os pontos A e B são respectivamente: c) R=6Ω d) a) b) c) d) e) 4 A.0 1.300 W a uma tensão de 110 V. L1 brilhará mais. 4 A.m. a) Calcule a resistência elétrica r de cada fio desse trecho do circuito. Cada resistor tem resistência R e ocupa uma das arestas de um cubo. R V R. 8 V. tem um filamento mais espesso que a lâmpada L2. a corrente que circulará entre A e B valerá: 07.

Um sistema de alimentação de energia de um resistor R = 20 Ω é formado por duas baterias. diminuindo em 5 minutos o uso diário de cada chuveiro. que percorre o resistor R. a) O valor da corrente I1. o consumo de energia da geladeira é menor do que o consumo total dos dois televisores. O quadro abaixo apresenta os equipamentos elétricos de maior utilização em uma certa residência e os respectivos tempos médios de uso/funcionamento diário. A bateria B1 fornece energia ao resistor. Água morna – resistência baixa. modifica-se o valor da resistência elétrica do chuveiro. em amperes. interrompendo o circuito. em C. Inicialmente. se o kWh custa R$ 0. (04) É possível economizar 32.20. este teria que suportar correntes até 40 A. NOTE E ADOTE 11.200 W 20 min 01 secador de cabelo 1200W 10min 01 geladeira 600W 3h Quantidade Equipamento 04 03 04 03 9 . para repor toda a energia química que a bateria B1 perdeu. em cada aresta há uma resistência R. “morna” e “quente”.SUPER II 10. Indique a correspondência verdadeira. Para proteção da instalação elétrica da residência. com fem 1 = 12 V e r1 = 2 W fem 2 = 36 e r2 = 4 W 14. Água fria – resistência média. durante um intervalo de tempo T. Potência Tempo médio de uso ou funcionamento diário Energia diária consumida lâmpada 25 W 2h 200 Wh lâmpada 40 W 5h lâmpada 60 W 3h lâmpada 100 W 4h 02 televisor 80 W 8h 02 chuveiro elétrico 6. A “chave” de um chuveiro elétrico pode ser colocada nas posições “fria”. estando ligados em uma mesma rede e com um único disjuntor. Todos os equipamentos estão ligados em uma única rede elétrica alimentada com a voltagem de 220 V. Assinale a(s) proposição(ões) corretas(s): (01) Somente os dois chuveiros elétricos consomem 195 kWh em trinta dias. é R$ 16.5 kWh em trinta dias. durante o tempo em que a chave CH1 permanece fechada. como representado na figura 1. Em seguida. Quando se muda a chave de posição. determine: A escolha de quem pensa! As baterias podem ser representadas pelos modelos da figura 2. (32) Em 30 dias. a) b) c) d) Água morna – resistência média. quando a corrente ultrapassa um certo valor. Para que essa lâmpada tenha o mesmo desempenho quando for ligada em 240 V. o consumo total de energia elétrica em 30 dias é igual a 396 kWh. fornecida pela bateria B1. ela está ligada a um disjuntor. B 1 e B 2.32. c) O intervalo de tempo T.500 W 30 min 01 máquina de lavar 300 W 1h 01 ferro elétrico 1. durante o tempo em que a chave Ch1 permanece fechada. 12. com as chaves Ch1 e Ch2. Determinar a resistência equivalente entre A e B. (16) Em trinta dias. No cubo figurado. (02) Considerando os equipamentos relacionados. despesa correspondente apenas ao consumo das lâmpadas. é necessário usá-la associada em série com um resistor. Uma lâmpada incandescente tem as seguintes especificações: 100 W e 120 V. com a chave Ch1 fechada (e Ch2 aberta). a potência dissipada nesse resistor adicional será de: a) b) c) d) 50 W 100 W 120 W 127 W 13. Considerando-se essa montagem. Água quente – resistência alta. o consumo de energia das lâmpadas é menor do que o consumo da geladeira. por unidade de equipamento. enquanto a bateria B2 tem a função de recarregar a bateria B1. (08) Se os dois chuveiros forem usados simultaneamente. b) A carga Q. (64) Em 30 dias. em que a chave Ch2 permanece fechada. uma chave que abre. isto é. em s. a bateria B1 fornece corrente ao resistor durante 100 s. a chave Ch2 fica fechada (e Ch1 aberta). interligadas através de fios. Em relação a essa operação.

a) 0. Quando a chave S está aberta. a) O número de partículas a que penetram em C é.F. enquanto que com a chave S fechada.V. assinale as alternativas corretas.F. valor: εT = n × εα = 9 × 1010 eV Logo: 30 eV _______ 1 par 9 × 1010 eV ___ x.F.F. Gabarito 01. (64) A diferença de potencial entre os pontos A e B não é afetada pelo fato da chave S estar aberta ou fechada.F (02) A força eletromotriz da bateria é de 6. b) A corrente elétrica. 15 kA 03.024 V 04.875 kW. (16) Com a chave S aberta.V.V. (08) Com a chave S fechada. no qual o amperímetro deve ser considerado ideal e onde R é a resistência da bateria. F.55 b) 55 C c) 13. a 10. i.25 V e a sua resistência interna é de 7. c 09.F.5 ohms. então.04W b) 72 W 05. Portanto: N = 3 . no resistor é: i = N × |e| / ∆t = 3 × 109 × 1. por isso. V. d 07. 11. 31 02. (01) A energia térmica dissipada através da resistência interna durante 2 horas vale 13. a diferença de potencial entre os terminais do medidor é de 1. iAB i Portanto: UAB = 5 × 107 × 4. b 13.20 A. a) 8 V b) 0.6 × 10–19 / 1 = 48 × 10–10 A U Sendo R = . deduzimos que UAB = RAB .50 A.F.SUPER II 15.V. (32) A taxa de transformação de energia elétrica em energia térmica na resistência R é de 1. (04) A resistência interna da bateria é de 6. a) 0.5 kJ.25 ohms. Mostre-se abaixo um circuito elétrico de corrente contínua. de acordo com o enunciado: n = 2 × 104 A energia associada a cada partícula é: εα = 4.25 V.15 A.F 15.25 V.75 s 14. a 12. e 06. a leitura do amperímetro é 0. Com relação a tal circuito. a leitura é 0. 5 R 6 10 A escolha de quem pensa! . 109 elétrons livres. b 08. a diferença de potencial entre os terminais do medidor é de 1.8 × 10–10 = 0. x = 3 × 109 pares.5 × 106 eV A energia total transferida as moléculas do gás contido em C tem.

0 × 104 m/s. mas em sentido oposto. Íons positivos. ao atuar sobre uma partícula positiva de massa igual a 1. com velocidade igual a 3. condutoras de eletricidade. A escolha de quem pensa! b) c) 05. penetram na primeira parte e. A partícula volta a aproximar-se dessa reta. paralelo a esta folha de papel. onde os íons de massa m e carga q tem uma trajetória circular com raio R. apenas partículas com velocidade ν. por exemplo. de modo que podemos supor somente as forças elétrica e magnética agindo sobre a partícula na região. Considere que esse campo magnético. Considerando como dados E.  A partícula entra na região com velocidade inicial ν0 .0 A as molas retornam ao estado natural. utiliza-se o aparato ilustrado na figura.7 × 10–27 kg e carga igual a 1. com velocidade nula. calcule a distância d. e também  um campo magnético B1. q e m. há um campo elétrico E. Nessas condições.  F . devido ao par de fendas F1 e F2. B. faça com que a partícula se movimente em uma trajetória que. A figura a seguir mostra o esquema de um instrumento (espectrômetro de massa). como. O princípio básico dessa tecnologia consiste no movimento de partículas eletricamente carregadas submetidas a um campo magnético perpendicular à sua trajetória. Despreze os efeitos da corrente e do campo sobre as molas. perpendiculares entre si e de módulos respectivos E e B. provenientes de uma fonte. B1. constituído de duas partes. 11 . perpendicular a esta folha. constantes.0 mm. percorrido por corrente elétrica e imerso no interior de um campo magnético uniforme. atingem a segunda parte do equipamento.há um campo magnético.6 T. B2 e R. Na segunda.SUPER II ELETROMAGNETISMO Exercícios de Sala 01. Uma tecnologia capaz de fornecer altas energias para partículas elementares pode ser encontrada nos aceleradores de partículas. de modo que sua trajetória é uma curva plana como ilustra a figura a seguir. 04. capaz de gerar uma força magnética. as molas.0 N/m. uma distância máxima d da reta suporte da  velocidade inicial ν0 . Dado que o campo magnético é perpendicular ao plano da figura. pode ser considerada circular e uniforme. determine a sua magnitude e o seu sentido. Quando a tensão elétrica está desligada as molas apresentam deformação de 2. Para medir a intensidade de um campo magnético uniforme. O peso da partícula é totalmente desprezível comparado à força elétrica. Um cíclotron foi construído de  maneira a utilizar um campo magnético uniforme. Represente a força magnética que age sobre cada condutor retilíneo. nos cíclotrons. de E módulo vo = 2 e direção perpendicular aos campos B elétrico e magnético.  B2 de mesma direção que B1. e desvia-se até atingir. a cada volta. têm constante elástica 5. o raio dessa trajetória circular seria aproximadamente 03. O fio condutor tem comprimento 2.  Na primeira parte. Uma partícula de massa m e carga elétrica positiva q entra em uma região na qual existem um campo elétrico e um campo magnético. Com a tensão ajustada para produzir uma corrente de 1. nos casos: a)  a) Obtenha a expressão do módulo da velocidade ν  em função de E e de B1.5 cm. de módulo constante igual a 1.6 × 10–19 C. sempre perpendicular à velocidade da partícula. b) Determine a razão m/q dos íons em função dos parâmetros E. na direção  perpendicular aos vetores E e B1. apontando para baixo. ambos uniformes. B. 02. entrando nela.

surge   magnética Fm . em cada caso. gerando uma diferença de potencial entre as extremidades da barra.0 × 10–3 V entre as extremidades da barra. na qual i e a corrente que circula na bobina.0 mm . Considere uma barra metálica descarregada. próximo à superfície da Terra. o valor do componente vertical do campo de indução magnética terrestre nesse local é de a) b) c) d) e) 12 6. b) Os supercondutores também apresentam potencial de aplicação em levitação magnética. Em 2011 comemoram-se os 100 anos da descoberta da supercondutividade.000 espiras. o sentido da corrente elétrica induzida: a) O solenoide aproxima-se da espira que está em repouso. por uma distância d = 2. que têm resistência elétrica nula.5 × 10–5 T 4. n e o número de espiras por unidade de comprimento e µo = 1. pela qual circula uma corrente i = 80 A.0 × 10–5 T A escolha de quem pensa! . que se desloca com velocidade constante de módulo v = 216 km/h num plano horizontal (veja figura). e que. Sendo criada uma diferença de potencial (ddp) de 3. c) A espira começa a girar no sentido indicado 08. provocando entre elas uma polarização elétrica.0 m de comprimento.SUPER II 07.4 × 10–5 T 2. 06.9 × 10–6 T 1. com comprimento L = 0. Determine. Suponha que Fm tem a mesma direção e sentido oposto ao da força peso P do ímã. Quando o material é resfriado até uma temperatura sobre o ímã uma força  T < TC.65 m. Fios supercondutores. inicialmente. Desse modo. de 2. b) Espira saindo do interior de uma campo magnético uniforme. como ilustrado  na figura abaixo. o imã sobe com aceleração constante de módulo aR = 0.3 × 10–6 Tm/A. são empregados na construção de bobinas para obtenção de campos magnéticos intensos. Quando uma barra metálica se desloca em um campo magnético. Calcule B no interior de uma bobina de 25. sabe-se que seus elétrons movem-se para uma das extremidades. Esses campos dependem das características da bobina e da corrente que circula por ela. Considere um ímã de massa m = 200 g em repouso sobre um material que se torna supercondutor para temperaturas menores que uma dada temperatura critica TC.5 m/s2. 2 × 10–5 T 5. Calcule o trabalho realizado por Fm ao longo do deslocamento do ímã. é criado um campo elétrico constante no interior do metal.  a) O módulo do campo magnético B no interior de uma bobina pode ser calculado pela expressão B = µoni.

Em 1600. (02) Ímãs permanentes e correntes elétricas geram campos magnéticos. Considere que os valores das tensões sejam eficazes e que o transformador seja ideal.800 V no enrolamento primário e tensões de 120 V e 220 V.SUPER II 09. (01) O sentido das linhas de indução. instrumento essencial para as grandes navegações e descobrimentos do século XV e. a) Determine a relação entre o número de espiras no enrolamento primário e no secundário 2. Exercícios de Casa (08) A força magnética. ao passarem nas proximidades da Terra.000 W e que a corrente no secundário 2 é 150 A. nos enrolamentos secundários 1 e 2. provenientes do espaço cósmico. será igual a: a) b) c) d) e) nulo. com velocidade perpendicular ao campo magnético terrestre. 13 . O condutor retilíneo muito longo indicado na figura é percorrido pela corrente I = 62. indica que o polo norte magnético está localizado próximo ao polo norte geográfico. Assinale a(s) proposição(ões) correta(s): A escolha de quem pensa! 03. calcule a corrente elétrica no enrolamento secundário 1. (04) É possível provocar a deflexão de uma agulha magnetizada aproximando-a de um fio conduzindo uma corrente elétrica. explica que a orientação da agulha magnética se deve ao fato de a Terra se comportar como um imenso ímã. elas não são desviadas porque a força magnética é nula. William Gilbert. constituindo bom exemplo de movimento de partículas carregadas em um campo magnético. em sua obra denominada De Magnete. O supermercado dispõe de um transformador de energia elétrica que opera com tensão de 8. O valor da corrente I na espiral circular de raio R. com velocidade perpendicular ao campo magnético terrestre. A figura representa as linhas de indução do campo magnético terrestre. (34) O módulo do campo magnético terrestre aumenta. sabemos que feixes de partículas eletrizadas (elétrons e prótons). já utilizada pelos chineses desde o século X. mostradas na figura. é correto afirmar que: (01) Quebrando um ímã ao meio. 01. (08) Se uma partícula carregada se move num campo magnético uniforme perpendicularmente à direção do campo.000 A. (16) As linhas de força do campo magnético nas vizinhanças de um fio retilíneo longo conduzindo corrente elétrica são circunferência com centros no fio 02. apresentando dois polos magnéticos. apresentando dois polos magnéticos. (32) O pólo norte da agulha de uma bússola aponta sempre para o pólo sul magnético da Terra. atuante sobre as partículas eletrizadas que atingem a Terra nos pólos Sul e Norte geográficos. obtemos dois novos ímãs.8A. (04) As linhas de indução do campo magnético da Terra mostram que ela se comporta como um gigantesco ímã. segundo os historiadores. então a força magnética sobre ela é nula. b) Sabendo que a potência no enrolamento primário é de 81. à medida que se afasta da superfície da Terra. 1. Sobre os conceitos e aplicações da Eletricidade e do Magnetismo. é menor do que sobre as partículas que atingem a Terra no plano do equador. Atualmente. mostradas na figura. 1 A. (16) Quando partículas eletrizadas atingem a Terra no plano do equador. são capturados pelo campo magnético terrestre. com velocidade quase paralela às linhas de indução do campo magnético terrestre. O magnetismo terrestre levou à invenção da bússola. a fim de que seja nulo o campo magnético resultante no centro O da mesma. 100 A. indica que o polo sul magnético está localizado próximo ao polo norte geográfico. respectivamente. Muitos são os fenômenos relacionados com o campo magnético terrestre. 10 A. (02) O sentido das linhas de indução.

Dado: Permeabilidade magnética do vácuo = 4π × 10–7 T. a força magnética entre eles. Um fio condutor rígido de 200 g e 20 cm de comprimento é ligado ao restante do circuito através de contatos deslizantes sem atrito. 07. em mA. sendo empurrada. Uma barra de material condutor de massa igual a 30 g e comprimento 10 cm. induzida na bobina é zero entre 0. sendo de atração. na presença de um campo magnético horizontal. que pode passar no fio.0 A e i2 = 2.m.0 ohms. 05. Justifique sua resposta. O ângulo q depende da intensidade da corrente i.50 m/s. é colocada no interior de um campo magnético. entrando no papel. 2π × 10–5.50 m. tem intensidade de: 14 08. a) Calcule a força medida pelo dinamômetro com a chave aberta.m/A.1 s e 0. formando o chamado balanço magnético.10 T. para uma região onde existe um campo magnético uniforme B = 0.0 T. b) Indique o sentido da corrente induzida na espira. O fio condutor é preso a um dinamômetro e se encontra em uma região com campo magnético de 1. c) Calcule a tensão da bateria sabendo-se que a resistência total do circuito é de 6. determine o tempo durante o qual será percorrida por corrente induzida a partir do instante em que começa a entrar no campo magnético. Ao circular uma corrente i pelo balanço. A escolha de quem pensa! . de densidade linear 7  × 10–2kg/m. Se os condutores estão situados no vácuo. extensos e paralelos. perpendicular ao fio e de módulo 20 T. sendo de atração. Um segmento de fio reto.20 m e b = 0. a) Considerando-se o instante mostrado na figura.e. que foram enroladas próximas umas das outras para se ter garantia de que todas seriam atravessadas pelo mesmo fluxo. este se inclina. suspensa por dois fios rígidos também de material condutor e de massas desprezíveis. 4π × 10–5.SUPER II 04. de lados a = 0. a) b) c) d) e) 2 × 10–5. estão separados por uma distância d = 2.e. temos q = 45°. d) Sabendo-se que a espira atravessa completamente a região onde existe o campo magnético. 2π × 10–5. Para i = 2 A. com os sentidos indicados na figura a seguir. O plano da figura é vertical.3 s. estando o fio em equilíbrio.m. representado na figura adiante. como mostra a figura adiante. sendo de atração. no sentido indicado na figura. 2 × 10–5.0 A. sem que o fio perca contato com a mesa. no Sistema Internacional. 09. sabendo-se que o dinamômetro passa a indicar leitura zero. 06. formando um ângulo θ com a vertical (como indicado na vista de lado).0 cm e são percorridos por correntes elétricas de intensidades i1  = 1. conforme a figura. induzida na bobina. encontra-se em repouso sobre uma mesa. sendo de repulsão. b) Determine a máxima f. sendo de repulsão. por unidade de comprimento. entrando perpendicularmente no plano da figura. A figura mostra uma espira retangular. a) Explique por que a f. O gráfico a seguir mostra como varia com o tempo o fluxo magnético através de cada espira de uma bobina de 400 espiras. com velocidade constante v=0. c) Determine o valor da força eletromotriz induzida na espira. uniforme. Determine a maior corrente. Inicialmente a chave está aberta. Dois condutores retos. b) Determine a direção e a intensidade da corrente elétrica no circuito após o fechamento da chave.

11. o transformador converte energia elétrica em energia mecânica. b) Calcule a corrente elétrica i2 no circuito caso a chave permaneça fechada. de 12 V. o galvanômetro. 10. de comprimento igual a 50 cm. de maneira simples. podendo produzir.75 × 10–3 N a intensidade da força constante aplicada à barra. para que a mola seja alongada em 2.300 T. o modulo de B é: a) b) c) d) e) 12. b) Calcule a intensidade da força magnética que atua sobre a barra. saindo do plano da folha. 0. um campo magnético uniforme. Com o auxílio das informações contidas no texto e focalizando o transformador ligado a uma tomada para fornecer energia à geladeira da família do deputado. 13. c) Calcule a intensidade da indução magnética B. já que a diferença de potencial. Ele é constituído por um fio condutor. haverá corrente elétrica circulando na bobina primária do transformador. O modelo adiante mostra. A área do circuito é perpendicular ao campo de indução magnética uniforme  B. julgue os itens seguintes. inicialmente em equilíbrio estático. O funcionamento de alguns instrumentos de medidas elétricas.150 T. de módulo B.00  Ω. nas residências da cidade de origem. como. e de 220 V. qual será o sentido do campo magnético (para dentro ou para fora da folha) de modo a produzir uma distensão adicional Δx na mola? Justifique a sua resposta. também chamada de tensão elétrica. (02) A potência que a bobina secundária do transformador fornece à geladeira é maior do que a potência que a bobina primária recebe. a geladeira será alimentada com uma tensão igual a 120 V e funcionará normalmente. a) Calcule a corrente elétrica i1 no circuito caso a chave permaneça aberta.25 T. fechando-o. Desconsidere a parte fracionária do seu resultado. de intensidade B igual a 0. a partir da posição de equilíbrio estabelecida com corrente nula. constatou a necessidade de adquirir transformadores para poder utilizar os seus eletrodomésticos na nova residência. produzindo o movimento de um ponteiro que se desloca sobre uma escala. (04) Mesmo nos períodos em que a geladeira estiver desligada. i.100 T. 0. (08) Suponha que o transformador seja desconectado da tomada e que sua bobina de 220 V seja conectada a um conjunto de 20 baterias de automóvel.0 V e resistência interna desprezível. nas residências de Brasília. de “secundária”. 0. Uma barra metálica de comprimento L = 50. um deputado federal mudou-se da cidade do Rio de Janeiro para Brasília. sendo de 3. uma tensão maior ou menor do que a de entrada.SUPER II a) Faça o diagrama das forças que agem sobre a barra. Nessas condições. da esquerda para a direita. suspenso por uma mola de constante elástica igual a 80 N/m e imerso em um campo magnético uniforme. nos terminais de saída. perpendicular à folha de papel. em ampéres. d) Expresse a distensão adicional Δx em termos de B. A escolha de quem pensa! 15 . a corrente elétrica i que deverá percorrer o condutor. L e k. Um transformador é um equipamento que permite a modificação da tensão aplicada aos seus terminais de entrada. com direção perpendicular ao plano desta folha e sentido de baixo para cima. baseiase no efeito mecânico que os campos magnéticos provocam em espiras que conduzem correntes elétricas.0 cm. A bobina ligada à fonte de tensão (tomada residencial) é chamada de “primária” e a bobina ligada aos eletrodomésticos.200 T.0 ohms cada um e uma chave. para mantê-la em movimento uniforme com velocidade v = 2. Do ponto de vista construtivo por duas bobinas independentes. Nessa situação.0 cm faz contato com um circuito.00 m/s. é de 110 V. dois resistores de resistência elétrica R = 2. enroladas sobre um núcleo de ferro. Este conjunto encontra-se suspenso por uma mola de constante elástica k. Após ser eleito. Aqui chegando. Calcule.225 T. por exemplo. Um circuito elétrico é constituído de uma pilha de força eletromotriz e = 4. 0. 0. (01) Ao alimentar a geladeira. c) Ao aplicarmos. caso exista. ligadas em série. na região sombreada da figura anterior. A resistência do circuito é R = 3. como campos e correntes provocam efeitos mecânicos.

V.V.3 N e 1. a) b) c) d) e) 25. assinale o valor do campo magnético.0 T 15.F 14. onde Vp é a tensão no primário.0 Ω desliza sem atrito sobre duas barras paralelas separadas de 1. 06. F. 12 A 12. qual deve ser a corrente Ip no primário? Gabarito 01. e S uma chave. um resistor.0 m/s. d 11. 2 N.0kg de massa e resistência de 2. e as barras de apoio têm resistência e atrito desprezíveis. 35 mA 05.V. 10 A para a direita e 60 V.F. R. Considere o transformador da figura. 0.0 T 15. V.V. 1 A. 08. Quando a chave é fechada. Tudo encontra-se imerso num campo magnético B. anti-horário. = Ip  2  ⋅ p  N1  R 16 A escolha de quem pensa! .0 T 20. Vs é a tensão no secundário. interligadas por um condutor de resistência nula e apoiadas em um plano de 30° com a horizontal. respectivamente. perpendicular ao plano do movimento.SUPER II 14. fluxo constante e 4 V. Uma haste metálica com 5. conforme a figura.0 T 5. a 07. e 04. 2 A. p/ dentro e iLB/K 13. 23 02.0m.5 T 10.F 03. e 2 N  V 15. Considerando que após deslizar durante um certo tempo a velocidade da haste permanece constante em 2.01 V e 2 s 09.F. 0.F.0 T 10. N1 e N2 são o número de espiras no primário e secundário.

são unidas e aquecidas até 320 °C. A placa quadrada está disposta paralelamente ao plano da parede e encontra-se equilibrada sobre a face superior do cubo. é levado ao fogo. que o coeficiente de dilatação linear do o material da haste vale 2. com área inicial A0 = 1. respectivamente. 1.seccionando-a em duas metades. Os dois corpos são.0 × 10–5 / °C que o coeficiente de dilatação superficial do material da placa vale 4. A ou B. então. sofreu um maior aquecimento? Justifique. Uma taça de alumínio de 120 cm3 contém 119 cm3 de glicerina a 21 °C. envolvendo-a em papel de alumínio. Duas barras. determine o volume de glicerina que ainda caberia no interior da taça. Se nesse termômetro utilizarmos as escalas Celsius e Fahrenheit e a temperatura a ser medida for expressa pelo mesmo valor nas duas escalas. tem. de mesmo comprimento l = 1 m a 20 °C. 05. Determine a temperatura aproximada em que a barra C ficará na horizontal. aquecidos de modo que a temperatura do A sofre um aumento de 1 °C e a temperatura do B sofre um aumento de 1 °F. também metálica. Dados: o vidro tem g = 24 × 10–6 °C–1 e o mercúrio tem g = 180 × 10–6 °C–1.3 × 10–5 K–1 e o coeficiente de dilatação volumétrico da glicerina de 5. No final. a 0 °C. O papel de alumínio é normalmente constituído de uma face espelhada e uma face fosca. colocou o termômetro inicialmente numa vasilha com gelo fundente. A figura a seguir representa uma haste metálica com comprimento inicial l0 = 3. Denomine de ∆lx o deslocamento que o ponto P sofre na horizontal. qual a face do papel de alumínio que deve ficar para fora? Justifique. 07. Quando o sistema sofre uma variação de temperatura de 40 °C.000 mm e 1. 02. 1 . A extremidade A da haste é fixa em uma parede vertical e tem a direção de uma reta normal à parede.0 cm de altura. As barras A e B da figura têm. o equilíbrio térmico se deu com a coluna de mercúrio atingindo 20. o volume interno de 45 cm3. a 20 °C. Para atingir seu objetivo. 03. Ao colocar o termômetro em contato com água fervente. também sob pressão normal. A escolha de quem pensa! 06. Seus coeficientes de dilatação linear são αA = 3 × 10–5 °C–1 e αB = 1 × 10–5 °C–1.0 m. contendo glicerina. em caso negativo. Sabe-se que o coeficiente de dilatação linear do ferro é de 12 × 10–6 °C–1 e do alumínio é 22 × 10–6 °C–1.0 × 10–5 / °C e que o coeficiente de dilatação volumétrica do material do cubo vale 60 × 10–5 / °C. Dois corpos A e B estavam inicialmente à mesma temperatura. um cubo metálico com volume inicial V0 = 1. na direção perpendicular à da haste.0 m2. sob pressão normal. Qual é o comprimento final após o aquecimento? 04. na direção paralela à da haste e de Δly o deslocamento que o ponto P sofre na vertical. utilizou um termômetro cujas escalas termométricas inicialmente impressas ao lado da coluna de mercúrio estavam ilegíveis. Um vasilhame de alumínio com capacidade inicial de 1 litro. 08. Um recipiente de vidro. qual será a altura da coluna de mercúrio? 09.Observe que um ponto P se encontra no meio do lado superior da placa quadrada. Considere que o coeficiente de dilatação linear do alumínio como sendo de 2.SUPER II Física 3 TERMOLOGIA E DILATAÇÃO TÉRMICA 01. sendo uma de ferro e outra de alumínio. a glicerina transbordará ou não? Em caso afirmativo.1 × 10–4 K–1. determine o volume transbordado. Se a temperatura do sistema taça-glicerina for aumentada para 39 °C. Considere que todoo sistema sofre um acréscimo de temperatura de 300 °C. Qual o volume inicial da glicerina? Dados: o alumínio tem g = 50 × 10–6 °C–1 e a glicerina tem g = 500 × 10–6 °C–1. em mm.0 m3 e uma placa quadrada plana e fina. e verificou que no equilíbrio térmico a coluna de mercúrio atingiu 8. Um profissional. necessitando efetuar uma medida de temperatura. Calcule. A extremidade B da haste toca a face esquerda do cubo cuja base se apoia em um piso horizontal sem atrito que faz um ângulo de 90° com a parede. a soma algébrica de Δlx com Δly. qual dos dois corpos. a glicerina passa a ocupar todo o volume disponível.0 cm.001 mm. Se você deseja assar uma carne em um forno comum. Calcule o volume de mercúrio que se deve colocar no recipiente a fim de que o volume da parte vazia não se altere com a temperatura.

Qual deve ser o coeficiente de dilatação volumétrica de um material para que o seu volume duplique quando a sua temperatura for aumentada de 0 °C a 100 °C? Gabarito 01. h = 3.2 cm 09. 03. pois o volume final do recipiente (120.09 cm3). A face espelhada deve ficar para dentro.06 cm3 de glicerina no recipiente. 07. 04. 0. Pois a variação de 1 °C é maior que 1 °F.SUPER II 10. caberia ainda 0.98 litros 05. Não transborda. 6 cm3 08.15 cm3) é maior que o volume final da glicerina (120. 33 10. dificultando que o calor saia por irradiação. 2. Deve ficar para fora a face fosca. O corpo que aqueceu 1 °C. 10–2 °C–1 2 A escolha de quem pensa! . 70°C 06. 02.0102 m.

é de 25° C. tem-se apenas 11 kg de gelo e o restante de água. Considere que haja troca de calor apenas entre as duas porções de água misturadas e que a densidade absoluta da água. podemos afirmar que o corpo de alumínio sofre maior variação de temperatura por possuir maior calor específico. Numa cozinha industrial. A presença de água na Terra é fundamental para nossa sobrevivência. ainda. a massa de água líquida obtida depois de consumido todo o calor. do gelo durante o processo de fusão? 10. devemos programá-lo para funcionar durante quanto tempo? A escolha de quem pensa! a) Considerando o gráfico do volume da água em função de sua temperatura. 11. 08. Ele cai livremente e se choca com esta superfície.0 cal/g °C. Adicionando-se à água do calorímetro 40 g de água a 50 °C. em caloria. ao ser atingido o equilíbrio térmico. aceleração da gravidade g = 10 m/s2 e o calor específico da água c = 1. O condutor do caminhão observa que. em seguida. é transportado por um caminhão.094 cal/g. em caloria. já na temperatura de fusão da água. Uma quantidade de calor de 6. ambos a 0  °C. de 1 kg/litro. 3 . à água a 80 °C de um segundo caldeirão. em um recipiente a céu aberto. Esta afirmação da última frase está correta? Justifique. em cal/°C. Qual é. aceleração gravitacional = 10 m/s2. 05. As plantas conseguem absorver grandes quantidades de radiação solar sem a consequente elevação de temperatura devido à presença de água. A água de um rio encontra-se a uma velocidade inicial V constante.SUPER II CALORIMETRIA 01. As características expostas acima são consequência do fato de a água possuir um calor específico muito baixo. Dois corpos.0cal/g °C. ao chegar ao seu destino.9 g/cm3 Massa específica da água 1. observa-se que a temperatura do sistema.200 W para ser transformado em água também a 0 °C. Considere 1 cal = 4 J.°C. continuando o resto da água do lago em estado líquido. Um cubo de gelo com massa de 2 kg. Coloca-se 900 g de gelo a 0 °C.18 J. Um calorímetro contém 80 g de água à temperatura de 15 °C. Determine. A água é também utilizada para a refrigeração dos motores de automóveis. em g. Esta afirmativa está correta? Justifique. Nas cidades litorâneas as variações de temperatura são menores do que nas outras cidades. 02. Um bloco de gelo de 20 kg. Uma pedra de gelo com massa de 20 g a 0 °C é colocada em uma porção de água a 30 °C. resultando 10 litros de água a 32 °C. Durante um inverno rigoroso no hemisfério norte. pergunta-se: Dados: Pressão atmosférica normal 1 atm = 105 Pascal Massa específica do gelo 0. Admitindo-se que metade da energia fornecida pelo forno será absorvida pelo gelo. inicialmente a –10 °C. O equilíbrio térmico se estabelece em 20 °C. num recipiente de capacidade térmica desprezível e isolado termicamente. 09.22 cal/g. absorvida pelo gelo no processo de fusão? b) Qual o trabalho realizado. um de alumínio e outro de cobre. sendo. O calor específico do cobre é 0.°C e o do alumínio é 0. 1 cal = 4. 04. aproximadamente.0 g/cm3 Calor latente de fusão do gelo 80 cal/g 1 J = 0. um pequeno lago teve sua superfície congelada. explique porque somente a superfície se congelou. convertendo toda a sua energia mecânica em calor. quando despenca de uma altura de 80 m. Se ambos receberem uma mesma quantidade de calor e não mudarem de estado físico. a água de um caldeirão é aquecida de 10 °C a 20 °C. seu calor específico c = 1. pelo meio exterior sobre o gelo no processo de fusão? c) Qual a variação de energia interna. não varia com a temperatura. Determine. resultando em um aumento de 1 K de sua temperatura. a 0 °C. Qual a massa da porção de água usada no experimento? 06. Este calor é integralmente absorvido pela água. a capacidade térmica do calorímetro. conforme ilustra a figura. no interior de um forno de microondas de 1. a máxima massa de gelo em gramas que pode se fundir nesse processo? Dados: Calor de fusão do gelo = 80 cal/g.24 cal a) Qual a quantidade de calor. Qual a velocidade inicial da água V? 03.250 cal é fornecida a uma pedra de gelo de 50 g. Desprezando-se as perdas por evaporação e por sublimação e considerando-se os dados abaixo. sendo misturada. em caloria. tem a mesma massa. após a mistura. está inicialmente em repouso a 10 m acima de uma superfície rígida. Qual a quantidade de calor recebida pela água do primeiro caldeirão ao ser aquecida até 20 °C? 07.

com eficiência de 30%.8 m/s2 e calor específico da água = 4. em equilíbrio térmico. dois objetos de massas diferentes em contato entre si. um chuveiro elétrico tem a sua resistência graduada para dissipar 4. A eletricidade gerada é utilizada para esquentar 50 litros de água de 15 °C a 65 °C. Uma roda d’água converte em eletricidade. 1. cessou-se o fornecimento de calor e adicionou-se a ela 50 g de gelo a 0 °C. • Desconsidere a expansão/contração volumétrica do sensor. 2. com temperatura ambiente de 10 °C. 4 16. os dados obtidos foram apresentados em um gráfico da temperatura da substância como função da quantidade de calor fornecido. Dados: Calor latente de fusão do gelo: L = 80 cal/g Calor específico da água: c = 1. Considere a seguinte experiência: coloca-se.0 metros. a) Qual é a potência térmica absorvida pela água ao passar pelo motor? Considere o calor específico da água igual a 4. 13. voltando em seguida para o motor através de um circuito fechado. foram usados 10. A temperatura final dos dois objetos será a mesma? Justifique a sua resposta. conforme ilustra a figura. para tanto. Considerando que a água do chuveiro foi colhida em 10 minutos.000 kg/m3. • Considere a densidade da água a 20 °C como 998 kg/m3 e a 4 °C como 1.0 kW no verão. fase líquida. ela coloca 200 g de chá à temperatura inicial de 80 °C em sua caneca. Qual o tempo aproximado que leva a água para esquentar até a temperatura desejada? Usar g = 9. em uma determinada etapa do processo.K. Uma montanhista utiliza em suas escaladas uma caneca com massa igual a 100 g e feita de um material com calor específico de 910 J/(kg. Num certo momento.°C). Para resfriar um motor de automóvel. e sai a uma temperatura de 95 °C. a energia de 200 litros de água por segundo caindo de uma altura de 5. 3.0 cal/(g. Determine: a) O calor específico da substância na fase líquida e seu calor latente específico de fusão. em que posição se encontrava a chave seletora? Justifique 14. utiliza um sensor automático. Colocando-os num recipiente termicamente isolado e de capacidade térmica desprezível qual a temperatura final de equilíbrio? b) Um biólogo deseja monitorar o pH e a temperatura desse lago e.4 L/s. Para visualizar o experimento.20 N. determine a massa de água. • Considere o sensor com uma densidade homogênea.K. a 50 °C. A escolha de quem pensa! . A água entra no motor a uma temperatura de 80 °C com vazão de 0. Mediante chave seletora. os objetos são separados e cada um deles é aquecido. de 100 g de uma substância. A água quente é resfriada a 80 °C no radiador. que se encontra à temperatura ambiente de 10 °C.0 kW na primavera e 1.0 litros de água desse chuveiro para preencher os 16% do volume faltante do aquário de peixes ornamentais. faz-se circular água pelo mesmo. Em uma experiência de Termologia. analisou-se a variação da temperatura.°C) 17. medida em calorias. com dimensões de 10 cm × 10 cm × 10 cm. Supondo que a troca de calor ocorra apenas entre o gelo e a substância.°C). 18. de modo a elevar sua temperatura de 23 °C para 28 °C. isto é.Determine a temperatura do chá após o sistema ter atingido o equilíbrio térmico. Dados: • Considere a aceleração da gravidade na Terra como sendo 10 m/s2.000 kg/m3.0 g/cm3 e o calor específico da água é 4. b) Após a substância atingir a temperatura de 80 °C.200 J/kg.0 kW no outono. em função da quantidade de calor fornecido. a substância analisada apresentou mudança de fase sólida para líquida. A amostra de água se encontra a 20 °C e a do bloco. Sabe-se que 20% da energia é perdida no aquecimento do ar. Quando a água está à temperatura de 20 °C. a densidade da água é ρ = 1. preso a um fio inextensível de massa desprezível.18 kJ/kg.0 kW no inverno. de modo que suas temperaturas fiquem iguais. Durante o experimento. observou-se que. Numa manhã de inverno. de modo a receber uma mesma quantidade de calor Q. Em seguida.SUPER II 15. o fio apresenta uma tensão de 0.18 J/g.0 cal/(g. A capacidade térmica de uma amostra de água é 5 vezes maior que a de um bloco de ferro. O sensor fica em equilíbrio. medida em graus Celsius. 12. específico para ambientes aquáticos. Calcule qual a nova tensão no fio quando a temperatura na região do sensor chega a 4 °C. Despreze a troca de calor com o ambiente e considere que o calor especifico do chá é igual ao da água. por um longo período de tempo.°C e sua densidade igual a 1.

16. o calor específico da solução aumenta para 5.4 × 105 cal c) 4. Caso essa solução a 80 °C fosse injetada no motor em lugar da água. Por este motivo. sendo necessária uma elevada quantidade de calor para variar a temperatura do local.SUPER II b) Quando um “aditivo para radiador” é acrescentado à água. pois o corpo de maior calor específico sofre uma menor variação de temperatura.c) do mar seja alta.20 cal/g. Em um tipo particular de fogão. aquele que tiver menor capacidade térmica terá maior variação na temperatura. sem mudança na sua densidade. Uma vez que a capacidade térmica de um corpo mede a quantia de calor necessária para variar uma unidade na temperatura sendo calculada pela equação C = mc. 02.8 × 105 cal 10. 80 m/s3.6 g. 73. pois a grande quantidade de água faz com que a capacidade térmica (C = m. O calor específico da substância que constitui o corpo. a) 0.15°C.5g fase líquida. 8 minutos 07. Mas é possivel. a) O gelo dificulta a troca de calor b) 0. A frase é incorreta porque o calor específico da água do mar é elevado se comparada com outras substâncias. Inverno 14. 13.°C. 19. de maneira que suas temperaturas finais sejam iguais. 17.°C e 4cal/g b)12.250 J/kg. 36 Gabarito 01. de modo que c seja igual para ambos. o que vai ocasionar temperaturas finais diferentes. 09. 0. 03. 20 cal/°C 08.10 cal/g.°C e a temperatura varia com o tempo conforme o gráfico abaixo. somente 20. Assim. a) 7. 0. calor específico e variação de temperatura são inversamente proporcionais. 25°C. precisamos saber a capacidade térmica dos corpos. nas cidades litorâneas. qual seria a sua temperatura na saída do motor? 2 da energia 5 liberada na queima do combustível são utilizados para aquecer a água numa panela sobre ele. Se os objetos forem da mesma substância. Qual. 200 g 06. Uma hora 15. vale no estado sólido. Não há como afirmar. e absorvesse a mesma potência térmica. Uma fonte térmica de potência constante aquece um corpo de massa 50 g. 18. as variações de temperatura são muitas vezes menores do que nas outras cidades. o calor latente de fusão da substância? 12.22 N A escolha de quem pensa! 5 . 04. Calcule quantos gramas de combustível devem ser queimados nesse fogão para aquecer 1 kg de água desde 20 °C até 100 °C e fazer a sua vaporização. que a capacidade térmica de ambos seja a mesma. inicialmente sólido. A água do mar junto à praia não acompanha tão rapidamente a variação de temperatura que ocorre com o ar. a) 25200 W b) 92 °C 19. Falsa. em cal/g. se os objetos forem de substâncias diferentes. a capacidade térmica dos dois será diferente em função de que eles possuem massas diferentes. 40 °C. 11. para ter uma resposta concreta.2 × 105 cal b) 2. 80 kcal 05. Considere que cada grama do combustível utilizado libera uma quantidade de energia de 2 kcal. 775 g 20.

500 m3.227 °C. que se transforma em “névoa” com a sublimação de todo o CO 2. Considerando que não houve variação do volume dos pneus. no início do show. é de 400 kg. mantendo-o em uma “geladeira” de isopor. no interior do envelope. b) Determine o aumento de temperatura da água do rio ao passar pela usina. A massa total do balão. cesta para três passageiros. Um forno solar simples foi construído com uma caixa de isopor. a uma temperatura inicial de 20 °C. ao ser lançado nas condições dadas no item b quando a temperatura externa é T = 27 °C? NOTE E ADOTE: Densidade do ar a 27 °C e à pressão atmosférica local = 1. calcule: a) A potência solar total P absorvida pela água. cujas águas estão inicialmente a 27 °C. ele o compra às 18 h. Mgelo. Dentro desse forno. em kg. provocando a sublimação de parte do gelo seco. com os passageiros. Considere todas as operações realizadas ao nível do mar. ele mediu a pressão dos pneus e constatou que ela subiu para 35 libras por polegada ao quadrado. coladas à temperatura T0.000 J/Kg. Para essas condições. Suponha que os raios solares incidam perpendicularmente à tampa de vidro e que toda a energia incidente na tampa do forno a atravesse e seja absorvida pela água. b) A massa de água. incorporando 0. 08. ainda restem os 2 kg necessários em sua “geladeira”. na verdade. foi colocada uma pequena panela contendo 1 xícara de arroz e 300 ml de água à temperatura ambiente de 25 °C. ambas expressas em Kelvin. que o roqueiro tem de comprar. é constituída por gotículas de água. Embora o início do show seja à meia-noite (24 h). sendo Tmín e Tmáx Tmáx as temperaturas absolutas das fontes frias e quentes respectivamente. A maior eficiência teórica da conversão de calor em T trabalho é dada por η = 1 – mí n . O que é um recipiente adiabático? Dê um exemplo.°C. Com a instalação do gasoduto Brasil-Bolívia. que absorve calor a uma taxa de aproximadamente 60 W. NOTE E ADOTE: Potência solar incidente na superfície da Terra: 1 kW/m2 Densidade da água: 1 g/cm3 Calor específico da água: 4 J/(g. cujos coeficientes de dilatação linear são: α Chumbo = 27 × 10–6 °C –1 e α bronze = 12 × 10–6 °C–1 A escolha de quem pensa! . Um recipiente fechado. esteja em CNTP. parte do qual pode ser convertido em trabalho em uma usina termoelétrica. O trecho da BR 277 que liga Curitiba a Paranaguá tem sido muito utilizado pelos ciclistas curitibanos para seus treinos. 2 kg de gelo seco devem ser jogados em um tonel com água.01 g de água por cm3 de gás formado. Aceleração da gravidade na Terra. com três passageiros e com o envelope vazio. b) A energia E necessária para aquecer o conteúdo da panela até 100 °C. O calor não aproveitado na produção de trabalho é cedido para um rio de vazão 5000 l/s. c) O tempo total T necessário para aquecer o conteúdo 1 da panela até 100 °C e evaporar da água nessa 3 temperatura (cozer o arroz). Massa de 1 mol de CO2 = 44 g. que são carregadas pelo CO2 gasoso para a atmosfera. supondo que o gás. Na ilustração da figura. Ao terminar de descer a serra. a quota da participação do gás natural na geração de energia elétrica no Brasil foi significativamente ampliada.4 litros. O envelope totalmente inflado tem um volume de 1. em kg. temos uma lâmina bimetálica composta de chumbo (em cima) e bronze (parte de baixo).SUPER II TERMODINÂMICA E TRANSFERÊNCIA DE CALOR 01. queimador e tanque de gás. após este ser totalmente inflado com ar quente a uma temperatura de 127 °C e pressão Patm? c) Qual a aceleração do balão. Qual a temperatura final do gás em Kelvin? 02. para que. 04. 6 NOTE E ADOTE: Sublimação: passagem do estado sólido para o gasoso.0 ×107 J de calor. Estime: a) A massa de gelo seco. Um roqueiro iniciante improvisa efeitos especiais. o recipiente é aquecido até que a energia interna desse gás duplique seu valor. 07. ao deixar a água.Considere uma usina queimando 7. provocando a sublimação do CO2 e a produção de uma “névoa”. com pressão igual à pressão atmosférica local (Patm) e temperatura T = 27 °C? b) Qual a massa total de ar M2. A parte visível da “névoa”. Mágua. Para produzir os efeitos desejados. a temperatura ambiente. 05. contendo um gás perfeito. Existe um recipiente perfeitamente adiabático? 06. forrada internamente com papel alumínio e fechada com uma tampa de vidro de 40 cm x 50 cm. Para um gás ideal. Considere que um ciclista. calcule o valor da temperatura dos pneus dessa bicicleta nesse instante. à medida que ele passa pela água do tonel. a) Determine a potência gerada por uma usina cuja eficiência é metade da máxima teórica. a uma temperatura de 1. está inicialmente à temperatura T = 0 °C. Ao se queimar 1. Volume de 1 mol de um gás em CNTP = 22.0 kg de gás natural obtém-se 5. Despreze o empuxo acarretado pelas partes sólidas do balão.°C ) Calor latente de evaporação da água: 2. calibrou os pneus de sua bicicleta com pressão de 30 libras por polegada ao quadrado (lb/pol2). se totalmente inflado. g = 10 m/s2. Um balão de ar quente é constituído de um envelope (parte inflável). Considere o calor específico da água c = 4. Temperatura de sublimação do gelo seco = –80 °C .   03. em suspensão. utilizando gelo seco (CO2 sólido) adquirido em uma fábrica de sorvetes. Suponha que o gelo seco seja adquirido a –80 °C. A seguir.200 kg de gás natural por hora.2 kg/m3.200 J/g Desconsidere as capacidades caloríficas do arroz e da panela. antes de sair de Curitiba. Calor latente de sublimação do gelo seco = 648 J/g. PV = nRT. a) Que massa de ar M1 caberia no interior do envelope.

por quê? Ao ser aquecida até uma temperatura T > T0.SUPER II a) Você coloca o pote de azeitonas na água quente e consegue abrí-lo. do gás monoatômico ideal. Considere a condutividade térmica do isopor igual a 0. É possível um gás receber calor de uma fonte externa e não ter elevação em sua temperatura? Justifique. Considere o gráfico da Pressão em função do volume de certa massa de gás perfeito que sofre uma transformação do estado A para o estado B. espelhadas.Determine a quantidade de calor transferido pela tampa de isopor durante 30 minutos. qual dos dois materiais tem então maior coeficiente de dilatação? Explique? c) Colocando um novo frasco de azeitonas dentro do congelador durante alguns minutos. para cima ou para baixo. a) Indique a variação da pressão e do volume no processo isocórico e no processo isobárico e determine a relação entre a temperatura inicial.°C). A água circula em tubos fixados sob a superfície coletora. 10. determine a razão entre as energias internas do gás nos estados A e B.0 × 103 W/m2 e que a vazão de suprimento de água aquecida é de 6. colocou-se uma tampa de isopor de 5. Calcule: a) o trabalho realizado pelo gás.35 m2. Que modalidade(s) de transmissão do calor não pode(m) ocorrer no vácuo? Justifique 12. e final. ficaria mais fácil ou mais difícil abrir o mesmo. 15. Qual a variação da temperatura da água? 13. Explique? 09. que fechou completamente o freezer. 11. no estado termodinâmico c. 14.020 W/(m.0 cm de espessura e área de 0. O gráfico representa a variação de volume de um gás em função de sua temperatura. entre as quais existe vácuo. Em um trocador de calor fechado por paredes diatérmicas. Sabendo isto responda as perguntas abaixo: A escolha de quem pensa! 7 . no estado termodinâmico a. 16.0 litros por minuto. Imagine-se tentando abrir um recipiente de azeitonas. como improviso. inicialmente o gás monoatômico ideal é resfriado por um processo isocórico e depois tem seu volume expandido por um processo isobárico. que foi o tempo para consertar a porta. com 50% da eficiência. Suponha que a intensidade da energia solar incidente é de 1. que apesar de toda sua força aplicada ao frasco mesmo assim. Em um laboratório. a porta de um pequeno freezer teve de ser removida para conserto e no lugar dela. Um painel coletor de energia solar para aquecimento residencial de água. A temperatura no interior do freezer era de –10 °C e a temperatura do laboratório era de 25 °C. a lâmina bimetálica se encurva! Qual a curvatura apresentada. explique como isto aconteceu? b) Comendo as azeitonas percebe-se que a tampa é de metal e o casco é de vidro. b) Calcule a quantidade total de calor trocada em todo o processo termodinâmico abc. o gás absorveu 25 J de calor. Ao passar do estado P para o estado Q. Admitindo que não haja variação da massa do gás durante a transformação. Você pensa então em sua aula de física e relembra que a grande maioria dos materiais se dilata quando aquecidos. continua fechado. sob pressão constante de 5 N/m2. como mostra o diagrama pressão versus volume. As garrafas térmicas são frascos de paredes duplas. tem superfície coletora com área útil de 10 m2. b) a variação da energia interna do gás.

8 K ou 68. UA 16. c) Sim.330 J.L/K. Quando a lâmina bimetálica é submetida a uma variação de temperatura. a) AB: Expansão isotérmica. em Kelvin.330 J. pois o gás pode se expandir (aumentar o seu volume) isotermicamente.33 UB 17. 12 °C 10. Considere uma máquina trabalhando segundo um ciclo de Carnot.   a) Considerando o ar dentro da sala como um gás ideal à pressão ambiente (P = 105 N/m2). Deseja-se refrigerar o ar dentro da sala.390 J. desde que sofra compressão (receba trabalho). nos estados A. 8 19.55 × 103 s 04. será forçada a curvar-se. a) 3.29 m/s2 03. b) Como ficou mais fácil abrir o frasco significa que o metal dilatou mais do que o vidro possuindo então maior coeficiente de dilatação do que o vidro.800 kg b) 1. a)104 mols b) 3 × 106 J 20. b) A temperatura da fonte fria teria que ser de 0 K. 546 K 02.200 J de trabalho em cada ciclo. ela recebe uma quantidade de calor Q1 da fonte quente e rejeita Q2 para o meio ambiente (fonte fria). Usar R = 0. Utilizando os conceitos aprendidos nas Leis da Termodinâmica. a) 10 J b) ΔU = 15 J 14. operando com rendimento de 40% e realizando 1. 341.h.K). Gabarito 01. pois apresenta rendimento inferior ao de uma máquina de Carnot. a) Quais os valores de Q1 e Q2? b) Qual a temperatura da fonte quente? 18.160 J. b) Calcule a temperatura. Sim. 60 L b) 250 K. que está à temperatura de 27 °C. no isobárico: zero e 4 × 10–2 m3 b) 4 × 103 J 11. a) 2 × 102 W b) 9 × 104 J c) 1. BC e CA sofridas por 3 mols de gás ideal. ∆UCA = –3. B e C. a) 4 kg b) 10. 250 K e 342. Exemplo: garrafa térmica. pois os metais não se dilatarão igualmente. Condução e convecção 12. responda. Uma sala tem 6 m de largura. = 1. Não existe recipiente perfeitamente adiabático 06. quantos moles de gás existem dentro da sala a 27 °C? b) Qual é a quantidade de calor que o refrigerador deve retirar da massa de ar do item (a) para resfriá-la até 17 °C? 20.350 kg c) 0. 15. Considere o calor específico do ar como sendo 30 J/(mol.8 °C 05. O diagrama abaixo representa as transformações AB. BC: Compressão adiabática e CA: Compressão isobárica. ∆UBC = 3.45 W. a) 1. 18. sendo uma delas uma expansão isotérmica e outra uma transformação adiabática. Calcule a quantidade de calor trocada no ciclo. b) 500 K. justificando: a) Um engenheiro propõe construir uma máquina térmica funcionando entre as temperaturas de 27 °C e 327 °C. 13.800 J. a) A água quente fornece calor ao vidro e a tampa de metal dilata-se tornando mais fácil a abertura do recipiente. d) –1.mol ou 8 J/K.SUPER II 17.5 K c) ∆UAB = 0.K) e use R = 8 J/(mol. c) Ficaria mais difícil abrir o frasco porque sendo o coeficiente de dilatação do metal maior que o do vidro. a) No isocórico: –2 × 10 5 Pa e zero. 10 m de comprimento e 4 m de altura. A escolha de quem pensa! . a) 40 MW b) 3 °C 08.mol.08 atm.000 W. A lâmina ira se curvar para baixo. Esse projeto é realizável? b) Em que condição uma máquina térmica ideal teria um rendimento igual a 100%? c) Um gás contido em um recipiente adiabático pode passar por um processo no qual sua temperatura aumente? 19.18 kg 07. o mesmo é mais susceptível a variação de temperatura e sofrerá maior contração volumétrica. Para isso.000 J 1. É um recipiente que não permite a troca de calor entre o seu interior e o meio externo. c) Calcule a variação da energia interna (∆U) de cada uma das transformações. o coeficiente de dilatação do chumbo é maior que o coeficiente de dilatação do bronze e sendo inicialmente ambos de mesmo comprimento o aumento de temperatura acarretará numa dilatação maior da lâmina de chumbo. a) Sim. d) O trabalho realizado na transformação isotérmica é 4. 2. 09. a) Classifique cada uma das transformações e calcule VB. que forneça a potência útil de 800 W a partir de uma potência recebida de 2.

A vela está a 3 m da parede. qual será. além das distâncias fornecidas. estando todos os pontos num mesmo plano vertical. Observe a câmara abaixo e determine a altura real do objeto conhecendo a altura da imagem formada. a) Determine qual deverá ser o ângulo entre os espelhos. Um espelho esférico convexo tem 20 cm de raios de curvatura. Num espetáculo de balé. 04.0 m de um espelho plano S. Qual à distância percorrida por esse raio para ir de L até o ponto A por reflexão no espelho? 07. Utilizando-se um espelho esférico côncavo. quantas serão virtuais? 10. Esse espelho é côncavo ou convexo? Justifique. A distância do centro de curvatura C ao objeto é R igual a 2 . ao ser refletido por um espelho horizontal sobre a semi-reta DE da figura. 9 .0 cm de altura estiver colocado a 15 cm do vértice do espelho.0 m do espelho. Qual a classificação da imagem? 3 03. que é o dobro do tamanho do objeto. Um espelho esférico projeta uma imagem. Responda as alternativas abaixo: a) Qual a distância da imagem ao espelho? b) Qual o tamanho da imagem? c) A imagem pode ser projetada?Justifique. somente poder-se-á usar a(s) representada(s) em: 02. de raio R. Determinar graficamente a imagem de um objeto AO colocado diante de um espelho côncavo. Para usar como uma lupa simples. A figura adiante representa um objeto A colocado a uma distância de 2. A câmara escura de orifício é uma aplicação inteligente do princípio da propagação retilínea da luz. O desenho que segue representa os perfis de algumas lentes de vidro. sobre uma parede. Considere AD = 2 m. Se um objeto com 5. quando na realidade somente há duas bailarinas. 06. em módulo. Responda: a) Qual a característica da imagem obtida na parede? b) Qual a distância focal do espelho? 05. a razão entre a distância da imagem obtida ao espelho e o tamanho da imagem? A escolha de quem pensa! 09.SUPER II REFLEXÃO E REFRAÇÃO DA LUZ 01. Determine a distância entre a imagem virtual da lanterna A e o ponto B. BE = 3 m e DE = 5 m. 08. Um raio de luz de uma lanterna acesa em A ilumina o ponto B. esférico. a partir da associação de dois espelhos planos deseja-se criar a ilusão de haver no palco um total de 16 bailarinas. e uma lâmpada L colocada à distância de 6. b) De todas as bailarinas vistas por um espectador. Um objeto luminoso de 4 cm de altura é colocado a 20  cm de um espelho esférico côncavo de raio de curvatura 60 cm. projeta-se sobre uma parede a imagem de uma vela aumentada quatro vezes.

____ . carregado com 9 µC. ( ____ . A face esquerda do cubo A está coberta por uma fina placa metálica quadrada P1. ____ ) Objeto entre o centro e o foco ( ____ . ____ . b) a tensão elétrica entre as placas ao ser atingida a temperatura T. ainda invertida. orientação e tamanho nesta ordem nos parênteses abaixo. ____ ) A escolha de quem pensa! . ____ . fica com quatro vezes o tamanho do objeto O. cuja imagem I está invertida.SUPER II Objeto no centro de curvatura 11.”I” para invertida. ilustrada na figura abaixo.8 × 10–5 °C–1 ( ____ . ____ . obtenha graficamente a imagem e classifique-a quanto a sua natureza. ____ . Dados: coeficiente de dilatação linear do latão α = 1. Utilize as seguintes abreviações: “R” para real. uma fina barra de latão. ____ . inicialmente à temperatura de 20 °C encontra-se fixada pelo ponto médio a um suporte preso à superfície e pelas extremidades a dois cubos idênticos A e B. determine: a) a distância focal do espelho. Considerando a superfície sob os cubos sem atrito. de comprimento L = 8 m. ____ ) Objeto entre o foco e o vértice 12. ____ ) 10 Espelho Convexo ( ____ . ”Ig” para igual e “Me” para menor. ____ ) Espelho Côncavo Objeto depois do centro da curvatura ( ____ . ____ ) Objeto no foco ( ____ . Aquece-se a barra até a temperatura T em °C. ”Ma” para maior. c) a temperatura T. “V “para virtual. Na face direita do cubo B está fixado um espelho côncavo distante 11 cm de um objeto O. feitos de material isolante térmico e elétrico. formando um capacitor de 12 µF. Em certa experiência. Dado o objeto abaixo. ”D” para direita. distante d0 = 5 cm de uma placa idêntica P2 fixa. quando então a distância entre O e I se torna igual a 24 cm e a imagem I.

____ ) ( ____ . ____ . ____ ) 13. Uma lente é utilizada para projetar em uma parede a imagem de um slide ampliado 4 vezes em relação ao tamanho original do slide. A imagem é quatro vezes maior que o objeto. ____ ) ( ____ . para o observador dentro do apartamento.SUPER II ( ____ . Quando um visitante está a 50 cm da porta. ____ . ____ . permite que se veja o visitante que está no “hall” de entrada. b) Qual a distância focal do espelho? ( ____ . A distância entre a lente é a parede é de 2 m. ____ ) a) A lente do olho mágico é convergente ou divergente? Justifique. “Olho mágico” é um dispositivo de segurança residencial constituído simplesmente de uma lente esférica. b) Qual a distância focal desta lente? 14. ____ ) A escolha de quem pensa! 15. Qual o tipo de lente utilizado e sua distância focal? 11 . ____ . ____ ) ( ____ . Responda: ( ____ . uma imagem três vezes menor e direita do rosto do visitante. ____ . esse dispositivo forma. Responda: a) Qual o tipo do espelho?Justifique. por exemplo. ____ . Colocado na porta de apartamento. A distância entre uma lâmpada e sua imagem projetada em um anteparo por um espelho esférico é 30 cm.

Para separar as duas cores foi montado o esquema experimental abaixo.50 grau. Neste ano o mundo todo comemora os 400 anos das primeiras observações astronômicas realizadas por Galileu Galilei. tais como. sabendo que os raios da lanterna atingem a superfície desse meio com o ar formando com a normal um ângulo de 45°. passa do meio A para o meio B. A escolha de quem pensa! . Quais são os valores dos índices de refração que o meio A deve apresentar para as cores 1 e 2 para que os feixes de cores 1 e 2 se comportem como na figura acima? 19. por exemplo. Uma fonte emite luz formada pela composição de duas cores distintas. Devido a ele. o estudante deseja construir uma luneta com o triplo da capacidade de ampliação da imagem. Na figura o meio A é o ar (n = 1) é sabendo que α = 30° e β = 60°. Componentes da luz com cores diferentes propagamse em um meio material refringente com velocidades diferentes. Um tipo de sinalização utilizado em estradas e avenidas é o chamado olho-de-gato.0) e segue a trajetória mostrada na figura. consegue-se separar os dois feixes. 20. não são 12 a) Reproduza no caderno de respostas o prisma ABC indicado na figura acima. a distância entre as duas lentes é igual à soma das distâncias focais dessas lentes e o aumento no tamanho da imagem observada com a luneta é dado pela razão entre as distâncias focais das lentes objetiva e ocular. uma lente objetiva convergente de 1. em geral. e sai tangente à superfície que delimita os dois meios. O feixe 1.50 grau e uma lente ocular divergente com distância focal de 3 cm. calcule qual será o valor da vergência da ocular e o tamanho máximo da luneta. Na escolha das lentes a serem utilizadas na montagem da luneta. que é ar (nar =1. acima do qual o prisma funciona como um refletor perfeito (toda a luz que incide perpendicularmente à superfície OG é refletida). A vergência V de uma lente convergente ou divergente é dada pelo inverso da distância focal. um estudante adquiriu tubos de PVC. Na montagem da luneta. Com isso.SUPER II 16. sofre reflexão interna total. O feixe 2. De posse dessas informações e desejando construir uma luneta. qual o valor do seno do ângulo limite quando a luz se propaga do meio B para o meio A? relevantes as suas distâncias focais. uma lente convergente (objetiva) e uma lente divergente ou convergente (ocular). e desenhe a trajetória de um raio de luz que incide perpendicularmente sobre a face OG e sofre reflexões totais nas superfícies AC e BC. Considere o prisma imerso no ar. geralmente.0. Os raios atravessam a superfície? Justifique sua resposta. Mantendo-se fixa a objetiva em 1. mas sim as suas potências de refração (vergência). que refletem a luz incidente dos faróis dos automóveis. Um par de mergulhadores noturno dentro da água (índice de refração n = 2) está em apuros e um deles pisca sua lanterna para avisar a equipe que está dentro de um bote no ar (índice de refração n = 1) para lhe socorrerem. b) Determine o mínimo valor do índice de refração do plástico. Popularizam-se esquemas de montagens caseiras de lunetas utilizando materiais de baixo custo. 18. onde o índice de refração vale 1. 17. f1 e f2 (medidas em metros). o qual consiste na justaposição de vários prismas retos feitos de plástico. feixes de luz com cores diferentes sofrem desvios diferentes ao passarem de um meio refringente para outro. A imagem formada será direta ou invertida? b) Empolgado com essa montagem. associado à cor 2. tubos de PVC. a) Calcule a que distância máxima da lente objetiva ele deverá fixar a ocular. sendo isso um indicativo de que o material apresenta um índice de refração diferente para cada cor. A esse fenômeno dá-se o nome de dispersão cromática da luz. cuja unidade de medida é a dioptria (“grau”). associado à cor 1.

10 m3. 3 17. V.8 m 05. b) 0. a) Côncavo. 06. 13. R. 66cm 20. 15 cm 11.33   3 19. a) – 60 cm b) 12 cm c) Não. b) –25 cm 14. Côncavo.D.pois projeta imagens b) 8 cm 15.I.D. b) –100 di. 3 07.I. a) b) n > 2 . V.Me.pois a imagem obtida pelo espelho é virtual. Imagem virtual direita e maior 09. O ângulo de incidência de 45° é maior que o ângulo limite que vale 30°. A imagem é real pois a mesma foi projetada na parede. Não. a) 45 b)14 10.3 V c) 437 °C 12. 04. A escolha de quem pensa! 13 . a)A imagem é real.Ma. a) 6. invertida é maior que o objeto. I e II 02.06   e n2 aproximadamente 4  5  = 1. a) Divergente. 5 2 m 08. e imagens virtuais não podem ser projetadas. direita em relação ao astro observado. a) 64 cm. Imprópria.  16  18.Ma. R. 03.Me.4 cm b) 0. Convergente f = 40 cm 3 16.SUPER II Gabarito 01.Ig.Me.D. n1 aproximadamente =1. ocorre reflexão total. R. pois a imagem obtida num espelho convexo (virtual direita e menor) não pode ser projetada.I. V.

nas condições descritas acima? 14 Índice de refração do ar = 1 Índice de refração da água = 1. No conjunto de dois espelhos planos mostrado na figura.0 x 8. atinge uma das faces de um cubo de vidro com ângulo de incidência igual a 30°. NOTE E ADOTE 03. uma lança. perpendicularmente ao plano da figura. 02. Esse fenômeno tem muitas aplicações práticas. se propagando no ar.0 × 108 m/s. Qual o seno do ângulo de refração? 05. retornar paralelo ao raio incidente. para a situação apresentada na figura e o valor que o ângulo β deve assumir. Determine os ângulos de reflexão desse raio quando o espelho está em E1 e quando o espelho está em E2.58 40° 0. produz uma imagem. determine: a) O ângulo α. da luz refletida pelo peixe. utilizando. Sua secção transversal ABCD está representada na figura abaixo. em radianos. Da forma que os espelhos estão dispostos. A luz vermelha se propaga no vidro com velocidade de 2. da posição E1 para a posição E2.0 × 108 m/s e no ar com velocidade de 3. Um jovem pesca em uma lagoa de água transparente. Uma câmara fotográfica. com um deslocamento angular de 30°. em função do ângulo θ. Tem-se um bloco de vidro transparente em forma de paralelepípedo reto.67 0. Sabendo-se que o índice de refração do vidro no ar vale 21/2.87 1. A lança atinge a água a uma distância x = 90 cm da direção vertical em que o peixe se encontra. esse conjunto não constitui um retrorrefletor.90 53° 0. sobre um filme de 8. c) A distância y.84 42° 0.33 60° 0.80 1. Determine o ângulo β.50 0.0 cm2. b) O ângulo β que a lança faz com a superfície da água. em torno da aresta cujo eixo passa pelo ponto O. fixo no ponto P. para isto. O fenômeno de retrorreflexão pode ser descrito como o fato de um raio de luz emergente. 06. como ilustra a figura abaixo. inicialmente alinhado com o centro de um espelho plano E. como indicado. pertencente ao plano definido por ABCD. incide em I1. após reflexão em dois espelhos planos dispostos convenientemente.SUPER II REFLEXÃO E REFRAÇÃO DA LUZ II 01. É utilizada para fotografar documentos situados a uma distância de 60 cm da objetiva. Um raio de luz monocromático. com uma objetiva constituída por uma lente delgada de 10 cm da distância focal. Considere um objeto luminoso pontual.73 A escolha de quem pensa! . 04. Responda: a) Qual o ângulo de refração em I1? b) Qual o ângulo de reflexão em I2? c) Qual o ângulo de refração em I2? Justifique sua resposta. imerso no ar. O espelho gira.3 v sen θ1 Lei de Snell: 1 = v 2 sen θ2 Ângulo q sen q tg q 30° 0. Para essas condições. da superfície da água. Um raio de luz vermelha. de incidência na superfície da água. ele atira sua lança na direção em que o observa. o raio emergente intersecta o raio incidente em um ângulo β. Ao enxergar um peixe. em que o jovem enxerga o peixe.64 0. O jovem está fora da água e o peixe está 1 m abaixo da superfície. refratando-se para o interior do bloco e incidindo em I2. a) A que distância da objetiva se encontra o filme? b) Quais são as dimensões do maior documento que se pode fotografar com essa câmara. para que o conjunto de espelhos constitua um retrorrefletor.

No lado oposto ao da incidência coloca-se uma outra lente L1. qual a distância percorrida pela imagem do objeto? 09. quando dois feixes paralelos incidem perpendicularmente em uma das faces do bloco e atravessam a bolha. paralelamente ao seu eixo principal e.4.0 cm da lente L1. converge para um ponto sobre o eixo principal localizado a 25 cm de distância do centro óptico. o objeto está a 50 cm do vértice. Em um certo instante. o que se pode afirmar sobre sua lente. 15 . por meio de tentativas sucessivas.4? 12.0 cm dela. após atravessá-la. Um feixe de luz incide perpendicularmente sobre a superfície plana P. preenchida com um líquido. Um tarugo de vidro de índice de refração n = a) O índice de refração do líquido for menor do que 1. em seu interior. que tem.SUPER II 3 e 2 seção transversal retangular é moldado na forma de uma ferradura.0 cm uma da outra e têm distâncias focais F1 = 3.0 cm e F2 = 10. Nessa situação. ”Sherlock Holmes neste dia usava seu cachimbo e um instrumento ótico que permitia uma análise ainda mais nítida da cena do crime”. sendo N igual a: a) Sabendo que no texto acima o instrumento em questão é uma lupa. R Determine o valor mínimo da razão para o qual toda d a luz que penetra pela superfície P emerja do vidro pela superfície Q. divergente com o mesmo eixo principal e. Um objeto decorativo consiste de um bloco de vidro transparente. Determine a posição e a altura da imagem final. de índice de refração n. Um feixe de raios luminosos incide sobre uma lente L0. verificase que quando a distância entre as lentes é de 15 cm. em módulo. de índice de refração igual a 1. aproximadamente esférica. Um inseto. como ilustra a figura. Uma lente divergente de distância focal –4. As lentes L1 e L2 distam 20.0 cm é colocada de outro lado da convergente a 5. Após 5 s.0 cm. Um objeto com 8.0 cm de altura está a 15 cm de uma lente convergente de 5. A figura ao lado mostra um perfil do objeto. é observado com esse microscópio. com a forma de um paralelepípedo. os raios emergentes voltam a ser paralelos ao eixo principal. como mostra a figura (2). Nessas condições. 07. colocado a 4. A distância focal do espelho é de 10 cm. com velocidade constante de 4 cm/s. ela é convergente ou divergente? Justifique. a distância focal da lente L1. 11. como mostra a figura (1).4? b) O índice de refração do líquido for maior do que 1. uma bolha. como o objeto se comporta em cada caso: A escolha de quem pensa! Calcule.0 cm de distância focal. em direção ao vértice de um espelho esférico côncavo Gaussiano. b) Em que posição deve estar o objeto observado em relação à lente para se obter uma imagem virtual deste mesmo objeto? Qual a classificação da imagem obtida quanto ao tamanho e orientação? 13. também transparente. o observador vê o inseto com tamanho N vezes maior. respectivamente. Um objeto desloca-se ao longo do eixo principal. A figura mostra um microscópio artesanal construído com um tubo de plástico PVC e duas lentes convergentes.4? c) O índice de refração do líquido for igual a 1. 10. 08.

a pessoa deve colocar o objeto que deseja observar entre a lente e o ponto focal. quando ainda estão se propagando no ar. pequenos objetos ou superfícies. Em uma máquina fotográfica de foco fixo. e por engano curiosidade acaba utilizando um óculos de uma pessoa míope. a) A que distância do número tipado no motor o perito deve posicionar a lente para proceder sua análise nas condições descritas? b) Em relação à lente. Um perito criminal utiliza uma lupa de distância focal igual a 4. a) Utilizando o conceito de raios. conforme ilustra o esquema. direita ou invertida. os feixes estão separados por uma distância lateral d. 16 A escolha de quem pensa! . Um feixe de luz laser de hélio-neônio. O índice de refração n do bloco de vidro depende do comprimento de onda λ0 da luz incidente. Uma pessoa possui visão normal. Uma pequena pedra repousa no fundo de um tanque de 7 m de profundidade. onde se forma a imagem do número analisado? Qual o tamanho da imagem obtida? 15. direita. Uma lente convergente pode servir para formar uma imagem virtual. maior ou menor. incidem paralelamente sobre um bloco de vidro de seção reta retangular. esse ponto está ligeiramente desfocado e sua imagem tem 0. No filme. Justifique. com comprimento de onda igual a 633 nm (luz vermelha). em escala. Mesmo assim. na própria figura. as cópias ampliadas ainda são nítidas para o olho humano. conforme indicado na Figura 1. b) A que distância da lente um objeto precisa estar para que sua imagem fique exatamente focalizada no filme? 18. Para utilizar no dia-a-dia uma lupa formada por uma lente convergente. com mais detalhes. paralela à superfície da água que flutuando sobre a superfície da água diretamente acima da pedra. e é utilizada para observar. a imagem formada. plana. especifique se a imagem formada é real ou virtual. a imagem de um ponto no infinito é formada antes do filme. tipados em um motor de um automóvel.5 mm de diâmetro e a distância focal da lente é de 35 mm.03 mm de diâmetro. A abertura para a entrada de luz é de 3. maior e mais afastada do que o próprio objeto. Determine o menor raio de uma cobertura circular.0. Dado: índice de refração da água n= 4 3 19. com comprimento de onda igual a 458 nm (luz azul). de 0. a) Que tipo de lente este óculos possui? b) Qual a característica da imagem fornecida por esta lente? c) Como ficaria a vista de uma pessoa normal ao usar esta lente? 17. conforme mostra o gráfico da Figura 2.7 cm de altura. impeça completamente a visão desta por um observador ao lado do tanque. A figura abaixo ilustra essa situação. b) Para a situação acima. na qual O é o objeto e F são os pontos focais da lente. e outro de argônio. cuja vista se encontra no nível da água. Considere que nar = 1. Uma lente empregada dessa maneira é chamada lupa.0 cm e fator de ampliação da imagem igual a 3. represente graficamente.SUPER II 14. Antes de atingirem o bloco. 16.0 para analisar vestígios de adulteração de um dos números de série identificador. a) Calcule a distância d do filme à lente.

b = p – 2q . os feixes estarão mais próximos ao deixarem o bloco. separadas por 50 cm.52 m 07.3 mm b) 4118 mm. A figura abaixo é a representação esquemática de um sistema óptico formado por duas lentes convergentes. 20. 20. conforme indicado abaixo. Portanto.7 cm b) p`= 8 cm I = 2. pois a luz sofre reflexão total nesta face.46 cm 10.33 05. a) a = 42° b) b = 30° c) y = 0. Com base nesses dados: 08. faça um desenho em escala. Utilize a escala 10 para 1. 13. 0.SUPER II a) Mostre que os feixes continuam paralelos entre si após atravessarem o bloco de vidro. 10 cm 14. a) Bordas grossas.) Gabarito 01. o qual é posicionado a 15 cm da lente 1. logo o raio incidente e emergente são paralelos entre si. direita e maior. a) p = 2. Nesse caso. os feixes estarão mais próximos ao deixarem o bloco. a) p`= 60 cm à direita da segunda lente. conforme indica a figura abaixo. c) Visão de um hipermetrope. cada 10 cm no sistema real correspondem a 1 cm no seu desenho. A separação lateral então aumentará. a) 30° b) 60° c) Não existe refração em I2. c) Obs. 1. a) Lente divergente b) Lente convergente c) Os raios saem paralelos. vemos que será a luz vermelha (de maior comprimento de onda) que estará associada com o menor índice de refração. Nesse caso. 10 cm e 15 cm. respectivamente. b) Virtual. o ângulo de refração será menor para a luz azul. direita e menor. a) b) A imagem é virtual. 12. q = 03. 3 m 19. (Cada quadrícula tem 0. a) Usando a lei de Snell na figura abaixo provamos que θ1 = θ3. mostrando a localização e o tamanho da imagem formada pelo sistema. b) Determine o tamanho da imagem formada pelo sistema. 15 11. ou seja. b) Quanto mais refringente for o meio menor o ângulo de refração (mais próximo da normal fica o raio refratado). a) 35. b) Entre o foco e a lente. A separação lateral entre os feixes diminui. c) O resultado do item b mudaria se o feixe 1 correspondesse à luz azul e o feixe 2 à luz vermelha? Justifique. 16. c) Empregando a representação de raios. Desenho fora de escala 06. 17. R =2 d A escolha de quem pensa! 17 .5 cm de lado. Do gráfico da Figura 2. a) a = 0° b) a = 30° 02. 04. b) Considere que o feixe 1 corresponda à luz vermelha e o feixe 2 à luz azul. em relação ao objeto? Justifique sua resposta. A luz azul (de menor comprimento de onda) estará associada com o maior índice de refração. Portanto. aumenta ou permanece a mesma após emergirem do bloco? Justifique. conforme indica a figura abaixo.50 cm 09. 2. pois a imagem é ampliada.1 cm 15. b) i = 24 cm. c) Basta trocar os feixes de lugar na figura acima. o ângulo de refração será maior para a luz vermelha.54 cm à esquerda de L2 e 2. a)12 cm b) (40 x 40)cm2 π rad 2 Esta expressão mostra que o ângulo de refração θ2 será tanto maior quanto menor for o índice de refração. Ela é direita ou invertida. a) Determine a posição da imagem formada pelo sistema de lentes. direita e maior. a) Convergente. Virtual. 18. A imagem é direita (i = +) pois possui mesma orientação do objeto. Utiliza-se um lápis com 4 cm de comprimento como objeto. As distâncias focais das lentes 1 e 2 são.

Notamos que canções regravadas ou cantadas por outra pessoa nos é percebida diferentemente da canção original. O gráfico ao lado representa a posição x da peça em função do tempo t. a) Qual é a área da pupila. 18 08.s–2 a corda apresenta a configuração de um 3° harmônio (3 ventres). incide sobre o olho de uma pessoa cuja pupila está bem dilatada e tem um diâmetro de 8. A figura mostra dois alto-falantes alinhados e alimentados em fase por um amplificador de áudio na frequência de 170 Hz. A corda de um instrumento musical teve de ser substituída às pressas durante um concerto. de mesmo material. São conhecidos: L = 1. ele resolveu medir o nível de ruído máximo e constatou que na verdade era de 120 dB. Fazendo-se o diapasão vibrar com uma frequência constante f e estando a corda tensionada sob a ação de um peso 3. conforme a figura. Justifique a sua resposta. o comprimento do fio e o µ = 3.000 m. Qual a maior distância entre dois máximos de intensidade da onda sonora formada entre os alto-falantes? A escolha de quem pensa! . para que não ocorram danos ao sistema auditivo. Este fato se deve principalmente a qual qualidade fisiológica do som?Explique. determine: Considere que luz de comprimento de onda 600 nm. 04. Max Planck deduziu que a luz é constituída de “pacotes de energia” (mais tarde denominados fótons). Segundo recomendação dos médicos. Nestas condições. A peça de uma máquina está presa a uma mola e executa um movimento harmônico simples. Cada fóton constitui-se em uma quantidade unitária de energia (“quantum”. b) Os instantes em que a velocidade da peça é nula. em elétrons-volt? 07. 03.SUPER II ONDAS E ACÚSTICA 01. Com base no gráfico. daí teve origem a Física Quântica) dada por E = hf. em m2? b) Qual é a freqüência da luz? c) Qual é a energia de cada fóton. uma pessoa pode ficar exposta a um nível sonoro de 120 dB no máximo durante 3 minutos por dia.00 mm. considerada como estando entre 20 Hz e 20. de um tubo deste comprimento aberto nas duas extremidades? 02. em que f é a frequência da radiação. mas com o dobro do diâmetro. Calcule em quantas vezes deverá ser aumentada a tensão na corda para que a frequência das suas oscilações continue igual à da corda original.000 Hz. a) O período e a frequência do sistema peça-mola. m. pensando em sua saúde. Como o comprador necessitava da moto para trabalhar ao longo do dia. oscilando em uma direção horizontal. (Use π = 3). o motivo é que as vozes das pessoas são diferentes entre si. Considere como intensidade sonora de referência Io = 1 × 10–12 W/m2. Um vendedor de motos usadas afirmou para um suposto comprador que o modelo no qual ele estava interessado emitia um ruído máximo com nível sonoro N = 90 dB. com a posição de equilíbrio em x = 0. Justifique a sua resposta. Foi dada ao músico uma outra. Em 1900. Considere que seja desprezível a variação da intensidade do som de cada um dos alto-falantes com à distância e que a velocidade do som é de 340 m/s.00 × 10–4 kg/m a massa específica linear do fio. qual a frequência do diapasão? 06.00 × kg.0 × 10–11 W/m2. Um fio tem uma das extremidades presa a um diapasão elétrico e a outra passa por uma roldana e sustenta nesta extremidade um peso P = mg que mantém o fio esticado. deveria comprar a moto assim mesmo? Justifique sua resposta com base no enunciado. c) Os instantes em que a aceleração da peça é máxima. a) Calcule quantas vezes a intensidade sonora do ruído (I) é maior do que a alegada pelo vendedor. cuja intensidade é de 5. b) O comprador. O tubo mais curto de um órgão típico de tubos tem um comprimento de aproximadamente 7 cm. 05. Qual é o harmônico mais alto na faixa audível.

Um grupo de pesquisadores deseja estudar o quanto esse aparelho celular provoca de aquecimento na cabeça dos seus usuários. o repórter atribuiu tal receio a "crendices populares". Qual corda emite o som mais grave.6 J/(g . Em seguida. que representa sua projeção E nessa direção fixa. de modo que a velocidade com que nelas se propagam ondas transversais seja a mesma. Faça uma estimativa da elevação da temperatura do conjunto. A figura abaixo representa valores típicos do nível sonoro. são necessários para produzir o mesmo nível sonoro de um avião? 12. realizam uma simulação num laboratório: enchem uma bexiga de festa. ligam o telefone celular.SUPER II 09. mesmo diâmetro e submetidas à mesma tensão. Com base nos conceitos da Física. Dado: O calor específico do líquido utilizado na simulação é de 3. quanto vale a intensidade sonora produzida por um automóvel. suponha que cada corda vibre em sua frequência fundamental. Para que o instrumento possa emitir as diversas notas musicais. Determine a frequência aparente nos casos abaixo sabendo que a velocidade do som no ar é de 330 m/s. Há algum tempo um repórter de televisão noticiou uma marcha em algum lugar do Brasil. Na ocasião. como mostra a figura. 11. E é positivo ou negativo conforme o sentido do campo. As cordas são todas de mesmo material. Calcule o comprimento de onda λ utilizado pela operadora de telefonia. Uma vez afinado o instrumento. Em um ponto fixo do espaço. em funcionamento. produzidos por um motor de automóvel e pelas turbinas de um avião em funcionamento. a) Se o limiar de audição corresponde a uma intensidade de 10–12 W/m2. citou que os seus integrantes pararam de marchar quando estavam passando sobre uma ponte. Para tanto. Pergunta-se: A escolha de quem pensa! 19 . com medo de que pudesse cair. As setas indicam os níveis sonoros. em W/m2? b) Quantas vezes a intensidade sonora produzida por um avião é maior do que o limiar de audição? c) Quantos automóveis idênticos. a mais longa ou a mais curta? Justifique sua resposta. 14. Em dado momento. encostado no conjunto. Esses aparelhos tão populares utilizam a radiação na frequência das micro-ondas para enviar e receber as informações das chamadas telefônicas. considerando que a potência emitida pelo aparelho celular seja absorvida pelo conjunto. ele utiliza cordas de comprimentos diferentes. a) A empresa Darkness de telefonia opera a uma frequência de 850 MHz. pelo tempo total de 9 minutos.0 × 108 m/s). qual a freqüência aparente ouvida por você? b) Você está parado e a viatura afasta-se a 30 m/s. 10. sabendo que as ondas eletromagnéticas se propagam com a velocidade da luz (c = 3. °C). a) Você está parado e a viatura aproxima-se a 30 m/s. Qual a freqüência aparente ouvida pelo motorista do carro da polícia? 13. b) Considere um aparelho celular que emite 1 W de potência quando em funcionamento. expresso em decibéis (dB). é correto afirmar que os integrantes da marcha agiram de forma correta? Justifique fisicamente sua resposta. como mostra o gráfico abaixo. Uma viatura policial está em perseguição com a sirene ligada e emite um som com frequência real de 150 Hz. tal que o conjunto (bexiga + líquido) tenha massa de 2 kg. Um artesão constrói um instrumento musical rústico usando cordas presas a dois travessões. de massa desprezível. com um dado líquido. qual a frequência aparente ouvida por você? c) Podemos afirmar que quando a velocidade da viatura diminuir para 20 m/s. o campo elétrico de uma radiação eletromagnética tem sempre a mesma direção e oscila no tempo. Estima-se que hoje em dia o Brasil tenha cerca de 160 milhões de telefones celulares em operação. após esse intervalo de tempo.

(( ) Ondas longitudinais podem ser refratadas. As cores representadas são violeta. como o da figura a seguir. O nível da coluna de água no recipiente pode ser controlado através de um sistema de tubos. Um diapasão que vibra na frequência f de 440 Hz é mantido junto à extremidade aberta de um recipiente cilíndrico contendo água até um certo nível. Um tubo sonoro. Em determinadas condições de temperatura e pressão. c) Qual radiação apresenta o maior comprimento de onda?Justifique. contudo nossos adolescentes ainda não se conscientizaram disto. refletida por um grande espelho plano.0 m.6 m. após a emissão. Adotando a velocidade do som no ar como 340 m/s e o tempo médio de uma piscada igual a 0. o mesmo pode funcionar como uma fonte pontual de π × 10–1 W de potência isotrópica quando ligado a um adaptador adequado. observa-se um máximo na intensidade do som quando a coluna de ar acima da coluna de água mede 0. (( ) Som e luz podem ser polarizados.6 m. (( ) O efeito fotoelétrico evidencia o caráter ondulatório da luz. Sabendo que o limiar mínimo de audição humana corresponde a uma intensidade de 10–12 W/m2 responda: a) A máxima intensidade sonora suportado por um ser humano é de 104 W/m2 (perfuração instantânea de tímpano). o valor (em escala arbitrária) do campo elétrico E associado a uma onda eletromagnética que se propaga no vácuo ao longo do eixo x. qual deles possuíra maior frequência de oscilação se postos a vibrar com pequenas amplitudes? c) Se o relógio B for levado para a Lua. não necessariamente nesta ordem.4 s. Responda: a) Qual a distância d entre a menina e o espelho? b) O fenômeno da reflexão ocorre com o som ou a luz? Justifique. Os relógios possuem hastes de metal de comprimento L e estão sujeitos a uma aceleração g (campo gravitacional do local). (( ) Ondas mecânicas sofrem interferência. a) Determine a velocidade do som no ar nas condições da medida. qual é a radiação apresentada no gráfico? b) Qual destas radiações podem ser polarizadas? Justifique. O efeito se repete pela primeira vez quando a altura da coluna de ar atinge 1. (( ) Num mesmo meio a onda de menor frequência sofre difração mais facilmente. correspondente a uma determinada cor. b) Determine o comprimento de onda do som produzido pelo diapasão. Sabe-se que a frequência da luz violeta é a mais alta dentre as três cores. que fornece os valores típicos de frequência f para diferentes regiões do espectro eletromagnético. (( ) Toda onda transversal é eletromagnética. A poluição auditiva é extremamente prejudicial ao ouvido humano.SUPER II Radiação eletromanética Frequência f(Hz) Rádio AM 106 TV (VHF) 108 micro-onda 1010 infravermelha 1012 visível 1014 ultravioleta 1016 raios X 1018 raios g 1020 a) Consultando a tabela acima.Qual a intensidade sonora a um metro deste aparelho? 21. a) Se a frequência do pêndulo A na Terra é de 0. e justifique: (( ) Toda onda que pode ser refletida. Dois relógios A e B de pêndulo marcam na Terra a hora exata. qual o comprimento do pêndulo? b) Se o relógio A for aquecido e o B resfriado. enquanto a da luz laranja é a mais baixa. 15. Marque (V) para verdadeiro ou (F) para falso. emite um som com velocidade de 340 m/s. e analisando o gráfico de E em função do tempo.5 Hz. 16. 17. 18. pode ser polarizada. Patrícia ouve o eco de sua voz direta. Qual o comprimento de onda e a frequência da onda sonora emitida? 20 A escolha de quem pensa! . 20. 19. Podemos medir a velocidade v do som no ar de uma maneira relativamente simples. c) Desenhe esquematicamente o modo de vibração que ocorre quando a coluna de ar mede 0. qual o valor deste nível sonoro? b) Qual a intensidade auditiva percebida para um usuário de “IPOD” com o fone de ouvido a 100 dB? c) De acordo com o manual do “IPOD”. num dado instante. Cada figura abaixo representa. verde e laranja. ele adianta ou atrasa em comparação ao relógio A que continua na Terra? Observação: Ambos estão à mesma temperatura. no exato tempo de uma piscada de olhos.

a)160 dB b)10–² W/m² c)25 m W/m² 21. Um conjunto de ondas. tem seu deslocamento y. 15. as amplitudes dessas ondas diminuam com sua propagação. c) Onda de rádio. a) A = 4. com detectores e softwares apropriados. b) Calcule a velocidade que o tubo B deve possuir para eliminar a frequência do batimento calculada no item a).20 Hz b)25m c)5m/s d) Do gráfico (yxt). 0.000 vezes b) O comprador não deveria comprar a moto. Esses resultados correspondem aos deslocamentos y do nível da água em relação ao nível de equilíbrio (y = 0 m). pois aumenta o período com a diminuição do campo gravitacional. 19. d) Identifique. sendo que o perfil da superfície da água. de propagação das ondas no tanque. 3 s e 5 s. a)1. a) A cor laranja. a) Aproximadamente 0.8 × 10–5 m2 b) f = 5 × 1014 Hz c) E = 2. A partir desses resultados: que é pouco tempo para quem deseja trabalhar durante todo o dia. F. 07. a) v = 352 m/s b) λ = 0. 20. com que as ondas foram produzidas. em Hz. c) Atrasa. ainda que. Também pode ser justificada sabendo-se que nesses instantes toda a energia encontra-se na forma elástica e. C. no gráfico abaixo (t = 25 s). das ondas formadas. tal como registrado por detectores fixos na posição x = 15 m. B.V.V g 19. Gabarito 01. é registrado por detectores em instantes subsequentes. representado ao lado.F. Dois tubos sonoros A e B emitem sons simultâneos de mesma amplitude. observamos que o pico E da onda está na posição x = 15m no instante t = 25s. 22. assinaladas na figura acima. a) T= 4 s e f = 0. c) Os instantes em que a aceleração da peça é máxima são: 1 s. em m/s. 6 m 09. de frequências fA = 150 Hz e fB = 155 Hz. Os picos anteriores estão posicionados a intervalos constantes de 25m. Sim a ponte poderia entrar em ressonância 14.80 m e 425 Hz.8 m c) 17. Em uma das extremidades de um tanque. medidos no instante t = 25 s para diversos valores de x. 23.5 × 10–2 °C 10. a)0.5 Hz c)150 Hz 13. Para esse mesmo conjunto de ondas. medidos a partir deste pico E: 02. 22. 04.428 Hz 18. A corda de maior comprimento emite a menor frequência 11. a) 5Hz b) 10m/s no sentido oposto da fonte A.000 12. c) Estime a velocidade V. 16. a) 68 m b) As duas ondas sofrem reflexão. pois são eletromagnéticas e toda onda eletro -magnética pode ser polarizada. de 200 m de comprimento. pois aumenta a frequência na contração da haste. pois a energia da radiação está diretamente associada a sua frequência. em metros. a) L = 2 π b) B. as posições das ondas A. como pode ser observado. um dispositivo D produz ondas na água. 150 Hz 06. a) ultravioleta. 4 vezes 05. Usar velocidade do som no ar como 300 m/s. portanto. A mais longa. ele somente poderia ficar submetido a esse ruído em torno de 3 minutos por dia. ao longo de toda a extensão do tanque.35 m b) 7.07 eV. não há energia cinética. Dois sons de mesma altura e mesma intensidade podem ser diferenciados pelos harmônicos 08. D e E. a)165 Hz b)137. pois possui a menor frequência. respectivamente.F. b)Todas.SUPER II Responda: a) Qual a cor com o maior comprimento de onda? Justifique. A propagação de ondas na água é estudada em grandes tanques.25 Hz b)1. b) Qual a radiação mais energética?Justifique.F. a) Estime a frequência f. 03. pois num mesmo meio quanto menor a frequência maior o comprimento de onda. De acordo com a recomendação médica. a) 10–3 W/m2 b) 1013 c)10. e especifique o sentido desse movimento em relação ao observador. 23.V. produzidas com frequência constante. b) A cor violeta é a mais energética. pois a imagem e o som retornam até a menina. b) Estime o comprimento de onda L. a) Calcule a frequência do batimento do som ouvido por um observador que se encontra próximo aos tubos e em repouso em relação aos mesmos. em função do tempo. A escolha de quem pensa! 21 . Timbre. Nesses instantes ocorre a máxima deformação da mola. os resultados das medidas de sua propagação ao longo do tanque são apresentados na página de respostas.3 e 5 Nesses instantes ocorre à inversão do sentido de movimento da peça.

.

.

|41| 3093-6829 Sede Monsenhor Celso .Rua Monsenhor Celso.Centro .br Acesso C EUNRT S L IÉOG I O R O EED UCCO AC NA L .Centro .Boqueirão . 269 .|41| 3016-2629 Sede Boqueirão . Marechal Floriano.Av. 7780 .|41| 3016-2682 www.com.Rua André de Barros.cursoacesso. 678 .Sede André de Barros .